17 de fevereiro de 2013

PEUGEOT 308 FELINE THP

Fotos: autor



O Peugeot 308 turbo foi lançado no Salão do Automóvel em outubro passado e o AE ainda não o havia dirigido. Havia curiosidade por se tratar do mesmo e eficiente motor 1,6-litro turbo THP projetado em conjunto pela marca do leão e pela BMW e que é empregado em vários modelos Peugeot e Citroën e no MINI, marca pertencente à BMW há quase vinte anos (1994).

Aqui no Brasil são comercializados com esse motor os Peugeot 3008, 408 Griffe THP, 508 THP e RCZ, o Citroën DS3, o MINI e o BMW Série 1. Com o 308 Feline THP são oito modelos com o mesmo motor, um fato notável.

O 308 foi lançado há exatamente um ano e foi alvo de post, de modo a ser desnecessário repetir todos os pormenores do 308. Na ocasião da apresentação à imprensa tive oportunidade de dirigir o Allure 1,6-litro, o mais equipado dessa cilindrada, e o Feline, disponível então apenas com motor 2-litros flex e câmbio automático de quatro marchas. Agora há o mesmo Feline com motor turbo THP, também só com câmbio automático, só que agora um moderno Aisin de seis marchas. Veja também post do 408 Griffe THP, que tem o mesmo motor e câmbio, sendo apenas um veículo pouca coisa mais pesado.

Estilo agradável, mas os tais "difusores" atrás destoam

O Feline 308 THP, só a gasolina, não oferece opcionais e tem preço público sugerido de R$ 75.000, R$ 8.000 mais que Feline 2-litros de aspiração natural, cujo único item opcional é o navegador GPS com tela escamoteável elétrica sobre o painel e que  no Feline 308 turbo é de série.

Tecnicamente falando, o Feline THP é um Feline com outro motor e outro câmbio automático, uma vez que em todo o resto são exatamente iguais. Não me lembro de ter visto isso em nenhuma outra marca.

Andam parecidos, com alguma vantagem para o THP, claro. O Feline 2-litros, com álcool, acelera de 0 a 100 km/h em 9,9 s; o THP, em 8,3 s. Velocidades máximas, 206 e 215 km/h, respectivamente. São 151 cv a 6.000 rpm no aspirado e 165 cv à mesma rotação no turbo, que pesa 1.392 kg contra 1.387 kg do 2-litros. É bem possível que a aceleração deste melhorasse com o câmbio automático de seis marchas.

Ponto alto é o motor 1,6 de 165 cv

Por ser turbo, o 1,6 tem a vantagem de praticamente não perder desempenho com a altitude. Algumas capitais situam-se bem acima do nível do mar, como São Paulo (800 metros) e Brasília (1.200 m), e sabidamente a potência cai 1% para cada 100 metros de altitude. E tem vantagem também no maior torque – 25,4 m·kgf a apenas 1.400 rpm contra 22 m·kgf a 4.000 rpm, ou seja, a potência na faixa inferior de rotação é bem  maior no turbo, que pressuriza a 1 bar sobre a pressão atmosférica.

Os mais diversos aspectos e características do Peugoeot 308 foram comentados no post indicado no começo, de um ano atrás, inclusive a descrição do sistema Flex Start de partida a frio com álcool sem sistema auxiliar a gasolina, precedido pelo Polo E-Flex em 2009 e sucedido pouco depois pelo Citroën C3 e, bem recentemente, pelo sistema Flex One do Honda Civic 2014.


A grande diferença no Feline THP está mesmo no novo câmbio automático Aisin AT6, em vez do AT8 da marca do Feline normal. As trocas automáticas estão num nível "quase humano", tanto no modo normal quanto no S, acionado por um pequeno botão próximo à alavanca. Não é absolutamente necessário recorrer à troca manual nem para andar rápido, exceto quando se desejar freio-motor numa descida de serra, por exemplo, ou então por puro diletantismo.

Essas trocas são feita apenas pela alavanca (sobe marcha para frente, como aprecio), já que não há borboletas (o oposto do Honda Civic EXR, 2-litros). Seria bom que houvesse a aceleração interina nas reduções, faz bem ao ouvido e evita-se o pequeno, mas incômodo, tranco quando a marcha inferior é conectada às rodas. A troca de marcha ascendente se dá quando a 6.250 rpm, em qualquer modo, normal ou "S", não havendo nunca o corte de rotação.

Interior agradável e com boa ergonomia

O conversor de torque bloqueia da segunda à sexta, essencial para a lógica do câmbio de reduzir marchas automaticamente ao frear. A v/1000 em sexta é de 44,8 km/h, traduzindo-se em 2.700 rpm a 120 km/h reais. A velocidade máxima declarada de 215 km/h é em quinta, a exatas 6.160 rpm, 160 rpm acima do giro de potência máxima, denotando cálculo perfeito.

O bom câmbio deixa o motor à vontade e o resultado é um desempenho que considero brilhante, conforme os números mostrados acima. A sensação de pujança de potência está presente o tempo todo e isso agrada. Seria perfeito se a Peugeot brasileira oferecesse a versão manual de seis marchas disponível na Europa. O Arnaldo reclamou, com razão, quando dirigiu o cupê RCZ no lançamento, desse hábito estranho da Peugeot de só oferecer câmbio automático "só porque é importado" ou "só porque o mercado prefere". Exemplos recentes, Citroën DS3 e Renault Fuence GT, mostram que não é exatamente assim.

Dois faróis altos (internos) e dois baixos. Mais abaixo, as úteis luzes de uso diurno

Como havia sido dito um ano atrás, o 308 é um hatchback médio atraente e ficou ainda melhor de andar com o motor 1,6 turbo. Tem o mesmo chassi do Feline 2-litros e roda sobre largos pneus 225/45R17W (eram "V" antes) Michelin Primacy HP (estepe temporário, roda de aço com pneu 205/55R16, etiqueta avisa limite de 80 km/h). É muito rápido de curva e ainda conta com controle de estabilidade e tração desligável. Os quatro freios  a disco cumprem seu papel à altura.

Particularmente interessantes são os instrumentos e seu grafismo de finos traços e ponteiros também, parecem mais agulhas, proporcionando uma leitura bastante precisa. São de fundo branco (prefiro preto), mas o conta-giros está onde gosto, à esquerda. Mantendo a tradição francesa, as marcações numéricas do velocímetro são ímpares, uma questão polêmica – a mim, agradam, como muitos leitores sabem.

Grafismo dos instrumentos preciso e fácil de ler

A fábrica recomenda usar gasolina premium, embora na Europa seja indicada a gasolina de 95 octanas RON, que é a octanagem da nossa gasolina comum ou comum aditivada. Depois que o gerenciamento de ignição "aprender a nova gasolina" deve haver alguma melhora de desempenho e redução do consumo. O pelo computador de bordo mostrou 1 litro por 8,9 km na cidade, com algum tráfego, e 1 L/14,5 km num trecho de autoestrada andando a 120 km/h reais.

Porta-malas do hatchback e adequado
O ambiente a bordo é decididamente agradável com o enorme teto de vidro Cielo de 0,86 m² e a cortina de acionamento elétrico que, fechada, remete a um carro de teto de aço. Veja no final tanto a lista de equipamentos quanto a ficha técnica. A capacidade do porta-malas é condizente com o porte do 308, são 348 litros. A Peugeot chegou a anunciar volume de 430 litros, mas esse medida se refere a volume preenchido por água, um dado completamente irreal.

Saídas de ar para a traseira
Críticas, poucas. Faz falta a faixa degradê na parte superior do vidro do pára-brisa e, embora não faça diferença num carro com ar-condicionado, os vidros das portas traseiras podiam baixar completamente (descem cerca de 70%). No estilo, os dois "difusores" de ar na traseira seriam barrados se eu fosse da administração superior da Peugeot...Em  contrapartida, as luzes de uso diurno são um importante acréscimo à segurança ao deixar o carro mais visível.


A Peugeot vendeu apenas 12.000 unidades do 308 em 2012, era para chegar a um número no mínimo 50% maior. Em janeiro foram 1.350 veículos, que anualizado seria 16.200. Pouco, para o carro que é. Pode ser que o 1,6 THP melhore o quadro, embora seu preço não ajude muito.


BS



FICHA TÉCNICA PEUGEOT 308 FELINE THP

MOTOR
Tipo
Quatro tempos, gasolina, turbo com interresfriador
Localização e posição
Dianteiro transversal
Diâmetro dos cilindros/curso dos pistões (mm)
77 / 85,8
Cilindrada (cm³)
1.598
Taxa de compressão (:1)
10,5
Potência máxima (cv/rpm
165/6.000
Torque máximo (m·kgf/rpm)
24,5/1.400
Material do bloco/cabeçote/cárter
Alumínio
N° e arranjo dos cilindros/arrefecimento
Quatro em linha/líquido
Localização do comando de válvulas
Cabeçote
Árvores de comando de válvulas/acionamento
Duas, corrente
N° de válvulas por cilindro/localização/atuação
Quatro/cabeçote/indireta por alavanca-dedo roletada
Variador de fase
Na admissão
Coletor de admissão variável
Não
Formação de mistura
Injeção direta
TRANSMISSÃO
Câmbio
Transeixo dianteiro automático epicíclico (Aisin AT6) com trocas seqüenciais pela alavanca
Controle de tração/bloqueio de diferencial
Não/não
N° de marchas à frente/alavanca
Seis / assoalho
Relações das marchas (:1)
1ª 4,15; 2ª 2,37; 3ª 1,56; 4ª 1,16; 5ª 0,86; 6ª; 0,67; Ré 3,39
Relação de diferencial (:1)
3,87
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barrra estabilizador integrada
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira
Relação/assistência
N.D./eletroidráulica
Diâmetro do volante (mm)
380
Voltas entre batentes
2,9
Diâmetro mínino de curva entre guias (m)
10,8
FREIOS
Servoassistência/tipo
Sim/a vácuo
Dianteiros
A disco ventilado, 283 mm Ø x 26 mm
Traseiros
A disco, 249 mm Ø x 9 mm
SISTEMA ELÉTRICO/GERADOR
12 V/alternador
CARROCERIA
Construção
Monobloco, subchassi dianteiro, hatchback
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,29
Área frontal (m², estimada)
2,17
Número de portas/número de lugares
Quatro/cinco
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento
4.276
Largura
1.815
Altura
1.498
Distância entre eixos
2.608
Bitola dianteira/traseira
1.535/1.530
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s)
8,3
Velocidade máxima (km/h)
215
CONSUMO DE COMBUSTÍVEL (dados da Europa)
Urbano (km/l)
8,9
Rodoviário (km/l)
17,5
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 7,J x 17
Pneus
225/45R17W
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas (l) (VDA)
348, 1.200 com banco rebatido
Tanque de combustível (l)
60
Peso em ordem de marcha (kg)
1.392
GARANTIA
3 anos
REVISÕES E TROCA DE ÓLEO DO MOTOR
A cada 10.000 km ou 1 ano






EQUIPAMENTOS PEUGEOT 308 FELINE THP

SEGURANÇA
Acendimento automático do pisca-alerta ao frear forte
Alarme antifurto
Apoio cabeça (5) com regulagem de altura
Aviso cinto do motorista não atado
Aviso de portas mal-fechadas
Bolsas infláveis frontais, de tórax e de cortina
Cintos dianteiros c/ pré-tensionador e limitador de esforço
Cintos dianteiros com ajuste de altura de ancoragem
Cintos traseiros 3-pontos c/ limitador de esforço nos laterais
Controle de estabilidade e de tração
Desembaçador do vidro traseiro
Faróis de neblina
Freios ABS, EBD e BAS
Luzes diurnas de LEDs
Protetor de cárter
Repetidoras dos indicadores de direção nos espelhos
Sensor de estacionamento traseiro
Trava para crianças nas portas traseiras
Travamento automático das portas
Travamento central
Verificação/controle e indicador de manutenção
CONFORTO E COMODIDADE
Acendedor de cigarros
Acionamento elétrico dos vidros dianteiros e traseiros um-toque com segurança antiesmagamento
Ajuste do volante em altura e distância
Ajuste elétrico dos retrovisores externos
Ar-condicionado ajuste manual
Ar-condicionado autom. com saída para a traseira
Banco do motorista com ajuste de altura
Computador de bordo
Controlador e limitador de velocidade
Descansa-braço central no banco traseiro
Descansa-braço individual nos bancos dianteiros
Direção assistida eletroidráulica
Iluminação de afastamento do carro
Iluminação de chegada ao carro
Pára-brisa acústico
Porta-luvas refrigerado e iluminado
Retrovisor interno fotocrômico
Retrovisores externos rebatíveis eletricamente, inclusive ao trancar o veículo
Sensor crepuscular
Sensor de chuva indexado à velocidade
Teto panorâmico de vidro Cielo com tela elétrica
Tomada de 12 volts no console central
Travamento de portas, porta-malas e vidros a distância
MULTIMÍDIA
Bluetooth e áudio streaming
Comando de áudio no volante de direção
Navegador GPS com tela colorida de 7" rebatível eletricamente
Quatro alto-falantes e dois tweeters
Rádio/CD player/MP3
USB p/ iPod/MP3 e Aux
ESTÉTICA E ACABAMENTO
Antena de teto curta
Detalhes cromados no painel e câmbio
Gade do pára-choque dianteiro com frisos cromados
Instrumentos com fundo branco
Instrumentos com fundo preto
Maçanetas externas cor da carroceria
Painel com revestimento macio (slush)
Retrovisores da cor da carroceira
Revestimento dos bancos em couro
Rodas de alumínio 17" (Stromboli)
Saia tras. preta c/ detalhes cromados
Sapatas dos pedais de alumínio
Soleira de porta cromada
Volante revestido de couro
Volante revestido de couro Sport
CORES DISPONÍVEIS
Azul Bourrasque
Branco Banquise (sólida)
Cinza Alumínio
Cinza Cendre
Cinza Grafito
Cinza Manitoba
Cinza Moondust
Preto Perla Nera
Vermelho Luc

(Atualizado em 17/02/13 às 16:53, correção de informação, referente ao Honda Civic, escrito Accord antes)

119 comentários:

  1. Corsário Viajante17/02/13 12:10

    A meu ver, um dos motivos para as baixas vendas são vários erros nas versões no tocante à motor / câmbio.
    O Motor mais entusiasta (o THP) só vem atrelado à câmbio automático, nunca à um manual... Aí o tiozão que quer um bom automático não pode ter a 2,0 aspirada com o de seis, tem que ficar com a antiga e ineficiente caixa de 4 marchas automáticas ou é obrigado a comprar o turbo...
    Some-se à isso preço muito próximo da concorrência, e entende-se porque o 308 fica para trás.
    E, sim, estes "extratores" matam o carro, fica com cara de carro xunnado por moleque de quinze anos da vila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja pelo moleque de 15 anos da vila ou pelo marmanjo de 30 daquele exclusivíssimo condomínio residencial, o fato é que xunado sempre rima com estragado. Defino o xuning como a "arte" de transformar um automóvel (originalmente até bonito) em um carro alegórico de carnaval.

      Excluir
    2. Corsário Viajante17/02/13 17:50

      É, eu acho que não tem praticamente nada tão cafona e ridículo quanto escape falso, ainda mais quando é um escape obviamente falso moldado num parachoque. O 408 sofre do mesmo mal, não combina em nada com o carro e passa péssima impressão.

      Excluir
    3. Tb não gosto, mas não deixaria de comprar por isso, logo que o tirasse ca CSS mandaria pintar de preto!

      Excluir
    4. Corsário Viajante17/02/13 21:25

      É complicado, tem gente que não apenas não se importa como até aprecia promover estes retoques estéticos no carro. Já eu não gosto, prefiro o carro original, então esta solução para mim não daria.

      Excluir
  2. Aléssio Marinho17/02/13 12:15

    A Peugeot precisa rever urgentemente a sua política de pós vendas, pois afugenta qualquer consumidor, com peças e M.O. caras e qualidade dos serviços sofríveis.
    E como sabemos, essa "fama" quando pega, gruda que nem chiclete, o que se reflete nas vendas de carros novos.
    Lamentável, pois a PSA tem bons produtos. Uma prova é esse 308, especialmente o conversível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Basta uma rápida olhada no site do reclameaqui para ficar apavorado com a assistência da peugeot.

      Excluir
    2. Eu ia dizer justamente isso. Adoro os carros da Peugeot (estou no meu terceiro, e meu pai comprou um 307 Sedan por indicação minha, e adora o carro), mas a marca parece fazer questão de afugentar os potenciais clientes, e afastar aqueles que, teimosamente, insistem em continuar na marca.

      É ponto pacífico no Clube Peugeot que a assistência técnica das concessionárias da Peugeot é absurdamente RUIM, chega às raias do ridículo de tão fraca. E lá a maioria dos membros é fã dos carros, troca um Peugeot por outro. Isso sem contar a inépcia da Peugeot em fazer propagandas decentes (aliás, qualquer propaganda). Como que o público vai comprar o 308 e o 408 se eles mal sabem que os carros existem?

      Resumindo: os carros são ótimos, mas estão na marca errada.

      Excluir
    3. Aléssio Marinho18/02/13 18:48

      Jambeiro;

      Um dos meus irmãos tem um 206 SW desde 0Km. O carro atualmente está com 250 mil km rodados. As dores de cabeça que deu foram mais trapalhadas de mecânicos do que do produto em si.
      Sempre reclama de ter que arrumar alguma coisinha aqui ou ali, normal pra um carro com 6 anos de uso intenso, mas o ruim é ter que pesquisar muito pra achar peças em conta, pois na CSS são fora da realidade.
      Ainda bem que a Renault acordou a tempo e fez a lição de casa, senão tinha ido no mesmo barco da Peugeot.
      Agora o que fazem na Citroen, é extorsão a mão desarmada...

      Excluir
    4. Curiosamente, tem algumas peças que são mais baratas na Citroën que na Peugeot... e é a MESMA peça.

      Acho que um problema complicado é a falta de mão-de-obra especializada em franceses fora dos grandes centros.

      "ah, mas motor é tudo igual" Nem sempre. E no caso da PSA, como esta usa muita eletrônica embarcada (e multiplexada, o que embola o samba mais ainda), muitos mecânicos nem se indignam a examinar o carro, simplesmente falam "ah não, motor 16 válvula é ruim, é complicado de mexê, dá pobRema..." sendo que muitos dos problemas do carro se resolvem com um laptop e um PPS.

      O problema, nesse caso, é que a Peugeot não facilita pros reparadores independentes e não disponibiliza os esquemas de reparação dos seus veículos (ou se disponibiliza, não deve ser fácil), ao contrário da Fiat. Resultado: a maioria das oficinas especializadas em franceses têm donos e mecânicos que são ex-funcionários da Peugeot/Citroën ou tiveram que ralar pra correr atrás e se atualizar, e por isso cobram caro.

      Excluir
  3. João Celidonio17/02/13 12:26

    carrinho muito bacana mas esses câmbios não me descem (podem ser bons e tal, questão de preferência mesmo)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Celidonio
      Você se refere aos câmbios automáticos epicíclicos em geral ou aos Aisin em particular?

      Excluir
  4. Estranho um motor desse desenvolvimento ter correia de comando, que exige substituição periódica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 17/02/13 12:45
      É corrente, não correia, está informado na ficha técnica.

      Excluir
    2. Valeu Bob, tive por base a informação daqui: http://bestcars.uol.com.br/comp4/peugeot-408-thp-vw-jetta-tsi-6.htm

      Excluir
  5. É possível configurar velocímetro digital como nos VW?

    ResponderExcluir
  6. E ainda vai ter muita gente comprando i30 com 128cv pelo mesmo preço...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 17/02/13 12:50
      Vejo essa questão do Veloster de modo diferente. Quem o compra não está atrás de desempenho, mas de uma imagem jovial/esportiva, da mesma maneira que foi com o Karmann-Ghia, que era belo mas tinha motor de 30 cv no começo e terrminou sua vida com 50 cv.

      Excluir
    2. Até porque 128 cv pra quem não tem medo de rpm e acelerador dá pra andar bem. Por falar nisso, já notou que tem virado febre comprar aqueles "enganadores" de acelerador, tipo esse aqui (http://pivotjp.com/product/thf_c/thc-e.html)?

      Excluir
    3. Falando em Karmann-Guia, Bob, e na linha desta justificativa que você deu, acho sensacional e ousada uma peça publicitária para mídia impressa de 1967 (não tenho certeza se criação do Mauro Salles) em que um Karmann todo decorado como se fosse um carro de corrida aparece em destaque na foto, e embaixo o título "Você perderia", seguido de um texto explicativo da razão do título. Uma reprodução pode ser vista em (aliás, magnífico, talvez o mais completo site brasileiro de propagandas de automóveis) "www.propagandasdecarros.com.br". Vale uma visita, sem dúvida.
      Abraço.

      Excluir
    4. Bob, mas não é o veloster é o novo i30 mesmo com motor 1,6 litro o mesmo do veloster que especulam que virá por 75mil

      Excluir
    5. Corsário Viajante17/02/13 17:46

      É Mr. Car, adoro esta "você perderia", um bom exemplo de quando a fábrica reconhece as limitações de seu produto para exaltar seus pontos fortes.

      Excluir
  7. Dentre os hatches médios atuais do nosso mercado, um dos que mais me desperta curiosidade de andar.

    Bob,
    Sabe dizer se esse câmbio da Aisin que equipa o 308 é o mesmo encontrado no Jetta Variant?

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Bob,

    Atualmente estou com um 408 THP. Saí de um Jetta 2.5 que conta com a mesma transmissão Aisin 6 marchas. Todavia, achei que a programação da VW é superior à da PUG, que segura demais as marchas. Caso solte o acelerador, ao invés de ele subir uma marcha e agir de maneira econômica, ele mantém a atual e passa a fazer freio-motor (inclusive em reta\plano), o que acaba por deixar o carro mais gastão, já que há necessidade de re-acelerar.
    Além disso, a troca nesse modo mais suave\econômico de dirigir ocorre por volta de 2500\2600rpm, sendo q se acelerar um pouco mais sempre por volta de 3000\3100rpm. Acredito q para maior economia, poderia ser reprogramada para trocar a marcha um pouco mais cedo e ter esse modo "soltar" a marcha acima quando largar o acelerador.
    Ainda não usei a assistência PUG, mas a VW nunca foi algo superior, mesmo havendo uma diferenciação no atendimento dos importados em relação aos nacionais.
    Quanto às baixas vendas, poderia ser contornada se tornassem o automático 6 marchas o padrão dos modelos "2.0 auto", uma vez que o motor é muito bom (basta analisar quando usado com o manual 5 marchas, no uqla não há reclamação). Assim, deveriam haver versões 1.6 manual, 2.0 manual, 2.0 auto 6 marchas e THP (talvez até em versões menos equipadas).
    André.

    ResponderExcluir
  9. Marcusthedriver17/02/13 13:27

    Olha já andei no 308 é um carro notável, mas o pós venda mata a peugeot, tive 207 e 307 e falo de coração... Quanto ao novo i30, vamos ver se ele vai vender a 85k o completo se por 89900 compra-se bmw 116i !

    ResponderExcluir
  10. Harry Stefano17/02/13 13:50

    Bob, excelente avaliaçao.

    Uma coisa me deixou em duvida. Vi ali na parte de medidas de pneus, que o pneu reserva tem medidas 205/55 R16, que dá uma medida final quase que identica aos demais que sao 225/45 R17.

    A pergunta: o reserva realmente é temporario? Ao meu entender ele deveria ser temporario se fosse daqueles pneus reserva finos, igual aos que vem nos Honda Civic, Ford Fusion dentre outros importados.

    Existe alguma motivo pra isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um pneu mais estreito e com zona de deformação diferente dos demais, o carro fica "assimétrico" e isso deve ser bem perigoso em situações críticas.

      Excluir
    2. Harry
      Acredito mais em preciosismo técnico, de limitar velocidade por o veículo estar com um pneu de seção mais estreita que os outros três, do que qualquer outra coisa. Essa roda-reserva do 308 THP, mesmo não sendo fina com as de com pneu 135/80, foi considerada temporária pela fábrica, havendo até um adesivo de alerta nela.

      Excluir
    3. Harry Stefano17/02/13 16:55

      Bob, agradeço a resposta.

      Meu Jetta Tsi tambem tem essas mesmas medidas de pneus do Pug 308, tanto para os de uso, como para o reserva. E no de reserva existe o tal adesivo alertando que é de uso temporario e velocidade maxima de 80 km/h.

      O codigo de velocidade do pneu reserva é 91 V (205/55 R16 91V). O que indica que passa dos 80 km/h com folga.

      Talvez pelo fato dos pneus de uso normais serem mais largos, colocaram essa limitaçao de velocidade, ja q na altura e diametro sao iguais (na verdade existe uma diferença, porem irrelevante).

      Excluir
    4. Harry Stefano17/02/13 17:13

      Anonimo 17/02/12 15:19

      Nao, o carro nao ficaria assimetrico. Pois todas as medidas se equivalem. O aro 17 é maior mas o pneu tem perfil baixo (225/45 R17). E no estepe o aro é menor mais o pneu tem perfil alto(205/55 R16).

      A diferença seria somente na largura: 22,5 cm contra 20,5 cm. Que creio eu nao faça tanta diferença.

      Excluir
    5. Eu tenho um Ford Mondeo Ghia e o pneu reserva é idêntico aos demais (205x55 R16). A única diferença é que a roda é de aço, mas também tem a tal etiqueta indicando vel. max. de 80 km/h.

      Excluir
    6. Os estepes temporários estão se popularizando, mas clientes insatisfeitos sem-noção veem nele um problema:

      http://globotv.globo.com/tv-vanguarda-sp/jornal-vanguarda/v/estepe-menor-em-carro-0km-surpreende-motoristas/2289107/

      Excluir
    7. Henry, 2 cm numa linha é diferente de 2 cm em uma área bidimensional. ;)

      Isso, em uma frenagem forte, vai fazer com que esta roda trave antes do previsto, e aí haja trabalho so ABS para corrigir o problema.

      Também altera o comportamento do veículo em relação à calibração da suspensão em curvas, capacidade de tração..

      Se a pista estiver muito molhada, é bem mais fácil perder o controle do veículo.

      No uso normal, provavelmente não dá pora notar a diferença, por isso falei "situações críticas". ;)

      Excluir
    8. Harry Stefano18/02/13 13:26

      Anônimo18/02/13 10:30

      Em 1º lugar me chamo Harry, não Henry! Pode ser parecido mas não é igual!

      Em 2º, não creio que esses 2 cm, vá fazer tanto mal como voce cita. Tais situações que você descreveu são situações extremas. E em relação a central do ABS, trabalhar mais, não vejo nenhum problema, ela esta lá pra isso, ela controla cada roda independentemente uma da outra, não importa o tamanho. Se não como seria em carros de altíssimo desempenho que usam rodas tamanhos diferentes?

      Passando acima de tudo isso, o pneu reserva é pra usado temporariamente e o fabricante sabe disso, e já projeta o carro e suas centrais pra lidarem com isso.

      Agradeço as respostas, você aparenta ser uma pessoa muito sabia nesse assunto(encare isso como elogio!), pena se esconder no anonimato.

      Excluir
    9. Harry, desculpe ter errado seu nome, foi pura falta dos óculos, de verdade.

      Nos carros de altíssimo desempenho, o conjunto já é calibrado de acordo com as características dos pneus, mas lembre que são dois pneus diferentes, no mesmo eixo.

      Vendo agora que o carro tem toda a sopa de letrinhas, concordo que não tem tanto perigo, mas não duvido que algum braçudo consiga fazer caca e culpe o fabricante depois.

      Excluir
  11. Felisberto17/02/13 14:00

    "O conversor de torque bloqueia da segunda à sexta, essencial para a lógica do câmbio de reduzir marchas automaticamente ao frear."

    Bob, você poderia explicar o porquê disso?Grato, Felisberto.

    ResponderExcluir
  12. Felisberto
    Bloquear conversor é sempre bom para eficiência e redução de consumo. O Dodge Dart automático de 3 marchas trouxe isso algum tempo depois de lançado, bloqueava a terceira. O Opala, também, com o ZF de quatro marchas em 1988, bloqueava terceira e quarta. Mas quando a programação do câmbio inclui reter marcha ao tirar o pé do acelerador ou mesmo reduzir, aí o bloqueio é essencial, ou a redução não teria efeito algum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob, uma dúvida que surgiu agora sobre isso:

      O bloqueio é "permanente" ou há desbloqueio durante as trocas de marcha, como faz o sistema de embreagem ?

      Excluir
    2. Evandro, se for como nos Hondas só bloqueia com rpm estabilizada em média a baixa, deu mais carga no acelerador já desbloqueia também. Nas trocas desbloqueia senão daria tranco.

      Se vc vem num declive com mais velocidade e irando o pé do acelerador rápido ele faz freio motor; se além disso vc tocar o freio retorna até uma marcha.

      Ou seja, a caixa só faz freio motor quando precisa, já que ficar sem freio por aquecimento está mais longe de acontecer do que a maioria acredita.

      Excluir
    3. Obrigado !

      Excluir
  13. Gosto muito do estilo e motorização desse carro. Mas como comentou o Aléssio, tenho muito receio quanto ao pós venda da Peugeot. Fiquei espantado com relação ao amadorismo da rede quanto a manutenção prestada no 3008 do teste de longa duração da 4 Rodas, carro este que usa o mesmo motor do 308 (EP6DT).
    Outra coisa que chamou a atenção no desmonte foi o elevado nível de carbonização nas válvulas de admissão, a ponto de comprometer o assentamento destas e consequentemente o nível de compressão dos cilindros.

    ResponderExcluir
  14. Desculpe Bob, mas assim como o Aléssio Marinho, eu acho que o que mais espanta os potenciais consumidores da Peugeot não é o seu falho custo-benefício e sim o seu pós-vendas horrível, eu falo disso com a propriedade tanto de possuir um carro da marca, quanto de ter um irmão que já trabalhou no pós-vendas e conhece bem as (estranhas) políticas da empresa.
    Por incrível que pareça, tive algumas experiências com o pós-vendas da Ssangyong, que em termos de mercado, pelo menos aqui na região onde moro, é uma marca completamente inócua, e posso afirmar com segurança que é muito mais eficiente e sensato.
    Por outro lado, me parece que agora a montadora francesa "acordou", e está trazendo, ainda que lentamente, novidades com algum toque de atualidade, depois de ter produzido o mesmo 206 durante 10 anos sem fazer nenhum investimento aqui no Brasil.

    ResponderExcluir
  15. Bob, assim como o 408, este também não tem ISOFIX, certo ?

    Curioso como a lei obriga a usar cadeirinhas, agora ABS e Airbags mas não fala de uma solução simples como estas travas.

    Mais curioso ainda, nos EUA (ao menos na Carolina do Norte), você não sai do hospital com o recém-nascido se o carro não tiver a cadeirinha instalada, pelos bombeiros, com direito a certificado e tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evandro
      Não tem realmente esse importante equipamento; já deveria trazê-lo. No caso da Carolina do Norte, acredito que seja a caminha ("moisés") devidamente fixada e vistoriada.

      Excluir
  16. Ótima avaliação. Porém, quero distância desse tipo de câmbio.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  17. Bob,

    Onde lê-se Honda Accord acredito que você está se referindo ao Honda Civic.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André Hiroshi,
      E não é que é mesmo? É muito estranho ficar com um nome na cabeça e acabar usando-o indevidamente. Obrigado, já foi corrigido.

      Excluir
  18. Bob,
    Interessante isso de a potência cair 1% a cada 100 m de altitude! Me lembro (acho, pois eu era criança) que o Simca Emi-Sul tinha uma espécie de regulador para diferentes altitudes no painel. Não sei se funcionava ou não, mas agora fiquei sabendo que, bem ou mal, o princípio da coisa estava certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz,
      Era um controle do avanço inicial de ignição atuando sobre o distribuidor. Servia tanto para adequar o avanço à gasolina (amarela ou azul), quanto a avançar mais com o aumento da altitude visando minimizar o efeito da perda de potência pela menor pressão atmosférica. Bem lembrado!

      Excluir
    2. Bob, que o turbocompressor permite que o motor "respire" melhor a altitudes maiores, eu já entendi. Porém, você falou que o turbo do THP pressuriza até 1 bar da pressão atmosférica. Neste caso, se a pressão atmosférica cai, a pressão (absoluta) no coletor também cairia, e os efeitos da altitude também seriam sentidos, não? Ou há um sensor de pressão absoluta no coletor que segura a wastegate fechada mais um tempo e permite uma pressurização acima desse 1 bar "regulamentar"?

      Excluir
    3. Thales,
      Exatamente isso, a wastegate é comandada pelo sensor de pressão no coletor para dar mais pressão e manter a especificação de superalimentação.

      Excluir
  19. Sr. Sharp,
    otimo teste. Confesso que esperava menor consumo de um motor co injeção direta e turbo moderno. Em relação a este ultimo, a pressão de trabalho da admissão é absoluta? Imaginava que fosse barometrica..

    ResponderExcluir
  20. Anônimo 17/02/13 16:54
    O consumo poderia ser um pouco menor, mas é preciso considerar os quase 1.400 kg de peso e a nossa gasolina com álcool. Mesmo assim igualou ao consumo de cidade pelo ciclo europeu e não ficou tão distante do de estrada, levando em conta ainda que os pneus básicos na Europa são 205/55R16. A pressão de superalimentação é absoluta.

    ResponderExcluir
  21. A norma (ABNT NBR 5484/ISO 1585) acredito que não registra potência/torque ao nível do mar, mas uma médias das capitais do Brasil. Portanto, no caso brasileiro, fica relativisado o fato do motor turbo não ter perda em altitude. Acho que na norma DIN usada na europa, faria maior diferença para o usuário, já que ela considera o nível do mar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio Martins17/02/13 18:53

      Infelizmente tem que pagar para ter acesso a este mistério dessa norma da ABNT. Acho que nem o Bob tem essa informação.

      Excluir
    2. Antônio Martins
      Vou tentar obter a norma com alguma fábrica.

      Excluir
  22. Bob, muito boa sua análise. Gostaria de contribuir com os seguintes comentários:
    1. Faltou aquele teste de sentar-se atrás de si mesmo. Tenho 1.82 e achei bem ruim o espaço para joelhos de quem vai atrás do motorista, parecia um compacto e não um médio. Preferiria ter a mala menor e mais espaço ali.
    2. Os falsos difusores devem ser fáceis de pintar de preto pra disfarçar. Mas os retrovisores em cinza e as rodas escurecidas eu não gosto, certamente mandaria pintar também. Roda escura me parece suja.
    3. Os bancos dianteiros tem ajuste por alavanca, não por comando giratório, isso me agrada especialmente para reclinar rapidamente para descansar.
    Pedro Mazza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro,
      Faltou mesmo o teste fotografado do espaço do banco traseiro. Mas me sentei, tenho 1,80 m e me acomodei bem, embora fosse desejável um pouco mais de espaço entre encosto do banco e joelhos. / Dá mesmo para disfarçar os "difusores" pintando-os de preto, já o resto não condeno. / Não existe mesmo ganha-ganha: você está certo na questão da alavanca para ajuste da inclinação do encosto.

      Excluir
    2. Bob,
      Uma coisa que fiquei confuso no texto: a sua crítica aos difusores de ar é apenas em relação a estética ou utilidade? Se for em relação à utilidade, até gostaria de saber o motivo, porque apesar de nunca ter tido um carro com esse item, me parece ser útil para refrigerar a cabine de forma mais homogênea.

      Excluir
    3. Antonio Canhota
      Os difusores seriam para efeito aerodinâmico, criar força vertical, e não para tirar ar da cabine. Mas são falsos, não têm outra função senão estética.

      Excluir
    4. Esquece meu comentario Bob: quando você escreveu "os dois "difusores" de ar na traseira seriam barrados se eu fosse da administração superior da Peugeot" e tinha a foto da saída traseira de ar-condicionado ao lado, eu acabei entendendo como se a crítica tivesse sido à isso, e não ao difusor de ar do para-choque traseiro. Esse difusor no para-choque concordo também que poderia ser retirado - acho que ficaria melhor, assim como as rodas escurecidas e o retrovisor cinza.

      Excluir
  23. Esse carro têm o bom acabamento interno (como de costume)dos PSA, mas no geral, eu o acho bem feinho, principalmente a traseira... não gosto de PSA e nem de Fiat, mas acho o Bravo T-Jet mais jogo...

    ResponderExcluir
  24. Antônio Martins17/02/13 22:46

    Bob, vc chegou a ver se esse carro tem retrovisor que baixa quando engata a ré? Pra configurar vc tem que engatar a ré e regular para onde da guia vc quer olhar. Depois, ao engatar a ré e acionar o comando de ajuste à esquerda/direita, ele baixa. Não sei se a função está habilitada no Brasil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antônio Martins
      Não cheguei a ver isso. Vou me informar.

      Excluir
    2. Bob,Bom Dia.Trabalho em uma css Peugeot e em resposta ao questionamento do Antônio ele não vem com essa função.Abraços e excelente seu Blog!!!!Erick

      Excluir
    3. Antônio Martins18/02/13 12:27

      Valeu Erick!

      Excluir
  25. André Castan17/02/13 23:07

    Bob, a gasolina premium que eles estão recomendando não seria nossa gasolina que possui maior octanas? No caso a podium (95 IAD) no lugar da tipo C comum (87 IAD)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André Castan
      Temos três gasolinas quanto a octanagem:comum (e comum aditivada) de 95 octanas; premium de 98 octanas; e Podium de 102 octanas, todas RON. Esqueça o Índice Antidetonante (IAD), você só vai vê-lo nas bombas nos Estados Unidos (com o nome de Anti-Knock Index, AKI) e no Brasil. Isso só serve para confundir, porque no resto do mundo usa-se a octana RON (Research Octane Number). A premium que a Peugeot recomenda é, portanto, a gasolina intermediária. Só que esta é difícil de encontrar atualmente, de modo que quem quer gasolina de mais octanagem que a comum/comum aditivada tem que forçosamente ir para a Podium, que é exclusiva da Petrobrás. Aliás, a Petrobrás não tem mais premium há pelo menos dois anos.

      Excluir
    2. André Castan17/02/13 23:58

      Entendi Bob. Obrigado pela resposta.
      Acho que hoje a Ipiranga ainda tem a premium, mas realmente não é fácil encontrar. Tenho observado vários postos da Ipiranga e ainda não vi nenhum comercializando a mesma.

      Excluir
    3. Aí acho q entra akela lei da oferta e da procura. Com a mijolina no preço que está, todo mundo só quer saber da mais barata mesmo....
      Mas, levando em conta que o fabricante recomenda a de 98 octanas, que problemas podemos esperar que aconteça caso se abasteça só com a de 95??

      Excluir
    4. Anonimo 18/02/13 08:29
      Não há problema algum em usar a gasolina comum, de 95 octanas RON, essa é a indicada na Europa. Com a premium (98 octanas) poderá haver ganho de desempenho e redução do consumo.

      Excluir
    5. Aqui no RJ nunca mais vi a premium, só a podium.

      Excluir
    6. Alan Leitão

      Cheguei atrasado na conversa mas como estou lendo sobre os PSA com motor THP surgiu uma dúvida quanto ao combustível: a Shell V-Power não seria uma Premium? Ou é uma comum aditivada? Uso ela no meu ancião Golf 2.0 Tiptronic e percebo que o rendimento do carro melhora muito em comparação com as aditivadas de outras bandeiras. Infelizmente o preço da Podium no RJ está impeditivo.

      Excluir
    7. A Shell V-Power é comum aditivada no Brasil, 95 octanas RON. Na Europa e EUA é premium, 98 octanas RON. A melhora sentida é real, a V-Power tem um aditivo anti-atrito que produz o efeito sentido.

      Excluir
  26. off-topic...
    navegando na imensidão da internet localizei esse site e gostaria de compartilhar... http://www.american-automobiles.com/ ... é meca pra quem gosta da história do automóvel e seus primordios... com excessao das grandes americanas que todos ja conhecem... possui além do nome, a história das empresas e imagens... é viajar no tunel do tempo.
    Carlos Albero - Arapongas/PR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 17/02/13 23:57
      Grande dica para todos!

      Excluir
  27. É possível o próprio motorista realizar aceleração interina nos carros automáticos? Talvez com o câmbio estando no modo manual, para saber o momento da redução?

    ResponderExcluir
  28. Não gosto de câmbio com alavanca sequêncial com subida de marchas para frente. O considero antinatural já que a tendência pela força g de aceleração de é jogar para trás. É igual as motos que se sobem marchas para cima diferentes das cub que sobem para baixo da alavanca de câmbio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz AG
      Esse assunto é polêmico. Para mim e para a Porsche e o Grupo Volkswagen o natural é subir marcha para frente e reduzir para trás. A justificativa de a aceleração jogar para trás é contraditória. Por essa lógica, a da força G, seria difícil num câmbio manual de cinco marchas com seleção em "H" reduzir de 5ª para 4ª e de 3ª para 2ª. Ou num robotizado puxar a borboleta esquerda durante uma freada forte (o que acho muito estranho, tive experiência disso andando no Audi RS 3 em Interlagos). Imagine com seria estranho num controle remoto de TV subir canais ou aumentar o volume pelo botão inferior ou num elevador o último andar ser o primeiro botão de baixo da botoeira. Nas antigas motocicletas inglesas de pedal de câmbio na direita subia-se marchas para baixo; nas Vespas e Lambrettas de comando de câmbio pelo punho giratório a primeira era para cima; e na minha bicicleta motorizada com motor Victoria, de duas marchas, a 1ª era puxando o manete de câmbio para trás e soltando-a para frente para a 2ª. Resumindo, como se trata apenas de contatos elétricos, deveria haver um interruptor que invertesse essa função na alavanca, de modo a agradar a gregos e troianos...

      Excluir
    2. Bob, não querendo dizer que você está errado, longe disso, afinal, é uma questão de gosto; mas faço coro com o Luiz AG nessa questão do câmbio. Também prefiro subida de marchas para trás e redução para frente (no caso de automáticos e automatizados), pois quando um carro de rali ou de DTM/Stock Car (a título de exemplo, apenas) aceleram e freiam, pode-se ver nas imagens internas que os pilotos, ao usarem os câmbios sequenciais, fazem as trocas ascendentes para trás - pois o carro, ao acelerar, "joga" o corpo do piloto para trás - e as descendentes para frente, nas frenagens, pelo mesmo motivo. Nesse ponto, a Peugeot poderia se inspirar na BMW hehehe... ou mesmo permitir essa troca de "sinais" para que pudesse ser feita de um jeito ou de outro, não sei se é tecnicamente viável.

      Excluir
    3. Perfeita a sugestão de haver um interruptor para agradar a gregos e troianos!
      Há algo similar em equipamentos fotográficos, ao menos nas câmeras DSLR Nikon é possível inverter comandos (lado do fotômetro, dial de velocidade e abertura) para o gosto de todos.
      Obs. Sou mais um que prefere subir marcha para trás (melhor mesmo por alavancas no volante, configuráveis), conta-giros do lado esquerdo (como o Bob gosta), etc.
      *Aliás no conta-giros há a mesma polêmica, pois Fiat, BMW, Mercedes entre outros costumam inverter usando o velocímetro na esquerda. Eu não compro (risos).

      Excluir
    4. No meu Bravo o velocimetro é na esquerda, e como dirigo com a mão esquerda um pouco mais pra cima do meio do volante, preciso virar um pouco o pescoço (ou abaixar a mão esquerda) para ver a velocidade que estou, a não ser que esteja a mais de 100 km/h...

      Excluir
  29. Um belo carro, sem dúvida.
    Cabe ver como as "espetaculares" seguradoras irão tratar o carro. Se forem pela tradição, cobrarão uma boa porcentagem acima do prêmio do 308 normal, sem turbo.
    Muitas vezes ótimos carros são mortos impiedosamente por empresas de seguro, não apenas no Brasil. Basta ver o caso Omega Lotus no Reino Unido.

    ResponderExcluir
  30. Lindíssimo carro. E anda muito bem tb. Só o preço - e, infelizmente, a má reputação da marca no pós-venda - é que impede que decole no mercado.

    Mas o 1.6 normal é uma boa pedida, na faixa dos 50 e poucos 'réis'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O carro é muito legal, e mesmo o 2.0 mais simples pode ser conseguido por menos de 60 mil. Quase que eu pulo em um 2.0 manual com teto de vidro, tava por 58 mil.

      Excluir
  31. Curiosamente tive a impressão que o banco do 308 THP pode ser regulado mais baixo que meu 408 THP.... eu adorei.

    ResponderExcluir
  32. No hay plata!
    Jorjao

    ResponderExcluir
  33. Um ótimo carro sem dúvida. E, como todo PUG, o melhor negócio é comprar de segunda mão, já com a desvalorização monstra dessa marca concretizada, e sem perder as ótimas e numerosas qualidades do produto...

    ResponderExcluir
  34. Tenho um 308 allure 1.6 e gosto do acabamento e itens disponíveis, bem como da estabilidade. Só lamento o mal casamento do compressor do ar com o torque em baixa do motor. Infelizmente a gente sente a falta de potência em arrancadas urbanas com o ar ligado. Subir ladeira parado então, haja embreagem. Quando posso desligo o ar, daí a tocada fica agradável. Gosto do carro na estrada, chegando a 17km/l a 100km/h no CB. Estou lendo sobre o THP há tempos, e sou fã desse motor prince. Vou esperar o mercado de usados funcionar, daí encaro uma troca. Só espero que a desvalorização do THP siga ou supere a dos irmãos mais humildes active e allure.

    ResponderExcluir
  35. Bob, leio suas avaliações com frequência e as considero excelentes, assim como o nível geral de comentários de seus blogueiros. Gostaria de pedir só uma dica: entre punto t jet e 308 allure 2.0 manual, com qual ficarias?
    Abraço!
    Marcelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo
      Nem há o que pensar, sou fã incondicional de motores turbo.

      Excluir
    2. Acho que perguntar a um entusiasta se prefere tecnologia ou conforto é mais ou menos como oferecer banana ou churrasco a macaco, né? Rsrs...
      Valeu a dica!

      Excluir
  36. Guilherme Mattos19/02/13 07:24

    Fiz um teste drive do 308 2.0 automático, trazido até minha casa pela concessionária (!), o que muito me surpreendeu. Ao manobrar para sair a frente do carro raspou na saída da garagem. Achei que tinha sido barbeiragem minha, e fomos embora. As ruas no entorno de casa são de paralelepípedos e o carro pulava e socava um absurdo de desconforto. Ao chegar ao asfalto, pistas livres, pé mais pesado e o carro é fantástico: acelera, freia e gruda no chão. Um espetáculo. Ao voltar para casa e devolver o carro ao vendedor comentamos que o conjunto roda/pneu 225/45 R17 tornava o carro muito duro e baixo. Obrigados, abraços, e tal, o cara vai manobrar e raspa feio a frente do carro em outra saída de garagem. Desisti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário Viajante19/02/13 12:13

      Pois é, não entendo porque a obsessão por rodas imensas em TODOS os carros. Deviam oferecer possibilidade de sair com rodas menores e pneus mais borrachudos.
      E quanto à raspar, isso realmente irrita, são os males de viver em país medieval.

      Excluir
    2. Guilherme,
      Ao contrário de você, não considero o rodar do 308 excessivamente duro. É claro que isso é subjetivo e sobretudo pessoal. Você certamente tem as suas referências de rodagem e de raspar, mas muitos carros hoje raspam a frente em rampas construídas fora das normas. Por exemplo, o asfalto na minha rua tem um perfil de câmber exagerado e muitos carros de teste raspam ao ganhar a rua, mas o 308 THP, não.

      Excluir
    3. Guilherme Mattos19/02/13 18:13

      Bob
      Achei duro e socador nos paralelepípedos, no asfalto achei ótimo.
      Penso como o Corsário Viajante, se a roda não fosse 17 talvez não raspasse. O 1.6 usa roda 16 com perfil 55, deve ficar melhor, mas o 2.0 só vem com 17 /45. Uma pena.

      Excluir
  37. Bob, tenho uma pergunta para você, Bravo T-Jet (completinho) ou 308 THP ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel,
      O Bravo T-Jet sem nenhum dúvida, pelo câmbio manual.

      Excluir
  38. Bob, a título de informação: Fiz o teste drive no 308 Turbo e no Fusca TSI mecânico, em resumo, comprei o Fusca, o carro acelera demais e têm uma forte presença.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde voce fez o teste drive? Na minha cidade nao ha o thp disponivel e estou quase comprando o carro, so falta o teste drive.

      Excluir
  39. Esse motor também equipa o 308 CC?

    Abs

    Antonio

    ResponderExcluir
  40. Montando o Punto T-Jet parecido acho que nao tem tudo que tem no 308 sai por +- R$ 65.441,00.
    Descendo a pagina da Fiat após montar o carro que carter é opcional e o preço só indo na css..
    complicado...

    ResponderExcluir
  41. Acho que o câmbio automático deve prejudicar as vendas mesmo, justamente como o pessoal comentou aqui. Talvez devessem ao menos colocar um automatizado pra conservar uma certa esportividade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O câmbio automático em si até ajuda, o problema é que ele faz aumentar o preço do carro.
      Preço maior é o que inibe as vendas de qualquer produto.

      Excluir
  42. Bob, estou quase comprando o thp... so estou pensativa quanto a dirigibilidade do carro! O que voce tem a me dizer sobre isso ? E outra, vale a pena comprar por ser um peugeot pelo valor ? Aguardo resposta ansiosamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Stephanie,
      Por questão de ética, não me cabe fazer nenhuma recomendação extra-post, no qual tudo a respeito do modelo testado foi dito. Espero que entenda.

      Excluir
  43. O 2.0 manual deve andar uma beleza! Achei por 55k

    Os preços no mercado deram uma melhorada, de todas as versões.

    ResponderExcluir
  44. Ao pensar em trocar o carro da minha esposa, fiz a leitura acima e acabei tomando a decisão de adquirir esse veiculo. O carro foi faturado dia 30/04/2013, pegamos o carro no final do dia 03/05/2013. Incrivelmente o dia 05/05 ao retornar de uma viajem ainda com 921Km o carro superaqueceu e foi guinchado para concessionária de Uberlândia/MG. No dia seguinte a concessionária acertou tudo me entregou o carro dizendo que estava tudo certo com o carro, no outro dia o carro custou a dar partida e quando fui olhar o liquido de arrefecimento estava abaixo do mínimo. Coloquei água e fui para concessionária de brasília no qual me alegou que estava tudo certo com o carro. Dias depois, tendo problema de partida todos os dias, tomei a decisão de voltar a concessionaria e novamente estava tudo ok, sai irritado e fui a uma concessionária da CITROEN pedir para que olhassem o carro e foi identificado que a junta do cabeçote do motor estava queimada e passando água para o motor! voltei a Peugeot e tratando todos de um modo grosseiro resolveram verificar e realmente concluíram o que a CITROEN tinha identificado. Hoje esta fazendo 5 dias que o carro esta parada na concessionária e ainda não conseguiram desmontar o motor!
    Possíveis compradores, cuidado!!!!!

    ResponderExcluir
  45. Bob,

    Em segredo deve estar pintando uma versão comemorativa do 308 THP aqui no Brasil. A versão Roland Garros já lançada na Europa para o CC vai dar as caras por aqui com o hatch. Não sei muito, parece que virá com um banco de couro na cor caramelo. Quem sabe você não nos informe mais sobre essa nova opção desse belo carro.

    Abraços,
    Ricardo

    ResponderExcluir
  46. Ricardo, vou tentar descobrir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bob,

      Obrigado por responder e se interessar pelo assunto. A Peugeot BR em consulta feita pelo CAEP se limita a dizer:

      "Comunicamos que ainda não temos uma previsão do lançamento ou demais informações sobre os equipamentos, opcionais e preços desse veículo.

      Os dados dos modelos são passados junto ao período de lançamento do veículo."

      Mas la fora....
      http://www.peugeot.com/en/news/peugeot-extends-its-partnership-with-roland-garros-in-latin-america-in-2013

      After China, Latin America...

      Last year, for the first time in the history of the brand, Peugeot has manufactured and marketed in China three special series Roland Garros on 308, 408 as well as 508.

      This year, there are four Latin American countries which commercialize special series Roland Garros: Argentina with 3008, Mexico with 207 CC, 308 CC and 3008, Chile with 308 CC and finally Brazil with 3008, 308 and 308 CC.

      O meu problema é que estou com um 308 THP pronto para ser faturado. Já compro sabendo que o modelo "novo" está próximo na Europa. Que quando começa esse papo de série especial aqui no Brasil o modelo está no fim da vida (mesmo lançado por aqui em outubro passado). Agora, pegar um Feline TPH e descobrir que está no forno uma série especial que, quem sabe, venha com alguns mimos que falta nesse carro para torna-lo completão (Xenon, Camera de ré, GPS touch, botão start/stop...) sendo esses últimos já disponíveis no 208. É de matar.

      Aguardo por sua perspicácia em descobrir esses segredinhos.

      Abraços,
      Ricardo

      Excluir
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  48. Comprei um 308 THP Rolland Garros, o cara da concessionária disse que OBRIGATORIAMENTE tenho que usar ou gasolina Premimum ou Aditivada, isso procede?
    Não posso usar a comum como todo carro? Ele disse que poderia até fundir o motor e tal só que ela é mais de R$1,00 mais cara por litro.

    ResponderExcluir
  49. Esqueça, pode usar gasolina comum, mas recomendo que use aditivada. Na Europa a gasolina indicada para esse motor é a Super, de 95 octanas RON, que é a octanagem da nossa gasolina comum/comum aditivada. A diferença de preço entre essas duas é de 20 centavos. Com essa sua informação vou alertar a Peugeot. Se você disser qual a concessionária, melhor. Escreva para autoentusiastas@autoenturiastas.com.br .

    ResponderExcluir
  50. Na concessionária me falaram para deixar no Neutro quanto parar no sinal, é isso mesmo? Acha ou atrapalha?

    ResponderExcluir
  51. Tanto faz. A vantagem de pôr em neutro é economizar combustível, pois o motor deixa de ficar fazendo força contra o freio. A desvantagem é dar trabalho, quando o câmbio automático foi feito para exatamente isso, não ser preciso usar a alavanca no dirigir normal. Pode usar da maneira que achar mais conveniente, pois nenhum dos dois jeitos prejudica o câmbio.

    ResponderExcluir
  52. Estou só esperando aparecer um usado com baixa km pra trocar.

    Ja existem CCS praticando o valor de 73k, mas a ideia é pegar um usado por volta de 60 e poucos. Até agora o unico usado que encontrei esta no Paraná por 64. Muito longe, rs.

    Ja andei no 408 THP, o carro puxa muito bem. Deve puxar ainda mais no 308 por ser mais leve.

    Pontos negativos:

    Só vem nas cores: Branco, Vermelho e Prata. CADE O PRETO!?
    Serio, eu acho uma escolha no minimo infeliz limitar tanto as cores do carro.
    Eu pegaria aquele cinza chumbo que é BEM legal. Com essas cores eu fico inclinado a pegar o prata, ja que o branco eu nao gosto mto e o vermelho deve cansar rapido.

    deveria ter overboost como o DS3, mas isso se resolve com um remap rapido que joga o torque pra 30kg e qse 200kg.

    Xenon. Onde está o Xenon!? Absurdo. Deveria ter pelo menos no THP né... Eu que teho um C4 com farol xenon direcional, seria um grande downgrade.

    Suspensão traseira com eixo de torção. Até quando PSA? Isso me faz pensar no Focus cada vez mais.

    Tampa de combustivel manual. 70k num carro e tem que dar a chave pro frentista. sem comentarios.

    No mais os carros da PSA sao Muito bons! O custo beneficio é Excelente! O pós venda é ruim mas é muito dificil sair dos franceses. Oferecem muito mais por muito menos. o Cruze nao tem metade do que esse carro tem e é o mesmo preço.
    Pagar 75 por um cruze 1.8 nao da. O unico que eu considero concorrente seria o Focus, que deve vir com o 2.0 de 160cv e cambio power shift de dupla embreagem, mas eu tenho visto MUITOS relatos de problemas com esse cambio no mundo e ja estou assustado, kkk...

    acho que o destino é o Pug308THP assim que uns usados pintarem por ai.

    Abs

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...