Google+

26 de janeiro de 2010

MERCEDES F1 É RELEMBRAR


Foi a apresentado o novo carro da Brawn GP, agora com total parceria da Mercedes-Benz, levando inclusive as cores da marca, junto com o nome de Schumacher e Rosberg.

Mas um detalhe me chamou a atenção, a nova cor do carro é o prata, legado dos Flechas de Prata da Mercedes dos anos 50 na Fórmula-1, e um detalhe interessante, o número do carro (diga- se de passagem, cada vez menor e menos visível) na cor vermelha com fundo branco.


Não é à toa, é a mesma grafia dos números usados nos Silver Arrows do passado, como no W196 da foto abaixo. A Mercedes sempre primou pela tradição e pelos símbolos do passado, assim como a Ferrari, e não deixou passar esse belo detalhe neste novo carro.


Fotos: UltimateCarPage e Motorsport.com

20 comentários:

  1. Nossa, o número na lateral do aerofólio traseiro é ridículo de pequeno.
    Mas de resto a pintura e os macacões estão muito bomitos.
    Essa homenagem ao passado me fez ter mais admiração ainda pela Mercedes.

    ResponderExcluir
  2. Que outras marcas sigam o caminho da Mercedes... As tradições são extremamente importantes para qualquer esporte, principalmente na F-1. Qual cor a McLaren irá utilizar?
    Sei que a Lotus também vai colocar o preto e dourado (Essa cor alias é perfeita para qualquer carro esportivo ... comprovem ! )

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda acho que a cor mais "tradicional" da Lotus é o verde musgo com uma faixa e o bico amarelos.

    Aliás, a história do British Racing Green é muito interessante. Pena que a BBC mandou o YouTube tirar o vídeo do ar.

    ResponderExcluir
  4. A cor da Lotus vai ser o British Green. Essa era a cor oficial dela.

    Alias, cada pais tem sua cor dentro do campeonato mundial por isso os carros tradicionalmente sao pratas quando Alemaes: Audi, BMW, Porsche, Mercedes.

    Alemanha : Prata
    Italia: Vermelho
    UK: British Racing Green
    Belgica: Amarelo
    Japao: Branco e vermelho
    Franca: Azul calcinha Bugatti.
    USA: Azul escuro e branco
    Brasil: Amarelo e verde

    Isso de minha memoria, mas assim por diante.

    Japones e tao sem tradicao que ninguem nunca comentou sobre a Toyota e a Super Aguri que seguiam a norma de Vermelho e Branco.

    ResponderExcluir
  5. Milton,
    Carros já não precisam ter números tão grandes e visíveis, já que a cronometragem é toda eletrônica. Mas legal, terem adotado o prata.

    ResponderExcluir
  6. Mon Dieu, Carlos Scheidecker... chamar o glorioso bleu de France de "azul calcinha Bugatti"... quel horreur!

    ResponderExcluir
  7. Scheidecker,
    Só para lembrar, inicialmente os carros alemães eram brancos, tal como a Mercedes SSKL pilotada por Rudolf Caracciola.
    Li certa vez que, em determinada época, os carros da Mercedes pesavam poucos quilos acima do limite da categoria em que foram inscritos. O chefe da equipe de competições da marca, Alfred Neubauer, não hesitou: mandou tirar a tinta dos carros.
    Sem o peso da tinta, os carros entraram no limite da categoria, e suas carrocerias de alumínio polido passaram a ostentar o tom prateado usado até hoje.
    Assim teriam nascido as flechas de prata.
    Não sei se essa estória é fato ou lenda, mas que é belíssima, isso é.

    ResponderExcluir
  8. Essa história é muito boa mesmo. Quantos quilos será que pesava (depois de seca) a tinta necessária para pintar um monoposto Mercedes da era Neubauer?

    ResponderExcluir
  9. Milton,
    E você não reparou o principal: o banco do piloto tem o padrão xadrez dos velhos Mercedes de corrida!
    Fiquei doido quando vi isso ontem. Tão doido, que nem havia notado detalhe do número...

    ResponderExcluir
  10. Segundo a lenda, a idéia de lixar foi para retirar algum material da carroceria, a tinta só deu azar porque estava em cima do que ia ser lixado.
    - e parece que tiraram o tal forro xadrez que o Jason gostou também...[:-)

    ResponderExcluir
  11. Legal ter a Mercedes-Benz oficialmente de volta à Fórmula 1. Como já comentado por aqui, está fazendo falta mesmo um pouco de tradição na F1.

    ResponderExcluir
  12. Em primeiro lugar, o mais importante, dar os kudos ao MB pelo texto legal.

    Mas voltando....

    Zamariolli,

    A historia da pintura da Mercedes esta quase correta. Na verdade se trata de um mito que de tão repetido se tornou verdade, Explico: isso aconteceu antes da FIA entrar com a regra de cores para identificar o pais do fabricante no campeonato mundial. A regra da FIA foi idéia emprestada da Gordon Bennet Cup que era uma corrida de Paris a Lyon na França.

    Quando a FIA fez isso a Alemanha resolveu adotar o prata uma vez que ja era conhecida pelos Auto Union e Mercedes da década de 30.

    Tudo começou na Gordon Bennet Cup que aconteceu anualmente entre 1900 a 1905. Os organizadores determinarem cores aos carros para classifica-los por pais. E, sim, a cor que determinava a Alemanha na GB cup era o branco, pode ver que existem alguns Mercedes SS antigos de competição que sempre eram apresentados em branco até o final da década de 20. Em 1932 os carros Alemães correram já com o prata e nessa época nenhum limite de peso existia nas competições. Isso foi algo mais político, definido pelas autoridades Alemãs da época que sentiam que o branco era ofensivo.

    O limite de peso só veio acontecer depois da guerra. Alguns acham que o prata se deve também aos Nazistas. Errado: Nazistas só começaram a subir ao poder em 1933, 1932 ainda era o regime anterior. Uma pequena correção: a cor do Brasil é Amarelo pálido, o amarelo vivo é da Bélgica como falei antes.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. que ótimo que as calotas aerodinâmicas foram vetadas, os carros ficam MUITO mais bonitos com os aros aparecendo!

    ResponderExcluir
  14. Eu sonho em ver a Lotus preta com dourado novamente...

    ResponderExcluir
  15. Ao que parece a cor da lotus é mesmo o British racing green !
    http://www.corridadeformula1.com/esboco-do-carro-da-nova-lotus/
    Abçs!

    ResponderExcluir
  16. Legal pela tradição alemã, mas é a vitória final do preto-prata. :-)

    ResponderExcluir
  17. Eu li em algum lugar que eles quiseram inclusive relembrar a história de raspar a tinta branca (revelando o prata da carroceria de aluminio), com partes onde sai o prata e aparece a fibra de carbono como se tivesse sido raspado.
    Realmente a MB sabe reverenciar o passado!

    ResponderExcluir
  18. Bob, mas ajuda bastante a identificar o carro visualmente entre os companheiros, se os capacetes foram muito parecidos.

    Realmente para o controle da prova não importa mais, mas para quem assiste acho interessante ter umm numeração bem visível.

    Em outras categorias com na American Le Mans Series e deivados, os números são bem grandes e todos com fundo branco, como 'manda o figurino'.

    abs,

    ResponderExcluir
  19. Jason, não vi essa do banco ainda!
    Vou procurar!

    Valeu pela dica.

    abs,

    ResponderExcluir
  20. Michael, como disse o Emerson uma vez ao ver seu Lotus 72 nas cores preta e dourada, "só faltam as alças douradas para carregar o caixão". rsrsrs

    abs,

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...