15 de novembro de 2012

EXTRA: CRIME

Foto: assomaritatiaia.blogspot.com
 


A foto é do retão de Resende, trecho da BR-116 rodovia Presidente Dutra, que liga o Rio de Janeiro a São Paulo. Indiscutivelmente o trecho mais lindo da estrada, um deleite para os olhos, algo extremamente bucólico, uma espécie de ponto da rodovia que se pode chamar de relaxante.

Pois anteontem, voltando do Rio com o novo Renault Clio por motivo do mau tempo que abria e fechava o aeroporto Santos-Dumont, ao chegar nesse trecho tive um choque: AS ÁRVORES NÃO EXISTEM MAIS!!! As árvores que vi pela primeira vez no dia 24 de novembro de 1956, com 14 anos, ao viajar com meu irmão, um primo e um amigo para assistirmos à primeira Mil Milhas Brasileiras, e que vi até janeiro de 2009, última vez que fui ao Rio de carro, não estão mais lá.

Sem as árvores (foto achada na internet, article.wn.com)

Alguma mente criminosa, burra, imbecil, idiota, mandou derrubá-las, todas. O trecho ficou árido, parece um deserto, horroroso.

Leia mais a respeito neste blog. Pelo que é dito, houve conivência do Ibama, é inacreditável.

Hoje eu quis publicar só para extravasar minha indignação e compartilhá-la com os leitores do AE. Nos próximos dias vou argüir a concessionária Nova Dutra a respeito e, dependendo do que disserem, iniciar uma Ação Civil Pública contra esse verdadeiro crime.

Ainda  bem que achei a foto de abertura procurando no Google.

BS

121 comentários:

  1. Absurdo... E triste. O argumento certamente será segurança. Bom senso e' artigo cada vez mais raro. Foi neste trecho que o Juscelino morreu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandro
      Não; o acidente do Juscelino foi mais adiante, no sentido Rio—São Paulo, pouco antes da divisa de estado. Inclusive, no local, estão até hoje as cruzes em homenagem a ele e ao motorista do Opala – as únicas que permaneceram em toda a estrada após a privatização.

      Excluir
    2. Charles Milner16/11/12 11:49

      Se não me engano, este trágico acidente em que morreu JK, em 1976, foi quase em frente a Ovomaltine, onde eu costumava parar para lanchar.
      Como estou bastante tempo sem ir à SP, nem sei se ainda existe a Ovomaltine.
      Abraços!

      Excluir
  2. Isso aqui está ficando uma terra arrasada. Nem precisa de guerra. Estão acabando com tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. regi nat rock
      Tive um choque quando vi aquilo. Que irresponsabilidade.

      Excluir
    2. Aconteceu coisa paracida aqui em Brasília. As estradas parque idealizada por Lucio Costa continham grandes árvores em suas margens, parecidas com as das fotos acima. Agora nada, somente estrada.

      Excluir
  3. Não foi no Norte do país que disseram que as árvores eram culpadas pelos acidentes? Ora, se um veículo bate na árvore, ela que andou e entrou no caminho, devem pensar eles...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme J.
      Claro, só que para evitar que um veículo atinja uma árvore ou poste existe a defensa metálica, o guardrail.

      Excluir
  4. Mas como assim, ficar mais seguro sem as árvores? O simples fato de elas barrarem ventos laterais já seria motivo suficiente para que elas tornassem a via mais segura. Elas impediam a erosão da estrada, o que, num país em que manutenção é vista como perda de tempo, pode ser a diferença entre uma estrada agradável e uma sucessão de crateras...
    Seria, talvez, pelo fato de que as árvores forneciam vários referenciais visuais, aumentando assim a sensação de velocidade e reduzindo o faturamento com multas?

    ResponderExcluir
  5. Bob, como proprietário de Celta, e já tendo andado em diversos modelos "de entrada", que achou do Clio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. brauliostafora
      Gostei muito, o motor é brilhante. Post sobre o carro no sábado.

      Excluir
    2. NO aguardo deste post... era um bom carro, pena ter diminuido tanto de qualidade na atual versão...

      Excluir
    3. Clio? Oba, finalmente um francês de verdade não esses romenos 171...

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Bob aposto que isto é obra do "jovem pró ativo com Mba" , esta praga anda espalhada pelo mundo acabando com oque é bom pra mostar serviço

    Bem legal este trecho é o lugar mais bunito da dutra

    ResponderExcluir
  8. Bob

    Sem comentários...

    ResponderExcluir
  9. A propósito, já ia esquecendo. Feliz aniversário! (atrasado, diga-se).

    E não pense que me esqueci do livro que prometeste.

    ResponderExcluir
  10. Eles vão argumentar que as árvores eram um risco e poderiam cair em cima de um automóvel.

    Aqui no Sul um eucalipto caiu em cima de um caminhão matando o motorista. Depois do acontecido tiraram todas as árvores de um trecho da BR-116 em Novo Hamburgo.

    Dnit é condenado por morte de caminhoneiro atingido por árvore na BR-116
    http://wp.clicrbs.com.br/estamosemobras/2012/08/07/dnit-e-condenado-por-morte-de-caminhoneiro-atingido-por-arvore-na-br-116/?topo=52,1,1,,171,e171

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta, pegando carona no seu comentário a pergunta é:
      1- Por que na Europa a maioria das rodovias possuem árvores a sua volta?
      2- Não seria responsabilidade do Ibama cuidar do ambiente natural em torno das estradas?

      Excluir
    2. Já deu pra ver do que se trata. Não querem cuidar das árvores, então pra não tomar processo derrubam tudo. Culpado inclusive o ibama, que no lugar de só dar multa deveria cuidar desse tipo de coisa (ao mesmo tempo retirar uma árvore que atrapalhe uma propriedade privada mesmo que seja para replantar em outro lugar é uma verdadeira saga)

      Uma pena terem feito isso, era realmente um trecho muito bonito, felizmente passei por lá antes dessa idiotice. Mas o culpado é sempre o carro não é mesmo...

      Excluir
    3. Perneta
      Como escrevi, aquelas árvores estão lá há pelo menos há 56 anos. Nunca ouvi falar de quedas sobre veículos. Se for assim, há que se tirar todas as árvores de todas as ruas. Além disso, árvores também se inspecionam para avaliar sua saúde. Mas dá trabalho... E o leitor Fábio Vicente, adiante do seu, foi preciso ao falar nas árvores em muitoas estradas na Europa.

      Excluir
    4. Concordo com vocês, digo apenas que entendo o lado do DNIT que não quer ser responsabilizador por coisas deste tipo. Eles literalmente estão cortando o problema pela raiz.

      Excluir
    5. Perneta
      No caso a responsabildade não seria da concessionária Nova Dutra?

      Excluir
    6. As árvores estavam lá há 56 anos, mas não iriam ficar para sempre. Melhor corta-las antes delas ficarem velhas demais e perigosas do que elas cairem sobre as pessoas.
      BH por exemplo tem tido problemas sérios com árvores nos períodos chuvosos dos últimos anos.
      Mas que relamente a paisagem ficou muito pior, ficou.

      Excluir
    7. Bob, só como esclarecimento, há uns 15 anos fiquei preso num congestionamento ali perto, em função da queda de galhos enormes durante uma tempestade daquelas, que fez muita gente interromper a viagem de medo do dilúvio que caíu naquele começo de noite. Com certeza isso se repetiu outras vezes. Não sei dizer se houve acidente grave nessa vez, mas vi veículos atingidos sim.
      De qualquer forma, concordo que não se justifica a remoção das árvores. A manutenção do bom estado e poda constante deveriam ser suficientes.

      Excluir
  11. É capaz de usarem a mesma "filosofia" para arrancar as árvores das cidades.

    Tá bem, galhos podem cair na pista e causar sérios acidentes, mas pode-se muito bem fazer uma "mata ciliar" nas estradas, porque não ?

    Se nas cidades trocassem os postes por árvores e colocassem toda a fiação no subsolo, ganharíamos tanto que nem é possível dizer, mas, cortam-se árvores pois elas estão atrapalhando os fios..

    ResponderExcluir
  12. Nem sei mais o que pensar das pessoas....

    Isso só pode ter sido ideia de algum acéfalo. Não tem explicação cabível pra isso.

    ResponderExcluir
  13. Me lembrei da entrada do Aeroporto Internacional 2 de Julho (SSA Salvador/Lauro de Freitas) quando havia um corredor de bambuzal que não deixava passar a luz do sol de tão grande que era. Hoje está bem menor, não sei o que houve, se foi incêndio ou cortaram por algum motivo.

    ResponderExcluir
  14. Sabe o que eu acho engraçado nisso tudo?? É que culpam o carro pela catástrofe ambiental, no entanto as "otoridade" devastam sem critério áreas verdes e outras áreas de preservação natural.
    Mas a natureza sempre dá o troco: vide as tragédias ocorridas em Angra dos Reis no ano de 2010. Constatou-se que as pousadas construídas na encosta da praia estavam em um local sujeito a deslizamentos em virtude de fortes chuvas. Infelizmente, são inocentes que pagam caro (as vezes com a vida) pela imprudência e conivência de uma meia dúzia de espertos.

    ResponderExcluir
  15. Que tristeza! Nesse fim de semana estava mostrando a região pra minha namorada (vamos nos mudar pro Vale do Paraíba no ano que vem) e falei desse "tunel verde" para ela. Era o trecho mais bonito da Dutra. Lembro uma vez que tinha 5 ou 6 anos e estávamos indo a Barra Mansa quando ficamos parados ali por conta de um acidente, era fresco e agradável.

    O mundo está sendo dominado pelos idiotas. Que tristeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não o mundo. O Brasil!

      Excluir
    2. Aqui no RS tem um túnel verde na RS-040.

      Vejam que coisa mais linda! Quilômetros de árvores, 6.5km se não me engano.

      http://www.turismo.rs.gov.br/portal/index.php?q=atrativo&id=1350&bd=&fg=2

      http://www.flickr.com/photos/claudioe/563375286/

      Excluir
  16. Carlos Miguez15/11/12 12:58

    Duas situações:
    1- Aqui em BH, nos atrás, no extinto "Diário da Tarde" a manchete da capa era: "Caçamba Assassina"; em uma curva da Av. Raja Gabaglia 02 jovens colidiram, altas horas da madrugada, com uma caçamba de entulho (devidamente estacionada...) e morreram, portanto as distorções e justificativas ocorrem conforme os interesses dos mais diversos!
    2- Os troncos de árvores nos canteiros centrais, provocam à noite, quando os faróis estão ligados, um efeito de luz estroboscópica (aquela de danceterias); quanto mais afastadas uma pista da outra, menor este efeito. Acredito que seja o verdadeiro motivo do corte das árvores, só que não explicaram, nem justificaram corretamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Miguez
      Correta sua observação do efeito de luz estroboscópica, mas isso poderia ser resolvido facilmente mudando ligeiramente o passo entre as árvores, tirando algumas. Mas nunca senti esse efeito no trecho.

      Excluir
    2. Lembro da Anhanguera ter defletores para evitar os faróis altos. Não é possível instalá-los?

      Excluir
    3. "Efeito estroboscópico causado pelos faróis dos carros passando pelas árvores"....

      De fato, ao passar pro ali eu e sentia no Green Valey ou no Sirena hahahaha.... Essa foi a melhor, a melhor.... que pérola.

      Cara, é justamente por causa de elucubrações abiloladas e estapafúrdias como essa que algum idiota mandou cortar aquelas pobres árvores. Incrível como tem gente que viaja na maionese nesse mundo!!!

      Excluir
  17. PQP!!! Simplesmente absurda, revoltante, estúpida, ignorante tal decisão de remover as árvores. Não foram apenas algumas, mas uma quantidade enorme de árvores removidas. E para quê? Sem dúvida alguma que houve conivência do Ibama. E depois esse bando de ecochatos vem dizer que os carros é que poluem o ar. E os benefícios que deixaram de se ter por conta da remoção das árvores, sem contar perder-se uma paisagem das melhores? Ô país besta que se tornou o Brasil...

    ResponderExcluir
  18. Pode ter sido apenas para facilitar (baratear) a manutenção, como a concessionária AUTOBAN fez nos canteiros centrais da Rodovia dos Bandeirantes.

    ResponderExcluir
  19. Respostas
    1. Adalberto Camargo
      Ótima pergunta, onde estão eles?

      Excluir
    2. ecochatos são os barbeiros/manetas que batem em arvores por isso o silêncio!

      Excluir
    3. Anônimo (15/11/12 16:23)

      Não duvido nada! risos e mais risos...

      Excluir
  20. Não tenham duvida alguma, foi para aumentar a segurança e assim conseguir que mais alguns incapazes sobrevivam.
    Se Darwin esta certo, e deve estar pois a comunidade cientifica aceita, estamos fazendo fazendo um grande desserviço a humanidade com medidas de superproteção visando a sobrevivência de indivíduos menos capazes.
    Não estou falando aqui especificamente destas arvores e sim de um sem número de medidas exageradas (agora sim "como a retirada destas arvores") que são tomadas todos os dias visando a sobrevivência do espécime mais fraco.
    Vou ser trucidado por isto (os politicamente corretos vão dar os mais variados exemplos tipo se fosse meu filho e etc), mas ninguém me tira da cabeça que o número de idiotas esta aumentando a cada geração.
    O maior exemplo disto e uma foto que tenho da proa da barca Rio - Niteroi apinhada de gente sentada,, atravessei assim por muitos anos, lá tinha um aviso que dizia: Evite viajar na proa porque eh sabidamente o local mais perigoso da embarcação.
    Estava avisado se alguém, mesmo assim, se sentasse ali e viesse a cair, foi ele que decidiu se arriscar e pronto.
    A culpa eh do cara e ninguém eh punido, hoje tem imbecil que atravessa uma avenida com mureta central que sabe que se ele for atropelado pode até se dar bem e ganhar uma boa indenização.
    Bem, para dar mais argumento aos que vão achar isto tudo um absurdo lembrem-se:
    A humanidade não chegou ao ponto em que estamos, técnica e socialmente falando, sendo boazinha ou tolerante.
    Muitos não vão entender outros ficarão indignados e poucos entenderão.
    Acosta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como alguém aqui já disse nesse blog: querem resolver o problema do carrapato matando a vaca. Lamentável!

      João Paulo

      Excluir
    2. Proteção de indivíduos menos capazes??? isso foi a coisa mais idiota que já li neste blog e olha que muitos comentários são lamentáveis....quer dizer que a segurança nos carros e nas vias não deve evoluir? quer dizer que o primeiro mundo é estúpido em reduzir a mortalidade dos acidentes e o que devemos é continuar com um trânsito medieval e andando em carroças pré históricas pois não podemos ir contra a "seleção natural"? aff.....é cada um...

      Excluir
    3. Alvarenga/RN16/11/12 12:34

      Anonimo das 14h44, concordo com vc em gênero número e grau. por isso o mundo vai de mal a pior...

      Excluir
    4. Alguém já assistiu o filme Idiocracy?
      É o que estamos virando...

      Excluir
  21. Olha o bob na pista!!


    http://www.jalopnik.com.br/um-maverick-monstruoso-e-seu-afiado-piloto-aniversariante/#more-81708

    ResponderExcluir
  22. Engraçado. Vi estes dias um raciocínio parecido. Disseram que películas matam pessoas. Agora disseram que árvores matam pessoas. Manter películas é crime. Tirar as árvores é que é crime.
    Acho que tem alguém confuso por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O único confuso daqui é você, seu panaca de uma figa.

      Você é um Troll insano, que deveria ser capado para não deixar descendência.

      Excluir
    2. Sol grosso e obtuso. Foi vc que cortou as árvores, não foi?

      Excluir
    3. Aproveitando o raciocínio e pegando o embalo do darwinismo citado pelo Acosta, então o idiota que deixou a menina morrer no carro simplesmente foi vítima da seleção natural, pois é um ser menos adaptado que não conseguiu produzir uma geração seguinte viável.

      Excluir
    4. Anônimo 15/11/12 20:11, saiba que pensei em escrever exatamente isto que vc. colocou!

      Excluir
    5. Será que O Sol desceu da árvore ou caiu?

      Excluir
    6. Caiu. Ficou com raiva e mandou cortar todas de uma vez.

      Excluir
  23. Puxa vida Bob, que tristeza!!!
    Eu passava regularmente por lá nos idos de 2001 a 2005. Realmente era uma parte belíssima da viagem SP-RJ.
    Deste o começo deste ano, passo por lá em todos os finais de semana. Sabe que eu nem havia reparado que sumiram as árvores? Não lembrava que elas existiam, pois fiquei 4 anos sem passar por lá.
    Como eu só passo durante a noite, para fugir do trânsito pesado, eu não havia notado a ausência delas.
    É realmente deplorável e injustificável o que fizeram. Está na cara de que é simplesmente para reduzir itens de manutenção da rodovia.
    É nisso que dá privatizar tudo. Nunca se foca no usuário, e sim na minimização dos custos. Falando nisso, passei recentemente pela Rio-Santos, e me surpreendi com a ótima qualidade da pista (no trecho do estado do RJ) para uma rodovia federal não pedagiada. No trecho do estado de SP, não é ótima, mas ainda é boa.

    ResponderExcluir
  24. aqui na minha cidade num trecho da br 290 também tinham arvores, parecia um tunel verde e algum engravatado mandou cortar tudo, virou lenha. lindo trecho que se foi muitos caminhoneiros entrava ali para almoçar e descansar já que ficava num meio de um longo trecho sem que existam postos de combustíveis(cerca de 100Km)

    agora se eu tenho uma arvore no patio e mesmo se ela represente perigo ao meu imovel ou de terceiros ou até as pessoas, é uma burrocracia para simplesmente podar...fora as taxas...

    ResponderExcluir
  25. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  26. Não dá para acreditar!!! Sempre que passava neste agradável trecho da Dutra, principalmente sob chuva forte, realmente vinha uma certa apreensão de que um galho mais pesado se partisse, mas...será que os imbecis responsáveis por isto nunca ouviram falar em poda??? Certamente, mas para cortar, só se gasta uma vez, e só se tem um trabalho, ao passo que podar...E quem autorizou, e sob que "irrefutáveis" argumentos? Já vi extremismos onde o traçado de uma via foi modificado para poupar uma única árvore, e até caso de árvore mantida no leito carroçavel, apesar do enorme risco de acidente, então, para poupar tantas árvores e manter a beleza desta "alameda", o Ibama ou seja lá quem autorizou, devia ter sido bem mais rígido. Podem apostar que estou muuuuuuuuuuuuuito longe de poder ser considerado, mas como bem definiu o Bob, CRIME!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha mensagem acima, leia-se "longe de poder ser considerado um eco-chato".

      Excluir
  27. Lorenzo Frigerio15/11/12 18:10

    Na certa, algum "apparatchik" alegou que um carro poderia bater numa dessas árvores. Cortá-las é mais barato que colocar guard-rail.
    Acho que ainda na gestão da MarTAXA, um desses inúteis aqui em São Paulo resolveu "harmonizar" a av. Vieira de Carvalho, no Centro, e removeu tipuanas de mais de 40 anos para substituí-las por mudas de paus-ferro... para ficar só pau-ferro... bonitinho, tudo igual. Só que nesse caso deu na imprensa e o idiota foi demitido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante16/11/12 09:51

      Cortaram figueiras centenárias da Av. Cidade Jardim para fazer aquela aberração de túnel irracional.

      Excluir
  28. Lorenzo Frigerio15/11/12 18:19

    Outra desculpa clássica é: "Deu cupim".
    Claro, deu cupim em uma então cortem-se todas!
    Certamente, inspecionar e podar as árvores de vez em quando não faz parte do vocabulário dessa raça.
    Quando eu era garoto no Jardim Europa, em São Paulo, ainda nos tempos do prefeito Faria Lima, as árvores passavam por podas regulares.
    Hoje, você fica impestiando a subprefeitura por dois anos seguidos até mandarem uma equipe para podar apenas a árvore na frente da sua casa, e mesmo assim fazem apenas uma "coiffure" nela, tiram só as pontas, porque "o Secretário proibiu podas radicais".
    Isso quando a subprefeitura e a Eletropaulo não fazem você de bola de pingue-pongue.
    Nunca canso de dizer: o mal deste País é a COLONIZAÇÃO PORTUGUESA: vamos cimentar tudo, porque assim não precisa cuidar dessas plantas, ora pois!

    ResponderExcluir
  29. São uns FDP do kralho, Bob

    Aqui em BSB fizeram a mesma cagada!

    Bob, parabéns e muita saúde.

    ResponderExcluir
  30. Não querendo apontar o dedo para ninguém, mas aquele bando de pseudo-ecologistas tiveram uma oportunidade de ouro para fazer algo realmente útil, e não fizeram.
    Aos olhos do cidadão parece algo brutal e desnecessário, mas ninguém está a par do que ocorreu para que essa decisão tenha sido tomada, o que encontrei pela internet foram apenas rumores do real motivo. Ainda assim, entristece qualquer um.
    Era muito agradável andar por aquele trecho, Há 6 anos atrás, na primeira vez que passei por ele, achei incrível, um lindo cenário. Pensei que poderia vê-lo de novo em minha viagem no mês que vem.
    Mais uma coisa boa que se vai...
    Dicieri

    ResponderExcluir
  31. Não dá pra não indignar vendo árvores sendo cortadas a troco de nada ! Elas além de renovarem o ar fornecem um clima mais ameno e agradável,sombra.

    Parabéns Bob ! Felicidades, muita saúde e muitos anos e Km percorridos de vida !

    Auto Entusiastas é meu site preferido na Internet.Venho aqui todos os dias, leio os posts e todos os comentários também, apesar de postar pouco.

    ResponderExcluir
  32. Não querendo contrariar mas já contrariando...fiz um artigo para um trabalho de pós graduação sobre o assunto. Aqui na minha região há árvores ao longo da rodovia, algumas a menos de 1 metro do acostamento. Entre out/10 e out/2012, 53% das mortes ocorridas em um trecho de 63 Kms foram em colisões com árvores.
    A partir daí fui consultar os manuais de segurança viárias e as recomendações internacionais e vi que nos EUA e na UE a recomendação é que tenha uma área livre no entorno da rodovia com largura recomendada de 9 metros. Todos os manuais e trabalhos são explícitos em considerar inadequadas vegetação de grande porte próximo a rodovia. Isso decorre do fato de mais de 50% dos acidentes ocorreram devido a saídas de pista e a desaceleração instantânea em velocidades superiores a 40 Km/h ser potencialmente perigosa a integridade física.
    Outra coisa interessante: segundos os estudos, os países subdesenvolvidos costumam jogar a responsabilidade da segurança viária somente sobre os condutores. Por outro lado, países desenvolvidos entenderam que essa responsabilidade deve ser compartilhada com os projetistas e órgãos de conservação de rodovias. Nestes estudos foi verificado que alterações como essas que ocorreu nesta rodovia têm efeito mais rápido na diminuição da mortalidade que esperar pela educação do motorista. Assim, estes países têm conseguido diminuir a quantidade de mortes no trânsito criando vias mais seguras.
    O Brasil é o 5º país em mortalidade do trânsito com prejuízos superiores a 40 bi anuais em acidentes. Uma das ações recomendadas para diminuir estes índices, conforme o programa para redução de mortes para década 2011-2020, em consonância com as ações da ONU, é a remoção deste tipo de vegetação da beira da rodovia. A recomendação é que seja plantado maciços arbustivos, de preferência com espécies nativas da região.
    A colocação de defensa é a última opção, quando há impossibilidade de remoção ou quando a sociedade aceita o risco. Isso se deve a defensa não ser tão segura como a área livre pois em colisões pode haver o retorno do veículo descontrolado para pista envolvendo mais veículos os mesmo não sendo eficiente para veículos de grande parte como caminhões e ônibus. Sem mencionar os custos...
    Por tudo isso, apesar de parecer um crime contra a natureza, a ação tem por objetivo a segurança viária e é recomendado fortemente por estudos e manuais segurança nacionais e internacionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os mesmos estudos que a CET usa para reduzir o limite de 70 km/h para 60km/h, e no mês seguinte pra 50km/h... tá tudo errado.

      Excluir
    2. Não sei o que este tal de CET usa e nem me interessa. Todo postando informação fundamentada, baseada em muitos estudos e manuais nacionais e internacionais. Quem quiser pesquisar, o google está aí pra isso.

      Excluir
    3. Caro PRF Matheus
      Tudo bem?
      No dia 7 de abril de 1968 Jim Clark morreu quando seu Fórmula 2 saiu de pista na reta do circuito de Hockenheim, Alemanha, e atingiu uma árvore. Como fizeram para evitar novos acidentes desse tipo ali? Instalaram defensas metálicas. Nos trechos montanhosos, como se evita que veículos – de qualquer porte – despenquem abismo abaixo? Colocando defensas. Portanto, apesar do mérito do seu trabalho de pós-graduação, dizer que defensas podem ocasionar ricocheteio de veículos que as atinjam é um exagero absoluto. Tenho certeza de que a sociedade aceita esse “risco” sem pensar duas vezes, ao receber em troca uma linda rodovia arborizada como era naquele trecho. Sobre acidentes, não tenho estatísticas, mas me parece que os que ocorreram ali foram resultado de engavetamento e não saída de pista, quanto mais considerando a baixa e ridícula velocidade-limite de 110 km/h na rodovia praticamente toda. Certamente os defeca-regras que recomendam, nos manuais de segurança, e os da ONU, sem terem mais o que fazer, se põem a escrever besteiras como área de escape de 9 metros nas rodovias. Aliás, seria bom você e quem compartilha dessas idéias estapafúrdias avisarem os alemães que as Autobahnen estão erradas e são perigosas devido às defensas metálicas. Portanto, caro PRV Matheus, foi cometido, sim, um crime contra a natureza, contra o cidadão-usuário da rodovia e, sobretudo, contra o bom senso.

      Excluir
    4. "Defeca-regras"... épico... risos!

      Bob, não vou dizer que você é um super-herói e infalível, mas gosto de que não tenha não-me-toques de ir contra a corrente.

      Parabéns.

      Excluir
    5. Caro Bob,

      as defensas são utilizadas em precipícios e taludes pq não há outra opção. No local do meu estudo são mais de 60 Kms de árvores exóticas plantadas ao lado da rodovia. É praticamente inviável colocar defensas em toda a extensão.
      Quanto ao ricochete, não há exagero nenhum, é uma possibilidade. Já verifiquei "in loco" tal situação e é citado em estudos. Mas se querem colocar 1000 km de defensa pra preservar árvores exóticas, por mim que coloquem. Meu trabalho não é promover o corte ou preservar árvores. Apenas levantei dados locais e verifiquei os manuais de engenharia e estudos técnicos daqui e de fora. Aliás, o limite aqui é ridículos 80 e ainda ocorre tudo isso...ah, e sou adepto das defensas tb, desde que com certa razoabilidade.
      Árvores de grande porte são até recomendadas na faixa de domínio de rodovias, mas em distância considerada segura. Ela tem a função de fortalecer o solo do entorno e retirar o excesso de água do solo.
      Quanto aos estudos, realizados na grande maioria por engenheiros, não sei o que te qualifica para desqualificá-los. Na verdade não conheço tua formação. Deveriam então fechar as faculdades de engenharia, já que os "defeca-regras" não sabem o que estão escrevendo e ainda segundo o camarada mais acima, vão acabar com a humanidade pois vão contra a seleção natural....rsrsrs.

      Excluir
    6. Só um complemento. Nunca estive numa autobahn mas pelo vídeos que já vi as área laterais são normalmente livres usando-se defensas em locais com cruzamentos, pontes, etc. Nunca vi vegetação de grande porte na beira de uma autobahn (não significa que não tenha, apenas nunca vi), pelo contrário, há vegetação de pequeno porte ou grandes descampados. No centro da pista sim, sempre há defensas, mas são usados como separadores e não há outra opção.

      Excluir
    7. Matheus, o problema é que esses estudos não são de engenheiros e sim de gente com agendas políticas que se mete a fazer estudos de pouca seriedade com compromisso de inventar verdades convenientes exclusivamente as suas causas. Isso acontece com tudo, inclusive com o trânsito onde existem estudos e gente que de forma "cientificamente comprovada" afirmam que carros não deveriam andar a mais que 40 quilometros por hora, pois qualquer coisa acima disso é um risco à segurança

      Em Autobahns é comum se ter vegetação pesada perto das pistas e nos canteiros centrais e os defensers são usados SEMPRE por toda a estrada, até mesmo para evitar o risco de animais cruzando a pista (que seria uma situação catastrófica nas altas velocidades). Se você viu um trecho sem defenser então não é autobahn e sim estradas paralelas a autobahn, que contam com velocidade limitada

      O estudo que você comentou pode até ser sério, caso a questão dos 9 metros seja levada como recomendação ou um cenário ideal. Dizer que toda estrada tem que ser assim seria ridículo, nem autódromos contam com 9 metros de área de escape por toda sua extensão

      Excluir
    8. Contra acidentes, basta DIRIGIR. O Bob e muito estão aí pra provar, guiou muito carros de uma época de pouca segurança ativa e passiva, e certamente rodou por estradas que os defeca-regras se acidentariam de triciclo infantil.

      Não se esqueça, vc é peça mais importante para a evitar ou diminuir as consequencias de um acidente.

      Excluir
    9. Em 1968 Bob. O mundo mudou desde então e os conceitos de segurança também. É só ver o qunato mudou nas medidas de segunça da F1 para se ter ideia. O que ra absurdo antigamente, fazer áreas de escape de asfalto, hoje é o que se tem de mais seguro, enquanto que medidas como caixas de brita e telas, que já foram a última palavra, hoje são consideradas perigosas.

      Excluir
    10. Desculpem o palavrão, mas put@ merd@ para esse povo! O cara faz um estudo técnico, um artigo de pós graduação, baseado em normas internacionais e vem um monte de donos da verdade, com as teorias mais escrúxulas, tipo "que esses estudos não são de engenheiros e sim de gente com agendas políticas", ou que em 1968 usaram defenças não sei onde. Pára, né?
      Típico comportamento do brasileiro, qe acha que conhece de tudo, dá palpite em tudo, desmerece quem estudou e é qualificado para a função. Adoram dar uma de tecnico de futebol, de médico, de engenheiro, de advogado, mas não conhece de nada.
      Se querem contestar o trabalho do cara, que façam em bases técnicas, que façam como ele um trabalho de nível científico, não na base de achismo.
      Matheus, se possível disponibilize o PDF do seu artigo, pois gostaria muito de lê-lo.

      Excluir
    11. Anônimo 20/11 13:46
      Quem se sente inseguro dirigindo num trecho arborizado como aquele não deveria ter o direito de dirigir. Era totalmente seguro.

      Excluir
    12. Se vc tomar como perspectiva que todo acidente ocorre por conta do acidentado vc têm razão. Mas você é um piloto profissional, que sabe os limites do carro e tem amplo conhecimento sobre pilotagem. Mas no mundo "real" não é assim. Eu me sinto inseguro de dirigir em alta velocidade (em razão do serviço) em uma rodovia de pista simples como a que eu trabalho, cheio de motoristas medíocres metidos a piloto e com árvores de mais de um metro de diâmetro a menos de um metro do acostamento, ainda mais tendo que fazer isso numa Blazer.

      Quanto ao anônimo das 14:03, meu email é matheus.damiao@dprf.gov.br. Fique a vontade de entrar em contato.

      Bob, lembrei-me de um acidente que eu atendi ano passado. Um kadett entrou em uma em velocidade excessiva, entrou no acostamento, bateu no guardrail, voltou para pista e colidiu quase frontalmente com um caminhão. Os tripulantes, que estavam sem cinto foram arremessados para fora, sendo que a passageira vou pelo para brisa batendo a cabeça no tanque de combustível do caminhão. Uma cena horrenda. Para ver como o efeito "ricochete" não é exagero. Aqui achei um link de um blog sobre o fato:

      http://noticiasdemata.blogspot.com.br/2011/11/blog-post_9924.html

      Em outro acidente aqui, a mulher de um deputado estadual dormiu ao volante, colidindo com uma árvore das que vos falo. Ela sobreviveu, ele, que era passageiro, morreu. Ou seja, a vítima nem sempre é a culpada pelo acidente.

      Só como curiosidade, um acidente como aquele do kadett custa ao país aprox. 1,5 milhão.

      Excluir
    13. aqui tem outras fotos do fato:

      http://www.novapauta.com/2011/11/fotos-do-acidente-em-jaguari.html

      Excluir
    14. matheus damião,

      Isso reforça a minha teoria de que o cinto não deveria ser obrigatório, já que a grande maioria não o usa.

      Simplesmente em casos de acidentes como o relatado por você, o motorista assumiria toda a culpa e é claro, pagaria por isso. E tanto o seguro e o DPVAT deixariam de ser pagos e todas as despesas cairiam sobre o motorista se vivo, ou aos parentes se morto no acidente.

      Chega de imposição disso ou daquilo. É preciso por na cabeça das pessoas que o cinto salva vidas e se ele e os passageiros deixarem de usá-los pagarão caro por isso.

      Obs.: Não me apraz ver fotos ou vídeos de acidentes.

      Excluir
    15. Você não tem competência para determinar quem ou não tem direitop a dirigir Sr. Sharp. Isso compete aos Detrans estaduais.
      Além disso, não foi isso que foi dito do post. Se não entendeu, releia. Se continuar a não entender, eu explico.

      Excluir
    16. Matheus e o outro anônimo que xingou os outros, saibam que estudos técnicos realizados por engenheiros não são à prova de falhas. Engenheiros são bons com números e com variáveis físicas, mas no caso em questão há outras variáveis envolvidas: pessoas, árvores, animais, clima etc. Só o simples fato de a principal variável em questão seu uma pessoa ( O MOTORISTA ) já desqualifica totalmente sua formação como engenheiro para ter a última palavra nas medidas tomadas em relação ao fato em questão.
      Sou Economista e posso apontar diversas falhas em relação ao seu estudo. Creio que falta um bom economista em seu departamento Matheus. Assim como deve faltar bom-senso e outros profissionais que seriam de bom uso para a sociedade.
      Já ouviu falar em seleção-adversa e risco-moral? Pois é, nesse caso a variável "pessoas" é a principal. Se vc retira todos os pontos de referência na estrada e abre enormes áreas de escape, vc está convidando os motoristas a correrem mais e a terem uma percepção distorcida da realidade. Sem falar que, se o ambiente é agradável, as pessoas ficam mais calmas e não querem fugir de lá a qualquer custo.
      Trata-se de uma decisão social com custos e benefícios, na qual os usuários deveriam ser consultados. Tenho certeza que a decisão dos engenheiros seria totalmente refutada pelas pessoas de bom senso.

      Excluir
  33. Neste link tem um crash test de um Fiat Panda a 70 Km/h com objeto fixo:

    http://www.youtube.com/watch?v=CZWlWXUaTwI

    ResponderExcluir
  34. Angel Pinheiro16/11/12 02:21

    Olá, Bob.

    A primeira reaçao ao ler isso é a de querer chorar. Acho que só os mais velhos percebem a importância de um cenário como esse na qualidade de vida. Tenho 38 e... tive o privilégio de conviver, diariamente, por... 35 anos com 25 quilômetros de corredor de eucaliptos, altíssimos, do distante Gama para a Esplanada, centro de Brasília. Era lindo e restam muito poucos pois foram derrubados por serem "velhos" ou para dar visibilidade a bairros "comerciais".

    Agora fazem uma reforma na estrada e na BR a qual se liga para implantarem um transporte público de excelência, o VLP, com direito a corredor nao apenas exclusivo, mas separado do fluxo de veículos, inclusive com viadutos cativos. Um luxo... mas que a meu ver saiu caro demais. O excesso de veículos e os respectivos riscos derrubaram meus 25 quilômetros daquela sombra intermitente no rosto ao por-do-sol... e os ares de interior se vao. No mais, venha conhecer o Gama, Bob! pra quem gosta de dirigir, o caminho, o tempo de percurso, a velocidade... podem surpreender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eucaliptos com mais de 30 anos são velhos mesmo, podem cair com qualquer vento, uma pena que não plantaram novos eucaliptos para substitui-los.

      Excluir
    2. Falando em Brasília, não só esta via como em todas as outras praticamente arrancaram as arvores como desculpa de "finalizar" o "acidente" e pelo absurdo da justificativa de "planos viários futuros"- 15 anos antes do que existe atualmente. E sim, Brasília esta uma porcaria de viver, horrível, nada funciona e super lotada de pessoas e carros. Foi o tempo de cidade modelo e planejada.

      Excluir
    3. Fala-se tudo em segurança, menos do motorista... A culpa nunca é da falta de técnica de dele. Agora a culpa é das árvores...

      Excluir
  35. Como que é o clima nessa região?

    Nas serras do Sul quando venta forte (>60 km/h) pode se preparar para tirar galhos e troncos da pista...

    Só que a geração mais velha respeita a natureza e sabe que as árvores estão ali e podem cair, porque é da natureza delas. Só os mais novos que querem cortar tudo...

    ResponderExcluir
  36. O Brasil esta conseguindo ganhar cada vez mais em todos os sentidos o primeiro título de país idiocrata.

    ResponderExcluir
  37. Corsário Viajante16/11/12 09:54

    Além do mais, brasileiro odeia árvore.
    Canso de ouvir gente falando que "tem que cortar todas estas árvores, não servem para nada e ficam sujando tudo com folhas".

    ResponderExcluir
  38. Em Brasília fizeram isso com todas as estradas park que cruzam o Distrito Federal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 16/11/12 10:47
      Foi mesmo, fizeram isso? Que idiotas, que gente horrorosa!

      Excluir
  39. Meu Deus, isso chama-se assasinato, é por estas e outras atitudes de nossos governantes que me leva a não acreditar mais nesse país :(

    ResponderExcluir
  40. E a prefeitura da minha cidade não deixou eu tirar a arvore da frente da minha casa, mesmo eu me compromentendo a plantar outra... Eu só não queria aquela arvore, que veio com a casa quando comprei... Queria fazer um projeto paisagistico, colocar a arvore mais avançada para ter espaço para pedestres (hoje essa arvore esta ao meio da calçada, o que impede a passagem) mas não, disseram que a arvore esta saudavel, é nativa, e etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, na hora do cidadão comum precisar tirar uma árvore com bons interesses (e não apenas querendo fugir de custos e processos sem nem ao menos fazer replantio) os eco otários não deixam nem mexer de lugar a porcaria da árvore. Na hora que pode ter processo pra cima deles e que tem interesse economico aí pode arrancar tudo

      Excluir
  41. Eu sei. eu sei... Concordo. Mas (caixa alta mesmo) SALVEI DUAS VIDAS: Rodovia Sto. Antônio Pádua (RJ) X Além Paraíba (MG) (caminho alternativo ES X RJ). 2003 era o ano. Verão. Voltando de férias do ES p/ RJ, TEMPESTADE ABSURDA. Final de tarde. Linha de eucaliptos JUNTO à rodovia. EU PAREI num posto antes dessa linha. Mas antes quer dizer JUNTO. EU VI quando o eucalipto caiu INTEIRO no leito da estrada. A TEMPESTADE derrubou uma árvore inteira sobre a via. Corri, debaixo de chuva, para a beira da estrada (e do posto) e SINALIZEI para o primeiro carro (era um caminhãozinho MB 608, conhecem, né?) com o pai e filho na cabine.
    Eles pegariam EM cheio aquela tora de eucalipto deitada na estrada. Sinalizamos para os demais carros, até arrefecer o trânsito (paramos tudo, claro!)
    É complicado: Passei muitos anos de minha vida no trecho RJ/SP. Conheci aquele trecho muito bem.
    ... E o pior AQUELE RETÃO de Resende, podendo ter uma velocidade de 120 km/h, está CHEIA de radares fixos limitando a 80, 90 e 100 ( são vários com diferentes limites) numa reta maravilhosa!
    Marcos - Guarapari/ES

    ResponderExcluir
  42. ... E continuo o Comentário: PARA O Bob Sharp.
    Eu entendi e VI ( passei lá em setembro) o que você relata aqui. E também entendo sua indignação.
    Mas, sabe o que me deixou INDIGNADO, REVOLTADO MESMO:
    Lembra no final desse belo retão de Resende? Uma subida? Uma ponte com arcos (sentido SP/RJ)?
    Pois bem: Aquela BELA ponte com arcos foi demolida. A css Dutra informou com antecedência o fechamento da ponte, para a demolição e construção de uma nova ponte.
    OK?
    Não!! Ok nada. Fecharam a ponte, avisaram que iriam IMPLODI-LA. MARCARAM A DATA e HORA.
    Sabe o que aconteceu? AINDA ASSIM MORREU um operário no momento da implosão!
    O quê é isso, Bob? Morrer um operário na implosão da ponte? Com hora marcada? Que planejamento foi esse??
    Adorava aquelas árvores do retão de Resende, mas o que eles fizeram com o operário não vale uma folha de qualquer daquelas árvores.Daquela bela reta!
    CLARO que uma coisa não JUSTIFICA NEM EXPLICA OUTRA, OK?
    É o Marcos de Guarapari novamente

    ResponderExcluir
  43. Marcos
    Na viagem, antes entrar no retão e ver a barbaridade da falta das árvores, comentei com o Josias Silveira, da Oficina Mecânica, que estava comigo, que haviam demolido a bela ponte em arcos, outro absurdo. Aquela ponte era como um símbolo da estrada! Quanto mais que uma pessoa perdeu a vida na implosão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ponte foi demolida pois sua estrutura estava comprometida e nção suportava os esforços, não por mero capricho.
      Quanto aos operários, dois morreram 6 horas depois da implosão de ponte, quando destroços da ponte cairam sobre eles nos trabalhos de limpeza.

      Excluir
  44. Aumentou a segurança naquele local, mas para isto foi necessário destruir uma paisagem belíssima. Na minha opinião, poderiam ter construído um desvio ou reduzir a velocidade limite naquele trecho, mas optaram pela solução mais simples.

    Se naquela região não tivessem deixado existir uma paisagem tão bela e se um grupo de ecologistas estivesse alertando sobre a degradação do meio-ambiente, causada pela devastação de áreas verdes, poucos entenderiam a gravidade do problema.

    Parabéns pelo post! Uma imagem vale mais que mil palavras, mais que mil manifestações de ecologistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada disso, Adilson. Bastava encher o lugar de guard-rails e tudo estaria resolvido. A solução vai meio que admitindo que o motorista brasileiro não tem mais jeito, então o negócio é tirar tudo o que puder da frente dele.

      Excluir
    2. Instalaram guard rails, cuja função deve ser a redução de velocidade ao ser destruído por caminhões desgovernados.

      Excluir
    3. Pois é Adilson, para você ver que às vezes nós, os monstros usuários de carros, sabemos da importância de respeitar os outros (inclusive as árvores) e que podemos ser até mesmo os únicos a acusarem uma situação como essa, enquanto que os anti-carros e os ativistas ecológicos que deveriam aí sim fazer sua função nada manifestaram. Talvez seja melhor e mais comodo para esses simplesmente fazer teorias furadas e protestos no quadrilátero de luxo de SP, colocando sempre a culpa no carro, do que realmente ter bom senso e se dar o trabalho de protestar quando e onde realmente existe algo em jogo

      A perda desse trecho vai ser sentida pelos autoentusiastas, que apreciavam a paisagem da região e os benefícios para todos das árvores. O aspecto da segurança ali era meramente uma questão de manutenção das árvores e da instalação de guard rails (que já existiam em parte do trecho). Foi mais fácil e barato para a administradora da estrada e do ibama simplesmente remover as árvores, com medo de que pudessem ser processados pela falta de manutenção

      Excluir
    4. Não sou especialista no assunto, mas acho que defensas metálicas necessitam de área de escape para ser utilizada por veículos desgovernados ao serem destruídas. Portanto, não faz sentido ter obstáculos imediatamente após esses dispositivos de segurança, pois seu principal objetivo é desacelerar veículos fora de controle.

      Quanto a lamentável perda do trecho arborizado, há diversas áreas verdes urbanas e rurais sendo destruídas para dar lugar ao carro, o qual necessita de pavimentação adequada para movimentar-se. O trecho arborizado do "retão" de Resende foi apenas mais um empecilho no meio do caminho do carro, o grande devorador de espaço.

      Excluir
    5. Pois é, o carro passava por ali sem necessidade de cortar essas árvores. Mas ainda assim ele é sempre o culpado e nenhum outro meio de transporte precisa de pavimentação adequada e de espaço livre, só ele

      As áreas de escape já existiam com as árvores ali e continuam do mesmo tamanho com sua retirada. Em caso de destruição dos defensers, as árvores ajudariam a reter o veículo (evitando que ele desça morro abaixo, ficando tudo ainda mais perigoso). Destruir um defenser é algo difícil de acontecer também, precisa de muita força para isso (talvez um caminhão consiga). Portanto essas arvores só eram empecilhos para os vagabundos dos ecochatos, da administração da estrada e do ibama, que só sabem cobrar taxas e impostos e impertinar os usuários de carros, mas na hora da defesa do meio-ambiente de verdade não falam uma puta de uma palavra e ainda permitem que algo assim aconteça

      Excluir
    6. De acordo com o blog Resende Afora, citado por Bob Sharp neste post, a Amar (Agência do Meio Ambiente de Resende, instituição composta de ecologistas, eventualmente apelidados de ecochatos) solicitou ao Ministério Público Federal uma apuração sobre o incidente ocorrido nos municípios de Resende e de Porto Real.

      Todo veículo de transporte necessita de adequação do meio a ser utilizado durante sua movimentação. Essa adaptação e o impacto no meio-ambiente variam em função do comportamento natural dos veículos que utilizam ou utilizarão aquele espaço. Portanto não existe almoço grátis, se queremos usufruir do conforto e da segurança existentes no transporte moderno, teremos que entender, avaliar e infelizmente aceitar o impacto que isto pode causar ao nosso cotidiano.

      Excluir
    7. Pois é, porque o Ibama simplesmente não bloqueou o corte das árvores no lugar de autorizar? E porque a tal Amar, com certeza com poder suficiente, não bloqueou o ocorrido ANTES de isso acontecer? Porque os ecochatos continuam colocando a culpa de tudo no carro sendo que dessa vez foi clara a culpa da falta de atitude deles?

      Desviar do assunto e falar palavras de fuga é fácil, encher o saco dos usuários de carro é fácil, difícil é cumprir o papel verdadeiro da ecologia na hora certa.

      Excluir
  45. Olhe os airbags que vão equipar os carros nacionais:

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=uEYExJhYbg8

    ResponderExcluir
  46. Uma pena, mesmo. Total falta de senso.

    Esse retão, aliás, era uma delícia para dirigir. Há uns 10 anos atrás eu era Oficial do Exército, servia na AMAN e quando fazia Rio-Res todo final de semana as vezes colocava 180 km/h nessa reta no meu Golzinho Geração III 16v aspirado, tudo da forma mais absolutamente tranquila e segura.

    abraços,

    Bruno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como diz na propaganda da Ipiranga: muito bom, muito bom!

      Excluir
  47. Bruno
    É claro, não havia problema algum. E o retão arborizado era puro relaxamento, não era?

    ResponderExcluir
  48. ... e se eu arrancar um arbusto da frente da minha casa, vou preso por crime inafiançável.

    Isso é braziu.

    ResponderExcluir
  49. Um absurdo mesmo. Como os pedágios estratosféricos da Dutra.

    ResponderExcluir
  50. Isto é coisa dos mesmos inteligentes que ficam colocando a culpa nos postes quando alguém bate neles

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o poste for instalado no lugar inapropriado, não deixa de ser.

      Excluir
    2. Mas Anônimo 21/11/12 22:32: onde ficam os postes? Nas calçadas, canteiros centrais...no mesmo lugar onde ficam as árvores, e estão fora da via. Se nós retirarmos árvores e postes porque alguém "resolveu" bater neles, no próximo acidente este indivíduo que se acidentar vai entrar é em alguma casa a dentro. Vamos retirar as casas também? Ou vamos ter que ter áreas de escape como se estivéssemos em um autódromo?

      Excluir
  51. Anônimo 21/11/12 20:37
    Perfeito! É exatamente isso!

    ResponderExcluir
  52. Concordo com a retirada das arvores. O ato visa evitar acidentes. Sempre tenho medo ao passar em estradas com arvores, elas escondem buracos e podem cair!
    Não ter ocorrido acidente ainda não é desculpa para não retirar. No dia que ocorresse um acidente iam dizer: por que não tiraram as arvores antes de um acidente?
    Aqui no Brasil é dificil fazer as coisas certas, quando não se trabalha bem se critica, quando se trabalha bem critica também.
    Beleza nenhuma vale uma vida humana.
    O bem maior é a vida, mas a vida humana!
    Abs,
    Gustavo Quinderé

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...