2 de maio de 2010

BELA PICAPINHA



Sem nenhuma dúvida: a Hoggar é uma picape derivada de automóvel das mais interessantes. O mais notável é a calibragem da suspensão – independente nas quatro rodas, exclusividade da Hoggar – que resulta num rodar mais confortável do que muito automóvel nacional.

O projeto consistiu, basicamente, em pegar parte dianteira do 207 até à cabine e juntá-la à seção traseira do multifurgão Partner, ficando o entre-eixos 300 maior que o do hatch 207, chegando a 2.745 mm (a terceira maior, superada pela Ford Courier, 2.830 mm, seguida da Saveiro, 2.750 mm, Fiat Strada, 2.718 mm e Chevrolet Montana, 2.714 mm ).

A solução de eixo traseiro por braço arrastado com barra de torção transversal como meio elástico e amortecedor praticamente horizontal voltado para frente, além de roubar menos espaço, dá brilho ao comportamento geral da Hoggar.  Por causa  dessa suspensão traseira independente, as caixas de roda traseiras invadem muito pouco a caçamba, que tem 1.151 litros de volume.

São três versões: X-Line 1,4, XR também 1,4 e a aventureira Escapade 1,6, esta com o motor duplo-comando, 4-válvulas de 113 cv a 5.600 rpm (álcool) e decoração "de briga"., que inclui o pára-choque com quebra-mato estilizado e decorativo somente. O motor menor, 82 cv a 5.250 rpm. com seu comando único e 8 válvulas. A versão mais simples pode transportar 742 kg, enquanto as outras são para 660 e 650  kg de carga útil respectivamente. Há um espaço de cerca de 120 litros atrás dos bancos, no qual é possível levar alguma bagagem. A altura de rodagem de 175 mm permite rodar sobre superfícies bem irregulares.

A Peugeot tem longa tradição em picapes derivadas de automóveis, começando no final dos anos 1930 com a 202, a 203 no começo dos anos 1950 e 403 nos 1960, todas  na Europa, e a  404 e a 504 GRD argentinas, nos anos 70 e de 1983 a 1997, respectivamente, a 504 com 1,3 tonelada de carga útil e que veio em volume razoável para o Brasil  A Hoggar representa a continuidade da espécie no âmbito da marca. Hoggar é uma bela cadeia de montanhas no deserto do Sahara, na Argélia, no norte da África. A Argélia era colônia francesa até 1962.

O desejado ABS não é disponível nem opcionalmente, enquanto as duas bolsas infláveis só podem vir como opcional na versão Escapade. Nào faço questão de nenhum desses dois itens, mas há quem os queira e por questão de respeito deveriam ser ofererecidos para as três versões. É indesculpável bolsa inflável para a versão de topo apenas. A Peugeot deverá corrigir isso logo.

Por não haver ABS e o a distribuição eletrônica das forças de frenagem (EBD) normalmente associada e ele, há duas válvulas de corte para os freios traseiros,  uma vez que o duplo circuito hidráulico é em diagonal.

Digna de elogios é a saída do ar da cabine feita pelo interior dos dois degraus laterais embutidos (side step), solução que a Peugeot patenteou.

O 0-100 km/h e velocidade máxima da 1,4 e 1,6, a etanol, são, respectivamente, 14,4 s e 156 km/h e 11,9 s e 179 km/h. Mas consumo de combustível, nem uma palavra, o que é verdadeiramente lamentável.

As vendas começam em 15 de maio com preços sugeridos de R$ 31.400 (X-Line), R$ 35.350 (XR) e R$ 43.520 (Escapade). Nesta pelo menos o ar-condicionado é de série. Mas na X-Line a direção não conta com a assistência hidráulica das outras versões. A previsão de venda é 1.500 unidades por mês e por enquanto a Hoggar não será exportada.

Há um acessório original que muitos irão apreciar, o teto solar elétrico deslizante, de aplicação na concessionária. Segundo a Peugeot, todos os cuidados são tomados na instalação, que começa cortando parte do teto e continua com fosfatização das bordas para evitar oxidação.

Vale a pena experimentá-la.

BS

27 comentários:

  1. E aí, Bob, a Hoggar 1.6 16v anda com a mesma desenvoltura dos 206 com o mesmo motor?

    Abraço

    Lucas

    ResponderExcluir
  2. Lucas,
    Sim, anda convincentemente.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Bob,

    Muito obrigado por mais uma precisa avaliação.

    Em sua opnião, seria a Hoggar a nova referência da classe em comportamento dinâmico? Ou este título segue nas mãos da Courier?

    Abraços,
    Fernando Silva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coincidência! Estava relendo a avaliação que o Bob fez sobre a Courier, e como ela era boa de chão.

      Pelo entreeixos maior que o carro que deu origem, essa deve ser melhor de chão mesmo, eu presumo...

      Tenho vontade de ter uma picapinha... a maioria das vezes ando só, ou com + uma pessoa.... mas teria que ter a cabine com algum espacinho atrás, pois as vezes levo alguma tralha comigo, ou faço pequenas compras semanais no supermercado... A caçamba teria uso de vez enquando... o duro é que as lideres - saveiro e strada - são bem visadas aqui em SP...

      É, acho melhor continuar com hatches compactos mesmo...

      Excluir
  4. Gostei muito da versão intermediária (XR), especialmente na cor escura apresentada à imprensa, já que praticamente faz "sumir" aquele horrível apêndice nas pontas do pára-choque traseiro, que se estende até a base das lanternas. O interior ficou bem bonito. Pena não ter opção do motor 1.6, como disse o Bob. Já a Escapade, esteticamente não me agrada, por conta da profusão de partes plásticas que, como na Fiat, usaram para caracterizar a versão "fora-de-estrada". A XR eu compraria (com o pacote mais completo), mesmo tendo o motor 1.4, que no meu caso (não a poria para trabalhar, não andaria pesado), creio que seria o bastante.

    ResponderExcluir
  5. A Hoggar pode até ser uma ótima picape, mas o nome...

    Será que seu interior é tão aconchegante que o nome é uma corruptela de "hogar"(lar, em castelhano)? Ou será que ela se destina principalmente ao transporte de porcos ("hogs", em inglês)?

    Hoggar... eita nominho ruim!

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da picapinha, mas ainda fico com a Saveiro pelo design mais bem resolvido (ao menos na minha opinião)

    Porém essa 207 ficou muito agradável de se olhar, aliás, simpatizei bastante com o carro depois que andei em um...
    acho que ela com o 1.6 16v deve ficar um capetinha.

    ResponderExcluir
  7. Mister Fórmula Finesse03/05/10 08:59

    A nova saveiro também achei maravilhosa no quesito conforto em condução, um ótimo amortecimento no modelo que dirigi.

    Mas fiquei curioso quanto a nova Peugeot, olhando as fotos, gostei da versão mais simples e sem adereços estilísticos da mais "aventureira", a mim parece um visual mais limpo que valoriza as formas finais, bastaria apenas colocar as rodas de liga leve.

    Deu vontade de experimentar.

    ResponderExcluir
  8. Acabaram de falar no Post acima (do Juke) que os departamentos de marketing nos "empurram" estilos e conceitos. Pois bem. Não gostei do estilo desta picape. As coisas ficam meio que sem harmonia, desproporcionais entre si. Aliás, parece que o desarmônico está virando moda. Vide o Corsa de 1994,travestido de Agile.

    ResponderExcluir
  9. Acabaram de falar no Post acima (do Juke) que os departamentos de marketing nos "empurram" estilos e conceitos. Pois bem. Não gostei do estilo desta picape. As coisas ficam meio que sem harmonia, desproporcionais entre si. Aliás, parece que o desarmônico está virando moda. Vide o Corsa de 1994,travestido de Agile.

    ResponderExcluir
  10. Leandro SIlveira03/05/10 09:45

    faço minhas as palavras do Mister Fórmula Finesse, essas versões 'aventureiras' (q d 'aventureiras' ñ tem é nd) são mto 'mudérrrnaish'mto coisa d quem assiste malhação, aberrações nonsense....

    qual a finalidade d encher o carro com um mte d plástico?!?! só prá ficar batendo com o tempo e ser mto difícil d limpar (minha tia tem um idea adventure, Jesus, aqueles plásticos são um inferno prá deixar limpo)?!?!

    sonho com o dia q esse tipo d coisa absurda deixará d existir!!!

    no fim dos anos 90, existia saveiro tsi e strada lx, picapinhas potentes, esportivas, até um pouco chamativas...pq hj em dia ñ fazem mais nd como isso?!?! pq só existem essas versões 'esportivas' d araque?!?1 ñ há mercado prá quem ñ queira aparentar ser um descolado e modernoso!!!

    ResponderExcluir
  11. Bob,

    Fiquei com vontade! Parece muito bem feita.

    MAO

    ResponderExcluir
  12. Esse modelo aventureiro simplesmente e horrivel,a forma do aplique de plástico no para lama traseiro e todo fora de proporção as lanternas parecem não serem do carro e pra completar o quebra mato, parece uma dentadura daquelas de vampiro que são vendidas em época de carnaval, como disseram no BIZARRICES AUTOMOTIVAS, E TENSO.......

    ResponderExcluir
  13. Gostei do trabalho de estilo. Apesar de não algo avançado, o fato de ter que adaptar as mesmas lanternas traseiras do extinto Peugeot 1007 europeu à um novo design nunca é fácil. O resultado manteve um equilíbrio.

    Também gostei mais da versão intermediária, XR, mas com as rodas da escapade.

    ResponderExcluir
  14. Paulo Levi
    Nomezinho ruim mesmo!

    ResponderExcluir
  15. erlanbiker
    Também não gosto de aventureiros. Para mim a Hoggar ideal seria a XR com o motor 1,6 DOHC 16-válvulas.

    ResponderExcluir
  16. fersilvajr
    Páreo duro, mas a Hoggar tem rodar mais confortável e a vantagem da suspensão traseira independente.

    ResponderExcluir
  17. 115cv e leva quase 12seg. para acelerar de 0 a 100km/h?

    muito lento ou mal escalonado

    ResponderExcluir
  18. verdade né... além de horrenda os números não condizem...

    ResponderExcluir
  19. Se fosse da VW eles diriam que o carro vai de 0 a 100km/h em menos de 6 segundos e que a velocidade final é de 240km/h

    ResponderExcluir
  20. What SO EVER, MAN!!!

    Tenho certeza q a Saveiro atropela essa feiosa em todos os sentidos!

    ok dok?

    ResponderExcluir
  21. Legal a avaliação Bob, sou mais um dos que acha desnecessário esse monte de plastico das versões aventureiras.
    Agora uma duvida que eu sempr tenho: sempre que um carro adota amortecedores horizontais, como nessa picape e em vans como C4 picasso, se comenta das vantagens de ser menos invasivo. Então porque essa disposição do amortecedor não é adotada em diversos modelos? Qual a desvantagem?

    Abraço!

    ResponderExcluir
  22. É o treze04/05/10 16:08

    saveiro, não sendo trooper com aqueles pneus balão, rodando com álcool, faz 0 a 100 abaixo de 12s. a primeira e segunda encurtadas fazem a diferença no arranque.

    ResponderExcluir
  23. MAO,

    Pode ser confortável e ter uma boa suspensão, mas já tem cara de velha, especialmente a traseira, e a dianteira exagerada de plásticos, parece vinda de um filme de terror. Ela é muito feia. E o nome Hoggar... é um horror mesmo. Mandou mal a Peugeot nessa questão.

    ResponderExcluir
  24. Francisco V.G.06/05/10 13:57

    Saveiro boa de andar foi uma que eu tive e deixou saudades: Ano 95, CL, 1,8l, álcool, verde taiti, câmbio PV. Era desconfortável, apertada mas o que acelerava não era brincadeira.

    ResponderExcluir
  25. Quando olho pra ela me lembro das peugeot 405 picape que tínhamos por aqui.Feia mas boa.

    ResponderExcluir
  26. Por favor Bob, existe um comparativo aqui no site sobre a Hoggar vs Nova Saveiro? Principalmente quanto ao quesito suspensão? Tô querendo comprar uma delas mas tá difícil saber qual delas tem mais suspensão pra suportar as buraqueiras das nossas ruas por mais tempo (e com conforto).

    Muito obrigado.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...