Google+

23 de novembro de 2012

FLUENCE GT, BOAS NOVAS NO MERCADO

Fotos: autor e divulgação/Oswaldo Palermo



Sempre é auspicioso, mesmo no mundo dos não autoentusiastas, um fabricante oferecer motorização mais potente num sedã que já reunia boas características de nascença, como contemporaneidade, estilo agradável e muito espaço para passageiros e bagagem. Isso sem recorrer a "rodas-patas" e às patéticas "faixas GT".  Tudo muito bem dosado de modo a manter o traço de veículo familiar mas lembrando que quem for dirigi-lo pode ser um apreciador da condução precisa e rápida e sentirá enorme prazer em ter um espécime de alta estirpe nas mãos. Pagando por ele relativamente baixos R$ 79.370,00. 

É o que acontece com o novo Renault Fluence GT, com motor "inflex" da marca e não da aliada Nissan, como no Fluence disponível até agora, o 2.0 16V.  É turboalimentado e também de 2 litros, desenvolve 180 cv a 5.500 rpm e torque de 30,6 m·kgf a 2.250 rpm, números com gasolina comum. A Renault diz que potência e torque sobem com gasolina Premium, sem informar para quanto.

Linhas que já podem ser consideradas clássicas

Bloco de ferro fundido, cabeçote de alumínio, duplo comando por correia dentada, variador da fase na admissão (44° de faixa) e quatro válvulas por cilindro atuadas por alavancas-dedo roletadas, com fulcrum hidráulico, descrevem o motor, que funciona mais suavemente do que a relação r/l 0,322 sugere (biela de 144 mm). O corte de rotação é a 6.300 rpm, do tipo limpo. 

São números bem superiores aos do Fluence com motor de aspiração atmosférica, de 143 cv a 6.000 rpm e 20,3 m·kgf a 3.750 rpm com álcool (este é flex), que dão vida nova ao francês fabricado em Córdoba, na Argentina, desde o final de 2010. A aceleração 0-100 km/h é em 8 segundos e chega a 220 km/h, sendo esta velocidade limitada.

O motor, importado da França, é o mesmo do Mégane TCe 180 francês, lançado em julho de 2009 e reestilizado em Genebra este ano. O motor faz parte do conceito TCe (Turbo Control effciency), valendo-se da experiência da Renault em turboalimentação. A linha compreende o TCe 100, o TCe 130 e o TCe 180, todos sob a chancela Renault Sport que, com o Fluence GT, inaugura sua presença no Brasil. O turbocompressor é um Garrett de dupla voluta, com interresfriador, e a sobrepressão é de 1 bar (2 bar de pressão absoluta na admissão).


Torque sobe rápido, mostra a linha vermeha

Outra boa notícia é a Renault ter decidido por câmbio manual de seis marchas, abrindo mão da "preferência nacional' por câmbios automáticos de que tipo for. É um seis-marchas plenas – 5ª vai a 200 km/h e na velocidade máxima o motor está a 4.800 rpm em 6ª, ou seja, a 120 km/h são sossegadas 2.600 rpm. E ainda traz o bônus da ré sincronizada que garante engrenamento rápido sem desagradáveis arranhadas.

A apresentação foi na Fazenda Capuava, a exemplo de tantos outros lançamentos da indústria, onde se podem explorar os limites à vontade (especialmente pelo fato de o diretor de comunicação Carlos Henrique Ferreira, como fazia nos seus anos de Fiat, determinar que não sejam colocadas chicanas para limitar velocidade). É um circuito algo travado, que não permite velocidades elevadas, mas que dá muito bem para avaliar qualquer carro.

Visual diferente mas prático, com o velocímetro digital (foto Oswaldo Palermo)

As mudanças no veículo foram contidas. O eixo traseiro de torção tem maiior resistência torcional e os amortecedores tiveram pequeno aumento de carga; a altura de rodagem não mudou. Foram adicionados elementos aerodinâmicos discretos, como defletores dianteiro e traseiro (na borda da tampa do porta-malas), e minissaias. Freios e pneus 205/55R17V (Continenal ContiPremium Contact 2, estepe de aço com Pirelli P7 205/65R15H) permanceram iguais aos da versão de aspiração atmosférica. Pelo comportamento observado na pista, decisão acertada, embora estivessem inflados a 40 lb/pol², aconselhável naquela condição de uso.

O Fluence GT é bom de ser dirigido com vigor, o comportamento praticamente neutro, raras vezes exigindo trazer a traseira de volta. A resposta de direção é convincente mesmo sem pneus exageradamente largos. Carro tanto para piloto quanto para motoristas, com bom punta-tacco e apoio definido para o pé esquerdo, e dócil para ser usado normalmente. Os bancos dianteiros recepcionam bem e ajudam a manter o corpo nele.

Ambiente "profissional", tudo no jeito que deve ser

Há controle de estabilidade e tração desligável para quem quiser passar dos limites e fazer ele/ela mesmo as correções, mas tem mais aplicação com piso escorregadio. No seco e numa pista como a do circuito da Fazenda pouca diferença faz. Os freios a disco nas quatro rodas cumprem seu papel à perfeição. E para não ser perder – no rumo, não no carro – um navegador GPS Carminat TomTom integrado ao painel com tela em cores de 5 polegadas.

Rápido e fácil de dirigir

Com peso de 1.341 kg, a relação peso-potência é de 7,45 kg/cv. Como a 1.500 rpm o torque já é de 24,5 m·kgf, 80% do máximo, já se conta com 51 cv, e daí para frente a potência vem rápido. Não é carro esporte, mas agrada muito. Especialmente pelo ambiente do posto do motorista, com conta-giros analógico à esquerda e velocímeto digital à direita, arranjo que, se não é o mais bonito, me agrada cada vez mais. É bater o olho e saber a quanto se está. Na área do velocímetro estão os medidores de combustível e tempertura da água. E à direita dele, o mostrador multiinformação do computador de bordo. Todos esses instrumentos estão bastante próximos, num estreito campo visual, bem fácil de lê-los num relance.

No conta-giros o ponteiro fica na vertical a 6.000 rpm e há nele um seta indicadora de troca de marcha para cima que se acende a 5.500 rpm, a rotação de potência máxima. Mas a indicação é adaptativa, a seta acende-se em rotações inferiores e se adapta ao estilo de dirigir. E sugere reduzir também (outra seta, para baixo), caso a rotação esteja baixa demais. O volante de três raios e 370 mm de diâmetro está na medida certa.

Pode não ser elegante, mas é prático e fácil de ler a velocidade com velocímetro digital

Os espelhos externos são generosos e o esquerdo é asférico, com linha divisória das duas curvaturas, e neles estão repetidoras dos indicadores de direção. Só falta, mais uma vez inexplicavelmente, a faixa degradê no pára-brisa.

No banco traseiro, bom espaço para três na largura e no espaço para pernas, com cinto de três pontos e apoio de cabeça para todos. A distâcia entre eixos de 2.700 mm ajuda. O encosto do banco, como na maioria dos sedãs atuais, é rebatível para aumentar o espaço de bagagem.

Como dito no início, o Fluence GT se encaixa à perfeição nas necessidades de quem busca um sedã com alma esportiva e visual discreto, em que única identificação é um pequeno emblema GT-Renault Sport na tampa do porta-malas lado direito.

Única idenficação externa do modelo

Dentro do empenho da fábrica em construir sua imagem no mercado brasileiro, a garantia é de três anos ou 100.000 km, com revisões e troca de óleo a cada 10.000 km e a preços nacionais pré-definidos. E só há três cores, as essenciais e extremas branco Glacier, preto Nacré e vermelho Fogo. Fico com a primeira...

Um vídeo do Fluence GT na pista:




BS



FICHA TÉCNICA FLUENCE GT


MOTOR
2,0-L, 4-cil. em linha, bloco de ferro fundido, cabeçote de alumínio, transversal, 16V, duplo comando no cabeçote acionado por correia dentada, turbo Garrett de dupla voluta com interresfriador, pressão de 1 bar, acionamento de válvulas indireto por alavancas roletadas, compensador hidráulico de folga, gasolina
Cilindrada
1.998 cm³
Diâmetro e curso
82,7 x 93 mm
Taxa de compressão
9,5:1
Potência máxima
180 cv a 5.500 rpm
Torque máximo
30,6 m·kgf a 2.250 rpm
Formação de mistura
Injeção eletrônica no duto
TRANSMISSÃO
Câmbio
Transeixo dianteiro de 6 marchas mais ré
Relações da marchas
1ª 3,90:1; 2ª 2,10:1. 3ª 1,48:1; 4ª 1,10:1, 5ª 0,89:1; 6ª 0,70:1
Relação de diferencial
3,76:1
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço inferior triangular, mola helicoidal, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor hidráulico e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado de 280 mm Ø
Traseiros
A disco de 260 mm Ø
Controle
ABS, EBD e auxilio à frenagem
CARROCERIA
Monobloco em aço, sedã 3-volumes subchassi dianteiro, quatro portas, cinco lugares
CAPACIDADES
Porta-malas
530 litros
Tanque de combustível
60 litros
PESOS
Em ordem de marcha
1.341 kg
Carga útil
430 kg
DIMENSÕES
Comprimento
4.640 mm
Largura sem espelhos
1.810 mm
Altura
1.470 mm
Distância entre eixos
2.700 mm
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h
8 segundos
Velocidade máxima
220 km/h (limitada eletronicamente)
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (aproximadamente, dados da Europa)
Cidade
9,2 km/l
Estrada
16,9 km/l



EQUIPAMENTOS FLUENCE GT

ESTILO
Acabamento cromado no porta-malas
Acabamento cromado nos faróis de neblina
Acabamento cromado no painel de instrumentos
Capas dos pedais em alumínio
Defletor traseiro
Defletores inferiores dianteiro e traseiro, e saias
Grade dianteira com detalhes cromados
Interior na cor preto com detalhes cromados e preto brilhante
Maçanetas externas na cor Dark Metal
Moldura entre os vidros laterais dianteiros e traseiros na cor preto brilhante
Soleira Renault Sport
Volante de três raios com revestimento em couro e costura em vermelho
CONFORTO E COMODIDADE
Abertura elétrica da portinhola do tanque de combustível
Abertura elétrica do porta-malas
Acionamento elétrico dos vidros com antiesmagamento
Alerta sonoro de luzes acesas e de pouco combustível
Apoio de braço dianteiro
Ar-condicionado duas-zonas com saída de ar traseira
Banco do motorista com regulagem de altura
Bancos esportivos  com revestimento em couro natural e sintético, preto, com costuras em vermelho
Bancos traseiros rebatíveis 1/3-2/3
Chave-cartão com fechamento/aberturas de portas por reconhecimento
Cinzeiro "nômade" (utilizável na frente ou atrás)
Computador de bordo com hodômetro total/parcial, consumo médio e instantâneo, autonomia, distância percorrida, velocidade média e indicador de manutenção
Console dianteiro com porta-objetos e porta-lata
Controle de cruzeiro e limitador de velocidade
Espelhos externos ajustáveis eletricamente e rebatíveis
Fechamento automático de vidros e teto solar ao trancar o veículo
Iluminação externa de acompanhamento ao deixar veículo
Iluminação externa de identificação do veículo
Limpador de pára-brisa com temporizador e cadência variável inteligente
Luzes de leitura dianteiras
Painel digital
Pára-sol com espelho e iluminação nos dois lados
Porta-luvas refrigerado
Reostato de iluminação do painel
Repetidoras dos indicadores de direção nos espelhos
Retrovisor interno eletrocrômico
Termômetro do ar externo
Teto solar elétrico inclinante/deslizante com antiesmagamento
Volante com ajuste de altura e distância
SEGURANÇA PATRIMONIAL
Alarme perimétrico
Bloqueio da ignição por transponder
SEGURANÇA VEICULAR
Alerta sonoro de cintos desatados
Apoios de cabeça com ajuste de altura nos cinco lugares
Aviso gráfico de portas mal-fechadas
Bolsas infláveis frontais, laterais e dupla de cortina
Cintos de três pontos nos cinco lugares
Cintos dianteiros com ajuste de altura, pré-tensionador e limitador de esforço
Controle de estabilidade e de tração
Desembaçador do vidro traseiro
Faróis auxiliares e luzes traseiras de neblina
Faróis com duplo refletor
Faróis principais de descarga de gás (xenônio) e com lavador
Sensor de estacionamento traseiro
Sensores de chuva e crepuscular
Travamento automático de portas ao atingir 6 km/h
SISTEMA MULTIMÍDIA
Bluetooth
Comando de satélite de áuido
Comando de áudio no volante de direção
Rádio/toca-CD com MP3 "3D Sound by Arkamys", com conexão USB,. iPod e Aux, quatro alto-falantes e quatro tweeters
Sistema de navegação Carminat TomTom integrado ao painel, com controle remoto e tela em cores de 5 pol.




243 comentários:

  1. Este motor é uma versão do motor Renault F4Rt, que é usado no Mégane III. O Mégane RS Sport usa um F4Rt de 250 cv. Será que dá pra fazer alguma adaptaçãozinha? :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O gráfico mostra o torque plano até 3000rpm, e a partir daí cai praticamente num angulo constante.
      Está parecendo que foi segurado intencionalmente "no chip".
      Se for isso, precisaria saber se tem alguma diferença de peças entre o 180 e o 250, ou se é só programação mesmo.

      Excluir
    2. Apesar da sigla ser F4R nos dois, os motores são quase completamente diferentes. Aliás, os TCe não são Renault Sport na verdade e sim motores voltados para o downsizing - com proposta de combinar um pouco de desempenho e mais economia. O Megane RS, esse sim o que a Renault deveria ter trazido, usa o motor Renault/Nissan 2.0 da família M (mesmo do Sentra) com o turbo. Os GT Line usam o antigo 2.0 da Renault de família F com o turbo e como era de se esperar os resultados são muito diferentes.

      O GT Line existe também na Europa e é um fiasco. Custa quase o mesmo que o RS, dizem que bebe mais que ele e óbviamente anda muito menos como se pode ver pela diferença de no mínimo 70 cavalos. É uma versão "luxo com desempenho" por lá, como é o correto - afinal 0-100 de 8 segundos não é esportivo. O Bob classificou ela do jeito certo, mas aqui toda a publicidade e a proposta do carro é passada como de esportivo. Além disso existem grandes diferenças na suspensão que vão além de molas mais duras e amortecedores com mais carga.

      Excluir
    3. Valeu pela informação detalhada, Domingos!

      Excluir
    4. É esse motor sim. O mesmo do Megane III com 250cv. O TCe é francês.

      Excluir
  2. Se tivesse opção de cambio automático seria minha próxima compra.
    Existe alguma chance disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe sim.

      No Corolla "esportivado".

      Por favor, não estrague a festa nem dê idéias...

      Excluir
    2. Daniel
      Nao começa!
      Por favor, pare de inventar moda!

      Excluir
    3. é por isso q as montadoras (a maioria) só vendem o tópico "tomático"...

      dá idéia não...

      Excluir
    4. Por favor nããããooo!!! Automático nesse aí nãoo!!!

      Excluir
    5. Só pode ser troll, não é possível!!!
      Enfim um carro decente e manual e o cidadão vem falar de opção automática!!! P.Q.P!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      Eu não aguento!!

      Excluir
    6. Daniel
      Calado!
      Arrrrrrrrrrrrrrrrrgh!!!!

      Excluir
    7. Não é um carro que eu compraria, manual ou automático, mas acredito que venderia mais se tivesse a opção automática.

      Excluir
    8. Não tem câmbio automático, não é flex e ainda por cima é francês?
      Casamento certo, imagina para revender! Meu vizinho vai rir de mim! Não compro.
      Assinado: Gérson do Prisma Prata

      Excluir
    9. Os que louvam o manual e reclamam dos automáticos são justamente os que mais criticam a falta de opção.

      A coerência mandou lembranças hem!!! Hehehe...

      Excluir
    10. Eu entendo que aqui é um blog de autoentusiastas e apreciadores, portanto o manual agrada e tem voz. Mas o Brasil sempre foi a terra dos manuais e ninguém queria AT... agora nego reclama pq o mercado só oferece automático.

      Evolução, seleção natural, Darwin: os automáticos dominam pq pro motorista comum nas grandes cidades eles são melhores, ponto. Sou a favor da opção, claro, mas os automáticos e automatizados evoluíram muito e ficar trocando marcha é coisa de jacú.

      Só quem nunca teve um bom automático ou automatizado ou é manolo metido a autoentusiasta fica defendendo carro manual. São poucos os carros e situações que realmente combinam com câmbio manual no sentido de aproveitamento e performance. No dia-a-dia o automático rules.

      Excluir
    11. Engraçado esse pessoal defendendo o automático. Se quer automático, que vá de Fluence normal. Se quer manual, que vá de GT. Simples assim. Agora esse pessoal querendo a ditadura do automático...francamente.

      Excluir
    12. Anônimo23/11/12 17:37
      Não vou falar quem é jacú pq não estou aqui pra ofender, mas procure não falar bosta.
      Sua ultima afirmação é inválida para mim, dirigi um corolla automatico por um tempo e francamente não quero de jeito nenhum, quem tem automático deve achar que dirigir é uma coisa chata e deve dar o mínimo de trabalho possível.
      Até concordo que ninguém é obrigado a gostar de dirigir, gostar de carro ou gostar de câmbio MT, mas daí vir encher a paciência porque não tem opção AT em um carro com proposta esportiva e tendo uma versão com o maldito AT, ja acho sacanagem.

      Excluir
    13. Corsário Viajante23/11/12 18:32

      E outra, um automatizado de dupla embreagem pode obter resultados muito superiores a uma pessoa trocando de marcha, mas... Vou deixar toda a diversão para a máquina? Poxa vida, nem tudo tem que ser focado no resultado, é gostosa a "conversa" com o câmbio, até pq nem todo mundo mora em grandes centros congestionados etc etc etc etc....

      Excluir
    14. Quer desempenho sem ter que trocar marcha? Vai na VW e pede o Jetta Highline, sem drama...

      Excluir
    15. @ Corsário Viajandão:

      Seu conceito de diversão é trocar marchas? Bom... pra mim, dirigir é um ato mais abrangente. Ademais, por acaso vc dirige um esportivo em condições favoráveis? Duvido. Vc é como todos nós, inclusive o Bob (exceto quando não está testando um carro em circuito, claro): esse papinho de "piloto de trânsito" que adora ficar trocando marcha pra sentir o comando total do carro e "conversando com o câmbio" não cola, isso é viagem. Coisa de poser que gosta de ficar criticando os outros.

      Eu não me importo de trocar marchas mas sinceramente o automático me faria muito mais falta no trânsito do que essa "conversa com o câmbio". Se eu pilotasse de verdade um esportivo de verdade ainda vai. Pra visitar clientes e ir no shopping, que é nossa realidade, isso é bullshit.

      "Resultado" é uma coisa relativa. Não precisa ser performance, pode ser conforto por exemplo. VEja bem, não estou impondo nada, apenas argumentando com lógica e não com base no sonho de pilotar um esportivo puro num circuito. Aí a lógica é o manual, e mesmo assim só por diletantismo e prazer pq os automáticos hj estão muito avançados e não tiram em nada o gosto da tocada.

      Abra sua mente!

      Excluir
    16. Corsário Viajante24/11/12 14:52

      Então meu caro, vc resumiu tudo logo no começo: "PARA MIM, dirigir é etc etc"...
      Nem todo mundo precisa pensar igual. Eu gosto, e prefiro dirigir meu Polo manual que o Jetta automático do meu pai, por exemplo.
      Hoje em dia tem tanta coisa automática que eu sinto muito prazer de fazer as coisas por mim mesmo, ainda que fiquem piores que as feitas por um robô. Questão de gosto, e tenho certeza que minha esposa se incomoda muito mais com isso que você! rs

      Excluir
  3. Parece um ótimo carro! Que seja bem recepcionado pelos entusiastas!
    A Renault fez muito bem em aproveitar essa bobeada geral das fábricas em não oferecer mais um esportivo dessa classe. Tudo bem, tem o Punto, mas em termos de potência (que conta muito para o comprador "comum") fica devendo.

    Gostei do câmbio manual, assim como era do Civic Si, mas não gostei do ronco do motor... merecia algo mais especial.

    ResponderExcluir
  4. Bacana Bob !

    É o carro pra agradar a gregos e troianos, espero que este consumo continue bom por aqui, que nossa gasolina não faça o motor perecer em pouco tempo e que a manutenção não seja proibitiva como em tantos outros modelos..

    Pelo conjunto oferecido, achei o preço muito bom.

    ResponderExcluir
  5. Farjoun, será que só uma atualização do software da ECU?

    Bela opção. Fora o aspecto estranho da dianteira, que nunca me agradou, confesso que 180 cv de potência faz o aspecto visual ficar em segundo plano.

    E, como bem disse o Bob: Parabéns à Renault pela opção de câmbio manual, como deveria ser em qualquer automóvel de pretenção esportiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 70 cv com atualização de software só vem se instalar o 3_kg_pressao+injecao_direta.exe

      Excluir
  6. "Outra boa notícia é a Renault ter decidido por câmbio manual de seis marchas, abrindo mão da "preferência nacional' por câmbios automáticos de que tipo for."

    Que nada, rapaz... aqui a maioria gosta de ficar pisando em embreagem e passando marchas milhões de vezes por dia no trânsito. E torcem o nariz pra câmbios AT em geral. Se fosse nos Estados Unidos, seria realmente a preferência nacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja o poder da internet. Esse foi clicando, clicando e caiu do NA bem aqui.

      Excluir
    2. Olha aí um dos que gostam de pisar em embreagem e passar marchas milhões de vezes por dia no trânsito.

      Excluir
    3. Não entendo qual o problema de pisar na embreagem, a não ser para uma pessoa com deficiência física.

      Excluir
    4. Pois é Guilherme, além disso nem todos os potênciais compradores moram em cidades congestionadas ou utilizam o carro em congestionamentos. Que venham o Jetta TSI e o Peugeot 408 THP com câmbios manuais. O correto mesmo é ter opções!

      Excluir
    5. Guilherme, talvez seria questão de paciência, para quem pega muito trânsito?

      Sem xiitismos, tem gente que prefere automático e tem gente que prefere manual. Não precisamos tentar convencer o outro do nosso ponto de vista, cada um tem o seu e a indústria oferece opções que satisfazem os dois.

      Excluir
    6. O problema não é pisar na embreagem e passar marchas e sim fazer isso milhões de vezes por dia em trânsito congestionado de cidade grande. É uma droga até pra quem apenas vai e volta do trabalho, como é o meu caso. É um trabalho repetitivo e cansativo, que pode muito bem ser feito por uma máquina. Deveria haver a opção do câmbio automático pra esse Fluence GT. Compraria quem quisesse.

      Excluir
    7. Quem compra automático é quem quer conforto e não esportividade. De que adianta um GT de 180 cv preso no trânsito, isso não é nada esportivo. Eu concordo com a opção da Renault só trazer a versão manual pro GT. Se quer automático que fique com as versões convencionais do Fluence.

      Excluir
    8. anonimo das 13:52

      408 THP...A pegada é quase a mesma,pode crer.

      Excluir
    9. Gente, mas TEM uma opção de câmbio automático para o Fluence, e é um dos melhores automáticos possíveis, se não o melhor: Um CVT, com conversor de torque, seis marchas virtuais, associado ao motor de 2 litros e 16v de 143cv, vendido quase $8 mil mais barato que esse. ("Vendido" é força de expressão, por que a Renault até oferece, mas o consumidor prefere pagar mais caro pelo Toyota 4-marchas.)
      Com a diferença entre ele e o esportivo, pode-se comprar toda perfumaria que o esportivo tem de diferente. Ainda fica devendo o painel digital, o que é uma pena, e 37 cavalos, que não farão diferença alguma se o assunto é andar em congestionamentos que obrigariam a pisar na embreagem milhões de vezes. Leva de brinde uma suspensão mais adequada à buraqueira que essas estradas extra-cheias chamam de pavimento. Mas não tem nem T nem H na frente da grade, então o Gersinho pensa no trabalho extra na hora de vender seu sedã prateadinho e vai para a concessionária da japonesa...

      Excluir
    10. CMF, não estou tentando impor minha opinião (leia de novo meu comentário), só disse que não entendo qual o problema de pisar na embreagem.

      Se quer a comodidade do automático, tudo bem, use o que tem. Mas não creio que uma pessoa que escreve no AUTOentusiastas prefira um esportivo automático só porque é mais legal ficar preso no trânsito com ele! Até porque, acredite se quiser, nem todo brasileiro mora numa metrópole! É verdade!

      No mais, acho que a maioria aqui concordará que em um esportivo não existe nada mais frustrante que não decidir o momento em que você quer trocar a marcha.

      Defender automático tudo bem, eu mesmo tenho um! É um singelo e despretensioso Astra de 140 cv, uso comum. Defender esportivo automático (e não estou dizendo que o tenha feito) é, aí sim, fanatismo.

      Excluir
    11. Anônimo23/11/12 14:14

      "Quem compra automático é quem quer conforto e não esportividade."

      não entendo essa relação de cambio automatico com conforto, pra mim, não sei se estou errado, cambio at é conveniencia.

      Excluir
    12. E conveniência é o quê?

      Conforto...

      Agora, quem acha que AT não combina com esportividade devia dar uma volta nos Audi ou BMW dessa nova geração de motores turbinados e dupla embreagem...

      Excluir
    13. ah tá...conveniencia e conforto são as mesmas coisas ?

      tá bom, continue assim...

      a diferença entre cambios ats convencionais e com dupla embreagem tem alguns km de distancia entre eles, principalmente qdo o primeiro diz a vc o que deve ser feito e o segundo vc diz a ele.

      acho o cambio automatico bem conveniente e o manual muuuuito mais confortável !!!

      Excluir
    14. Conveniente

      1 que é apropriado, oportuno
      ‹ palavras c. naquelas circunstâncias ›
      2 que traz vantagem; útil, proveitoso, vantajoso
      ‹ negócio c. ›
      3 que facilita; cômodo, favorável
      ‹ para ele, é c. trabalhar de manhã ›

      Comodidade, conforto, conveniência... Pura questão de semântica. Na prática, conveniência gera conforto e portanto se equivalem.

      NÃO continue assim rss....

      Excluir
    15. Ambos podem ser convenientes e confortáveis. O conveniente é o "adequado" e pode ou não ser confortável (ex. na estrada livre o manual é conveniente e tb confortável, no trânsito é apenas conveniente porém desconfortável - ou menos confortável, como dirão alguns).

      Já o conforto é obrigatoriamente conveniente, pois o conforto tem como premissa a utilidade, a adequação (portanto, a conveni~encia). O conforto advém do do fato de exigir menos movimentos, a conveniência do fato de ser útil a um propósito específico.

      Excluir
    16. nas fichas dos autos cambio automatico vem na lista de itens de conveniencia e não na lista de itens de conforto.

      Excluir
    17. É bonito e dá ibope aqui no AE ficar louvando o câmbio manual. Como se fosse a melhor coisa do mundo. O cara "pilota" Golzinho, Celta e Agile 1.4 no trânsito de SP e se acha um Vettel, um Alonso. Bando de posers aculturados.

      Excluir
    18. M.Greg, deixa de ser defeca-regras (pra usar um termo do Bob Sharp) e sai da caixa uma vez na sua vida de caixias. Não estou discutindo o que vem na ficha, nomenclatura ou o diabo. Se vc não entendeu o conceito, a essência da coisa, volta pro Mobral ou vai ler mais pra aprender a interpretar texto e pensar direito OK?

      ABRAÇOS!

      Rsss...

      Excluir
    19. Daqui a pouco vão estar aqui defendendo Ferrari com condução autônoma em nome do conforto....affffffffffffffffffffffffff

      Excluir
    20. Anônimo23/11/12 17:43

      maldida inclusão digital...

      Excluir
    21. Em nome do conforto ou da comodidade?
      Oh não, vai começar tudo de novo!!!!

      Excluir
    22. Anônimo23/11/12 17:41

      Seu comentário não faz sentido, além da arrogância extrema ao citar pejorativamente tais carros.
      Não faz sentido porque o tal do Vettel e do Alonso não pilotam com câmbio manual e sim com automatizados.
      Depois que estamos falando de um carro esportivo, não de um carro para ficar preso no trânsito desse inferno que se chama São Paulo (capital). Como eu disse acima, mesmo que seja difícil demais pra você acreditar, nem todo mundo tem essa rotina de ficar preso no trânsito. Eu mesmo, nunca fiquei. Simplesmente não sei o que é ficar por horas e horas embreando o carro a cada 2 metros.
      Ah, 80% do Brasil é como eu, não sou exceção e sim uma regra.

      Carro com câmbio manual é muito melhor que o automático para a tocada esportiva. Não sou contra o câmbio automático (como disse antes, um dos meus carro tem câmbio automático), mas num esportivo chega a ser ridículo.

      Excluir
    23. Guilherme:

      Tais carros são pejorativos! :-p Os "esportivos", mesmo esses com desempenho mais apimentado (não os esportivos 1.6 adesivados das montadoras nacionais...) vendem um sonho, uma imagem e não a realidade. Nao misture as coisas pq é viajar na maionese. Não vamos tapar o sol com a peneira.

      E não me referi aos pilotos da F-1 em relação ao câmbio e sim à essa ilusão de muitos aqui em achar que são pilotos e ficar criticando algumas características dos carros com base nessa viagem de "pilotagem". Esse papo de tocada esportiva é bullshit, vcs ficam assistindo os vídeos do Bob pilotando em circuito e sonhando com "pilotagem esportiva" nas ruas com carros pejorativos 1.0 e 1.4. Estou falando de coerência, sabe o que é isso?

      Agora, se vc nunca ficou preso no trânsito, sorte a sua. Ou vc mora na lua ou pilota um disco voador, pq o velho ditado "death and taxes" já foi atualizado faz tempo: agora é "death, taxes and traffic". Ninguém escapa. "Nunca" é tempo demais.

      Excluir
  7. Um carro excelente esse. Grande acerto da Renault. Acertou até no preço levando em conta o que é cobrado pela concorrência.

    Essa faixa de +170 cavalos entre 4500 e 6000 rpm e o câmbio manual de 6 marchas fazem um estrago na pista.

    Para quem quiser ver o vídeo em tela cheia usem esse link:

    http://video.google.com/googleplayer.swf?videoUrl=http%3A%2F%2Fredirector.googlevideo.com%2Fvideoplayback%3Fid%3Db4430c978dc53da0%26itag%3D18%26source%3Dpicasa%26cmo%3Dsensitive_content%253Dyes%26ip%3D0.0.0.0%26ipbits%3D0%26expire%3D1356270335%26sparams%3Did%2Citag%2Csource%2Cip%2Cipbits%2Cexpire%26signature%3D798EC6C06AD12B2EDF2A384C2EA80E2B2857D55E.D9C26F9CA8E94805012FE1F89FAFE881D4F1AD79%26key%3Dlh1


    O vídeo ficou muito bom Bob. Dá trabalho de fazer mas melhora muito a qualidade do post. Mas se puder trocar o plugin do vídeo ou usar outro serviço como youtube (dá para remover comentários), vimeo... com um player melhor, seria bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel
      Obrigado pela gentileza de dar o url para ver o vídeo em tela cheia. Tirei o que estava no post e carreguei o arquivo no YouTube. Agora ficou certo.
      Abraço.

      Excluir
    2. Ficou bem melhor agora Bob. Obrigado.

      Excluir
  8. E o Lancer 2.0 manual, 160cv? Será que briga bem com ele apesar da menor potência? Não tem nenhum teste do Lancer por aqui. Dei uma olhada e curti, mas não sei se vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio Pacheco23/11/12 13:27

      O Lancer 2.0 com 160cv não é páreo para o Fluence 2.0 normal, que dirá o GT. Aceleração e retomadas do Fluence "civil" são melhores que as do Lancer.

      Excluir
    2. Eu já avaliei o Lancer com caixa automática: ele demora a deslanchar, mas com a entrada das marchas - um CVT que simula as trocas - as coisas começam a ficar mais animadas; mas mesmo assim os 160 cavalos sofrem mais do que se esperaria nas arrancadas....o manual deve ser pouca coisa melhor, o carro é pesado, tem toda a pinta de ter muito mais "chão" do que motor.

      Está - enfim - um pouco acima da média dos sedans aspirados, um Corolla 2.0 dá impressão de ser mais expedito em acelerações e retomadas; no limite, o Lancer é melhor que este e melhor que o novo Civic.

      MFF

      Excluir
    3. Antonio Pacheco.

      Será?

      Excluir
    4. O AE podia dar uma testada no Lancer...
      Acabei de fazer um TD com ele, achei de fato o CVT extremamente chocho, mas quando botamos o modo manual fica mais interessante.
      Segundo dados do fabricante o MT tem final maior (200) e 0-100 mais rápido 9,8s .
      Posição de dirigir irrepreensível, espaçoso, acho que ele vai me pegar, e fazrr eu abandonar meu Focus.
      Bob dá essa moral e testa o Lancer MT pra nós?
      MArk

      Excluir
    5. Devemos levar em conta o fato de o Lancer ainda não ser Flex, o que está previsto para ano que vem o que se torna mais um atrativo para mim!
      MArk

      Excluir
    6. Anônimo 16:56, gosta de ser amigo do dono do posto?

      Excluir
    7. E quem disse que a Mitsubishi tem frota de imprensa ? Ou a Subaru ?

      Dureza..

      Excluir
  9. O carro é sensacional. Eu teria um com certeza.

    E o que dizer da tocada do Bob?? Que classe, hein??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O negocio é ver e aprender!
      Bob, Por que voce nao cria um curso de direcao esportiva?
      Ia ter muita gente interessada!
      Jorjao

      Excluir
  10. Sensacional o carro, lembra muito o Marea Turbo, que era justamente um carro familiar porém com uma pitada de pimenta bem colocada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante lembrar dele: Quase a mesma potência (o Marea ganha, com 2cv a mais), mesma capacidade cúbica (cerca de 2 litros), peso e porte similares, e mesmo uma certa semelhança no desenho, que em ambos lembra um aspirador de pó portátil.
      Andei um pouco numa perua Marea turbo (uma das pouco mais de 70 fabricadas). Foi interessante pôr a quinta marcha a cerca de 80 km/h e pisar fundo para ver o que acontece quando a turbina "enche" (esse é um ecemplo de como coisas interessantes podem ser pouco saudáveis...).
      O Marea serve, então de parâmetro para ver como os motores turbinados evoluíram nessa década e meia: Não houve ganho real de potência, mas percebe-se pelo vídeo o ganho em suavidade e pela ficha o ganho em consumo de combustível.

      Excluir
    2. Acabo de confirmar que esse "pouco mais de 70" foi conversa de vendedor. Saíram mais de 1000 peruas Marea Turbo.

      Excluir
    3. Também acho. Aqui na cidade onde moro conheço pelo menos 7. E não é uma cidade grande...

      Excluir
    4. Brau,

      Foram fabricados 2690 Mareas Turbo, sendo:
      - 1643 Mareas Turbo Sedan
      - 1047 Mareas Turbo Weekend

      Algumas disparidades com esse motor que podem ser observadas é que o Marea possui um motor de cinco cilindros, usa mecanismo de overbooster automático, o câmbio é de cinco marchas. Esse motor era realmente muito suave no funcionamento.

      O Fluence GT realmente promete, deve ser uma delícia tocar esse carro.

      Excluir
  11. Tirava essas rodas xuning e colocava as do Fluence "normal". Só isto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma saída dupla de escapamento (estilo Audi) também daria um toque de esportividade discreto!

      Excluir
    2. Eu prefiro um Logan 1,0...

      Alceu.

      Excluir
    3. Eu tambem acho as rodas do Fluence normal mais bonitas!
      Poderiam manter essas, com um acabamento cinza escuro ou cobre.

      Excluir
    4. Parecem as rodas do Kia Sportage.
      Quem diria ... os Coreanos ditando moda!
      Jorjao

      Excluir
    5. Quem desenha carros da Kia, são alemães e não coreanos.

      Excluir
    6. Mr.Car e seu Polara de 1.800 cilindradas!

      Excluir
    7. Eu achei que ficou bonito e discreto (dentro da proposta do carro) com essas rodas mesmo. O conjunto ficou bem elegante e equilibrado.

      Excluir
    8. Mr. Car e seu mau gosto por rodas!

      Excluir
  12. Muito bom mesmo. Carro que já é ótimo nas versões normais, agora com mais desempenho.
    Gostei do ronco, discreto e "grosso".
    Parabéns completos à Renault, com a definição de câmbio manual. Há esperanças nesse mundo automotivo, ainda bem.

    ResponderExcluir
  13. Belo vídeo Bob. Você poderia falar mais sobre a pressão dos pneus numa tocada mais esportiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para andar numa pista, em um track day,etc , use 20% a mais de pressao que o recomendado pelo fabricante.
      Cuidado com os freios , o que parece bom no uso urbano geralmente é uma enorme decepcao na pista.
      Um carro pesado como esse Fluence em poucas voltas deve apresentar perde de rendimento e poder de frenagem.

      Excluir
    2. com a calibragem mais alta, digo, bem mais alta as frenagens pioram mesmo.

      em track day gosto de usar 45 psi

      Excluir
    3. M.Greg no seu sonho vc pode usar até 200psi de pressão... kkkkk Track Day kkkkk

      Excluir
  14. Comercialmente o câmbio manual é meio arriscado, mas parece que a intenção é mais para imagem que para grandes vendas. Tenho visto opiniões meio contrárias ao GT em revistas, mas com certeza é um belo carro e uma grande opção na faixa de preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acredito que se a versão GT só tiver opção de câmbio manual, não terá problemas de mercado, pois sempre haverá o público que gosta andar mais esportivamente trocando manualmente as marchas. Vide o caso do Civic Si, alguém desvaloriza um Si por ser manual? Claro que não, este tipo carro tem seu público.

      Excluir
    2. é ÓBVIO que é um carro de imagem. Só os Leitores do AE Campeões Mundiais de Arrancada em Pedágio e Farol se iludem com esse lance de tocada esportiva.

      Excluir
  15. Gabriel Cunha23/11/12 14:13

    E agora? Fluence GT ou Citroen DS3? Mesma faixa de preço, com o Renault levando vantagem no custo-benefício.
    Pra quem já dirigiu os dois, qual agrada mais?
    Tô só de curioso, não vou comprar nenhum, infelizmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel
      Tambem tive essa mesma curiosidade ...
      Ficaria , certamente , com o DS3!

      Excluir
    2. Gabriel Cunha
      Ambos agradam e muito. O DS3 é menor, mais ágil, mas em compensação perde em espaço e capacidade do porta-malas.

      Excluir
    3. Corsário Viajante23/11/12 17:26

      Opinião de curioso que também não vai comprar nenhum: DS3, por ser menor.

      Excluir
  16. Parabéns as marcas francesas, que estão disponibilizando carros para autoentusiastas a preços não (tão) proibitivos!

    O Fluence GT é uma ótima novidade para quem gosta dos sedans veloces; a exemplo do finado Marea, Tempra Stile, Omega Diamond (meio careta, mas veloz!) e tantos outros que ofereciam desempenho a preços quase civis.

    Caixinha manual, uma lufada de ar fresco em relação aos ótimos - mas automáticos - Jetta e 408...um nicho que é quase só seu em relação ao Fluence.

    Imagino a patada desse torque de motor 4100cm3 alcoolizado...rs!

    MFF

    ResponderExcluir
  17. E viva o câmbio manual!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  18. Bob, por favor uma comparação entre o Fluence GT, Jetta TSI e 408 THP? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O AE pode ate testar os tres , mas nao ha o que comparar!
      O Jetta é disparado muito melhor que os franceses.
      Nada supera a qualidade de um VW!

      Excluir
    2. Mas depende do VW.
      Concordo o Jetta é um puta carro!

      Excluir
    3. O seguro também. Nada supera um VW nesse quesito.

      Excluir
    4. Prefiro ouvir a opinião do Bob Sharp, que já avaliou e dirigiu os 3 amigo. Bob, conto com você para escolher o próximo possante!

      Excluir
    5. Anônimo 23/11/12 14:45
      Testei os três recentemente e são ótimos exemplares de sedãs de alto desempenho (passam de 200 km/h). Pelos textos cada um pode tirar suas conclusões. O que sei é teria qualquer um desses e ficaria totalmente satisfeito.

      Excluir
    6. A pergunta que não quer calar, qual dos tres você compraria Bob? Aposto no Fluence pelo cambio manual! Acertei?

      Excluir
    7. Sou mais meu Opala 4.1 hehe...

      Excluir
    8. pobre é uma m... mesmo kkkk

      Excluir
  19. Antítese do Sandero GT.

    Renault é meio bipolar, não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também sou ... Sim, tenho muitos problemas!

      Excluir
    2. Não, o Sandero é Dacia... rs

      Excluir
  20. Belo carro ,pena que o painel não me agradou e as rodas também ,não tem jeito na minha opinião só os alemães sabem fazer os mais belos painéis ,abraço .

    ResponderExcluir
  21. Não nos resta, Autoentusiastas, dar os parabéns a Renault !!! Q vcs continuem assim, mais Renault e menos Dacia.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto dos carros da Dacia. Se o Logan tivesse um motor 1,6 16v eu comprava.

      Excluir
  22. Isso sem recorrer a "rodas-patas" e às patéticas "faixas GT".

    Bob, senti aí uma cutucada no hatch da GMB hein ? rsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E no pequeno da Ford.

      Excluir
    2. Mr. Greg
      Antes sentir uma cutucada no hatch da GM do que sentir uma cutucada aí atras de vc....,
      Fica esperto!

      Excluir
  23. Eu queria o Renault Megane e não um Samsung!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderia ser pior. Um Dacia!!!!!

      Excluir
    2. O Fluence nada mais é do que a versão sedã do Mégane III. Apenas trocaram uma frente por outra, mas de resto basta você tirar a porta dianteira do Fluence e montá-la em um Mégane III 5p e verá que o sedã é apenas e tão somente uma versão do hatch.

      Excluir
    3. Falou o freguês de Cruze, Elantra e Cerato.

      Excluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Bob.
    Parei de ler o post na legenda da foto "Linhas que já podem ser consideradas clássicas" (mas depois, com mais tempo, claro que vou ler até o fim).
    Não é crítica, nem desrespeito ao seu gosto pessoal, longe disso, apesar de ser arquiteto não me considero nenhum especialista em design, mas francamente, "linhas clássicas" é uma metáfora que cabe a um Mercedes 300 SL Gullwing, a um Jaguar E-Type, a um Lamborghini Countach, e até à Kombi, mas jamais a um Fluence.
    Não gostei dessa tela sobre o painel, parece que foi colocada after market, prefiro aquelas integradas à central multimídia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é CSS ,esse painel achei esquisito ,cor amarela , velocímetro digital meio simplório ,eu particularmente gosto da interação dos ponteiros ,acho que poderia ter caprichado nesta parte ,já que se diz um carro esportivo,abraço

      Excluir
    2. Speedster23/11/12 16:06 Corrigindo :detalhes em cor amarela...

      Excluir
    3. No Megane III painel com ponteiros é só no RS, questão de custo. Devem estar fazendo coisa parecida com o Fluence mas justamente com a versão mais cara (talvez pela aparência mais "futurística"). A tela do GPS não tem NADA de aftermarket se for vista ao vivo, pelo contrário. Fica muito bem instalada e na melhor posição pra se visualizar o GPS, ao contrário das tais centrais multimídia que te obrigam a ficar olhando para baixo e essas sim geralmente são aftermarket.

      Excluir
  26. Por que o desempenho do GT ficou semelhante ao do "normal" no teste da Quatro Rodas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os cabra de lá tem medo de acelerar fundo e por o conta-giros na faixa vermelha!

      Excluir
    2. Corsário Viajante23/11/12 17:15

      Pq a QuatroRodas insiste em testar "retomadas" em última marcha, dos 60km/h até os 120km/h. Daí um bem câmbio bem escalonado vai ficar perdido, pois o correto é reduzir nesta situação.

      Excluir
    3. Corsário Viajante
      Acho que o teste de retomada mais realista é o 80 a 120 km/h em última marcha.

      Excluir
    4. Corsário Viajante23/11/12 18:35

      Mas no caso deste fluence, onde a última marcha, a sexta, é uma marcha para cruzeiro, e não para "desempenho"... A conclusão vai ser que o carro é chocho pq demora horas para retomar, enquanto se mudar de marcha (a coisa mais sensata para quem tem pressa) o resultado é outro...
      Não que não seja válido saber o tempo de retomada, o problema é achar que este dado é sinônimo de desempenho e força como a quatrorodas normalmente conclui.

      Excluir
    5. Eu já acho que o teste de retomada mais realista é "puxar uma segunda" e esticar até os 6.000 RPM ao sair de trás de um caminhão numa ultrapassagem.


      Num momento de aperto, a retomada que funciona é essa...

      Excluir
  27. Bob, você já dirigiu algum carro de tração dianteira que originalmente conseguisse acelerar(de verdade) de 0 a 100km/h em menos de 8s ? Me parece que esse é um limite dos carros tração dianteira e pneus comuns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2011/02/audi-a3-sportback-2-l-tfsi-s-tronic.html

      Acho que ele já testou outros tb.

      Excluir
    2. Deve ter uns 500 que fazem isso e hoje em dia com ótima tração

      Excluir
    3. Os Alfas 164 24v e Spiders há quase 20 anos atrás ja faziam isso , com aceleracao de 0-100 em 7,0 segundos.
      Tive uma 164 , elas sao muito velozes, porem suaves de se tocar.
      Ate hoje sinto saudades do inigualavel ronco e encorpado ronco do V6.
      Sds.

      Excluir
    4. Bob,

      por falar em A3 como é possível que sendo mais potente (200 x 180cv) e peso praticamente igual (~1350kg), porém menos "torcudo (28,5 x 30,6) sair na frente do Fluence GT (6,9s X 8s) no 0-100km/h?

      Teria relação com o torque? (e pq a diferença entre os torques?) Ou é resultado do câmbio S-Tronic? (embora eu ache a diferença mto grande para ser apenas por causa do câmbio, sobretudo sendo o GT manual portanto tb rápido nas trocas...).

      Excluir
    5. Anônimo 23/11/12 16:48
      Com pesos iguais, o que tem mais potência acelera mais. É o que ocorre sempre.

      Excluir
    6. Anônimo 23/11/12 18:07
      Alguns, como o Citroën DS3, 7,3 s.

      Excluir
    7. Aceleração é Potência/(massa * velocidade instantâanea).

      Além da maior potência, esse Audi tem uma faixa mais plana de potência que o FLuence.

      Esqueça o torque máximo... Isso só significa que se for no mesmo giro de torque máximo, o que tem maior torque, gera mais potência nesse determinado giro

      Excluir
    8. Jetta TSi também acelera até os 100 em menos de 8 segundos.

      Excluir
    9. "Jetta TSi também acelera até os 100 em menos de 8 segundos"

      Negativo. Só se for fuçado.

      Excluir
  28. Marea Turbo fazia em menos de 8s.

    Ass: Chico Pelego

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E estoura o motor em menos de 8 horas !hehehe...

      Excluir
    2. Estourava não. Rachava no meio mesmo.

      Excluir
    3. Eu andei muito com meu Marea Turbo, sempre mantive a manutenção em dia e nunca tive problemas com o motor.

      Excluir
  29. Corsário Viajante23/11/12 17:21

    Gostei, porém...
    - POderia ter mais opção de cor, nem que fossem as mesmas do Fluence normal - aquele azul é lindo.
    - os "apliques" não ficaram muito do meu gosto, forçou um pouco.
    - A Renault tem uma briga dura com o Jetta e 408, poderia ter dado a opção tanto de manual como automático.
    - Se fosse hatch, ficaria com a mão coçando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se minha mãe tivesse barba eu tinha dois pais...

      Dãããã....

      Excluir
    2. Corsário... também não gostei dos apliques. Minha opinião é: se não possui nenhuma função, não quero. Esse negócio de entrada de ar falsa ou aerofólio de enfeite é uma scheiße!!!

      Excluir
    3. Corsário Viajante23/11/12 18:38

      Anônimo 1, e se meu avô fosse mulher eu tinha duas avós! Daí sim as reuniões de família iam ser fogo!... rs
      Anônimo 2, o de trás ainda achei razoável, mas a "barbicha" na frente não gostei mesmo. Aliás, falando em falsidades, sempre me lembro do 308 com aquelas saídas falsas, como uma coisa tão simples desanima tanto! Arruina completamente a traseira!

      Excluir
  30. É o carro perfeito pro pai de família que está subindo na vida e queria um esportivo puro-sangue mas a esposa não deixa nem a pau. Aí ele pega um GT, fica feliz se achando com os amigos, dá uma raladinha nos Punto Jet na saída de farol voltando do trampo e sente o gostinho de um sedã semi-esportivo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até encontrar um poste e quebrar o nariz.

      Excluir
    2. Corsário Viajante23/11/12 18:39

      E outra: o custo de manutenção deve ser bem mais realista que um esportivo mesmo. O consumo também. Mas no fim acho que para esse público o TSI ou 408, por sere mais discretos, ainda acabam levando a compra.

      Excluir
  31. Aff... 6 marchas e manual é muita marcha. Até chegar na sexta marcha já acabou a estrada...

    ResponderExcluir
  32. Carraço. Na cor preta, fica "diabólico". Pena que é muito caro pro meu bolso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compra o comum usado e coloca o adesivo GT que fica show igual.

      Excluir
  33. Carro turbo é um saco. Tem que ficar cinco minutos com o motor ligado antes de desligar. E a durabilidade é bem baixa. Meu Gol 1.0 Turbo fundiu o motor com menos de 100 mil. Igual a carro 16v que acelera acelera e não sai do lugar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é mexânico, certo?
      Agora elogia "a lata" que não amassava do seu Opala / Landau / Dojão e conclui que "hoje os carros são todos de plástico".

      Excluir
    2. Meu Opala seis canecos tinha uma lata que não amassava, ao contrário desses carros de hoje que são todos de plástico.

      Excluir
    3. E aí, Lombardi?
      Por falar "seis CANECO" ganha cem pontos (se falasse "canecos" no plural ganharia só cinquenta)!
      POr elogiar a "lata que não amassa" ganha mais cem pontos!
      Chamar TODOS (veja bem, TODOS) os carros "de hoje" de plástico são duzentos pontos!
      QUem dá mais??

      Excluir
    4. Tem gente que parou no tempo. E vai comparar os 1.0 turbo da VW de dez anos atrás com os novos sobrealimentados europeus e americanos... fala sério né!

      Excluir
  34. Um belo de um sedã familiar, com pimenta no motor para as horas de stress relief. Ou então efetuar ultrapassagens mais seguras em viagem tranqüila com a família. Acertadíssima opção pelo câmbio manual!

    ResponderExcluir
  35. Não gostei!


    Prefiro um novo Gol 2 portas 1.6, completo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou um Etios!

      Aquilo sim que é um painel! Se vc não botar películas escurecidas nos vidros, até quem vc fazer comer poeira vai ver o seu velocímetro e contagiros!

      Excluir
  36. A QR meteu o pau neste carro...quem está correto ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A QR mete pau até em ferrari se eles não pagarem o jabá.

      Excluir
    2. Corsário Viajante23/11/12 19:55

      Quatro Patas não tem este epíteto à toa.
      Recebia de graça, mas pedi para pararem de mandar: tinha vergonha de receber a revista.

      Excluir
    3. Anônimo 23/11/12 19:35
      Você está completamente enganado. O que você disse não existe, garanto.

      Excluir
    4. Conheci algumas pessoas da QR e acho que o Bob está certo, o problema é que a maioria lá dentro entende tanto quanto o cara que só fala de carro quando o assunto surge num churrasco.

      Excluir
    5. Teoria da Conspiração detected

      Excluir
    6. Bob, até posso acreditar em você, não sei que ligação você tem ou teve com a Abril, mas vai ter que me dar razão, a QR dos tempos do Marazzi, do Larangeira, do Vassão, era uma publicação muito mais séria e profissional do que é hoje. Como disse o colega, o pessoa de hoje entende do assunto tanto quanto eu. A publicação não acrescenta nada que eu não saiba.
      E aquelas reportagens que denunciavam o comportamento da Polícia Rodoviárias, as fraudes nos DETRANS, os testes de eficiência de faróis e aditivos de radiador, os testes de 60.000 km em que investigavam uma troca de caixa de câmbio... aquelas reportagens maravilhosas sobre a vida à beira da Fernão Dias... tudo isso se perdeu. Lamentável.

      Excluir
  37. Meu respeito pelos franceses cresceu muito ultimamente.

    ResponderExcluir
  38. Tem opcao sim:
    Quem quer automatico tem o Peugeot THP
    Quem quer dual-clutch tem o Jetta TSI
    Quem quer manual tem o Fluence GT

    Estes 3 no nosso mercado sao umabencao. E deixem de frescura.

    ResponderExcluir
  39. Sem dúvida um carro muito interessante p/ quem busca algo bom de se pilotar nessa faixa de preço. Agora, a condução do Bob é realmente um show a parte !!

    Bob, em termos gerais de pilotagem e performance, como você o compararia com um Marea Turbo ??

    ResponderExcluir
  40. O novo Honda aceitou frear mais dentro lá na ponte.

    Ponto forte do AutoEntusiastas, o Piloto de testes sempre arrasa no vídeo.

    ResponderExcluir
  41. Qual anda mais civic si ou fluence GT ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pareo duro, mas a contar pelo torque superior do fluence GT me levaria a crer que este anda mais. embora tenha menos potencia .

      Excluir
  42. Meu GTI da época que morei na Europa:

    http://www.youtube.com/watch?v=A0boBQzPO-k

    ResponderExcluir
  43. Excelente opção. Gostava muito do Fluence normal. Agora, apaixonei! Carro prático e divertido, muito bem equipado e, ao mesmo tempo, sem frescuras, inutilidades. Se tivesse a grana esse seria o meu Renault.
    Bob, obrigado pelo vídeo. Faça sempre nas avaliações/apresentações. Legal também se o "cinegrafista" filmar a sua tocada.
    Evandro

    ResponderExcluir
  44. Apesar, da potência máxima não ser nenhum expoente, a distribuíção parece muito boa, quando se olha a curva - por volta das 3.000 RPM já se pode ter 130 CV.
    Câmbio com ré sincroniza é algo que já deveria estar mais difundido.
    Ponto para os franceses. Não tinha conhecimento da existência.

    ResponderExcluir
  45. Anônimo 23/11/12 21:30
    O Omega nacional também tinha ré sincronizada.

    ResponderExcluir
  46. Quem quer automatico tem o Peugeot THP
    Quem quer dual-clutch tem o Jetta TSI
    Quem quer manual tem o Fluence GT

    Bem falado pelo anônimo acima. Agora eu queria perguntar: hoje, 2012, um Civic ainda pode ser considerado referência no segmento dos sedans médios? e referência, se for, no quê?

    RicardoBF

    ResponderExcluir
  47. Bob,

    Alavanca de câmbio, pedal de embreagem.

    Achei que não veria mais isso num carro desse tipo, aleluia e parabéns a Renault por isso!
    MAO

    ResponderExcluir
  48. Mas, limitado em velocidade, vi agora.

    Uma praga infame e universal são estes limitadores.
    MAO

    ResponderExcluir
  49. MAO
    Também acho, mas pelo menos chega a uma velocidade minimamente decente. E o Fusion, 2 litros/240 cv, que pára nos 180 km/h?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês estão loucos....
      O máximo que se pode andar e 140km/h
      Mais que isso e muito perigoso!
      Mr. Magoo

      Excluir
    2. Engraçado é que o new Mondeo, que é o mesmo fusion não tem limitador. maxima de 240km/h.

      Excluir
    3. Anônimo 23/11/12 08:57
      Você quis dizer em terceira, evidentemente...

      Excluir
    4. Os 180 deve ser limite americano, lá está nivelado por baixo, na europa por cima. E aqui pelo modo que caminha, vamos pleo lado dos States...

      Excluir
  50. O Fluence GT é o que posso chamar de uma compra que casa bem a racionalidade com a emoção, dois adjetivos que costumam frequentemente ficar separados em tantos modelos de carros. Pelo pacote de equipamentos que oferece, o preço está muito bom. E os detalhes estéticos ajudam a identificar a versão.

    Na Argentina ele se chama Fluence Sport. Já havia lido uma matéria sobre ele. o 0-100 era cumprido na casa dos 8,3seg. Mas o Fluence Sport foi criticado por ser discreto demais. Apenas rodas diferentes e maiores em relação ao outros Fluences. Li também que a suspensão traseira é do tipo interdependente com eixo semi-rígido. É o mesmo que eixo de torção?

    KzR

    ResponderExcluir
  51. Anônimo 24/11/12 01:39
    No nosso caso, o GT tem a mesma medida de rodas e pneus que 2,0 16V Privilège. Veja como os gostos variam, criticaram a discrição e eu elogiei. Sim, o eixo de torção é chamado também de interdependente ou semi-independente.

    ResponderExcluir
  52. Antonio Pacheco24/11/12 09:33

    É difícil agradar a todos. Já li comentários sobre o Jetta Tsi, pessoal reclamando que a VW não disponibiliza câmbio manual. Aí a Renault lança o Fluence turbo manual, e o pessoal reclama que não tem automático. Vai entender...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio Pacheco
      Taça pelo melhor comentário do post do Fluence GT. Parabéns! Na mosca!

      Excluir
    2. Na verdade o Jetta não precisa de manual porque já é um na essencia, já a Renault está ingatinhando no mundo da dupla embreagem. O Bob mesmo diz que gosta de automatizado a manual, u acho que atenderia os dois mundos.

      Excluir
  53. Gostei! Nada como um pouco de essência para dar uma purificada na alma do projeto, neste caso o motor! As rodas quem não gostar que troque, já o câmbio mecânico é praticamente obrigatório para um carro que tem a sigla GT no nome...Outra ótima referência é o motor não ser bi-combustível, o que já nos dá um excelente aval de que não existem "gambiarras" eletrônicas ou não por baixo do capô! Um pergunta: Quanto custa este carro na origem, Argentina?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pouco mais de 64 mil reais, se eu nao estiver enganado.
      Agora so acho que deveriam ter mandando o motor "novo" que é esse mesmo com Injeção direta e 250 CV, usado no Megane RS , nem iria ligar se fosse manual o cambio.

      Excluir
    2. Hüttner
      Pelo site da Renault argentina, 171.800 pesos, peso a R$ 0,43, portanto R$ 73.874,00.

      Excluir
  54. No meu comentário acima eu NÃO estava reclamando do câmbio manual. Apenas estava refletindo que quem comprar já sabe que vai ouvir um monte de bobagens na hora de revender (até da próprio css da Renault, quem sabe?). Assim como eu assumi um certo risco ao escolher o 408 THP e não o Jetta TSI... muitos amigos brincam pra me encher o saco... hehe, mas paciência, EU escolhi por alguns detalhes que fazem diferença fundamental pra MIM. Mas se fosse HOJE, eu ficaria em uma terrível dúvida entre o THP e o GT, pois gosto demais do acerto de suspensão do Fluence: conforto de rodagem e 180 cavalos... meus amigos iriam dar ainda mais risadas, mas acho que hoje seria minha escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá certo, tem que escolher o carro que vc gosta e quer usar. Brasileiro fica pensando nas excessões (os 10% de tempo e custos com problemas na hora de fazer manutenção ou revender por exemplo) e esquece dos outros 90% de tempo que são de fato o USO e prazer.

      Eu desencanei dessa faz tempo, todo carro dá problema, exige custo e cuidados e perde valor. Os únicos que ganham $$$ com carro é quem vive disso, compra e vende. Nós somos consumidores, a gente gasta pra poder rodar e ponto. Então, eu quero mais é ter o melhor que puder de acordo com meu gosto!

      Excluir
    2. Verdade. Por isso tem tanto carro preto/prata e agora branco. O cara adoraria ter um verde ou vermelho, mas fica 5 anos com um pretinho básico ou um prata-que-não-suja só pq (acha que) vai ganhar uma merreca na revenda. Isso é viver?

      Excluir
    3. Corsário Viajante24/11/12 14:40

      Esses "amigos que dão risada" são aqueles famosos caras que sempre tem os carros mais chatos e sem graça, mas tudo vale a pena pq depois de três anos com um carro que não gostam vão conseguir R$500,00 a mais na revenda.

      Excluir
  55. Bem, neste caso acho que o preço Brasil está até coerente...De qualquer forma acredito que não exista nada no mercado oferecendo o mesmo por esta quantia.
    Mas é isto, como disse o AK no post sobre o Alpine " dirigir com prazer é o que interessa" Logo, não posso criticar quem o sinta usando apenas o dedo indicador em uma "borboleta" junto ao volante para a troca "mecânica" de marchas. Já para mim ou é automático ou não o é! Viva mais uma vez a possibilidade de escolha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o controle da embreagem também faz parte do prazer... embora não na tocada do dia-a-dia

      Excluir
  56. Falando em opção de manual e automático, fico com inveja em saber que na Argentina existe um 308 Sport automático 1.6 THP de 163 cv e um 308 GTi também 1.6 THP, 200 cv e câmbio MANUAL... Além do concorrente Golf GTi VI de 211 cv... Talvez nossos hermanos entendam mais de carro que a gente (será?)

    ResponderExcluir
  57. Bob, permita-me discordar sobre o "muito espaço para passageiros". Tenho 1,83 de altura, e, sentado no banco traseiro do Fluence, fiquei com a cabeça encostada no teto.

    César

    ResponderExcluir
  58. Eu, de forma muito pessoal, já acho o Renault Fluence 'normal' muito bom de dirigir, com boas respostas e correto controle direcional, literalmente 'babei' por este Fluence GT.

    Muito acertada também a opção da Renault em adotar câmbio manual de seis marchas para o mercado brasileiro (outras montadoras também poderiam fazê-lo, como a Chrysler e Jeep, este no Wrangler, que tem a opção nos EUA de um excelente câmbio manual de 6 marchas também).

    Trata-se mesmo, como bem explicitado no vídeo, uma excelente opção de "carro familiar com bom desempenho". Aliás, concordo que seja bom que ele não venha com as "GT faixas" (parecem-me alegorias).

    Parabéns pela matéria, Bob. Deixou-nos 'babando' por este carro.



    Ps.: Atenção caros "Anômimos" neófitos e recalcados, prestem bastante atenção à forma como o Bob Sharp manuseia o volante, à posição das mãos no mesmo e a forma como ele 'entra' e 'sai' das curvas. Com humildade, aprendam um pouco.

    Leo-RJ

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...