Google+

28 de agosto de 2010

CHEVROLET SUBURBAN, 75 ANOS


O primeiro modelo, 1935, acima e abaixo, em uso típico familiar


Imagine um carro que você poderia comprar aos 18 anos em 1935, em plena depressão econômica, e hoje, com 93 primaveras, ainda poderia acordar, pegar seu cofrinho, ir a um concessionário e sair com um zero-quilômetro.

É o carro dos seguranças do presidente americano.  Já carregou gente, carga, rebocou barcos, motos e outros carros. Serviu as forças armadas, polícia, bombeiro. Foi ambulância. Carregou  armas e blindagens de todo tipo. Faz parte do cotidiano de muitas famílias. Com tração em duas rodas ou nas quatro. Existe há 75 anos, sendo o nome de carro mais antigo de todos, o primeiro a chegar a essa idade.

Não dá para chamar apenas de carro, pois é derivado de picape e tem tantas utilidades que transcende o simples termo "automóvel".

Esse pedaço de história móvel atende pelo nome de Chevrolet Suburban.

Ninguém ainda chegou a essa idade. Marcas sim, claro, mas modelo, nome, é o primeiro. No ano em que foi lançado, começavam os filmes coloridos de cinema. Nem a GM sabe quantas foram produzidas ao certo, mas o mínimo de 2.250.000 é certeza. A maioria delas após 1963. De lá até agora, são 2 milhões. Nem mesmo durante a Segunda Guerra Mundial teve a produção interrompida, pois foi usada para muitas funções pelos americanos e aliados.

Em 1941, com farda.
Os tempos mudaram, quase tudo é diferente, mas o carro continua sendo uma opção maravilhosa para carregar muita bagagem e bastante gente. O primeiro levava 8 passageiros e assim foi por muitos anos. Agora são 9 lugares, em 3 fileiras de bancos. Se removermos a terceira fila, e bascularmos a segunda, cabem simplesmente 3.891 litros de bagagem lá. Imaginem quase 4 caixas d’água, daquelas de amianto que não existem mais, dentro de um carro. Sem alterar a configuração dos bancos, um porta-tudo de 1.297 litros, que pode ser considerado uma caverna, pois cabe um urso hibernando.

Modelo passageiros, 1951
A ideia do Suburban nasceu da necessidade de um furgão grande, e a base lógica foi uma picape pequena, o chassis para meia ton (454 kg, difrente de meia tonelada métriica, 500 kg) de carga, com 112 polegadas (2.840 mm) de entre-eixos, tracionado pelo motor 6-cilindros em linha, 3,4 litros e 60 hp/60,8 cv, o famoso Stovebolt. O primeiro modelo foi chamado Suburban Carryall ou "carrega tudo", totalmente apropriado. Pensado principalmente para o usuário comercial, lo.go começou a ser  vendido para famílias grandes, algo tipicamente americano, nos anos pós-depressão econômica.

Em 1935 custava US$ 685, quando o preço médio de uma casa era de US$ 1600, e um galão de gasolina, 19 centavos. Como um galão é 3,785 litros, o litro custava 5 centavos de dólar.

Durante os anos 30, várias fábricas ofereciam furgões baseados em carros, com painéis laterais de madeira e tetos de lona. A General Motors fez o primeiro todo em aço, o Suburban. A vantagem de não ser baseado em carro, mas sim numa picape, foi lentamente ganhando a preferência dos usuários que apreciavam a durabilidade, principalmente para  transporte de cargas.

Foi e ainda é bastante usado também para puxar reboques, pois desde o início o motor sempre foi acertado para bastante torque em baixa rotação. Trêileres atrelados a Suburbans eram uma visão comum em estradas americanas. 

Mas o conforto de passageiros também guiou o desenvolvimento, pois cada vez mais as famílias aumentavam de tamanho, e acompanhando o babyboom de logo após a Segunda Guerra Mundial, a GM acertadamente trabalhou para aumentar os itens nesse sentido para os clientes,  criando uma ventilação de fluxo que incluía saídas de ar, além das entradas já existentes. Isso foi em 1947, seguido de vidros verdes em 1953, a famosa transmissão Hydramatic em 1955 acoplada ao não menos famoso V-8 small block, bem como os pneus sem câmara. Para 1957, tração nas quatro rodas. O ar-condicionado veio em 1965, e daí para frente, tornou-se um equipamento de série.
Versão escolar, 1959
Mesmo não existindo o termo SUV (sport utility vehicle, veículo utilitário esporte) quando foi criado, o Suburban pode ser considerado o primeiro carro desse tipo. Pouco se pode entender o que seria considerado esportivo em um pequeno utilitário, mas o fato é que a versatilidade desse tipo de carro o faz apto a vários tipos de cargas, como os inúmeros equipamentos que os americanos sempre incentivaram, como bicicletas e barcos, por exemplo. Mas termos e categorias não importam, como sempre faço questão de frisar, o que interessa é o tipo de uso, e o quanto se gosta do veículo. Poderia ser chamado de utilitário de lazer, por exemplo.

Simplicidade bela, 1965
Fazendo um pouco de força, em 1968
Tudo azul em 1972, por fora e por dentro.

Em 1990, a mais parecida com a Grand Blazer, que tivemos por pouco tempo no Brasil, infelizmente.

Super brancas, 2002 à esquerda, e a versão Diamond, comemorativa, a direita.
Para a comemoração, a GM lançou a versão 75th Anniversary Diamond Edition, com itens de acabamento diferentes, mas todo o restante é igual aos carros de produção normal, inclusive as especificações técnicas. Com o motor V-8 de 6 litros, e câmbio automático de 6 marchas, reboca .4.354 kg, além dos 2.924 kg em ordem de marcha,. O motor tem 352 hp/356 cv a 5.400 rpm e 518 Nm /52,8 mkgf a 4.200 rpm, com uma curva bem plana, já empurrando fortemente desde 1.000 rpm.

As dimensões principais são 5.650 mm de comprimento, por 2.000 mm de largura e 1.950 mm de altura. Custa hoje a partir de US$ 40.635, nada barato.

Mas continua sendo uma das grandes realizações americanas, daquelas que são influentes a ponto de permitir um estilo de vida diferente do resto do mundo.

JJ
A grande família dos carros grandes. Grande carro !

Na vista lateral, pode-se ter uma pequena idéia do tamanho do porta-malas.

Logotipo comemorativo no volante
fotos: GM Media

29 comentários:

  1. É uma pena um carro desse aqui valer peso de ouro, mesmo nos modelos mais antigos... Imagino como deve ser bom fazer uma viagem grande com esse carro... Ir pra Argentina, Chile... deve ser muito bom...

    ResponderExcluir
  2. Eu cheguei a dirigir uma Veraneio 1990 e alguma coisa, já baseada na D-20. Não é uma Suburban, mas tem o mesmo porte. É um troço enorme, você do banco do motorista, vira a cabeça e olha para trás e tem aquela impressão que o veículo não tem fim...

    Esse tipo de carro aqui no Brasil só faz sentido longe da cidade, pois é grande demais para manobrar com desenvoltura no trânsito. Estaciona então, só ocupando vaga de dois carros pequenos. Os donos de F-250 que o digam.

    ResponderExcluir
  3. Realmente um GRANDE carro... Ou um pequeno ônibus?

    Me recordo que no início da década de 1990 havia uma no interior onde eu morava. Devia ser "80 e lá vai cacetada". Era "imensa" para quem estava acostumado com as dimensões das Belinas que meu pai possuía. E olha que uma Belina é ligeiramente mais comprida que uma Zafira, por exemplo...

    Certa vez pude fazer uma pequena viajem em uma dessas parecidas com uma Silverado. Me pareceu fraca. Só não sei precisar se era por causa do dono que não usava o "god blessed small block" ou se era o peso que prejudicava.

    Mas de fato é um senhor automóvel!

    ResponderExcluir
  4. Não pude deixar de me lembrar da Veraneio do meu avô carregada de netos e bagagens, nas muitas viagens que fizemos de São Paulo para sua fazenda, no interior. Sou um defensor ardoroso de carros antigos mantidos originais em seus mínimos detalhes, e, curiosamente, ela é o único veículo que eu gostaria de ter um exemplar totalmente original, e outro personalizado. O personalizado, com certeza teria carroceria e interior azuis.
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  5. Toda razão do mundo para o pessoal lembrar da Veraneio ao ver a Suburban, pelo simples fato de a nossa velha de guerra nada mais ser do que uma Suburban da geração de 1960 a 1966 com outra carroceria.
    E a nossa inclusive adotou algo que a Suburban americana só teria a partir da geração de 1973 a 1991: quatro portas. Enquanto nossa Veraneio sempre as teve, nos EUA a coisa foi de maneira lenta, gradual e segura, com a geração de 1967 a 1972 tendo três portas (duas do lado dos passageiros).

    Porém, enquanto a deles foi evoluindo, a nossa estagnou. A segunda Veraneio correspondia à Suburban de 1973 a 1991, enquanto a deles evoluiu bem mais que a nossa...
    E, claro, nem preciso dizer o tamanho da burrada que foi a GMB ter desistido das pick-ups de grande porte e dos caminhões. Deixou o mercado de brinde para a Ford e só agora pensa em voltar...

    ResponderExcluir
  6. Só ví estes carros em filmes e seriados norte americanos.

    Realmente, se foi um carro memorável por aqui por um período curto, imagina no seu país de origem onde existe a mais de 75 anos. Uma lenda.

    Uma pena a GM preferir cair de nível para continuar vendendo seus carros por aqui. Até o fim da década de 90 era a marca dos carros modernos...

    ResponderExcluir
  7. Se for usada pra transportar pessoas e/ou (muito) peso é realmente um baita veículo.
    Uma pena um mastodonte desses hoje em dia ser mais usado como se fosse um carro comum.
    É algo que definitivamente não faz minha cabeça, a não ser que tenha que puxr um barco ou traller.

    ResponderExcluir
  8. tipo do veiculo que numca foi feio e sempre foi util , pessoalmente eu prefiro peruas familiares baseadas em sedãns ( sonho com civic sw..ou então uma stagea aqui no brasil aiai..stagea )mas me parece um carro muito franco forte e americano .

    ResponderExcluir
  9. Tem aos montes nos EUA. Principalmente no estado do Arizona. Achei linda.

    Acho os carros americanos muito bacanas. Dá a idéia de que eles valorizam totalmente o desejo deles em ter algo que os atenda. Enquanto nós ficamos nos apertado em carros compactos e motores fracos (que daqui a pouco virarão desculpa para a escochatisse), eles compram um carro que conseguem levar tudo o que precisam e que os atende com conforto.

    ResponderExcluir
  10. Para mim, entusiasta da marca, achei muito bacana o post...

    Além de saber um pouco mais a dentro das fases desta "carro" que é um símbolo do status de vida do Norte - Americano.

    Demais!!! Abraço a todos...

    ResponderExcluir
  11. O veiculo da quinta foto eu conhecia como chevrolet apache

    ResponderExcluir
  12. É isto mesmo: Chevrolet Suburban Apache. Inclusive há uma sendo vendida no "Mercado Livre". Agora, quem quiser ver várias Suburban sendo vendidas, pode procurar em "www.carsforsale.com".
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  13. Clésio,
    tive uma oportunidade similar, uma Veraneio das últimas, levando uns estrangeiros de um lado a outro por 3 dias. É um monstro mesmo, e espaço de sobra para todo mundo.
    O fato de não caber nas cidades é problema delas, não do carro. O carro está certo !

    ResponderExcluir
  14. Anônimo de 28/08:
    realmente voce está certissimo. A GM do Brasil entregou essa fatia de mercado, pequena mas muito lucrativa, aos concorrentes.
    Uma lástima.

    ResponderExcluir
  15. Marcelo,
    existem umas poucas Suburban em São Paulo, principalmente da década de 90.

    ResponderExcluir
  16. Caio Ferraresi.
    Além do que você disse, tem também o fato de que muitos americanos são de compleição física acima da média brasileira, e eles não cabem em carros menores.

    ResponderExcluir
  17. Thiago Santarosa,
    no site media.gm.com há fotos de toda a genealogia da Suburban. O acesso é livre, não é necessário senha de Imprensa. Divirta-se !

    ResponderExcluir
  18. Comparando nossa Veraneio com a Suburban de mesma geração (e plataforma), vemos o quão mais bem desenhada era a nossa.
    Aliás, a GMB foi boa de design em uns tempos, e isso fazendo alterações simples. Veja o quão mais bonito é o Opala em comparação ao Rekord C. E as alterações estilísticas foram mínimas.

    Ainda de bons desenhos da GMB, temos o dos Corsas Sedan e Wagon (que parecem terem sido feitos para aqueles tipos de carroceria desde o início e nem parecem ser adaptações de algo originalmente hatch), S10 e Blazer de 1995 a 2000 (a ponto de a Isuzu ter comprado estampos brasileiros para fazer a Hombre) e Meriva A. Por que a marca decaiu tanto a ponto de termos S10 e Blazer que são o rascunho do inferno, Agile, Celta e outros filhotes de cruz-credo?

    ResponderExcluir
  19. Tivemos uma prima não muito distante da Suburban, uma GM Veraneio 79, 6 cilindros, 4,3l e câmbio manual de 3 marchas, excelente carro.

    É uma pena que tenha sido extinto e achar que uma Toyota SW4 substitui uma Suburban ou Veraneio é uma ilusão.

    Meu sonho é recomprar uma Veraneio como era a da nossa família, só para passear nos fins de semana.

    ResponderExcluir
  20. Mister Fórmula Finesse30/08/10 09:17

    Ótimo post JJ, esse carro é uma instituição tão forte no imaginário americano quanto os muscle cars!

    O exercício de imaginação em relação ao jovem que comprou uma nos anos sombrios da depressão - e agora, decano ao volante - compra de novo o mesmo modelo é perfeita. Quase que a pendura econômica era bem semelhante.

    Nesse hiato temporal imaginário, existe milhões de estórias e casos que envolveram um carro tão querido no seu mercado.

    Tenho leve fetiche por esses carros, eu realmente gostaria de ter uma Veraneio da última fornada para empreender longas viagens...é um carro bárbaro para seu propósito, mas é tão raro quanto uma mosca branca de olhos azuis...

    ResponderExcluir
  21. Sempre curti a Suburban, um veiculo pratico e com um V8 sob o capo, e que pode trafegar tranquilamente a altas velocidade de cruzeiro com seguranca.
    Um sonho de consumo quando jovem, sonhando em levar toda turma pra praia, sem precisar de mais de um carro.
    Hoje ainda penso em adquirir uma, dos anos 90, minha preferida, ou mesmo uma Veraneio ultima geracao, com o 250S sob o capo, ou por que nao, um SBC V8.

    JJ, parabens pelo post.

    ResponderExcluir
  22. JJ,
    Muito boa essa do urso hibernar no porta-malas!
    Fazendo coro aos amigos, também sou muito fã de Veraneio, queria uma vermelha ou preta, mas está cada vez mais difícil achar uma em bom estado a um valor coerente. Volta e meia vejo uma muito bem cuidada em São Cristovão (RJ)... Durante os anos de chumbo, as Veraneios "chapa-fria" da repressão tocavam o terror em nossas ruas. Quando chegava "varrendo" a curva com a traseira, era melhor sair correndo porque o negócio ia esquentar... Ainda tiveram as Veraneios das corporações policiais que levavam o mesmo terror e o modelo foi tratado na música "Veraneio Vascaína" de Renato Russo e Flavio Lemos ainda na época do Aborto Elétrico.

    ResponderExcluir
  23. La na GM de São Caetano até pouco tempo atrás tinhas uma verde escuro e uma azul marinho, versão 1500. Faz um tempinho que não vejo elas. Agora ao passar perto do prédio da diretoria só se vê Captivas e Vectras Elite. A última vez que as vi, estavam carregadas de camisetas que seriam distribuídas aos funcionários. Eu não sou fã de carro grande, mas se é pra ser grande, que seja o maior. Sem meio termo. Sempre me chamou a atenção essa duas, com a alavanca de câmbio na coluna...

    Abraços

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Olá, meu pai possui duas suburbans, uma 1965 e outra 1966, uma modificada, mas a outra quase original. Está no meu album do orkut, para quem tiver curiosidade. Ate+!
    http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=17382800778195801093

    ResponderExcluir
  26. Simplesmente um carro muito bom, em recente viagem pela Florida aluguei uma ano 2010, estava com 20.000 milhas, cheirando a nova. Foram 7 dias de muita satisfação e prazer ao dirigir, andei com ela cerca de 500 milhas, incluindo duas viagens, de Canaveral a Orlando e depois para Miami. Quase chorei ao entregar na locadora...hehe!!!

    ResponderExcluir
  27. Charlinho Atleticano MG02/10/11 22:13

    Maneira, mas prefiro o FORD BRONCO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Encontrei muitas em Manhattan,por incrível que pareça,junto com outro monstro , a Cadillac, muitas
      delas só que bem mais caras.

      Excluir
  28. ADORO ESTES CARRÕES DA DÉCADA DE 70,FELIZMENTE A DOIS ANOS COMPREI UMA VERANEIO 76.POR SINAL ESTA LINDA.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...