25 de outubro de 2010

OUTRORA GLORIOSO



Cena triste ver carro tão importante nesse estado. O Omega descansa não tão em paz em uma rua do bairro de Moema, em São Paulo.

Sempre achei que lugar de carro que não anda mais é em museus. Se não é carro em estado para museu, deveria ter, no mínimo, suas peças doadas para quem  precisa. Mas nunca largado, sem uso, se deteriorando.

Seria como largar uma pessoa falecida na rua, para que o tempo se encarregasse de eliminar os despojos. Não dá para eu concordar com o puro e simples abandono.

JJ

30 comentários:

  1. Realmente, uma cena que se cultivará sozinha por um bom tempo em minha mente. Uma cena parasita, da mesma natureza do sujeiro que deixou este carro abandonado. Carros tem alma, e para os que se contrariam com essa idéia, ao menos, todo carro devia ser tratado com dignidade. Caso não detentores de alma, senão uma história.

    ResponderExcluir
  2. É de partir o coração. Devia existir um modo legal de obter um carro nessas condições.
    Lamentável!

    ResponderExcluir
  3. JJ, concordo contigo. Existe até um blog só com fotos de carros abandonados pelos donos, o Carros Órfãos (autosorfaos.wordpress.com), só com cenas desse naipe para mais deprimentes ainda.

    ResponderExcluir
  4. Também discordo de um fim tão trágico. Mas imaginem a raiva que o dono deve ter sentido deste carro tamanho o descaso que os mecânicos tem com carros antigos e também na escassa oferta de peças de reposição para carros como Omega, Marea, Tempra e por aí vai..

    ResponderExcluir
  5. Eu não entendo isso, se não tem condições de manter então vende por qualquer preço!

    ResponderExcluir
  6. O Omega sofre mesmo com reposição. Cismei de troca suportes de motor do meu 4.1 e só encontrei original em SP, e mesmo assim só tinham 4. Comprei pra guardar outro par. Osso.

    ResponderExcluir
  7. Concordo com o Dudu.

    è uma judiação deixar um ícone desses abandonado e vítima até de pixações.

    ResponderExcluir
  8. ôrra Juvenal, essa foi PH...!

    ResponderExcluir
  9. Pela cor do capô eu presumo que tenha sido um Táxi especial, daqueles que rodavam no Aeroporto de Congonhas...
    Uma judiação chegar a esse estado, pelo visto despejado por alguém na rua sem defesa e acaba assim, mais uma sucata que jaz a céu aberto...
    Se vocês tem compaixão por imagens como essas, eu sugiro uma olhada no blog Carros Inúteis do meu grande amigo Russel Moraes, lá vemos cenas como essas ( e outras bem piores também...)Eis o link:

    http://carrosinuteis.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente este não é o único e é possível em alguns blogs especializados milhares de carros largados nas ruas.
    Uma pena mas ao mesmo tempo descaso das autoridades que deveraim retiralos e caso não fossem reclamados dentro de algum período mandar para leilão evitando não somente a ruína de tais veículos mas também a poluição de nossas ruas e avenidas.

    ResponderExcluir
  11. Pelo que é possível ver de pintura original me pareceu ser um antigo taxi especial paulista vermelho e branco.
    certo?

    ResponderExcluir
  12. Glorioso não, Absoluto!

    ResponderExcluir
  13. Seria pra lá de interessante falar da súbita falta de peças de reposição que acomete os carros aqui fabricados e praticamente força os proprietários dos velhinhos a trocarem seus bólidos em perfeito estado por outros mais novos justamente para não terem de garimpar peças.
    Para efeito de comparação, tenho um Civic da geração passada (e, portanto, nacional) e surpreendo-me com a postura do fabricante de continuar fazendo as peças dele. OK que meu Civic não é assim tão velho, mas meu mecânico inclusive me fala que é extremamente fácil achar peças para Hondas mais antigos (incluindo importados) a preço muitas vezes mais barato que o praticado para modelos mais antigos das Quatro Grandes.

    Quem ganha com isso? O consumidor, que poderá seguir com seu velhinho sem maiores problemas e com peça nova sempre que precisar, e o próprio fabricante, uma vez que nenhuma propaganda é melhor do que ver exemplares antigos e descontinuados rodando saudavelmente.
    E imagino que algo parecido também ocorra em outros fabricantes japoneses, uma vez que Corollas e Camrys mais antigos não são nenhuma visão de outro mundo em nosso trânsito. Talvez seja mais fácil ver um desses em perfeito estado (e com as naturais marcas do uso como carro titular) do que ver um Del Rey (já notaram o quão raro esse modelo está nos últimos tempos?).

    Em tempos: passou da hora de nossa indústria voltar a fabricar carros de tração traseira.

    ResponderExcluir
  14. Daniel Shimomoto26/10/10 13:02

    No Alphsville acho que ee o local com o maior numero de carros abandonados que eu conheço. Vai desde omegas Logus atee Daewoo Espero.

    Um grande Abraço

    ResponderExcluir
  15. Taí um nicho pouco explorado no país: comércio de autopeças p/ importados dos anos 90.

    ResponderExcluir
  16. É triste ver um carro apodrecendo nas ruas. É como alguém disse: não quer mais, venda por qualquer preço para alguém que queira e possa cuidar dele, ou fazê-lo doador para um outro que precise ser restaurado. E falta de peça, não me parece motivo para alguém abandonar um carro. Tive um Alfa-Romeo 2300 comprado com 15 anos de uso, e já não fabricado havia 6 anos. Fiquei mais 5 com ele, mas logo depois de comprar, pesquisando (santa internet!), já sabia de tudo quanto é loja onde podia achar peças para ele, oficinas especializadas, e até peças de outros carros, que serviam perfeitamente nele.

    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  17. Dr. Estranho26/10/10 16:04

    Com certeza é de um ex-playboyzinho...

    Ganhou do papai ou da mamãe e agora tá tão cheio de multa, mas tão cheio de multa, cuja dívida é maior até do que o carro, que é melhor deixar largado do que pagar tudo...

    Sabe como é o playboyzinho, agora, na casa dos 36 anos de idade, vivendo às custas do papai ou da mamãe, tem que usar a mesada que recebe para pagar pensão pra vagabete que engravidou...

    He, he, he...

    Destino trágico...

    ResponderExcluir
  18. Roberto Costa
    Acho que você tem razão. parece um radiotãxi especial de São Paulo. o Vermelho e Branco.

    ResponderExcluir
  19. Na verdade, peças de reposição de motor, suspensão, direção e boa parte de transmissão se encontra no mercado paralelo.

    O maior problema pra quem cisma de usar originais é a dificuldade de encontrar certos itens, o coxim do motor do 4.1 mesmo foi um problema.

    No caso do Omega o problema mais crítico é com relação às peças de acabamento, já que nesse caso não existe peça de reposição do mercado paralelo, só em ferro-velho mesmo. Só comprei o meu Omega após uma inspeção detalhada do interior, tudo inteirinho.

    ResponderExcluir
  20. Esse aí está escrofuloso demais da conta, muito além de qualquer possibilidade de salvação. Que ao menos possa descansar em paz.

    ResponderExcluir
  21. Eu aki querendo comprar um Omega 4.1,e eles me abandonam ele,este que é sem duvida um dos melhores carros nacionais

    ResponderExcluir
  22. Como o Raphael mesmo já disse, achar peça mecânica nova realmente não é problema no Brasil. Atualmente ainda se fabricam peças como camisa de motor de Fenemê, só para termos uma exemplo simples.
    Porém, peça de acabamento realmente está algo problemático. Por isso que gosto da atitude da Honda de fabricar peças de acabamento de seus modelos descontinuados. Os dois quebra-sóis de meu Civic foram para as cucuias (em vez de usarem haste metálica e peça costura com o mesmo tecido do forro do teto, usam injetada com haste de plástico, o que é pedir para ficarem pendentes e balançando depois de um tempo de uso). Fui à concessionária, pedi a peça e ela veio direitinho, sem problemas e a um preço razoável.

    Esse é um mercado pra lá de interessante para os fornecedores e tenho cá minha impressão de que pode multiplicar facilmente com dois detalhes:

    1) Engenharia reversa. Graças a ela, proprietários de velhos Holdens contam com peças novinhas para seus Monaros e Kingswoods. O trabalho é tão bem feito que até messmo executivos da subsidiária australiana da GM usam essas peças para restaurar seus velhinhos. Fora isso, acabaram encampando a ideia e atualmente essas peças são vendidas normalmente nas concessionárias da marca, o que significa que tiveram de passar por testes de qualidade e, como estamos falando de carros antigos, podem até mesmo ser melhores que as OEM;

    2) Impressoras 3D: já que elas usam plástico, não é nada impossível usá-las para reproduzir a peça que se quiser de um carro, na cor em que ela foi fabricada. Imagine a possibilidade de trocar uma concha superior de painel de Passat (conhecidíssima por rachar com o sol) apenas dando um CTRL+P, na hora em que se desejar.

    Só ficaria mesmo faltando um equivalente a impressoras 3D para reproduzir padronagens de tecido, mas se pensarmos que o princípio está lá...

    ResponderExcluir
  23. Anônimo das 11:27:

    SONHA NENÉM!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  24. Vamos falar sério agora.

    Existe carros "nem de graça".

    Imaginem um Omega com motor 2.0 fundido, Branco, usado sua vida toda como Taxi, alta quilometragem, com portas e capô pintados na cor vermelha, com estofamentos e acabamentos internos super gastos, 2.000 de multa para venda na cidade de São Paulo.

    Imaginou?

    Vai comprar? Por quanto?

    Vai comprar mesmo????

    Um abraço,

    Rafael

    ResponderExcluir
  25. Ahhh! E batido...coisa leve...

    ResponderExcluir
  26. Pior que nem dá para apoderar de um carro desses,porque isso seria roubo,sempre vai aparecer alguém revindicando a propriedade do carro...Não falo no caso desse Omega aí,pra mim carro novo abandonado é lixo,deveria ser recolhido como lixo,mas me refiro a carros antigos que tem por aí pelo país abandonados,só olhar no Carros Inúteis ou Carros Órfãos pra ver,é de cortar o coração,mas Omegas,Unos,Mareas e cia,por mim já deveriam ter virado latinha a muitos anos,ou melhor nem isso dá pra fazer,porque a maioria dos componentes é de plástico mesmo kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  27. Será que a dona Dilma não faz um Cash for Clunkers? Esse Omega deve encarar uns R$ 4.500 na troca por um 1.0 completaço com limpador traseiro e hodômetro parcial...

    ResponderExcluir
  28. Cena triste.
    Já fui o feliz proprietário de um belo Omega, e após sua venda não consegui mais esqueçe-lo.
    Agora estou aqui eu a procura de um bom exemplar para comprar e algum incapacitado me faz isso com um marco na história automobilistica.

    []`s
    ZAU

    ResponderExcluir
  29. Diego
    Um grande amigo tem um GLS 98, 2,2-L, dos últimos, comprado direto da GM, 60.000 km, completo, nunca encostou em nada, perfeito, prata. Está pensando em vender.

    ResponderExcluir
  30. Pena que muitos confundem carro antigo com carro velho e não tem sensibilidade de preservação de sua historia e do seu tempo.É muito bonito ver um carro antigo conservado

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...