Google+

29 de setembro de 2010

LEVE NA ESPORTIVA



Um leitor lembrou da propaganda acima, e não resisti em publicá-la. Peruas esportivas são coisas normais hoje, mas na época desta propaganda, só existia uma: a Caravan SS.

E, se especificada da forma certa (sem ar-condicionado e direção assisida, mas seis cilindros 250-S), estava no páreo do título de carro mais veloz do Brasil. Na verdade, num teste comparativo da revista Quatro Rodas com o Charger R/T e o Maverick GT em 1976, ambos V-8, um Opala SS bem parecido com esta perua chegou  190 km/h (182 no Maverick e 181 no Charger), sagrando-se o mais veloz carro do Brasil. Para desgosto dos Moparianos e Fordeiros, apesar de perder no 0-100, o Opala bateu todo mundo também na prova de 0-500 m e 0-1000 m.

Como a perua não devia ser lá muito diferente, trata-se de um carro realmente veloz. Mesmo que, um ano e pouco depois, a mesma revista testou uma magnífica Caravan SS6 laranja que atingiu apenas 165 km/h... Realmente é difícil de entender.

Mas para mim nada disso importa. Eu quero a minha em laranja!!!

MAO

56 comentários:

  1. Na época a GMB ainda honrava a sigla dos parentes americanos SS.
    Hoje qualquer porcaria com um kit de beleza é um SS

    ResponderExcluir
  2. Caro Mopar,

    Acho que não honrava muito não.

    SS era separated seats - bancos separados.

    E, assim como a GM com o SS, tinha a Ford com o Corcel GT, era tudo perfumaria, e adesivos.

    Claro, depois surgiu o Opala com o 6 cil. 250pol. aí é outra história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Super Sport, Separated Seats, Super Star; nunca uma sigla foi tão discutida como a SS foi, e ainda é, aqui no Brasil. Usada pela primeira vez em 1961 no Impala, a sigla significa Super Sport; então qual a polêmica? Em 1971, quando a GMB usou pela primeira vez a sigla, no Opala, usou-se Separated Seats, Bancos Separados em português, pois era o único modelo da linha a vir com assentos individuais; porém em poucos anos, outras versões disponibilizavam dos bancos separados, fazendo com que a especulação Separated Seats chegasse ao fim.

      Excluir
    3. Vamos eliminar o "Separated Seats" com mais um argumento: o par de bancos dianteiros individuais é descrito em inglês pelo termo "bucket seats" (em contraposição ao banco inteiriço – "bench seat"), nunca "separated seats" – este é o famoso falso cognato. Seria como chamar direção hidráulica de "hydraulic direction" (o certo é power steering).
      O mais óbvio seria o SS significar Super Sport, seguindo o nome criado pela matriz. Mas a General Motors do Brasil importou o termo sem adotar o seu significado oficialmente no lançamento do Opala esportivo.
      Com isso, André Gessner fecha a investigação com chave de ouro: "a GM tava mais perdida que sei lá o que….tá mais pra Sem Significado!!"

      Excluir
  3. Acho que menos de 1% dessas Caravans SS eram 6cc ... Praticamente todas eram 4cc ...

    Abraços,

    Badolato

    ResponderExcluir
  4. Curti o volante, os de hoje não são tão legais. O carro é bacana também, encontrar um inteirão hoje deve ser muito difícil.

    ResponderExcluir
  5. Nesse texto a GM, faz uma ginástica danada pra não usar a palavra perua. E um outro anúncio da Caravan daquela época buscava desqualificar a concorrência (basicamente a Belina e a Variant) com a frase "o resto é perua".

    ResponderExcluir
  6. Putz...

    Esta Caravan SS remeteu a um vizinho que tive, quando morava no interior, longíncuos 25 anos atrás.

    E a dele era "A" laranja, com umas rodas cheias de raios e cromada. Ficava um conjunto muito bacana.

    Pena que o proprietário era chato. Mas o carro era muito bonito, perto de Brasilia, Belina e do então novo, Quantum.

    Depois desta Caravan, a única perua "esporte" que me vem à cabeça foi o Quantum Sport.

    Alguém se recorda de alguma outra perua "nacional" esporte?

    ResponderExcluir
  7. João Gabriel Porto Bernardes30/09/10 01:09

    Em breve se tudo der certo e Deus quiser terei uma 151-S ,prata como a da foto,será meu primeiro carro...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. João Gabriel Porto Bernardes30/09/10 01:12

    Já tem até nome rsrs

    Trail Blazer(nada haver com o carro de mesmo nome da GM,mas sim de um nome que eu vi em um tanque na Guerra do Vietnã)rsrs

    ResponderExcluir
  9. Mister Fórmula Finesse30/09/10 08:08

    Ótima lembrança MAO!

    Realmente fuçando as Quatro Rodas antigas por modo digital, dá para ter um amplo escopo do desempenho dos Opalas com motor 250-S e com o 4100 normal.

    Esse teste eu li há alguns dias, e realmente o Opala massacrou a concorrência ao passar dos 189 reais de máxima. Claro que os testes eram realizados em uma reta bem maior que a de Limeira, que tira simplesmente uns 12-15 km/h de máxima em potencial desses carros. Mas para mim ficou evidente que diante dos V8's, o Opala era uma forte opção. O Dodge Charger em um teste anterior também tinha tocado nos 190 reais, mas em avalizações seguintes, dificilmente passava dos 180...

    A Caravan dos 165 reais também foi testada antes do advento de Limeira, por isso também me chamou a atenção essa variação de velocidade. Era mais lenta que os primeiros 3800, difícil mesmo de entender.

    Eu vejo uma SS dessas amarela desfilando volta e meia, com o quase inevitável motor 2500, mas ela é tão linda e cheia de bossa que dá pra perdoar seu ronco que fala muito mais em má reverberação do que o sussuro poderoso do seis em linha...

    Também gostaria de uma dessas, na minha infância, lembro vagamente de uma "azul carola" que tívemos e de uma bege, todas na variante mais simples e fraca da linha Opala, mas como você costuma dizer, ainda assim memoráveis!

    ResponderExcluir
  10. Mister Fórmula Finesse30/09/10 08:09

    João: vai começar muito bem a sua vida automotiva, meus parabêns!

    ResponderExcluir
  11. Eu tive uma Diplomata SL/E 6cc 1988 preta ... 4 marchas ... completíssima ... aquele carro andava uma barbaridade ... pena que começou a dar problemas (suspensão, câmbio e quetais)... aí ficou difícil ... mais pena ainda, que eu não tenho nenhuma foto dela ... minha esposa (que dirigia regularmente o carro na época), até hoje sente saudades daquela Caravan ...

    ResponderExcluir
  12. bAH, Aí pelos idos de 1991 meu tio teve uma idêntica a do anúncio, inteira de tudo.

    Uma dessas com alguma graça na suspensão e motor me satisfaria e muito.

    ResponderExcluir
  13. Tenho alguns antigos na garagem, mas minha modesta Caravan 4 cil 3 marchas continua sendo um dos que me dá mais prazer!

    ResponderExcluir
  14. Já bem mais recente e igualmente memorável é a Parati GTI 16V. Aquilo era um esportivo disfarçado mal e porcamente de perua, com desempenho e conforto melhor que alguns carros atuais do mesmo seguimento.
    Pena qua a Volks resolveu acabar com a linhagem esportiva do Gol...

    ResponderExcluir
  15. É vero, Marcos!

    Esqueci da Parati GTi 2.0 16V. Aquilo de Gol só tinha a carroceria e acabamento. O trem de força era praticamente todo Audi. E meio superdimensionado...

    ResponderExcluir
  16. Só tinha tamanho e safadeza.

    ResponderExcluir
  17. banco de BURROS cc não é Cilindros!!!!

    ResponderExcluir
  18. Francisco V.G.30/09/10 11:37

    Duas coisas de doer nesse folheto:
    1) Para quem redigiu o texto do anúncio, volume virou área ("1950 litros de área útil");
    2) Lá no pé da página: "Garanta o combustível de amanhã, respeite os 80". Tempos bicudos aqueles, coisa da nossa maldição energética, como diz o Bob.

    ResponderExcluir
  19. Mister Fórmula Finesse30/09/10 13:30

    Um ponto a ser destacado seria que hoje não temos mais peruas da Chevrolet; além do saudosismo que o anúncio evoca, constatamos com tristeza que a sucessora "espiritual" da Caravan é a Zafira...ou a Meriva.

    Que legal seria uma Vectra Station, em uma versão mais quente com o Ecotec 2.4 puxando a carga lá na frente, inclusive sua potência líquida é a mesma que os antigos valores brutos do 250-s, saudosimo e tradição em dose dupla!

    O mesmo podemos falar do pobre catálogo da Ford, nada de stations...

    ResponderExcluir
  20. Há quem pergunte por que não temos mais muitas peruas. Creio que o motivo é simples: não vale a pena pagar mais e não poder desfrutar de sua teórica maior capacidade do porta-malas. Salvo engano, o CTB não permite que se obstrua a vigia traseira de modo que só se pode carregar o bagageiro até a altura dos vidros. Assim, é melhor comprar um sedã e a bagagem vai toda fechada em compartimento separado, pagando menos.
    Creio que a Toyota Fielder carrega menos do que o Corolla equivalente, para exemplificar.
    AAM

    ResponderExcluir
  21. Mister Fórmula Finesse30/09/10 14:24

    Antonio, o que matou as peruas foi o surgimento da Scenic...foi como o meteoro dos dinossauros!

    ResponderExcluir
  22. A Caravan foi objeto de desejo até o fim dos anos 80, um fenômeno, as que ainda rodam valem muito mais que as concorrentes, Belina, Quantum etc.

    ResponderExcluir
  23. Meu avô teve uma (e muitas outras) exatamente como a da foto: prata, sem AC, mas com DH.

    Foi a época em que ele pegou mais multas na vida, hehehehe. Ele já era conhecido por diversos PRE e PRF.

    Eta tempo bão que não volta mais! :-(

    ResponderExcluir
  24. Grande Badolato e Anônimo das 29/09/10 22:56.

    Eu me referia a SS 250S,e não ha 151S

    ResponderExcluir
  25. João Gabriel Porto Bernardes30/09/10 19:29

    Obrigado Mister Formula Finesse!!

    Espero ter muitas alegrias com a escolha que fiz...

    Um Grande Abraço!


    Anônimo Anônimo disse...

    Só tinha tamanho e safadeza.

    30/09/10 10:42

    Caro Anônimo,

    Aqui é um blog de admiradores de automóveis, que os admiram independente dos seus pontos negativos ou positivos,acho melhor primeiro ao invés de ficar colocando posts anonimos,assumi-los,depois voltar para o lugar que eu acredito que você veio,blogs de papéis higiênicos rebaixados e cheios de som,sem graça e toscos pra mim...

    ResponderExcluir
  26. Até hoje, os Caravan SS são os carros nacionais que me fazem suspirar quando vejo passando um por aí...

    Tive um Caravan 1988 4,1-litros a álcool. O desempenho era muito bom, principalmente as retomadas. Fiquei com o carro 9 anos, mas tive que vender por não ter como usar as duas vagas da garagem de meu apartamento (o Caravan ocupava as duas para não atrapalhar a passagem...) Mas ainda planejo ter outro futuramente, desta vez devidamente apimentado com um V8 sbc na frente, algo como um "SS8"!

    Também sinto muitas saudades dos tempos que havia mais opções por "peruas" no mercado nacional. As micro-mini-vans são medonhas...

    ResponderExcluir
  27. Felipe Massa30/09/10 21:36

    ESSE ANÚNCIO DEVERIA SER:

    "LEVE NA TRASEIRA"

    ou

    "O CARRO QUE IMITA O DONO, LEVANDO NA TRASEIRA..."

    ou

    "LEVANDO UM PESADO NAS COSTAS..."

    ResponderExcluir
  28. Engraçado que os piores carros brasileiros são os mais idolatrados: Opalas e Darts. Imagem é tudo.

    ResponderExcluir
  29. Melhor que idolatrar um 1.nada qualquer...

    Como outro dia o MAO (Foi o MAO? Não me recordo...) comparou Opala com o Agile. O carro novo anda tanto quanto o "vovô", tem números melhores e nem por isso é tão icônico pelo conjunto, como foi o Opala para a época dele, perante seus concorrentes.

    ResponderExcluir
  30. João Gabriel Porto Bernardes01/10/10 08:51

    Já to sacando....

    Esse anonimo aí é o Roberto Zullino kkkkk

    ResponderExcluir
  31. João Gabriel Porto Bernardes
    Tem jeito dele mesmo. Mas ele pode voltar quando quiser, foi apenas suspenso, não expulso. É um leitor-entusiasta atento e competente, mas tinha algum problema de freio na língua...

    ResponderExcluir
  32. Fiz uma busca e vi que o senhor Roberto foi quase massacrado devido opinião sobre o Opala. Mas é um fato, no Enveno, troca-se tudo no carro para ainda ficar meia-boca. Não sei o motivo pelo qual atacam as pessoas e não seus argumentos. Será que é porque não existem ou são fracos?

    Pelo que consta do seu blog ,ele foi expulso montado numa Vespa Rá Rá Rá...

    ResponderExcluir
  33. Não sei, acho que é chover no molhado, mas o Opala foi o melhor carro nacional a seu tempo, especialmente depois da descontinuação do Galaxie, apesar deste não ser concorrente com aquele.
    É óbvio que hoje, passados tantos anos, com a abertura das importações e a proliferação das marcas instaladas no país temos carros melhores. Ainda bem.
    A comparação direta é impossível.
    Tem mais: o Opala era relativamente barato pelo que oferecia e talvez aí esteja seu maior mérito. Era possível adquirir um coupè esportivo sem coluna central de desempenho empolgante sem medo de ser feliz!
    Saudades . . .
    AAM

    ResponderExcluir
  34. "tão icônico pelo conjunto, como foi o Opala para a época dele, perante seus concorrentes"

    Nem à sua época ele era tudo isso. Hoje então nem se fala, mas o interessante é que os fanáticos têm convicção do contrário.

    ResponderExcluir
  35. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  36. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  37. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  38. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  39. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  40. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  41. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  42. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  43. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  44. A GM sempre foi muito respeitada, até pela concorrência. Opala, Omega, Vectra B, Corsa em 94, Blazer em 96. Hoje, é um arremedo de montadora que só fabrica carros extremamente obsoletos e sem graça.

    ResponderExcluir
  45. Luís Otávio Pires01/10/10 17:06

    ô Fabrício Samahá. Não precisa repetir isso mil vezes.

    Vais ficar sem carro de imprensa por mais 2 anos.

    Faz igual todo mundo, fala que tá tudo bom, depois inventa um defeito bobo - um carpete fino no porta-malas, falta de bate-pé - que aquela Captiva tá garantida pra suas férias.

    ResponderExcluir
  46. João Gabriel Porto Bernardes01/10/10 20:42

    Pois é Bob ,percebi,aliás vi o tópico irônico que ele postou no blog dele sobre a lambreta...poxa ele parece que não teve juventude....
    rsrsrs

    Abraços!

    ResponderExcluir
  47. Tão leiloando a Lambreta do Clodovil.

    ResponderExcluir
  48. Se o Opala era mesmo ruim à época do lançamento, o que era o resto?

    ResponderExcluir
  49. Sou fã da linha Corcel por motivos inexplicáveis... Minha opinião sobre eles seriam um tanto tendenciosas.

    Mas, para a época, será que poderíamos comparar um Opaça com Corcel, VW TL, Simca, Belcar, etc? Valha me Deus! Sem comentários...

    Até a abertura dos portos, o único carro que "faria frente" ao Opala, acredito que fosse o Galaxie/Landau.

    Qual carro nacional que poderíamos comparar com ele, na década de 80? Del Rey? Santana? Premio?

    Por essas e por outras razões ainda acredito sim que o Opala foi um ícone para a época dele.

    ResponderExcluir
  50. Nunca nem dirigi um Opala/Caravan pra falar, mas respeito estes carros.

    Agora... faz tempo que estou por fora do que está rolando no AE, muito trabalho... sabe como é...

    Mas, Zullino suspenso? Sério isso? Isso é possível nesta ferramenta? se sim, só lamento...

    Sds

    ResponderExcluir
  51. Realmente, assim como os opalas as caravans eram sinônimo de carros velozes.
    É importante lembramos das Mareas Weekend a dos Omega Suprema, tão belas e velozes assim como a Caravan aqui citada.

    []`s
    ZAU

    ResponderExcluir
  52. Só pergunto aos amantes do Opala o seguinte: Como era na hora de fazer curva???

    Disso ninguém fala. Parece que esportivo só anda em linha reta. E nisso, o os Dodge dava de 1000 a zero no opalinha...

    ResponderExcluir
  53. MAO, talvez a baixa velocidade final atingida pela SS testada pela QR tenha a ver com a pista de testes usada. Lembro que bem no início dos anos 80 ela passou a usar a pista de testes da Freios Varga, com um retão de apenas 1800m, muito pouco para que a maioria dos veículos testados pudesse atingir a máxima real. Basta conferir nas edições daquela década a quantidade de "145Km/h" que aparecia nas tabelas dos testes. Carros especiais, como a F40, tinham que ser testados na pista de Viracopos, para que os números ficassem mais próximos da realidade. A Motor3, embora não usasse os equipamentos sofisticados da QR, tinha números mais próximos da realidade.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...