Google+

16 de novembro de 2012

"EU TE DISSE, EU TE DISSE..."



Há pouco mais de um ano, escrevi para o AE o post “SEGURANÇA A FÓRCEPS”, questionando a iniciativa do governo de, com uma canetada, “resolver” a questão de segurança dos automóveis vendidos no Brasil obrigando que estes sejam equipados com bolsas infláveis e freios ABS (antitravamento) a partir de 1º de janeiro de 2014.

Os maiores de 40 anos devem se lembrar da motonetinha Confuso, do desenho "Carangos e Motocas", que sempre terminava os episódios com o bordão “mas eu te disse, eu te disse”. Pois é, em 19 de julho de 2011 o AE alertou para a possibilidade de algum ou de vários fabricantes colocarem os itens de segurança obrigatórios a partir de 2014 apenas para cumprir a legislação, sem que, contudo, isto representasse um real avanço na segurança passiva do veículo. Mas a legislação, que apenas fala dos itens de segurança, estaria atendida.

Pois bem, na última terça-feira (13/11) saiu o resultado da terceira rodada de testes de impacto do Latin NCAP. Não comentarei os resultados aqui, uma vez que toda a imprensa o fará à exaustão. Há carros que se saíram bem, há carros que se saíram mal, carros sem bolsas infláveis tiveram avaliação ruim, quase tudo dentro do esperado. O “quase” ficou por conta do do JAC J3 que, mesmo com as bolsas, recebeu apenas uma estrela.

A estrutura não resistiu: a coluna dianteira cede, a roda invade o habitáculo

No caso do J3, as bolsas infláveis de pouco adiantaram. A estrutura do veículo colapsou e a célula de sobrevivência foi danificada no teste. Neste ponto, ao editar a norma, o governo claramente mostrou não entender como a coisa funciona. Bolsas infláveis são auxiliares para reduzir as lesões em caso de um acidente, mas obviamente não são tudo. Tanto que em inglês são chamadas de “SRS”, Supplemental Restraint System, Sistema de Retenção Suplementar. Ou seja, sozinhas elas não fazem milagre, pois a maior parte de retenção ao banco (80%) cabe ao cinto de segurança e, claro há o resto, as estruturas do carro, tanto as das extremidades que cuidam da absorção da energia do impacto, quanto a da célula central, destinada à proteção dos ocupantes. O resultado está aí.

Há outro caso. Em 2010, a Volkswagen do Brasil fez ao engenheiro Dietmar Schmitz, da VW alemã, um pedido que ele considerou um dos mais estranhos de sua carreira: dotar o Transporter T2 – a nossa Kombi, que saiu de linha na Europa em 1979 – de bolsas infláveis e freios antitravamento. Não chegou a concluir a tarefa, já que a Volkswagen, ao que tudo indica, decidiu mesmo pelo fim da Kombi no final de 2013, o que foi alvo de um post há pouco no AE.

No Fiesta, 4 estrelas, a estrutura resistiu e protegeu o motorista

O novo Ford Fiesta saiu-se bem melhor nessa série de testes, obteve 4 estrelas, embora comparando-se a foto acima com a do J3 se nota que a roda dianteira esquerda avançou mais no habitáculo, além da coluna dianteira, do que no chinês. De qualquer maneira, são critérios desse NCAP sediado no Uruguai que não temos como avaliar aqui.

Em 2009, quando saíram as resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) obrigando o uso dos novos itens de segurança, a Fiat declarou que equiparia toda a linha com eles, inclusive o Mille, concebido em uma época em que não se ouvia muito falar em célula de sobrevivência. Inclusive a falta dos reforços estruturais, presentes nos carros mais modernos, acaba sendo responsável pelo seu baixo peso e certamente contribui para sua elogiável economia de combustível. Porém, parece que a Fiat voltou atrás e o Palio Fire, de duas gerações atrás (2004), o substituirá como carro de entrada a partir de 2014.

Recentemente, a General Motors anunciou bolsas infláveis no Classic (ex-Corsa sedã). Na verdade, elas voltaram, pois já eram disponíveis nas versões mais luxuosas do antigo Corsa. Infelizmente, seu desempenho nos testes da segunda fase do Latin NCAP nos levam a crer que há grande chance do Classic com as bolsas não levar a bom resultado, pois a estrutura daquele, datada de 1994, também não resistiu ao impacto. E a GM ainda anunciou que para 2014 equipará o Celta, de mesma plataforma e que obteve resultados semelhantes no teste de impacto, com as bolsas infláveis para se adequar à legislação. A lei estará sendo cumprida, mas...

Chevorlet Classic: não é de se imaginar que os resultados com bolsas infláveis sejam muito diferentes deste

É preciso que o governo pare com a mentalidade de que as coisas se resolvem numa simples canetada. O resultado está aí, já era de se esperar que casos como o do J3 acontecessem, dada a forma como a canetada foi dada. Como eu já disse no post que mencionei no início, é preciso que haja uma abordagem séria, focada nos objetivos, e não nos meios. Só os meios, pode falhar; já objetivos têm que ser alcançados, não importando quais meios serão usados para isto. Bolsa inflável é meio, o objetivo deveria ser evitar lesões aos ocupantes do veículo. Caso contrário, de pouco adiantará a determinação do Contran.

Vale uma menção honrosa ao recém-chegado Etios, o único carro abaixo de 40.000 reais que recebeu quatro estrelas.

CMF

168 comentários:

  1. E aí, quantos anos será que eles vão levar pra mudar a canetada e fazer as coisas do jeito que deveriam ter sido feitas antes ?

    O J3 foi uma decepção enorme. =(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E qual seria este "jeito que deveriam ter sido feitas antes"?

      Excluir
    2. Se importa se eu me intrometer?
      Medidas que "poderiam ter sido feitas antes":
      - Criação de um NCAP nacional;
      - Estabelecimento de obrigatoriedade e divulgação dos resultados de crash-test;
      - Estabelecimento de alíquotas tributárias baseadas nos resultados gerais dos testes de segurança de determinado veículo (não precisava nem ser menor para os mais seguros, bastava ser maior para os inseguros);
      - Programas de metas em segurança veicular para as companhias, impondo barreiras para as que deixassem de cumprir.
      Acho que isso aí (que poderia ter sido aplicado desde 1900 e guaraná-com-rolha) já seria um tremendo incentivo aos avanços.

      Excluir
    3. Se criassem um NCAP nacional, sabendo como as coisas aqui funcionam, todos os carros passariam no teste e não ia nem precisar de lei.

      Excluir
    4. Isso é verdadeiro!

      Excluir
    5. É mesmo, o nosso NCAP iria dar 5 estrlas a todos os nossos carros e os mesmos seriam os mais seguros do mundo!

      Excluir
    6. Quer exemplo de organismo de normatização e fiscalização nacional que funciona? Inmetro, que inclusive é periodicamente avaliado por organismos internacionais e possui credenciamento para aplicação das normas da própria ISO.
      Se um órgão que fiscaliza com tanta abrangência diversos setores da indústria (e portanto se apresenta como óbice diante do interesse de muitos industriais) consegue manter seus padrões de idoneidade, não vejo qual seria o grande problema em ter um NCAP mínimamente imparcial.
      Existem instituições que funcionam nesse país, leviano é apontar o dedo e difamar a esmo.

      Excluir
    7. Charles

      Concordo, mas em parte. Acho que o Inmetro escorregou feio no caso das "cadeirinhas infantis". Afinal, porque diabos não se aplicou de vez o sistema Isofix por aqui?

      Excluir
    8. Não sei não viu? O INMETRO fiscaliza vários setores da indústria, e todo mundo ser corrupto seria muito dificil, o NCAP eu acredito ser só a industria automotiva, seria muito mais fácil de dar um jeitinho...

      Excluir
    9. Anônimo16/11/12 12:16

      O Charles já respondeu e está implícito também no texto. ;)

      Não é tornar obrigatório o uso de airbags, mas ter as determinações de forma que, sem os airbags, o carro dificilmente passa no teste e então, não pode ser vendido ou não ganha desconto tributário.

      Excluir
    10. O Charles disse tudo. Além disso, bastaria que a lei estabelecesse finalmente critérios de estrutura melhores, pois contamos com os mesmos critérios há décadas onde praticamente qualquer carro por pior que seja é capaz de passar. A lei não falha no ABS e airbag obrigatórios e sim em não fazer o serviço por completo

      Excluir
    11. Não adianta ficar todo mundo chiando, o poder está com o consumidor, e este acaba comprando (e dando crédito) tudo o que tem de pior no mercado. Afinal, cada consumidor tem o mercado e os produtos que merece!

      Excluir
    12. Sei não. O INMETRO? Aquele que aprovou com aquele selinho ridículo alguns capacetes para motociclistas?

      Excluir
  2. Eu tenho uma dúvida: No Brasil nunca houve nenhum tipo de legislação quanto a crash tests?

    Sei que muitos vão falar que carro não é feito para bater, mas acidentes acontecem, se fosse assim é usar uma faca no volante, afinal ninguém sai de carro para bater.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resoluções nº 220 e 221 do Contran, de 2007.

      Excluir
  3. Corsário Viajante16/11/12 12:15

    Air-bag não é tudo, mas é importante. Provavelmente o J3 sem airbags levaria zero estrelas.
    Isso fica claro no caso do Gol, que sem AB leva uma estrela (como o Sandero) e com o equipamento já sobe para três estrelas.
    Mas concordo, muita gente tem visão simplista que AB resolve tudo, e não é por aí.
    Porém, um caso bem representativo foi o do Polo, que mostra bem o atraso e descaso, tanto que mesmo depois de dez anos de projeto ainda é referência.
    Fiquei feliz com a nota boa do Etios, mas vejo com ressalvas: embora ele "proteja bem" os ocupantes em caso de impacto, alguns erros de projeto podem levar à acidentes desnecessários. O painel central e mal feito, por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Polo sempre foi excelente... e isso mostra como em 2002 ele era excepcional!!!

      ISM

      Excluir
    2. É, o polo sim merecia menção honrosa nesse texto.

      Excluir
    3. É, o polo sim merecia menção honrosa nesse texto.

      Excluir
  4. Mas o critério da "canetada" e um remendo dos carros nacionais para só servir de desculpa a porcarias que são vendidas aqui. Agora critérios de segurança veicular tem que vir de fabrica, toda a engenharia e testes, assim como a idoneidade da marca tem que vir da mesma. Agora não adianta nada que em pleno século 21, com todo conhecimento e avanço que já temos, tanto marcas conhecidas como desconhecidas ou novas produzam carros inseguros e frágeis...Isso é inconcebível e totalmente desumano até !!!! E no Brasil, o super lucros das fábricas é que manda em tudo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como nao bastasse as porcarias daqui os panacas braUcas agora, com muito orgulho, compram essas tralhas porcas made in Chinhling
      Que tomem na cabeca !

      Excluir
  5. Carro chinês é isso aí...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é por ser chinês, mas por ser barato. Acho ridículo demais querer que todos os carros sejam seguros. Quer dizer, óbvio que é melhor ter carros mais seguros, mas as pessoas (principalmente as mais afortunadas) tem que lembrar que para a grande maioria das pessoas o carro tem que ser somente um meio de transporte ou de trabalho, segurança é bom mas só até o ponto onde não se paga mais do que o público pode pagar de verdade.

      Sandero é Romeno e foi mal pra caramba, pior que o Classic, que o Gol. O "novo" Uno também foi um desastre. Alguém vai dizer que a Fiat não sabe fazer carros seguros? É claro que sabe, mas não dá pra fazer isso num carro que deve ser barato em primeiro lugar. Parafraseando uma propagando antiga do Fusca: Quer 32 estrelas no LatinNCAP? Compre seu próprio Rolls Royce.

      Sem falar que esses teste são só um modo de avaliação, não dizem realmente qual será o resultado em um acidente real, até porque não dá pra combinar com o outro carro ou com o post onde ele vai bater.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Então os Mercedes fabricados na China não prestam?
      Lu

      Excluir
    4. Sandero fez mais que o dobro da pontuação do classic... score semelhante ao palio sem airbags.

      Excluir
    5. Preço não é desculpa, dado que a Fiat faz o Uno novo na Europa com toda a segurança e é seu carro mais barato por lá, se chama Panda. E num país como o Brasil onde os lucros são enormes tem menos desculpa ainda. O tal do menos afortunado tem direito de ter um carro seguro como todos os outros e o dever de cobrar isso dos fabricantes, que são mais do que capazes de fazer um carro barato seguro

      O Etios é um carro barato na Índia e foi muito bem

      Excluir
    6. Então, carro brasileiro também não presta. É só dar uma olhada no crash test do celta.

      Excluir
    7. Não fala do Celta que o bicho pega... quem avisa amigo de autoentusiasta é...

      Excluir
    8. Anônimo 17/11/12 13:43
      Do Celta e de qualquer outro carro, falando mal, ofendendo:
      "Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo!
      De preferência, identifique-se ao comentar.
      Atenção: comentários com ofensas pessoais, ofensas a marcas, fabricantes e nacionalidade de veículos, e palavras de baixo calão, serão removidos assim que detectados."

      Excluir
  6. Quem viu os vídeos dos testes pode ter percebido algo que costumo falar já tem bastante tempo: os pré tensionadores ou não existem ou são uma porcaria. Junto a isso também tem os bancos que torcem feito borracha, dançando dentro do carro. E no caso do J3, nas imagens internas percebe-se extamente isso.

    ResponderExcluir
  7. Coisa que eu já havia discutido em outros locais há algum tempo. Está sendo criado no imaginário popular (ainda mais com a ajuda desta resolução de AB + ABS obrigatórios) que segurança passiva se resume à quantidade de air-bags que um automóvel possui. Francamente, acho o menos importante dos itens em uma lista que leve em consideração a capacidade absorsiva da carroceria, rigidez do habitáculo, maneabilidade e estabilidade do veículo e eficiência dos cintos de segurança.
    Por óbvio que é item importante, porém há notícia de diversos casos onde os ocupantes de determinado veículo se feriram gravemente ou perderam a vida ao não usar cinto, na fé cega de que a existência de air-bags substituiria tal precaução. Aliás, desconfio que é pequena a parcela de motoristas que sabem que muitos air-bags sequer disparam em colisão quando o ocupante está com o cinto desatado.
    Está na média a medida, entretando, resolvendo as questões somente na forma, nunca no conteúdo. É a lógica do Mobral, de alfabetizar ensinando a desenhar o nome, se alastrando como sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Charles, concordo absolutamente com você. Será que tudo no Brasil tem que ser relaxado? Só brasileiro acha que "brasileiro" são os outros.

      Eduardo Trevisan

      Excluir
    2. Segurança ativa e passiva é aquela advinda de uma boa condução. Bons motoristas, trânsito seguro!!!

      Excluir
  8. Para quem acredita que ABS e Air Bags "aumenta a segurança" ,deve rever os conceitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo?
      Então pq o Gol sem ABS e AB leva uma estrela, e com eles leva três? Alguma coisa mudou, não?

      Excluir
    2. Já disse aqui anteriormente que o que salva vidas mesmo é o cinto. O airbag apenas ameniza os ferimentos.

      E é claro que a estrutura do carro deve ser forte.



      Excluir
    3. o mundo inteiro tá errado e o "totiy" correto...

      Excluir
    4. The Sun
      Nao queira dar uma de sabido!
      Ai aí aí !

      Excluir
    5. Anônimo16/11/12 18:34,

      Pq vc não pesquisa?

      Excluir
    6. Se vocês estiverem em SP não precisam se preocupar com a segurança dos automóveis nem a do trânsito. Em SP até a pé você morre vítima dos atiradores que infestam a cidade. Nem a polícia está segura em SP.

      Excluir
    7. Em SP não precisamos de AB e ABS quando a velocidade máxima foi reduzida a níveis ridículos e com velocidades médias de 16km/h na hora do rush, o que atualmente é o dia todo...

      Excluir
  9. Apesar de medidas como exigir equipamentos (ABS e SRS) e redução de velocidade, a segurança está longe de melhorar com isso apenas.

    Ainda falta melhorar aquela pecinha entre o assento e o volante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 16/11/12 12:38
      Exato! É o que eu digo sempre, todo mundo acha vai sair incólume de um acidente só porque um NCAP qualquer disse que o carro tem um monte de estrelas segundo análise de uma batida a 64 km/h. Quantos de nós dirige há décadas carros "zero-estrela" e estamos aqui vivinhos? O mais importante, como você bem disse, é a tal pecinha entre assento e volante, todo mundo parece se esquecer disso.

      Excluir
    2. BOb, é sobrevivência do imbecil, isto perigoso, o imbecil que sobrevive casa uma imbecil e gera imbecis.
      Desculpe mas tenho dito isto a muito tempo, muita gente não gosta disto, mas tentem me contradizer, seleção natural o imbecil morre.
      Acosta
      PS: Desculpe fl nisto novamente, ja ta chato mesmo, mas não resisti.

      Excluir
    3. Concordo com o Bob também.

      Excluir
    4. Acosta, vc deve ser um espertão....parabéns!

      Excluir
    5. Bosley de La Noy16/11/12 17:01

      Acosta é a prova viva que nem sempre a seleção natural acerta...

      Excluir
    6. Ja era esperado "eles" iriam se manisfestar lol.
      Acosta

      Excluir
    7. Acosta
      Acontece que muitas vezes essa especie de imbecil morre , mas mata muita gente inocente tambem. Esse seu comentario nao tem pe nem cabeça!

      Excluir
    8. Bosley de La Noy
      Ha muito tempo que eu venho querendo te dar um feed-back.
      Chegou a hora!
      Deixe de querer bancar o professor de portugues , corrigindo o que os outros escrevem.
      Tire essa capa de verniz ! Seja autentico

      Excluir
    9. Contrariar a seleção natural é uma das maiores características que nos diferenciam dos animais. Criar um filho deficiente e que na natureza não teria nenhuma chance é PROVA que IMBECIL é quem acha que existem inocentes que deveriam estar mortos.

      Excluir
    10. Bosley de la Noy
      se a selecao natural acertasse sempre voce nao taria aqui fazendo esse tipo de comentario. Vc ja teria perdido todos os dedos da mao e a lingua tambem.
      Fica esperto
      Acosta

      PS tira esse verniz do corpo !

      Excluir
    11. Há um certo tempo (não sei se ainda atualmente), a Porto Seguro dava um curso para motoristas jovens que envolvia treinamento em situações de risco em Interlagos, como frenagens de emergência, aquaplanagem, etc.

      Pois bem, conheci alguém que tinha o tal seguro Auto Jovem e não fez o curso, simplesmente porque sua atitude (imbecil) era: na hora que der merda, eu me desespero e faço do jeito que for...

      Excluir
    12. Caramba!

      Excluir
    13. Realmente, muitos que andaram de carro carros zero estrela estão vivos, mas e os que morreram neles sem ter culpa?

      Excluir
    14. Seleção Natural é? E qual o critério para a espécie humana de "mais apto"? Talvez uma pessoa "menos apta" a dirigir possa ser um excelente médico ou grande físico... E aí? Quem deve morrer e quem deve viver?
      É cada uma que a gente fica rezando pra ser Troll!

      Excluir
    15. Já que todo mundo está concordando, quem sou eu para discordar!

      Excluir
  10. CMF,

    Pertinente reflexão e enfoque em seu post. O Governo, como sempre, quer resolver as coisas na base da canetada, contribuindo para a inflação legislativa que se verifica no país, ao invés de solucionar a causa dos problemas vive atacando os resultados, ou seja, dá-se a aparência de que as coisas serão resolvidas, com clara referência à publicidade das medidas. Solucionar as causas dos problemas gerais do país demanda tempo, além de desagradar a muitos, na contramão dos fins eleitoreiros. Quanto aos carros, é uma pena um Renault Sandero ter 01 estrela, quando este mesmo carro na Europa consegue 03 estrelas(isso foi o que li por ai). A mesma diferença de notas no teste se deu com o Nissan March, o carro feito nos paises mais desenvolvidos são mais reforçados do que o mesmo modelo destinado à América Latina e paises em desenvolvimento....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas mesmo que a solução seja carros resistentes no crash test, vai ter que ser na base da canetada essa obrigação de crash test. Se depender da vontade da fábrica produzir e do consumidor comprar, nunca teremos carros mais seguros.

      Excluir
    2. Lembro quando quis comprar um 206 com ABS e simplesmente não existia apesar de ter no catálogo.

      Excluir
    3. Mas Fabio, se o consumidor não se importa, não é o governo que tem que se meter nisso. Senão fica parecendo que o consumidor é uma criancinha de 5 anos que precisa de uma babá (Estado). Isso é perigoso.

      Excluir
    4. Mas quando o cidadão sofre um acidente e não tem plano de saúde, as custas vão para o governo. Se fosse você que pagasse as custas, não ia querer que os ferimentos fossem menores?

      Excluir
    5. Só complementando para quem acha que o povo não precisa de babá. Alguns anos atrás teve greve de policiais no Nordeste e viram o que aconteceu? Quebraram e saquearam as cidades todas. Aí você pensa. Então ninguém faz isso no dia a dia porque tem policiamento, pois se não tiver, vão saquear mesmo, pois isso é o natural do ser humano. Então não fazem, não porque sabem ser errado, mas sim porque tem medo.

      Excluir
    6. Fabio Alexandre,

      Em alguns países não é assim. Nos EUA, por exemplo, a própria população pega em armas quando não há policiais em número suficiente. Mas os brasileiros são dependentes demais do governo e gostam de ser dependentes, logo aqui no Brasil precisamos da babá Estado, e pelo visto até para as matérias mais banais...

      Excluir
    7. O March/Micra K13 só é fabricado em países subdesenvolvidos. O do Euro NCAP é indiano. O do JNCAP e ANCAP, que tiveram deformação semelhante, é fabricado na Tailândia e vendido para a Austrália e Japão, países desenvolvidos. Lembrando que obtiveram notas tão boas quanto o "europeu". Como explicar o que ocorreu na América Latina?

      Excluir
  11. Lorenzo Frigerio16/11/12 13:00

    Tinham que fazer um Latin NCAP da Kombi, antes que ela saia de linha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://www.youtube.com/watch?v=TPpU5azjCB8

      Excluir
    2. Pena que os Dodge Dart/Charger saíram de linha. Iriam disputar com a Kombi o posto de carro mais inseguro do mundo...

      Excluir
    3. Lembro de ter visto o crash test deles, dava medo. Mas acho que pior da Kombi só do Uno mesmo que vi uma vez. O carro sumiu 100%.

      Excluir
  12. O que nosso país necessita é de educação, para que as pessoas exijam o que for necessário e não o governo meter o bedelho em tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, educação é a base de tudo. Mas então temos que ter esses carros até termos essa tal educação? Só quem merece os carros mais seguros são os europeus porque eles tem a tal educação?

      Excluir
  13. De que adianta os resultados do LatinNCAP, carros com celulas de segurança, airbag, ABS, EBD, e todas as letras possiveis e imaginaveis se continuamos a ter caminhões trafegando com excesso de peso, motoristas ruins incapazes de fazer uma curva mantendo o raio, estradas cheias de buraco, asfalto ruim, carros rodando com pneus carecas, sinalização deficiente e lombadas no meio da estrada??????

    Se isso não mudar, as mortes no transito continuarão ocorrendo, sem diminuiçao nos numeros...só que dessa vez amortecidas com airbag...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato. Airbag no Brasil será travesseiro de defunto.

      Excluir
  14. Se for Frex eu compro!


    Ass: Consumidor Brasileiro

    ResponderExcluir
  15. Quando as pessoas morrem no trânsito, a culpa é do governo que nada faz... quando regulamente algo que as montadoras NÃO FARIAM de iniciativa própria, é o governo atrapalhando...vai entender! Mas é fácil perceber que o principal problema é de educação, como é fácil perceber pela quantidade de acidentes imbecis (com motos é ainda mais grave! Incrível a falta de noção de fluxo de veículos!). Não, realmente só a canetada não irá resolver, mas antigamente também reclamaram da obrigatoriedade do cinto-de-segurança... quem sabe em alguns anos o próprio consumidor passe EXIGIR da montadora o respeito que merece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante16/11/12 15:58

      COncordo, em especial com a parte dos motoristas idiotas, e dentre estes, os que dirigem agressivamente sem necessidade e irracionalmente.

      Excluir
    2. Exatamente Félix. Se não fosse a dita canetada nem isso teríamos.

      Excluir
  16. Dirijo um carro 5 estrelas e outro -5 estrelas. Não pretendo me envolver em acidentes em nenhum dos 2, por isso sempre tenho muito cuidado x2. Prefiro pegar o próximo retorno ou a próxima entrada quando percebo que não fui entendido no trânsito a me arriscar com manobras bruscas. Quando no carro menos seguro, guardo um distância maior. Se houver uma fatalidade, peço a Deus estar no mais seguro poi é esse que uso todos os dias.

    ResponderExcluir
  17. O ABS vêm exatamente ajudar o motorista comum, a nunca avaliar na prática quantas estrelinhas têm seu carro.

    MFF

    ResponderExcluir
  18. Concordo com você, Bob, afinal de contas na época em que aprendemos a dirigir (sou mais novo do que você, mas mais velho que a geração airbag)não existia essa preocupação. Meu primeiro carro foi um Dart que não tinha airbag, nem ABS, nem controle de tração, nem freio a disco na dianteira, e nem cinto de três pontos (aliás acho que nem cinto tinha), e era justamente essa falta de tudo que fazia dele um carro "emocionante".
    Atualmente eu vejo todos os dias muito motorista desmiolado que cria coragem para fazer proezas absurdas ao volante só porque nesse volante está escrito airbag. É o cúmulo da ignorância.
    Mas não estou defendendo ou julgando leis ou normas.
    Quanto ao caso particular do Classic, me parece ser o popular de concepção antiga mais "integrado" ao airbag, afinal ele é o mesmo Corsa 1994 que foi lançado na Europa e por lá já contava com o equipamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo! E sem falar que o fato do carro não ter nenhum desses equipamentos de segurança, faz com que o motorista dirija com maior responsabilidade, o que é mais seguro para o trânsito de uma maneira geral.
      Um cara que dirige um carro cheio de airbag e com ABS, ESP, WTF, etc., acaba achando que pode dirigir perigosamente porque ele está protegido, mas acaba colocando mais vidas em perigo que não estão tão protegidas.

      Excluir
    2. Eu não acredito nessa tese. Eu acredito que o brasileiro simplesmente não sabe o valor da segurança e da cidadania, só o do dinheiro. Se fosse do jeito que vcs dizem, os motociclistas de 125-150 seriam todos cuidadosos (e não é o caso, e ficam pior ainda com garupa!). E os motoristas com o Mille da frota da empresa que voam pela estradas? E os "pilotos" de entrega de Kombi? E a questão da cadeirinha de criança? Eu estou vivo, mas e aquelas que morreram não contam, né? Não sejamos ingênuos para achar que essas siglas são o salvo-conduto pra diversão irresponsável. Mas para quem dirige RESPONSAVELMENTE, essas "babás" podem sim EVENTUALMENTE salvar a vida de sua família e isso não tem preço.

      Excluir
    3. Eu acho que não, Guilherme. O cara que for um imbecil, para não dizer outra coisa, ao volante, corre os mesmos riscos tenha ou não equipamentos de segurança.
      Falaram dos motociclistas. Eu acho que o comportamento de um motociclista é bem diferente do de um motorista. Nada contra, nunca gostei de moto, é uma questão pessoal, mas na minha visão o sujeito que anda de Suzuki Hayabusa geralmente consegue ser ainda mais imbecil do que aquele que pilota uma CG. Porque pelo menos o sujeito da CG tem limites bem definidos, enquanto o da Suzuki está sempre procurando superar os próprios limites - ainda mais para os que andam em grupo.

      Excluir
  19. ABS ajuda o motorista mediano a segurar a onda numa freada de emergência, no teste NCAP ele não influencia pois o carro é colocado em marcha a velocidade controlada, não é testada a redução da velocidade nem manuseabilidade nessa redução.

    Sobre os resultados do teste acredito que aquele motorista que toma cuidado e dirige de forma preventiva dirige bem tanto a Kombi antiga quanto o mais moderno e seguro carro, sempre evitando os acidentes, mesmo que para isso tenha que deixar o umbigo de lado e engolir sapo. O NCAP é bom para vender carro (propaganda dos modelos com mais estrelinhas) mas enquanto as pessoas dirigirem de forma inconsequente vai acontecer acidente fatal e ponto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom motorista raramente vai usar tais letrinhas, já que vai dirigir de modo suave e prevenido, enxergando desde muito antes a maior parte dos problemas.

      Excluir
  20. Muito se falou em educação e tal e muitos se mostram favoráveis a produzir Kombi, Uno, etc e contra esses testes.

    Mas mudando de assunto.

    Cada vez mais vejo pessoas dirigindo que nem senso de coordenação motora parecem ter. Não conseguem se manter numa faixa de rolamento da marginal. Se for trecho sem faixas pintadas, então...

    Mudam de faixa de repente sem ver quem vem atrás. Deve ser culpa do insulfilm, nenhum ser humano consegue ver pelo retrovisor lateral se vem alguém atrás, e pior que o mesmo imbecil do insulfilm ainda não acende o farol baixo. Aí junta dois desses e tem-se um acidente.

    ResponderExcluir
  21. Falando em ABS lembrei do caso dos freios a disco traseiros. Elantra vem com freio traseiro a tambor, sendo que no começo da década da 90 o Opala, GSi e XR3 já tinham disco nas 4. será que depois de 20 anos o preço de 2 discos traseiros perante o preço total de um automóvel ainda é assim tão caro a ponto de valer a pena usar tambores. Lembro de 207 e 307 com disco nas 4 e rodas de ferro, algo impensável em outras marcas, que colocam rodas grandes de alumínio, mas não colocam sequer um freio a disco. E olha que no passado diziam que tambor e ABD não combinavam, mas hoje pelo jeito dá certo, pois Elantra tem ABS. Poderiam em 2014 pelo menos botar os discos junto com ABS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante16/11/12 16:02

      Mas isso... Isso... É um comportamento do consumidor. Eu por exemplo desisti do novo C3 por botar freio a tambor, pois o "antigo" tinha freio a disco, e meu carro atual tbm, então não vou trocar por um pior. Porém, como vc mesmo disse, é algo que pouca gente dá valor, a maioria olha o tamanho da roda e se é "de liga".

      Excluir
    2. Não gostaria de escrever bobagem, mas acho que não existe nenhum estudo comprovado de que freio a disco nas quatro rodas seja eficiente ao ponto de evitar um acidente que um sistema discos na dianteira + tambor na traseira não teria conseguido evitar. Mesmo porque os carros atuais são muito mais leves do que os de antigamente e o material dos freios é muito menos suscetível a fading por aquecimento e a vitrificação por choque térmico.

      Excluir
    3. Tripa-Seca16/11/12 17:54

      Aliás, uma curiosidade: O Elantra é o que tem uma das melhores frenagens da categoria. Melhor que o Civic, que tem disco nas 4. O pessoal não quer dirigir com o carro: Quer brincar de Super Trunfo. Não importa que o carro freie melhor que os outros. Ele tem que ter disco nas 4.

      Excluir
    4. Corsário Viajante16/11/12 18:14

      Mas por exemplo, no caso de uso intenso do freio, acredito que o disco tenha vantagem ao tambor, ou esses novos materiais diminuiram muito a diferença? Pergunto sinceramente, e acho que poderia até render um post sobre isso. Até porque o carro pode parar melhor que os outros uma vez, mas e fazer isso várias vezes seguidas?

      Excluir
    5. Também não vejo falta de freio por não ter freio a disco traseiro, mesmo andando forte. Só se justifica num carro esporte, esporte mesmo.

      Excluir
    6. Onde os atuais são mais leves que eu não sei. Olha quanto pesava um Voyage quadrado e quanto pesa hoje um Fiesta.

      Excluir
    7. Complementando, hoje um Corolla ou Civic faz 0-100 em tempo tão lento quanto fazia um Monza de 20 anos atrás, mesmo com motores mais potentes. Sabe por que? Peso.

      Excluir
    8. Fábio Alexandre, quando me referi a "antigamente", eu quis dizer os carros atuais (leia-se atuais como sendo a partir dos anos 80) em relação aos fabricados nos anos 40, 50, 60, talvez início dos 70. Na minha mente eu imaginava os freios a disco + tambor do seu Monza em relação a um Cadillac dos anos 50 com suas 2,5 toneladas e freios a tambor nas quatro rodas. Foi essa a comparação que eu quis fazer.

      Excluir
    9. Tambor dimensionado direto freia tão bem quanto disco, mas a modulação é ruim e na hora de fazer manutenção o tambor é muito pior, mais complicado, mais caro e quase sempre esquecido. O fabricante economiza alguns mizeros reais na produção pra vc depois gastar tanto quanto ou mais na manutenção de um produto que no fim das contas é melhor (o disco). Se o carro fosse mais barato por isso, va lá, mas não é o caso

      Isso no Brasil é muito comum. No caso dos pneus, os fabricantes usam pneus bons, mas que na hora de repor custam o mesmo que um pneu absurdamente melhor. O motivo é que na hora da fabricação se economizam mais alguns tostões também

      Excluir
    10. Corsário Viajante17/11/12 09:31

      Agradeço ao anonimo das 00:02 por explicar a diferença entre os sistemas na vida real.

      Excluir
    11. De nada ;)

      Excluir
  22. Mas o JAC J3 não foi elogiadíssimo no teste de uso pelo AE?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas nesse teste ninguém sofreu acidente, óbvio.

      Excluir
    2. Fábio Alexandre
      Eu ia responder isso para o anônimo aí em cima, mas você já o fez, Obrigado. O "no uso" foi feito pelo Arnaldo.

      Excluir
    3. Essa foi mais uma daquelas perguntas típicas da meia dúzia de pessoas que entram aqui só para ficar provocando com comentários inúteis. Típico de quem "torce" a favor ou contra de determinados modelos ou fábricas.

      Excluir
    4. No uso foi elogiado, mas não tem como fazer um crash test né?

      Excluir
  23. Não é uma sopa de letrinhas (abs, ebd, air bag, cvvt) que vai potencializar o motorista perigoso...

    O mau motorista vai continuar fazendo barbaridades com ou sem os recursos.

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas e o bom motorista que passa por uma situação de perigo que ele não quer passar? será que ajuda em algo ou é besteira?

      Excluir
    2. Fabio Alexandre, o bom motorista vai se esborrachar de qualquer jeito.

      João Paulo

      Excluir
    3. E não tem como amenizar esse esborrachamento com segura ativa? Ou não serve para nada?

      Excluir
  24. Para mim, nunca a falta de ABS ou air bag vai ser item excludente para compra de determinado carro. Claro que carros devem ser seguros, mas considero que existe um limite lógico para tal que, para minha opinião e conforto pessoal, chegou a um patamar razoável nos anos 90. O que houver a mais de segurança passiva além desse ponto, não me atrai grande coisa. Os crash tests começaram com a velocidade de 48 km/h, passaram a 56 km/h e agora estamos em 64 km/h. Até onde irá essa escalada de velocidade?

    Ao dirigir um carro eu assumo o risco de, eventualmente, vir a me "esborrachar" em um acidente, risco este muito menor do que o assumido por motociclistas. O que há hoje é uma neura por segurança passiva, deixando de lado o ato de dirigir em si, este sim importante, por fazer parte direta de segurança ativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito!

      João Paulo

      Excluir
    2. Concordo! Também acho uma hipocrisia essas exigências de segurança em carros enquanto se permite que pessoas viajem em pé dentro de ônibus e ninguém impede motoqueiros de andarem sem camisa e de bermuda desde que estejam de capacete, às vezes, nem isso!

      Excluir
  25. parabéns a ford pelo new fiesta . belo carro, bela estrutura e belo projeto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E belo preço! Só uns R$20.000 mais caro do que deveria ser.

      Excluir
    2. Não existe almoço grátis.

      Excluir
    3. É verdade, é um excelente carro, mas vale lembrar que tirou a MESMA nota que o Polo de 2002.
      Oh, wait...

      Excluir
  26. queria saber se os santanas, quantuns e gols da wv que racham o tunel com tempo aguentem pancadas, não só os vw mas opalas, dojoes, mavecos que trincam com tempo, te digo que novo é 4 estrelas, com tunel rachado são 2 estrelas ou zero, com a buraqueira a fadiga estrutural é problema, como devemos fazer com a fadiga estrutural....?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. este é o futuro do problema, ninguém até agora pensou nisso, essas trincas provocam um perigo maior ao ocupante do automovel, já vi um passat 1978 trincado ao meio na dutra, ningu´m morreu, mas é bom verificar sempre a estrutura do automovel novo ou velho, os carros de corridas eram trocados por causa da fadiga estrutural, esses marevicks dos anos 70 trincavam com o possante v8 , quanto maior o torque e pouca lata abre o bico mesmo, podemos notar que nossos carros tem pouca lata por economia porca dos nossos fabricantes, a maioria trinca estrutura isso é fato, em breve vou listar os carros e suas trincas tradicionais.

      Excluir
    2. vou ajudar los hermanos.... tempra caixa de direção, opala longarinas dianteiras, mavecos longarinas dianteiras e base parabrisa, fusca parede corta fogo, brasilia parede corta fogo, monza longarinas dianteiras e parede corta fogo, uno e fiorinos longarinas que sustentam o motor, corcel 1 e 2 longarinas dianteiras , vamos amigos ajudem.

      Excluir
  27. O JAC vai ter qye remar muito...os carros enferrujam precocemente, são ridicularmente inseguros...haja cachê para o Faustão...

    ResponderExcluir
  28. Se foram obrigados a colocar ABS e AB vão remover outros, simples assim.

    Andre Scud.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Remover o que, caro Anônimo? O volante? Os bancos?

      Se removerem os plásticos duros e deixarem a lata aparecendo vão fazer um favor para nós, AUTOentusiastas.

      Excluir
  29. Um dos problemas da segurança é que muitos daqui se julgam motoristas melhores do que realmente são. Eu sou um motorista mediano, nunca fiz curso de pilotagem e no meu caso um ABS realmente pode fazer diferença numa emergência

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante17/11/12 09:34

      Ufa! Finalmente alguém tem humildade e fala o óbvio ululante! Infelizmente a maioria sempre vai se achar o Senna que não foi descoberto, e achar que sua perícia na "pilotagem" vai superar qualquer obstáculo.

      Excluir
    2. Nem Senna, Massa, Rubinho e Piquet sairam livres de batidas homéricas.

      Excluir
  30. Boa visão. Apenas acho, sem querer discordar, que a medida do governo pode evitar lesões ainda maiores aos ocupantes de veículos. O ideal, no meu ver, seriam bolsas infláveis em todo o habitáculo, mas isso será difícil.

    Além disso, é uma oportunidade do governo criar campanhas publicitárias em favor da direção defensiva - e intensificar o programa de redução de acidentes (Pare).

    ResponderExcluir
  31. É interessante notar como o JAC apesar da menor qualidade de projeto se sai melhor do que o Corsa B(por exemplo) só por ser um projeto mais novo e fazer uso dos novos conceitos.

    Quanto ao ABS e o AIR BAG temo que sua inclusão possa ser até prejudicial, explico.

    O AIR BAG traz um ganho na retenção de movimento como bem diz o texto. Acontece que ele é um complemento ao cinto. Sem o cinto, o AIR BAG pode ate ser danoso, já houveram caso até letais. Pois eu não duvido nada que muitas pessoas vão deixar de usar o cinto "não dá nada, tem air bag" (frase que eu já ouvi mais de uma vez).

    E o ABS também sofre do mal uso. A maioria das pessoas tira o pé do pedal quando ele começa a tremer, justamente o contrário do que o ABS pede. Quem nunca ouviu essa reclamação e teve que orientar as pessoas de que o ABS realmente cause esse efeito e necessária manter a aplicação.

    A verdade é que o condutor médio é tão mal formado que nem isso vai ajudar. A própria NCAP fez um carnaval quando testou alguns carros e constatou que não eram equipados com ABS e AIR BAG, lembro de ter lido na época algo bem sensível. "O consumidor médio compra um rádio mas não opta pelos dois itens, que saem pelo menos preço". É bem isso ai...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso sem contar que o ABS nem é usado no testa da NCAP. Mas ai já é questão de se discutir segurança ativa...

      A grande verdade é que tanto EURONCAP quanto a LATIN NCAP são associações que tem ONGs por trás e muitos interesses... Seus teste são bons mas só devem ser levados em conta como referência, não padrão.

      A ADAC é uma instituição MUITO mais respeitável.

      Excluir
    2. Também acho interessante notar como o JAC J3 está levando mais pedrada apesar dele ter se saído melhor no crash test que o Sandero!
      Para mim, é isso que as imagens mostram.

      Excluir
  32. Vocês falam em ABS, air bag, mas nem o Inmetro nem ninguém fiscaliza (e proíbe) esses amortecedores recondicionados que são vendidos a rodo em todo lugar. sem contar outras peças fajutas que são vendidas por aí. A gente sempre escuta dizer que todos os acidentes são causados por imperícia ao volante. Será?

    João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior de tudo é que daqui a alguns anos vão começar a vender Airbag recondicionado.

      Excluir
    2. É, mas isso não é desculpa para não avançar a legislação de segurança. Fica meio absurdo de ficar pensando em quem não faz manutenção, quem procura peça de 5ª linha e tudo mais. Se for por aí não se avança em nada

      Excluir
  33. Olhe os airbags que vão equipar os carros aqui no Brasil:

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=uEYExJhYbg8

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. O desempenho do J3 foi algo esperado, convido a todos a irem em uma concessionária da marca e abrir, sendo melhor em cores claras, o compartimento do motor. Verão que toda a estrutura lá parece remendada. Carros dos anos 80, aqui no Brasil, não eram assim.

    A lei para o SRS é apenas o olhar para uma parte, e não para o todo; alguns devem estar ganhado com isso...

    ResponderExcluir
  36. É claro que seria bom se todos os carros tivessem a sopa de letrinhas completas, mas o problema é e será cada vez mais a forma de dirigir.
    Minha irmã mais velha(13 anos mais) faleceu em 1962 a bordo de um Simca Chambord dirigido por Ali Americano(piloto de provas da Simca, talvez conhecido do Sr.Bob Sharp) causa do acidente, estouro de pneu dianteiro, a velocidade de 140 Km./hora na epoca foi manchete da Folha e do Estadão, pois eram poucos carros e portanto poucos acidentes fatais.
    1997 morre Lady Diane a bordo de um Mercedes, com todas as letrinhas mencionadas, se for descartada a hipótese de atentado, resta o fato do motorista da Mercedes estar bebâdo.
    Resumo da ópera, cada vez mais, pelo aumento exponencial do número de carros veremos, mais acidentes com vítimas fatais. Eu dirijo a mais de 40 anos sem jamais ter provocado ou sofrido acidentes, talvez por sorte ou por cautela.
    Se fizermos uma comparação, nos anos 50 eram raríssimas as mortes por acidentes aeronáuticos, e quando ocorriam com os DC3 ou Convair 340 morriam 15 a 20 pessoas, atualmente qualquer acidente aeronáutico, e são muito mais frequentes, pelo aumento da frota, morre 200 ou mais pessoas.
    Sou fatalista e creio que o que deve acontecer acontecerá com letrinhas ou sem.
    Militar anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. no caso de lady diane,se conseguissem um carro que resistisse uma pancada contra uma coluna de concreto a 180 ou mais os orgaos internos da pessoa nao aguentariam tamanha desaceleraçao FISICA

      Excluir
    2. Nossa milico, que inteligência! descobriu isso sozinho ou seu superior teve que pensar por você?
      É cada um que aparece por aqui...

      Excluir
  37. Em tempo minha irmã faleceu na Rodovia Fernão Dias, próximo a cidade de Oliveira.
    Militar anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E....
      É uma informação que mudou a vida de todos por aqui.

      Excluir
    2. Mais respeito com a dor dos outros, anonimo 17/11, 11:57.

      Excluir
  38. É aí que reside o problema, aqui mesmo vimos um irresponsável andar a 190 Km./hora num mille E.P.1996, como se vê hoje qualquer carro atingi velocidades superiores a 150 Km., ora uma batida acima de 80 Km./hora será fatal com letrinhas ou sem elas.
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
  39. É... é muito assunto: São várias questões.
    1. Você entra nesses sites de autos: Cheios de garotos de 14/15 anos, que nem carro possuem. Aí fica aquela coisa: Fiat é maravilhosa, já a Volkswagen só tem carroças com motor AP... e por aí vai e VICE-VERSA
    2. Aí você vê neste teste da LAtin (EXEMPLO, tá fanboys?): VW Polo com bom resultado. Mas este é o carro que "naqueles" sites de garotos, o POLO é a "porcaria" de projeto de 2002... é a plataforma (como se soubessem o que é isso) uma geração atrasada... o motor é AP (como se fosse uma "danação)...
    3. O VW Polo é uma das coisas mais bem construídas na história do automóvel de uso comum (entenderam, né?, uso comum! dia-dia, família média, isso aí...). E é moderno ATÉ HOJE. Mesmo esse Polo brasileiro!
    4. Que pena! O GM Astra Passaria neste teste com louvor! É! aquele Astra velho de guerra que era fabricado aqui até 2010/11
    5. Não é o tempo, não é a época do projeto. É COMO o carro foi projetado que vai tranformar-lo em um bom projeto.
    6. EU DISSE: são muitos assuntos. Vamos mudar o foco: O que vocês acham disso?: Moro numa cidade turística. Ontem eu VI um Corolla (talvez 2009/10) aqui na minha cidade. A placa era de BH-MG. Os pneus estavam simplesmente sem QUALQUER friso. CARECAS. O camarada andou 518 Km (isso mesmo) de BH x Guarapari com pneus carecas. Tem ABS, Tem air-bag, EBS e outras sopas de letras que dêem segurança a este condutor? E os outros que cruzam com este camarada? Estão seguros?
    7.É o seguinte: Dá pra TOCAR legal, seja com Sandero, Fiat Uno, Cherry Cielo Xing-Lings, Alfas, Audi... etc... O negócio é QUEM está ENTRE O PARABRISA E O ENCOSTO DO BANCO!.
    Não adianta 5 ESTRELAS, Não ADIANTA ZERO estrelas, Não adianta EBD ABS quando um FDP dirigindo (?) uma cegonha, cheio de arrebites na idéia, entra numa curva fazendo um "L" e arrastando todo mundo na pista contrária, como eu já vi (10 vidas arrastadas)
    8. Ficou grande o texto; mas é o MOTORISTA. É o PILOTO. É o CONDUTOR. A máquina só vai fazer o que você quer, seja com ABS, EBD, Air-bag, ESP, projeto novo, Chassis novo, plataforma antiga... o que você quiser
    9. Dirigir é bom demais! Vivo é melhor ainda.
    Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho q o cara do corolla tá cheio de prestações para pagar e o pneu ficou caro. rsrsrsrsrs

      Excluir
    2. Já eu acho que vc falou muita coisa pra basicamente falar bem do Polo, que nem tem mais motor AP (aliás, foi um dos primeiros a deixar de ter motor AP). Na época todo "entendido" também falava baboseiras sobre ele, que não era resistente e que o projeto novo não contava nada. Pois é, 10 anos depois e o bom projeto dele garantiu bons resultados, já as carroças de verdade não precisa mais ficar no achismo, é só ver os testes

      Excluir
    3. Logo logo tiram o Polo de linha.... e o ultimo VW ''alemão'' com preço menos inatingivel fica na historia.... e da-lhe Fox e gol

      ISM

      Excluir
    4. Marcos,

      Bem, é claro que vivo é melhor ainda hehehe...

      Eu acredito que você foi coerente e conseguiu expressar o que a maioria daqui pensa.

      Excluir
    5. Corsário Viajante17/11/12 09:40

      Concordo, e gostei da ironia com os experts de escritório, que sabem tudo sobre todos os carros, só que nunca dirigiram nenhum.
      QUanto ao Polo, digo e repito: é a prova que brasileiro não gosta de carro bom, mas de carroça. Tanto que tiveram que piorá-lo e transformá-lo em um FOx para ser um sucesso.

      Excluir
  40. E vamos e venhamos, projeto de carro com deformação programável já é uma área de pesquisa ao alcance de qualquer marca hoje. Mas com sabemos, aqui no Brasil seguimos o que consta na lei, daí, se é certo e sensato, é outra história.
    Mas acho importante algumas ressalvas.
    Assim como o Airbag pode salvar vidas, ele pode machucar seriamente se não for usado corretamente. De que adianta um carro 5 estrelas, com 10 Airbags se o cidadão não usa o cinto de segurança? E quando ao invés de usar o banco com os ajustes ergonomicamente corretos para a melhor condução, joga o banco lá para o fundo e desce consideravelmente o ajuste lombar. Nestes casos, o cinto de segurança passa a ser perigoso. Em caso de colisão, os pré-tensionadores (nem todo carro com Airbag os possui), retraem o cinto fortemente para firmar o ocupante no banco. Mas e se o cidadão não estiver com o corpo junto ao cinto, e se ele estiver folgado, como ocorre em casos de bancos no ajuste "maloqueiro". Bom, o cinto pode ricochetear o ocupante que já fora projetado a frente, e nisso, ele toma o primeiro impacto forte, o cinto pegando em cheio o tórax, ou pior o pescoço. Segundo, o ocupante ainda sendo projetado, leva a cabeça de encontro a bolsa do airbag, que pode causar ferimentos leves como queimaduras, médios como narizes quebrados ou piores, como esmagamento da massa cefálica pela brusca desaceleração.

    Bom, primeiro precisamos de uma reeducação na população que utiliza automóveis.
    A começar pelas películas que só reduzem a visibilidade, som automotivo que tira o sentido da audição, e pegar mais pesado na questão de condutores alcoolizados.
    A seguir, por um remanejamento no processo de entrega de licenças, devemos rever, pois muitos saem dos CFCs sem ao menos como dirigir o carro em ré, usar técnicas de pilotagem defensiva, e porquê não pilotagem propriamente dita, quem conhece os limites do seu carro, pode prever o que acontecerá numa situação de risco.

    Enfim, muita coisa errada para que uma simples lei possa mudar

    ResponderExcluir
  41. Marcelo Junji17/11/12 01:09

    Pesquisei bastante antes de comprar uma cadeirinha, e descobri que o sistema isofix não é garantia para a cadeirinha ser segura. Com o air bag é a mesma coisa. Se puserem air bag num celta por exemplo, não vai servir para nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece-me que a Recaro está fazendo ótimas cadeirinhas.

      Excluir
    2. Marcelo Junji17/11/12 05:19

      A Recaro não faz ótimas cadeirinhas, nem mesmo a também afamada Chico faz as mais seguras cadeirinhas, apesar do maior valor cobrado por essas marcas.
      Antes de comprar uma cadeirinha, é bom dar uma olhada nos testes da ADAC no YouTube. Nos testes da ADAC, todas as cadeirinhas da marca Cybex foram bem classificadas, e existe um modelo dessa marca comercializada no Brasil a preço bem menor que Recaro e Chicco.

      Excluir
    3. Marcelo,
      Obrigado pela informacao. Estou a procura da mais segura, nao tenho a minima nocao disso, mas como meu sobrinho nasceu quero presentear com a melhor

      Excluir
  42. Acredito que toda a questão de segurança em autos deve começar dentro de casa e/ou na autoescola.

    Há um "todo" envolvido. Segurança adianta se:

    - Vc souber empunhar o volante corretamento;
    - Utilizar a posição correta para dirigir (sim, ela existe);
    - Conheçer o carro e seus limites;
    - Dirigir pra vc e para os outros;
    - Entender que o trânsito não é só o veículo q está na sua frente e sim toda uma situaçao à frente;
    - Saber utilizar o abs;
    - Saber utilizar o air-bag (principalmente moças no banco do passageiro que ficam com bolsas no colo);
    - Não deixar objetos soltos no habitáculo do carro e sim no porta-malas e não no porta luvas;
    - Utilizar pneus de boa qualidade;
    - Calibrar os pneus corretamente;
    - Os 3 retrovisores devem ser sempre utilizados;
    - Ajustar o cinto de segurança corretamente;
    - Evitar o uso de peliculas nos vidros;
    - Ajuste correto dos retrovisores...

    Tem muuuuuuuuuita coisa...

    EU TE DISSE, EU TE DISSE...MAS EEEEUUU TE DIIIISE !!!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bolsas no colo e pés no painel...putz é de matar.

      ISM

      Excluir
    2. Ism,
      Pes no painel é o fim.

      Excluir
  43. Ontem estava na marginal da Via Anchieta a 90 por hora que é o máximo permitido no trecho, quando por mim passavam(centenas) de carros, caminhões e onibus com velocidades superiores a 120 Km. Além de estarem cometendo infração grave, estavam pondo em risco a própria vida e de outros que como eu obedeciam a sinalização, portanto volto a afirmar não serão as letrinhas que mudarão os fatos.
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
  44. Silvercharles.17/11/12 09:59

    Diante de tantos comentários técnicos, assunto esgotado, sugiro apenas que quando AUTOentusiastas informarem que têm tantos anos de volante é útil acrescentar quantos km já rodou.

    ResponderExcluir
  45. Querem ver um grande auto popular aguentar um crash test?

    https://www.youtube.com/watch?v=Oe6TRlQT61U

    ResponderExcluir
  46. O recado está dado, Carlos Maurício, espero que alguém ouça(leia).

    MD

    ResponderExcluir
  47. acho bom o governo fazer isso. os carros ficam um pouco mais decentes.longe do ideal mas ja é alguma coisa.carro popular ja nao é barato, ainda aumenta mais 10 pau quando a gente vai acrecentar os opcionais. pelo menos o abs e o airbag ja ta la.por ser iten de seguranca fizeram a lei , agora pra ficar padrao de primeiro mundo o carro todo vai demorar um tempao.

    ResponderExcluir
  48. Cheguei tarde mas gostaria de comentar o post. A discussão aqui se tornou quase uma defesa pessoal de cada um e suas opiniões quando , pelo menos entendi assim! O proposto era a crítica ao "canetaço". Não adianta querer aumentar a segurança individual se não existe infraestrutura mínima para isto ser exigido. Quer se criar um "escudo invisível" que proteja o usuário da falta de educação e preparo ( seu e dos outros!) Bem como da falta de condições viárias que atendam o mínimo do bom senso. É o mesmo que "blindar" o carro para se proteger da falta de segurança nas ruas...Na minha opinião uma farsa ( Que rende muito dinheiro para os oportunistas de plantão! )Sei que um ou outro vai meter a lenha no meu comentário porque fatalmente isto leva a uma discussão política. Mas ,infelizmente ela faz parte de tudo em nossas vidas. Começa no lar quando você deveria dar o exemplo ao futuro cidadão, depois na escola ( E em como você demostra ver a escola para seus rebentos...), e segue... Como já exaustivamente discutido aquí, é tarefa para no mínimo quatro gerações, isto sem contar com as "sabotagens" da verdade, sempre mascaradas pelo marketing e endossadas pelos ditos "entendidos" no assunto...é triste, mas é a realidade e o caminho é muito longo...Por enquanto, Os messias autoempossados fingem que fazem alguma coisa para justificar seus proventos pagos por nós e nós fingimos que eles fazem alguma coisa, só para não admitir o papel de "otários"

    ResponderExcluir
  49. Alexandre - BH -17/11/12 20:45

    Farjoun,

    Permita-me discordar de seu raciocínio. Se precisamos de uma canetada para termos ABS e air bags em todos os carros é porque o consumidor brasileiro ainda é imaturo para exigir esses (e muitos outros) equipamentos de segurança. Todos sabem que automóvel aqui é um indicador de posição social e de status. Quanto mais bonito, melhor. Segurança é algo secundário. Então, nada mais lógico que a intervenção do Estado. Quanto à desejável melhoria estrutural dos carros, acho mais fácil o governo meter o dedão mais uma vez do que o próprio consumidor se preocupar com isso e exigir respeito dos fabricantes. Como eu já disse, o brasileiro é imaturo, está deslumbrado com a chance real de ter um carro novo e dá muito valor ao status.

    ResponderExcluir
  50. Isso é no que acontece quanto políticos-puxa-sacos-cheios-de-dinheiro-das-montadoras fazem o trabalho que deveria ser de técnicos imparciais.

    ResponderExcluir
  51. O melhor mesmo é não se envolver em nenhum acidente, dirigindo de forma preventiva e em velocidade adequada a via, que pode ser superior ou não a máxima permitida. Acho que assim evitaríamos esses acidentes frontais, que são a maioria e que causam mais mortes.
    O J3 me impressionou negativamente, com esse resultado. Achava que iria receber uma estrutura melhor por ser exportado pro Brasil. Mas o Renault Sandero que comparativamente saiu-se pior, beirando o absurdo.

    ResponderExcluir
  52. O link para o artigo abaixo, Crash test (teste de impacto), na Wikipedia, foi por mim formulado, e lá eu já havia comentado sobre a inutilidade do air-bag caso a estrutura do veículo fosse deficiente.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Teste_de_impacto

    ResponderExcluir
  53. Em tempo, e para conhecimento, o artigo da Wikipedia sobre teste de impacto, elaborei-o em 2003.

    ResponderExcluir
  54. O testte do J3 veio muito em boa hora...Me serviu de exemplo para o que sempre falo para conhecidos: não adianta AirBag se a estrutura do carro não aguentar.

    Em compensação o Polo....que chegou aqui em 2002....4 estrelas, o mesmo que o novíssimo New Fiesta.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...