Google+

29 de dezembro de 2012

O QUE DIRIGI EM 2012 E DEIXOU SAUDADE


                                              

Há carros que por um motivo ou outro nos deixam saudade, nos cativam. Uns pelo conjunto e outros por características específicas. Selecionei alguns dos que dirigi neste ano de 2012 e escrevi o que primeiro me veio à memória, as características mais marcantes de cada um, o que associo ao modelo quando sua figura me aparece. E há também uma motocicleta, pois ela me cativou.

Vamos lá:

Citroën DS3
Foto: Citroën

Estradeiro de primeira. Parece ter um ímã que o cola ao chão. Estabilidade direcional excelente. Gruda tanto nas curvas que parece que sempre tem uma reserva a dar, algo mais a gerar de força G. Silencioso e relativamente macio para o tanto que oferece de esportividade. Cabem cinco adultos em trajetos curtos e quatro em viagens. Ergonomia perfeita. Motor 1,6-litro turbo que é econômico quando se roda tranqüilo e danado de forte quando se acelera pra valer. É compacto e estruturado feito uma rocha. Mais macho do que aparenta, tipo o lutador Oscar de la Hoya, campeão mundial dos pesos-médios e de carinha limpa que serve para cantor romântico.

Volkswagen Amarok
Foto: autor
Surpreendente nas curvas. Nunca imaginei que me divertiria fazendo curvas com uma picape média cabine dupla. Boa estabilidade direcional. Conforto e ergonomia ótimos para quem vai na frente, um pouco menos para quem vai atrás, pois o encosto do banco tende à vertical e é um pouco duro. Muito silenciosa, ajudado pelo moderno e suave motor 2-litros turbodiesel.

Ford Ranger
Foto: divulgação
                                       
Um "jipe" para encarar qualquer parada mantendo silêncio e conforto para todos os ocupantes. Bom banco traseiro também, pois o encosto é mais reclinado e macio. O motor turbodiesel de 5 cilindros tem potência de sobra, 200 cv. Muitos recursos visando melhor tração em escabrosos percursos off-road. Uma pessoa inexperiente pode largar tudo e deixar com a picape que ela sai do enrosco com galhardia. Classuda, dentro do que uma picape pode ser. Na ocasião do lançamento, só a dirigi no fora-de-estrada, mas tenho uma de teste aqui comigo e com ela viajei quinta-feira ao interior. Em breve um post "no uso" e até lá veremos. 

BMW 528i
Foto: Paulo Keller
                                     
Um avião de carreira na estrada, com todos indo de 1ª classe. Carro largo. Frente longa e larga. Demora-se a entender como um pequeno motor turbo de 4 cilindros e 2 litros possa lhe dar tanto desempenho. Gasta incrivelmente pouco pelo tamanho, peso e desempenho.

BMW 328i
Foto: autor
                                   
Mesmo motor do 528i e carro menor e mais leve. Anda barbaridade e sempre na mão. Perfeição na tocada. Serve de parâmetro para que todos os outros carros procurem o melhor peso e resposta da direção e dos freios. Neutro nas curvas. Suspensão firme que se ressente um pouco da buraqueira paulistana.  O turbo já lhe dá torque máximo de 37,5 m·kgf a incrivelmente baixas 1.250 rpm. A pegada vem logo de cara. Anda pra burro, mesmo.       

Mercedes C180 CGI
Foto: autor
                                  
Suspensão no ponto para um sedã de porte médio. Consegue ser macia e também ótima para curvas, já que ele agarra como um esportivo e pouco rola. Ótima ergonomia e bom espaço para todos. Motor 4-cilindros, 1,8-L, turbo que, apesar de não proporcionar desempenho igual ao 2-L turbo da BMW, acelera mais que o suficiente. Se estiver numa vazia estrada argentina vai sossegado em velocidade cruzeiro de 180 km/h ou mais. A 200 km/h ainda tem sobra para acelerar. O excelente Cx de 0,26 explica muita coisa, pois o motor tem "só" 156 cv, mas com pegada logo em baixa. Freia com as quatro patas fincadas no solo, sempre sob controle. Faz mais de 13 ou 14 km/l de gasolina viajando a 120 km/h ou pouco mais. 

Voyage 1,6-L
Foto: autor
                           
Delícia de compacto. Suspensão macia e boa para curvas. Motor com impressionante pegada em baixa e que responde rápido seja lá em que marcha estiver. Muito econômico. Trambulador de câmbio excelente. Muito bom como veículo urbano e bem divertido na estrada. Sem frescuras, oferece conforto, desempenho, espaço e economia para quem objetivamente deseja tudo isso e não se preocupa com essa futilidade chamada status.

Mustang Boss 302
Foto: autor
                               
Motor V-8 que tem pegada em baixa quase de big block e que sobe de giro que nem esportivo italiano. Vai a mais de 7.000 rpm sem esforço e num pestanejar. Falta só tração para numa largada jogar tudo isso no chão. Não o peguei numa estrada, mas deu para sentir que seria de babar.

Renault Duster
Foto: divulgação
     
Ideal para quem gosta da figura do utilitário esporte mas na verdade não quer nem precisa de um. Bom de espaço, conforto, suspensão macia, estabilidade direcional e em curvas, e comparativamente não custa muito. Em suma, boa opção principalmente para as mulheres que gostam desse tipo de veículo, alto. Mas para quem quiser encarar encrencas bravas, há a versão 4x4, com suspensão independente McPherson na traseira, e esse é realmente um bom jipe, com a vantagem de ter boa estabilidade em geral e ser macio de suspensão, além de espaço e conforto para quem vai atrás e ter bom porta-malas. 

Fiat Punto T-Jet
Foto: Bob Sharp
                              
Hatch esportivo sangüíneo, bem italiano. Tem um chão impressionante. Cola no asfalto. Motor 1,4-L turbo com pegada dos demônios. Carro leve. Feito para o prazer. É bom saber que a Fiat apostou num carro assim, dedicado ao autoentusiasta, e fez coisa especialmente boa.


Triumph Bonneville
Foto: Mario Torino
                               
Depois que a pilotei, sonho com ela; logo eu, que fazia anos que não sonhava com moto alguma. Ela colocou meu sonho em foco. Atende a tudo o que preciso numa motocicleta, de posição de pilotar à parte ciclística, sem esquecer o motor bicilíndrico de 865 cm³.

AK

38 comentários:

  1. Não dirigi nem um destes, mas pelo que li deles, e pelo meu gosto, muito provavelmente sentiria saudades de BMW e Mercedes, e depois, da Ranger. Em lugar do Mustang, eu preferiria um Dodge Challenger. Moto? Nada onde eu seja o pára-choque me deixa saudades. Exceto pela XL 250-R que dirigi dentro de uma fazenda e em estradinhas vicinais de terra (sem maiores estrepolias que pudessem render um "bom" tombo), seu habitat mais apropriado. Deliciosa suspensão, e barulho de tratorzinho, he, he!

    ResponderExcluir
  2. Arnaldo, você tem realmente certeza que o Voyage (e também, vá lá, o Duster) merece (m) estar nesta lista?

    HS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HS

      A gente tem que analisar o carro dentro de sua categoria, dentro de sua proposta, e esses dois, sim, deixaram saudades. O Voyage é ótimo para o dia a dia e se porta muito bem tanto na estrada como na cidade, e se precisar vai bem na terra também. A Duster é bem o que disse no texto. Eu, que não sou chegado nesses jipinhos, acabei gostando dela, pois peguei estrada de asfalto e nela ele se manteve bem estável mesmo acima de 120 km/h e peguei terra mandando a lenha tipo rali, pondo de lado e ela sempre na mão e com conforto.

      Excluir
  3. Ak; bem eclético, não? De caminhonete,passando por SUVs, coupês, sedans e terminando na Bony. Sinal que tudo está melhorando muito. Agora me intriga muito esta nova maré de turbos. Explico. Volta e meia nos ultimos 20 anos os turbos apareciam, todo mundo aplaludia, e os bchos começavam a quebrar e dar problema para todo lado e desapareciam de novo. Ninguêm queria mais, concessionárias não sabiam consertar, fábrica idem e mexânicos então nem se fala. O preço da arrumação ea impraticável e mesmo que vc pagasse o carro saía ruim do mesmo jeito, não importa se trocasse tudo. Bom, BMW, nome de peso, vem avalizando estes novos motores, seguida por Mercedes, etc. Se realmente resolveram a coisa, vai ser mito bom. Mas a julgar pelos "consetos" que a maioria das "autorizadas" fazem nos nossos carros aspirados ainda hoje, penso que ainda em muita água para rolar. Vamos ver mas uns dois anos, quando estes carros começarem a pegar kilometragem. Grato pela reportagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo das 12:47

      Você disse o que penso. Mercedes e BMW entraram firme e eles não entram em canoa furada. Se aqui tiverem boa manutenção, e aqui devem ter, pois ninguém compra carro caro para largar na mão de marretas pra arrumar, vão durar muito, e sem problemas.

      Excluir
    2. Anônimo das 12:47 e AK,

      A Volvo e a Saab já provaram ao mundo o quanto um motor turbo pode durar! Os suecos acabaram puxando a fila dessa idéia de downsizing e deu muito certo, acredito num bom futuro para os novos motores "bem projetados"!

      AK,

      Parabéns pelas experiências, somos gratos pelo veredicto desses ótimos carros que você guiou, em 2013 esperaremos por boas novas e histórias do passado!

      Um abraço

      Excluir
  4. Legal, Arnaldo. Me surpreendi com a inclusão do Voyage e do Duster.

    Sobre o sedanzinho da VW, suas informações confirmam o que eu vejo todo dia aqui em casa e não entendia: um vizinho tem um desse, e faz uma troca de marcha incrivelmente rápida e a segunda empurra com gosto em uma pirambeira de respeito.

    O DS3 tá baixando de preço, aos poucos. Ótimo para nós. Fora que ainda dá pra subir a cavalrai fácil. Já dá pra encontrar a 70, 0km.

    Essas BMW são de fato um espetáculo. Pena que que status da marca ainda é muito elevado por aqui, permitindo preços estratosféricos.

    Amarok. É a picape que mais gosto. Jamais permitiria que fosse automática, para tirar minha ligação mecanica com aquela joinha 2.0 lá na frente. O que tem dessas rodando pelo interior da Argentina não é brincadeira.

    Não sabia que o Punto T-Jet era tão bom. Quando minha irmã comprou o Sporting dela, muito bem equipado, a diferença era só de 2 contos para o turbinado. Fiz torcida, mas perdi.

    E, quando voce vai a concessionária Triumph assinar o cheque? um sonho por 30 contos tá de ótimo tamanho!

    Abraço


    Lucas CRF




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuca - Puma GTI29/12/12 16:19

      Lucas, onde se encontra DS3 zero a 70 k ? Estou à caça de um, não me interessa o banco de couro nem a pintura metálica, mas só vejo por 80 a 82 ... Me apaixonei pelo bichinho só fazendo o testdrive !

      Excluir
    2. Samuca, encontrei a 72. Veja se te serve:

      http://www.webmotors.com.br/comprar/citroen/ds3/1-6-thp-16v-gasolina-2p-manual/2-portas/2012-2013/8656301

      Tem este a 76:

      http://www.webmotors.com.br/comprar/citroen/ds3/1-6-thp-sport-chic-16v-gasolina-4p-manual/4-portas/2012-2013/9106131

      Mas antes de fazer o cheque, eu daria uma olhada com carinho nesse aqui, ó:

      http://www.webmotors.com.br/comprar/volkswagen/fusca/2-0-tsi-sport-8v-gasolina-2p-manual/2-portas/2012-2013/9422860

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    3. Lucas, logo vem uma Bonneville para no uso...

      Excluir
    4. Sofrimento, hein!

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
  5. De todos os citados, conheço o Voyage e o Duster. Acho o primeiro meio duro - como a maioria dos Volks - e o segundo o melhor SUVinho à venda hj em dia. Preciso ver este Punto, parece ser interessante mesmo.

    Destes todos, ficaria com o 528i, meu favorito da minha favorita marca bávara. Mas este ano, gostei mesmo de de testar um Ford Fusion.

    ResponderExcluir
  6. Arnaldo, fazendo a pergunta que fiz ao Bob e que mexe com muita gente por aí: em níveis semelhantes de motor e equipamento, MB classe C ou BMW série 3?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo Palandi,

      Boa pergunta. A priori, para mandar a lenha, BMW. Para maior conforto, MB. Eu? Nunca pensei em comprar sedan caro. Se fosse pra gastar pesado, só se fosse esportivo do bom, dois lugares e canhão, câmbio manual.

      Excluir
  7. Respostas
    1. O GT-R foi em 2011, mas apesar dele andar barbaridade não faz meu tipo de esportivo.

      Excluir
  8. Lorenzo Frigerio29/12/12 18:07

    Falando da estabilidade do DS3, não me consta que tenha suspensão hidropneumática. A Citroën tem oferecido esse sistema em algum de seus carros atuais?

    ResponderExcluir
  9. Lorenzo
    As molas do DS3 são helicoidais. Atualmente só o C5 é oferecido com suspensão hidropneumática alternativamente à de molas helicoidais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Bob,

      Eu adoro essas supensões da Citroen. Será que sou maluco? Certa vez viajei do Rio a Vitória com um Citroen XM, meio antiguinho já, na ida eu fui de passagueiro (com o dono dirigindo), mas na volta eu o trouxe ao Rio. Só achei de ruim o câmbio auto do XM, pois o sistema de suspensão era ótimo (pelo menos eu achava).

      E minha mãe teve um Citroen Xantia 1998 (ficou com ele de 1999 a 2001, e pelo menos tinha câmbio manual...rs) e, fora a manutenção bastante cara, eu também adorava a suspensão deste Xantia. O carro parecia andar sobre trilhos.

      Sei que muita gente fala mal por aí, mas eu gostava desta suspensão.

      Abraços.

      Leo-RJ

      Excluir
    2. É interessante, mas parece que a grande maioria critica esses tipos de câmbio. Seja em carros novo ou antigos.

      Se falar mal dos câmbios automáticos e automatizados é quase unanimidade, porque ainda vendem?

      Excluir
    3. Caro Rocket Man,

      Pois é, sei que muitos gostam mesmo deste tipo de câmbio, apenas eu, de forma muito pessoal, não consigo gostar. Mas isso não o faz ruim.

      No caso do Citroen XM, o câmbio auto era bem lento nas trocas e ficava naquela 'indecisão' algumas vezes, especialmente em subidas. Ao contrário do câmbio auto de um Mercedes C 180 (de quatro cilindros) - do mesmo dono deste XM -, fazendo o mesmo caminho Rio-Vitória. O auto do Mercedes em questão era muito melhor, com trocas mais rápidas e suaves e menos 'indeciso'. Mas ainda assim não gosto.

      Porém, muito do que estes "ainda vendem", advém do fato de muitos modelos serem disponibilizados apenas com este tipo de câmbio, especialmente em importados.

      Por exemplo, a Jeep não vende aqui o seu novo Wrangler com o ótimo câmbio manual de 6 marchas. A Mercedes não mais disponibiliza o série 300 com câmbio manual no Brasil. A Chrisler não vendia aqui o PT Cruiser com câmbio manual... Eles disponibilizam apenas com câmbio auto. Sem opção. Comprar um Volvo C30 com câmbio manual apenas sob encomenda (por acaso, na França, Portugal, Alemanha, Itália e Bélgica vende-se mais C30 com câmbio manual do que com câmbio auto).

      O certo é que deveriam dar no Brasil a mesma opção que fazem no resto do mundo: ou automático ou manual. Simples assim.

      Mas é apenas a minha opinião. Prefiro sempre ter a opção.

      Leo-RJ

      Excluir
  10. oliveira_jc29/12/12 21:30

    Penso em ter esse Punto turbo, mas duas coisas atrapalham:

    - aparência muito carregada, na europa tá cheio de carro com a mesma pegada, com turbo, mas nada de fantasia de carnaval.

    - esta versão mereceria opção com dois pedais, o modo manual do dualogic permite fazer o que se quer com o motor.

    Um mercado que cresce tanto, e temos até menos opções que nos anos 80, onde se escolhia até cor de vidros e do estofamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gostaria do Punto T-Jet mais "sleeper". A versão 2012 já melhorou, tirou os apliques "adventure" dele.

      Excluir
  11. Voyage é um carro muito duro e difícil de se ajeitar ao volante.

    É estranho...

    ResponderExcluir
  12. O Arnaldo você dirigiu o novo uno, se sim o que achou, eu tenho um e acho uma droga.
    Abraços
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Militar,

      Dirigi o muito pouco o Novo Uno. Não dá para emitir opinião. Mas, curiosidade: porque raios o comprou se o acha uma droga? Ganhou o carro numa rifa?

      Excluir
  13. Muito boa a ideia do texto, e a execução. Falta agora Bob e os demais fazerem igual. Esses textos do tipo "o que passou neste ano" costumam ser bregas e repetitivos, mas aqui não é, absolutamente, o caso!

    ResponderExcluir
  14. Não consigo tirar o DS3 da cabeça!Que delícia de carro! Acho que não deveria ter experimentado... hehe .O câmbio com as primeiras marchas longas é viciante! É até difícil entender que muitas pessoas preferissem câmbio automatizado num hatch leve e potente...

    ResponderExcluir
  15. comprei um punto tjet e realmente, o que o autor diz, é fato!! otima dirigibilidade, bonito, estabilidade exemplar e comportamento na medida (no modo dinâmico o carro pode, com louvor, receber o adjetivo de esportivo).Justifica cada centavo pago - belo carro, gostei bastante

    ResponderExcluir
  16. Arnaldo, tirando a diferença de potência, Mercedes classe C ou BMW série 3?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felix,

      Ambos estão num nível tão bom que a escolha cai para o gosto pessoal. O Mercedes é mais macio e silencioso de suspensão, mas não deixa de ter ótimo desempenho nas curvas por causa disso. Nenhum desses dois tem algo que me desagrade, algo que o descarte. Mas se fosse para escolher, eu ficaria com o Mercedes cupê, mesmo preço do 4 portas e muito classudo, além de espaço para 4 pessoas viajando muito bem. Acho que esse cupê já nasceu um clássico.

      Excluir
    2. Uma escolha de muito bom gosto!

      Excluir
  17. AK, o Mustang deve ser um sonho. Dirigi o Camaro V8 nos EUA e estava com medo de me frustrar tamanha minha expectativa. Que nada! É inesquecível!

    ResponderExcluir
  18. Caro Arnaldo,

    Eu achei muito interessante, tanto pela novidade, curiosidade ou custo, aquela moto elétrica. Não sei no quesito manutenção, mas lamento não ter deixado saudade.

    Talles

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talles,

      Falha minha. Essa moto elétrica merecia ter sido lembrada. Deixou saudade, sim.

      Excluir
  19. Sr.Arnaldo, comprei o Novo Uno, pois tenho desde de zero um Mille EX 1999, com apenas 26.600 Kilometros, e me entusiasmei com a o desenho do Novo Uno, mas apesar desse ter 17 CV. a mais que o Mille o Mille é mais ágil e tem melhor desempenho, então eu prefiro meu "velinho".
    Abraço e Feliz 2013
    Militar Anônimo

    ResponderExcluir
  20. Prezado Arnaldo,

    Deliciosa sua matéria sobre os carros que deixaram saudades em 2012.
    Só senti falta do RCZ, sobre o qual voce fez matéria maravilhosa e que passou voce ter adorado o carro.

    Abraços

    Júlio Neves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julio,

      Você tem razão. Achei que andara nele em 2011. Foi só por esse motivo. Fiquei com ele em março de 2012, no começo do ano, daí ter acahado que foi no ano anterior.
      Coloque aí, portanto, o RCZ. Adorei mesmo. Único porém: não em câmbio manual. Câmbio manual só pros hermanos argentinos. Esse carro tem um chão espetacular, uma delícia.
      Bem lembrado. Obrigado.

      Excluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...