Google+

24 de setembro de 2011

NO TEMPO DAS MARCHAS MILITARES NOS AUTÓDROMOS

Banda marcial não falta em Indianápolis


O post de ontem falando de música me lembrou da questão música-ambiente no cenário das corridas. Durante boa parte da minha adolescência nos anos 1950 e inÍcio dos 1960 Predominavam as marchas militares nas corridas. Um dos melhores exemplos foi o idealizador da Mil Milhas Brasileiras, Wilson Fittipaldi, pai de Wilson Jr. e Emerson, junto com o presidente do Centauro Motor Clube, a entidade que organizou a prova, terem mandado compor o "Hino das Mil Milhas Brasileiras", que ecoava por todo o autódromo de Interlagos, dos espaços para o público - espaços mesmo, uma espécie de baias, sem ter onde sentar, não havia arquibancadas - ao paddock, a parte de trás dos boxes.

A taça das Mil Milhas Brasileiras, oferecida pela Bardhal


O notável da dupla Wilson-Elói era a capacidade de promoção. Havia até eleição anual da Miss Mil Milhas Brasileiras, que no dia da corrida sempre estava presente na área dos boxes e ao lado da enorme taça de 1,80 m de altura (acima) que em escala menor seria dada à dupla vencedora e, em complemento, uma plaqueta seria fixada na taça grande com os dizeres "Glória imortal ao vencedor da Mil Milhas Brasileiiras", com o nome de cada um da dupla. Fabuloso, e estamos falando de 1956.

Mais detalhes das Mil Milhas estão no livro "Entre Ases e Reis", de Bird Clemente, que ajudei a escrever.

Por falar nessa corrida de longa duração que faria história, lembro que eram dois pilotos por carro e a primeira corrida levou nada menos que 16 horas. Hoje, três ou quatro pilotos em cada carro. O que terá mudado?

A coisa era bem mais dura (e divertida) antes. Na 24 Horas de Le Mans de 1952, por exemplo, o francês Pierre Levegh, com um Talbot-LagoT26 GS Spider, correu sozinho. Estava liderando quando a meia hora do final errou uma marcha e o motor quebrou.

Levegh e seu Talbot-Lago em Le Mans, 1952

Outra imagem que não me sai da cabeça foi no filme "Caminho sem volta", de 1954, que reputo melhor de todos sobre corrida de automóvel. Era o público chegando para o Grande Prêmio de Bélgica, no mesmo circuito Spa-Francorchamps e na tela via-se um Porsche 356 e vários outros carros, vistos de traseira, enquanto uma marcha qualquer era tocada.

Caminhos sem Volta, título original The Racers

Muitos devem se lembar de no filme "Grand Prix", de 1966, em que momentos antes do GP da Inglaterra uma banda marcial executava a música-tema do grande filme, sendo o regente da banda um britânico típico com seu enorme bigode.

Grand Prix, outro filme excelente

O mundo mudou e hoje escuta-se pouco bandas marciais. Nos autódromos hoje é mais rock e heavy metal do que qualquer outra coisa. Destoa, pelo menos para a turma "do RG baixo', meu caso - na verdade o meu RG paulista é alto, casa dos 18 milhões, mas o meu original, carioca, era 1,5 milhão apenas.

Eu gostaria de ver a reação do público,  numa corrida hoje, ouivindo marchas militares. Qual seria?

BS

.(Atualizado em 24/9 às 20h15 com o link para o "Hino das Mil Milhas Brasileiras", cortesia do amigo Ronaldo Nazar, de Santos, SP, que tinha o arquivo e, ao ler o post sobre marchas militares de hoje, se apressou em me enviá-lo em arquivo .mp3. O meu agradecimento e do AE ao Ronaldo.)

20 comentários:

  1. Outro dia eu briguei com um moleque afetado, de uns dezessete, anos que tava metendo o pau no Roberto Carlos.
    Pra ele, e pra quase toda esta nova geração que está chegando, tudo que foi produzido pelos antigos poderia virar pó, porque não faria falta nenhuma.
    É claro que não são todos assim, mas a sensação que tenho é que a gente tá descendo uma barroca, e o conhecimento e as Histórias de vida dos mais velhos serão tratados com desprezo.
    Respondendo sua pergunta, Bob, o turrão...eu acho que começaria um burburinho, seguido de risadas de deboche e depois piadinhas infames....
    Droga de mundo modernoso! ah ah ah

    ResponderExcluir
  2. Bob, bom dia.

    Recomendo ouvir a banda Beirut e ver que o mundo ainda não está perdido:


    Eles misturam sons da europa com indian rock. Ficou muito bom.


    http://www.youtube.com/watch?v=hq2s0AhdFE4

    http://www.youtube.com/watch?v=01XO0seAfw8&feature=relmfu

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Mais uma:

    http://www.youtube.com/user/flyingclubcup#p/a/u/1/ukU-E5Qp4Kg

    ResponderExcluir
  4. Quem dera fosse só rock e heavy metal Bob.

    Já ouviu o hino nacional na Indy em São Paulo?
    http://www.youtube.com/watch?v=fIpkNVbPimU

    ResponderExcluir
  5. Bob, o sistema de som em corridas virou um inferno!!! pelo menos na Fórmula Truck é música furando os tímpanos a corrida inteira!

    Lembro que numa corrida dessa, levei minha namorada, que também gosta de carros, motos, etc, e antes falei sobre as turbinas dos caminhões, que assoviam bonito. Pergunte se deu para ouvir alguma coisa... que decepção! O maldito do locutor não calava a boca!


    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  6. Realmente, a forma como esse Luan Santana cantou foi um total desrespeito com o hino nacional. Ele tratou o hino como se fosse uma música qualquer! Quem foi o "çabio" da organização da Indy em São Paulo que teve a idéia brilhante de convidá-lo e fazê-lo cantar dessa forma?

    ResponderExcluir
  7. Lhe dá uma saudade daquela época, né...

    ResponderExcluir
  8. jackie chan24/09/11 16:20

    Meio off-topic, mas a Indy em São Paulo é toda ridícula, devido a essa imitação toda da Indy 500, como o lance do leite (de caixinha), e do hino nacional cantado por cantor(a) de sucesso.

    ResponderExcluir
  9. A única coisa boa de ter visto esse vídeo do Luan Santana cantando o Hino Nacional é que ao lado veio o link para este aqui...

    ResponderExcluir
  10. A reação do público eu não sei, só sei que existe um bom número de marchas militares beeeem legais. Do Brasil, o Hino da Marinha (Cisne Branco), acho imbatível.

    ResponderExcluir
  11. Daniel San24/09/11 20:36

    Bob,meus 2 filmes favoritos sobre automobilismo são "Le Mans" e "Grand Prix",sendo este último meu preferido.Curiosamente,a cena que mais me marca neste clássico não é das cenas de corridas,aliás espetaculares,mas a cena que fecha o filme,quando o personagem interpretado por James Garner observa o autódromo de Monza após a conquista do título mundial e sua mente imagina os motores pegando um a um,num crescendo empolgante,culminando em uma largada imaginária,com os "Carros" sumindo na reta dos boxes. Uma obra-prima do John Frankenheimer.

    ResponderExcluir
  12. É por isso que eu digo que as corridas de antigamente eram muito mais emocionantes. Hoje em dia tudo é feito para ser monumental, espetáculos avassaladores. Mas, se for ver com olhos críticos, são espetáculos meramente grandiosos e nada mais... Não fica aquela sensação boa, gostosa de se relembrar.

    Sobre hino nacional, qualquer que seja o país, sou bastante radical: essa moda atual de cada cantor dar sua interpretação é de lascar! Para mim, tem que ser executado como o original e ponto.

    ResponderExcluir
  13. A reação do público, como vc mesmo escreveu, vai depender da ordem de grandeza do RG. Como o meu é na casa dos 7 milhões, iria adorar.

    Só mesmo meu querido irmão Ronaldo Nazar para ter nos arquivos do seu cafôfo qualquer tipo de imagem, vídeo ou música relacionado a corridas. Um verdadeiro MIS do automobilismo.

    ResponderExcluir
  14. Caro Bob,,,Eu tbm tenho quardado comigo o hino das Mil Milhas ,, quem me deu uma copia foi nosso amigo Bird Clemente,, ele me solicitou encarecidamente para nao divulga-lo,,Fiquei surpreso com a noticia de que o Ronaldao,lhe enviou uma copia daquele hino historico,,

    RG,, para sua comparaçao o meu RG de SP é o de No 2,780.0000 aproximadamente. se vc fosse Paulista talves o seu RG seria parecido com o meu,, afinal temos a mesma idade com apenas 02 dias de diferença -eu sou mais velho que vc, rsrsrs Forte abraço...Águia from Floripa

    ResponderExcluir
  15. São Paulo já tá com RG na casa dos 18 milhões, é?

    PUTZ, TÔ VÉIO MESMO...O MEU É 5 MILHÕES E POUCO...

    ResponderExcluir
  16. Águia, nos anos 80 andaram recadastrando os rgs em Sampa, o meu original (5 milhões e tanto) é de 1969...

    ResponderExcluir
  17. Luiz Evandro Águia25/09/11 16:55

    Pe de Chumbo,TÔ VÉIO nada,,o RG de meu Pai medico,,é 318.000 rsrs

    ResponderExcluir
  18. Velho Carcomido,
    Comigo aconteceu exatamente o contrário, quase discuti com um senhor de meia-idade (uns cinquenta e poucos ou sessenta, no máximo), metido a adolescente, que criticava o RC e aproveitou para censurar meu ringtone de "Quando", do mesmo cantor.
    O som do RC é uma brasa, bicho, podescrer...

    ResponderExcluir
  19. Milton Rubinho14/10/11 21:11

    A despeito do meu RG 40 milhoes, arrepiei por completo ao ouvir o hino. Por que esse automobilismo se perdeu? Caspite, como isso me chateia...

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...