Google+

24 de outubro de 2010

EFEITO COLATERAL


A proliferação dos dispositivos que fotografam o avanço do sinal de trânsito, mais conhecidos como pardais, é perceptível a qualquer um que more nas grandes capitais. Infelizmente com cunho arrecadatório, comprovado nesta matéria do jornal Extra, são mais armadilhas do que ferramentas para reduzir acidentes.

Mas um fato que venho notando, e que considero grave, é que nos sinais que possuem o tal dispositivo, os motoristas ficam impassíveis ao escutar a sirene de uma ambulância ou caminhão dos bombeiros. Em um sinal sem pardal, na mesma hora o pessoal da fila da frente avança um pouco, libera espaço para o de trás chegar para o lado, todo mundo se ajeita e a ambulância passa. Mas se tiver pardal, o paciente periga morrer, pois ninguém se mexe. Fica a pergunta: quem paga a multa?

AC

39 comentários:

  1. Pois é, a ignorância sempre prejudica alguém, em maior ou menor grau. Nesse caso é o passageiro da ambulância.
    Esses dias eu estava parado no sinal e atrás vinha uma ambulância com sirene ligada. Eu era o primeiro da fila esquerda, e fiz o possível para me esquivar para perto do canteiro central. Quando fiz isso, olhei para o carro do meu lado direito, na fila do meio, e a senhora estava com o celular na orelha, totalmente atrapalhada, sem saber se segurava o equipamento ou engatava a marcha e movia o carro (!!!).

    Nesses momentos só resta rezar, pois a vida que corre risco poderia ser a nossa.

    Pedro Bergamaschi

    ResponderExcluir
  2. Engraçado que radar que lê placa serve para multar rodízio, mas para pegar carros roubados ou irregulares não serve...

    ResponderExcluir
  3. Pois se tiver pardal eu não avanço. O paciente vai ter que esperar o sinal abrir, pois eu não vou pagar multa. Se o paciente quiser reclamar, que reclame com o estado que fez isso.

    ResponderExcluir
  4. O importante é que você leu, autoentusiasta. E, se cenurou, é porque sabe que é a mais pura verdade. Sabe como é, o autoentusiasta, daqueles que "gelam" quando enxergam a fiscalização de trânsito, sabe muito bem quando está fazendo merda.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Também já me perguntei: Quem vai pagar a multa?

    Pior se vc der o azar de quando a ambulância passar o farol abrir. Daí não terão fotografado a placa dela para ter a prova...

    Eu acabo andando sempre na direita por causa disso. Não quero tomar a multa e perder meu dia recorrendo nem muito menos deixar alguém morrer por causa disso. Sim, tiro o meu da reta.

    Esta cada vez pior dirigir por aqui... um saco, mesmo. Um dia quase perdi a entrada na marginal pois quando fui ultrapassar o caminhão, fui surpreendido por um radar. Minha atitude? Ao invés de ultrapassá-lo, tive que freiar...

    Tudo pela segurança, ainda que isso soe altamente contraditório.

    ResponderExcluir
  6. Sorry for my bad english. Thank you so much for your good post. Your post helped me in my college assignment, If you can provide me more details please email me.

    ResponderExcluir
  7. O efeito colateral na minha opinião são todos os aparelhos GPS e outros aplicativos para celular com GPS e internet que avisam os motoristas de blitzes, radares móveis e fixos e etc.

    ResponderExcluir
  8. Já lí em algum lugar que é para dar passagem e depois recorrer da multa!
    É mole?

    ResponderExcluir
  9. Tento chegar o máximo para o lado, mas não avanço de jeito nenhum.

    ResponderExcluir
  10. Claude de Javel25/10/10 07:30

    Pelo jeito quem faz estas normas todas e instala os pardais NUNCA dirigiu um carro.
    E nas rodovias as placas que assinalam alguma saída ? Muitas vezes estão perto demais da saída não te dando chance de uma velocidade normal de raciocínio , quando não estão no meio da bifurcação.

    ResponderExcluir
  11. Antigamente haviam policiais de transito nas esquinas, estes paravam os infratores e davam multa + bronca, ai sim era valido porque educava,e olha que nem sempre multavam, essa situação aconteceu comigo logo no primeiro mes de habilitação, o policial apenas me instruiu sem multar,porque viu que eu tinha habilitação recente e tinha me atrapalhado,mas estes policiais foram deslocados para a segurança e ai sobram os marronzinhos que não tem poder de policia nem arma e por isso nunca param ninguem, so multam, que saudades...

    ResponderExcluir
  12. Esses pardais (bem como outros tipos de artifícios) são máquinas de arrecadar dinheiro. E só.

    Alguém aprende alguma coisa boa com esses espiões do governo?

    ResponderExcluir
  13. Quem paga a multa é quem cometeu a infração, no caso quem passou para o carro oficial transpor. Tem que anotar placa, número oficial e abrir processo pedindo anulação da multa, como qualquer outra. Por isso que ninguém sai da frente - ainda existe o risco do pedido ser indeferido.

    É o umbiguismo, a prefeitura arrecada, o motorista só pensa no bolso.. e assim o mundo se torna um lugar pior.

    []s

    ResponderExcluir
  14. Anônimo acima ˆˆˆ

    Não é questão do motorista só pensar no bolso, não. A questão é: Você deixa a ambulância passar, corre o risco de perder horas no detran para fazer o pedido, fora o risco de ter perdido tempo a toa mais ainda sabendo que tudo isso se deve a um sistema que na verdade é desnecessário.

    Já estudei na USP e na Unicamp. Ambas faculdades tem pessoas das mesmas regiões (ou seja, do brasil inteiro).
    Na USP está cheio de farol que abre e fecha de maneira burra e na Unicamp não há um farol sequer.

    Advinha em qual faculdade os motoristas param para você atravessar?

    Bem, daí até chegar na inutilidade dos pardais é uma questão de extrapolação de dados.

    ResponderExcluir
  15. Hoje tive a satisfação de ver a "indústria de multas" funcionando a todo vapor enquanto esperava pacientemente no trânsito engarrafado e vários autoentusiastas utilizaram-se do acostamento para poderem desenvolver melhor suas habilidades de pilotagem. O agente do Estado, devidamente escondido do outro lado da pista, esperava o "trânsito engarrafar" no acostamento, atravessava e começava a anotar as placas de todos os seguidores do Che virtual, aqueles que, assim como o próprio Che, imaginam possuir o dom divno de poderem estabelecer para si as regras segundo as quais devem ser julgados. Aposto que os autoentusiastas multados hoje pelo agente de trânsito também gelaram quando viram o oficial cumprindo a Lei. Fiquei com vontade de aplaudir. É uma sensação boa a de perceber que, as vezes, um consciente representante do Estado de Direito faz cumprir as regras e dá aos pilantras anarquistas exatamente aquilo que merecem por suas libertinagens. Torço até para que alguns dos idiotas anti-multa que escreveram asneiras por aqui estivessem na fila dos multados de hoje...

    ResponderExcluir
  16. Esse anônimo aí de cima não sabe nada de nada mesmo.

    Esse tipo de motorista é justamente aquele que nós, autoentusistas, mais execramos. São os Gérsons...

    Quanto à indústria de multas, até a mais poliana das polianas sabe que existe. Um exemplo: To cansado, mas cansado mesmo de ver IDIOTAS trafegando só com lanterna acesa, inclusive em rodovias (!!). Se tivessem sido multados uma única vez por esta conduta, não estariam mais andando como fantasmas. Mas radar não orienta, nem mesmo multa por uso incorreto da iluminação, falta de sinalização para mudança de direção ou de faixa, veículos lerdos na faixa da esquerda e mesmo veículos que, logo após passarem por pardal ou lombada eletrônica, alcançam velocidades de dragster.

    Adriano

    ResponderExcluir
  17. Esse Anônimo das 19:21 é um amor de pessoa.

    ResponderExcluir
  18. Caraca, o anônimo das 19:21 não aprende mesmo.
    Pois agora fiquei curioso: é possível que ele não tenha levado nenhuma multa injusta na vida morando no lisarB? aposto que nem dirige.
    E outra: o cheguevara era um fdp assasino, nada a ver com anarquia. Google, cara.
    Jornal Extra, cara.
    Você leu a matéria?
    Vai ver que trabalha na CET.

    ResponderExcluir
  19. Respondendo a dúvida do autoentusiasta acima: levei multa sim. Paguei e continuo batendo palmas para toda vez que um autoentusiasta transgressor da Lei é autuado por suas "liberdades". A Lei é pra todo mundo. Até pra imbecil autoentusiasta anti-multa.

    ResponderExcluir
  20. Carlos Mauricio Farjoun26/10/10 16:20

    AC,

    Estive recentemente nos EUA com um amigo meu que era marinheiro de primeira viagem. Pois eu tive que dizer a ele MUITAS vezes que lá não há radar em poste, pois a cada poste com algo estranho em cima, ele pisava no freio do carro. Parece que virou instintivo pra ele dirigir olhando para o alto dos postes e freando quando vê algo que possa parecer uma câmera.

    Quanto às multas para os espertinhos do acostamento, aplaudo. Estes MERECEM muito mais a multa do que aqueles que se distraem na velocidade e cometem o "gravíssimo erro" de dirigir olhando pra frente em vez de olhando pro velocímetro, sendo pegos pela indústria da multa dos pardais.

    Recordo-me de uma vez no trânsito lento da Castelo Branco ser ultrapassado pelo acostamento por um Corsa. Poucos metros após, vejo o mesmo Corsa parado com uma motorista patricinha conversando com o policial que a parou. Achei muito bem feito pra ela, a lei é pra TODOS, inclusive pra ela.

    ResponderExcluir
  21. Se, nessa hipotética esquina, o avanço de sinal fosse fiscalizado por um agente de trânsito - posicionado ostensivamente, como manda a boa ética administrativa, e não escondido, ao gosto do Anônimo das 19:21 -, ninguém teria que se preocupar com a multa.
    Qualquer policial minimamente preparado sabe que os motoristas têm o dever legal de abrir caminho para um veículo de emergência.
    Então, nenhum motorista que avançasse o sinal nessas condições poderia (ou deveria) ser multado: se o cumprimento de dever imposto por lei afasta até mesmo a existência de crime (artigo 26, III do Código Penal), também o faz em relação à infração de trânsito, evidentemente menos grave.
    Mas o pardal jamais entenderá isso.

    ResponderExcluir
  22. A mulher pega o marido no flagra com a amante e pergunta como é que ele pôde fazer aquilo com ela. Ele responde que não teve culpa de nada. Só fez porque a outra deixou.
    Na cabeça dos "esclarecidos" autoentusiastas, essa explicação vale, e ainda resgata qualquer dúvida sobre a boa moral do marido traidor.
    A verdade é que, apesar de todo blá blá blá de quem acha que sabe o que fala, só "acha" radar, ou agente de trânsito, escondido, o motorista que não respeita a Lei.
    E aí não vale querer desqualificar o agente do Estado por adotar medidas para flagar o desrespeito dos "bons motoristas". Vai ver a culpa do flagra no marido é da mulher que seguiu o coitado até o motel.
    A verdade é que, se existe lobby em matéria de legislação de trânsito, ele é dos pilantras, bandidos e infratores. Só aí se entende o Contran legislar a favor de obrigatoriedade de sinalização de radar fotográfico.
    Mas há que se relevar. Nem todo mundo que imagina conhecer o Direito compreende o seu sentido. Para alguns paspalhos descompromissados o valor da Lei como alicerce do sentido jurídico do Estado para cada cidadão é muito menos importante que sua própria vantagem pessoal imediata, ainda que, nesse caminho de subversão do sentido da norma, se enfraqueça a mais profunda raíz que sustenta o Estado.
    Típica atitude dos autoentusiastas. Que gelam ao ver a fiscalização de trânsito, mas acham possuir toda legitimidade do mundo para apontar o dedo para o erro alheio.

    ResponderExcluir
  23. Ele não desiste... rs

    Ou é mais um caso de analfabetismo funcional ou é caso perdido mesmo.

    Adriano

    ResponderExcluir
  24. Acho que o anônimo dos radares deve se sentir realizado quando passa por um radar e não toma multa, pois a coisa tá tão feia que isso poderia virar um joguinho de computador e seria divertido ainda.

    Vai ver que o alicerce do estado nos estados unidos sem radares nos postes está todo ruído, porque é um país cheio de acidentes, que nem no Brasil [ironia].

    Mas ele [o anônimo] tem esperança no Brasil. Realmente acha que o governo está preocupado com segurança...

    Só falta a Dilma ganhar e aumentar mais os impostos, como fez o Lula logo depois de prometer que não aumentaria e nem faria muitas medidas provisórias.

    O cara mistura uma ação correta do agente da lei (tráfego no acostamento) com pardais. Tá certo, a estratégia foi a mesma, o policial esperou os caras entrarem no acostamento para multá-los. O que o anônimo não entende é que RADARES - repito, RADARES - são literalmente e deliberadamente colocados apenas para arrecadar multas. Por que? poxa vida anônimo, entenda uma coisa: as velocidades máximas da maioria das vias no Brasil são irreais (muito mais baixas do que o necessário), como já foi dito aqui e em qualquer lugar que se escreva sobre indústria de multas. Fora o que já se viu de radares logo após uma placa de velocidade mais baixa que a anterior, que não dá tempo pro cara freiar e dá-lhe multa. É impossível não pensar que foi feito só pra enxer o saco.

    Olha por exemplo a matéria da revisa citada no post: um monte de gente honesta tomando multa no sinal porque os caras botam muito pouco tempo no amarelo (tá bem, pode ser só imcompetência) e o cara ainda apóia? Será que não entendeu ainda o enfoque do post?

    Já disse aqui e vou dizer denovo: ninguém aqui quer desrespeitar lei, que apenas conseguir cumpri-la sem andar por aí com medo de se ferrar em cada esquina, porque mesmo fazendo a coisa certa ainda assim as multas vêem.

    Quantas vezes a pessoa ultrapassa o limite de velocidade sem ver? e não me venha falar de falta de atenção denovo, porque isso acontece somente porque quase sempre dá para andar tão mais rápido do que as placas sugerem (mandam) que a pessoa cansa de controlar o tempo inteiro a velocidade forçando o pé para cima (e eu estou falando de uma viagem tranquila, não venha distorcer as minhas palavras não).

    Isso sem falar na deseducação que os radares e lombadas causam. Você não acha que um pouco mais de coerência nesse país seria bem vinda? Porque eu não consigo acreditar que alguém não perceba o cunho arrecadatório de quase tudo o que o governo faz em nome da "segurança".

    Os autoentusiastas gostam de correr? sim. Eles correm? sim, de vez enquando. E tomam multa por isso? às vezes sim, às vezes não. E quantos já mataram alguém no trânsito por causa de uma corridinha? nenhum. Eu disse corridinha, cara. Correr um pouco a mais quando a situação permite é diferente de estupidez. Qualquer corrida merece uma multa? talvez.

    Mas essa NÃO É A QUESTÃO, CARACA. Estamos aqui falando de armadilhas para pegar gente que não corre, pois não precisa correr para tomar multa (não venha dizer que ultrapassar o limite de velocidade, quando este é muito baixo - maioria das estradas - porque não é). Você acha que uma estrada com limite de 120 KM/h dá lucro (multas)? (já vi algumas privatizadas). E por que será que ninguém "desrespeita" a lei nelas...

    E isso só acontece no Brasil. A frase anterior não lhe diz nada não? Você pode argumentar que o cara não devia ter desrespeitado a placa, ou qualquer outra coisa, que nada justifica a cafagestagem que as autoridades de trânsito fazem com o povo.

    ResponderExcluir
  25. Acho que o anônimo dos radares deve se sentir realizado quando passa por um radar e não toma multa, pois a coisa tá tão feia que isso poderia virar um joguinho de computador e seria divertido ainda.

    Vai ver que o alicerce do estado nos estados unidos sem radares nos postes está todo ruído, porque é um país cheio de acidentes, que nem no Brasil [ironia].

    Mas ele [o anônimo] tem esperança no Brasil. Realmente acha que o governo está preocupado com segurança...

    Só falta a Dilma ganhar e aumentar mais os impostos, como fez o Lula logo depois de prometer que não aumentaria e nem faria muitas medidas provisórias.

    ResponderExcluir
  26. [continuando]

    O cara mistura uma ação correta do agente da lei (tráfego no acostamento) com pardais. Tá certo, a estratégia foi a mesma, o policial esperou os caras entrarem no acostamento para multá-los. O que o anônimo não entende é que RADARES - repito, RADARES - são literalmente e deliberadamente colocados apenas para arrecadar multas.

    Por que? poxa vida anônimo, entenda uma coisa: as velocidades máximas da maioria das vias no Brasil são irreais (muito mais baixas do que o necessário), como já foi dito aqui e em qualquer lugar que se escreva sobre indústria de multas. Fora o que já se viu de radares logo após uma placa de velocidade mais baixa que a anterior, que não dá tempo pro cara freiar e dá-lhe multa. É impossível não pensar que foi feito só pra enxer o saco.

    Olha por exemplo a matéria da revisa citada no post: um monte de gente honesta tomando multa no sinal porque os caras botam muito pouco tempo no amarelo (tá bem, pode ser só imcompetência) e o cara ainda apóia? Será que não entendeu ainda o enfoque do post?

    Já disse aqui e vou dizer denovo: ninguém aqui quer desrespeitar lei, que apenas conseguir cumpri-la sem andar por aí com medo de se ferrar em cada esquina, porque mesmo fazendo a coisa certa ainda assim as multas vêem.

    Quantas vezes a pessoa ultrapassa o limite de velocidade sem ver? e não me venha falar de falta de atenção denovo, porque isso acontece somente porque quase sempre dá para andar tão mais rápido do que as placas sugerem (mandam) que a pessoa cansa de controlar o tempo inteiro a velocidade forçando o pé para cima (e eu estou falando de uma viagem tranquila, não venha distorcer as minhas palavras não).

    Isso sem falar na deseducação que os radares e lombadas causam. Você não acha que um pouco mais de coerência nesse país seria bem vinda? Porque eu não consigo acreditar que alguém não perceba o cunho arrecadatório de quase tudo o que o governo faz em nome da "segurança".

    ResponderExcluir
  27. [continuando]

    Os autoentusiastas gostam de correr? sim. Eles correm? sim, de vez enquando. E tomam multa por isso? às vezes sim, às vezes não. E quantos já mataram alguém no trânsito por causa de uma corridinha? nenhum. Eu disse corridinha, cara. Correr um pouco a mais quando a situação permite é diferente de estupidez. Qualquer corrida merece uma multa? talvez.

    Mas essa NÃO É A QUESTÃO, CARACA. Estamos aqui falando de armadilhas para pegar gente que não corre, pois não precisa correr para tomar multa (não venha dizer que ultrapassar o limite de velocidade, quando este é muito baixo - maioria das estradas - porque não é). Você acha que uma estrada com limite de 120 KM/h dá lucro (multas)? (já vi algumas privatizadas). E por que será que ninguém "desrespeita" a lei nelas...

    E isso só acontece no Brasil. A frase anterior não lhe diz nada não? Você pode argumentar que o cara não devia ter desrespeitado a placa, ou qualquer outra coisa, que nada justifica a cafagestagem que as autoridades de trânsito fazem com o povo.

    Enquanto os limites forem flagrantemente calculados para arrecadar, ninguém vai respeitá-los - DESEDUCAÇÃO. Isso é que causa acidentes, não velocidade. Tá asstindo muito jornal, os cara só falam nisso. Sofreu acidente? só podia estar muito rápido... nunca vi alguém falar que o cara foi imprudente numa ultrapassagem, ou que um caminhão com manutenção brasileira jogou oleo na pista. Saiu uma reportagem na tv que mostrou uma pesquisa que mostra que a principal causa dos acidentes com motoboys é: alta velocidade.


    Hehehe, claro que é brincadeira, o resultado foi falta de freio dianteiro por falta de manutenção.
    Eu sei que motoboys não podem correr que nem um supersônico no meio do trânsito, mas a estatística bem que poderia ser aplicada nos acidentes em que todo mundo afirma, sem nem pesquisar, que foi devido a velocidade.

    Entendeu agora? depois dessa eu desisto.

    ResponderExcluir
  28. Marcus Maia
    Você tocou num ponto importante. Tive um carro furtado e e 12 horas depois, comprovado pela hora do B.O., foi autuado por excesso de velocidade. Como você disse, o radar fotográfico só serviu só para multar, tendo a notificação sido enviada para minha casa.

    ResponderExcluir
  29. Anônimo de 25/10, 10:21
    Autoentusiasta de verdade só comete duas infrações: andar acima do limite e falar ao telefone segurando-o com uma das mãos. Trafegar pelo acostamento, jamais. Inclusive, defendo que essa infração deveria ser considerada hedionda, com suspensão da CNH por um ano e na reincidência, perda definitiva do direito de dirigir. Queria ver algum esperto usar o acostamento.

    ResponderExcluir
  30. Ao Anônimo do Direito aí...

    Gostaría de convidá-lo para umas férias na Alemanha (pode ser na Inglaterra, Japão, etc...) pra ver a carnificina que é o tráfego nestes locais. O Brasil sim, é um exemplo mundial de segurança, fluidez, educação, bom senso e prazer ao dirigir no trânsito (!)

    Você educa seus filhos sob os mesmos métodos que o estado pune no trânsito?

    ResponderExcluir
  31. Hoje tive a satisfação de assistir, num daqueles cruzamentos com a malha quadriculada pintada na asfalto, para alertar aos motoristas da necessidade de usar o bom senso para não "fechar" a via para o tráfego, uma cena que mostra bem como é mole a conversinha dos esclarecidos que combatem a "indústria de multas".
    Um guarda de trânsito, com o talão na mão, parado na calçada ao lado do cruzamento. Foi o que bastou para que todo motorista "conseguisse" evitar bloquear a pista. Fiquei impressionado com a capacidade dos autoentusiastas na análise do problema. Cada um parava um pouco antes do cruzamento, ponderava sobre a possibilidade de conseguir efetuar a travessia sem correr o risco de ficar parado no caminho do fluxo de veículos, e verificando a impossibilidade de avançar para além da interseção das vias, ficava parado tranquilamente, aguardando o próximo intervalo do semáforo para transpor o cruzamento. O mesmo acontecia no outro sentido. Fiquei assombrado com a perícia e a educação dos motoristas. Não menos admirado com a fluidez no trânsito desse local.
    Algum idiota vai citar o benefício da presença do agente fiscalizador no local para a educação dos motoristas e autoentusiastas. Vai dizer que, no dia seguinte, o cruzamento vai funcionar melhor. Mas esse mesmo sujeito, vai estar amanhã, junto os colegas autoentusiastas, bloqueando o cruzamento no mesmo local em que hoje as coisas funcionaram tão bem.
    A diferença é que, amanhã, sem a presença do guarda de trânsito, o autoentusiasta vai bloquear o cruzamento e se justificar culpando o tempo do semáforo, a falta de investimento em transporte público, a falta de estudo do Presidente, o c*ralho a quatro... Tudo palhaçada.
    Melhor seria o guarda se esconder e multar a maior quantidade de autoentusiastas que fosse possível. Depois da autuação, talvez os menos “seguros de si e de sua razão” tomassem mais cuidado ao avançar a interseção dessas vias. Não por educação ou respeito, mas por medo de levar mais uma multa.
    O autoentusiasta acha que é esclarecido e dono do próprio nariz, mas não consegue enxergar que é, ele mesmo, sua falta de respeito às Leis e normas, e à autoridade estabelecida, que bloqueiam cruzamentos.
    Não adianta. Quando um autoentusiasta de verdade leva uma bem roliça do fiscal de trânsito, quem tem vergonha na cara acredita um pouco mais que esse mundo tem jeito...

    ResponderExcluir
  32. Anônimo,

    Você tem razão. O sistema brasileiro de trânsito é mesmo referência. Saboreie este sistema que você crê piamente ser isento de falhas. Você merece.

    E aprenda a interpretar textos. Sua leitura confunde argumentos e gera factóides. Lendo todos os posts a respeito neste blog é possível entender o que se quer dizer e as diferenças entre determinadas situações aqui.

    Ah, nunca levei multa em 10 anos. E sou entusiasta. Disciplina é liberdade. Você pelo jeito é refém, e não livre.

    Você merece todo o trânsito que está aí! Inclusive essa lei que você defende, mas que quando aplicada sem critérios (técnicos, não somente jurídicos) deseduca, pune, gera falsa interpretação e motoristas como você que agem pela lei, mas não conseguem pensar sobre ela.

    Desejo muitas lombadas pra você!

    ResponderExcluir
  33. Referência é a consciência cívica e política do brasileiro. E sua inesgotável criatividade para criar justificativas para suas faltas. Difícil é argumentar com coerência e conseguir explicar como o autoentusiasta "disciplinado" e "livre" exerce sua "liberdade" sem penalizar o mundo todo no processo. Autoentusiasta confunde liberdade com libertinagem.
    No fundo, são um bando de fanfarrões, que, provavelmente, frente a frente, teriam enormes dificuldades em "acertar suas convicções". Qualquer pessoa sensata que enfrenta o trânsito de uma grande cidade sabe como se comportam bem, no mundo real, os autoentusiastas.

    ResponderExcluir
  34. kkkkk, todo mundo é autoentusiasta agora

    ResponderExcluir
  35. Acho que não. Só os idiotas... kkkkkk

    ResponderExcluir
  36. Também não precisa ofender. Vá no dicionário e veja o que quer dizer entusiasta. Você pegou uma estranha birra desse blog e fica aí falando doideiras.

    E eu tenho motivo pra rir, agora falar que os idiotas são autoentusiastas é a mesma coisa que dizer que quem gosta de arquitetura é gay. Nem sentido faz.

    Também sou entusiasta de outras coisas além de carros, relaxa

    ResponderExcluir
  37. [continuando]
    Não sou inimigo de ninguém.

    ResponderExcluir
  38. Eu ía ler todos os comentários... mas meu tempo vale muito pra perder com um anônimo desse aí óóó... afff
    Vou pro post do AK que eu ganho muuuuito mais... demorou pra cortar as asinhas do fella.

    ResponderExcluir
  39. Oskrmarinho07/11/11 08:26

    Em especial atenção ao anônimo que se julga o máximo, em suas críticas a quem êle chama de entusiastas, uma pergunta; por que esconder-se atrás do anonimato? isso apenas denuncia uma personalidade de "Gersom", levando vantagem na crítica anônima, sem que seu nome seja ligado às imbecilidades que posta, creio que apenas com o objetivo de ficar "zoando" e satisfazendo sua autoestima ao chamar para si a atenção de todos. Palmas, parabéns, você é o cara, mas Freud explica essa sua carência!...

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...