Google+

9 de julho de 2010

FIAT CINQUECENTO BICILÍNDRICO TURBO

A Fiat apresentou ontem em Turim a mais nova versão do seu exitoso Cinquecento lançado há três anos:  motor TwinAir é um dois-cilindros turbo 4-válvulas de 875 cm³, diâmetro dos cilindros 80,5 mm e curso dos pistões 86 mm (quase as medidas do E.torQ 1,8 16V, 80,5 x 85,8 mm). O pequeno motor desenvolve 85 cv a 5.500 rpm e 14,8 mkgf a 1.900 rpm, com taxa de compressão de 10:1. O motor incorpora a tecnolgia MultiAir de levantamento de válvulas de admissão total e continuamente variável já utilizado no Alfa Romeo MiTo 1,4-litro.
O resultado é aceleração 0-100 km/h em 11 segundos e velocidade máxima de 173 km/h com consumo de 20,4 km/l na cidade, 27 km/l na estrada e 24,4 km/l, combinado, isso com sistema desliga/liga. Com este, mais câmbio Dualogic, o consumo cai para 21,7, 27,7 e 25 km/l, respectivamente.
O sistema de gerenciamento do motor possui uma função ECO que limita potência e torque e leva a uma redução de 30% no consumo. A emissão de CO2 nesse caso fica em 96 g/km com câmbio manual e desliga/liga e 92 g/km se dotado de caixa Dualogic.

O motor TwinAir em duas vistas. Note à esquerda, parte inferior, a contra-árvore de balanceamento.
O motor conta com árvore contra-rotativa de balanceamento e provavelmente tem vibração bem contida. Mas é um ponto a verificar.
As vendas da versão começam em setembro e a FPT, empresa do Grupo Fiat que fabrica o motor clama ser este o motor a gasolina mais eco-favorável do mundo.
BS
(Atualizado em 9/07/10 às 22h05, fotos do motor)

49 comentários:

  1. Mister Fórmula Finesse09/07/10 10:13

    Acredito que em relação ao motor 1.4 - que ficou muito bom nele - os índices de emissão devem ser proporcionalmente menores né Bob?

    Se não, o motor serviria mais de vitrine tecnológica e laboratório de novas tendências.

    ResponderExcluir
  2. Mister Fórmula Finesse
    Sem dúvida, a baixa emissão de CO2 é, junto com baixo consumo, o grande atrativo do motor.

    ResponderExcluir
  3. Interessante, mas ainda dá tempo de fazerem um 500cm³ pra resgatar o original dos anos 50. :)

    ResponderExcluir
  4. ''..O motor conta com árvore contra-rotativa de balanceamento e provavelmente tem vibração bem contida...'' Bob, desculpe a minha ignorância ( Por menor ou maior que seja a minha dúvida-não tenho vergonha em perguntar! ), mas oque é isso? e como funciona?..quando isso torna perceptível quando colocamos o veículo em marcha?

    ResponderExcluir
  5. Anônimo, estamos aqui para isso mesmo. A árvore contra-rotativa é como se fosse um virabrequim falso, ligado ao verdadeiro por engrenagem ou corrente e que gira em sentido contrário. Com isso anulam-se as forças de inércia e o motor não vibra ou vibra consideravelmente menos. É uma patente Mitsubihi e a fábrica licencia incontáveis fabricantes de automóveis mundo afora a utilizar o recurso. Motores de um ou dois cilindros vibram mais e se beneficiam da solução. A Honda Titan 150 usa a contra-árvore, por exemplo. O motor de dois cilindros desse Cinquecento tem a contra-árvore.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bob pela aula. Eu nunca tinha ouvido falar. Seria o mesmo que "contra-balanceiro"?

      Excluir
    2. Harllen
      Nunca ouvi falar em contra-balanceiro, mas talvez seja uma forma abreviada de árvore contra-rotativa de balanceamento.

      Excluir
  6. Anônimo,
    Esqueci de responder a última parte. Sim, a diferença entre ter e não ter o item, quando ele é necessário, é facilmente perceptível.

    ResponderExcluir
  7. Bob

    Agradeço pelas explicações e informações!. Agora entendo perfeitamente. Agora sobre o pequeno Fiat, só espero que esta versão apimentada esteja ao alcance de nós brasileiros! ( existe esta possibilidade? )

    Obs: Esqueci de assinar anteriormente

    Henrique Martini.

    ResponderExcluir
  8. Muito bom, e ainda tem o desconto de imposto de carros de menos de 1000 centimetros cúbicos se vier para cá.

    ResponderExcluir
  9. Puxa, que economia!

    ResponderExcluir
  10. Henrique Martini,
    Vou saber com o Fiat se pretendem importar a versão, mas teoricamente nada impede que o façam. De qualquer maneira é praticamente certa a produção do Cinquecento na fábrica Chrysler, em Toluca, México, em 2012, o que significa trazer esse e qualquer Cinquecento sem recolher o imposto de importação de 35%, como já ocorre hoje com Fusion, Bora, Jetta, New Beetle, Sentra, Captiva.

    ResponderExcluir
  11. Cara, que show!!
    E o downsizing levado ao extremo mas com efetividade...

    Imagina isso em competição, todo pelado, levinho e com o bicho girando acima de 10 mil rpm!!!

    ResponderExcluir
  12. Galto, o foco deste carro é consumo e emissões, mas eu também já estava pensando no mínimo num overboost para o bichinho... kkkkk
    Na Argentina é muito comum prepararem estes carrinhos para arrancada.

    Bob, você disse "O motor conta com árvore contra-rotativa de balanceamento e provavelmente tem vibração bem contida". Existe alguma limitação técnica que não permita que esta solução anule totalmente a vibração?

    Ahhh... Bob, você falou sobre não haver imposto de importação sobre os veículos que vêm do México e fez-me lembrar da possibilidade de abertura de livre mercado com a união européia. Outro dia eu já perguntei sobre este assunto, acredito que ninguém soube responder, mas achei que vale tentar novamente.

    Alguém sabe de alguma novidade? Talvez só depois da final da Copa, não é? hehehe

    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Com tudo isso, será que passa na inspeção veicular do prefeito Kibe?
    Romeu

    ResponderExcluir
  14. Romeu, pelos números apresentados, se tem um carro que passa na inspeção é o tal Fiat 500 T.

    ResponderExcluir
  15. Clésio Luiz09/07/10 17:10

    Se a Fiat vendesse esse motor aqui no Palio e/ou novo Uno, adeus primeiro lugar do Gol. Do jeito que combustível aqui é caro, esse motor iria fazer muito sucesso.

    ResponderExcluir
  16. Clésio, o problema para o Brasil é o custo desse cabeçote. Tanto para fabricação ou importação.

    ResponderExcluir
  17. Raphael Hagi, não se esqueça que esse cabeçote já é usado aqui no Fire 1.4 EVO, porém na versão 8V.

    Bob, tenho curiosidade de ver a tocada desse motor. Duas coisas me chamam atenção: Os dos cilindros sobem e descem juntos. Com isso, o motor em uma explosão a cada 360º! Deixar esse motor suave deve ter dado muito trabalho, caso tenham conseguido.
    Outra coisa é que os dois cilindros fazem com que o motor tenha um curso de pistão digno de um 2.0 4cilindros, porém para chegar a módicos 0,9L. A potência deve ser bem distribuida pelas baixas rotações com um "braço de alavanca" desses.

    ResponderExcluir
  18. Bob,

    64mpg aqui seria algo campeão considerando que não é Diesel.

    Já a fábrica do México para o Cinquecento é verdade uma vez que o carro vai ser vendido aqui.

    Com 64mpg eu faria minha viagem ida e volta ao trabalho todo o dia gastando apenas $4. Hoje gasto 3x mais do que isso.

    ResponderExcluir
  19. Bob,

    Quando voce diz que é 4 válvulas, seria 4 v por cilindro? Imagino que sim.

    Minha moto tem 2 cilindros v-twin, 1.900cc e 4 válvulas por cilindro. Gasta bem mesmo sendo injeção, etc ainda que refrigerada à ar tem que gastar mais mesmo.

    Esse carrinho tem os cilindros em linha em imagino, não é?

    Acho impressionante isso tudo. Aqui com certeza se for Amarelo vão chamar de Luigi com referência ao personagem do Cars que tinha uma loja de pneus.

    ResponderExcluir
  20. O acionamento das válvulas é totalmente diferente. O cabeçote não deve ser o mesmo. Onde estão os detalhes técnicos do motor?

    ResponderExcluir
  21. Agora ficou bem mais interessante. Se fizessem uma versão em escala 3/4, ficaria perfeito.

    ResponderExcluir
  22. Raphael Hagi,
    Estou procurando detalhes, publico assim que os tiver.

    ResponderExcluir
  23. Nico acima da lei09/07/10 19:14

    ta, e.... esses vidros escuros ai da foto?

    ResponderExcluir
  24. Scheidecker,
    Quatro válvulas por cilindro sim. O motor é twin, dois cilindros em linha, pistões movimentam-se juntos.

    ResponderExcluir
  25. Provavelmente é um tanto pesado pelo tamanho do carro. Imagina esse motor num Mille!

    ResponderExcluir
  26. É eco-favorável sim mas...
    - underpowered
    - underdurable
    É preciso pensar na durabilidade também. Não tem como fazer motor de grande hp/l e durável.
    Motor de Corvette, por exemplo, dura 1 milhão de km fácil.
    Se colocar o custo de manutenção junto, será que vale a pena?

    ResponderExcluir
  27. Eu também fico em duvida sobre a durabilidade, mas é impressionante ver a Fiat colocando o que tem de mais moderno em um motor justamente no menor de sua linha, quando o normal são essas tecnologias aparecerem só nos motores de ponta.

    Bob, aqui tem umas imagens muito interessantes que poderiam ilustrar esse post, deve ser divulgação da fiat: http://www.noticiasautomotivas.com.br/fiat-500-vai-ganhar-motor-twinair-de-85-cv-em-setembro

    ResponderExcluir
  28. Mais algumas pérolas do Bussoerrodeprojeto.

    ResponderExcluir
  29. Bob,

    Tem como conferir essas informações? se os 2 pistões são paralelos e sobem e descem juntos ele tem sequencia de ignição simétrica, uma explosão a cada descida de um dos pistões e vai vibrar como um grande monocilindro, e uma arvore contrarotativa apenas não vai zerar o balanceamento dele, nesta hipotese serai necessárias 2, com o dobro da rotação do girabrequim como nos motores de 4 em linha como os Mitsubishoos, Fiats, Lancias e MWM 229-4.
    Se forem alternados, um no PMS e outro no PMI, sim, uma unica arvore com rotação identica e oposta ao girabrequim vai anular o binário resultante da alternancia dos pistões. Mas a ordem de ignição não é simétrica, vamos ter uma explosão, depois mais 180° de rotação do eixo, mais outra explosão, mais 540° para depois termos outra.
    Neste ponto, fica a critica construtiva ao arranjo. A Fiat tem boa experiencia com acerto de L5, que é o mesmo arranjo básico e diagrama de forças que um L3. O tres em linha seria muito mais interessante dinamicamente que o L2 e muito mais fácil de alisar e deixar bem zerado de vibrações. Essa escolha pelo 2 cilindros eu juro que não entendi. Ah, tá, caramba, esqueci, me atrapalhei nessa, num tem 8, não posso entender mesmo!

    AG

    ResponderExcluir
  30. AG
    Tive uma Honda CB 450 que era bem lisa, e era twin junto.

    ResponderExcluir
  31. Nico acima da lei,
    Não me parece vidro escuro além de um esverdeado de série. Deve ser efeito de reflexo. Na Europa é proibido vidro do motorista que não proporcione visibilidade decente.

    ResponderExcluir
  32. Fabio,
    A vibração zero num bicilíndrico é impossível. Temos que esperar para ver. Note nas fotos com o volante do motor deve ser pesado. É para ajudar nisso também.
    Não vi sua pergunta sobre acordo com a União Europeia, falha minha. Acho muito díficil que saia. Os europeus querem que a tarifa de importação dos países do Mercosul desapareça, mas não abrem mão dos subsídios para a agricultura. Difícil.

    ResponderExcluir
  33. Essa árvore contra-rotativa, no motor 4G63 do Eclipse rouba quase 15cv.
    Não acho uma solução muito viável num motor tão pequeno onde cada cv é importante.

    ResponderExcluir
  34. Bob,

    Com a explicação do AG sobre os tempos de explosão ficou nítido que para anular as vibrações de um bicilíndrico é complicado mesmo quando se tem ignição alternada. Agora vai entender o porquê dos engenheiros terem feito desta forma...

    Quanto à abertura de livre comércio, a matéria que li anteriormente foi esta:
    http://www.noticiasautomotivas.com.br/as-vantagens-dos-acordos-de-livre-comercio/

    Hoje procurei novamente e olha o que saiu na folha recentemente:
    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/758685-mercosul-e-uniao-europeia-negociam-acordo-de-livre-comercio.shtml

    Agora eu não sei se o assunto evoluiu, acredito que se tivesse evoluído algo teria sido publicado.
    Só nos resta torcer... hehehe... e que a resolução seja benéfica para o Brasil, não adianta baixar o preço do carro e "danar" com a balança comercial, não é?
    Infelizmente é fato que com o acordo exportaremos ainda mais produtos com valor agregado muito menor do que os produtos que importaremos. Na minha visão, esta resistência entre os blocos econômicos só atrasa o desenvolvimento mundial, como seria bom se as coisas fossem mais fáceis, mais justas... mas quando entra $$$ na jogada... já viu né, é a fuckin natureza humana!
    Desculpem-me pelo pequeno desabafo.

    Abs

    ResponderExcluir
  35. Não tinha visto que você adicionou as fotos do motor, realmente a proporção do tamanho volante/motor parece incomum.

    ResponderExcluir
  36. Ricardo,

    Tenha certeza que no caso do 4G63, um dos motores mais espetaculares jamais feito, esse são os melhores 15 vcvs que se pode perder. SEm as arvores, no caso 2 paralelas ao girabrequim e com velocidade angular duplicada em relação ao mesmo, o motor vibraria de verdade e seria bem desagradável de dirigir o veiculo.

    Fábio,

    Voce precisa ver o tamanho e o peso de volantes motores de motores monocilindricos diesel de uso agricola, tem casos de volantes que pesam 90 quilos. Isso mesmo, não é erro não, 90 quilos.

    ResponderExcluir
  37. busso-erro-de-projeto foi boa e é interessante notar como os fãs de fiat tem obsessão pelo primeiro lugar de vendas do gol. desencana, gente!

    ResponderExcluir
  38. "Mais algumas pérolas do Bussoerrodeprojeto." [2]

    doutorado na Uniban é isso aí

    ResponderExcluir
  39. Quanta ignorância.
    Uniban nem sequer tem cursos de Doutorado homologados pelo MEC.

    Aliás, pessoal do AE, não está na hora de se banir os comentários anônimos? Ou o cara se identifica de alguma forma, ou cai fora. Garanto que o ambiente aqui ficaria muito mais limpo.

    ResponderExcluir
  40. comece caindo fora vc, seu dotorzinho mequetrefe.

    ResponderExcluir
  41. Acho muito legal está compacto carrinho...e cada vez mas a Fiat inova com ele

    abraço!

    Fernando Gennaro

    ResponderExcluir
  42. Em um outro fórum, comentou se que o motor do novo Uno seria um bicilindro. Mas por causa de um estudo (que não sei bem o que se trata), avaliaram que é melhor deixar para depois.

    Devem estar querendo um amadurecimento dos clientes do mercado nacional, sei lá.

    ResponderExcluir
  43. Esse motorzinho deve durar bastante pois gira sem exagero
    (5500 RPM) e tem taxa de compressão normal.

    O torque dá conta pois é próximo aos valores de carros 1.6 e ocorre bem cedo (máx 1900 RPM).

    Em condições normais deve girar só na "manha" pois o torque em baixa evita muitas trocas de marcha resultando em elasticidade e economia de combustível.

    Os caras fizeram a lição de casa !

    ResponderExcluir
  44. Peraí, desde quando motor bicilíndrico é sinônimo de modernidade e tecnologia?

    Pode ser algo curioso e diferente, mas é como o Renault Logan: feito para país subdesenvoldido.

    Depenou-se tanto os carros que agora partiram para depenar de vez o motor. Jogo duro (e sujo)!

    ResponderExcluir
  45. poutz que cara chato esse bussocharanga.
    depenado é você, de bom senso!

    ResponderExcluir
  46. 875 cc de cilindrada. por que não 1000 cc?

    ResponderExcluir
  47. Sendo a atual equivalência de cilindrada para motores superalimentados considerada como 1,7, até para fins de competição, conforme determina a FIA, esse motor de 875 cm³ corresponde a um de aspiração natural de 875 x 1,7 = 1.487 cm³, apropriado para o porte e objetivos do carro.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...