10 de dezembro de 2012

O MALDITO E ILEGAL RODÍZIO DE SÃO PAULO

O centro expandido da vergonha em São Paulo


"Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei" – Constituição Federal, Título II, Dos Direitos e Garantias Fundamentais; Capítulo I, Dos Direitos  e Deveres Individuais e Coletivos, Artigo 5º, Inciso II.

Dentro da área demarcada pela linha vermelha, como mostrado acima, chamada de "centro expandido", carros não podem rodar entre 7h00 e 10h00 e 17h00 e 20h00 de acordo com o dígito final da placa, sendo finais 1 e 2, segunda-feira, finais 3 e 4, terça-feira, e assim por diante, até sexta-feira, quando os carros atingidos são os de final de placa 9 e 0. Tudo bem, só que não existe lei proibindo tal circulação. "Como assim, não existe lei? O editor-chefe do AUTOentusiastas enlouqueceu!", pode o leitor pensar.

Antes de continuar, peço que os leitores que não são de São Paulo me desculpem por ser tema local, mas entendam que o vai ser dito aqui é uma questão de direito que poderá lhes ser útil de alguma forma, até se forem multados por virem a São Paulo e desconhecerem esse tipo de restrição à circulação, o que, aliás, ocorre com freqüência.

O fato é que não existe lei federal que impeça alguém de circular com seu automóvel na hora e dia que bem entender. O que existe é uma lei municipal, a de número 12.490, de 3 de outubro de 1997, e o decreto que a regulamenta, o de número 37.085, do mesmo dia.
Diz a lei em seu Art. 1º: "Fica o Executivo autorizado a implantar, em caráter experimental, Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo, de conformidade com o estabelecido em regulamento."

Bem longa essa "experiência", só quinze anos...Como se vê, a lei não estabelece o rodízio, apenas autoriza o Executivo a fazê-lo.

Diz o decreto em seu Art. 1º que "Fica criado o 'Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo, em caráter experimental, a ser implantado nos meses de fevereiro a junho e de agosto a dezembro, nos períodos compreendidos entre 7h00 e 10h00 e entre 17h00 e 20h00 horas, de segunda a sexta-feira, exceto feriados."

Agora vem o ponto-chave da questão toda. O Executivo paulistano, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) e da empresa de economia mista chamada Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), cujo capital majoritário é da própria Prefeitura do Município de São Paulo, tem o direito de efetuar as modificações de trânsito que bem lhe aprouver, inclusive impor restrições como o rodízio. Como, porém, se trata de circulação de veículos, os motoristas têm que se ater tão-somente ao que é ditado pela legislação de trânsito, no caso o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), de abrangência nacional.

Não é como, por exemplo, nos Estados Unidos, onde cada estado pode legislar independentemente da União, inclusive questões de trânsito.

Assim, para que os motoristas saibam quais os logradouros onde não podem circular em determinada combinação de dia e horário, é imprescindível sinalização de trânsito oficial, placas indicando tal, em todas as ruas e avenidas; caso contrário, não há infração de trânsito por desrespeito ao rodízio. E o CTB é a única lei de trânsito que motoristas precisam cumprir. De novo, não há lei que o impeça de rodar.

Em certo locais, como nas entradas da cidade, se vêem placas ou faixas falando em rodízio, mas sem dizer exatamente do que se trata (e nem poderia, não há lei para isso, lembre-se). Além disso, tais placas faixas não constituem sinalização oficial determinada pelo CTB. Como se vê, a irresponsabilidade da SMT é flagrante. E note-se que tais placas faixas na entrada da cidade são avistadas – quando o são – na chegada da viagem.

Será que a SMT imagina que alguém vá ficar parado no acostamento (o que é proibido pelo CTB) e, ultimamente, muito arriscado, enquanto espera dar 10h00 ou 20h00? Ou, antes de sair em viagem rumo à capital ou mesmo apenas passar por ela, vai telefonar para a CET ou SMT e perguntar se pode rodar livremente? Seria demais, concorda?

Placa de aviso de rodízio pouco informa

A coisa toda chega às raias do absurdo quando, no auto de infração por desrespeitar o rodízio, a infração é descrita como "Transitar em local/horário não permitido pela regulamentação - rodízio." Que regulamentação? Onde isso está assinalado, seja no CTB, seja na via onde se deu a infração? Será que em vez de lei agora  têm-se que obedecer a "Programa"?

A maior evidência dessa flagrante irregularidade está no fato de um motorista que não resida em São Paulo e, portanto, não tenha obrigação de conhecer leis de trânsito locais – só o CTB – ser multado se trafegar no "horário proibido pelo seu final de placa", com ao chegar de uma viagem. O próprio Decreto nº 37.085, absurdamente, oficializa essa aberração jurídica no Art. 4º: "As disposições deste Decreto são aplicáveis aos veículos que circulem na região delimitada no artigo anterior, durante o período de execução do Programa, independentemente da localidade de seu licenciamento."

Está na cara por que o "independentemente da localidade  de seu licenciamento": menos grana para a Prefeitura.

Isso para mim só tem um nome: assalto ao bolso do cidadão.

Como se não bastasse, o CTB é claro quanto à competência dos municípios na questão da administração do trânsito, conforme reza o Art. 24 - Compete aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição (...) XVI - planejar e implantar medidas para redução da circulação de veículos e reorientação do tráfego, com o objetivo de diminuir a emissão global de poluentes.

Antes, o Inciso I do mesmo artigo do CTB é incisivo ao dizer "Cumprir e fazer cumprir a legislação e as normas de trânsito, no âmbito de suas atribuições." A Secretaria Municipal de Transportes do Município de São Paulo e a CET não estão cumprindo nem a legislação, nem as normas de trânsito.

Com relação ao Inciso XVI, é indiscutível que o legislador tenha estabelecido a única condição para o município reduzir a circulação de veículos, que é diminuir a emissão de poluentes. Não existe outra.

Como se sabe, estando inclusive no próprio site da CET na internet, o rodízio tem o nome oficial de "Operação Horário de Pico", acrescentado da explicação de que "Abrangendo caminhões e automóveis, esta regulamentação tem o objetivo de evitar que a situação do nosso trânsito piore."

Aí pergunto: onde está a condição expressa pelo CTB para que o Executivo paulistano reduza a circulação de veículos, que é diminuir a emissão de poluentes, se Operação Horário de Pico visa apenas o trânsito, não toca no assunto de poluição? Está mesmo tudo errado na base.

Além disso, nem a CET nem a SMT têm qualificação para opinar sobre poluição. Isso compete exclusivamente à Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente ou à Secretaria do Meio Ambiente do estado. Houvesse seriedade nessa questão, deveria emanar de um desse dois órgãos pedido de restrição à circulação se houvesse necessidade, e que seria obviamente temporário.

Como se vê, a ilegalidade do rodízio poreja por todos os lados.

A origem do rodízio

Para entender o rodízio é preciso saber sua origem. Tudo começou quando se soube que a Cidade do México e Santiago do Chile, cidades que pelas condições climáticas estavam sujeitas a elevados índices de concentração de monóxido de carbono e de hidrocarbonetos, adotaram a restrição à circulação de veículos visando baixá-la. 

Curiosamente,  na cidade de Los Angeles, que tem o mesmo problema, com uma frota quase tão numerosa quanto a brasileira, nunca se impuseram restrições à circulação de qualquer tipo. O americano nunca aceitaria uma humilhação dessa. Em vez de restringir o tráfego tomaram medidas como obrigar os veículos licenciados lá a emitir menos, atitude que merece todo o aplauso.

O misto de deputado estadual e ambientalista Fábio Feldmann, então Secretário Estadual do Meio Ambiente, deve ter achado boa a idéia aplicada naquelas duas cidades de língua espanhola e criou o rodízio, seguindo o mesmo critério de final de placa, para toda a região metropolitana de São Paulo, e não apenas para a capital, em que o período de circulação proibida ia das 7h00 às 20h00, ou seja, o dia inteiro e parte da noite. Mas a medida só era aplicada de maio a setembro, época do ano, mais fria, em que a dispersão de poluentes na atmosfera é mais lenta pelo efeito da inversão térmica.

Notou bem o leitor? Aplicação temporária, e não permanente.

Só que o problema de poluição era em São Paulo, não em Franco da Rocha, Itapecerica, Embu, Cotia e outros municípios mais afastados. Portanto, evidenciava-se claramente ataque ao bolso do cidadão.

Esse rodízio existiu nos anos de 1996, 1997 e 1998 e foi extinto sobretudo devido à melhoria dos veículos no tocante a emissões graças ao Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve) criado pela Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) em 1986. Com a Fase 3 do Proconve, iniciada em 1º de janeiro de 1997, os automóveis fabricados no Brasil finalmente passaram a emitir poluentes como os de Primeiro Mundo. Essas emissões, que já vinham diminuindo desde a Fase 2, a partir de 1º de janeiro de 1992, caíram então drasticamente com imediata melhoria da qualidade do ar. O rodízio chamado de ambiental simplesmente deixou de ter razão de existir, ainda que temporário.

Entretanto, o que Fábio Feldmann e a sua Secretaria omitiram descaradamente foi o fato de que na Cidade do México e em Santiago do Chile só carros mais poluidores, os fabricados antes de 1992, tinham circulação restrita, justamente por serem os que mais poluem. Os mais novos podiam circular livremente. Se já houvesse internet como a de hoje, certamente Fábio Feldmann não teria agido tão à vontade.

Nesse meio-tempo, o prefeito de São Paulo, Celso Pitta, espertamente viu aí a oportunidade de fazer o mesmo – certamente de olho na arrecadação proveniente das multas – e propôs à Câmara Municipal lei que o autorizasse a implantar outro rodízio, que  foi aprovada, como vimos, em 3 de outubro de 1997. Dez dias antes, em 23 de setembro, a Câmara Federal aprovava a Lei nº 9.503, o Código de Trânsito Brasileiro, no qual constava o tal Art. 24, Inciso XVI – o que diz que restringir circulação, só para fins de redução de emissões de poluentes. O artigo, é óbvio, passou despercebido. Ou os também espertos vereadores fingiram que não leram, pois nunca poderiam ter aprovado uma lei dessas.

Mas, claro, como ainda estava por ocorrer o terceiro rodízio estadual (de maio a setembro de 1998), de caráter ambiental, não poderia haver outro rodízio de mesma natureza. O jeito – diabólico e sujo – foi criar outra justificativa para restringir circulação, nascendo aí a Operação Horário de Pico. Na época, ante a grita geral, o presidente da CET, Nélson Maluf El-Hage,  declarou numa entrevista a uma emissora de rádio que "era fácil para o cidadão cumprir a medida, bastava mudar seus horários". Tirou uma da nossa cara, como se diz popularmente.

Depois de Celso Pitta (1/1/97–26/5/00, cassado) vieram Régis de Oliveira (26/5/00–13/6/00), o vivaldino Celso Pitta de novo, agora por liminar (13/6/00–1/1/01), Marta Suplicy (1/1/01–1/1/05), José Serra (1/1/05–31/3/06, abandonou o cargo para concorrer à eleição para governador), Gilberto Kassab (31/3/06–1/1/09 e, reeleito, de 1/1/09 até o presente). Todos mantiveram o rodízio, ninguém ousou acabar com a "Galinha dos Ovos de Ouro". Parodiando um antigo comercial do Bamerindus sobre a caderneta de poupança, "O tempo passa, o tempo voa e o rodízio em São Paulo continua numa boa".

O próximo prefeito, Fernando Haddad, toma posse em 1/1/13. Não se sabe o que ele fará a respeito do rodízio; o mais provável é que ele "continue numa boa" – embora tenha anunciado que vai mexer na farra da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente e da Controlar ao isentar da inspeção carros com até dois anos. Quem sabe acaba com o rodiízio? Aposto que seria reeleito em 2016.

Números: quando esse maldito rodízio foi implantado, a frota paulistana era de 2,5 milhões de veículos, só automóveis. Como tirava (teoricamente) de circulação 20% dos carros, eram 500.000 menos rodando três horas na parte da manhã e outras três no período da tarde/noite. Hoje a frota é de quase 5 milhões, portando 20% é 1 milhão de carros a menos rodando. Cinco milhões menos 1 milhão dá 4 milhões, 1,5 milhão mais que a frota em 1997. Ou seja, o rodízio não resolveu a questão de volume de tráfego e apenas constitui um estorvo para a vida do paulistano (e de quem nos visita, multado sem saber por quê).

Está mais do que evidente que o rodízio serve exclusivamente para reforçar o caixa da Prefeitura. O Carlos Maurício Farjoun deu os números no post Que tal andar à velocidade máxima?: R$ 832 milhões é o orçamento de multas de trânsito em 2012, 30% mais que em 2011. O rodízio é um maná para a Prefeitura. Por isso é que continua intocado.

Ao contrário do que diz o Decreto 37.085, os tradicionais meses de férias escolares (e do Congresso Nacional, o vergonhoso "recesso parlamentar", termo que substitui vagabundagem parlamentar), janeiro e julho, entraram no rodízio.

Eles, da Prefeitura, não são nada bobos e sabem que há momentos em que se tem que "varar" o rodízio e, tome multa.

No segundo dia de imprensa no Salão (23/10) eu estava com o Peugeot 408 Griffe THP 1,6, placa final 3. Pretendia sair às 16h00 por causa do rodízio, mas acabei tendo que ficar mais. Terminei o que tinha de fazer às 18h00. Não ficar ia fazendo hora (tenho mais o que fazer) e não tive dúvida, vim embora para casa. Até agora a Peugeot não me cobrou a eventual multa. É isso que esses espertalhões da CET e da Secretaria Municipal de Transportes esperam, que as pessoas se vejam sem alternativa e com isso sejam multadas.

Por falar em pagar, em Londres existe o Imposto de Congestionamento (Congestion Tax). Para entrar de carro na zona central da cidade – que é muito menor que o nosso vivaldino e abusivo "centro expandido", é bom frisar – paga-se 5 libras esterlinas, equivalente a R$ 17,00. Pronto, está resolvido, nada mais simples. Quem precisar realmente usar o carro, paga – e um preço razoável. 

Em Londres, sinalização de solo e placa informam ao motorista que ele está entrando na zona central e que há cobrança

Só que aqui a multa é de R$ 85,13 (bem melhor que R$ 17,00, não?) e ainda são debitados 4 pontos na CNH – isto sim, o absurdo dos absurdos, multa de rodízio gerar pontos e, pior, com a conivência do Denatran e do Contran. Vale lembrar que nos três rodízios ambientais, iniciados antes de o CTB existir, não havia a punição de pontos na CNH, de certo modo se aproximando do critério adotado em Londres.

O rodízio é algo tão perverso – autêntico crime contra a economia popular – que o final de placa passou a ser determinante no comércio de automóveis. Quem quer comprar um carro usado hoje fica atento ao final da placa, que pode impedir a concretização do negócio se o final for igual ao de outro carro em casa.  No site WebMotors todos os anúncios informam o final da placa. É algo que chega a ser surrealista.

Há mil aspectos que mostram que o rodízio paulistano é o que de mais idiota existe na face da Terra. Por exemplo, um chefe da família chegou ao trabalho às 7 horas (uma hora antes do normal para escapar do rodízio) e recebe um telefonema da mulher que o filho se machucou. Como fazer? Usar o carro e tomar uma multa, claro. Ou o trânsito congestionou e a pessoa não pôde chegar a tempo ao destino: multa. Ou  precisar usar o carro para qualquer atividade profissional após o expediente normal e não poder.

Sem contar a figura do "rodiziomóvel", um carro só para o dia "proibido" geralmente mais antigo, poluidor e sujeito a enguiços, fora o problema de muitas vezes não se ter onde guardá-lo, ficando na rua e tirando vaga de quem precisa estacionar para a sua atividade.

Há também a questão de quem usa pouco o carro, portanto não contribui para encher as ruas, mas se um dia em que precisar utilizá-lo, não poder. Ou alguém que vai sair da cidade e passar o dia inteiro em outra, de novo ajudando a não encher as ruas, não poder sair de casa entre 7h00 e 10h00. Mas é fácil, como disse o antigo presidente da CET, é só mudar o horário...

Certa vez meu carro estava na oficina, era dia do rodízio dele e por isso pedi ao dono que colocasse o carro num estacionamento que eu o buscaria depois de 20h00. O estacionamento em questão ficava a 50 metros da oficina. Fui multado. É ou não revoltante? Recorri, expus o fato, mas o caixa da Prefeitura falou mais alto e o recurso foi indeferido.

Há também a discriminação – fortemente barrada pela Constituição, qualquer que seja o tipo – de quem tem carro de final nove ou zero não poder sair em viagem às sextas-feiras entre 17h00 e 20h00, ao contrário de quem cujo carro é de final 1 a 8. E há a outra discriminação, a de quem residir fora do "centro expandido" poder usar o carro à vontade – cidadãos morando no mesmo município recebendo tratamento diferenciado.

Outra questão do rodízio é se pagar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) todo ano – nada mais que uma taxa anual de circulação travestida de imposto sobre a propriedade – e metade desse imposto ir para o município, para este impor restrição à circulação. É imoral.

Se o governo municipal impede que os munícipes usem seu carro para a finalidade a que se destina, que então pague o táxi do cidadão se este não puder usar seu próprio carro. Não cabe nenhum outro meio de transporte equivalente ao carro particular.

Em todo esse tema do rodízio, há de aparecer algum advogado, isoladamente ou por meio de alguma associação de motoristas, que entre na justiça para pôr um fim a essa  aberração, a essa ladroeira, a essa vergonha paulistana que já está durando demais, são quinze anos nesse martírio. Logo São Paulo, o estado mais rico da União, foi ter esse tipo de gente grotesca que nos levou a uma situação inconcebível como a do rodízio. De dar inveja de quem reside em outras capitais e cidades grandes brasileiras.

E digo mais, uma vitória nessa ação serviria também para condenar a Prefeitura devolver todas as multas de rodízio lavradas nestes quinze anos. Parece brincadeira ou utópico mas não é. Decidida a sua ilegalidade pela justiça, seria a medida justa e lógica a ser tomada.

Está aí um bom motivo para algum advogado se mexer. Que vai faturar alto com os honorários advocatícios, merecidamente, isso vai.

BS

265 comentários:

  1. Filipe_GTS10/12/12 12:01

    Ainda bem que eu não moro lá. Essa cidade me irrita quando vou. Não troco SC por nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS10/12/12 12:01 Felipe não é simples assim ,apenas não morar na cidade , você concorda por exemplo com o valor e na cobrança de alguns pedágios nas rodovias? e não precisa necessariamente morar na cidade para pagar pedágios , mas simplesmente corta-la ,não moro nem passo por São Paulo ,mas se fosse em Santa Catarina ou também qualquer outro estado me incomodaria do mesmo jeito essa imposição chamada rodizio,abraço ,Fabio.

      Excluir
    2. É a típica mentalidade do brasileiro: se não me atinge, não é problema meu.

      O paulistano não liga pro crime do morro pq o RJ tá longe... até que o PCC, cria da mesma combinação de fatores, bate à sua porta.

      O interiorano não liga pro trânsito ou pras drogas, pq isso é problema da capitar... até que sua família se vê envolvida com o crack, sua prefeitura enche as ruas de radares ou a concessionária lota as estradas de pedágios.

      E assim vamos...


      Excluir
    3. Filipe_GTS10/12/12 18:18

      Vc tá exagerando, guri. Se te interessa eu trabalho com criminalidade, e aposto que entendo muito mais disso do que você, afinal foram 4 anos de estudos intensos na área para obter o cargo que ostento.
      Eu não me importo com a porcaria do trânsito de São Paulo, mesmo! Não moro lá e nem o pretendo.
      Não use sua cabeça fértil para ampliar o teor inserto no meu comentário para outras áreas que nada tem a ver com o que estamos tratando. Vai ver um blog de humor na internet, vai. É por você e outros assim que os comentários aqui às vezes irritam tanto os leitores assíduos e que respeitam os demais.

      Excluir
    4. Whatever. Citei a criminalidade por acaso, apenas para ilustrar sua mentalidade limitada e individualista. Pode continuar "ostentando" ser precioso cargo, realmente não me interessa. Filipinho.

      Excluir
    5. Filipe_GTS10/12/12 18:18

      Você ser o gênio do universo por saber a cor da cueca de bandido não muda o fato da sua hipocrisia por aceitar injustiças só porque não te atingem. Não ligar pro trânsito de SP porque não mora lá e bradar do alto do seu tão importante cargo que ostenta pra que quiser ouvir é o mesmo que você não ligar que a filha do vizinho foi morta por bandidos. Não é minha filha, então tá tudo ótimo! Ridículo. Deve ser por isso que a criminalidade está descontrolada, pois temos profissionais com esta mentalidade ridícula para cuidarem do problema. Acorda, "Guri".

      Excluir
    6. Mentalidade de colono é assim mesmo, se não o atinge, que se F*dam os outros que são atingidos, tipico de gente que não sabe viver em sociedade e não tem visão sistêmica das coisas!

      Excluir
    7. Filipe_GTS11/12/12 02:10

      Vocês são os mesmos mordidos que ficam enchendo o saco do blogueiro que andava de Fusca zero aos dezessete, só pode.

      Excluir
    8. E vc deve ser o bobinho que posta infantilidades e depois fica se doendo com a reação. Cresce e assume teus atos, encostado.

      Excluir
  2. Se existe a ilegalidade, qual a justificativa para a OAB-SP, ou o Ministério Público, ou outro órgão / entidade, não terem contestado judicialmente o mesmo?
    Ainda, e o transporte público, melhorou neste período?

    ResponderExcluir
  3. O assunto é interessante e polêmico, mas antes de opinar, terei que ler o CTB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De acordo com o CTB, municípios são órgãos integrantes do Sistema Nacional de Trânsito, Artigo 5º. São objetivos básicos desses órgãos, segundo o Artigo 6º, estabelecer diretrizes da Política Nacional de Trânsito, com vistas à segurança, à fluidez, ao conforto, à defesa ambiental e à educação para o trânsito, e fiscalizar seu cumprimento.

      Transpor, sem autorização, bloqueio viário com ou sem sinalização ou dispositivos auxiliares é considerado infração grave, Artigo 209. Entendo que o "Rodizio de Placas SP", pode ser considerado, pelo Sistema Nacional de Trânsito, um tipo de bloqueio seletivo viário.

      Excluir
    2. Adilson
      Não sou advogado, mas sei que artigo específico (Art. 24 inciso XVI) prevalece sobre o genérico (Art. 5º).

      Excluir
    3. Concordo contigo Bob.

      Na minha opinião, o CTB é confuso em suas definições e, portanto, deveria ser revisado. Por exemplo, neste Artigo 24, inciso II, define que municípios podem planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos. Talvez o Rodízio de Placas possa ser considerado um sistema planejado, projetado, regulamentado e, atualmente, operado pela prefeitura de São Paulo.

      É realmente um assunto interessante e polêmico. Parabéns pelo post.

      Excluir
  4. Em um post atras, alguem comentou sobre fazer uma associação de motoristas para brigar pelo nossos direitos e ele foi tratado com indiferença e virou até motivo de chacota. A ideia foi perfeita, au apoiaria, basta alqguem fazer e ser transparente.

    E tem mais uma coisa, quem tem condição pega outro para os dias de rodizio, ou trocam com alguem que mora fora da zona de rodizio. Atualmente essa idea de "tirar os carros da via" é metirosa e não funciona mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante10/12/12 18:05

      Pois é, penso o mesmo, acredito que os diversos Automóveis Clubes poderiam ter virado algo do gênero, como uma entidade de classe série combatendo idiotices como rodízio, limites de velocidade idiotas ou a histeria carbônica que adora jogar pedras nos carros mas nada fala de aviões ou mesmo da poluição gerada para produzir energia elétrica, por exemplo.

      Excluir
  5. Rafael Ribeiro10/12/12 12:23

    Absurdo só aceito num país com povo tão dócil e com pouco esclarecimento como o nosso, que aceita as mais estapafúrdias e desonestas atitudes do governo, sem reclamar à altura.

    Não se trata de partidos, como se pode ver, pois todos os que pelo governo passaram compactuaram igualmente. Se trata de prática corrente, "passam a mão na nossa bunda" o tempo todo (para não usar expressão mais forte) e a gente nada, aceita passivamente e ainda fica achando normal...

    Não é possível que Ministério Público, Advogados e outros órgãos ainda não tenham percebido isso, mas se for esse o caso, como podemos fazer isso de forma mais direta? Não moro em SP, mas me revolta porque tenho certeza que vai chegar a outros estados se isso não for derrubado.

    ResponderExcluir
  6. Bob, façamos um abaixo assinado. Abutres sugadores do nosso suor!!!

    ResponderExcluir
  7. Quando trabalhei aí por uns 8 anos, sempre tive carros emplacados em minas gerais e as multas nunca chegaram. Parece que agora chegam. Há um convenio entre os estados pra fazer valer a roubalheira.
    Mudando de assunto, a folha de são paulo ontem, no caderno F, pág 7, criou um novo uno sporting interlagos 1.3 de 4 cilindros com nada mais que 24 válvulas, incríveis 85 CV. Uma revista mensal disse que o Sandero gt rip curl não compensa pois não acrescentou nada ao sandero. Não devem ter percebido que o rip curl é a única forma de se ter o 1.6 16V da renault com cambio manual nas concessionárias.
    Luiz CJ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 85 cv? Tá errado não? Isso é potência de 1.0 hoje.

      Excluir
    2. Caramba :"incríveis 85 cv" incríveis ? o Clio 1.0 8v tem 82,por isso um ou outro carro produzido no Brasil considero esportivo.

      Excluir
    3. Ninguém se impressionou com um motor de 6 válvulas por cilindro? Fiquei fã.

      Excluir
    4. O Pisca vai gostar... Ou não! Difícil saber qual será o parecer técnico deste especialista em automóveis!

      Excluir
    5. Ai que está meu deboche, os caras dos jornais e revistas hoje não leem o que escrevem. Não existe motor com 6 valvulas na fiat, é um 1.4 normal que deveria ter quase 100 CV, mas os caras só montaram a matéria colando figurinhas, sem avaliar o teor. Mesmo caso do sandero.
      Luiz CJ.

      Excluir
    6. Então é o motor 1.4 pré-EVO e que continuam a usar no Siena EL 1.4. 85cv com gasolina e 86cv com álcool. Quanto aos jornalistas acho que estão mais pra gazeteiros. Embora essa potência seja pouca pra um 1.4 hoje em dia até que empurra legal o carrinho. Não fica muito atrás dos outros 1.4.

      Excluir
  8. O mais ridículo do rodízio é você sair de SC programando sua chegada a SP para as 14h, aí depara com obras intermináveis, Serra do Cafezal, acidentes idiotas e chega em SP às 17h10. Tem que estacionar o carro fora do perímetro do rodízio e esperar chegar as 20h para seguir a viagem.

    Ou desmarca compromissos, atrasa reuniões, muda o mundo inteiro por que um dia um imbecil com poderes delegados tomou uma decisão imbecil.

    ResponderExcluir
  9. Não sei quem é pior.. quem fez a lei furada, quem a sancionou, quem a aplica ou quem deveria tomar providências contra ela ser omisso..

    Investir maciçamente em transporte coletivo para que as pessoas não precisem usar seus carros, nenhum político quer..

    ResponderExcluir
  10. Bob Sharp,
    O que mais me chamou a atenção, neste caso, e que daria mais pano para manga é esta CET, como empresa de economia mista – e portanto equiparada às empresas privadas – exercendo poder de polícia, poder este cujo exercício é exclusivo da Administração Pública e indelegável a terceiros.
    O STJ tem decidido pela nulidade das autuações realizadas por empresas de economia mista com a função delegada de administração do trânsito. Cito como exemplo a seguinte matéria:

    http://m.estadao.com.br/noticias/impresso,stj-ve-ilegalidade-em-multas-de-bh-e-poe-em-xeque-cets,466370.htm

    Aliás, foi exatamente este o motivo pelo qual a empresa de economia mista que administrava o trânsito curitibano (DIRETRAN) foi substituída pela SETRAN, agora de caráter autárquico e legitimada à tarefa que lhe incumbe.
    Isso certamente poderia gerar a possibilidade de restituição dos valores pagos a título de multas, porém deve haver prazo prescricional (lamento não poder pesquisar sobre isso no momento em favor de informações mais precisas).
    Quanto à motivação do rodízio, concordo quanto a ilegalidade vez que a previsão do CTB é taxativa, elencando como única razão do estabelecimento é a questão ambiental. Desta mesma forma, bastaria uma mudança na motivação contida para “adequar” a razão do rodízio à previsão contida na Lei federal. Ainda, também poderiam alegar que o aumento do tráfego na hora de pico tem como uma das conseqüências o incremento na emissão de poluentes, que não se duvide geraria decisão favorável à Administração nesse sentido.
    No que tange as imoralidades, infelizmente as razões de motivação da Administração Pública estão fora do alcance do judiciário, sendo este adstrito somente a questão da legalidade das decisões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A CET opera, dá os meios, mas quem na realidade aparece legalmente é o DSV, Departamento do Sistema Viário, um Departamento da Prefeitura da Administração Direta. A CET não multa ninguém, pois não tem poder para isso, quem multa é o Diretor do DSV. Geralmente o presidente da CET é o Diretor do DSV, mas já houve casos de pessoas diferentes. Como se vê a PMSP desde a criação da CET ainda na gestão Olavo Setúbal tomou o cuidado de garantir a legalidade. Aí não se pega nada, o DSV é um órgão vazio, mas garante a legalidade das coisas.

      Excluir
  11. Luís Tiago10/12/12 13:09

    Na minha opinião de advogado, há duas medidas jurídicas cabíveis. A primeira, o cidadão contratar um advogado e entrar com uma ação de cumprimento de obrigação de não fazer em face da prefeitura com pedido liminar (no caso, de São Paulo), arguindo, para tanto, a inconstitucionalidade da "legislação/regulamentação" acerca do tal rodízio, incluindo ou não pedido de indenização (ressarcimento de eventuais prejuízos/multas ou até dano moral). A segunda e a ideal, algum dos legitimados (dentre os quais não está previsto o cidadão) previstos na constituição (artigo 103) propor ação de declaração de inconstitucionalidade com medida cautelar/pedido liminar e, desta forma, "derrubar/suspender/excluir a lei", para que ninguém mais seja prejudicado pelo tal rodízio.

    ResponderExcluir
  12. Com o rodízio no começo os carros que andavam 5 dias por semana, passaram a rodar somente 4. Mas com isso muitas famílias realizaram o sonho do 2º carro e agora são 2 carros x 4 dias = 8 dias andando. resultado.: Piorou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, o rodízio motivou muitas famílias a comprarem um segundo carro. E já que ele está na garagem, a gente se vira revezando nos 2 dias do rodízio, nos outros 3, é mais cômodo cada um ir num carro... Parabéns, "otoridades"!

      Excluir
    2. Caros,

      o fato de uma quantidade não-levantada de pessoas burlar o rodízio de alguma forma não o invalida como medida e proposta para reduzir tanto os congestionamentos em certos horários quanto a poluição (por mais econômicos e eficientes que sejam os motores modernos, não tem como evitar poluição com tanto carro parado por tanto tempo).

      A idéia é que as pessoas sigam, e para isso existe a multa (sou contra os pontos, porém, pelos motivos que concordo com o Bob). Idem para os limites de velocidade, locais de estacionamento, etc. As pessoas podem burlar, dar um jeitinho ou até desobedecer, mas nada disso invalida a lei.

      Excluir
  13. Off topic, Dilmona acabou de sancionar a lei que garante ao consumidor ser informado quais impostos e os valores são pagos a cada compra feita. Agora vamos ver o que é lucro e o que é imposto.

    ResponderExcluir
  14. Centro expandido... hehe

    Fui multado há uns 2 anos. Estava hospedado no Morumbi e saí na segunda para voltar a Belo Horizonte. Minha placa era final 1 e recebi a multa em casa uns dias depois. Só então fui pesquisar no site da CET e descobri que esse tal de centro expandido é praticamente toda a cidade!

    Notem no mapa do Bob que tudo que está circundado pelas marginais é considerado "centro expandido". É uma lástima...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morumbi não é centro expandido. Você deveria estar no Brooklin, onde a Av. Morumbi começa.

      Excluir
    2. Na verdade, tudo que está CIRCUNSCRITO faz parte do rodízio. E não é praticamente toda a cidade, isso é um exagero.

      Excluir
    3. O problema é as principais vias que atravessam a cidade estarem incluídas. Ou seja, você não pode nem PASSAR por São Paulo sem levar uma multa de rodízio. Entre Anchieta e Bandeirantes tem rodoanel (pedagiado, é claro! quer passar? PAGA!!!), mas quem precisa pegar Dutra, Fernão Dias ou Ayrton Senna tá fú, não tem alternativa às marginais na área "rodiziada".

      Excluir
    4. Luiz AG10/12/12 13:17 - O rodizio começa na Av. dos Bandeirantes, não na Av. Morumbi.

      Excluir
    5. Pois é. Mas eu estava no Brooklin, perto do Shopping Morumbi, e tive que seguir pela Marginal Pinheiros para pegar a Fernão Dias. Pensei que, não passando pela Rebouças e pelo Centro não teria problema.

      Excluir
    6. CMF
      Até dá pra pegar a Dutra e Fernão Dias sem passar pelo rodízio mas a volta é tão grande que desanima qualquer um a ponto de preferir levar a multa.

      Mineirim, você estava dentro da área de rodízio e a marginal, embora limítrofe, faz parte dela.

      Excluir
  15. O rodízio, ilegal ou não, tem como finalidade retirar de circulação nos horários de pico cerca de 20% dos veículos. Essa é uma proposta válida e necessária, e sinceramente não conheço outra alternativa menos limitante ou traumática para SP.

    Se o trânsito já está infernal sem esses 20% nesses horários (embora muita gente tenha o "carro do rodízio" ou simplesmente o ignore), imagine se liberar geral. Serão 1.4 milhão de autos a mais, pela frota atual, e nem contei os de fora de SP.

    Até de final de semana tem sido comuns de 300 a 400 km de congestionamento. Sinceramente, não sei se é melhor acabar com o rodízio, ou segundo os argumentos do Bob, torná-lo "legítimo", legal. Não adianta ter liberdade de circulação se essa circulação ficar comprometida, me parece uma questão de lógica apenas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foram 8.2 milhões de multas aplicadas em SP entre Jan/12 até agora, para uma frota de 7.4 milhões de veículos. Em primeiro lugar, "excesso de velocidade", em segundo "rodízio".

      O trânsito brasileiro é o que mais mata, mais mutila, só neste final-de-semana vimos na TV 4 motoristas b~ebados atropelarem pedestres, e tem gente que ainda diz que existe uma Indústria da Multa.

      O que existe é uma indústria de motoristas despreparados, irresponsáveis e imaturos, conjugados a uma malha viária capenga e autoridades despreparadas.

      Cada povo tem o governante que merece, e cada povo tem tb as autoridades aproveitadoras que merece. Quem não respeita nada não tem muito o que exigir, e a minoria civilizada vai sempre pagar pela maioria inconsequente.

      Quem sabe quando evoluírmos talvez tenhamos nossos direitos mais respeitados.

      Excluir
    2. Se as autoridades não fazem nada pra melhorar o trânsito, são criticadas. Se fazem, são criticadas. É quem nem este blog, sempre tem os insatisfeitos.

      Excluir
    3. Anônimo 10/12/12 13:29
      Perfeito o seu comentário. O trânsito melhorou tanto com o rodízio que lhe sugiro dar idéia à Secretaria de Saúde do Município de São Paulo para que reduza o acesso da população à rede hospitalar por esta se encontrar congestionada, não ter mais onde colocar os pacientes. Pode ser que lhe homenageiem pela idéia.

      Excluir
    4. Agora vocês já podem acordar... Já sei! comecem lendo o texto mais umas 10 vezes, bem devagar. Já vão treinando interpretação, pelo menos.

      Excluir
    5. Anônimo 10/12/12 13:27
      O pior é que a nossa frota de automóveis mal chega a 5 milhões. O número oficial não considera carros sucateados ou que não rodam mais. E depois de 15 anos o rodízio paulistano continua numa boa...

      Excluir
    6. Engano seu Bob. A frota oficial de SP é de 7.324.245 (Fonte: DETRAN-SP (Departamento Estadual de Trânsito) - SEADE (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados).

      Sua comparação com o congestionamento da rede hospitalar é uma falácia, já lhe falei isso no outro tópico. Não entendo pq vc insiste, um argumento sem lógica não reforça seu ponto de vista nem suas teses e propostas.

      Vc propõe acabar com o rodízio, OK. E o que fazer com os 1.4 milhão de carros que vão voltar a circular nesses horários? Nada, deixa rolar e ver no que dá?

      Excluir
    7. Anônimo 10/12/12 14:58
      Essa é a frota oficial, não a real. O mesmo com a frota brasileira segundo o Denatran, 70 milhões de veículos, na verdade 35 milhões./ Por que falácia, comparar congestionamento (falta de espaço) com rede hospitalar saturada (falta de leitos)? / Falácia mesmo é achar que 1,4 milhão de carros vão circular nesses horários se essa vergonha paulistana acabar.

      Excluir
    8. São Paulo tinha 4,8 milhões de veículos em 1997. Hoje tem 7,3 milhões (52% a mais).

      Em 1997, a população era de 9,85 milhões, hoje é 11,4 milhões (16% a mais).

      Portanto, o número de carros/habitante cresceu 31%, impossível saber quantos desses são só segundo carro pra escapar do rodízio. Mas o fato é que o efeito do rodízio de 1997 já acabou há muito tempo. Se em 1997 80% dos 4,8M significavam 3,84M de carros, hoje 80% dos 7,3M significam 5,84M. OU SEJA, hoje SP com rodízio tem 1M a mais de carros do que a SP sem rodízio de 1997. Hoje, com rodízio, tem 21% A MAIS de carros do que em 1997 1 dia antes do rodízio.

      Excluir
    9. Anônimo10/12/12 14:58, eles não deixaram de rodar, aliás, deixaram sim. Seus proprietários compraram outros carros, geralmente mais antigos e mais poluidores.
      O certo seria investir em transporte público, mas quem está afim de ir compactado em um transporte público demorando o dobro do tempo e gastando o mesmo em valor?

      Excluir
    10. Bob... não entendi, se não vão circular então pra quê acabar com o rodízio? vc parte do pressuposto - difícil de provar - de que o rodízio não faz diferença e não tem impacto na poluição ou nos índices de trânsito, no que eu discordo. E sinceramente, não sei qual a fonte dos dados "reais", por isso estou discutindo em base nos "oficiais".

      É uma falácia pois as pessoas não podem evitar de se acidentar e/ou necessitar de atendimento médico, mas podem deixar de circular com seus carros em dias e locais específicos. Portanto, a racionalização do recurso (atendimento no caso hospitalar, e circulação liberada no caso do rodízio) nesse caso não é definida pela oferta e sim pela demanda.

      O que não ocorre no caso dos carros, que podem perfeitamente deixar de circular para atender uma finalidade específica com prejuízos limitados em vista dos objetivos (seja reduzir a poluição ou os congestionamentos).

      Entendeu a lógica? Outras comparações até podem ser válidas, mas essa não é.

      Abs ;-)

      Excluir
    11. CMF, a questão é que a proporção se mantém. Não há como medir, portanto como provar, que esses 20% compraram um segundo carro para circular apenas nos dias de rodízio. Muita gente conhece alguém que fez isso, mas o que importa e tem impacto na prática é o crescimento do mercado como um todo e o número absoluto de carros X o relativo (proporção) que não circula no rodízio.

      Em outras palavras, me parece o seguinte: "ruim com ele, pior sem ele". Não sei se há como medir o grau de eficiência (o quanto ele funciona) ou sequer a eficácia (se ele funciona de fato), mas a lógica de tirar 20% ou que seja 10% (eficiência reduzida) em alguns horários, versus os inconvenientes que isso traz, me parece fazer algum sentido.

      Sobretudo em vista da aparente falta de alternativas para reduzir principalmente o trânsito.

      Excluir
    12. Enquanto morei em SP, mantive 2 carros na garagem. Um era um Monza velho, de baixo valor de mercado, mas de final de placa diferente, perfeito pra quando o Vectra não podia sair por causa do maldito rodízio. Ao comprar o Vectra, apertei mais o cinto e mantive o Monza como carro de rodízio. Eu acho absurdo a prefeitura dizer "vire-se" pra 20% da população todos os dias, com esse transporte público ridículo que eles oferecem.

      Excluir
    13. CMF,

      assim como é ridículo o governo do estado dizer "vire-se" para 100% da população todos os dias, com essa segurança/saúde/etc. público ridículos que eles oferecem.

      Mas e daí? Insisto, uma coisa não invalida a outra. Só pq algo não tem solução imediata ou total não invalida as propostas para sua mitigação. Só pq 30% dos motoristas não respeita os limites de velocidade, vamos liberar geral? Só pq uma parcela pára em fila dupla vamos liberar geral?

      Vejam bem, não estou defendendo o rodízio por princípio. Apenas pq não vejo alternativa melhor em nenhum outro caso (nem aqui, nem lá fora), e tb pq me parece que mesmo que funcione para retirar 10% dos carros de circulação em certos horários, já é válido.

      Quero deixar claro que respeito as opiniões dos demais colegas e autores, e mudo minha opinião sem problemas - mas somente em face de argumentos lógicos e fundamentados.

      ;-)

      Excluir
    14. Não é falácia porque muitas vezes a explicação que dão para os congestionamentos é de simplesmente haver "excesso de veículos" em determinado dia/horário, quando não há acidentes interditando vias. Simplesmente não se analisam problemas de sinalização, engenharia de tráfego e outras ingerências que influenciam a lentidão no transito...

      E não é falácia, pois teve político aqui em SP que há pouco tempo justificou a demora no atendimento no serviço público de saúde por causa do excesso de pacientes...

      Excluir
    15. "Não é falácia porque muitas vezes a explicação que dão para os congestionamentos é de simplesmente haver "excesso de veículos" em determinado dia/horário, quando não há acidentes interditando vias."

      E...??? Não antendi.

      "Simplesmente não se analisam problemas de sinalização, engenharia de tráfego e outras ingerências que influenciam a lentidão no transito..."

      Vc tem alguma comprovação disso? Se não tem, é especulação ou opinião.

      "E não é falácia, pois teve político aqui em SP que há pouco tempo justificou a demora no atendimento no serviço público de saúde por causa do excesso de pacientes..."

      Outra falácia. "Conclusão irrelevante", argumentum ad verecundiam. Só pq um político sofismou não torna realidade. A demora no atendimento é por deficiências na rede (oferta) e não pela demanda, por favor leia meu raciocínio em comentário anterior.

      ;-)

      Excluir
    16. Anônimo 10/12/12 12:59
      Vão rodar os carros de quem precisa dele e os que rodavam depois de 10:00. Mas nunca 1,4 milhão de carros jogados no tráfego. O acabaria com junto com o rodízio é a ridícula sensação de prisão, que brasileiros de outros municípios e de quem mora fora do centro expandido não têm. Pergunto-lhe: o que acha de a SMT declarar extinto o rodízio e sugerir à população motorista que continue a praticá-lo voluntariamente? Inclusive, e logicamente, trocando o dia quando precisasse rodar no "proibido"? Não seria honesto por parte da prefeitura, já que o objetivo declarado é reduzir volume de tráfego nos horários de pico? Mas aí o dindim poderia cair, não pode...

      Excluir
    17. "Outra falácia. "Conclusão irrelevante", argumentum ad verecundiam. Só pq um político sofismou não torna realidade. A demora no atendimento é por deficiências na rede (oferta) e não pela demanda, por favor leia meu raciocínio em comentário anterior."

      Que a demora no atendimento no sistema de saúde é deficiência da rede e não de demanda, eu e a torcida do corinthians e do flamengo juntas já sabemos, burrão!!!! O que estou dizendo é que a administração pública dá como desculpa para a sua incompetência um fator externo...

      E para o trânsito idem... lógico, a frota aumentou, mas não é só o excesso de veículos que prejudica o trânsito...



      ""Simplesmente não se analisam problemas de sinalização, engenharia de tráfego e outras ingerências que influenciam a lentidão no transito..."

      Vc tem alguma comprovação disso? Se não tem, é especulação ou opinião."

      Tenho comprovação da minha vivência diária no trânsito de SP, e muitos aqui podem corroborar. Centenas de ruas e avenidas possuem semáforos sem sincronia, onde semáforos mais adiante abrem depois, dificultando a fluidez, entre outros exemplos. Houve dias que por causa das fortes chuvas, passei por diversos cruzamentos com semáforos pifados: mesmo com horário de pico, o trânsito fluiu melhor do que nos dias normais.

      Diariamente vejo marronzinhos na rua canetando o povo. Em diversos cruzamentos , quando em dia de trânsito caótico, tem agentes que ao invés de orientar o fluxo para que não se feche o cruzamento (principalmente pq muitas vezes tem algum colega dele controlando o tempo do semáforo) o cara fica esperando alguém ser pego de surpresa, pra enfiar a canetada.... Entre outras diversas histórias....

      Mas não tenho que provar nada pra vc. E nem me impressiono com pessoas que cagam juridiquês e falam meia dúzia de palavras em latim...

      Excluir
    18. Anônimo10/12/12 17:15: eu argumentei com educação e respeito, em cima do que vc colocou. Mas pelo jeito com vc o nível do papo é mais embaixo então fica aí com suas convicções e falando sozinho como todo ignorante, por mim tanto faz (Complexo do Pombo Enxadrista).

      *****

      Bob:

      é uma sugestão válida, talvez acabasse com os "jeitinhos" de burlar o rodízio e ainda mantivesse alguma taxa de eficácia. Afinal, ninguém quer encarar o trânsito se tiver outras opções...

      Embora eu (minha opinião) acredite que a adesão seria menor do que a obrigatória. Nós não temos o costume do voluntarismo em nada, exceto nas grandes catástrofes. E embora o trânsito de SP seja uma catástrofe (rss....), ele acontece todos os dias então acabamos ficando insensíveis a suas causas e efeitos.

      Por afalar nisso, é inevitável constatar que nesses 15 anos, as pessoas tb se "acostumaram" com o rodízio. Como vc bem observou no seu post, vários hábitos foram incorporados por conta dessa necessidade (e limitação). De qualquer forma, o assunto é complexo e não tem uma solução fácil ou única.

      ;-)

      Excluir
    19. O cara amansou?! Deve ser bipolar...

      Excluir
    20. Bob vc acha mesmo que as pessoas vão aderir? Algum dos malas que infestam seu blog já largou a babaquice voluntariamente? Duvido que funcione, pelo mesmo motivo. Só na base da repressão essas coisas se resolvem.

      (s)

      Excluir
    21. Embora bastante influente é apenas vereador.

      Excluir
    22. Pois é... ele não teria provavelmente "entrada" com o novo prefeito que é de oposição.

      Talvez se fizesse algum projeto de Lei... mas teria de ser aprovado por maioria... Apesar que qem estiver do lado dele é capaz de votar a favor, já que isso afetaria o "caixa" da prefeitura, que está nas mãos do outro partido.

      Mas ainda assim, creio que uma lei aprovada na câmara, deve ainda passar pelo crivo do prefeito, é isso?

      Excluir
  16. Mas esse "Congestion Tax" seria o pedágio pra entrar na cidade? Achei o preço absurdo, pagar 17 reais todo dia não deve ser mole. Sou contra a qualquer tipo de restrição de automóveis na cidade. Pedágios e rodízio, aqui em São Paulo, tudo é motivo pra arrecadação com essa falácia de "amiga do meio ambiente". Se o cidadão quiser ficar no congestionamento, é um direito dele e cada um decide o que é melhor para si. Bob, rodízio não é nada, pode esperar que algum "especialista" vai propor pedágios a 30 reais como já li por aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 10/12/12 13:15
      Não acho errada a taxa de congestionamento, é para desestimular o fluxo de carros à zona central (mas nunca a um ridículo e abusivo "centro expandido" como o de São Paulo). Mas quem precisar ir, por qualquer motivo, paga a taxa e assunto encerrado. Aqui, como eu disse, além da multa escorchante de R$ 85,13, tem ainda os 4 pontos na CNH.

      Excluir
    2. Mas aqui no Brasil, nunca falaram em apenas colocar pedágio na zona central. Seria pedágio no "centro expandido" mesmo, nas marginais e em outras avenidas. Eu acho absurdo cobrar pedágio no "centro expandido". Já vi reportagens de "especialistas" bradando por pedágios a 30 reais. Já pagamos impostos demais, sem falar no absurdo do mau estado das ruas, que onera mais ainda o cidadão.

      Excluir
    3. Pagar 85 reais por semana de multa é muito melhor do que pagar 17 reais por dia de segunda a sexta... O maior problema neste caso é a pontuação na CNH.
      SE o rodízio paulistano não imputasse a pontuação na CNH, seria até melhor que o londrino, com a vantagem de que se o cidadão quisesse se submeter ao triste transporte público ou mesmo andar de táxi no dia do rodízio, ele pagaria menos que a multa.

      Excluir
    4. Corsário Viajante10/12/12 23:47

      Engraçado que quando propõem um pedágio urbano pensam justamente nas vias rápidas e expressas... POis bem, são justamente estas as que mais tem capacidade para escoar o trânsito! Se as pessoas pagarem para andar nas marginais e grandes avenidas, vão acabar usando mais as ruas pequenas e secundárias, criando um nó muito maior e pior pois vão saturar todas as ruas que não tem capacidade de escoar tanto carro.
      Infelizmente muitos dos "especialistas de trânsito" são idiotas. Só ver que seu bordão predileto é o "excesso de veículos".

      Excluir
    5. 17 * 5 = 85. Nesse caso, o valor é o mesmo (Londre x SP).

      Acabar com os pontos na CNH seria justo.

      Excluir
  17. Este país vem vivendo nos ultimos 27 anos o reino do absurdo, por exemplo é de responsabilidade do Exército brasileiro a permissão do uso de armas em geral, através do SFIDT, é somente a Policia Civil e Policia Militar(que é tropa auxiliar do Exército) que estão autorizados a usar até o limite de fuzil 7,62 mm., ai os municípios criaram as Guardas Municipais e ilegalmente as armaram.
    Detalhe essa determinação do Exército tem "apenas" 359 anos.
    Este é apenas mais um detalhe do descumprimento da Constituição Federal e demais leis e decretos, federais.
    SDS
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Militar anônimo
      Absurdo ainda maior foi a Constituição de 1988 ter barrado a figura da polícia municipal e criando essa conversa-para-dormir chamada guarda municipal. Com isso o trânsito das cidades grandes, em vez de ser controlado e fiscalizado pela polícia, como deve ser, o é por fiscais ("marronzinhos" em São Paulo), que não têm poder de polícia (só de caneta...), não podem dar ordem de parada a um motorista.

      Excluir
    2. Corsário Viajante10/12/12 15:33

      hahha é verdade, uma idiotice sem tamanho.
      Uma vez estava num engarrafamento, à minha frente um carro com placa completamente LIXADA, passei por um guarda e perguntei se ele não ia fazer nada frente àquele absurdo, e ele disse que não era polícia e não podia abordar o cidadão. Perguntei se ele não ia, então, acionar a polícia, ao que ele respondeu que "a polícia tem coisa mais importante para fazer".

      Excluir
    3. Pois aqui na minha cidade (Foz do Iguaçu) a Guarda Municipal não só anda armada e aborda carros como desce o pau na vagabundagem (e como tem vagabundo nesse lugar...) sem dó. Eles têm até uma "tropa de elite" ao estilo BOPE, com viatura preta e tudo mais. Tempos atrás teve um promotor do MP que andou questionando a atuação da GM, mas o prefeito o ignorou solenemente.

      Excluir
  18. O rodízio municipal já foi levado ao Poder Judiciário inúmeras vezes, sem sucesso, chegando até mesmo ao Suprmo Tribunal Federal. Sob o prisma da legalidade, não vejo possibilidade de revogação da regra.
    A única real chance de êxito, quanto à anulação das multas, seria pela falta de sinalização nas ruas com restrição, mas para evitar que isso ocorra, a Prefeitura instalou as placas sobre o rodízio nas entradas da cidade, o que supostamente resolve o problema (não é verdade, como o texto mostra, inclusive com foto da placa).
    O fundamento para a restrição e aplicação de multa está no artigo 187, inciso I, do CTB: "Transitar em locais e horários não permitidos pela REGULAMENTAÇÃO estabelecida pela autoridade competente, para todos os tipos de veículos".
    O município pode impor restrições ao tráfego, não necessariamente por questões ambientais, mas deve, obrigatoriamente, sinalizar as vias em que a restrição existe (e isto não é feito de forma adequada).

    E é bom que se diga, a moda tende a se espalhar. Há notícia de proposta idêntica na Câmara Municipal de Campinas: http://www.portaldocambui.com.br/noticia.asp?id=1004144&titulo=C%C3%A2mara+retoma+pol%C3%AAmica+do+rod%C3%ADzio+de+ve%C3%ADculos
    Em Santos a ideia também costuma ser ventilada, de tempos em tempos...

    Deixo claro que não sou a favor do rodízio, mas vejo remotíssimas chances de vê-lo revogado por alguma medida judicial.

    Fabio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante10/12/12 14:10

      Ou seja, cada um jogando a bomba no colo do outro, no fim ninguém é responsável por nada e fica tudo por isso mesmo, típico do Brasil.
      Aliás, aqui em Campinas canso de ver IDIOTA falando que "tem que ter rodízio mesmo pois tem muito trânsito". Só não vêem que o trânsito é causado pelo péssimo gerenciamento do tráfego, faróis em excesso e fora de sincronia, falta de fiscalização, falta de investimento em obras e pincipalmente pelo transporte público horrível e caríssimo - o mais caro do Brasil.

      Excluir
    2. Fabio,
      O Art. 24 Inciso XVI é claro quanto ao motivo de restringir a circulação, pois trata-se de medida muito dura para o cidadão, só justificável por motivo de força-maior, no caso baixa qualidade do ar.

      Excluir
    3. Em BSB ventilaram essa ideia no ano passado, até uma lei foi aprovada em uma das comissões da câmara distrital, mas a medida foi recebida de forma TÃO NEGATIVA pelo público que os deputados distritais nem puseram a lei na pauta com medo da perda de votos de quem aprovasse isso.

      BSB tem um transporte público ainda pior que SP, rodízio aqui seria um desastre.

      Excluir
  19. Mandei seu texto para o Senador Eduardo Suplicy. Ele tem o hábito de responder e-mails e tão logo ele responda, postarei a resposta (as vezes demora um tanto...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio F.
      Fez muito bem, obrigado por essa.

      Excluir
    2. O deputado vai ler isso e achar que quem reclama tem que calar a boca que nem os reacionarios.

      Excluir
  20. Bob
    Alguma notícia sobre aquela investigação do Ministerio Público à respeito da redução do limite de velocidade em SP?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opps!
      Não tenho; vou tentar saber, boa idéia.

      Excluir
  21. Bob,
    isso tem também outra definição: ditadura.
    Gente safada comandando uma das maiores cidades do planeta.
    Não me espantaria se o mundo acabasse mesmo daqui a 11 dias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juvenal
      Você foi delicado demais: chamei essa gente que se acha dona da cidade de grotesca.

      Excluir
    2. Quem faz ditadura não tem moral pra falar de ditadura.

      Excluir
    3. Anônimo10/12/12 14:12

      Blá blá blá... que cara chato!

      Excluir
    4. Anônimo10/12/12 14:12

      Blá blá blá... que cara chato!

      x2

      Excluir
    5. Anonimo das 14:12
      O Blog Autoentusiasta é plena democracia!
      Entra e lê somente quem quer! Não precisa nem de convite.


      Excluir
    6. A 10/12/12 14:12
      Não confunda fazer ditadura com assepsia.

      Excluir
    7. Bob, parafraseando o famoso ditado: "ditadura é quando os outros mandam; assepsia é quando eu mando". Melhor (e mais honesto) é admitir logo que é ditadura. Assim, quem concordar em se submeter pode aceitar e permanecer. E quem discordar pode pastar em outras paragens.

      Excluir
    8. Anônimo10/12/12 16:08

      Mano! Saia do anonimato, e vá fazer um blog VOCÊ MESMO...

      Excluir
    9. Não falei com a escória de puxa-sacos, fica na sua. Mano é vc, ralé. E olha quem tá falando... anônimo... rssss...

      Excluir
    10. Anônimo10/12/12 16:18

      Aiii que MEDA!!!!!

      Chamei vc de mano, pq VC merece ser tratado assim.

      Estou longe de ser ralé, e nem convivo com seus familiares...

      Excluir
    11. Anônimo 10/12/12 17:58
      Para sua informação e você não cometer o mesmo erro em outros ambientes, que fica chato para você, não é Reich, é Terceiro Reich.

      Excluir
    12. Bob, para não proibir comentários anônimos, que tal publicar o IP de quem comenta? "Ah, mas é invasão de privacidade". Não comente então, poupe-nos de sua diarréia mental.
      Lê o blog quem quer. Não concorda com o que está escrito, pare de ler, você não é obrigado.
      Não está satisfeito? Caia fora. Não venha cagar regra no blog dos outros.
      Simples assim.

      Excluir
    13. Interessante a questão de chamar o outro de ralé por ter usado uma giria. Meu amigo, pela sua logica, pro Eike Batista então você não passa de um verme insignificante. Boa sorte na vida.

      Excluir
    14. Esse Fernando é daqueles que apanha e não fala nada pra não cagar regra.

      Excluir
    15. Comunista Anônimo10/12/12 16:08 "Assim, quem concordar em se submeter pode aceitar e permanecer. E quem discordar pode pastar em outras paragens."

      Mas vocês ficaram, correto? Mesmo não concordando com métodos de/e governos passados, não procuraram 'outras paragens'.

      Outra frase feita p/ vocês é "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço."

      Excluir
  22. Esse rodizio é um absurdo ,mas também não sou a favor do pedágio urbano ,a solução é a fabricação de carros menos poluentes e controlar sem cobrança ,mas é sempre assim ,a corda estoura pro lado do cidadão .

    ResponderExcluir
  23. Corsário Viajante10/12/12 14:17

    É isso aí Bob, este texto está brilhante, taí um assunto que vem sendo pouco discutido, espero que este texto sirva para bagunçar um pouco o coro dos idiotas conformistas que acham que rodízio é necessário ou coisa do gênero.
    O mais necessário é que as pessoas entendam que o trânsito NÃO é causado por "excesso de veículos" mas sim por péssimo gerenciamento do tráfego, faróis em excesso e fora de sincronia, falta de fiscalização, falta de investimento em obras e pincipalmente pelo transporte público horrível, caríssimo e deficitário.
    E não, não vamos resolver o problema com "bikes" de aluguel fazendo propaganda grátis para bancos, viu Itaú?

    ResponderExcluir
  24. Parece que tentam fazer experiências em SP, que assim como a jabuticaba, só existem no BR. Por que não se tenta copiar o que realmente dá certo, sem adaptações? Ou por que não se tenta fazer um estudo adequado antes de criar sanções como estas, absurdas? O transporte coletivo já está saturado, e as pessoas não trocarão o carro enquanto assim estiver. Eles acreditam que nos forçarão a abandonar nossos carros dessa forma? Esses problemas estão se alastrando pelo BR afora, e caso se dê uma solução em SP, outras capitais seguirão o modelo correto, por pressão da própria população.

    ResponderExcluir
  25. Bob eu fui parado uma vez há cerca de 10 anos por um marronzinho, sabe que eu fiz, dei voz de prisão a ele, eu sequer posso ser detido por policias estaduais.
    SDS
    P.S. Quem acha que era ditadura, é porque gosta das falcatruas perpetuadas diariamente por nossos politicos, mas cuidado estamos sempre alertas.
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E porque o marronzinho te parou, podemos saber?

      Excluir
    2. Como é que o marronzinho iria saber que você é militar? E não é bem assim, não, se por um acaso um militar comete crime ele pode, sim ser preso, no caso de flagrante, isso pelo menos até que o comando à que ele é lotado tome as providências. Ou estou errado?

      Excluir
    3. A era da ditadura já acabou, agora é a Era da Carteirada mesmo. O cara que dá voz de prisão a um agente público em cumprimento do seu dever e acha isso normal é o sinal dos tempos (do fim dos tempos, aliás).

      Quem controla o cidadão que não pode ser controlado pelas autoridades???

      Excluir
    4. Se um militar descaracterizado ou caracterizado, fazendo cagada na rua, me desse voz de prisão, eu ia rir meia hora na cara dele, parar para tomar folego e aplicar multa até acabar a tinta da caneta. Ai ele pode ir dar voz de prisão pelo recurso da multa também. O problema é esse, a cultura do SÔ OTORIDADE! ME RESPEITE SENAO VOCE SE FERRA! Bela bosta.

      Excluir
  26. No país do Fubeco e da Cafuza esperar o quê, né? Tamufu...

    ResponderExcluir
  27. Dr. Traffic Calming10/12/12 15:11

    "O próximo prefeito, Fernando Haddad, toma posse em 1/1/13. Não se sabe o que ele fará a respeito do rodízio; o mais provável é que ele "continue numa boa" – embora tenha anunciado que vai mexer na farra da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente e da Controlar ao isentar da inspeção carros com até dois anos. Quem sabe acaba com o rodiízio? Aposto que seria reeleito em 2016".

    Quem sabe ele acaba com a farra e a caixa preta da empresa de economia mista, travestida de ógão publicoe braçp operacional da Máfia Naciona de Trânsito e que, entre várias barbaridades, transformou SP na Capital Mundial das Placas de Trânsito? Que tem 15 milhões de verba anual p/propaganda utilizada para o circo de ilusões do trânsito de que SP á vítima? Paga campanhas falaciosas, filmetes imbecilóides, midias misteriosas e por aí vai?
    Ou a caixa preta só vai mudar de gerente? Ou só não existe máfia no trânsito? SP, pobre cidade rica, vive um circo de ilusões e é refém de máfias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acaba nada. Veja só quem será um de seus secretários, ninguém menos que um tal de Chico Macena, presidente da CET na (in)gestão da Martaxa, alvo de várias denúncias, uma delas envolvendo a empresa Consladel. Já que você é tão informado nesse assunto dá uma pesquisada aí de como foi o negócio nessa época, entre 2001 e 2004.

      Excluir
  28. Sou contra o rodízio, mas ele não é absolutamente ilegal. O rodízio está ilegal na forma que vem sendo feito. Mas não se pode considerá-lo totalmente irregular. Filigranas jurídicas o mantêm desde 97. Vejam este ótimo artigo - bem técnico - sobre o tema:

    http://jus.com.br/revista/texto/10859/porque-a-multa-de-rodizio-em-sao-paulo-e-ilegal

    ResponderExcluir
  29. Pois é Bob Sharp. Criou-se uma dependência dessa irregularidade. Como a frota dobrou, retirar o rodízio iria causar um aumento no trânsito perceptível, e a opinião pública ainda poderia ir contra. O que tinha que ter acontecido nesse período que dobrou a frota era muito mais investimentos. Não aconteceu e o rodízio apenas escondeu a verdade.

    ResponderExcluir
  30. Todo mundo sabe que ao colocar o rodízio todo mundo saiu ganhando, menos o cidadão:

    - a prefeitura ganha multas
    - os vendedores de carros usados podem vender seus velhos carros (carro do rodizio)
    - os vendedores de carros novos podem vender também, pra quem tem dinheiro
    - ganha-se do motorista de fora, que porventura desconhecer as regras
    - estacionamentos lotam com gente que "não conseguiu" sair antes da hora do rodízio e tem que se esconder, como criminosos
    - com carros velhos na rua, Controlar ganha pois reprova mais, reprovados eles pagam mais multas, ou o dono vai comprar um carro novo e sorte dos vendedores e concessionárias, fábricas, etc.

    Agora o cidadão, pra quem a cidade foi feita e de quem a cidade depende acaba se ferrando. Triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hugo10/12/12 15:50 ótimo comentário .

      Excluir
    2. Matou a pau!

      Excluir
    3. Só esqueceu de concluir que tudo isso é causado pelo próprio cidadão, que faz qualquer coisa pra fugir do rodízio e continuar com sua conveniência.

      Enquanto empurrarmos a responsabilidades que são nossas para todo mundo (sempre os outros...), nada vai mudar.

      Excluir
    4. Anônimo10/12/12 16:20 Governante detected!

      Excluir
    5. Anônimo 16:20,

      O cidadão faz o que pode para sobreviver em uma cidade que não oferece infraestrutura para sua vida. As obras são sempre depois do necessário, as ruas e o transporte público são precários, o metrô precisa urgentemente crescer, até alagamento tem. Mas tudo é depois, sempre depois.

      Enquanto o depois não chega o cidadão que precisa trabalhar, cuidar da família e ganhar o pão de cada dia se vira como dá. Como diz um amigo, "o brasileiro sacode pois sabe que se cair, morre".

      Mas eu sei que seu comentário foi só para jogar lenha na fogueira, você talvez nem leia minha resposta. Apesar disso, me preocupo com o que os outros lêem e resolvi responder.

      Excluir
    6. Meu comentário foi educado e pertinente, nada dessa de jogar lenha na fogueira. Eu argumento, respeito opiniões e estou aberto a rever meus conceitos e idéias, mas sinto uma dificuldade enorme por parte de algumas pessoas aqui em aceitar o contraditório, a ponto de vista oposto. Logo saem julgando, ou ofendendo, ou desqualificando... ou tudo isso ao mesmo tempo.

      É uma pena, pq essas mesmas pessoas reclamam do baixo nível de alguns comentários e empobrecem os debates, que de outra forma poderiam ser mais proveitosos. A incoerência reina.

      Excluir
    7. Anônimo10/12/12 16:26:

      Não que faça qualquer diferença para a qualidade ou validade dos meus argumentos, mas não sou governante. Longe disso, sou arquiteto e urbanista, profissional autônomo empresário e sofro na mesma medida e da mesma forma as mesmas mazelas que você e todos os demais aqui. Apenas defendo minhas opiniões sem desqualificar as dos demais. Não vi nas regras que sou obrigado a concordar e ter os mesmos pontos-de-vista e opiniões de todos.

      ;-)

      Excluir
    8. Anônimo10/12/12 17:55 Mostre inteligencia no seu comentário amigo, em vez de encher o saco .

      Excluir
  31. Volta Maluf!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo10/12/12 15:56 Ra Ra Ra ,essa foi boa !

      Excluir
  32. Ronaldo Nazário10/12/12 16:05

    KKKKKK KKKKK KKKKK!!!!

    QUE SAUDADES DO PAULO MALUF HEIM PAULISTADA!!!

    TAMBÉM, DE UMA GENTE QUE ELEGE CLODOVIL E TIRIRICA O QUE ESPERAR?

    BEM FEITO PARA VOCÊS!!!

    ASS.: O CARIOCA QUE TIRA ONDA COM OS PAULISTAS DO IPAD NA BEIRA DA PRAIA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário mais fuleco hein, he he ...

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio10/12/12 19:29

      Que saudades do Brizola e do Garotinho e da Rosinha, hem Fenômeno?
      Em breve, saudades do Sérgio "guardanapo na cabeça" Cabral. Aquele que faz o possível pro Rio continuar vivendo de graça às custas dos royalties da Petrobrás.

      Excluir
    3. Logo logo você vai precisar tirar uma bala da cabeça quando o trombadinha vier pedir emprestado seu ipad na beira da praia. Problema que também existe em São Paulo e em todas as cidades do Brasil mas acredito que os moradores não são tão imbecis.

      Excluir
    4. Anônimo10/12/12 21:10 ?

      Excluir
  33. Jorge Dias Lage10/12/12 16:24

    À medida que lia o seu artigo, me perguntava por que não houve interesse jurídico nesse assunto, por tanto tempo. Por que nenhum advogado, associação, ministério público levantou questão sobre a legalidade do rodízio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já houveram diversas ações e contestações, de indivíduos, associações e outros. Não deu em nada, o próprio STF se manifestou favoravelmente a respeito do direito do município de legislar sobre esse assunto. É essencialmente uma questão administrativa, esse post é um tiro n´água. Pesquise por aí vc vai ver.

      Excluir
    2. Sei, nada é para sempre. Pelo jeito é vc quem desconhece o sistema jurídico brasileiro. Do contrário, saberia o que é jurisprudência, e o FATO do STF não ter o costume de revisar e menos ainda voltar atrás em suas decisões. Nesse caso, trata-se do reconhecimento, entre diferentes poderes, de que o executivo municipal têm soberania para legislar sobre sua administração em relação ao medidas de mitigação do trânsito, i.e. rodízio municipal de veículos. Em outras palavras, cada cabeça uma sentença mas não adianta insistir na causa que já foi julgada na maior instância do país. A solução é lutar pela mudança da lei.

      Excluir
    3. Anônimo 10/12/12 19:25
      Certo, só que você se esqueceu que o STF se divide em antes e depois de Joaquim Barbosa.

      Excluir
    4. Não Bob, deifinitivamente e infelizmente não!
      Segue o link:

      http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,de-licenca-medica-joaquim-barbosa-vai-a-festa-de-amigos-e-a-bar-em-brasilia,591930,0.htm

      Temos que parar de endeusar o Joaquim Barbosa! O nível dos integrantes do STF é uma baixaria!

      Excluir
    5. É o cacoete nacional. Depositar toda a esperança de mudança no Salvador da Pátria. Até novelas já foram feitas com esse tema. Vem de longe essa mania, e nenhum deles, de D. Pedro a Collor, de Getúlio a Lula, conseguiu ser mudado (não mais do que foi mudado pelo sistema!!!).

      Desculpe derrubar sonhos justamente na Época da Esperança, mas Papai Noel não existe. Ou, abusando de outro ditado, "Um Joaquim Barbosa só não faz verão".

      Até pq ele não tem nenhuma vocação ou aspiração política.

      Excluir
    6. Anônimo 10/12/12 22:30
      Depositar esperança em quem, então? No Papa?

      Excluir
    7. As coisas por aqui não vão mudar tão cedo porque é muito questão cultural das pessoas. Enquanto o cara tá de fora é pau em tudo, mas quando cai lá dentro (digo dentro do poder) é a hora de aproveitar. Aproveitar igual os que o antecederam. Dane-se a moralidade que ele defendia anteriormente. "Agora é a minha vez!". Mesma história do "jeitinho brasileiro", do "proibido é mais gostoso" e etc. E assim a coisa vai.... Tem muitas questões que são culturais nossas e que precisam ser mudadas na nossa gente.

      Excluir
    8. Pô desculpa aí Bob foi mal, pode continuar acreditando em Papai Noel e Salvador da Pátria.

      Excluir
    9. Anônimo10/12/12 21:45

      essa matéria é 2010

      e outra, doença não é prisão, vc não tem q ficar preso na cama, se a sua doença não requer isso

      Excluir
  34. Bob;

    Permita-me apenas uma correção. Salientando que essa correção tem apenas o cunho infomrtivo sem partidarismos tanto de esquerda quanto de direita.

    1-) O rodizio estadual, instituido pelo Senhor Fabio Feldman acabou não por conta da queda da emissão de gases poluentes. O Rodizio acabou porque o Custo Politico para o PSDB estava alto demais. Feldman não tinha apoio da população e começou a sofrer "fogo amigo" do proprio Governo Estadual que fazia parte.

    2-) O rodizio municipal introduzido pelo Sr. Celso Pitta no inicio deu mal estar entre estado e municipio. O estado arguia que o Rodizio Municipal era ineficaz para controle de poluição enquanto o minicipio arguia que o Rodizio objetivava fluidez no transito.

    Literalmente o Estado de São Paulo estava nervoso por ter perdido a "boquinha" nas multas e estava tambem igualmente nervoso pois a Gestão Marta Suplicy, ao manter o Rodizio implantado pelo Pitta, tinha ganho o apoio de parte da opinião publica pseudo-intelectualizada.

    E assim, Marta manteve o rodizio, Serra também, Kassab também e estamos com essa medida ainda em vigor na capital.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o político agindo em prol da próxima candidatura ao invés de agir em prol do povo, não?

      Excluir
    2. Daniel S. de Araújo
      Na época eu estava acompanhando de perto esse assunto e o comentário da própria Secretaria Estadual do Meio Ambiente, apoiada nos técnicos da Cetesb, era de que com a chegada da fase 3 do Proconve fatalmente viria uma melhoria significativa da qualidade do ar, não se justificando mais restringir circulação. O Pitta, que o Diabo o tenha, deu uma de esperto, só isso. Como não cabia restrição por motivos ambientais, se o próprio só teria mais uma rodada em 1998, inventou essa da fluidez do trânsito.

      Excluir
    3. Bob;

      Não acompanhei bastidores técnicos. Mas politicamente eu era mais engajado e tinha acesso a diversos grupos de diversas correntes e era isso que corria na época, nos bastidores politicos. Foi o primeiro "emparedamento" que presenciei.

      Excluir
  35. Outra safadeza é o tal de "Controlar" já foi denunciado pelo ministério público como tendo "ganho" a concorrência ilegalmente, quantos aos interessados, na época eu comuniquei ao "otoridade"marronzinho que estava em missão do Exército Brasileiro.
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrando que a Controlar é do grupo CCR, que tem concessão para explorar a Anhanguera e a Bandeirantes...

      Excluir
    2. Ok, mas ainda não disse o que estava aprontando para ser parado.
      E quando for responder, use o botão "responder" abaixo do comentário, fica mais fácil para a gente acompanhar.

      Excluir
    3. Enquanto a Delta é vitoriosa no ambito federal, a CCR fica no estadual.
      Que a Administração PTista é corrupta, isso todos sabemos. Não é novidade. Mas, e a Adminsitração Alckmin, onde entra? CCR para todos os lados. Tem uma empresa de consultoria que participa de todas as obras estaduais e pertence ao filho de um ex. governador...Tem a corrupção endemica do DER...
      Tem a caixa preta chamada DETRAN que ninguém se atreve a colocar a mão...putz, melhor parar porque senão vai sair tanta podridão do governo do "chuchu" quanto apareceu do governo do molusco que nada sabe.

      Excluir
    4. Anônimo 10/12/12 22:26
      É bem por aí as coisas. E cada Estado ou cidade tem as suas Deltas e CCRs....

      Excluir
  36. Bob. Pergunta de quem não é de São Paulo: os ônibus, táxis e motocicletas também são sujeitos ao rodízio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pergunta foi pro Bob mas te respondo que não. E aí, o que você me diz disso?

      Excluir
    2. Te digo que isso poderia, bem, primeiramente fomentar a venda de motocicletas. Segundo, aumentar o faturamento dos táxis.
      E a qualidade do transporte público...?

      Excluir
    3. Aqui em São Paulo já se vende muita motocicleta e, sinceramente, numa cidade como esta e com o trânsito que possui, eu passo adiante esta alternativa de transporte, loucura se aventurar sobre duas rodas numa selvageria dessas. Táxi é legal mas muito caro, fora os malandros que ainda tentam te tungar uma grana a mais pela corrida, até taxímetros eles adulteram. Transporte público? Piada de mau gosto. temos a maior rede de metro do Brasil (como se isso fosse grande coisa) e te digo que se fosse uma cinco vezes maior ainda não atenderia a demanda. Tamos ferrados.

      Excluir
  37. Júlio Bomfim10/12/12 17:20

    Olá Bob e AutoEntusiastas... também sou totalmente contra o rodízio na forma que existe hoje. Gostaria de saber se já houve alguma ação coletiva ou recurso que teve ganho de causa contra este rodízio paulistano. Ou algo que pudesse abrir qualquer precedente jurídico para nos apoiarmos legalmente. Abs.

    ResponderExcluir
  38. Como diria Boris: Isso é uma vergonha.

    ResponderExcluir
  39. Como diria Boris: Isso é uma vergonha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vergonha também é o Genésio que não me paga. Há um ano me devendo.

      Excluir
    2. Anônimo 10/12/12 19:50
      Não gostou, imbecil? Dane-se (para não usar termo de baixo calão).

      Excluir
    3. Esse site é mesmo um lugar de grande calibre e com editores impecáveis, olha a educação com que tratam os comentaristas.

      Excluir
    4. Anônimo 10/12/12 22:21
      Você quer que se trate lixo como? Com perfume? Nada disso, é máquina de lavar a pressão mesmo.

      Excluir
  40. Eu sou contra o rodízio e também contra pedágio urbano. Aliás, podem até me criticarem, mas sou contra pedágio também. Que me cobrem um extra no já caro IPVA para as estradas, já que dizem que o IPVA (rs) é para educação, saúde, etc. Prefiro pagar embutido do que picado nas estradas. Sei que muitos vão falar, mas a estrada x depois do pedágio ficou melhor, mas tem ser boa e sem pedágio.

    ResponderExcluir
  41. Nossa Bob!!! Inacreditável e inaceitável este absurdo ao qual, infelizmente, o cidadao paulistano(e tambem brasileiro) esta sendo submetido. Esta situaçao, por vc exposta, é de doer o estomago.

    ResponderExcluir
  42. Também acho muito ruim rodízio. Prefiro self-service.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 10/12/12 19:07
      Já eu prefiro o rodízio; no self-service as pessoas demoram muito para se servir.

      Excluir
    2. Para quem não tem muita mobilidade o rodízio é melhor mesmo.

      Excluir
    3. Anônimo, 10/12/12 19:34
      Seu caso, então. Lamento que você tenha perdido a mobilidade.

      Excluir
    4. Mas eu não perdi. Como disse acima, sou adepto do self-service.

      Excluir
    5. Também prefiro rodízio, pois adoro carne!

      Mas do jeito que estão os frequentadores desse blog, daqui a pouco aparece um vegetariano, politicamente-correto-uiuiui-vou-salvar-o-mundo-só-porque-não-como-carne, para encher o saco...

      Excluir
    6. Anônimo 10/12/12 19:45
      Que ótimo! Pensei que você tivesse dito que tinha perdido. Ainda bem que não.

      Excluir
    7. Eu já prefiro um bom a la carte mesmo. Esse lance de rodîzio e self service é pra quebrar galho de vez em quando. de preferência de vez em nunca.

      Excluir
    8. Gostei do bom humor do pessoal ! he he ...

      Excluir
    9. Avacalhação total, isso sim.
      Bob, não entra nessa, calcina e já era.

      Excluir
  43. É anônimo das 17,20 horas e eles literalmente exploram mesmo.
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê voz de prisão pra eles, quem sabe saem correndo e deixam a gente em paz.

      Excluir
  44. Bob,

    E quanto ao rodizio de caminhões aqui em SP, qual é a sua opinião?

    Eu acho que tem muito caminhão aqui nessa cidade mesmo, mas não vi tanta melhora não, mais nas primeiras semanas. Fora que logo que acaba o horário de rodízio, na marginal Tietê os caminhoneiros andam que nem loucos, parece até a sucursal do inferno...

    ResponderExcluir
  45. Anônimo 10/12/12 20:39
    Enquanto o rodoanel não ficar totalmente pronto, acho que está errado, pois são veículos de trabalho. Mas caminhão não deve entrar nas cidades, em horário algum por causa do porte inapropriado, isso fica para os caminhões leves. O rodoanel resolve tudo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante10/12/12 23:40

      Acho que enquanto o ROdoanel tiver pedágio, for muito perigoso, não tiver nenhum posto de atendimento ao usuário nem telefones nem sinal de celular, todo mundo vai preferir ir por SP. Eu mesmo costumava ir pelo ROdoanel mas após os sucessivos casos de roubos e arrastões, além da tremenda falta de infraestrutura (um caminhão tomba e fica lá o dia todo, com tudo parado) sem sequer UM SAU (quem quer ir ao banheiro faz o que? Para no acostamento e se arrisca?) desisti e estou preferindo enfrentar a Marginal mesmo.
      Ou seja, ele foi inaugurado sem estar pronto, e cobrando pedágio. No Brasil a banana sempre come o macaco.

      Excluir
  46. Mais sobre o atropelamento no aeroporto: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/12/10/motorista-que-atropelou-mae-e-filha-em-congonhas-e-solto-apos-fianca-de-r-12440.htm

    Não estava embriagado, mas dormiu no volante. Se estivesse bêbado, responderia por homocídio culposo. Ou seja, atropelou e fez uma cagada, encha a cara de cana que a pena é menor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O delegado mete doloso porque a pena do culposo é leve demais. Mas se o cara não estava bêbado, não vai pegar nada pra ele. Vai pagar umas cestas básicas e já era. Infelizmente foi uma fatalidade, qualquer um de nós que dirija com sono esta sujeito a dormir no volante. Quem aqui nunca lutou contra o sono quando dirigia de madrugada?

      Excluir
    2. CMF
      Ah!, então tá explicado...
      Fatalidade? Ora, não me venha com essa! Esse energúmeno entrou numa via restrita, ou seja, de uso apenas para quem embarca e desembarca, em velocidade notadamente acima do normal, sobe na calçada e faz strike em duas senhoras, matando uma delas. Esse patife tem mais é que apodrecer na cadeia.
      E sono não é justificativa pra nada, eu também já passei por isso, e na estrada, bem longe de casa, a diferença é que sou responsável e parei pra descansar. Se ele estava assim tão chapado que deixasse o carro onde estivesse e fosse de táxi pra casa.

      Excluir
    3. Carlos Mauricio Farjoun11/12/12 08:36 Desculpe mas não concordo ,o cara tem que dormir ,ou então tomar muito rebite ! o que não pode é dirigir com sono e matar os outros que tinham uma vida pela frente,abraço .

      Excluir
  47. São Paulo é inóspita para as pessoas

    ResponderExcluir
  48. Rodrigo F A10/12/12 22:10

    Muita gente ganhou com essa história de rodízio, queria escrever mais por aqui mas vi as regras para fazer um comentário no recinto e acho que não vale queimar vela, melhor deixar minha opinião em outro lugar mais livre. Se não pode falar nem de quem ganhou com o rodízio com medo de ser removido é perda de tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo F A
      Isso, a internet é vasta, você não terá a menor diiculdade.

      Excluir
  49. Bob, ocorreu hoje a mais bizarra das coincidências.
    Foi vc publicar este texto que a tarde, a Rádio Bandeirantes de Campinas (cidade onde moro) noticiou que a Camara Municipal irá votar na assembléia a instauração do rodízio municipal também na cidade de Campinas. E pasme: grande parte da população é a favor dessa idéia absurda!!!!
    Mas o trânsito na cidade é infinitamente inferior ao trânsito da cidade de São Paulo, e só ocorre em pontos específicos e em horários específicos, ou seja: estão querendo estabelecer aqui mais um ponto de arrecadação de forma abusiva. Infelizmente Bob, este país está perdido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio Vicente
      Mais um executivo e legistlativo que perdeu o pouco de vergonha que lhes restava na cara. Lamentável.

      Excluir
    2. Corsário Viajante10/12/12 23:36

      Moro em CAmpinas e fiquei chocado, como pode? É muita idiotice, não faz o menor sentido, e ironicamente anunciam isso logo em seguida ao aumento vergonhoso da passagem de ônibus!

      Excluir
    3. Pois é Corsário Viajante, vc então sabe do que eu estou falando. Não temos aqui tanto congestionamento que justifique um rodízio, o transporte público é uma vergonha e confesso que uso carro por falta de opção mesmo. E meu carro nem é dos mais recomendados para se usar na cidade... Só para vc ter uma idéia, na região onde moro não existe ônibus regular! O bairro é atendido por microônibus, que passam "quando querem" ao bel prazer, literalmente. Se vc tiver um compromisso e depende do transporte público em Campinas, cuidado! Dependendo do bairro onde vc mora, as chances de se atrasar são grandes. E fora as vias mal conservadas, coisa esta que até agora ninguém da nova administração se preocupou em mencionar.

      Excluir
    4. Engraçado esse povo. Se o trânsito é tão ruim, mas tão ruim a ponto de quererem o rodízio, porque não ficam em casa, ou andam de transporte coletivo por conta própria? Eles precisam pedir para a prefeitura proibir, por força de lei/decreto/sei la, a circulação de veículos?

      Excluir
  50. Acredito que o mundo está muito "solto" ultimamente. Todos podem tudo e fazem o que bem entendem. Isso não está certo. Eu desejo mais leis me controlando. Eu não sei bem o que devo fazer; As leis irão me guiar, pois assim se não der certo, me escoro nessas leis. Em função do aquecimento global quero que apareçam leis proibindo o fogo solenemente. Para os congestionamentos quero leis que me proíbam circular com qualquer carro. Quero menos liberdade em geral pois existe muita violência e para o meu próprio bem quero leis que me proíbam sair de casa. A internet está controlando a mente do cidadão, quero leis que proíbam a internet. Quero que as professoras, as mães, os pais, todos que educam sejam proibidos de educar. Quero leis contra isso pois eles estão educando as crianças com a visão do mundo que eles tem e não a "moralmente" correta. Quero leis que obriguem a todos a pagarem impostos caríssimos e não reclamem, pois não sabem do que reclamam e isso é ruim para as leis.
    As leis são muito importantes e fundamentais. Aliás deve haver uma lei ensinando como se cria uma lei. A lei é ótima, pois tira todo o livre arbítrio e criatividade do cidadão.
    Nossa como meu pensamente está fluido hoje. Por favor, alguém crie uma lei que acabe com meus pensamentos maléficos que só causam danos à humanidade.
    Quero leis...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De que adiantariam tantas leis se ninguém as fiscaliza? Só fiscalizariam as que dão grana.

      Excluir
  51. Não moro em São Paulo e não tenho nenhuma vontade de conhecê-la. E tudo o que leio, escuto ou assisto sobre essa cidade só me desmotivam cada vez mais a querer ir para aí algum dia por qualquer motivo que seja. Particularmente percebo muito mais qualidade de vida numa pacata cidadezinha de 20 mil habitantes do que na "selva de pedra" de 11 milhões. Não troco interior por capital por nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo, fica por aí mesmo e nos poupe de ser mais um remediado em busca de migalhas, entulhando ainda mais nossa cidade. Vc ta certo Sao Paulo é um lixo, feia e hostil e nao tem nada de bom. Tomara que vc convença outros migrantes daqui a voltar pro interior tb. Vlw.

      Excluir
    2. Anônimo 11/12/12 01:11

      Concordo integralmente com vc. E ficar longe daí é a melhor coisa que qualquer um pode fazer, pelo bem de sí próprio e dos paulistanos.

      Excluir
  52. Olha aí o figura que inventou isso: http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/rio-20-transporte-nao-e-mera-questao-de-transito

    ResponderExcluir
  53. E o Haddad prometeu acabar com a taxa do controlar, na campanha na tv, e agora? Bob, você tem como pelo menos cobrar isso para a população de sp.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se iluda, o serviço da Controlar não é grátis, a grana tem que sair de algum lugar e a prefeitura é quem paga. Sabendo-se que o poder público não gera receita adivinha só quem vai pagar a conta. Incrível como o povo ainda cai nessas conversas de campanha eleitoral.

      Excluir
    2. Servico este que o VAGABUNDO do José Serra implantou junto com outro VAGABUNDO Kassab para a CCR ganhar dinheiro e poder remeter lucros para a conta off-shore da Monica Serra.

      Excluir
  54. Por isso saí de SP. E do jeito que a coisa vai, vou mudar p/ o Acre logo,logo...

    ResponderExcluir
  55. Bob;

    Você falou do "carater experimental" mas estava me lembrando...Lembra que a Casa Verre manteve contrato de emergência no fornecimento de placas de automóveis durante ANOS a fio? E o Banco Schahin que também por ANOS a fio era encarregado de recolher as taxas do DETRAN de São Paulo e quando perdeu a boquinha, faliu (o banco Central acabou com esse Banco este ano).

    Acho que caberia também um post sobre o DETRAN. O Ex. Governador Serra e agora o Geraldo Alckimin afirmou que desburocratizaria o DETRAN mas até agora facilidade mesmo só para o cidadão recolher taxas e impostos. Acabar com a caixa preta mesmo nada.

    ResponderExcluir
  56. Olha como se resolve o problema do rodizio de carros http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/jornal-alckmin-usou-helicoptero-oficial-para-buscar-familia,66c535ef5a98b310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...