24 de junho de 2009

SIR HENRY ROYCE SAYS:


Com desculpas aos leitores por continuar espremendo o assunto até sua última gota, resolvi relembrar hoje algumas frases famosas de Sir Henry. São pequenas pérolas de sabedoria, e que ilustram bem a maneira de pensar desse homem formidável. A mais famosa delas é aquela com que começei o post sobre as cinco mortes da empresa, portanto não o repetiremos aqui. A elas, então:

Sir Frederick Henry Royce, 1st Baronet, OBE , teve origem mais humilde do que se poderia imaginar pelo seu pomposo nome e título de Baronete.

Nascido pobre, Royce começou a trabalhar muito duro a partir dos 9 anos de idade. Nunca cursou uma escola, mas estudou sempre e muito em seu tempo livre, desde cedo mostrando extrema habilidade mecânica. Com 21 anos abria, com muita dificuldade, a "F.H. Royce and Company, Electricians", uma pequena indústria (na verdade, uma oficina no começo) de materiais elétricos, que viria finalmente lhe dar alguma estabilidade financeira ainda antes dos 30 anos de idade.

Royce acabou famoso pelos carros que acabou fazendo com Charles Rolls, mas sua indústria de materiais elétricos permaneceu ativa até sua morte, em 1933. Tudo ia bem com ela até que em 1903, começou a aparecer uma forte concorrência para seus dínamos e guindastes, vinda principalmente da Alemanha e dos EUA. Royce refutou veementemente os pedidos de seus subordinados para baratear seus produtos para enfrentar a competição, cunhando a famosa frase:

"The quality will remain long after the price is forgotten"
(A qualidade permanece muito tempo depois do preço ter sido esquecido.)

Sir Henry era um homem do século 19; sendo assim, associava qualidade com controle apenas. Não tinha problema nenhum de jogar 10 peças fora, mas fazia questão de que todas montadas em seus carros fossem perfeitas. Mas tinha uma noção moderna de qualidade quando se fala de retrabalho: Royce exigia que a peça rejeitada fosse jogada fora, e que a falha fosse corrigida para que a próxima estivesse boa, e não permitia os famosos "ajustes" ou "retrabalhos". Por toda fábrica, se viam placas dizendo:

"Above all things, be accurate."
(Acima de tudo, seja preciso.)

Os métodos de projeto de Royce também refletiam sua origem de mecânico autodidata. Royce fazia incansavelmente modificações e experimentos, buscando descobrir em suas bancadas de trabalho algo que não conseguia prever teoricamente. Mas chegou a uma verdade inegável:

"There is no sure way of judging anything except by experiment."
(Não há outra maneira de julgar algo que não seja por experimentação.)

Royce é o estereótipo do perfeccionista. Nunca estava satisfeito, e trabalhava incessantemente e incansavelmente a vida toda, numa impossível busca da perfeição. Certa vez, ouvindo de um funcionário que algo estava "suficientemente bom", cunhou outra famosa frase:

"Nothing is good enough - there is always a way to make it better - a way which we must all strive to learn."
( Nada é suficientemente bom - sempre há uma maneira de melhorar - de uma maneira que todos devemos nos esforçar para aprender.)

Esta mesma frase, melhor pensada e lapidada, se tornou uma outra mais famosa, mais generalista mas com o mesmo significado básico:

"Strive for perfection in everything you do. Take the best that exists and make it better. When it does not exist, design it."
( Busque a perfeição em tudo que faça. Pegue o melhor que existe, e faça melhor. Quando não existir, desenhe-o.)

MAO

11 comentários:

  1. Rodrigo Laranjo24/06/09 16:23

    Quando lançaram o Celta Sir Henry deve ter virado no túmulo...

    ResponderExcluir
  2. Mister Fórmula Finesse24/06/09 17:50

    Será que foi aqui que li que esse senhor era tão obcecado pelo trabalho que pagavam um funcionário só para lembrá-lo de se alimentar em meio ao seu expediente na fábrica? Existe um texto bem interessante sobre a RR na Motor 3 de 1982!!!

    ResponderExcluir
  3. Definitivamente, nasci no século e no país errados...

    ResponderExcluir
  4. Se houvesse um mínimo do espírito de Sir Royce nos dias atuais, os produtos seriam muuuito melhores...

    ResponderExcluir
  5. nossa! me identifiquei com o Royce, tambem tenho uma mania de perfeição exagerada,
    muito bom o texto MAO,

    abraço

    ResponderExcluir
  6. Marlos Dantas24/06/09 21:26

    MAO,
    Desculpas, pra quê? RR, Porsche, Chevette e listas dos 10 mais não cansam. Já passou da hora de vosmecê escrever um livro...

    Hoje, ainda existem pessoas com o mesmo espírito de perfeição e compromisso com a qualidade que Royce. Porém, infelizmente, essas pessoas são sufocadas pela sanha de praticidade e materialismo que se espalha pela sociedade.

    ResponderExcluir
  7. Definitivamente, nasci no século e no país errados... [2]

    Ou pelo menos uns 50 anos atrasados....

    ResponderExcluir
  8. MAO,
    Quanta sabedoria nessas frases! Belo e utilíssimo post!

    ResponderExcluir
  9. É um belo exemplo de força de vontade.

    Mas fica longe da genealidade que foi Porsche.

    Carros ingleses são engraçados. Mechem demais com o espírito das pessoas. São cheios de "alma" como se diz.

    Mas não conseguem ser bons de mercado e sobreviver à concorrência.

    ResponderExcluir
  10. Mister Fórmula Finesse25/06/09 15:28

    Ainda sobre o Rolls de Lennon:

    http://www.maxicar.com.br/old/reporter/rollslennon.asp

    ResponderExcluir
  11. Belas frases!

    Já espalhei o link do post pra bastante gente.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...