20 de novembro de 2012

TOYOTA ETIOS SEDÃ 1,5 XLS

Fotos: autor


Por ocasião do lançamento do Etios, em setembro, em que o Bob escreveu o post falando tudo a respeito do novo Toyota, incluindo preços, ficha técnica e lista de equipamentos de série e opcionais, faltou ele dirigir as versões hatch e sedã com motor 1,5-litro, o que acabou ficando a meu cargo agora, no caso o topo de linha sedã XLS. Assim, este post é, a um só tempo, apresentação e "no uso".

O Etios XLS de 1,5 litro tem praticamente tudo que me agrada como veículo urbano. Apesar de não ter câmbio automático nem como opcional, que seus concorrentes têm – Renault Logan e Hyundai HB20, automático epicíclico e o Volkswagen Voyage, robotizado – trocar as marchas do Etios é o que há em facilidade. A alavanca de câmbio está bem posicionada e seu trambulador é perfeito, com curso curto, trocas leves e precisas – em suma, com trocas que rivalizam com as dos VW Gol e Fox, já nossos conhecidos como referência. 


A embreagem é leve apesar de o comando ser mecânico, por cabo. As marchas, felizmente, são relativamente longas, saindo fora dessa característica chata e improdutiva da maioria de nossos carros, que é ter câmbio curto. Sua 2a marcha, por exemplo, vai a 90 km/h esticando até 6.000 rpm (potência máxima a 5.600 rpm) – e nem por ter marchas mais longas o elástico 4-cilindros deixa de responder prontamente às aceleradas. Pode-se, na boa, dobrar esquinas secas em 3a marcha que ele segue como se nada houvesse. 

É guiar para crer no quanto esse motor é elástico, mesmo sem muletas como variador de fase dos comandos ou duas geometrias de coletor de admissão. A facilidade com que retoma velocidade em quinta com motor a 1.000 rpm é surreal. No plano, pode-se pular marchas também na boa. Tanto faz o ar-condicionado estar ligado ou não; o motor não acusa diferença. Bom motor; não deixa a desejar.

Além disso, o motor tem uma característica única dentro da categoria: estando desengatado e em baixa rotação, basta uma cutucada no acelerador que seu giro levanta rápido valer – parece motor de carro bravo –, então, reduzir marchas fazendo punta-tacco se torna uma coisa rápida e divertida (embora não seja fácil pela posição relativa dos pedais, o Bob já havia comentado). Além disso, ele tem um ronco até que encorpado, gostoso, e tem boa pegada em baixa. 

Motor 1,5-l de 96,5 cv, adequado ao Etios sedã
Com bloco e cabeçote de alumínio, duplo ocmando acionando por corrente e quatro válvulas por cilindro, sua potência específica está abaixo do padrão atual dos motores de baixa cilindrada. São 96,5 cv saindo de 1.496 cm³ (álcool), o que dá 64,5 cv/L, sendo que hoje o padrão está acima dos 75 cv/L. Porém, creio que objetivaram o mesmo que a Volkswagen no seu 4-cil de 1,6-litro: desprezaram um pouco a potência máxima e focaram nas faixas de rotação média e baixa para que ele tivesse boa potência disponível já em baixo giro. Seu torque máximo de 13,9 m.kgf está a 3.100 rpm (indiferente se com gasolina ou álcool) e isso, a meu ver, na prática, funciona muito bem, já que o carro “fica leve”, responde rápido no trânsito e também casa bem com esse câmbio, que eu não chamaria de longo e sim normal, o que todo carro deveria ter.
Outra vantagem, creio, é a economia, pois torque máximo em baixa significa que, na prática, na maioria do tempo — jem que estamos rodando em giro baixo — ele estará “respirando" bem, ou seja, ele está em seu regime onde há melhor troca de gases, o que significa ser seu melhor aproveitamento do combustível.

E vamos ao painel, que tem causado opiniões diversas. Eu diria que ele é ótimo para quando você não deseja saber o que ele informa. Porém, como hoje é essencial saber a quanto se está, tanto na cidade quanto na estrada, para não tomar uma multa por excesso de velocidade, a coisa se complica. Os ponteiros estão afastados do fundo dos instrumentos (velocímetro e conta-giros) pelo lado interno, a meio centímetro deles, então, na prática, só estando de frente para os mostradores, ou seja, entre os bancos, para sabermos realmente a quantas vamos ou como o motor está girando. Vistos de lado, do banco do motorista, há imprecisão devido à paralaxe. Resumindo: o carona lê números diferentes dos seus. E o mostrador do nível de combustível, abaiso dos dois instrumentos principais, abusa de ser tão pequeno, além de a  sua escala gráfica ser horizontal.

E há algo pior nessa história dos instrumentos: não há regulagem da intensidade da sua iluminação. Sua luz é forte e a coisa choca por ter fundo claro, quase branco, então à noite temos algo parecido como uma balança Filizola toda iluminada sobre o meio do painel. Algo a ser revisto, ou melhor, algo que não deveria ter sido feito.

Iluminação dos instrumentos, sem ajuste, incomoda ao dirigir à noite

Eu gostaria que o tanque de combustível tivesse maior capacidade que 45 litros; falta algo que tampe o espelho do pára-sol, já que não é sempre que quero me ver ao abaixá-o; faltam bolsas atrás dos encostos dos bancos dianteiros; falta cinto de três pontos para quem vai no meio do banco traseiro; para quem há só o subabdominal. Cá entre nós, acho estranho um carro ter pontos realmente ótimos e outros realmente ruins.

Entre os pontos ótimos do Etios está a ergonomia. Apesar de o volante não ter regulagem de distância, só de altura, ele está bem posicionado e fica fácil acharmos boa posição de guiar. Mesmo o banco não sendo requintado, ele nos acolhe bem e após uma viagem longa descemos do carro com o corpo sem dores e em aprumo. Os comandos estão todos ao nosso alcance, não temos de tirar as costas do encosto para acessá-los.

Bom espaço inclusive para quem vai atrás. Eu, com 1,80 m, “sentado atrás de mim”, ainda sobram uns 10 cm para raspar os joelhos no banco dianteiro. Sobra boa distância da cabeça ao teto. O encosto do banco traseiro tem inclinação apropriada, confortável.O porta-malas é imenso, são nada menos que 562 litros. Tem freios com ABS e bolsas infláveis frontais de série em todas as versões (menos ABS no hatch básico). Mais importante que as bolsas infláveis, os cintos dianteiros têm pré-tensionador e limitador de força.

O porta-malas é mesmo enorme, 562 litros. O Tico gostou de ficar lá dentro, enquanto o Tigrão me observa
.
Peso e resposta da direção são corretos, a assistência é elétrica e variável. Pesos certos – quando devagar é leve e na estrada fica praticamente desligada, firme. Não tem respostas rápidas demais e nem é lenta, no ponto.  O diâmetro mínimo de curva é bem pequeno, 9,8 metros, como convém, o que facilita as manobras não é brincadeira.. 

A suspensão: é McPherson na frente e eixo de torção atrás, sendo macia na buraqueira e firme nas curvas, ideal para um carro da categoria. Para estrada, eu gostaria que o sedan tivesse amortecedores mais firmes na traseira e também que ele tivesse sido menos erguido, como costumam fazer para enfrentar as condições brasileiras. Para a cidade esburacada e para enfrentar lombadas é bom como está. 
 
Suspensão muto levantada (9 cm, o maço de Marlboro  indica); metade disso já estaria borm

Calhou de eu dirigir, no interior, o Etios hatch 1,5-litro de um amigo e gostei mais dele que do sedã nas curvas e na estrada, apesar dele ter 90 mm a menos de distância entre-eixos (2.460 mm contra 2.550 mm).

O motor é silencioso na estrada e, quando ronca, ronca gostoso, sem incomodar. Por ele, pode-se viajar a 150 km/h que ele segue silencioso e suave. Suspensão silenciosa, bem isolada da cabine. A 120 km/h o giro está a 3.300 rpm, muito bom. 

Só há um limpador de pára-brisa. Varre grande área e quando corre à nossa frente passa reto, na horizontal, com a palheta na vertical na maior parte do tempo, resultado do braço pantográfico. Gostei. Boa visibilidade geral e bons retrovisores externos, ambos convexos. Praticamente não há pontos cegos. E a Toyota, respeitosamente, aplicou repetidoras dos indicadores de direção nos pára-lamas dianteiros.

Limpador único e pantográfico, a boa solução pouco usada pela indústria

O acionamento elétrico dos vidros não é tipo um-toque e isso não me desagrada. Inclusive, os vidros param o movimento assim que dele tiramos o dedo do interruptor, o que para mim é ótimo, pois, caso queira, posso facilmente deixar a fresta exatamente onde desejo. Com o um-toque fica mais complicado fazer isso.

Motor dianteiro na transversal e com admissão atrás e escapamento na frente. Isso é bom, pois joga menos calor na parede de fogo e por conseguinte esquenta menos a cabine. O carro é naturalmente fresco, no bom sentido. E: econômico também. Mesmo sem ter feito medições precisas (não tem computador de bordo), apurei algo em torno de 10 km/l de álcool na estrada com tráfego pesado, que é quando acabo alterando mais a velocidade, onde sou obrigado a acelerar mais forte para me livrar de muvucas onde motoristas confusos andam colados em grupos perigosos. O Etios sai bem dessas muvucas; acelerando rápido e caindo fora.

O sedã sofre um pouco com vento lateral. O hatch sofre menos. Eu, caso não necessitasse do volume maior de porta-malas, ficaria com o hatch (270 litros), por ele ser mais gostoso de curvas e de estrada. É também um pouco mais leve, 965 contra 980 kg, ambos em versão XLS. Além do mais, como disse minha mulher: “ele é mais bonitinho”.

Apesar de só ter dois alto-falantes e dois tweters na frente, o som é bom. Tem rádio, CD com MP3 e entrada USB. Pega estações FM de São Paulo mesmo estando pra lá de Campinas. Nunca vi um rádio que alcançasse tanto e tão bem.

Depois de andar com o Etios sedã durante uma semana, ficou claro: é mais um carro para entrar firme na concorrência. Seu preço: R$ 44.690,00, e não tem opcionais.


AK 




FICHA TÉCNICA ETIOS 1,5 SEDÃ

MOTOR
Descrição
4 cil. em linha, duplo comando de válvulas no cabeçote, corrente, 16 válvulas,  atuação direta, instalação transversal, flex
Material do bloco e cabeçote
Alumínio
Cilindrada
1.496 cm³
Diâmetro e curso
72,5 x 90,6 mm
Taxa de compressão
12,1:1
Potência
92 cv (G) e 96,5 cv (A) a 5.600 rpm
Torque
13,9 m·kgf (G e A) a 3.100 rpm
Formação de mistura
Injeção eletrônica seqüencial no duto
Combustível
Gasolina E22 e/ou álcool (flex)
TRANSMISSÃO
Câmbio
Transeixo dianteiro de 5 marchas manuais, tração dianteira
Relações das marchas
1ª 3,545:1; 2ª 1,913:1; 3ª 1,310:1; 4ª 0,973:1; 5ª 0,804:1; ré 3,214:1
Relação do diferencial
3,944:1
SUSPENSÃO
DIANTEIRA
Independente, McPherson, braço triangular inferior, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
TRASEIRA
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência elétrica indexada à velocidade
Diâmetro mínimo de curva
9,8 m
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado
Traseiros
A tambor
Controle
ABS e distribuição eletrônica das forcas de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 5,5J x 15 (estepe, aço)
Pneus
185/60R15H  (inclusive estepe), Pirelli P4 no carro avaliado
DIMENSÕES
Comprimento
4.265 mm
Largura
1.695 mm
Altura
1.510 mm
Distância entre eixos
2.550 mm
PESOS E CAPACIDADES
Peso em ordem de marcha
X, 955 kg; XL, 965 kg; XLS, 980 kg
Porta-malas
562 litros
Tanque de combustível
45 litros
DESEMPENHO

Aceleração 0-100 km/h
11,8 s (G) e 11,3 s (A)
Velocidade máxima (est., A)
173 km/h
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL

Cidade
11,9 km/l (G) e 8,4 km/l (A)
Estrada
14,0 km/l (G) e 9,3 km/l (A)
GARANTIA
3 anos ou 100.000 km
TROCA DE ÓLEO
10.000 km ou 1 ano
REVISÕES
10.000 km
CORES
Branco, preto, cinza, azul



EQUIPAMENTOS ETIOS 1,5 SEDÃ
Versão

X
XS
XLS
APARÊNCIA
Acabamento cromado da tampa do porta-malas
S
Acabamento interno das portas de tecido
S
Acabamento preto na coluna central
S
S
Difusores de ar com acabamento cromado
S
Grade dianteira na cor da carroceria
S
S
S
Maçanetas externas e carcaça dos espelhos na cor da carroceria
S
S
Maçanetas internas com acabamento preto fosco
S
Manopla do câmbio com acabamento especial
S
Pára-choques na cor da carroceria
S
S
S
Rodas de aço de 14" com calotas integrais
S
S
Rodas de alumínio 15"
S
Volante com acabamento prata fosco
S
S
CONFORTO E COMODIDADE
Abertura interna da portinhola do tanque de combustível
S
S
S
Abertura interna do porta-malas
S
S
S
Acelerador de comando eletrônico
S
S
S
Acionamento elétrico dos vidros dianteiros e traseiros
S
S
Ajuste de altura do volante de direção
S
S
S
Aquecedor
S
S
S
Ar-condicionado com filtro de pólen
O
S
S
Assistência elétrica de direção indexada à velocidade
S
S
S
Banco traseiro rebatível
S
S
S
Bancos revestidos com tecido especial
S
Chave com comando de abertura e fechamento de portas
S
Console central com dois porta-copos dianteiros e um traseiro
S
S
S
Conta-giros
S
S
Pára-sol com espelho (2)
S
S
S
Porta-malas com iluminação
S
S
S
Travas elétricas
S
S
SEGURANÇA
Alarme de cinto desatado
S
S
S
Alarme de portas mal-fechadas
S
S
S
Alarme  antifurto periférico
S
Bolsas infláveis frontais
S
S
S
Cintos dianteiros com pré-tensionador e limitador de força
S
S
S
Desembaçador do vidro traseiro
S
S
S
Faróis de neblina
S
Freios ABS com distr. eletrôn. forças fren.
S
S
S
Imobilizador de motor
S
S
S
Jogo de tapetes (4 unidades)
S
S
S
Terceira luz de freio (conjunto de LEDs)
S
S
S
ÁUDIO
Antena de teto dianteira
S
S
S
Dois alto-falantes e dois tweeters
S
S
Rádio/toca-CD com MP3 e entrada USB
S
S




– Não disponível    S de série    O opcional




210 comentários:

  1. Charley Atleticano-MG20/11/12 12:16

    Barbaridade, que carro sem graça, típico carro que não cativa autoentusiasta; mas deve vender muito para quem quer apenas um meio de transporte e nada mais.

    Logan, Versa e até Cobalt tem desenho mais acertado, ou menos estranho. Dessa categoria, iria de Voyage sem pensar 2 vezes, o mais entusiástico da categoria.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Arnaldo, o texto exemplifica bem as qualidades do Etios, mesmo ofuscada pela beleza do HB20 ele mostra que é um Toyota em boa parte da sua essência. O Curioso é observar que num mesmo projeto, há pontos tão bons e outros obscuramente ruins, concerteza o hatch é bem mais atraente e demostrou um comportamento que me surpreendeu.

    ResponderExcluir
  3. Arnaldo não vou falar que este é um belo post porque no AE belo post é pleonasmo.
    Muito esclarecedor e preciso ao descrever os pontos positivos e negativos do carro.
    Nunca entrei neste carro, não fiz test-drive e vi de longe em 2 ocasiões o modelo hatch e em uma ocasião o sedan.
    Minha opinião: é um bom carro de entrada e só! Nem de longe vale os quase 45 mil estipulados para o preço deste carro. Este carro oferece o mínimo que todo carro básico deveria oferecer: comportamento correto, alguma segurança (em relação à concorrência nacional) e bom espaço interno. Deve ter alta confiabilidade também - embora isso somente o tempo comprovará.
    Considero que, ao comprar um Etios, o cliente irá pagar mais pela marca Toyota do que pelo carro propriamente dito. Por este valor, há opções muito mais interessantes.

    ResponderExcluir
  4. Rafael Ribeiro20/11/12 12:27

    O maior defeito desse carro a meu ver, desde o primeiro contato que tive, é realmente o painel. Não é possível que uma empresa como a Toyota, que costuma fazer coisas simples e objetivas, tenha projetado e aprovado algo tão nitidamente ruim, além de feio.

    Quanto ao alcance do rádio, deve ser uma qualidade intrínseca dos Toyota, pois tive uma Fielder que também tinha um rádio simples e muito bom, em todos os aspectos, apesar de não ter entradas auxiliares.

    ResponderExcluir
  5. AK, trocaria o teu Escort por um Etios?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joca Mello21/11/12 00:39

      Tive dois Escort Zetec, há 14 e 15 anos atrás, e vou dar minha opinião: eram muito mais carro que esse Etios mesmo comparados nos dias de hoje!

      Excluir
    2. Uma comparação meio sem pé nem cabeça, mas o Escort até hoje é bem mais bonito e bem acabado que o Etios. O desempenho também é bem melhor, mas dizer que é mais carro já acho difícil. O Etios em estrutura e principalmente em conforto dá um banho muito grande no Escort Zetec (que é muito duro) e na estabilidade se o Etios tiver pneus da mesma medida aposto em empate (isso contando que o Etios é muito mais macio e alto)

      Excluir
    3. Perneta

      Zero x zero?
      Não.
      O Escort é mais gostoso de guiar e tem mais chão. Só por causa disso e se fosse um carro só para o meu uso e para pegar bastante estrada, mas se for um carro para a famíliae/ou rodar na cidade, fico com o Etios por ser mais espaçoso e macio. Tudo depende.

      Excluir
    4. Ai, saudade do meu Flecha, meu Escort Zetec hatch chumbo...

      Excluir
    5. Escort Zetec chumbo? Chumbo mesmo ou aquele meio prata escuro? O legal do Zetec, além de tantas outras coisas, é a quantidade de cores que tinha. Um carro bacana de uma época bacana, pena que a própria Ford não tenha mais nada parecido

      Zero x zero se o Escort recebesse algumas melhorias também seria mais ele do que o Etios até hoje

      Excluir
    6. Eu iria de escort sem duvida, hj seria um Escort Sigma 1.616v basta.

      Excluir
  6. Que painel horrível!

    ResponderExcluir
  7. O Toyota Etios têm um ótimo consumo, ótima mecânica, é um dos mais seguros da categoria, um ótimo desempenho, ótima assistência técnica ou seja, tudo que um carro deve ter... mas ainda assim, os "entendidos de carro" vão tacar fogo neste carro pois não têm um "painel" bonito "emborrachado" e nem vincos por toda a carroceria . Afffff

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você esqueceu que o Etios também têm o porta-malas maior da categoria e um dos maiores espaço interno. Mas esses "entendidos de carro" é no NA, os alisadores da plásticos.

      Excluir
    2. Isso parece falta de integração no projeto. Só a equipe da mecânica caprichou. O resto...

      Excluir
    3. A de estrutura também caprichou, já que foi bem no NCAP.

      Excluir
    4. A questão não é o painel não ser bonito. Ele simplesmente é medonho! Qual o propósito de um painel desses? Ser moderno apenas por ser?

      João Paulo

      Excluir
    5. Nossa, o Etios nem chegou na discussão se o painel é emborrachado ou não, está ainda naquele estágio se o painel é suportável aos olhos ou não. Por fora a coisa piora e a Toyota ainda por cima está fazendo fila de espera para não reduzir o preço e não faz a mínima questão de negociar valores por causa disso

      Mecanicamente o carro é mesmo muito bom, surpreendente dado que a aparência faz você esperar dele o comportamento de um popular dos anos 90. Mas como disseram parou por aí, o carro é muito mal acabado (em desenho e qualidade), feio como nenhum outro, muito caro pelo que traz na maioria das versões e o nível de equipamentos é de chorar em todas as versões que não sejam as mais completas. No hatch vc paga mais de 40 mil pra ter conta giros e travas elétricas, pois antes disso nem com isso vem

      Excluir
    6. Anônimo20/11/12 14:50 deve achar o Arnaldo Keller idiota. Falar bem do Etios? Só idiota mesmo, afinal, ele não "entende" droga nenhuma de automóveis. Os "entendidos" são aqueles que nunca ao menos andaram em um desses modelos e já tiram a conclusão de um carro só olhando a fotinho na internet. Afinal, são tão "entendidos" que já sabem dar opinião que o carro não presta só olhando ele sem ao menos ter andando em um. Afinal, a supremacia de "entendimento" do automóvel é tanta que só no "olhar", ele já têm a sua opinião. Já Arnaldo Keller deve ser um idiota mesmo. Afinal, ele têm de testar e andar com um carro pra ter opinião. Arnaldo Keller não consegue dar uma opinião só no olhar, pois isso é pros "entendidos de carro".

      Excluir
    7. Não, até porque meu carro é um Fiat Punto e sou engenheiro civil. O que não aguento é comentários sem embasamento mecânico e tecnológico, típico de "entendidos de carro" porém não Autoentusiasta.

      Excluir
    8. Anônimo20/11/12 15:4920/11/12 18:45

      Nesse caso então estamos de acordo colega. Tambem privilegio a parte mecanica e tecnologica dos automoveis sobre a parte estetica e acabamento. Porem, segundo as propias palavras do AK, um painel que "é ótimo para quando você não deseja saber o que ele informa" pra mim acaba com o carro. Nao pelo aspecto estetico mas por considera-lo uma importante interface entre o motorista/entusista e sua maquina tao estimada. Desculpe se fui ironico.

      Excluir
    9. Anônimo20/11/12 15:4920/11/12 19:12

      Apagaram meu comentario das 15:49? Nao entendo o motivo, sendo que nao ofendi ninguem, apenas fui um pouco ironico e inclusive ja tinha me desculpado com o colega. De qualquer forma nao pretendia perturbar e peço desculpas novamente.

      Excluir
    10. Anonimo das 15:06, vc tem problemas de leitura ou de cachola. Estavam comentando do painel do carro, que o próprio AK criticou. Além do mais vc nem sabe se quem está escrevendo entrou no carro ou não, quem entrou sabe de tudo isso que está aí, mecanica boa mesmo e interior que assim como as fotos já falam é uma porcaria. Ninguém falou que não tem nada de bom pra falar do carro

      Excluir
    11. Display no centro do painel cheira a mercados com mãos francesa e inglesa. O C4 é assim, o Mini é assim e agora o Etios, que vem da Índia....

      Excluir
    12. Os anonimos que se consideram entendidos de carro, especialmente o anonimo que postou as 12:51 esquece que o consumidor, que dá a palavra final se um carro vai ou não sobreviver no mercado, usa como critérios de escolha quando vai comprar um carro a segurança, beleza, percepção de bom acabamento e preço. O defeito do carro da Toyota é ser feio, mal acabado e, principalmente, ser caro. Se ficha técnica, bom acamento e lista longa de equipamentos de série fosse garantia de venda, o LINEA não seria o mico que é. Obvio que o ETIOS está posicionado no mercado. É como um pai tentando forçar a barra e adiantando seu filho 1-2 anos na escola, na esperança que ele consiga concluir logo seus estudos...tem tudo para dar errado...e tá dando no caso das vendas pífias do ETIOS.

      Excluir
  8. Arnaldo,

    Em primeiro lugar quero dizer que quando a Toyota mudar o painel e também colocar um dispositivo para mudar a intensidade da luz, é quase certo que meu próximo carro será um hatch 1,5.

    É evidente que bolsas atrás dos bancos dianteiros viriam a calhar e que poderia ser um grande diferencial na hora da compra.

    Apenas gostaria que você desse uma nota para a estabilidade do hatch.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. The Sun,

      A luz do painel me fez tapar os mostradores com um pano, na viagem de volta, à noite.
      Não entendi seu comentário a respeito das bolsas atrás dos bancos. Isso não é diferencial na hora da compra, porém eu as uso frequentemente para colocar jornais e revistas sem que fiquem voando pelo carro.
      O hatch é mais neutro que o sedan nas curvas, mais rápido, ao menos foi a impressão que tive. Não medi tempo nem nada, só impressão. A estabilidade é boa para a categoria, mas, por exemplo, acho o Voyage e o Punto melhores de curva. Porém, como disse, é uma opinião não-oficial, não houve medição, um comparativo onde se desce de um e monta no outro, só impressão.

      Excluir
    2. Arnaldo,

      Bem, meu carro não tem essas bolsas e tampouco aquelas caixinhas sob o banco, tipo Fit, que para mim faz falta.

      Quanto à estabilidade, não preciso de uma avaliação oficial, é apenas para saber se está dentro do razoável e se também não é daqueles que sofre muito com ventos laterais.

      Mas como já disse antes, o carro me agradou e até achei o painel bonito, mas nada prático. Se a Toyota não mudá-lo, simplesmente será descartado.

      Ah! Quando você testou o Gol, você esqueceu de dizer que o encosto é tão duro quanto uma tábua. Recentemente entrei em um para testar e desisti só pela paulada que recebi nas costas.

      De todos os pequenos, os que mais me agradam são o Fiesta Rocam 1,6, mas que depois da última mudança ficou feio que dói e o New Fiesta, que é bom e bonito, mas com um painel que é muito moderninho para o meu gosto. Detesto a cor alumínio.

      Excluir
    3. The Sun,

      quanto ao banco, dou mais valor ao formato que à dureza. Tem muito carro esporte aí, antigos e novos, com banco duro, porém muito confortável. Quanto aos ventos laterais: não o achei dos melhores na categoria, mas passa.

      Excluir
  9. O painel é medonho e péssimo de visualizar. Adorei o "balança Filizola". É isso mesmo. Matou o carro.

    ResponderExcluir
  10. Ué, porque tiraram o "no uso" do título? Brigaram tanto falando que não era um título idiota...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 20/11/12 13:14
      Você não entende o que lê? Releia o primeiro parágrafo para saber por que não há "no uso" no título.

      Excluir
    2. É porque vocês do blog escreve mal. Só mesmo vocês e seus puxa-sacos que acham que escrevem bem.

      Excluir
    3. Anônimo21/11/12 15:20
      Todos temos o direito de fazer críticas , mas com educação, sem grosseria. Porém, para criticar, o mínimo que você precisa é saber escrever o português de forma correta.
      Um pouco de estudo e boa educação não faz mal a ninguém!
      Nós, leitores do blog, agradecemos.


      Excluir
    4. Ah, é mesmo? Então ensina aí como se escreve, professor Pasqualete.
      Faz o seguinte, cai fora daqui e faz um blog com dicas de gramática e interpretação de texto. Quem sabe você consegue arrumar uns "puxa-sacos" também.

      Excluir
  11. HUAHUAHUA 44 mil??? Compro um POLO por esse valor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim, zero quilômetro tbm, só para constar.

      Excluir
  12. É um carro pequeno, porém interessante.Pelo prêço cobrado não vão faltar comparativos com outros carros. Até de outras categorias. Por exemplo, o Tiida Sedan (tenho um). Motor 1.8 moderno, bem maior e confortável. Faz 10 km/l na cidade e 14 km/l na estrada (gasolina e ar ligado). Faz 7,8 km/l na cidade e 10 km/l na estrada (alcool e ar ligado) Faz de 0 a 100 km/h em 10 s. Custa o mesmo prêço do Etios. O Tiida hatch tem o mesmo desempenho, mas um pouquinho mais caro, o que vale a pena. Por que esses carrinhos custam tão caro ? Bom, isso já foi discutido em várias frentes, nem vale perguntar de novo.........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comparar Um Etios completo com um Tiida básico não têm nada a ver. O Etios sedã básico custa ao redor de 36 000, preço menor que alguns da concorrência.

      Excluir
    2. E esse Etios básico já vêm com direção elétrica, ABS, Air-Bag de série por 36 000. Por mais um pouquinho, com 38 000, dá pra levar ar-condicionado. O Tiida sedan, por 45 000 reais nem ABS têm.

      Excluir
    3. Acho que faz todo o sentido comparar modelos pelo preço, mesmo sendo carros de categorias e nível de equipamentos diferentes. Eu, pelo menos, quando vou comprar carro eu vejo o que posso pagar e depois procuro todas as opções nessa faixa. O tiida pode ter menos equipamntos, mas tem melhor conjunto mecânico, eu prefiro assim.

      Excluir
    4. Ubiratã,

      O Tiida é mais carro, sim. Outra categoria. Se for o mesmo preço, eu também, a minha escolha seria um Tiida, sem pestanejar.

      Excluir
    5. Rafael Nakazato22/11/12 12:58

      É uma pena que o Tiida sedan tenha saído de linha. Nem consta mais no site. Os últimos que chegaram ainda vinham com câmbio automático, além de todos os ítens de série normais da versão manual anterior, por algo em torno de R$ 46.000. Como já disseram, só faltou o ABS. Um carro ótimo que o brasileiro não gostou pq não faz inveja ao vizinho. Acredito que erá a mesma coisa com o Etios, infelizmente.

      Excluir
  13. Corsário Viajante20/11/12 13:28

    Pelo jeito, o que salva é a estrutura e o motor. Então o negócio, para quem for comprar, é ir pras versões básicas e pronto, pois o salto de $$$ é desproporcional pelos poucos equipamentos.
    Enfim, nunca conseguiria ter um carro "sem painel", ainda mais depois que me acostumei com o excelente, racional e informativo painel da VW com i-sistem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que o básico, se for o hatch, não vem nem com trava elétrica, nem conta giros, nem ar condicionado. É básico como um Celta, só tem o airbag a mais

      Excluir
  14. É um carro que já nasce datado; tenta seguir a fórmula do Logan mas a falta de capricho no painel e em outros detalhes podem ser fatais para as vendas.

    Não dá para se fiar apenas no laureado logotipo da Toyota na frente para vender um carrinho nada mais do que correto a preços que encostam em versões mais interessantes.

    No combate direto contra um Nissan Versa, Cobalt 1.8 manual, Voyage Sportline, Fiat Grand Siena, e no futuro - e aguardado - HB20 sedan...não vejo nada de muito auspicioso para o simplório Toyota!

    Mas estou curioso para dirigir um, apesar de não gostar desse clima de carro anos 90!

    MFF

    ResponderExcluir
  15. Tirando o fato de ser muito feio, até acredito que deve ser um bom carro. Fiquei com a impressão que tem uma boa base mecânica e que alguns defeitos poderiam ser facilmente evitados, afinal como profissionais bem pagos podem ter TANTO mau gosto na carroceria e no painel?

    ResponderExcluir
  16. 4 estrelas no Latin NCAP, pode ser feio, Logan derretido e o escambau, mas pelo menos a Toyota não nos sacaneia como faz a Nissan e Renault, por exemplo

    ResponderExcluir
  17. A Toyota vai sentir na pele que essa coisa de fazer um mesmo carro para todos os mercados do mundo não funciona.

    Os técnicos brasileiros fizeram adaptações muito superficiais para o nosso mercado e ficou claro para todo mundo que isso foi insuficiente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ela fizer um mesmo carro bem executado para todos os mercados, funciona direitinho. Se o Etios:

      1) Tivesse um estilo que não falasse "sou carro para Terceiro ou mesmo Quarto Mundo" de maneira não verbal;

      2) Tivesse instrumentos de painel mais visíveis, preferencialmente à frente do motorista;

      3) Possuísse saídas de ar centrais próximas respectivamente de motorista e passageiro, ambas em um mesmo nível;

      4) Contasse com acabamento mais caprichado;

      5) Não sofresse com diferenças extremas de projeto (o sedã indiano tem atrás do banco traseiro uma barra que impede o rebatimento, enquanto o brasileiro usa o mesmo banco traseiro do hatch e substituiu tal barra por duas chapinhas no pé do banco, permitindo rebatimento e demonstrando que a Toyota brasileira notou que o consumidor daqui valoriza tal recurso em sedãs).

      Provavelmente ninguém iria reclamar de ser um mesmo carro para todos os mercados do mundo. O Corolla tem diferenças bem menores que as do Etios para os mercados onde é vendido e ninguém reclama disso, pois é projeto bem executado em seu todo.
      A Hyundai foi mais atenta que a Toyota em relação a isso e projetou o HB20, que apesar de ser projeto para o Brasil é algo de classe mundial (fala-se que poderá suceder o i20 europeu, até porque a especificação de plataforma adotada aqui é mais moderna). Aliás, creio que estejamos caminhando a passos largos para o fim da dicotomia em que um carro de projeto mal executado vai para o Terceiro Mundo e transparece isso até mesmo no desenho e um carro bem projetado vai para o Primeiro Mundo, na maior parte das vezes transparecendo esse bom projeto em suas linhas.

      Excluir
    2. O Corolla é um carro para todos os mercados do mundo e funciona, civic também... O problema do Etios é que parece que alguns setores de projeto foram descuidados ao fazerem o serviço nesse carro.

      Excluir
    3. Adaptações superficiais?

      O Etios indiano, não tem forrações internas, texturização nos acabamentos plásticos (é liso e sem retirada da rebarba da injetora, do jeito que sai de lá vai pra linha).
      E continuamos, ele vem com motor 1200cc, mais fraco, não vem nem com um sistema de cuba dentro do tanque para o retorno de combustível, ao testar um modelo indiano no Brasil, percebeu-se em serras que havia falta de combustível em curvas rápidas e com tanque perto do 1/4 do total.

      ps. Sei dessas coisas, pois fui à fábrica realizar um treinamento interno, e pude observar muitos outros pontos antes mesmo do lançamento.

      Excluir
    4. Corsário Viajante20/11/12 23:11

      Com certeza houveram diversas adaptações, mas não foi o suficiente.
      Sendo sincero, a cara feia até dá para engolir. COm boa vontade até dá para gostar, como alguns Dacia que de tão toscos ficam bacaninhas. Mas o painel... Como bem disseram, não tem como negociar, é "não" e pronto. COmo é possível erro de paralaxe??? Não tem como aceitar isso, é muito pouco caso.

      Excluir
    5. Ivan, só que lá esse carro custa 15 mil reais, metade do modelo mais básico vendido aqui que a mais que o indiano tem só o airbag e o motor 1.3 no lugar do 1.2. E pelo menos por fotos o interior é de qualidade e beleza iguais aos daqui, algumas versões até melhor (tem opcional de mais cores para o painel e interior muito mais bonitas que o cinza rato daqui)

      Excluir
  18. Por esse preço, passo batido pela porta da Toyota, e vou até a Fiat, buscar um Grand Siena Essence 1.6 16v Dualogic. Ainda saio com uns trocados. Ou deixo por lá mesmo, se levar os side-bags opcionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou nessa também, Grand Siena oferece mais por menos.

      Excluir
    2. Mr. Car,

      Esqueça! Eles não irão aceitar o teu Logan na troca...

      Zebedeu!

      Excluir
    3. Não se preocupe, eu não dou carro usado como entrada em concessionária: compro o 0km "cash", e depois vendo meu usado para um particular. Sempre fiz assim, zé mané.

      Excluir
    4. Zebrdeu
      A resposta inteligente do Mr. Car te pos no chinelo
      Zebedeu se fu***
      Ah aha aha !

      Excluir
    5. O Mr. Car parece aqueles que levam 2 anos pra vender o carro no particular, ganhando menos do que dariam pra ele na troca

      Excluir
    6. Nestor Leidens21/11/12 01:02

      Quando alguém cutuca o Mr. Car, sempre aparece um "anônimo" pra defendê-lo e proclamá-lo "inteligente". Curiosa essa forma de se auto-afirmar moderna...

      Excluir
    7. Nestor Leidens,

      Todos os que participam dos comentários deste blog sabem disso.

      Realmente é uma lástima.

      Quem sabe um bom psicólogo resolva o problema...

      Dr. Von Strangil.

      Excluir
    8. Nem tão curiosa assim, Nestor: apenas evidencia que há gente adulta por aqui, que se irrita com a falta de maturidade de quem posta apenas para provocar e tumultuar. Garanto que eu não sou nenhum destes anônimos que me "defendem", mas se os tenho... te incomoda? Isto sim, é curioso. Devia se incomodar com quem tumultua.

      Excluir
    9. Nestor Leidens
      Tomou uma bela chapuleta do Mr.Car
      Perdeste uma oportunidade de ficar calado.
      Fica esperto!

      Excluir
    10. Claro, claro Anônimo das 14:09, ou devo dizer Mr. Car?

      KKKKKKKKKK!


      Dr. Von Strangil.

      Excluir
    11. Diga Dr. Von Strangil mesmo. Não tem erro.

      Excluir
  19. Arnaldo, e essas saídas de ar centrais empilhadas, não são problemáticas? Vi o Etios naquela exposição itinerante da Toyota no Shopping Morumbi e uma coisa que notei é que fica bem antiergonômico tentar direcionar um fluxo de ar para o lado direito do motorista, até pela saída estar bem longe do alcance da mão. Tenho cá minha impressão de que o ar chega meio quentinho, enquanto em outros carros estaria ainda bem gelado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo das 14:13

      Eu gosto desse sistema de saídas de ar. O Bob não gosta. Eu acho prático e me garante que com o passar dos anos não vai encrencar palhetas, como ocorre em alguns outros. Quanto à distância, sem problemas. O fluxo de ar é grande, o ar vem geladinho e o ventilador é silencioso. Tudo bem.

      Excluir
  20. Poderiam ter caprichado mais no design. Só isso já seria desclassificatório para mim, mas ainda puseram um painel horrível no meio do carro (e brilhoso!!!). Não compraria nem se o restante fosse só elogios...

    ResponderExcluir
  21. Quem desenhou o painel desse carro só pode ter fumado maconha estragada...

    ResponderExcluir
  22. Gostei Arnaldo Keller! Enfatizou a importantissima potencia disponivel do Etios!

    Especialmente salientou muito bem a Toyota ter preferido uma potencia especifica mais baixa visando uma curva de potencia mais satisfatoria do que um motor de elevadissima potencia especifica mas em altissimos giros, coisa que a condução normal, aliado a uma transmissão longa permite um dirigir confortável, normal, sem parecer "rachador"!

    ResponderExcluir
  23. Excelente matéria AK! Por coincidência estava pesquisando sobre o Etios ultimamente.

    O acelerador eletrônico se comporta bem? Sem muito atraso nas acelerações e desacelerações?

    Se possível gostaria de um parecer comparativo ao March, quanto à suspensão e posição de dirigir (o Etios me pareceu melhor nos dois itens, mas como só fiz um rápido test-drive, não deu para ter tanta certeza).

    Sobre o painel, o fato de ele ser na posição central não é tão ruim, ele não fica tão longe do campo de visão (fica junto da mão direita, para quem segurar o volante na posição "10h:10m") e é maior do que as fotos sugerem. O problema mesmo é o seu desenho, com aquele ponteiro escondido dentro daquele sulco preto, além desse problema da claridade à noite que vc destacou. Se os ponteiros fossem maiores, na frente das escalas, já melhoraria enormemente. Variação de intensidade de luz, é algo bem barato de implementar, um simples botãozinho perto do botão de trip, só para mudar entre "intensidade 1 e 2", já estaria ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, seus comentários a respeito do painel batem com minha opinião.
      O acelerador funciona perfeitamente, e olha que costumo reclamar mesmo se não está bem acertado. Só o pedal do acelerador não está na melhor posição para o punta-tacco. Dá para fazer o punta-tacco, mas tem que pensar antes, não é automático.

      Excluir
  24. Bom mesmo é comprar um FIESTA sedan 1.6 rocam completo por R$ 34.990,00, e você ainda leva de brinde aquele prazer de pisar no acelerador e ter resposta imediata, pois tanto o MILLE quanto o FIESTA ainda possuem acionamento por cabo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é a melhor opçao esta que vc sujeriu.

      Excluir
    2. O Fiestinha é o carro mais honesto do mercado, ruim de subida...não gosta de girar alto, mas é show...e como faz curva.

      Excluir
    3. Não gosta de girar alto, também não gosta de girar baixo... Abaixo de 2000 rpm pode pisar que ele tá bocejando ainda.

      Excluir
    4. M.Greg e Thales...tenho um fiesta rocam 1.6 flex 2008, e falo pra vocês...ruim de subida!?!? não gosta de girar alto!?!? vocês provavelmente nunca dirigiram um pra valer!!! quando pego estrada com o meu, o conta giros ta sempre na casa de 5000rpm e não reclama hora nenhuma!!! muito pelo contrario!!! e da gosto puxar marcha a marcha ate os 6300rpm!!! nas subidas...engata-lhe uma terceira e pode contar com ele sobe na faixa de 130km/h tranquilamente!!! isso em subidas com bastante inclinação!!! se não tiver tanta inclinação, ele vai mais longe de boa!!!

      Excluir
    5. Anônimo21/11/12 00:21

      Tive um até pouco tempo atrás 09/09...hatch, fiquei com ele até 50 mil km...gostava muito do carro, mas para subir achava muito fraco...de terceira marcha eu pisava até o final do curso do acelerador e o bicho travava mesmo...

      Excluir
    6. M.Greg...o meu e 08/08 hatch...tem 111cv no etanol...e 105 na gasolina!!! sei que nos modelos 09 em diante houve uma queda de potencia...ficando 101cv na gasolina e 107cv no etanol. Talvez esteja ai a diferença!!! na gasolina já se nota bastante essa perda de 6cvs, no seu caso, se usasse apenas gasolina, fica uma diferença de 10cvs(eu usando etanol e você gasolina)!
      apesar de levantar coro ao pessoal daqui e também ser contra o carro flex, e não ser dos mais fans do etanol, acabo dando preferencia a esse, visto que o meu fiestinha fica uma bala!!! e como disse antes, estico as marchas bastante e acho o motor bastante liso e suave em alta(um tanto frouxo abaixo dos 2000rpm)!!! a única ressalva fica por conta do fato de que quando frio, no etanol ele fica um pouco desagradável de dirigir (da algumas cabeçadas...mas é coisa de 5 minutos)!!! comprei o meu usado no começo de 2011...na época com pouco mais de 22.000km rodados. Hoje já passou dos 52.000km, e ainda assim, não trocaria ele num etios nem me apontando uma arma. e concordo com você, o fiesta, pelo preço e equipamentos, e disparado mais honesto.

      Excluir
    7. A Ford com o tempo foi estragando o Rocam, não sei porque razão

      Excluir
    8. Corsário Viajante21/11/12 15:26

      Para conseguir vender o NF.

      Excluir
    9. O Rocam foi piorado na linha inteira da Ford, é comum reclamarem que os 1.0 atuais estão piores que os de alguns anos atrás, seja com Ka ou Fiesta

      Excluir
    10. Não sabia desta diferença de pontencia não, obrigado pela informação. O bom de comprar um carro com bom tempo de mercado é q ele amadurece sadio, muitos acertos são feitos ao longo dos anos... Outro q acho q era um bom custo/benefício era o Astra, carro bem acertadinho demais...mas fazer o que né ?

      E eu acho q logo logo a ford vai matar o fiesta...vai deixar saudades.

      Excluir
    11. Até hj o melhor Rocam foi o do focus flex de 08, 112,6cv andava muito bem e não era beberão. show de carro.

      Excluir
  25. é um meio de transporte...e só !!

    Oh Arnaldo...oooohhh Arnaldo, não vai perder um maço de Marlboro por causa de um Etios, hein ???? !!!!

    ResponderExcluir
  26. O que estranho nesse motor é o curso ser tão longo em relação ao diâmetro. Isso não o torna ruim em alta? Se esse curso maior do 1.5 for a única diferença em relação ao 1.3, dá para imaginar que a relação R/L também não seja das melhores.

    Em tempo, também não entendi qual a vantagem de terem feito o coletor de escape integrado no cabeçote.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alex,

      O motor é bom de tudo. Surpreende. Bom de alta também. Como eu disse no texto: não deixa a desejar mesmo, e é econômico mesmo.

      Excluir
    2. Vc falou uma coisa que tenho notado muito: O uso de quase todos os fabricantes de motores "subquadrados". Praticamente todas estão usando motores de curso longo em detrimento de uma melhor relação r/l. Até mesmo a BMW, que tem motores que giram até 7.000 rpm tem motores com curso de pistão por volta de 89mm. As exceções são os ford zetec e duratec, e os motores porsche.

      Excluir
  27. Desculpa, mas com esse painel não dá. Realmente não dá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá, nãõ dá e não dá mesmo!

      Excluir
    2. Corsário Viajante20/11/12 23:13

      Já eu achei o painel uma graça, na verdade três graças: sem graça, desgraça e nem de graça.
      Não dá, não dá mesmo.

      Excluir
  28. Acho que dá pra desencaixar esse painel e colar atrás do volante com fita dupla face. Problema resolvido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jacinto Pinto Aquino Rêgo20/11/12 17:13

      Não precisa ser tão radical, basta grudar um GPS no lugar tradicional do painel e colocar na função que simula o painel de um carro; ou então adquirir o app para android chamado Torque e o adaptador Bluetooth para conectar ao ECU do carro e, assim, transmitir para o celular todos os parâmetros do carro em tempo real, inclusive os dados de consumo e os erros registrado pelo sistema. O app custa uns 10 reals, enquanto que o adaptador (ECU Bluetooth) custa entre 10 e 20 doletas no eBay.

      Excluir
    2. Corsário Viajante20/11/12 23:14

      Aliás, em outros testes algumas peças literalmente sairam nas mãos dos jornalistas. Então talvez seja mais fácil do que a gente imagina.

      Excluir
  29. Ainda não tive a oportunidade de fazer um test drive num Etios, mas pela ótima avaliação feita pelo Arnaldo dá pra ver que se trata de um carro que, do ponto de vista mecânico, é muito bom; mas ainda assim acho que está custando mais do que deveria. Parece que a Toyota nivelou o nosso mercado por baixo, enquanto que a Hyundai nivelou por cima. Como pode um carro custar 44 mil reais e não oferecer sequer como opcional um retrovisor elétrico? Sem contar o horroroso "painel Filizola"... Até que eu compraria um, se o sedan 1.5 completo custasse o mesmo que o 1.3 básico.

    ResponderExcluir
  30. Estou impressionado com a quantidade de gente que está disposta a comprar o carro mesmo com esse painel. Não importa se o carro é bom de bater, se tem motor bom, se é barato... essa coisa a aí no meio do carro mata ele.

    Vocês vão pedir para o passageiro para se inclinar e ver quanto tem de combustível? Vão colocar uma tampa nele de noite? Vão pedir para o filho que senta no meio do banco de trás para falar qual a velocidade pois só ele não será prejudicado pela paralaxe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah.... pára de drama!

      Excluir
  31. Pelos $ 44690,00 pedidos pelo Etios pode-se comprar:
    1- Toyota Corolla 2009 automático ou manual em qualquer uma das cores (preta ou prata), o que é uma referência melhor do que se acha ao comprar um corolla zero.
    2- Ford Focus hatch 2,0 2009 ou 1,6 2012, que pertencem a outra categoria (a categoria dos carros muito legais)
    3- Dois populares pé-de-boi (Celta, Mille, Clio,etc) zero-km.
    4- Um Logan e gasolina suficiente para dar a volta no mundo
    5- Um Sentra ou Fluence ainda na garantia.
    6- Um antigo e a reforma necessária para que ele ganhe concursos com uma regularidade irritante;
    Todos eles com o painel no lugar certo. Pelo menos quando o modelo de entrada é o Etios, compensa muito procurar um médio usado ao invés de ficar com o "de entrada" novo.

    ResponderExcluir
  32. vai ter que colocar una película na balança filizola. até na foto parece que incomoda. além de ser feibagaraí, salvem o motor!

    ResponderExcluir
  33. AK

    Balança Filizola e teste do Marlboro...só vc msm!

    Hahahahahahaha

    ResponderExcluir
  34. Painel hor-rí-vel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  35. Curso muito longo para um 1.5, não? Qual o r/l?

    ResponderExcluir
  36. Feio, projeto ultrapassado, pelado e medíocre. E caro, muito caro! Carro de barnabé, parece um russo dos anos 90. Esse painel por si só é um erro indesculpável, um pecado capital que nem o "pedigree" Toyota (mais mito do que merecido) compensa. Que venham os coreânus!

    ResponderExcluir
  37. Bob Sharp faça uma avaliação do FIESTA rocam 1.6 2012 e se possível um comparativo, pois foi o carro que consegui comprar,já que em outras marcas ia sair com um super 1.nada com ar pelo mesmo valor,seja rápido pois ele já subiu no telhado junto com o MILLE e a KOMBI!

    ResponderExcluir
  38. Esse painel mais alto do que estaria se estivesse atras do volante e na parte central ficou horrível. Esse é o tipo da coisa que você perdoa em um Citroen da vida mas não em um Toyota. Eu defino os Toyotas como carros eficientes e que não se destacam e nem comprometem no design. A medida que ela adota um painel polêmico desses na minha opinião deixa de ter o espirito da Toyota.

    ResponderExcluir
  39. O carro é bom e ponto!

    Povinho reclama, mas foi esse mesmo povinho que fez e faz do Gol o carro mais vendido à anos, desde sua tosca versão quadrada, carburada e pelada! No 1.0 quadrado, por exemplo, nem os quebra-ventos abriam!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo menos o painel do gol está no lugar certo deste a primeira geração. E ainda vem com regulagem de luminosidade "de série".

      Excluir
    2. É verdade, o painel do gol está no lugar certo desde a 1ª geração.

      O volante que está na posição errada!

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Para de falar groselha anonimo anti-gol. No tempo do gol quadrado TODOS os nacionais eram carburados.

      Excluir
    5. Állek Cezana Rajab,

      O Gol "G4" nada mais é que o "G2" e "G3" com retoques. E tem os mesmo problemas de posição torta. Se não sabe disso, é porque nunca entrou num deles.

      Excluir
    6. Para de comparar Gol e Etios... Não tem nada a ver... O Gol 1.0 (Chevette júnior e Escort hobby também) chegou para tirar o reinado do Uno "milho" que foi beneficiado com um incentivo - ridículo por sinal - do Governo na época. Então, quanto mais barato, mais acessível. E para baratear, tem que enxugar o projeto do carro, já que os impostos abusivos não deixarão de existir. Além disso a Toyota já pegou a manha das montadoras nacionais e farão de tudo para lucrar, pouco se importando com a qualidade do serviço deles. Pode apostar.

      Excluir
  40. Daqui a 10 anos vão se lembrar desta primeira versão do Etios como a do "painel Filizola".
    Parabéns AK, batizou uma versão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toyota te ama.

      Excluir
    2. ou Suspensão Marlboro, sei lá, vai saber.
      Mandou bem.

      Excluir
    3. Eu achei injusto o comentário do Arnaldo.

      A Filizola não tem culpa nenhuma...


      AndreK

      _____
      42

      Excluir
  41. o dia que uma "montadora" me der um carro pra avaliar vou colocar um macaquinho bugio (tem um mote lá na chácara) no porta-luvas pra ver se ele gosta de ficar lá dentro. Bugio decide!

    ResponderExcluir
  42. Não gostei. Depois de entrar no HB20 dá depressão em entrar em qualquer outro carro que custe o mesmo preço.
    Para eu comprar o Etios só se for dar uma volta no HB20 e ficar sem freio na ladeira.

    Não vejo nada que se compara ao estilo do HB20. Tem que dar muito desconto para desistir dele...

    ResponderExcluir
  43. Eu não entendo como a Toyota olhou para esse painel e disse: Está bom. É um caso típico que não precisaria ter chegado ao mercado para descobrirem que não presta e não vai agradar pelo simples fato de ser tecnicamente ruim. Não é nem questão de gosto.


    Uma opção barata de mudá-lo é adotar velocímetro digital com números grandes. Já ajuda a atenuar a m**** que fizeram.

    ResponderExcluir
  44. Como é bom ler opiniões sensatas. Não me admiro do mercado brasileiro ser tão ruim. Afinal um ótimo carro como é o Etios, vem sido duramente criticado simplesmente por não ser bonito.
    Pra que ter um carroceria moderna com deformações programáveis?
    Pra que executar soldas que diminuem a possibilidade de criarem pontas em caso de rompimento em colisões?
    Pra que direcionar o custo do projeto em pesquisas de comportamento dinâmico da suspensão, freios e direção?
    Pra que construir um motor específico para um carro, projeto praticamente recém tirado do forno, têm pouco mais de 3 anos de projeto a família NR dos motores do Etios.
    Pra que tudo isso? Afinal, quem liga pra durabilidade, confiabilidade, se a marca tem o melhor pós venda do país?

    Afinal, é feio, não presta.

    Melhor andar de Uno, projetinho básico do final dos anos 80.
    Ou de Gol, outro que já passou pelas décadas de 80,90,00 e se bobear, passa essa década, e entra nos 'anos 20'.
    Bom mesmo é andar com a melhor marca do mundo, que está dividindo as concessionárias, e a responsabilidades pelos veículos circulantes.

    Na boa. Tem gente que não merece o direito conquistado de dirigir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Não me admiro do mercado brasileiro ser tão ruim." Pronto! Você já disse tudo! O Etios possui uma ótima mecânica, um ótimo desempenho, ótimo espaço interno, ótima assistência técnica, ótimo consumo, ótima confiabilidade, ótimo porta-malas, ótima segurança...enfim, é tudo que brasileiro NÂO QUER. Brasileiro quer um painel bonitão e alguns mimos pega trouxa. Se então tiver uns vincos na carroceria, então é definido como o herói do universo da salvação.

      Excluir
    2. É isso mesmo filhão, segue fazendo o jogo do contente que se contenta com pouco, é isso que a Toyota quer!
      Ser bom numa coisa não obriga a ser uma droga em outra.
      Se tem tanta tecnologia para tirar quatro estrelas num crash test, podia ao menos ter um painel funcional.
      Afinal, se formos pensar em segurança passiva, aquele painel é um perigo constante.

      Excluir
    3. Na boa, eu teria vergonha de defender essa escolha da Toyota de "Vamos mandar qualquer coisa para os clientes do Brasil, eles vão olhar nosso logotipo, e dizer 'ooohh, que carrão!!', e nem vão ligar para a porcaria que fizemos no resto; enquanto isso, nossa margem de contribuição é altíssima e separamos nossos melhores produtos para países desenvolvidos, apenas."

      Excluir
    4. se for só pra ser econômico prefiro andar de uno que é mais econômico, barato e menos feio, e minha vista a noite agradece!

      Excluir
    5. Pois é, me conta onde fica o macaco neste carro e daí a gente conversa sobre projeto...
      Isso só para não ficar batendo na tecla do "painel-que-não-é-um-painel".

      Excluir
    6. Se a concorrência não tivesse nada similar pelo mesmo preço, essa de ter que aceitar a feiura como compromisso seria mais aceitável (embora ainda fosse uma mentira, não precisaria fazer um carro tão feio assim). Mas tem HB20, Uno novo, Gol G5, Palio novo e muitos outros pelo mesmo preço que também possuem segurança, boa estabilidade e boa mecânica. O Toyota se destaca no máximo pela estrutura e os motores

      Falar de Gol G4, Uno velho, etc já é sacanagem, afinal o Etios começa em 28 mil, preço bem maior que qualquer um desses

      Excluir
    7. Precisei me meter. Uma coisa impede a outra? Pra ser bom, precisa ser mais feio que o Logan??

      Excluir
    8. Darthvex21/11/12 04:03
      Realmente acho muito feio e um pouco caro, mas não vejo ninguém falando. 'olha é um bom carro' Então, o consumidor merece os carros que tem, com tecnologia dos anos 80, motores flex, e o escambau. Afinal, porquê as outras irão se atualizar, se as carroças de 30 anos continuam vendendo, e bem, e a cada ano a qualidade vem caindo. Exemplo bem conhecido nosso. Corsa 94~99 > Corsa Classic > Celta. O projeto é um mesmo, mas só decaiu a qualidade do produto como um todo.

      Anônimo 21/11/12 00:01
      Dirijo a 5 anos, e só precisei do macaco uma única vez. E não precisar ir muito longe para saber que existem pessoas que usaram menos ainda. Por no porta malas para quê? Segurança e medo de ser assaltado? Como se trocar um pneu fosse algo rápido...

      Anônimo 20/11/12 23:41
      Leia o que falei anteriormente e defina "porcaria".

      Anônimo 20/11/12 23:33
      Na real, eu me contento com o que eu posso ter. Ando todos os dias com um Corsa Wind 1.0 1996, que pouco me deixa na mão. Sim, acho o Etios feio, mas o que está acontecendo no mercado é que um bom carro está sendo criticado sem nem ao menos olharem suas qualidades. Nessa faixa de preço compraria um usado melhor. E concordo 100% quando você falou que se tem tecnologia para um carro bom em estrutura, motor e etc, poderia investir em designe. Pois não me agrada também ter um carro que não agrade os meus olhos

      Excluir
    9. Ivan, é um bom carro, e entendo seu ponto de vista. Se ninguém der crédito para o pequeno Toyota, vai dar a impressão de que suas qualidades não valem nada.

      O problema é que ele comente erros muito crassos, que não encontramos nem em Celtas, Milles e outros carros sabidamente ruins. Não vou discutir se é feio ou bonito, isso é questão de gosto e eu praticamente não dou a mínima para a estética do carro.

      Mas esse painel é inaceitável. Um erro de projeto, um corte de custos besta uma vez que é um veículo que começa em 30 mil reais! A velocidade no painel deve ser de leitura fácil, pois temos auto estradas rápidas e cheias de radar. O mostrador de combustível exige que você perca preciosos segundos para avaliar o quanto ainda tem no tanque.
      Chamam atenção disso pelo simples fato de que é inaceitável. Há certas coisas que não são dignas de elogios quando é bom, porquê são tão obrigatórias que ter não é uma qualidade.
      Ter um painel de fácil leitura é algo como vender o carro com rodas redondas.

      Excluir
    10. Corsário Viajante21/11/12 09:43

      O mais engraçado é que no mais difícil a Toyota acertou, mas no mais simples... Errou muito feio.
      Mas enfim, o anônimo das 08:14 já respondeu muito bem o mesmo que eu penso.

      Excluir
    11. Anônimo das 8:14
      Acho que vc achou uma pista para matarmos a charada. Provavelmente ninguém reclamou desse painel lá na Índia, porque lá não deve ter essa quantidade de radares que temos aqui, utilizados como armadilhas numa verdadeira "caçada" por multas.

      Pois lembro que os modelos mais antigos do Jipe e Rural Willys também tinham o painel no meio, numa posição que tinha que desviar muito mais a vista, e ninguém reclamava, mas eram outros tempos...

      Excluir
    12. Ivan,

      Você pode estar calçando o melhor sapato do mundo, mocassin italiano feito sob medida, porém, se estiver com uma pedrinha nele...
      O Etios tem inúmeras qualidades, como tentei evidenciar no texto, mas tem uns defeitos bobos, facilmente sanáveis e que acho que precisam ser corrigidos. O carro merece.

      Excluir
    13. Alexandre, você ja viu o trânsito na India?
      A velocidade é aproximadamente igual a que uma senhora de 80 anos manca de uma perna consegue andando quando está com pneumonia.

      Eles deveriam colocar um painel de instrumentos digital, com números grandes. Não precisa mexer no painel central e resolve o problema facilmente.

      Excluir
    14. Na boa. Me diz qual é a dificuldade de a Toyota, tendo feito tudo isso (e, concordo, são boas evoluções), fazer um painel legível, um acabamento decente e um desenho aceitável? Já fizeram o mais difícil!!

      Excluir
    15. Anônimo 21/11/12 12:32

      "Eles deveriam colocar um painel de instrumentos digital, com números grandes. Não precisa mexer no painel central e resolve o problema facilmente."

      Perfeito! Dentro em breve, nas concessionárias Toyota. Isso será inevitável. Provavelmente, junto com um leve facelift.

      _____
      42

      Excluir
    16. Arnaldo

      Eu não tenho o mínimo interesse por um Etios, e confesso que a beleza é um dos fatores, bem como o preço também, que ainda não é compatível com o que posso pagar.
      E devo concordar, assim como você, espero que ao invés de uma reestilização, haja modificações intensas, que devem começar a elaborar um novo chicote do motor e carroçaria, pois este foi o motivo de ter feito o painel central, redução de custos de projeto, com um chicote universal. (Palavras de instrutores internos da fábrica de S. Bernado do Campo).

      Acertando o interior, com o painel aonde deve ser, com mostrador de temperatura da água, marcador de combustível analógico, e sistema de som traseiro, este carro começará a vender muito bem.

      Excluir
  45. Carro típico para mercados sub-desenvolvidos como o brasileiro. Duvido que venderiam isso na Europa ou nos EUA. A única coisa que se salva nesse carro é o motor, japonês com bloco de alumínio e acionamento do comando por corrente. O resto, é muito ruim.

    ResponderExcluir
  46. Ao rapaz que está defendendo o carro: os comentários não se referem, apenas, à feiúra do carro. Se refere à todas as soluções ruins adotadas nesse carro, que nunca seriam adotadas em um carro a ser vendido nos EUA ou no próprio Japão. Isso, todos têm direito de questionar.

    ResponderExcluir
  47. Arnaldo,

    Tive a oportunidade de passar as marchas e são muito boas de serem neste carro! Os mostradores realmente são tenebrosos e, dependendo do(s) carona(s), podem virar formento para discussão, pois as informações são exibidas para todos. As saídas de ar do centro também poderiam ser revistas e acho que serão em um modelo futuro... No geral, me pareceu um bom carro, me transmitindo mais solidez que alguns modelos já há tempos no mercado (Siena e '207' Pasion, por exemplo).

    ResponderExcluir
  48. O pessoal fica reclamando do painel no meio. Ora, é para proteger o motorista em caso de colisão, por isso o Étios conseguiu 4 estrelas no Ncap!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, essa doeu

      Excluir
    2. Mas vai doer menos em caso de colisão! Lembre-se, o painel está no meio.

      Excluir
    3. Dado que o carro tem airbag essa de atingir o painel é mentira

      Excluir
    4. Oca ra tá zoando...
      O pessoal por aqui realmente não sabe o que é ironia.

      Excluir
  49. A Toyota deve estar querendo nos forçar a nos habituarmos com este tipo de painel, que só a Citroen até o momento havia tido a ousadia, e mesmo assim, o C3 Picasso ganhou painel tradicional. A FIAT nunca usou no Idea. A Toyota, mirando o Prius, deve temer esse desgosto extra, pois muito provavelmente não alteraria o Prius pra vender aqui, talvez só piorar a qualidade os plásticos, Mas será?

    "Sua luz é forte e a coisa choca por ter fundo claro, quase branco, então à noite temos algo parecido como uma balança Filizola toda iluminada sobre o meio do painel." Tive crise de riso.

    Nota 10 pelo resultado no NCAP, mas pelo estilo, lamento muito quem optar por este veículo e também, aproveitando, o Honda Fit "twist".

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Darthvex
      Sua frase está incompleta, desculpe. "lamento muito quemoptar por este veículo e também, aproveitando, o Honda Fit "Twist", caso tenha um acidente". Ou você é dos que acha que carro foi feito para bater? Se acha, não ande de avião, também não foi feito para bater.

      Excluir
    2. O Bob é rabugento com essa questão. Ninguém disse que é pra bater Bob, só estão comentando o desempenho péssimo de alguns carros no Latin NCAP, em que fica muito feio o blog não comentar nada mesmo que a opinião dos editores seja contra a tal "histeria da segurança". Estamos recebendo carros ruins em impactos que chegam aqui e são piorados até na sua estrutura como mostram os testes, ficando piores ainda mesmo mecanicamente. Segurança passiva também é parte de um carro, então carro foi feito pensando em bater também

      Excluir
    3. Carro foi feito para bater, Bob. Todo carro moderno é feito para bater e proteger seus ocupantes. Se tivesse saído da década de 70, saberia disso.
      Conforme sua filosofia então, facas não deveriam ter bainhas, armas de fogo não teriam travas, não existiriam EPIs e EPCs, nem cintos de segurança nos caros. Mas acidentes são fatos inerentes da vida, evitáveis ou não. Então se temos condições técnicas de minimizar os efeitos de um acidente, sabendo que acidentes sempre continuarão existindo, se proteger dos danos cusados por um destes é uma atitude sensata e inteligente. Um mundo sem acidentes, somente se for o fantástico mundo de Bob.
      Agora, se você acha que não, que ande num carro inseguro, ande semn cinto, viva sua vida como se não houvesse amanhã. É direito seu. Você só não pode querer que todos façam concordem com seu estilo de vida e raciocínio.
      Aliás Bob, pra que você usava capacete, macacão e seus carros de corrida tinhasm gaiolas de segurança? Carro não foi feito para bater...

      Excluir
    4. "...mas pelo estilo, ..." Pelo estilo, Bob.

      Excluir
    5. Se o Bob tiver humildade, vai refletir bastante sobre o excelente post do anônimo das 15:03.

      Excluir
    6. Esquece cara, nunca vai acontecer. Ele vai entrar aqui e chingar com sempre fez. E depois virão um monte de baba ovo achar bonito.

      Excluir
    7. Anônimo21/11/12 15:03,

      Parabéns pela argumentação!

      Mas esqueça, o Bob só gosta quando concordam com ele, não adianta.
      Ele parece estar pronto, já sabe, já está completo, não há mais nada a fazer. Acha que chefe bom é o que tem "mais tempo de casa".

      Sabe como é...

      Excluir
    8. Anônimo 21/11/12 15:03 e leitores que comentaram na sequência
      Segurança passiva virou marketing (inventado pela Volvo) e exacerba-se cada vez mais. A coisa chegou a tal ponto que todo mundo anda apavorado ao pensar em morrer dentro de um automóvel num acidente – só automóvel, porque em ônibus, trem, avião e motocicleta ninguém pensa, é como se esses veículos não existissem. Muitos dirigem seus clássicos de coleção sem o menor receio. O filho de um amigo me ligou um dia perguntando onde mandava colocar airbag, pois o carro usado que seu pai lhe dera não tinha o equipamento. Vejam ao ponto em que chegou a neurose. Considera-se veículos mal classificados nos NCAPs como produto de fabricantes inescrupulosos, como se estes não dessem importância para a segurança dos ocupantes num acidente. Muitos dos que vociferam contra os carros inseguros, numa emulação barata do advogado americano Ralph Nader, acham que dentro de um carro 5-estrelas estão a salvo de morrer num acidente, é isso que os NCAPs estão conseguindo fazer, uma noção completamente errada. Quanto ao final do comentário do gerador dessa discussão, saiu da realidade ao prentnder estabelecer um paralelo entre uso normal de automóvel e uso numa corrida, onde se está 100% do tempo no limiar de um acidente. Mesmo um carro "10 estrelas" batendo a 200 km/h numa Autobahn, nada sobra. Compreenderam o meu ponto de vista agora?

      Excluir
    9. É claro que existe muito marketing em cima. Ainda mais num mundo consumista como o atual, mas isso sempre existiu. Por exemplo, os muscle cars, foram um sucesso nos EUA dos anos 60. Por quê? Porque as pessoas precisavam fazer o quarto de milha o mais rápido possível? Não, marketing. Começou a famosa corrida dos cavalos apenas para o consumidor poder falar que seu carro era o mais rápido, já que a maioria os tinha para uso "civil", não para competições de arrancada.
      Em relação a outros meios de transporte, qual a última vez que ouviu falar num acidente de trem num país desenvolvido? (não vamos considerar locais o sistema é velho e sucateado, como a Ìndia, por exemplo, por motivos obvios). Que eu me lembre, o último de monta foi na alemã DB, por volta de 1998, causado por um defeito de projeto nas rodas. A despeito de o tráfego aéreo ter se multiplicado muitas vezes nas últimas décadas, os acidentes são cada vez mais raros, embora ainda impactantes e letais devido à sua própria natureza.
      Exigir carros mais seguros não quer dizer que não se possam dirigir carros mais antigos e que não tem a mesma segurança. Eu também posso andar em um carro clássico V8 que faça 3 km/l, sem problema nenhum. Mas isso não quer dizer que eu tenha que comprar um carro novo que faça esses mesmos 3 km/l. O caminho lógico é de se aprimorar as coisas, não de ficar no mesmo lugar ou andar para trás.
      O problema não é os fabricantes venderem veículos mal classificados nos NCAPs, mas sim vender aqui veículos mal classificados nos NCAPs que em seus países de origem são bem classificados. Assim como vender aqui veículos com motores beberrões que lá fora são muito econômicos, vender aqui veículos muito atrasados tecnologicamente e com qualidade inferior em relação ao que é vendido lá fora.
      É claro que a 200 Km/h o sujeito vai se estrepar do mesmo jeito, mas estando num carro mais seguro ele pode sair ileso num acidente de 60 Km/h, ou pouco machucado num acidente a 80 ou 100 Km/h, onde num carro menos seguro ele se machucaria bastante. Voltando aos exemplos dados, é a mesma coisa da trava da arma de fogo. Ela existe para prevenir acidentes, mas não vai adiantar nada se algum idiota resolver brincar de roleta russa.
      Então Bob, preocupação com segurança não é bobagem, neurose ou puro marketing. É fruto de um processo de conscientização e de mudança da sociedade, aqui e lá fora, quer se concorde com isso ou não.

      Excluir
    10. Anônimo 21/11/12 22:14
      Conscientização e mudança da sociedade gerada pelo...marketing, ou técnicas de mercado, nada mais. Quem exige carro seguro (em acidente) e dirige um clássico está sendo incoerente, desculpe. Nos NCAPs, não é porque um carro se arrebentou deslocado numa quina a 64 km/h que num acidente normal o resultado seja igual. São apenas avaliações comparativas que muito pouco a ver com o mundo real, mas apesar disso tem gente que vai nessa ao definir uma compra. Neurose pura.

      Excluir
    11. Anonimo 22:14 disse tudo. Se for tudo marketing, então porque Bob temos que ter evolução dos 1.0? Carros que fazem cada vez mais curvas? Que dão menos problema? Só a parte mecânica que nunca é marketing?

      Incomoda sim ver o mesmo carro sendo vendido mais barato lá fora sendo muito melhor de motor, estrutura e qualidade que o vendido aqui muito mais caro. É desrespeito sim com o consumidor que fabricantes apenas queiram passar nas arcaicas leis de impacto do Brasil (que são ridículas tanto no teste como nas exigências) e nada mais. E faz diferença sim que o carro seja seguro e que passe num teste rígido como os NCAPS, afinal dá pra ter uma noção que ao menos dentro do trânsito normal e de velocidades não tão altas só acontecendo alguma fatalidade muito rara pra te machucar, enquanto que num carrinho pra terceiro mundo mal feito mesmo em velocidades baixas a possibilidade de se ferir é bem alta. Isso é mais ridículo ainda num tempo em que segurança passiva já está dominada e é exigência, sendo que até fabricantes com poucos anos de vida conseguem fazer algo decente se assim quiserem

      Outra coisa é que dirigir um clássico num final de semana é muito diferente de dirigir no dia a dia, então uma pessoa preocupada em ter um carro COMPATÍVEL COM OS AVANÇOS DA HUMANIDADE (da mesma forma que ninguém mais acha suficiente estudar só o primário) pode sim ter e dirigir um clássico de um tempo onde segurança era algo que o próprio marketing zoava, era caro e inatingível. Da mesma forma alguém preocupado em ter um carro econômico pode sim ter um carro gastão para momentos de lazer sem isso ser incoerência

      Isso para não falar de segurança ativa, que costuma estar associada aos carros com segurança passiva boa. Carrinho feito só pra passar num crash teste a 20 por hora contra um muro de tijolos e olhe lá é quase sempre o mesmo carrinho que usa bizarrices como disquinhos de freio minúsculos e sólidos, cintos traseiros só abdominais, sem apoios de cabeça, pneus linguiça e por aí vai

      Excluir
    12. Porque eu quero ter um carro 5 estrelas no EuroNcap? Simples, porque é possível ter um carro 5 estrelas do EuroNcap. Seus argumentos, Bob, são fáceis de serem desmontados. Troque AirBag por cinto de segurança, o qual você defende e diz que sempre usou.

      Durante muitas décadas as pessoas dirigiam carros sem cinto de segurança. Porque essa histeria de usar o cinto? Quem não usava cinto há 30 anos atrás está sendo incoerente ao querer um carro seguro, hoje? Bob, as pessoas mudam e algumas evoluem. Não há problema nenhum em, ao se deparar com mais informação, mudar a forma de pensar sobre determinado assunto.

      Há quem argumente que retrovisor do lado direito do carro é frescura, pois antigamente não tinha. Porque ter hoje, então?

      Você pode contra argumentar que o cinto é o responsável por 80% da retenção no banco. Isso não torna os outros 20% do AirBag como dispensáveis ou desprezíveis.

      Você pode argumentar que batendo em altas velocidades, você morre de qualquer jeito. Isso não anula a segurança trazida por veículos mais modernos.

      Você pode argumentar que os testes de colisão, por serem padronizados não refletem a complexidade de um acidente, com o seu número de variáveis. Isso não anula o fato de que você está muito mais protegido num Volvo do que em um Uno Mille.

      Você pode argumentar que há muito marketing por trás disso. Também há marketing em torno da injeção eletrônica, motores turbo, injeção direta de combustível, carros elétricos... Nada disso torna falso ou desprezível todos os benefícios que obtivemos devido à essas tecnologias.

      Logo, o argumento de que "é marketing" não me diz nada. E daí que é marketing? Marketing bom, porque se algum idiota colidir no meu carro, fico feliz em saber que tenho mais chances de sair vivo do que teria se tivesse num carro antigo.

      E por fim, a outra parte da revolta das pessoas justifica-se pelo fato de que as empresas que vendem carros para nós aqui no Brasil vende no exterior carros semelhantes aos nossos na mesma categoria de mercado com segurança melhorada. Logo, se é possível ter carros mais seguros, mesmo na categoria dos populares, nós queremos. Qual o problema nisso?

      Eu prefiro andar num Fiat Panda com 5 Estrelas do que num Novo Uno com 1 Estrela. Para mim, não é indiferente.

      Não me sinto mais inteligente por fazer parte da "contra-cultura" e desprezar aquilo que está chegando às massas. Em qualquer avaliação independente fica óbvio o quão melhor é andar num carro moderno em termos de segurança do que num projeto velho dos anos 80.
      Se a grande massa está comprando a idéia por marketing ou por correntes de Facebook, problema dela. Isso não tira a importância de nada do que já foi dito aqui.

      Excluir
    13. Querer desclassificar os resultados das NCAPs é um absurdo. São entidades reconhecidas e seus métodos são reconhecidos pelas autoridades e pelos fabricantes, como forma de se comparar a capacidade dos diversos modelos de proteger seus ocupantes. Obviamente não espelham 100% o resultado de uma colisão real, da mesma maneira que uma norma de consumo de combustível não espelha o consumo que a pessoa efetivamente terá no uso do seu carro. Porém pode-se inferir que um carro que tenha um consumo normatizado menor provavelmente terá um consumo menor no seu uso cotidiano, assim com um carro que tenha um desempenho contra colisões normatizado tenha um desempenho melhor em seu uso cotidiano. É necessário um padrão comum para se comparar os resultado, ou cada fabricante irá fornecer um resultado que melhor lhe convier.
      Assim como é absurdo imputar somente ao marketing as mudanças comportamentais de uma sociedade e reduzir o assunto a neurose pura. É um argumento falacioso, simplista e que não se sustenta.

      Excluir
    14. Parabéns, Anônimo, pelas postagens acima. - Bob Sharp, parece até que você é pago para defender carroças que tiram 1 estrela no crash-test. É mentiroso reduzir a insegurança e risco ao que se tem de mais valioso, a vida, a uma simples questão de "neurose", e não de oportunismo de um público iniciante e pouco exigente. Não tente nos passar estas idéias, reduzindo a importância do desenvolvimento da segurança automotiva. Eu teria vergonha disto.

      Excluir
    15. Parabéns, Anônimo, pelas postagens acima. - Bob Sharp, parece até que você é pago para defender carroças que tiram 1 estrela no crash-test. É mentiroso reduzir a insegurança e risco ao que se tem de mais valioso, a vida, a uma simples questão de "neurose", e não de oportunismo em cima de um público iniciante e pouco exigente. Não tente nos passar estas idéias como verdadeiras, reduzindo a importância do desenvolvimento da segurança automotiva. Eu teria vergonha disto.

      Excluir
  50. Kkkkk... Gostei do painel de balança Filizola... Quanto ao acionamento dos vidros elétricos, eu prefiro o sistema igual ao adotado pela Volks: Interruptores com primeiro e segundo estágio, sendo que no primeiro os vidros sobem (ou descem) enquanto o botão esta pressionado e no segundo basta um "click" para que o vidro suba (ou desça) automaticamente.

    ResponderExcluir
  51. Segurança à parte, local de macaco (e estepe) era o 147...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo 21/11/12 11:44
      Há outro exemplos de macaco bem guardado: Fusca, Dauphine/Gordini/1093...

      Excluir
  52. Palio e Siena 1.6 neles!

    ResponderExcluir
  53. Rafael Bruno Pinto21/11/12 13:10

    Antes um Etios "feinho" e 4 estrelas na NCAP do que um Sandero bonitinho com 1 estrela...

    Muito bom o post!
    Principalmente: "algo parecido como uma balança Filizola toda iluminada sobre o meio do painel."
    hahaahhahaha!

    ResponderExcluir
  54. Aparentemente, pelos comentários, o que mais desagradou foi o painel.

    O mais estranho é que, nas fotos do modelo indiano, o painel é invertido em relação ao nosso, APESAR do mesmo ser central. Não se tem economia de custos pois tem-se de fazer duas peças de quase todo o painel de qualquer forma. Realmente não entendi isso...

    ______
    42

    ResponderExcluir
  55. Aos mestres do Autoentusiastas, já que estamos falando de carro da categoria econômica: por que aquele sistema "start - stop", que desliga o motor quando o carro está parado (no sinal, no congestionamento etc), que já é usado nos carros europeus há tanto tempo, nunca foi adotado por nenhum fabricante nacional?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa função envolve uma série de sistemas razoavelmente sofisticados e alterações na ignição, circulação de óleo, arranque, etc. para que não comprometa a durabilidade do motor. Pra funcionar bem, não é tão simples e portanto tb não é barato - e os nacionais já não são baratos...

      Excluir
    2. Ramazzoti
      Custo. O start/stop complica com ar-condicionado, pois o compressor pára. Pelo nosso clima, o ar-condicionado é mais usado que nas regiões de latitudes mais altas. É preciso desenvolver sistemas que façam o gás refrigerante circular nessa fase de motor desligado. Além disso, a histeria carbônica na Europa é forte (g/km de CO2), de modo que qualquer redução de consumo (e de emissão de CO2) vale.

      Excluir
    3. Bob, uma outra explicação que ouvi de uma pessoa ligada a um fabricante, é que mesmo que se consiga fazer um compressor acionado por motor elétrico, restaria o problema de que o ar condicionado estaria sendo alimentado pela bateria, que se esgotaria em pouco tempo com o carro parado.

      Excluir
    4. Saindo um pouco do assunto, tenho costume de usar o ar como freio motor, mas fiquei sabendo que não se deve acoplar o compressor com o motor em rotações médias ou altas.

      Excluir
  56. Arnaldo, ..." é guiar para crer o quanto este motor é elastico.Mesmo sem muletas como variador de fase dos comandos ou duas geometrias do coletor de admissão..." Falaste tudo! é um carro que com certeza dá prazer de dirigir a quem entende de automóvel. Guardadas as discutíveis e intragáveis semelhanças na aparência da grade e painel com geringonças de seriados japoneses dos anos 60 ou 70 ( tipo Ultraman ou Nacional Kid! ) È a simplicidade nipônica mostrando sua eficiência. Não preciso dizer que aprecio teus pareceres sem os deslumbramentos pausterizados com os modernismos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplicidade virou eufemismo de pobreza e mediocridade nesse mercado sem referências. O carro em questão é feio, pobre, atrasado e caro. Não tem como esconder.

      "Não preciso dizer que aprecio teus pareceres sem os deslumbramentos pausterizados com os modernismos..." - HÃ??? Falou tudo e não disse nada, só bajulação barata e sem sentido.

      Excluir
    2. Atrasado? Puta merda, esse cara entende porra nenhuma de automóvel. Volta lá pro Notícias Automotivas.

      Excluir
    3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Carro moderno pra brasileiro têm de ter plataforma dos anos 80, motor da década de 70 e visual 2012. O Etios pode ser horroroso, mas atrasado não é. Cada um que vêm comentar aqui hein.

      Marcos Medeiros

      Excluir
    4. O motor é elástico porque sua potência específica é menor.

      Excluir
  57. O Etios é um carro popular de muitas qualidades e não é tão feio como muitos dizem. O Etios tem design necessário para estilo dele, não aquele design desnecessário e exagerado dos carros coreanos que acho horroroso. Apenas não esquecer que ele é um carro simples para o dia a dia e tem todos os predicados para isso, o tempo vai mostrar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justamente por isso que a Toyota resolveu empurrar esse desenho mal feito (mal feito, não quer dizer feio, mas mal executado sob o ponto de vista de estilo), desproporcional e amorfo.

      Porque pessoas como você acham normal pagar mais que o mundo inteiro pra ter "qualquer coisa" na garagem com o símbolo deles.

      Excluir
  58. lindão o cachorro no porta-malas! tenho uma fêmea srd dessa cor como peito branco tambem, com rabo comprido e ligeiramente maior, coisa mais linda e querida! E balança Filizola? ótima! excelente comparação heeheheheh

    ResponderExcluir
  59. Etios é como aquela mulher prestativa, cozinha bem, cuida da casa e dos filhos.

    Mas não tem dentes na boca, é caolha e careca, tem pêlo na perna, fala cuspindo e não dá T nenhum.

    ResponderExcluir
  60. Ok, carro cinco estrelas no NCAP e sem cinto de segurança.

    Não seria melhor primeiro educar nosso povinho e dizer a ele que o cinto de segurança, além de ser obrigatório é o dispositivo que mais salva vidas em veículos?

    É isso aí! Mercedão último tipo, com todos os dispositivos de segurança conhecidos e o bobalhão a esnobar na city com sacos de lixos nos vidros e sem cinto, porque usá-lo atrapalha...



    Eita mundão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante22/11/12 13:47

      Uma coisa não impede a outra...
      Não é pq gente boba insiste em andar sem cinto que eu, que sempre usei, vou abrir mão das cinco estrelas.
      E não é pq o cinto de segurança ainda é o mais barato e eficiente equipamento de proteção num carro que deva ser o único.
      O cara sem cinto de segurança vai morrer com ou sem air-bags? Sim, problema dele. Eu terei mais chance não só de escapar como de escapar com poucos ferimentos.

      Excluir
  61. Gostei muito das qualidades do etios mas este painél me desanimou. Será que os engenheiros e os analistas de mercado da maior montadora do mundo, não pensaram neste detalhe tão importante em um veículo! Conclusão: Vai perder muitas vendas no mercado brasileiro. O brasileiro está muito bem informado com os meios de comunicação;(internet).

    ResponderExcluir
  62. Carro com visual horrível, painel escroto de balança Filizola e acabamento tosco. Pra piorar é caro, mas pelo menos teve notas melhores no Latin NCAP.

    ResponderExcluir
  63. pude analisar os hatch desse seguimento no salão e cheguei a uma opinião sobre o etios, hb20 e onix:

    dos 3 o etios tem mais pontos negativos; dentre os destacado sna materia ainda tem maior consumo, maior preço e menor potencia do que os concorrentes.

    agora, o que matou o etios pra mim, foi a falta de pintura no cofre do motor e capô, bem como nas caixas de roda, ficando tudo no primer manchado com respingos de tinta.

    isso foi chamar o futuro cliente de pobre e um sinal de que que não estão nem aí pro que estão te vendendo, é como se dissesem: "se vc não tem dinheiro prum corolla se contente em comprar um etios".

    hoje eu compraria um onyx 1.4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda os para barros são curtinhos, não cobrem a caixa de roda toda (mal cobrem 1/4 dela)

      Excluir
  64. Afinal de contas, o Etios, pelo que se comentou, é bom, mas o painel....

    É como deve ser um bom - e belo - painel? Bom tema para post, prezados Bob e colunistas.

    ResponderExcluir
  65. João Guilherme
    Falamos nisso com freqüência no AE, não é preciso post específico. Basta os pessoal das fábricas fazer um estágio na Volkswagen/Audi, BMW...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, caro Bob, mas por que os painéis de Audi, BMW são tão elogiados? Quais as características que devem pautar um belo - e bom - painel de instrumentos?

      Excluir
    2. Afinal, se pensarmos bem, alguns painéis da Volks são terríveis, vide o primeiro Fox e o Gol "G4".

      Excluir
  66. João Guilherme
    Um quadro vale por mil palavras. É só você olhar os instrumentos desses alemães nos testes, procure no menu de testes na direita da página. Ali você terá a resposta.

    ResponderExcluir
  67. "É guiar para crer no quanto esse motor é elástico, mesmo sem muletas
    como variador de fase dos comandos ou duas geometrias de coletor de
    admissão. A facilidade com que retoma velocidade em quinta com motor a
    1.000 rpm é surreal."

    Variador de fase ou duas geometrias no coletor são Muletas? como assim?

    "Além disso, o motor tem uma característica única dentro da categoria:
    estando desengatado e em baixa rotação, basta uma cutucada no acelerador
    que seu giro levanta rápido valer – parece motor de carro bravo –,
    então, reduzir marchas fazendo punta-tacco se torna uma coisa rápida e
    divertida (embora não seja fácil pela posição relativa dos pedais, o Bob
    já havia comentado). Além disso, ele tem um ronco até que encorpado,
    gostoso, e tem boa pegada em baixa."

    Faz crer que o motor é ótimo para punta-tacos, bom de guiar... só
    elogios, mas bem, como assim se a posição é ruim?!

    " São 96,5 cv saindo de 1.496 cm³ (álcool), o que dá 64,5 cv/L, sendo
    que hoje o padrão está acima dos 75 cv/L. Porém, creio que objetivaram o
    mesmo que a Volkswagen no seu 4-cil de 1,6-litro: desprezaram um pouco a
    potência máxima e focaram nas faixas de rotação média e baixa para que
    ele tivesse boa potência disponível já em baixo giro"

    Como se o carro que tivesse potência especifica alta fosse
    necessáriamente ruim em baixa... Justificando algo que não é uma
    verdade, pra tentar fazer a pouca potência especifica parecer algo BOM,
    uma opção...

    "Só há um limpador de pára-brisa. Varre grande área e quando corre à
    nossa frente passa reto, na horizontal, com a palheta na vertical na
    maior parte do tempo, resultado do braço pantográfico. Gostei. Boa
    visibilidade geral e bons retrovisores externos, ambos convexos.
    Praticamente não há pontos cegos."

    "O acionamento elétrico dos vidros não é tipo um-toque e isso não me
    desagrada. Inclusive, os vidros param o movimento assim que dele tiramos
    o dedo do interruptor, o que para mim é ótimo, pois, caso queira, posso
    facilmente deixar a fresta exatamente onde desejo. Com o um-toque fica
    mais complicado fazer isso."

    Sério que um toque é pior pq ele não consegue deixar a fresca como quer?
    Então melhor não ter vidro-eletrico, fica ainda mais facil.


    Fala tanto da ergonomia do carro, mas hora nenhuma cita o fato de não
    ter regulagem elétrica dos retrovisores. Esquece de mencionar o botão
    tosco pra abrir o capus, o acabamento nojento (Quem entrou já sabe)

    "Além do mais, como disse minha mulher: “ele é mais bonitinho”."

    Sério que esse monstro é bonitinho? nossa,,,

    "Motor dianteiro na transversal e com admissão atrás e escapamento na
    frente. Isso é bom, pois joga menos calor na parede de fogo e por
    conseguinte esquenta menos a cabine."

    Pelo amor de deus. Que forçada...

    "Apesar de só ter dois alto-falantes e dois tweters na frente, o som é
    bom. Tem rádio, CD com MP3 e entrada USB. Pega estações FM de São Paulo
    mesmo estando pra lá de Campinas. Nunca vi um rádio que alcançasse tanto
    e tão bem."

    Qualquer argumento pra elogiar qualquer coisa serve, rádio com DOIS
    ALTO-FALANTES e DOIS Tweeters, mas é muito muito bom, pq a FM pega de
    loooonge, pelo amor de deus, vamo parar de forçar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://3.bp.blogspot.com/-xPZecWu7B_A/UFsX2-JPOjI/AAAAAAAADo8/DQYz8LnVm1g/s320/tumblr_lhxi2naauz1qhimlwo1_500.gif

      Excluir
    2. Lamento decepcioná-lo, Maurício. Ande no carro.

      Excluir
  68. Infelizmente muitos brasileiros só sabem ver a aparência externa dos carros e pior, acham carros com design exagerado bonito, isso é coisa do terceiro mundo e ainda por cima tem muita ignorância achando que os carros aqui são caros porque as fábricas estão tendo um superfaturamento quando na verdade o maior vilão de tudo isso é o imposto que o governo desse país cobra em cima de cada veículo sem nenhum esforço.

    ResponderExcluir
  69. Alex20/11/12 16:36

    Vc falou uma coisa que tenho notado muito: O uso de quase todos os fabricantes de motores "subquadrados". Praticamente todas estão usando motores de curso longo em detrimento de uma melhor relação r/l. Até mesmo a BMW, que tem motores que giram até 7.000 rpm tem motores com curso de pistão por volta de 89mm. As exceções são os ford zetec e duratec, e os motores porsche. Não sei por que as fabricantes estão fazendo essa opção, mas é uma tendência.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...