27 de novembro de 2012

CANTANDO NA ESTRADA

Foto: trucksplanet.com



Para quem leu lá atrás aquele meu post Ride of a Lifetime, ou se não leu e quiser ainda dá tempo, tem o início da história, bem no espírito do meu último post, Vida de Carro Velho. Assim, ninguém vai reclamar muito da mudança de assunto! E também eu sei, este post é muito mais para ser escrito pelo MAO que pelo AG, mas como o MAO é um cara muito refinado e só anda de carros muito legais e sofisticados, alguém tem que escrever sobre carniças. Então ninguém reclama que eu escrevi apenas de coisas sentimentais sem nenhum número ou informação técnica.

E como o poeta dos carros é o MAO, também não reclamem se não sentirem tanta emoção quanto nos ótimos textos dele. 

Passado um tempo, um bom tempo depois que eu sai e dirigi o D60, passeio este que insiste em não cair naquela zona cinza da memória chamada esquecimento, numa manhã de sábado ensolarada eu tive que ir de novo ao setor H Norte comprar umas peças. Ao chegar, vi o D60 estacionado num canteiro.

Na hora, sem pestanejar, peguei o celular e liguei para o Eliseu, o dono do caminhão. Ele atendeu e por acaso estava do lado, veio e começamos a conversar de novo.

Ele, sabedor do meu gosto pelo caminhão, já veio rindo e disse logo: "Ó, hoje você vai pirar. Eu consertei o freio, troquei a caixa de direção, pus dois pneus novos na frente e mandei alinhar a direção. Hoje você pode dirigir ele direito". Claro, nem precisou perguntar se eu queria dirigir o caminhão e muito menos ainda se eu ia pegar um trecho de estrada com ele para finalmente poder dizer de verdade que eu tinha pelo menos dirigido o meu caminhão preferido de verdade, com intensidade, com tempo e com gosto.

Detroit Diesel 4-53
Ligamos ele, o 4-53 roncou forte e bem, suavemente engatei uma segunda e saí com ele. Os reparos feitos no caminhão transformaram-no num veiculo bem legal e agradável de dirigir. A direção sem folgas, leve, o freio parando de verdade e os pneus e o alinhamento deixaram ele bem bacana de rodar. Saí de Taguatinga, peguei a BR-070 e o dirigi um bom período. Desta vez podendo acelerar de verdade, esticar as marchas como se deve, sentindo o motor cantar alto a música que só ele produz. De novo outras lembranças passadas em outro D60 1977 Perkins que tinha dirigido para um amigo em outras ocasiões e o mundo de diferença de um motor para o outro. O 4-53 é tão superior em desempenho e em suavidade que chega a ser incomparavel ao 6-357.

Tem umas coisas, umas experiências que a gente vive que sabe que são únicas. Esta era uma delas e eu sabia disso com muita clareza. A expressão inglesa que usei no título do post passado, "Ride of a lifetime", passeio de uma vida, tem tudo a ver com isto. Na primeira, a emoção e o prazer de descobrir que se gosta de algo que realmente é tão bom quando se imagina. O sonho vira realidade em sua íntegra. É sonho, mas é real. É muito bom, e não precisamos sequer usar a imaginação ou fazer algum esforço ou ser excessivamente tolerante ou complacente para achar bom. É bom, muito bom, bom de verdade mesmo.  

E eu dirigi com gosto, com desenvoltura, pude esticar todas as marchas, cambiando com proficiência e atitude, com paixão e com vontade, pude ter o gosto de ver aquele caminhão velho, mas íntegro, com o magnifico motor 2-tempos, forte, poderoso e vocal dizendo tudo o que sabia, espalhando sua melodia única, ímpar, absoluta por onde passava. Pude sentir aquele gosto especial de simplesmente fazer o que gosto, viver plenamente o bom momento. Andei um monte, andei até cansar. E alegrei minha mente, colori meu dia.

Na volta, depois de estacionar e desligar, o amigo ainda disse: "Eu preciso vendê-lo, não quero mas preciso, você não fica com ele não?" É, era isso. Eu queria, desejava, mas eu não podia.  Exatamanete neste período eu estava fazendo uma parte importante da obra da minha nova casa e eu sabia que mesmo tendo o valor pedido, se o comprasse atrasaria muito a obra e, realmente, além de sequer ter espaço para guardá-lo, não teria nem em que usar ele direito. O momento era este. Eu, triste, mas educadamente recusei. Conversamos um bom tempo ainda, e me despedi.

Passaram-se uns seis meses, e indo para a minha obra, vi um caminhão parado numa loja de piscinas próximo ao Jardim Botânico, e ele me pareceu familiar. Muito familiar.

Parei, retornei e voltei para ver. Era o D60. Quase que imediatamente após, o Eliseu aparece e vem conversar. Ele me disse que o Detroit tinha dado um problema de válvulas e que finalmente ele tinha desistido dele. Agora, embaixo do capô tinha um Mercedes OM-366. O 4-53 estava jogado num sítio de um amigo e ele não mais iria retornar aos 2-tempos pela dificuldade de manter e de reparar quando necessário.

Nesta hora, a sensação de que a última dirigida tinha sido uma daquelas experiências únicas estava definitivamente sacramentada. Não era ainda a hora de acontecer, não era o momento certo. Como eu carrego na vida a certeza que o destino é algo inexorável e que se realiza indepentemente de nossa pressa ou do nosso desejo, nem me amofinei demais, pois eu sabia que ainda não era a hora. 

Mas ainda assim, volta e meia tem um D60 com 4-53 anunciado no Mercado Livre. Sempre que eu vejo o anúncio, lembro da música dele. Qualquer hora dessas eu acabo cumprindo o meu destino. Como eu sei que tudo o que amamos verdadeiramente acaba nos pertencendo por direito e acaba vindo a nós, eu vou saber esperar mais um pouco.

E então, como um velho bluesman tocando sua gaita, entoando seu velho e bom blues lá do delta do Mississipi, eu vou sair por aí tocando a minha,  só que em vez de falar, por exemplo, da vontade de estar na Flórida, onde o sol brilha todo dia, e eu ficando na sombra das palmeiras enquanto minha mulher brinca ao sol na areia, eu vou cantar a alegria da velocidade, da potência, e de uma época onde bastava ser simples e potente, entusiasmante e rápido, para ser realmente bom,.

Vou tocar meu two stroke blues all the way, sozinho, sem destino, sem carga, apenas porque eu vou querer e vou poder.


Um breve vídeo obtido no YouTube para o leitor saber como é som desse motor diesel 2-tempos e entender melhor minha paixão por ele:


AG

131 comentários:

  1. Caminhão é assunto apaixonante, mas do qual não entendo nada. Apenas entendo porque algumas pessoas adoram um belo ronco de motor

    ResponderExcluir
  2. Caraca que ronco lindo desse motor!

    ResponderExcluir
  3. AG

    Tive um desses na fazenda por vários anos. Chamávamos o caminhão de Detroit. Urrava alto e gostoso. Esse motor não arregava pra nada; danado de forte. Por fim tivemos que trocar o motor devido a dificuldade na retífica, mas segurei o blower para fazer alguma besteira com ele.

    ResponderExcluir
  4. Alexandre,

    O som desses motores são fantásticos mesmo e dá vontade de ter um!!! Você disse que a suavidade também pe maior que um Diesel comum. Qual a principal causa disso? Você sabe por que aqui no Brasil esses motores não pegaram, ao passo que nos EUA parecem ser bem populares, equipando até as picapes? Lá ele ainda é utilizado? Ele gira bem mais que os Diesel 4 tempos?Abraço!

    ResponderExcluir
  5. AG,

    Vc se subestima, meu amigo...

    Vc é o cara! Que MAO porcaria nenhuma.

    Abraço!
    MAO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Semana memorável no AE. Por culpa de vocês dois. Parabéns a ambos.

      Excluir
    2. Semana memorável no AE. Por culpa de vocês dois. Parabéns a ambos.
      (2x)

      Excluir
    3. Semana memorável no AE. Por culpa de vocês dois. Parabéns a ambos.
      (3x)

      'ceis' tão sacaneando 'legaus' :o))

      Excluir
    4. Semana memorável no AE. Por culpa de vocês dois. Parabéns a ambos.
      (4X).

      Coisa para quem curte carros, e não palhaçadas!

      Leo-RJ

      Excluir
    5. Semana memorável no AE. Por culpa de vocês dois. Parabéns a ambos.
      (5x)

      Excluir
    6. Semana memorável no AE. Por culpa de vocês dois. Parabéns a ambos.
      (6x)

      Excluir
    7. Mais um parabéns a MAO e AG!

      Excluir
    8. Pô, obrigado mesmo, pessoal!
      MAO

      Excluir
  6. Outro que tinha um som maravilhoso era o "marítimo" usado em onibus, se não estiver enganado, da Viação Cometa.

    ResponderExcluir
  7. Alexandre;

    Detroit diesel é único em seu ruido...Um show a parte.

    Recentemente estava parado em um semaforo perto de um porto de areia quando escutei o som familiar...Era um Chevrolet D-60 Detroit, azul marinho...todinho torto de chassis mas o Detroit firme e forte.

    Parabéns pelo post! Seo quem escutou um Detroit uma vez na vida sabe o que é!

    Vai outro link para desta vez um Chevrolet D-60 Detroit!

    http://www.youtube.com/watch?v=erDFz0oPlU4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel
      Pelo menos no q. tange aos V-6 de 2T,havia os FK (Ford alemães),q. tinham um urro ainda mais arrepiante do q. os GM Detroit,pela cilindrada menor e giro mais alto. Eram uma Ferrari na vida...

      ab...

      Excluir
  8. Charley Tavares27/11/12 12:48

    Não dá pra colocar um motor desse em uma Chevy D-10, Dodge D100, F-75 ou F-1000, não ? Deve ficar uma brincadeira interessante, pra quem tivesse disposição, tempo e dinheiro, pra tentar a adaptação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem tem disposição, tempo e dinheiro vai fazer coisa mais legal e proveitosa que ficar reciclando estas tranqueiras.

      Excluir
    2. Pois é, Anônimo, mas se o cara tiver disposição PRA ISSO, o tempo e o dinheiro são dele e ninguém tem nada de que reclamar.
      Outro dia ví uma Veraneio branca indo à leilão, sem motor. No ML um motor desses é até bem barato. Será que...

      Excluir
    3. Numa D10 ou Veraneio, deve ser "mamão com açúcar" instalar um Detroit 4-53, dada a semelhança de ambos com o D60. E devem andar que é uma beleza, já que pesam bem menos que o caminhão. Taí uma travessura legal que nunca tinha pensado...

      Excluir
    4. Ao anonimo-tranqueira: Cada qual com seu gosto, algum problema?
      RR: Já tem um bom tempo que sonho com um destes na minha c15 1973 atualmente Perkins Q20b4 turbinada.

      Excluir
    5. desculpem a minha intromissão mas o motor detroit na minha opinião seria muito pesado para adaptação em pickps ,eu tive um caminhão D60 detroit durante muitos anos e conheço esses motores a fundo,um dos problemas que costumavam dar,era roçar as estrias do eixo do GROV ou sei la o nome certo para isso,mas eu resolvi facil e na estrada,fiz as cabeças do eixo sextavadas e nunca mais deram problemas,o unico problema era as peças de reposição muito caras e dificeis de se encontrar,um ótimo motor ,mas não era economico não

      Excluir
  9. AG, esse sujeito desse vídeo aqui embaixo certamente compartilha de seu entusiasmo pelo Detroit Diesel...

    http://www.youtube.com/watch?v=erDFz0oPlU4

    Um tio meu tinha um D60 1981, azul. Esse post me fez relembrar o ruido único daquele motor e incontáveis passeios na carroceria daquele caminhão, de cara pro vento, na minha infância. Bons tempos.

    ResponderExcluir
  10. Naquela época, alguns camihões Ford também utilizaram o Detroit 4-53.

    E o melhor mesmo para ouvir esse motor, era quando estava carregado subindo serra em segunda marcha.

    Arrepiava tudo o que tinha direito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN;

      Saiu uns Ford com 6V.53 V6. Eram cavalos facanicos F-7000, FT-7000

      Excluir
    2. Acho que lembro, mas foram bem poucos, não é?

      Excluir
    3. Verdade, saíram uns cavalos Ford no final dos anos 70 e início dos 80. Eram os F-8000.

      Excluir
    4. Isso...correto....Eram F-8000 os cavalos mecanicos V6.

      Coisa rara de se ver hoje em dia (eu pelo menos só vi em fotografia).

      Excluir
    5. Pessoal,era o ford F8500,aqui vai uma foto dele http://2.bp.blogspot.com/-i35ieufzwWw/T8vqyzz2smI/AAAAAAAAbZk/xoo34Bpf8Do/s1600/F-8500-1.jpg e sua ficha técnica:http://4.bp.blogspot.com/-KA61On1JTHA/T8vq5PEMKnI/AAAAAAAAbZs/jsCXVHW3eDA/s1600/F-8500-2.jpg

      Excluir
    6. Valeu, Anônimo das 03:18.

      Excluir
    7. Sim, F-8500, o top de linha da Ford. Mas existiu também o F-8000, modelo logo abaixo do F-8500. Esses dois eram os únicos empurrados por Detroit, o restante da linha creio que por Perkins ou MWM, já nem lembro direito.

      Excluir
  11. AG,
    Os Detroit são realmente únicos, pena que estão cada vez mais raros de se encontrar por aí.
    E ainda sobre os Detroit, digamos que, hipoteticamente, eu esteja pensando em colocar um 4-53 em uma Veraneio de carroceria antiga. Isso seria possível ou eixo-piloto e volante/embreagem precisariam de tantas adaptações que ficaria algo inviável? E tem algum lugar no DF onde ainda se encontra esses motores?

    Sobre os caminhões, sei que isso muito provavelmente não irá lhe agradar, mas já pensou em algum Volks do início dos anos 80? É um V8 Dodge, só que queimando álcool ao invés de gasolina. E dependendo da taxa até poderia rodar com a gasolina atual (que em alguns postos é essencialmente álcool). Só não sei se ainda existe algum caminhão desses com o motor original - pelo menos nunca vi.

    ResponderExcluir
  12. Marcelo Foresti27/11/12 13:59

    O bom era a caixa Allison...... Nas frotas era chamado apenas de DDA (Detroit Diesel Allision).
    O pessoal da Coca-Cola não gostava do barulho...É legal, mas depois de 8 a 10 horas com o bicho berrando dentro da cabine (com isolamento acústico igual a zero...) você ficava zonzo....

    ResponderExcluir
  13. Ótimo texto!
    Que pena que o D-60 e o motor não tiveram um final feliz.

    ResponderExcluir
  14. Ruído muito bom pra um diesel, uma pena que o cidadão dirigindo tenha manias como ficar se apoiando no câmbio

    ResponderExcluir
  15. Acho esse 4-53 muito estridente.
    Para mim o mais legal é o Detroit 6-71
    Vejam que delicia:
    http://www.youtube.com/watch?v=WX6NjXCLLp4

    O FNM tambem tem um barulho muito maneiro de motor!
    Jorjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorjão
      Que belo som, não? E notou que estrada perigosa, cheia de árvores? Eles precisam se consultar com a NovaDutra...

      Excluir
    2. O ronco do FNM é o suprassumo dos motores.

      Excluir
    3. com todo respeito discordo.os primeiros com bomba SPICA eram ridiculos.com bomba bosch apenas comuns. ronco de nacionais incomparavel e um scania L 75 sem turbo(maçarico)acho que nao existe mais um unico sem turbo

      Excluir
    4. O som dos Detroit Diesel 6-71 é maravilhoso! De vez em quando ouço um ao vivo, vindo dos caminhões dos bombeiros ainda em operação.

      Excluir
    5. Moleque aí de cima
      Eu faria vc plantar cada uma das arvores na mão . Vc vai cavar com os dentes o buraco para esse plantio
      Ia acabar com seu tempo ocioso e mal aproveitado na internet
      Te prepara!

      Excluir
    6. As árvores somos nozes.

      Excluir
    7. Nossa, é impressionante como bate bocas "alto nível" assim só acontecem com o Bob. Porque será hein?

      Excluir
    8. Anônimo 27/11/12 22:13
      Engano seu, não denigre o blog e tampouco ofende a quem não me dirigi. Apenas não aceito determinados comentários e não deixo barato.

      Excluir
    9. É divertido quando o Bob revida, pq é tolerância zero, tipo o "seu Saraiva", kkk...

      É isso aí Bob, não dá moleza pra essa cambada de retardados que vêm aqui encher o saco!!!! Vá plantar bananeira e pentear macaco, moleque dos infernos!

      Excluir
    10. Lamentável o comportamento e linguagem de alguns anônimos.

      Não dá nem pra definir um cara desses.

      Excluir
    11. Embora alguns - e o próprio Bob - discordem, eu tb acho que a forma como ele se expressa de vez em quando e em relação a alguns assuntos (e principalmente como revida os ataques na mesmíssima moeda) contribui para atrair gente e comentários desse nível.

      Quem faz sujeira na própria casa não tem moral pra exigir que os outros a mantenham limpa. É o dono quem define isso com sua postura, atitudes e palavras.

      Excluir
    12. Ronaldo Nazário28/11/12 11:28

      Hahaha as respostas do Bob são impagáveis!
      A-M-O este blog!

      Excluir
    13. Bob nem perca seu tempo, delete logo estes idiotas desocupados.

      Excluir
    14. O Bob é uma figura, não sei porque o pessoal acha ruim o fato de ele dar uma limada ou outra nos anônimos baderneiros.
      "Alto nível" ou não, é engraçado e nem um pouco ofensivo (a menos que o seja para algum afrescalhado ou outro que se ofende com qualquer bobagem).

      Excluir
    15. Charles,

      Discordo em parte. E vou explicar pq: vc é o exemplo claro dessa situação.

      Eu admiro a serenidade e dignidade com que vc enfrentou os muitos ataques pessoais que recebeu. Vc tomou porrada pra kct de todo lado aqui (principalmente qdo tinha aquela foto sua estilo "Restart") e mesmo assim sempre respondeu com educação e tranquilidade, ou ignorou, mas sem nunca baixar o nível.

      É inaceitável que o dono do blog tenha uma atitude menos digna e respeitável do que seus leitores. E muitas vezes ela é significativamente inferior. Parece que quanto pior o comentário, mais o Bob se esforça pra baixar o nível e ofender mais ainda.

      É burrice insistir numa coisa e esperar um resultado diferente. A tendência é a coisa piorar e o nível baixar. Se é isso que ele quer, blz.

      Tanto sua atitude quanto a dele, oposta, se resumem no seguinte: NÃO ALIMENTE OS TROLLS.

      Excluir
    16. Anônimo 28/11/12 12:03
      Segui o seu conselho, calcinei o cara.

      Excluir
    17. Oi velhote querido, voltei viu? Você não vai se livrar de mim assim tão facilmente.

      Bjs da sua adolescente bravinha.

      Excluir
    18. Eu sou a mosca
      Que pousou em sua sopa
      Eu sou a mosca
      Que pintou prá lhe abusar...

      Eu sou a mosca
      Que perturba o seu sono
      Eu sou a mosca
      No seu blog a zumbizar...

      E não adianta
      Vir me detetizar
      Pois nem o DDT
      Pode assim me exterminar
      Porque você mata uma
      E vem outra em meu lugar...

      Eu sou a mosca
      Que pousou em sua sopa
      Eu sou a mosca
      Que pintou prá lhe abusar...

      -"Atenção, eu sou a mosca
      A grande mosca
      A mosca que perturba o seu sono
      Eu sou a mosca no seu blog
      A zum-zum-zumbizar
      Observando e abusando
      Olha do outro lado agora
      Eu tô sempre junto de você
      Água mole em pedra dura
      Tanto bate até que fura
      Quem, quem é?
      A mosca, meu irmão!"

      Eu sou a mosca
      Que posou em sua sopa
      Eu sou a mosca
      Que pintou prá lhe abusar...

      E não adianta
      Vir me detetizar
      Pois nem o DDT
      Pode assim me exterminar
      Porque você mata uma
      E vem outra em meu lugar...

      Eu sou a mosca
      Que pousou em sua sopa
      Eu sou a mosca
      Que pintou prá lhe abusar...

      Eu sou a mosca
      Que perturba o seu sono
      Eu sou a mosca
      No seu blog a zumbizar...

      Mas eu sou a mosca
      Que pousou em sua sopa
      Eu sou a mosca
      Que pintou prá lhe abusar...

      Excluir
    19. O maior Troll do AE chama-se Robert Amaral Sharp.

      Excluir
    20. Babaca é elogio pra ti, amante enrustido do Bob.

      Excluir
    21. Não vem crescer o olho pro Robert não, ele é só meu, viu Anônimo28/11/12 18:39?

      Excluir
  16. Os primeiros caminhões feitos para o Exército pela Engesa nos anos 60, eram Chevrolets D60, com o sistema Tandem e tração nos 3 eixos.
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
  17. Esse barulho está ficando cada vez mais raro. Os D60 são quase indestrutíveis mas a dificuldade de manutenção desses motores quase os extinguiram por estas bandas.

    Meu pai teve um D60 há uns vinte e cinco anos atrás e já estava adaptado com um Mercedes, que também era ótimo mas tinha barulho de..... Mercedes.

    ResponderExcluir
  18. O som desse motor é bem legal mesmo, já tinha ouvido uma vez que um deles foi parar numa retífica da minha pequena cidade, meu pai viu e correu me chamar pra ver. Anos depois, tive a curiosidade de procurar por esse motor no youtube e achei uns vídeos bem legais, mas nunca mais ví um ao vivo.
    Motor 2 tempos, infelizmente, tá ficando cada vez mais raro. Deve ser por isso que eu gosto tanto de colocar a canoa no rio e ir o mais longe que consigo até o tanque ficar meio cheio (que eu vejo como meio vazio) e voltar pra trás.

    ResponderExcluir
  19. que queimem no inferno os que tiram um 2 stroke pra colocar um asmatico mercedes

    ResponderExcluir
  20. Eu diria que foi uma canção, por que teve poesia e música...
    Agora estou na dúvida: Será que é por ser cara a retífica desses motores ou realmente alguma coisa acontece e inviabiliza fisicamente o processo? O site da Detroit parece ter à venda peças suficientes para montar todo um motor zero-km, o que concorda com a ideologia americana: Se há alguém interessado em comprar, alguém tem que estar disposto a vender.

    ResponderExcluir
  21. Que bacana, AG.
    A crítica feita pela mudança de assunto não foi ofensiva, de modo algum. Muito antes pelo contrário. Se eu fosse escritor de um blog como este, com certeza ficaria muito mais satisfeito em receber críticas do que não receber comentário algum. Se nós lemos o blog, é porque ele é feito por pessoas competentes e que fazem o que gostam.
    Mudando de assunto: que beleza esse motor amarelo, hoje em dia são todos cor de metal.

    ResponderExcluir
  22. AG, talvez você goste disso: visite este site (www.planaltorio.com.br), clique na aba "Literatura", selecione a marca (que só pode ser "Detroit Diesel" mesmo, he, he!), depois a série, e divirta-se.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car e seu Polara 1.800 cilindradas!

      Excluir
    2. Mr. Car e seus Amazing Links!

      Excluir
    3. Anônimos, esses fucking bastards...

      Excluir
    4. Mr. Car e seus Fucking Bastards anônimos...

      Excluir
    5. Mr.Car
      Muito interessante o site e os videos.
      Valeu!

      Excluir
    6. Mr. Car e seus admiradores... quem diria!

      Excluir
  23. AG,

    Belíssimo post! A felicidade está nos momentos mesmo!

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  24. Só um OFF-POST:

    Aqui em São Paulo, na alça de acesso da ponte Cidade Universitária para a Marginal Pinheiros tem um semaforo no meio da alça... pode aquilo? Bem na curva... se entrar um pouco mais rápido alí, não dá para ver que tem gente parada nesse semáforo... perigo!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara... Eu entrei numa Citroen Picasso há 3 meses ali. Culpa minha, admito. Deveria estar mais atento e talvez guardar mais distância tb... Mas a mulher não se decidia pra que lado ia, não sinalizou - e de repente parou qdo o farol fechou. Dei um totó que custou caro...

      Praticamente todo dia dá uma dessas ali. Me parece que, a despeito de motoristas desatentos como eu fui, a configuração da via e da sinalização não ajudam nesse sentido.

      Excluir
    2. Esses braço duros do trânsito paulistano... que vc tá fazendo aqui no AE, navalha.

      Excluir
    3. Rsss... Eu não sou navalha, por quase 20 anos não sofri nem causei nenhuma colisão no trânsito mas infelizmente às vezes vacilamos. Qualquer um está sujeito, ainda mais com tantos carros nas ruas!

      Excluir
    4. Eu não, pois carro não feito para bater, portanto nunca bato e portanto não preciso de nenhum equipamento de proteção, embora sempre use cinto de segurança... Contraditório? Imagina...

      Excluir
    5. É amigo... foi justamente essa situação que você passou que imaginei. Muito perigoso!

      Excluir
  25. PESSOAL DO BLOG.

    Hoje tive a oportunidade e o prazer de ver um Jipe CBT impecável.

    É branco, tem capota de lona preta e é equipado com um motor diesel Perkins de três cilindros.

    Se alguém tiver interesse em vê-lo, é só acessar o meu blog Petros Passer. por aqui mesmo.

    Acho que vale a pena ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O CBT usava motor de 3 cilindros da própria CBT.

      Excluir
    2. Essa foi à informação que o proprietário me passou, ou seja, que o motor era Perkins.

      Mas ao pesquisar na internet, pude confirmar que o motor original do jipinho, que se chama Javali, era um turbo diesel de três cilindros fabricado pela própria CBT.

      Talvez o motor tenha sido trocado. Não sei, mas quando encontrar o proprietário novamente eu irei verificar com ele. Talvez eu descubra através dos documentos ou quem sabe até posso perguntar par alguém experiente que consiga distinguir o motor.

      Mas como o jipe só tinha cinquenta mil quilômetros quando ele o comprou, acredito que a possibilidade de ser o motor CBT original, é muito grande.

      Excluir
    3. Provavelmente é o motor original mesmo, o dono nem deve saber que é CBT.

      Excluir
  26. Off-POST:

    esse vídeo aqui tá melhor...

    http://www.youtube.com/watch?v=3NRaqgab0_w

    e ainda dá pra quase rir da desgraça alheia...rrssr

    ResponderExcluir
  27. AG,
    Deixe de ser modesto, você escreve bem pra caramba! A forma como o texto é feito transmite muito bem a emoção pretendida ao elaborá-lo. Senti um nó na garganta ao ler o trecho "Como eu sei que tudo o que amamos verdadeiramente acaba nos pertencendo por direito e acaba vindo a nós, eu vou saber esperar mais um pouco".

    Abraço!

    ResponderExcluir
  28. O som dos motores diesel, até o Perkins têm som legal, CAT também têm um belo som principalmente quando forcejando. O som mais sem graça acho que é dos MWM.

    Agora Detroit é um puta dum som.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. os mais sem graça sao mercedes(todos). parecem asmaticos

      Excluir
  29. Qual a história desse motor nesse caminhão? Foi usado quando? Porque deixaram de ser usados? Eram produzidos aqui?
    Isso daria mais um belo post...

    ResponderExcluir
  30. Eu admito que, independente da natureza, do assunto, da qualidade, da redação ou da clareza e coerência dos posts do pessoal aqui do AE, eu sempre aprendo alguma coisa nova lendo esses caras hehehe...

    ResponderExcluir
  31. Pena que nesta joça de país não podemos desfrutar do diesel nos carros de passeio...

    Por sinal, nos aproximamos do centenário de falecimento de Rudolf Diesel (1858-1913), morto em circunstâncias estranhas num naufrágio.

    ResponderExcluir
  32. Ernesto Jr.27/11/12 21:59

    Esse é o tal do cachorro louco ?

    ResponderExcluir
  33. Isso é música para os ouvidos... me lembro como se fosse ontem, eu pequeno na frente da casa de meus pais, e estes velhos Chevy D60 equipados com o magnífico motor Detroit Diesel 2T à serviço das entregadoras de bebidas, esticando marchas na frente de casa..... o ronco é inconfundível!!!

    ResponderExcluir
  34. Com relação aos jipinhos CBT, meu pai teve 02 Javali 0km da empresa... eu era novo, devia ter uns 12 ou 13 anos e particularmente não gostava....

    ResponderExcluir
  35. A todos os que curtiram, que gostaram e que viajaram nesta comigo fica aqui meu muito obrigado.
    MAO, quando eu crescer e tiver finalmente comprado um Kenworth COE com um 12V71, eu finalmente vou escrever igual a voce, tenha certeza!
    Sobre explicações tecnicas e demais particularidades dos DD, eu pretendo fazer um bom e longo post qualquer dia desses. O grande lance destes motores é que pelo fato de serem de 2 tempos sempre a partir de 3 cilindros já se obtem a sobreposição dos tempos motores, logo a entrega de torque é continua. Depois, por serem 2 tempos, trabalham com menos pressão efetiva no cilindro quando da ignição e não existe a inversão de esforços mecanicos e elasticos no eixo por conta de não haver a alternancia dos ciclos motor e lavagem normal dos 4 tempos. Sempre que o pistão sobe está comprimindo e ao descer é sempre ciclo motor. Como o 4 em linha não tem os cilindros descendo e subindo aos pares, na verdade o vira do 4-53 é igual a um vira de V8 de 2 planos, toda a resultante dele se resume a binarios, e s eixos balanceadores anulam isso facilmente. O motor não vibra. Quanto ao som, tem 2 coisas, uma, como tem o dobro de ignições que um 4 tempos comparavel, ele soa como se fosse um motor normal 4 tempos girando com o dobro da rotação. Na verdade os serie 53 cortam a cerca de 3000 rpms, mais ou menos a mesma rotação dos diesel com deslocamento de um litro por cilindro. Perkins 4-203, 4-236, 6-357, 6-358, MWM 229 e cummins B. A grande diferença é que mesmo nas 3 mil rpms ele soa como se estivesse a 6 mil, logo o ronco é muito mais agradavel e uniforme.
    Depois tem a questão do compressor rootes que força a alimentação neles. Nos 53 os rotores são retos, e isso aumenta imensamente o barulho por conta da pulsação. Os serie 71 tem rotores helicoidais e isso diminui MUITO o ronco da aspiração do motor. Vale lembrar que os serie 71 , como alguns chamam de maritimo giram no maximo apenas entre 1800 e 2100 rpms. Os serie 71 vieram primeiro, são mais torcudos, potentes e pesados, os 53 são os menores, com intenção de uso a rotações maiores.
    Sobre instalar eles em uma veraneio ou C10 é possivel, a capa seca deles tem a mesma flange do cambio Clark 280F de 5 marchas que equipou inclusive algumas delas e será necessário apenas uma relação longa no diferencial para ter velocidade maxima adequada. O 4-53N tem coisa de 142 cavalos e vai puxar ela infinitamente melhor que qualquer perkins xexelento, vibrador, barulhento e fedorento.
    Do mesmo modo que V8 a gasolina é um motor que requer mão de obra qualificada, profissionais habilitados, bem treinados e sabedoress do que fazem e não mecanicos de bocas de porco, oficinetas de beira de estrada e de fundo de quintal, é serviço para gente qualificada. Coisa que é rara por aqui. Daí a dificuldade de manutenção. Na verdade é tão dificil (ou facil) quanto por exemplo um Cummins 855 que é outro motor que não deve ser manutado por trogloditas ou assemelhados.
    O pessoal da planaltorio é um dos portos seguros para quem insiste em ter DD aqui no Brasil, já conhecia eles.
    E sobre o video, na verdade videos do Davi com o D60 dispensa comentários, aquele ali é no minimo tão pirado por detroit quanto qualquer um que os conheça. É de tirar o resto da saniddade de qualqer entusiasta normal, hahaha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de saber disso, que a capa seca é a mesma do Clark 280F de cinco marchas, começo a pensar seriamente em procurar algum desses motores. Pena que a Veraneio a que me refiro está com câmbio de quatro marchas de Opala (terei que achar o 280F também).
      Quanto ao diferencial, creio que não seja nada que um bom e velho Dana 44 de relação mais longa não resolva.

      Só espero encontrar algum desses pelo DF ou arredores.

      Excluir
    2. Marcos,

      O 4-53 veicular usado nos D60 tem uma capa seca exclusiva dele, mas cuja parte traseira recebe as clark sem crise, nenhuma adaptação é necessária.

      Excluir
    3. Mas nesse caso também serve com as 260F? Elas são mais fáceis de achar e caso se resolva abandonar as varetas é só usar rabeta de F-1000.

      Excluir
    4. AG, tu é O Cara!
      Ótimo o seu post e, agora, este comentário. Ficarei no aguardo do post especifico sobre os DD. Obrigado.

      Excluir
  36. Minha praia!
    Foram mais de 20 anos cercado de DDCs e caixas Twin-Disc.
    4-53 (geradores)6-71 (geradores)8V-71N (geradores) 12V-71 TA (propulsores) e 12V - 92 TA (propulsores) e finalmente meu preferido: o encrenqueiro mor, babão como só um Detroit consegue ser, mas maravilhoso de ver acelerar o monstro de quase 1000 hp a 2400 rpm o 16V - 92 TA (propulsor), que urro!
    Uma frase famosa dita no fim dos 2T Detroit pelo presidente do grupo na época:
    Quando perguntado se este tipo motor era obsoleto ele se saiu com a classica "Obsolete is defined as no longer in use" adorei a colocação.
    Disse tudo!
    Mas o melhor deles, não tinha um urro legal, nem era tão rapido para subir de giro o 149, mas estes não quebravam.
    Os outros,puts! ja vi de tudo, queimava valvula pacas, era um tal de achar biela espetada na lateral do carter que era brincadeira.
    E olha que eu sei como estas coisas devem ser tratadas lol
    Acosta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acosta,

      Muita sorte sua voce ter podido desfrutar disso tudo. Parabens camarada.

      Excluir
  37. Muito louco o vídeo e o som desse motor!!!!

    E parabéns ao motorista do vídeo que colocou a criança na cadeirinha!

    ResponderExcluir
  38. O ronco do D60 tá na lista dos mais bonitos dos que rodaram aqui no Brasil.
    Junto dele estão o do FNM 190, o do Scania 110 "maçarico", Scania 112,e Mercedes 1519, com o motor de 5 cilindros OM 355/5, esse inconfundível...

    Muito bom o post!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma ou outra madrugada passa perto de casa um basculante 1519 cujo ruído é inconfundível.
      Mas o som de motor de caminhão mais majestoso de todos os tempos é o dos primeiros FNM. Uma lembrança de infância que jamais esqueço.

      Excluir
  39. podia desabilitar comentário anônimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ia perder 80% da graça do AE. kkkkk Muitos comentários anônimos são mais interessantes e criativos do que alguns posts mal redigidos, confusos e arrogantes da tchurma. E certamente bem mais espontâneos e menos bajuladores do que de muitos não-anônimos tb. Fora que só ia sobra uma dúzia de lambe-sacos do BS, do MAO e do AG. Vai matar o AE!

      Excluir
    2. Uma coisa é fato: os posts identificados são geralmente de admiradores (alguns bajuladores), mas são de melhor nível. Poucos se atrevem a criticar por conhecer as reações dos autores, sobretudo o Bob Sharp.

      Não sei se isso contribui muito para melhorar a qualidade do AutoEntusiastas, mas certamente a aporrinhação infantil de alguns anônimos contribui pra baixar o nível e piorar!

      Excluir
    3. É que tem muita gente que tem preguiça de fazer o login. Por isso tem tanto anônimo.
      É fato, pode crer.

      Excluir
    4. Não adianta ter um comentário técnico e espontâneo, se não tem educação no palavreado .Fabio.

      Excluir
    5. Corsário Viajante28/11/12 11:25

      EU sou um que não tenho saco de fazer login, até pq daí tenho que sair de minha conta profissional.

      Excluir
    6. Tá louco Jão? E como o Bob vai dar uma de fodão, machão e gostosão se ficarem aqui só os registrados puxa-saco?
      Os Trolls anônimos são uma necessidade psicologica do Bob, ele precisa deles para se afirmar no seu esteriótipo de caubói machão dos filmes anos 50.

      Excluir
    7. E a gente precisa dos trolls para xingar, como o filho da puta aí de cima!!!!!!!

      Excluir
  40. Two stroke blues!

    ResponderExcluir
  41. Olha o nível do companheiro!

    http://www.youtube.com/watch?v=iU3gZGUInd4&feature=related

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo Zanetti,

      Valeu cara!

      Até coloquei o vídeo em meus favoritos.

      Excluir
  42. Já ajudei a desmontar e montar esses motores, ele não é 2 tempos como fala no texto, e sim 4 tempos, possui cabeçote com 4 válvulas por cilindro e cárter de óleo como em todo 4 tempos. Odenir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha a groselha ai...

      Excluir
    2. Anônimo 28/11/12 11:41
      Acredite, apesar de ter válvulas (só de escapamento) no cabeçote e ter óleo no cárter, o ciclo é dois-tempos, um tempo-motor a cada volta (360º) do virabrequim, como em qualquer outro dois-tempos que exista.

      Excluir
    3. Eu acho que o pessoal que projetou o motor saberia diferenciar um dois tempos de um quatro tempos.
      Mas assim, eu só acho, não tenho certeza!

      Excluir
    4. ô eu aqui de novo28/11/12 15:26

      Boooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooob Sharp! O sujeito que gosta de apu na beira da estrada! Eicha!

      Excluir
    5. Uma coisa não tem nada a ver com outra, só tem valvula de escape, admissão pela camisa, com a mistura superalimentada pelo compressor rootes. O motor é 2 tempos, como todos os demais detroits de todas as séries, 53/71/92/110 e 149.

      Excluir
    6. Tem razão, achei este vídeo no youtube que explica exatamente como funciona
      Detroit diesel two stroke engine

      Excluir
  43. Charley Tavares28/11/12 12:49

    Sempre tive um certo preconceito, coisa boba, mesmo, com esses caminhões, ( somente caminhões, não as picapes ) Chevys Série C/D e os Ford; dos dessa época, só gostava de FNM, Scania e MB. Mas depois desse post, passei a olhar melhor o D-60; apesar de que entrou definitivamente nos meus delírios uma D-10 com um Detroit Diesel. Deve dar pra tirar onda com a cara do pessoal das picapes de pelúcia, tipo Hilux, Amaroks da vida; apesar de que isso não seja o objetivo, e eu falei isso só pra não perder a piada mesmo.

    ResponderExcluir
  44. GMC 2 tempos 6-71

    http://www.youtube.com/watch?v=T2Rdpf1CEug&feature=related

    ResponderExcluir
  45. esse motor não emplacou no Brasil, hoje restam pouquíssimos, mas o rpnco é bonito

    ResponderExcluir
  46. Alexandre - BH -28/11/12 21:27

    Duas lembranças que tenho dos tempos de criança: Uma, dos Chevrolet C-60 da Cemig, verdões, fazendo reparos elétricos pela cidade. Por pertencerem a uma estatal, acho que não podiam ser a diesel, que é subsidiado pelo governo. Imagino o quanto bebiam aqueles caminhões a gasolina, pesadíssimos, carregando postes, luminárias, bobinas de fio, transformadores, fora o equipamento agregado.
    A outra são os D-60 das distribuidoras de gás. Moro numa rua íngreme e os 4-53 subiam berrando, o caminhão pesadão, devagarinho, com aquele monte de botijão chacoalhando e se estranhando lá atrás.
    Hoje, só passam picapes caindo aos pedaços e aqueles triciclos esquisitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, agora que vi seu comentário, esses D-60 mesmo!!! Um barato ouvi-los nas subidas.

      Excluir
  47. AG, obrigado pelo post e demais comentários esclarecedores!

    Nunca me esqueço: na infância, anos 80, um caminhão do gás (!) subia a rua da casa dos meus pais com este som lindo.

    Geralmente usavam caminhão com diesel 4-T, mas volta e meia vinha esse danado subindo a rua com o 4-53 roncando.

    Mais crescido um pouco que fui descobrir, conhecer e me apaixonar pelos Detroit 'two stroke'.

    ResponderExcluir
  48. "...só anda de carros muito legais e sofisticados..."
    Bom, Kombi e Mille podem até ser legais, mas sofisticados acho que nem tanto...

    Quando eu viajava com meu pai por estas estradas do Brasil, há uns trinta e poucos anos, volta e meia passava um DDA com seu ronco inconfundível, que com carga é mais bonito. Nas cidades eram mais comuns. Ainda lembro de quando perguntei para meu pai que tipo de motor era aquele. E ele respondeu, "a, é um diesel de dois tempos, turbinado e de quatro cilindros. Dizem que puxa bem.

    ResponderExcluir
  49. Acabei esquecendo de comentar:
    Excelente texto Alexandre, gostei muito da leitura. Já faz tempo que não dirijo caminhão e até beteu uma saudade...
    Parabéns e obrigado!

    ResponderExcluir
  50. Não existe Ferrari que soe como um Detroit Diesel 2stroke.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...