Google+

17 de setembro de 2011

RASTEIRA BEM DADA

Foto: advivo.com.br
O ministro da Fazenda Guido Mantega, ladeado por Fernando Pimental, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (à sua direita) e Aloizio Mercadante, ministro da Ciênia e Tecnologia, anuncia as mudanças no IPI

E aconteceu o que já se esperava. O governo brasileiro deu uma rasteira para não botar defeito em quem importa veículos automotores, atingindo em cheio quem se organizou e investiu em estrutura para importar. Como se o que fizessem, importar, fosse ilícito, imoral ou crime lesa-pátria. As regras do jogo foram mudadas com a partida em andamento. Mais, uma vez, e lamentavelmente, ecoam as palavras que Charles de Gaulle teria proferido, "Le Brésil n'est pas un pays serieux".

Medida provisória baixada nesta quinta-feira (15) elevou em 30 pontos porcentuais as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos automotores. A malandragem consistiu em não sofrer tal majoração ou, dito de outra forma, terem desconto desses 30% carros produzidos no País com o mínimo de 65% de peças fabricadas no Brasil ou nos países-membros do Mercosul.

Ficam fora do IPI maior veículos importados de países do Mercosul e daqueles com os quais o Brasil tem acordo, nesse caso apenas o México. Isso significa uma rasteira bem dada nos veículos trazidos de qualquer outro país dos cinco continentes. Num desses cinco, como se sabe, estão Japão, Coréia do Sul e China.

Um Hyundai Azera, que recolhia 25% de IPI, agora passa a recolher 55%. Um Kia Picanto, de 7% passa a 37%. Os JAC J3 e J6, de 13% para 43%. Todos penalizados brutalmente pela medida governamental.

Uma regra geral diz que para cada ponto porcentual de IPI a mais o preço de um carro aumenta, em média, R$ 1.500. É só fazer a conta.

Especialistas em tributação já se manifestaram, lembrando que a Constituição Federal é clara ao determinar isonomia fisca e tributária. Nessa caso, a Carta Magna foi solenemente ignorada.

O novo IPI vale até o final de 2012, portanto é de caráter temporário, o que é péssimo em todos os sentidos. Se não for prorrogado, signficará uma bagunça no mercado de importados, com um preço hoje, outro amanhã.

As chinesas Chery e JAC, que já anunciaram a construção de fábricas aqui, provavelmente desistirão, pois é praticamente impossível iniciar produção local, de cara, com 65% de conteúdo nacional, que vai aumentando paulatinamente.

Miguel Jorge, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no governo anterior, que esteve 14 anos na Autolatina como vice-presidente de Assuntos Corporativos e Recursos Humanos, disse ontem ao jornal O Estado de S. Paulo que "as medidas anunciadas pelo governo que beneficiam a produção nacional são estranhas e desnecessárias", dizendo ainda que "é natural que as fábricas novas iniciem a produção com baixo conteúdo local."

O decreto determina também que uma fabricante desenvolva pelo seis de 11 atividades específicas para fazer jus ao "desconto" do IPI a mais: montagem (óbvio, o governo descobriu a pólvora), revisão e ensaios, estampagem, soldagem, tratamento anti-corrosivo e pintura, injeção de plástico, fabricação de motores, fabricação de transmissões, montagem final de cabines ou de carrocerias, e produção de carrocerias.

Que dizer, então, que, segundo o governo, uma fábrica de automóveis não precisa fabricar motores e transmissões? É isso ou entendi mal?

Tudo isso vem, obviamente, ao encontro do interesse das fabricantes estrangeiras estabelecidas no Brasil há bastante tempo - a mais nova do grupo é a Fiat, aqui já há 35 anos - e que, juntas, detêm 72% a 75% do mercado, embora haja um quê de tiro no próprio pé, uma vez que também importam produtos atingidos pela medida. A GM traz o Camaro do Canadá e o Omega da Austrália, a Volkswagen, o Passat, o Tiguan e o Touareg, da Alemanha.

A associação dos fabricantes, a Anfavea, além dessas quatro, reúne inúmeras outras, entre elas Honda, Toyota, Renault, PSA (Peugeot e Citroën), Nissan, Mitsubishi e a própria Hyundai, todas com fabricação local. Só que possivelmente não atinjam 65% de peças nacionais para se livrarem dos 30% adicionais de IPI e seguramente se verão em dificuldades. Ou será que motor e transmissão não entra nessa conta? Aliás, a indústria "nacional" não produz câmbio automático.

Foi uma péssima medida do governo, tomada com o fim proteger a produção nacional. Muito melhor faria se desonerasse as empresas (as fabricantes e qualquer outra empresa) dos fardos fiscais e sociais que conhecemos, barateando a produção e dando a competitividade de que tanto necessitamos.

Os carros importados já são onerados com o Imposto de Importação de 35%, custo de frete (até da longínqua Ásia!) e despesas portuárias, taxas diversas etc. Se o câmbio apresenta-se favorável a importar é outro problema, cabe à Fazenda resolver, mas não mexer tanto no mercado como foi feito.

Se o mercado passa por um período de desaceleração, evidenciado por pátios cheios e férias coletivas concedidas aos trabalhadores da indústria automobilística, que se tomem as medidas conhecidas para aquecê-lo, como redução da taxa de juros e de imposto. Isso foi feito em 2009 e deu certo. Mas nunca punir quem - os importadores - está no negócio dando emprego e recolhendo impostos tanto quanto a indústria local.

Muito estranho nisso tudo é o fato de que o volume importado pelas 25 marcas reunidas sob a Associação Brasileira Importadora de Veículos Automotores (Abeiva), chinesas incluídas, não chega a 6% do mercado e representa 25% do total importado, isto significando que a indústria local importa os 75% restantes.

O mercado brasileiro é enorme, o quarto do mundo, com tendência a crescer para 5 milhões/ano em 2014 (atualmente é de 3,5 milhões), e não existe razão alguma para temer concorrência de fora, que faz mais bem do que mal. Bem, inclusive, ao consumidor brasileiro, que começa a saborear o pagar menos por mais. Toda concorrência é saudável.

O resumo de toda essa manobra é uma diminuta ajuda para a indústria local, um duro golpe para quem importa.

É muito fácil dar rasteira mexendo no bolso dos outros. Queria ver se fosse no próprio.

BS

172 comentários:

  1. É um absurdo! Uma tremenda falta de vergonha na cara! E no mais: vai ficar como está por que aceitamos pagar absurdos em automóveis e impostos relativos a eles para receber tão pouco e tão ruim em troca.
    Como é caro e extremamente descomunal ter um veículo no Brasil! Citam-se impostos e taxas de mais diversos tipos, indústria de multas vergonhosa, peças e serviços duvidosos e caros e por aí vai!
    Bom, vou andar de ônibus! Ah, lembrei, como é ridiculo o transporte público em onibus.
    Vou de bicicleta.

    ResponderExcluir
  2. Excelente, Bob. Realmente um golpe baixo não só nos importadores, mas também nos consumidores.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, é por causa de disparates como esses que o Lucro Brasil é tão grande: o governo muda as regras conforme sopra o vento, então você deve lucrar o máximo possível a curtíssimo prazo, pois o longo prazo ninguém sabe como vai ser.

    ResponderExcluir
  4. Se essa medida perdurar, lá vamos nós de novo pro cenário do final da década de 80, com carros medíocres e totalmente ultrapassados.

    ResponderExcluir
  5. Só existe uma saída.
    Influenciar o maior número de pessoas possível para ficarem algum tempo sem comprar carro zero. É o único jeito, não tem outro. O povo precisa mostrar seu poder. Mas fazer movimento só na internet não adianta. A maiorir só sabe usar internet para msn e orkut, não leem notícias na net. A revolta tem que ir pra tv, só assim o pessoal acorda.
    Nem vou mais continuar porque é perda de tempo.

    ResponderExcluir
  6. Porém, não achei de todo ruim essa medida, já que os preços nos importados não vão subir, apenas a margem de lucro dos importadores que vai abaixar. Talvez coreanos e chineses vão abrir fábricas na Argentina, no México ou no Uruguai (que não têm disparates desse tipo e onde os governos pelo menos disfarçam que pontuam suas políticas conforme sopra o vento), para voltar a ter a margem de lucro larga que até então eles tinham.

    ResponderExcluir
  7. Nem sei o que comentar sobre o assunto, fiquei simplesmente irritado e envergonhado com essa noticia. Cada povo tem o governo que merece e infelizmente a maioria da população brasileira merece um governo assim, muitos vedem o voto por bolsa esmola e outros muitos alienados acreditam na propaganda de fachada feita pelo governo.

    A educação está decaindo, as estradas estão cada dia mais esburacadas, falta investimentos nos portos, a saúde continua na mesma, a robalheira continua na mesma, a violência está a cada dia melhor, o preço dos alimentos aumenta a cada dia, ainda falta emprego... mesmo assim vão gastar rios de dinheiro para sediar eventos inúteis, mesmo assim a população continua aprovando o atual governo...

    Bob existe alguma saída para essas montadoras prejudicadas com essa decisão? Existe alguma forma de burlar essa nova decisão do governo?

    ResponderExcluir
  8. ao Paulo Vr.

    Sei que sua pergunta foi ao Bob, mas eu peço licença para responder. Os importadores sabem muito bem em qual país eles estão, país onde longo prazo é mês que vem, e cobram uma margem de lucro tão alta quanto os fabricantes locais. Ou seja, a margem de lucro dos importadores diminui, mas o preço dos importados não aumenta.

    Aqui no Brasil, e aí vai a dica, se alguém for começar uma nova empresa, é obrigatório recuperar o dinheiro investido no menor tempo possível (mesmo que sacrificando o crescimento ou o futuro da empresa), pois nunca se sabe quando o governo vai tomar uma decisão que vai acabar com sua nova empresa.

    ResponderExcluir
  9. Bob,

    Imagino que os importadores não irão repassar os 30% de aumento para o consumidor final, senão toda e qualquer vantagem de comprar um carro importado será anulada.
    Queimando um pouco da gordura, talvez consigam chegar em uns 25% de aumento, o que ainda é um absurdo.

    Por outro lado, sem concorrencia, tenho certeza de que os fabricantes irão colocar o preço que quiserem em seus veículos, é possível até que fiquem com preço próximo ao dos importados duplamente taxados.

    E o mercado de usados? Sou proprietário de um carro coreano e estou ligeiramente preocupado...
    A tendencia é valorizar, acompanhando o aumento de preço dos novos, ou desvalorizar por causa da perda de interesse do consumidor?

    Luiz Dicieri

    ResponderExcluir
  10. Minha sugestão: Parar de comprar carros nacionais (VW/GM/Ford/FIAT) 0KM.

    Ao invés de comprar o 0KM nacional, compre um seminovo com um ou dois anos de uso. Ou então adie a compra por um tempo. Desta forma as fábricas nacionais vão ficar sem vender a produção delas. Quero ver o que vai acontecer se as 4 grandes ficarem com patios cheios e linhas de produção entupidas.

    ResponderExcluir
  11. Luiz, tenho a mesma dúvida que você. Minha sensação é que para os KIA e Hyundai o seminovo vai aumentar e o carro com mais de 4 anos vai desvalorizar.

    ResponderExcluir
  12. Antes de qualquer outra coisa, Bob: por caridade, tenha dó de nós, autoentusiastas, e retire a foto deste bando de imbecis. Dito isto, vamos aos fatos: quando soube, amaldiçoei mais uma vez este (des)governinho "cumpanheiro" petralha de safados, até a décima geração, pois pensei que era não só um balde, mas uma represa inteira a água fria nos meus planos de, em breve, comprar meu Fiat 500 Cult, cujo preço agora está ao meu alcance. Me acalmei (só um tiquinho), quando soube que ele tinha ficado de fora de mais esta palhaçada petista. De qualquer forma, penso nos que terão seus planos pessoais frustrados, e no tiro de escopeta que isto foi em uma coisa absolutamente salutar e indispensável para os consumidores, chamada concorrência. Também a própria imagem do Brasil fica desgastada, quando empresas que pretendiam investir aqui, terão que abortar desta intenção. Não só fábricas de carros, mas de qualquer outro ramo de negócios, ficarão temerosos de investir onde as regras são rasgadas assim, no meio do jogo. "Brasil: um país de TOLOS"!!! Eu ODEIO está raça maldita dos infernos!

    ResponderExcluir
  13. Bolsa-Família para o zé-povo, Bolsa-BNDES para os Eikes, Gerdaus e Abilios Diniz da vida e nós, do meio, pagando o pato.
    Se eu fosse uma Kia ou Hyundai da vida montava a fábrica na Argentina ou Uruguai e mandava os veículos para o Brasil usando a taxa zero do Mercosul. E mandava à pqp a nossa porca legislação.

    RicardoBF

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    "Uma regra geral diz que para cada ponto porcentual de IPI a mais o preço de um carro aumenta, em média, R$ 1.500. É só fazer a conta."

    Quem chegou à este cálculo e baseado em quê? Esta conta é com veículos de 30 mil até mais de 1.500 mil? Não consigo entender qual fórmula foi usada, poderiam exemplificarem melhor?

    Na minha opinião foram palavras atiradas ao vento e concordo que as margens de lucro são altíssimas, portanto não terão um aumento muito significativo.

    O que pode ocorrer é um aumento nos veículos produzidos no mercosul à fim de "pagar" o aumento de imposto dos veículos importados, aliás alguns dos veículos citados são de nicho, portanto irrelevantes, uma vez que quem compra pouco se importa com os valores.

    Complica mais quem está chegando agora, sem tempo hábil de aumentar o índice de nacionalização dos veículos.

    Tem cheiro de manobra das montadoras "nacionais", para restringir o máximo possível novos concorrentes e manter o mercado cativo das mesmas empresas de sempre.

    ResponderExcluir
  15. Lá em Taubaté, minha terra, o nome disso é filhadaputice.

    Bob, desculpe o termo acima.

    Uma questão: a Mercedes-Benz tem sua fábrica de caminhões no Brasil, seus carros sofrem o aumento do IPI?

    ResponderExcluir
  16. Bob, o mercado de PEÇAS será atingido pela medida ? Abç..

    ResponderExcluir
  17. Caio Cavalcante17/09/11 17:40

    Pra completar a patotada, o governo não sabe ainda como serão calculados esses 65% de índice de nacionalização.

    Análises, oportunas ao meu ver, preveem que até os carros fabricados aqui terão seus preços aumentados, não pela falta de concorrência com importados, mas pelo mercado de auto-peças. Muitos fabricantes aqui instalados utilizam componentes de fora, exemplo Honda e Toyota (lembram que a produção brasileira foi afetada pelo tsunami?), e para atingir o tal índice de 65% vão ter que buscar componentes na indústria local. Acontece que os fornecedores não tem como atender o aumento de demanda, serão necessários investimentos em capacidade produtiva, e adivinhem? Regra básica da lei da oferta e da procura, esses componentes ficarão mais caros, e para todos que aqui fabricam! O tiro no pé das quatro grandes começa a parecer um fuzilamento.

    Só espero e torço muito para que o consumidor brasileiro enxergue agora o quanto é lesado, desde muito tempo. Tomara que a chamada classe C, tão propalada pelo governo, principais compradores dos veículos chineses, e a classe médio, público alvo dos coreanos, bote a boca no trombone. E torcer também para o país tomar um rumo, pois medidas como essa de mexer no jogo em andamento só acabam com qualquer política industrial de longo prazo. É caro produzir no Brasil, e isso não mudou. O México e nossos vizinhos hermanos que agradecem.

    ResponderExcluir
  18. Collor-ido17/09/11 17:47

    Só se fabricam carroças neste país!

    Já ouvi essa frase antes... a abertura às importações com o câmbio (então) altamente desvalorizado, foi suficiente para termos uma melhora (ainda que modesta) nos produtos brasileiros.

    Hoje, porém, produzimos carros básicos e arcaicos, dos quais 40% são comprados a baixos preços pelas locadoras. Pouca produção de carros um pouco mais elaborados com muitos componentes importados (só no Brasil, Corolla não é carro de pobre).

    Uma medida necessária? Não da forma obtusa como foi feita, ridícula. Dona Kirchner agradece penhoradamente (embora nunca pagará pelo penhor...).

    Não vou nem falar das chinesas, mas até a BMW intenta(va) implantar uma MONTADORA no Brasil. Indústrias e empregos brasileiros cada vez mais indo pelo ralo...

    Penso que, em vez dessa atitude, o governo deveria ressuscitar o GEIA, com as devidas atualizações.

    ResponderExcluir
  19. "Anônimo 16:46 ", agradeço a resposta. Espero que isso realmente aconteça e que as montadoras consigam segurar a barra até a construção de suas fabricas em solo nacional, meu temor é que algumas montadoras saiam do país (como já aconteceu antes) e deixem vários clientes órfãos... se isso acontecer vários consumidores vão literalmente se fu...

    ResponderExcluir
  20. Desculpem os mais antigos que tiveram suas poupanças "confiscadas", mas quem tem 25 anos hoje e lê o plano de governo de Collor, chega facilmente à conclusão que ele teria sido o melhor presidente da história do país se tivessem "deixado o homem trabalhar".

    A corrupção dele foi ridiculamente pequena perto do que vem acontecendo desde seu Impeachment.

    Desculpem, mas é a opinião sincera de quem avaliou a época de fora, sem a raiva por ter sua poupança confiscada.

    ResponderExcluir
  21. Alexandre - BH -17/09/11 18:08

    A indústria local apostou no carro 1.0, simplório, obsoleto, e se estrepou. Lentamente o brasileiro passou a entender que não precisava mais sustentar o gigante lerdo e avarento chamado ‘Quatro Grandes’. Descobriu que poderia levar mais para a garagem pagando menos, e que esse ‘mais’ vinha de fora. Mas, o gigante é traiçoeiro, sabe que é fraco. Por isso, ataca por trás. Ganhou mais uma batalha. Vamos ver até quando.

    ResponderExcluir
  22. Para os amigos, o perdão, para os inimigos, a lei.

    Superproteger um setor já defasado tecnologicamente, que não tem condições - ou vontade - de se modernizar é movimento típico de economias fechadas e de estado paquiderme.

    Não se acaba com a concorrência, apenas mostra mais ainda a anacronia do carro brasileiro. Se é preciso uma reação dessas porque Fiat, Ford, GM ou VW acham que seus carros estão ameaçados por um Cherry QQ e seus 1500 carros mensais, então nossos carros são realmente uma grande maravilha tecnológica.

    Logo, logo vamos voltar a ter carro 1.0 pelado por 35mil reais. Será reflexo direto da volta da reserva de mercado.

    ResponderExcluir
  23. Atitude insana e burra!....os fabricantes irão instalar montadoras com 0% de nacionalização em países do mercosul e exportar para cá com isenção de imposto de importação...

    ResponderExcluir
  24. Do ponto de vista econômico, foi uma péssima idéia. Isso se chama punição. Não se pune quem quer vender seus produtos aqui, não se pune quem quer abrir uma fábrica aqui e gerar empregos. Talvez abaixar o IPI dos nacionais poderia ser melhor, algo mais eufêmico.
    Maaasss
    Não entendo o tamanho do chororô.
    1º) Quem compra carro importado pensando na qualidade? A minoria. Quem compra pensando no status? A maioria;
    2) A mentalidade por aqui é igual aqueles programas de "testemunho": "eu tinha tudo, perdi tudo, caí nas drogas, fui na igreja XX, deus me abençoou e hoje moro numa mansão, tenho empregada, viajo pra Miami e ando de importado. Somos uns metidos à besta! Esculachamos desde o Hino Nacional até o que é produzido aqui. Até há pouco tempo andávamos de corcel e fusca velho e agora que ganhamos um pouquinho mais de $$, queremos ostentar. Típica mentalidade de quem pendura uma bandeira dos EUA na porta do quarto. Viúvas do Collor;
    3) Já dei minhas voltas em carros novos da GM e achei ótimo. Quem me dera poder ter um.

    ResponderExcluir
  25. Outro ótimo texto sobre essa sacanagem do governo:

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1109&comments=true

    ResponderExcluir
  26. O governo mandou uma mensagem bem clara: não invistam no Brasil porque aqui não há segurança.

    Só nos resta lamentar e esperar o judiciário suspender essa medida por 90 dias (devido à inconstitucionalidade citada pelo Bob) assim que isso acontecer compro meu importado, já que, além do novo imposto, o dólar está subindo vertiginosamente, ou seja, se os valores já iam subir com a desvalorização do real, o preço dos importados nunca mais será tão "bom" quanto hoje.

    ResponderExcluir
  27. Os mais idosos como eu já estamos acostumados a estas atitudes dos DESGOVERNOS BRASILEIROS....não me surpreenderia em nada se na próxima semana eles instituirem o DEPÓSITO COMPULSÓRIO PARA VIAGENS AO EXTERIOR.....os brasileiros tem gasto muito dinheiro lá fora....pois o que se produz no Brasil custa muitos IMPOSTOS....então preferimos comprar as coisas lá fora.
    Minha sugestão é que nas próximas eleições pensemos bem antes de cairmos na conversa fiada da briga entre PT e PSDB....devemos é dar as costas a esta raça de cretinos.
    UM BOICOTE AS MONTADORAS "NACIONAIS" VIRIA EM BOA HORA....MAS A BOIADA TEM UM PENSAMENTO DIFERENTE DESTE AQUI EXPÔSTO.

    ResponderExcluir
  28. Júnior Valias17/09/11 18:39

    CENÁRIOS: As beneficiadas pelo aumento do IPI vão aumentar o preço e paralisar a evolução dos lixos sobre rodas que produzem.
    As prejudicadas pelo aumento do IPI vão se mandar, pois não tem como competir depois desse tapetão. Os carros que venderam vão desvalorizar, pois as pessoas, com razão, temerão falta de peças e de assistência técnica.
    Se alguma fabricante resolver vender no Brasil, apesar de tudo, vai montar fábrica no Uruguai ou no México, paises onde as regras não são mudadas no meio do jogo, beneficiando e criando empregos naqueles países, vendendo aqui pelos altos preços dos hoje beneficiados.
    Enquanto isso o desgoverno nacional se empenha em garantir o faturamento das empreiteiras em eventos inúteis como copa e olimpíada.
    Eu tenho vergonha de ser brasileiro.

    ResponderExcluir
  29. Ano passado fui ao Salão do Automóvel e voltei com uma certeza: ou a indústria automobilística nacional mudava, ou os asiáticos tomavam todo o mercado. Mas viria uma terceira opção... Nunca imaginei que o governo federal fosse intervir de maneira tão descarada e suja para salvar a imundície que virou nossa indústria automotiva.

    Eu me esforço para ter o pensamento maduro de não desejar que o Brasil tome uma paulada sem precedentes na OMC por aquilo que o Bob já tinha falado, que é mudar as regras depois que o jogo começa.

    Que bom seria se nossa população fosse conscientizada e boicotasse de maneira veemente as 4 grandes. Não precisa de muito tempo não. 3 meses de vendas estagnadas, com só os frotistas comprando, fariam os preços ir para os devidos lugares.

    Muito se fala em políticos e administrados públicos corruptos, como se vê nos comentários acima. Mas... E OS CORRUPTORES? De onde partiu a grana que patrocinou essa palhaçada? Os bois têm nome sim!!! A corrupção exige necessariamente os dois lados: corrupto e corruptor.

    Então, meus amigos, quando xingarem os três meliantes da foto de aberturado não se esqueçam de incluir as integrantes da Anfavea na maldição.

    E, sim, quando compramos carros principalmente das 4 grandes, patrocinamos esses imundos.

    Perto desse aumento de IPI, as propagandas falaciosas da CAOA parecem um inocente conto infantil.

    Quando formos comprar nossos próximos carros, não vamos nos esquecer desse episódio. É o mínimo que podemos fazer para nosso mercado ter um pingo de decência.


    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  30. O engraçado é que quando aventaram a possibilidade de redução do IPI para industrias "nacionais", as mesmas disseram que não, pois não poderiam baixar os preços com tal medida, ou seja optaram então por punir quem é mais competente e estava entregando mais, por menos.
    Afinal temos que manter o "lucro brasil" minha gente.
    E tome carro de plataforma antiga na patuléia, e é claro por um precinho "mui amigo".
    Por isso que o braZil virou um dos locais preferidos dos fabricantes, afinal em qual outro lugar do mundo, a população paga mais por menos ? onde qualquer carro similar que é vendido em outros mercados, chega a custar aqui duas ou quase três vezes do preço que é praticado lá fora !?

    ResponderExcluir
  31. Anônimo 17/9 17:23
    Peças não estão incluídas nessas medidas.

    ResponderExcluir
  32. Quem é a favor do boicote comece a divulgar isso para os amigos. Para quem tiver Facebook aqui vai o link

    https://www.facebook.com/event.php?eid=288723867811288

    Vamos atingir esse pessoal no lugar onde mais dói neles, o bolso.

    ResponderExcluir
  33. Luiz Dranger17/09/11 19:12

    É Bob, no início do post voce mencionou a frase mágica do De Gaulle que o Brasil não é um país sério ! Concordo 100%. Imagino pessoas que investiram aqui e como em uma "canetada" do governo PTista vão ter prejuízos homéricos ! Veja que até o Fernando Pimentel (Ministro da Indústria e Desenvolvimento) foi contra a medida e parabéns a ele. Caso foi uma ação das fábricas locais que importam do México e Mercosul, creio que pode ser apesar de importarem os modelos citados no seu blog, cujas vendas são insignificantes. O Lucros&Perdas das fábricas devem mostrar isso. É mesmo como já falei em comentário anterior, um problema da mentalidade do povo, (que vota no PT) em sermos mesmos do 4º mundo. Abração, Luiz

    ResponderExcluir
  34. O preço dos importados não vai mudar, as empresas que não produzem no Brasil vão montar indústrias no México e assim escapar das políticas do governo brasileiro. No final das contas, quem sai ganhando com o aumento do IPI serão o México e a Argentina, que receberão mais indústrias automotivas.

    ResponderExcluir
  35. Aos defensores do Collor,

    Collor iria acabar com a indústria nacional. O confisco do sistema bancário e a liberação completa de importações sem uma política de redução de impostos aqui tornavam impossível competir com as empresas estrangeiras sem que houvesse uma desvalorização maciça da moeda, que foi o que aconteceu.

    Robert Mugabe pôs o Zimbábue no mesmo rumo e hoje o Zimbábue é uma nação pós-apocalíptica, com prédios de escritórios de vidro fumê transformados em cortiços e shoppings centers transformados em depósitos de "reciclagem", onde procura-se comida e coisas úteis no lixo de Moçambique, Botsuana e África do Sul.

    É melhor ter US$ 30.000,00 para pagar por um Fiesta do que NÃO ter US$ 1.000,00 para pagar por um Mustang.

    ResponderExcluir
  36. Em 2009, eu ia fechar a compra de um Ford Focus usado em uma loja de propriedade de um grande importador e figura das mais conceituadas aqui no blog. Soube então que teria que, obrigatoriamente, realizar a transferência usando o despachante da loja, a umj custo de R$900. Liguei para meu despachante e soube que ele me faria o mesmo serviço por R$350. Ou seja: venda casada na cara dura; f***-se o código do consumidor. Óbvio,não comprei o carro, amaldiçoei o dono do lugar. Até por isso, entre o Brasil quebrar e a representante da JAC Motors quebrar, fico com a segunda opção.
    Incrível: os 34 comentaristas anteriores preferem importar J3s, I30s e outras porcarias do gênero e exportar empregos... Isso que eu chamo de miopia endêmica! Mas fiquem tranquilos: os JACs tem muita gordura pra queimar em termos de preço, a cotação dos chinesinhos nem deve subir muito. Azar do importador, que vai diminuir a margem de lucro por carro vendido...

    ResponderExcluir
  37. Os fabricantes "nacionais" estao muito felizes. Vao poder aumentar os preços por causa da falta de concorrencia para suas carroças.

    Parabénns consumidor! Você está sendo penetrado por 4 trolhas e 7 cepas além do tronco do PT.

    ResponderExcluir
  38. Se eu fosse uma Kia ou Hyundai da vida montava a fábrica na Argentina ou Uruguai e mandava os veículos para o Brasil usando a taxa zero do Mercosul. E mandava à pqp a nossa porca legislação. [2]

    ResponderExcluir
  39. O brasil é uma vaca brava!!! sai correndo e as pessoas rezam pra ela sair pela porteira
    Tenho impressão que ainda estamos no escravismo, e outra o nosso carro é ruim pro preço que custa até digo fuleiro, e o amigo que disse pra estes empresas irem pro uruguai e argentina ta coberto de razão

    ResponderExcluir
  40. "É melhor ter US$ 30.000,00 para pagar por um Fiesta do que NÃO ter US$ 1.000,00 para pagar por um Mustang."

    "Incrível: os 34 comentaristas anteriores preferem importar J3s, I30s e outras porcarias do gênero e exportar empregos... Isso que eu chamo de miopia endêmica!"

    Olha a trollagem terceiro-mundista petralha aí, gente...!

    ResponderExcluir
  41. Gostaria de ignorar os trolls petralhas acima, mas não consigo...recadinho para vocês:

    Governo que quer ajudar a economia diminui carga tributária e gasto estatal antes de aumentar tributo.

    Mas como vocês defendem o governo do Partido Mensaleiro, com certeza devem fazer parte da mamata também.

    ResponderExcluir
  42. Os governantes tÊm culpa, óbvio. Mas acredito mais em um bem formado lobby das "4 grandes" (q há tempos manda). Alguns perguntam pq não reduziram o IPI das "nacionais"? Porque elas simplesmente não quiseram (lembrem q elas disseram q mesmo com a redução não haveria contrapartida no preço dos carros - pois seria impossível retornar aos preços maiores futuramente, o consumidor não aceitaria). Esse mesmo lobby já aconteceu em 1995 (e o governo era do PSDB), com aumento do II de 32 para 70% (alguém lembra), da noite para o dia. Então o negócio não é só não votar no PT, mas tb no PSDB e em todo e qualquer "P" q seja, pq eles apenas estão lá para manutenção do sistema.
    @ Miguel Lima

    ResponderExcluir
  43. O Brasil é primeiro mundo?

    Quais são os mercados que compram chineses?

    Acho deu deu pra entender...

    ResponderExcluir
  44. Entendi sem dar mesmo!

    ResponderExcluir
  45. Pessoal, como sempre teclo aqui minha opinião, sou totalmente em matéria de carro contra chines e outras marcas de terceira, mas isso que aconteceu, foi de um absurdo tão grande, de uma forma tão cara de pau, totalmente surreal par os dias de hoje, que sinceramente eu tenho vergonha de ser Brasileiro cada vez mais.

    Temos que fazer algo com urgência para este país, que a coisa esta tão absurda e lavada, que nem tenho mais palavras para isso do tamanho da minha indignação !

    Meu deus...

    ResponderExcluir
  46. Anônimo / Miguel Lima

    Claro que o buraco é mais embaixo, especialmente considerando que não vem de hoje a promiscuidade entre governos e a indústria automobilística nacional, que praticamente já nasceu tutelada pelo Estado (fora isso, o fato da cadeia automobilística abranger 25% do PIB também lhe dá enorme poder de barganha).

    Esse é um dos motivos da importância dos importados, que fizeram o consumidor pelo menos vislumbrar fora do tapa que o mundo é mais do que carroças peladas.

    Meu palpite é que agora o Fiestinha anti-JAC de 38 "pau" com ABS e airbag vai para o saco, e talvez também o Fiat 500 por 40 "pau".

    O lema dos "patriotas" agora é "Compre carroça superfaturada para o bem do (Lucro) Brasil"

    ResponderExcluir
  47. Outra coisa muito importante: Não adianta alguns aqui vir com essa conversa partidária, que é culpa do PT, democratas, PSDB ou o raio que o parta, que SEMPRE FOI ASSIM NESTE PAIS ! Sempre ! Independe de partidos, os governos nos sacanearam e nos usaram, sempre ouve absurdo e corrupção, sempre teve a mesma cara de pau, desda época do JK, que tirou a capital do Rio de Janeiro e criou Brasília par tentar diminuir a corrupção, de lá para cá só piorou,e por culpa de NÓS TODOS O BRASIL ESTA DO JEITO QUE ESTA !

    Assumam seus erros e os erros do passado, e vamos INVERTER esta situação AGORA !

    ResponderExcluir
  48. Troll petralha 19:49

    Quais os mercados que compram coreanos e japoneses?

    É ou não é coisa de maluco de hospício os mesmos petralhas que pateticamente celebram o totalitarismo chinês como esperança da humanidade e promovem a terceirização da indústria ocidental para a China acusarem os contrários à pilantragem do governo de puxa-sacos de carro chinês?

    ResponderExcluir
  49. O Uniblab deve ser um desses babaquinhas que compram Hyundai e acham que estão comprando "o melhor sedã do mundo", risos! Novoriquismo da Barra da Tijuca, com apê financiado em 180 meses, kkkk!
    Cara, ainda que ache seu comentário babaca, o que falei não se trata de troll: com esse imposto extra, assim como nos tempos do FHC (alíquota de 70% para os importados), a questão é não derreter a balança comercial e preservar nossos empregos!
    Para quem é simplista e a ponto de dividir o mundo em petralhas e tucanalhas, com um cérebro assim binário, deve ser difícil entender um pouquinho de economia... Afinal, o que importa é ter um I30 novo na garagem - e f***-se o país!

    ResponderExcluir
  50. A coisa toda foi ensaiada faz tempo, primeiro barreira branca depois mesmo com recordes nas vendas as 4 grandes mostraram na midia os patios cheios e deram "ferias"... Assim justificam mim fazer para eu fazer a a populacao desinformada a a importancia da medida que estava por vir do caro burocratico corrupto e agigantado estado brasileiro. Lembram quando Suzuki e Mazda so mim fazer para eu fazer citar abandonaram o barco? Agora a Mazda quer voltar mas depois dessa... Iriam comecar com importados depois via Mexico e depois investimentos locais, sera que terao coragem? Os jornais acabaram de mostrar uma "corrida as lojas" consumidores apressados famintos com isto a possivel queima de gordura dos importadores nao vai acontecer, bom pra CAOA e outras. Havera aumento de nacionais e importados mas o brasileiro parece estar disposto a a pagar caro sem reclamar seja no importado e nacional. Ah, detalhe, os usados poderao aquecer novamente e aumentar, ou seja, o povo feliz pagando caro sempre mais caro o pao do bolsa familia e o circo da copa e tudo certo. As pessoas nem cogitaram aumento de pecas ou abandono por parte dos importadores, simplesmente correram comprar. O povo pensa que pagar mais caro e melhor ou faz mais moral pro seu vizinho. Subaru Hyundai nunca se estabelecerao oficialmente aqui e bom pro grupo CAOA sempre... Sera a salvacao do Cruze, com Corolla e Civic novo novo inevitavelmente mais caros e o belo banho de agua fria no Elantra so assim mim fazer para eu fazer salvar a a GMB neste lancamento e que deve nacionalizar os componentes deste carro mais rapido e ainda podera continuar com este preco de lancamento ridiculo.

    ResponderExcluir
  51. Troll 20:11

    Já tomou o Gardenal hoje...? Eu não era puxa-saco de chinês? Agora sou de coreano? Aqui sua laia não ganha no grito nem com argumento porco.

    Só idiota acredita que o protecionismo preservará emprego; todo o ganho será "chupado" pelo Lucro Brasil e possíveis comissões por baixo do pano...

    Para seu governo, não compraria Hyundai, especialmente vendido pela CAOA, mas isso não tem importância nenhuma diante do comprovado efeito salutar da presença dos importados no mercado nacional.

    A obrigação do governo e da indústria automobilística é atacar as causas do problema (leia-se Estado parasitário e corrupto, Custo Brasil, Lucro Brasil, defasagem na qualidade dos produtos, etc.) e não seus efeitos ( o probre a escravizado consumidor recorrer aos importados).

    ResponderExcluir
  52. Proteger os empregos no Brasil? Punindo 6% dos importados e deixando os mais de 70% que chegam do México e do Mercosul completamente livres?

    ResponderExcluir
  53. E a quem interessar possa, mau saco já explodiu; a partir de agora minha política para com trolls terceiro-mundistas/petralhas será "Vaca Amarela Cagou na Panela"...

    ResponderExcluir
  54. Uma coisa é certa, o preço dos carros nacionais vai aumentar... Haja visto que alguns modelos das 4 grandes tinham caído de preço para enfrentar os JAC e etc.

    Essa exigência de 65% de conteúdo nacional pode significar um atraso nos próprios carros feitos no Brasil, pois restringe o uso de componentes mais avançados que não sejam fabricados aqui, sem falar nas transmissões automáticas que são importadas como já disseram acima...

    Medidas radicais de protesto, como um boicote de 1 mes, eu considero inviáveis. Mas uma "greve de consumidores" que durasse 1 semana (por exemplo a primeira semana de outubro), sem ninguem comprado carro zero nem semi-novo em concessionária nesse período, poderia servir para que governo e montadoras entendessem a indignação de nós consumidores...

    ResponderExcluir
  55. Adeus BMW 320, C 180,200 ASX, carros que estavam infestando e enfeitando as nossas ruas, a nova C coupe simplesmente maravilhosa e linda que pena as vendas certamente irao cair. Bela jogada das quatro... Estavam incomodados com estes carros que tiravam venda de Malibu Fusion. Agora tudo certo poderao ate aumentar os precos um pouquinho destes modelos, a aaaa GMB vai continuar na faixa de oitenta e poucos mim fazer para eu fazer cruze top, afastara o Malibu da tabela que hoje esta absurdamente perto de um cruze. O pedra no sapato Azera pulou nessa e seu modelo novo sera mais caro que sonata... E a a ilha da fantasia republiqueta das bananas continuara firme e forte na superfatura de 2014

    ResponderExcluir
  56. Olha, apesar de tantos comentários, o Governo agiu mal, agiu. Mas culpá-lo unica e exclusivamente, apedrejando-o é uma injustiça também.

    Estamos nos esquecendo da ANFAVEA, Associação tão bacana quanto a UNICA do setor Sucro-Alcoleiro, na defesa de seus interesses. Alguém aqui sabe a que tipo de chantagem o fabricantes "tradicionais" impuseram sobre o governo? Acredito que só os "players" do jogo politico e de interesses sabem. E certamente é coisa beeem feia, com ameaças de desnacionalização (ainda mais) de toda a espécie.

    Nos EUA, Ford, Chrysler e GM dependem das benesses do governo americano, no Brasil, os fabricantes tem um poder de barganha maior que o governo, até porque o efeito multiplicador gerado pelo setor automotivo é enorme e ele ainda é significativo na economia e geração de emprego no país, tal qual o café foi até meados dos anos 50.

    Apenas para manter a memória fresca, se temos carros 1,0L agradeçam a Fiat Automóveis S/A, que ao ver as vendas de seus carros não decolarem, aproveitou-se do fato de ser a única a possuir um motor 1049cm3 "na prateleria" e pressionou a "grande Economista" Zelia Cardoso de Mello para reduzir a quase zero a aliquota do IPI para os 1000cm3

    ResponderExcluir
  57. http://exame.abril.com.br/economia/mundo/noticias/paises-avaliam-denuncia-conjunta-contra-brasil-na-omc

    ResponderExcluir
  58. Haaa, algum aqui tem memória boa !!

    Parabéns Daniel Shimomoto !

    Toda essa porcaria defasada e caríssima que vemos rodando pela nossas ruas tem um culpado pro trás que se chama FIAT. Ela se prevaleceu da sorte de fazer um carro pé duro e 1.0 que começou a vender bem, que inicialmente custava pouco até para nosso padrões, e ai com a ganancia e a grande procura, foi aumentando seus valores e lucros, e continuando a ideia do carro simples se estendeu pela outras marcas e até hoje, se mantem a ideia de se vender carroças velhas e inseguras, mas com super lucros se mantem. Culpa direta pelo outro lado do consumidor fraco e que gosta de ser otário e pagar um absurdo por velharias maquiadas.

    ResponderExcluir
  59. Picaretagem
    Este tipo de medida ,tão detalhada e cheia de regrinhas a serem aplicadas individualmente me cheira a Picaretagem do Governo. So ele se beneficiou.Os vocês acham que os pátios de veículos nacionais serão esvaziados com restrição à importação?Brincadeira. No final todos serão aliviados com uma contribuição ao Partido.E os fabricantes nacionais e os consumidores continuaram sem vender e sem preço baixo.E as medidas para incentivar as exportações?
    Pura palhaçado do governo Petista.

    ResponderExcluir
  60. Interessados vao pagar mais pelo Camaro e a a Ford perdeu tempo e agora adeus Mustang. GMB dando risada de todos. Nao tenho dinheiro mim fazer para eu fazer comprar estes carros, mas como entusiastas adoro quando cada vez mais vemos estas beleza nas ruas. No final tudo vai ficar mais caro e o salario ...vai ser festa de gol a a mais de 40 cruzeiros!!!

    ResponderExcluir
  61. O Osíris Lopes Filho (se lembra do voo da muamba em 1994?) deve estar se revirando no caixão com uma atitude dessas.

    Ele foi o ÚNICO a aumentar a arrecadação de impostos sem aumentar carga tributária.

    Por favor, leiam o que ele já dizia sobre estratégia do governo sobre impostos há + ou - 10 anos atrás no link abaixo:

    http://www.blindagemfiscal.com.br/artigos/osiris_lopes_filho.htm

    ResponderExcluir
  62. Maior palhaçada o que fizeram, governo só aumenta a arrecadação deles, e o povo pagando cada vez mais caro por carros nem tão bons assim.

    ResponderExcluir
  63. América latina é uma desgraça, tem marca chinesa pra todo lado. Tem um mendigo que vive aqui na esquina que vai comprar um Chery QQ, só com dinheiro do seu "emprego" de flanelina.

    É muita desgraça, quarto mundo.

    ResponderExcluir
  64. Vou virar esse flanelinha, absurdo este subemprego que ganha melhor que muito trabalhador, alias so aqui mesmo pagacaro no carro imposto seguro ipva ipi icms dpvat e flanelinha... E brincadera!!!

    ResponderExcluir
  65. Novo significado da sigla IPI: Imposto para Premiar a Incompetência.

    ResponderExcluir
  66. Editorial do Estadão:

    http://rodrigoconstantino.blogspot.com/2011/09/lambanca-politico-industrial.html

    ResponderExcluir
  67. Anônimo 22:57

    Obrigado pelo excelente editorial (também disponível diretamente do Estadão AQUI.

    Trechinho bom para os idiotas morais petralhas:

    "Os brasileiros já assistiram a esse tipo de jogo, vantajoso para poucos e custeado por muitos. Como sempre, é muito mais fácil entrar na fila dos pedintes de favores do que pressionar o governo para cortar o excesso de gastos, diminuir impostos e favorecer o investimento necessário à modernização do País. O presidente da associação da indústria elétrica e eletrônica já entrou na fila, depois de elogiar a decisão do governo. Política industrial digna desse nome é outra coisa. "

    ResponderExcluir
  68. não concordo com a medida do governo mas me pergunto:
    quem investiu não conta com isso?
    tinha tanta certeza assim?

    ResponderExcluir
  69. Curioso como ninguém se lembrou que pouco antes dessa porcaria de medida o governo exigiu dos "fabricantes" "nacionais" que eles investissem em teconologia no Brasil, e ele recusaram imediatamente.

    Não é PT e nem PSDB, é política com tantos podres que todo mundo tem o rabo preso e as "montadoras" devem ter ameaçado com força a Presidenta ou alguém bem grande, aí deu essa merda.

    Só espero que o supremo derrube a medida por esta ser inconstitucional e que também a OMC enfie um nabo bem grande no Brasil por isso, por jogarem sujo, por tratarem o povo e os consumidores como idiotas.

    Melhorar os carros, baixar impostos e fazer a concorrência "de verdade" nem pensar.

    ResponderExcluir
  70. Muito bom esse aqui também:

    http://colunistas.ig.com.br/ricardogallo/2011/09/17/protecionismo-voltou-ipi-dos-carros-importados/

    ResponderExcluir
  71. O Supremo (departamento jurídico do Partido Mensaleiro) não derruba nem a pau.

    Defere qualquer ADIN que o PT derrube na sua porta. Esqueceu de que o PT entrou com ADIN 3 dias antes da eleição passada para derrubar a exigência de 2 documentos para votar e o Supremo derrubou sem piscar?

    A tão esperada "Cláusula de Barreira" que acabaria com uma penca de partidecos de aluguel foi derrubada da mesma forma...

    ResponderExcluir
  72. Se foi meu sonho de ter um Camaro vermelho.

    McQueen

    ResponderExcluir
  73. Deveríamos começar uma campanha pela internet:

    BOICOTE OS MEMBROS DA ANFAVEA: NÃO COMPRE CARRO DOS GRANDES FABRICANTES INSTALADOS NO PAÍS!!!

    MOSTRE À ANFAVEA O QUE VOCÊ PENSA DO LOBBY QUE ELA FEZ PARA LHE TIRAR O DIREITO DE TER CONCORRÊNCIA: ADIE SUA TROCA DE CARRO PARA DEPOIS DE DEZ/2012, QUE É QUANDO O IPI PROTECIONISTA ACABA.

    Quem sabe pegando no bolso eles entendam que o povo brasileiro não aceita mais as carroças que eles querem nos empurrar.

    ResponderExcluir
  74. Se o dólar ajudar e subir um pouco, minha felicidade será completa! Mês passado, eu ia pegar um Fusion V6 e optei por um Mercedes C. Dependendo dos preços, vendo a Meca, pego um Fusion e fico com um bom dinheiro no bolso. Se bem que estou adorando o carro... Não sei se conseguiria ser tão racional assim...

    ResponderExcluir
  75. boa, vamos começar um boicote do mesmo tipo de quando a Ferrari apronta uma marmelada: "Não compre uma Ferrari!" fácil

    ResponderExcluir
  76. Aléssio Marinho18/09/11 01:46

    Felipe 17/09/11 16:31

    Não se preocupe, os bancos já estão fazendo a sua parte em não financiar a torto e a direito.

    Bob, existe o outro lado da moeda. Vender carro no Brasil requer apoio maciço dos bancos. E aquela farra de 2007 a 2010 acabou. Hoje pra conseguir passar um cadastro numa financeira está muito complicado, motivada pelo aumento da inadimplência.
    É impossível exercer a atividade empresária no Brasil. O nosso país sempre joga contrário ao seu desenvolvimento. Só nos resta lamentar.

    ResponderExcluir
  77. Chora, Uniblab, chora! Ainda tem 3 anos até o Serra disputar (e perder) mais uma eleição... Até lá você junta uns cobres e compra um civiquinho ou toyotinha...

    ResponderExcluir
  78. O que é petralha? Em que ano do curso primário vc aprendeu isso?

    ResponderExcluir
  79. PETRALHAS PETRALHAS BRUUUUUUUP!!

    ResponderExcluir
  80. Pega seu Picanto automático e sai rápido daqui mano.

    Pensando bem, rápido não vai dar não...

    ResponderExcluir
  81. Senhoras e senhores Autoentusiastas,
    Pelo que percebi na maioria esmagadora dos comentários, o problema desta proteção a indústria nacional, apontado pelos senhores e senhoras, é que isto trará atraso tecnológico, mas ao mesmo tempo citam e lamentam o prejuízo causado aos importadores de produtos Chineses.
    Uma grande maioria associou três coisas tecnologia x preço x carros Chineses ao lamentar a medida que prejudicará a importação destes carros.
    Se eles houvessem citado o fato de que sem a atual medida de proteção se pode comprar hoje um Mercedes serie C iniciando em 115 mil ou BMW serie 3 por 100 mil (o que por sinal uma minoria fez) eu entenderia que existe uma preocupação de Autoentusiasta com a medida.
    Mas lamentar a possível diminuição da oferta de Jacks, QQs e outras tralhas, que de nova tecnologia não trazem nada, me parece parcial em demasia, reclamar sem olhar o todo.
    Não me sinto, como Autoentusiasta, nem um pouco lisonjeado, com a presença destes carros de terceiro mundo rodando por aqui (cheguei ontem da Alemanha, a trabalho, e não vi nenhum QQ ou JAC rodando por lá, ao que parece se eles são vendidos não fazem sucesso algum).
    É preciso proteger a indústria nacional sim, o dragão Chinês, via preço baixo fruto de uma qualidade discutível e de uma política de mão de obra e direitos e liberdades muito, mas muito restritiva, consegue colocar aqui a preço competitivo os Jacks e QQs que a maioria tanto admira.
    Procure saber como eles realmente produzem a custo baixo, vcs vão ver os absurdos em todas as áreas, que lá são cometidos, vai de poluição ambiental desenfreada a restrições de liberdade que os senhores / senhoras não estão acostumados e rejeitam.
    Eu lamento a medida, mas entendo a proteção, não duvidem a China é um dragão faminto engoliria nossa indústria, apoiada por venda maciça a pessoas que só enxergariam que estavam gastando pouco na hora da compra por um produto aparentemente correto.
    Muita gente aqui tem Corsa, Ipanema, Celta, Palio e etc. com mais de 8 ou 10 anos e anda com ele todos os dias, será que que um Chinês faria a mesma coisa?
    Lamentem a medida por nos afastarem de carros de verdade, não por nos afastarem de Chineses, até por uma questão de posicionamento sócio-político.
    Este blog por vzs ao comentar um fato do mundo dos Autoentusiastas entra na área que comentei acima, portanto estou à vontade em fazer este comentário.
    Acosta

    ResponderExcluir
  82. Collor-ido18/09/11 08:29

    "Habib disse que tem estoque nacionalizado de carros da JAC para mais de um mês e, por isso, não aumentará imediatamente seus preços em função do IPI maior. E depois que os estoques terminarem a ideia não é repassar integralmente o aumento aos consumidores: “Vamos tentar cortar alguns custos e segurar o máximo”, disse. Segundo cálculos de Automotive Business, entre o custo de nacionalização (valor CIF mais todos os impostos pagos) e o preço final ao consumidor, a JAC tem margem de quase 100%, que usa para pagar despesas comerciais, estrutura física, frete, armazenagem, publicidade e embolsar lucros. Agora parte dessa margem poderá ser usada para absorver um pedaço do imposto maior e sustentar preços menores, mas não se sabe em qual medida.

    Para as marcas de luxo que também vende no País (Jaguar e Aston Martin), no entanto, Habib não precisará usar a mesma estratégia, pois são seus clientes que absorverão o IPI aumentado. “Nesses carros o repasse ao preço será substancialmente maior”, informa."

    ResponderExcluir
  83. marcelo (jmvieira)18/09/11 09:11

    precisamos nos mobilizar e protestar, quem tiver conhecimento de endereços de sites do governo e de emails de deputados e senadores, por favor coloquem aqui no blog para enviarmos mensagens e emails de repudio.

    ResponderExcluir
  84. marcelo (jmvieira)18/09/11 09:27

    Acosta, seu comentário foi muito preconceituoso e de modo algum reflete o espirito de um autoentusiasta, só parece um adolescente que só usa roupa de marca, pq tudo de marca é bom... reveja seu conceito. ...infelizmente nós somos 3º mundo! e com a entrada do que vc chamaria de "muamba chinesa" é que começariamos a subir automobilisticamente falando, forçados pela livre concorrencia, pois nossos carros ainda são piores que os chineses em conteudo.. e como não vivemos num pais decente, por agora isso acabou... e viva os VW gols, os GM celta e os FIATS uno, todos carros "de marca", não chineses.

    ResponderExcluir
  85. O molequinho petralha clonou meu apelido outra vez (o comentário da 1:59 não é meu)...e ainda acha que sou fã do mosca-morta social-democrata Serra...de petralhas só espero indigência e analfabetismo, em todos os sentidos.

    ResponderExcluir
  86. Mauro Gonçalves de Souza18/09/11 09:53

    Mais um tópico repleto de preconceito, gente metida a fazer políca, trolls e outros retardados mentais. Não é à toa que Valium é um sucesso nas farmácias...

    ResponderExcluir
  87. Na próxima eleição eu voto no Collor! Hehehehe

    ResponderExcluir
  88. Collor também virou aliado petralha...político brasileiro em geral se alia até ao próprio capeta para garatir o pudê por mais dois anos.

    ResponderExcluir
  89. Eu sei..! Só estava fazendo piada por conta da célebre frase "O Brasil não tem carro, tem carroças".

    ResponderExcluir
  90. Não se melhora competição tirando o oponente de campo. Isso é ridículo, falacioso, sem sentido prático nenhum.

    Ao invés de melhorar o produto interno, tornando-o competitivo internacionalmente, preferimos nos trancar em nosso próprio mercado. Não funcionou antes (não só com carros, quem lembra da reserva de mercado da informática?) e nem irá funcionar em futuro algum.

    Precisa de um altíssimo grau de estupidez ideológica para se concordar com essa medida do governo (não falta no atual governo).

    Não se melhora as condições econômicas internas (mais liberdade, menos encargos), ao contrário, só novos obstáculos são criados.

    ResponderExcluir
  91. Louvável essa atitude!!! Em vez de importar temos que produzir em nossa própria nação ou nunca seremos um país desenvolvido.

    ResponderExcluir
  92. Kantynho

    Então vou aproveitar e dizer que a pilantragem com o IPI "...uma pantomima, uma patuscada..." :)

    ResponderExcluir
  93. Louvável essa atitude!!! Em vez de importar temos que produzir em nossa própria nação ou nunca seremos um país desenvolvido.

    Errado, argumento falacioso, sem sentido.

    Fizemos isso por décadas e o que ganhamos? Uma indústria de carros defasados, ruins e caríssimos.

    ResponderExcluir
  94. Uma coisa é absutamente certa: com esse governo (e nenhum outro que teime em crescer sem limites), nunca seremos um país desenvolvido.

    ResponderExcluir
  95. Todos falam do "Lucro Brasil" e o que ganhamos nessa última semana? Mais uma garantia governamental para essa prática.

    Deram carta branca para as quatro grandes continuarem a colocar os preços que quiserem nos seus carros.

    Nos foi covardemente tirada algumas opções de escolha. Só uns poucos ganham, milhões perdem.

    ResponderExcluir
  96. Se os mais exaltados quiserem me chamar de petralha, eu não ligo. O que eu digto é que é preciso ser muito "da turma do contra" para perceber que a medida visa, acima de tudo, a proteger empregos. Se vai beneficiar quem produz aqui? Vai, mas é um efeito secundário.
    Pessoalmente, adoro carros, mas jamais daria um dedo ou uma perna por um carro novo. Por isso, nunca entrei em financiamento pra comprar carro. Prefiro juntar o $$$ e comprar à vista. Enfim, racionalidade, apenas.
    Tomo a liberdade de colar um artigo que espelha meu ponto de vista:

    Por que o aumento de tarifas de importação dos automóveis foi uma medida correta? - Marcos Doniseti

    O governo brasileiro está absolutamente correto em sua decisão de elevar as tarifas de importação sobre automóveis e caminhões.
    Tal medida protege não as montadoras, mas os empregos dos trabalhadores brasileiros.
    E para se entender isso é muito fácil.
    A indústria automobilística brasileira gera cerca de 120 mil empregos diretos na montagem dos veículos, mas para cada emprego existente nas montadoras são criados outros 25 empregos nos mais variados setores da economia. São os chamados empregos indiretos.
    Assim, no total, cerca de 3 milhões de trabalhadores brasileiros (e que estão entre os mais qualificados e melhor remunerados do país) devem a manutenção dos seus empregos à preservação da produção de automóveis do país em território nacional.
    Com relação à uma possível reclamação contra o Brasil na OMC, dificilmente isso irá acontecer porque, nos últimos anos, após o início do colapso do Neoliberalismo globalizado, inúmeros países mundo afora tomaram medidas semelhantes e ninguém reclamou de ninguém na OMC.
    Na verdade, em função da crise iniciada em 2008, os governos estão fazendo 'vistas grosssas' para medidas como essa que o governo Dilma tomou.
    É bom dizer que, quando se trata de proteger seus empregos, os países ricos são muito mais protecionistas do que nós. E para isso eles se utilizam de todo um arsenal protecionista, como medidas anti-dumping, elevação de tarifas, sobretaxas, cotas, exigências fitossanitárias, entre outras.
    Portanto, essa decisão tomada pelo governo Dilma dificilmente será contestada por outros países e é mais do que acertada. Na verdade, tal medida já deveria ter sido tomada há muito tempo.
    Afinal, o que está em jogo são os empregos de milhões de trabalhadores brasileiros, muitos dos quais são chefes de família e, portanto, são responsáveis pelo sustento de boa parte da população brasileira.
    Valeu, Presidenta Dilma! Assim é que se governa!

    ResponderExcluir
  97. Usar palavras como "Neoliberalismo" e Presidenta não dá margem a dúvidas: o artigo repetido pelo "anônimo" acima veio do PIG ("Petralhas da Imprensa Governista")

    E quem aqui disse que compraria carro zero????

    ResponderExcluir
  98. Certamente o comentário veio de um petista roxo. O raciocínio é raso e coalhado de ideologia radical de esquerda.

    Conhecendo um pouco de história, não dá pra levar a sério essa gente.

    ResponderExcluir
  99. Proteger empregos? Só idiotas caem nessa.

    E os empregos exportados para os países do Mercosul que tem fábricas agraciadas com a medida e que são a grande parcela?

    Artigo completamente falacioso, se vale de um argumento emotivo completamente falso e canalha.

    ResponderExcluir
  100. Acho até que o governo fez o diagnóstico correto.
    Temos que gerar emprego aqui.
    Mas o tratamento, errado. Deveríamos ter reduzidos impostos dos carros fabricados aqui. Redução maior ainda para aqueles com baixa emissão de poluentes - motores turbo com injeção direta. Não fabricamos nenhum com essa motorização. Apenas os FLEX enganadores.
    Deixarei para trocar minha fielder 2006 em outra oportunidade.
    Uma coisa é certa: se Deus permitir, meu próximo carro terá tração traseira e motor turbo com injeção direta.
    Abraços e sejam felizes.

    P.S.: tenho muito medo quando algum político tem uma ideia e resolve colocá-la em prática.

    ResponderExcluir
  101. Também acho despropositado o decreto nos termos atuais, principalmente por desrespeitar a anterioridade nonagesimal.

    Adicione-se aí a enorme margem de lucro dos carros produzidos aqui.

    Entretanto, não passou pela cabeça de vocês que é uma retaliação direta aos chineses que exportam seus produtos, mas quando vão importá-los impõem diversas barreiras ou mesmo o proibem?

    Por ex., para vender um GM VOLT com subsidio por ser híbrido, ao contrário dos EUA, que exigem tão somente a fato de o carro ser híbrido, os chineses exigem a total transferência de tecnologia. Ou ainda com os aviões embraer, que alguns modelos simplesmente foram proibidos de serem produzidos/vendidos na China para não concorrer com produtos concorrentes lá produzidos.

    Marco

    ResponderExcluir
  102. P.S.: tenho muito medo quando algum político tem uma ideia e resolve colocá-la em prática.

    2

    ResponderExcluir
  103. Vir aqui e transformar o blog numa arena partidária, rotular os outros de "petralhas", "idiotas" e coisas do gênero é de uma infantilidade e rasteirice lamentáveis. Cada um aqui tem seu ponto de vista e ninguém é obrigado a concordar com o autor do post.
    Alguém aqui compra carro toda semana pra justificar tanta celeuma?

    ResponderExcluir
  104. Com esse argumento infantil se desculpa toda medida arbitrária e danosa de qualquer governo.

    ResponderExcluir
  105. jopamacedo

    Se for uma indireta a este que vos escreve, por favor não seja ridículo.

    São os petralhas que vêm trollar este blog de nicho com dedo em riste e argumentação porca; o que você quer que façamos, digamos "parabéns" e "obrigado"? Eles têm trocentos sites e blogs do seu PIG, por que vir aparelhar este aqui?

    ResponderExcluir
  106. O que esse boçal esquerdista desse Marcos Doniseti não consegue explicar é como mais empregos vão ser gerados no Brasil barrando 5% dos importados e deixando os mais de 75% que chegam do México e do Mercosul completamente livres. Vai ver esse cretino de merda acha que no México e na Argentina as fábricas empregam brasileiros, sei lá.

    ResponderExcluir
  107. Excelente o último comentário!

    ResponderExcluir
  108. Anônimo 13:36

    Se tiver saco, tire a prova: examine o veículo para o qual o boçal escreve e veja a proporção de anúncios da Petralhabrás e do Banco do Brasil; é a maneira mais fácil do Partido Mensaleiro manter jornalistas no cabresto - isso quando o cérebro deles já não sai devidamente lavado da faculdade.

    ResponderExcluir
  109. Exato, blogg (Marcos Doniseti) completamente chapa-branca, nunca se poderia esperar uma opinião isenta e racional. Péssimo jornalismo, se é que se pode chamar isso de jornalismo.

    ResponderExcluir
  110. E vão se preparando para a volta da CPMF. Pq imposto pouco é bobagem.

    ResponderExcluir
  111. Paulo Ferreira18/09/11 13:54

    Brsil país ridículo, acho que vou começar a escrever com b minúsculo. É duro de acreditar que uma coisa dessas acontece.

    ResponderExcluir
  112. Enquanto isso o México comemora, afinal as marcas coreanas e chinesas vão montar fábricas lá para vender para o Brasil.

    Arriba, muchacho, arriba!

    ResponderExcluir
  113. Os "perfeitos idiotas latino-americanos" dos petralhas (alguém já leu o livro, he, he?) chamam de "P.I.G" (Partido da Imprensa Golpista), o conjunto de todas as mídias que desmascaram suas propagandas mentirosas, apuram e publicam todos os podres, toda a lama e a sujeira que eles querem e precisam esconder, bem como as de seus aliados (cúmplices, melhor dizendo, visto que se trata de criminosos) terroristas como MST, Liga Campesina, Farcs, e etc... Mas eu também tenho uma sigla para a imprensa que lambe as botas desta corja imunda, ajudando a divulgar suas mentiras, deturpar dados, e esconder o que não querem que saibamos: é a imprensa "B.I.Cha", ou seja "Bloco da Imprensa CHAvista". Quem quiser usar a sigla "B.I.Cha." para se referir à imprensa que lhes serve, está liberado, he, he, he!

    ResponderExcluir
  114. Anônimo 13:50

    Tomei um Dramin e fiu visitar o blog desse tal Marcos Doniseti. Indiscutivelmente tem todo o jeitão de blog da "esgotosfera".

    Se for verdade, nesse caso nem se trata de fanatismo político - é $$$ vivo que entra mesmo.

    ResponderExcluir
  115. Mr. Car

    Sew você leu meus últimos comentários, já viu que a própria sigla PIG já foi cooptada: "Petralhas da Imprensa Governista"... :)

    Nada melhor do que fazer esses ratos provar do próprio veneno.

    ResponderExcluir
  116. Sera que esse Marcos Doniseti também recebe 1 milhão pra fazer o blogg, igual a Maria Bethânia? (1 milhão do nosso dinheiro, diga-se de passagem).

    ResponderExcluir
  117. Caros amigos entusiastas, eu acredito que o governo deveria estar preocupado em como criar oportunidades para desenvolver marcas nacionais e vender em outros paises assim como a XiNa e KoReA estao fazendo.

    Tecnologia de ponta e maquinas vcs jah possuem....

    hj em dia nao eh nenhuma "arte" criar uma marca, ainda mais com os excelentes fornecedores que vcs jah tem no brasil. estes praticamente iriam levantar o carro inteiro. Eu me pergunto o que Gurgel diria de tudo isso :D

    ResponderExcluir
  118. Ao anônimo de 18/09/11 15:24:

    Boa pergunta. E o engraçado é que o governo adora reclamar da falta de recursos e nunca perde uma oportunidade para aumentar impostos e taxas, mas não vê problemas em torrar 1 milhão de reais em um blog. Ou hectares de dinheiro em absurdos como estes aqui:

    http://autoentusiastas.blogspot.com/2011/08/dinheiro-mal-empregado.html

    Para não falar em tudo o que é roubado, principalmente via constantes aumentos de remuneração. E estão sempre se voltando para a sociedade com aqueles discursos canalhas de "cofres do tesouro cada vez mais magros" ou "tempo de vacas magras". São bandidos da pior espécie, isso sim.

    ResponderExcluir
  119. Vocês sabem o que um idiota sem argumento faz quando não sabe discutir em cima de idéias? Desqualifica o opositor. Daí os termos petralha, tucanalha e afins. Outro truque manjado é levantar os podres de um lado só. Se o blogueiro defende o governo, é porque é patrocinado pela Petrobras. Agora, o governo federal deixa de anunciar na Veja? Lógico que não! Ou o governo só pode anunciar nos veículos da direita?
    Uniblab, nem sei se é ignorância sua, má fé ou ambos, mas você já teve a cuuriosidade de verificar quantos milhões de reais o governo de SP - Serra e agora Alckmin - gasta com assinaturas de Veja, Folha e Estadão? Esses sim recebem milhões. Enfim, acho que é pedir a um radical como você para "dar um Google" é pedir demais... Outra coisa: quanto o tal do Donizeti ganha da Petrobras? Milhões?
    Cara, corra prum posto de saúde e tome uma vacina antirrábica. É grátis, vai te fazer um bem imenso e não vai atrapalhar seus planos de comprar um chinesinho zero quilõmetro.

    ResponderExcluir
  120. Mister Car, leu o livro do Reinaldo Azevedo e gostou? A lavagem cerebral foi completa! Eu desafio qualquer leitor da Veja a fazer leitura crítica de qualquer livro ou revista. São todos adestrados! Vem tudo mastigado, e acordo com a ideologia da redação. Leitor idiota, que não está acostumado a pensar; repete o que escuta. Assim, reportagens típicas tipo "10 motivos para ser contra o desarmamento", "10 motivos para ser a favor do voto distrital", "10 motivos em favor dos remédios de emagrecimento"... Claro, kornalistas dos mais isentos fazendo a cabeça de uma "classe mérdia" desmiolada, incapaz de idéias próprias, incapaz de discutir conceitos ou de ter idéias próprias...
    A questão não é saber ler. É saber ler e saber questionar, saber quando concordar e quando discordar, saber que a empresa que edita um jornal ou uma revista tem interesses outros que apenas divulgar a verdade...

    ResponderExcluir
  121. Tem blogueiro aqui que provavelmente já foi molestado sexualmente por algum petista, não é possível...

    Como se a corrupção, incompetência e falta de ética fossem privilégio de apenas um partido. É tudo a mesma porcaria, seja de direita, esquerda ou de centro.

    Ou algum de vocês acredita que existe realmente algum partido político que realmente esteja preocupado com a melhoria de algo nesse país...

    ResponderExcluir
  122. Caro Bob

    Acho tendencioso seu comentario, pois pelo que vejo, voce gosta dos Coreanos, Chineses ETC.

    Estou em viagem pela Europa de carro eh claro e com um carro medio aqui que eh un Renault Megane Coupe, alias um carro maravilhoso, nao sei porque a Renault na o produz ai.

    Bem sem blablabla, Em Londres voce nao ve carro Coreano, Chines ETC, Em Paris tambem nao vi.

    Porque sera que eles nao importam ?

    Acho que a resposta eh unica eles nao gostam de carro que polua muito, nem carro descartavel e nem carro que nao passe nos crasch testes.

    Nosso governo demorou muito a fazer isso e acho que devemos sim brigar pela melhor qualidade dos nossos carros e nao por carros mais baratos e descartaveis.

    Desculpe colocar isso como tendencia sua, mas eh seu costume defender alguem que o esta pagando.

    Nao procuro ler algo tendencioso e claro esse nao eh o objetivo deste BLOG acredito eu.

    ResponderExcluir
  123. Luiz Evandro Águia18/09/11 18:56

    Caro Bob,, eu estava aguardando ansiosamente a sua posição sobre essa RASTEIRA do governo Federal do Brasil.. Seu texto esta muito claro, com o qual eu concordo 100% - Se o nosso amigo Miguel Jorge estivesse no comando de algum Ministerio envolvido nessa decisão injusta ,,tenho certeza que ele seria totalmente contra... abs, Águia From Floripa

    ResponderExcluir
  124. Inacreditável como há gente apoiando essa safadeza do governo, como esse anônimo de 18:50. Em primeiro lugar, não é função do governo dizer o que as pessoas devem ou não comprar; se tem gente querendo comprar carro coreano ou chinês, isso é direito delas.

    E é mais do que claro que esse aumento de IPI é um negócio bem sujo fechado entre o governo e a associação das fábricas instaladas aqui, não há preocupação nenhuma com o emprego do brasileiro.

    Ou então, explique como mais empregos vão ser gerados no Brasil barrando 5% dos importados (os coreanos e chineses) e deixando os mais de 75% que chegam do México e do Mercosul completamente livres? Se o argumento é proteção à indústria nacional, por que não aumentaram o IPI desses também, visto que, além de serem importados do mesmo modo, representam o maior volume desses produtos?

    ResponderExcluir
  125. A resposta é simples: porque esses mais de 75% importados do México e do Mercosul são dessas mesmas empresas que fecharam esse acordo sujo com o governo. Em outras palavras, é uma tremenda mentira essa história de proteção aos empregos dos brasileiros. O motivo principal era eliminar a concorrência de um jeito sujo. Pra quê melhorar os veículos, investir em tecnologia, reduzir os preços... se basta comprar uma ajuda suja do governo, certo?

    ResponderExcluir
  126. O Fantástico Mundo de BOB mais uma vez deslinda os meandros da realidade em um texto - para a surpresa dos desavisados - perfeitamente alinhado com a "opinião" livre e desinteressada da mídia direitista sulista burguesa pró-tucanada e seus acertos eleitoreiros com Gandinis e CAOAsss... E, obviamente, sempre aparece aquela audiência "qualificada", entusiasta, aplaudindo, porque também vivem na bolha de realidade criada pela "Matrix" da Folha, do Estadão e do Globo... Só rindo de vocês. Aliás, eu já andava rindo muuuito mesmo da cara dos coréia... Parabéns Brasil!!! Vamos colocar os pilantras imperialistas que gostam de espoliar a nação pra custear a diminuição das desigualdades de que tanto gostam aqueles que habitam o Fantástico Mundo de BOB... KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Aliás, onde andam os 2 bilhões que a Kia-Hyundai briga na justiça pra não pagar? Será que eles pagam agora?
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  127. Os comunas falando em leitura crítica, que piada. Só pode ser brincadeira...

    ResponderExcluir
  128. Até aquele bosta comunista encostado de brasília resolveu aparecer. É um merda em todos os sentidos, não me admira seguir essa ideologia de bobalhão deslumbrado do ensino médio.

    ResponderExcluir
  129. Existe gente burra e gente inteligente em todo o espectro ideológico, da esquerda à direita. Mas, convenhamos: a direita aqui está mal representada. O "argumento" do Uniblab contra o texto do Donizeti é que "o blog dele tem propaganda da Petrobras". O anônimo das 19:44 fala que "os comunas falando em leitura crítica, que piada. Só pode ser brincadeira". Meninis, você não sabem argumentar? Não tem massa cinzenta pra tanto?

    ResponderExcluir
  130. Ao anônimo de 18/09/11 20:21:

    Os esquerdistas estão bem mais mal representados aqui, até o momento não explicaram de onde virão os novos empregos para os brasileiros dessa medida sacana do governo.

    ResponderExcluir
  131. Anônimo 20:21

    O duro de debater com petralhas é sempre ter que ensiná-los a ler primeiro...eu não disse que o blog do tal Doniseti "tem propaganda da Petrobrás", sugeri ao outro anônimo que o verificasse porque achei que esse tal era colunista de alguma revistinha chapa-branca tipo Carta Capital, que como você bem sabe são praticamente sustentadas por propaganda federal. Depois eu mesmo achei o blog e constatei tratar-se de exemplar da "esgotosfera", que claro não tem nenhum anúncio...

    E se quiser mentir que não sabe o que é esgotosfera, leia isto aqui.

    E pra mim chega, agora é sério; "Vaca Amarela Cagou na Panela" para os covardes anônimos petralhas.

    Bob, por favor, se não quiser que aconteça com este blog o mesmo que aconteceu com o falecido blog do PCG, instale o Intense Debate ou o Disqus aqui, para esses ratos terem que dar a cara a tapa para variar...

    ResponderExcluir
  132. Argumentar com gente que acredita que a Venezuela e Cuba são dois países decentes, bons para se viver é demais. Não há como manter um diálogo minimamente inteligente.

    Voltando ao assunto do texto, vamos esperar os próximos dias para ver o desenrolar desta medida arbitrária do IPI.

    ResponderExcluir
  133. Uniblab, posto normalmente como anônimo e não sou um dos petralhas que se manifestaram acima. Apóio a sua idéia de instalar aqui um sistema de comentários como o Intense Debate. É o único jeito de manter lixos como o "padim cerra" longe daqui.

    ResponderExcluir
  134. Mais dois pefeitos idiotas latino-americanos (anônimo das 18:28 falando de leitura crítica) e o tal de Padim Cerra, com aquele papinho esquerdopata de de "imperialistas sugadores da nação". A nação, no caso, tem suas inúmeras mazelas não resolvidas, por motivos bem outros que não o "imperialismo". Será que este otário nunca ouviu falar do desperdício, da burrocracia, e da corrupção endêmicas que (isto sim) fazem com que o Brasil, o país de tolos, seja também o eterno país do futuro? Mas claro, é muito mais fácil eleger um vilão, que é para tirar a culpa das próprias costas. Como é mesmo que se diz...Ah, sim: o inferno são os outros, he, he, he!

    ResponderExcluir
  135. Se fosse para defender a "produção e o trabalhador brasileiro", iria taxar também carros feitos na Argentina e México.
    Além disso, como disseram, a "invasão dos importados" que serão taxados é menos de 25% do mercado. Fica lógico que quem está invadindo o mercado com importados e desindustrializando o país são justamente aquelas com fábricas aqui, que importam 75% dos carros...
    Enfim, fica explícito que o objetivo não é defender o trabalhador, mas sim ajudar alguns grupos estrangeiros a continuar seu cartel, que vende carro pelado por mais de R$30.000, que ainda chama de carro "completo" carro com AC, DH e vidro elétrico (só na frente), entre outras alegrias que só no braçil ainda existem.
    Quem defende este IPI, que além de tudo é inconstitucional, ou é muito ingênuo ou é muito mal-intencionado.

    ResponderExcluir
  136. Existe uma diferença básica entre importar carros da China/Coréia e do México/Argentina: boa parte do que produzimos vai para México/Argentina, ao passo que nem uma mísera unidade do que produzimos vai para China/Coréia. Isso justifica o tratamento discriminatório adotado entre esses mercados tão distintos. Só não vê quem não quer - e o próprio B.S. não abordou esse lado importante da questão.

    Agora, ser chamado de petralha por gente ridícula do naipe do Mr Cat (que confessou querer inventar o acrônimo "Bicha" para quem é de esquerda... Típica discriminação de homossexual enrustido e mal resolvido!)e do Uniblab chega a ser uma honra! Gente que é tão despreparada para qualquer debate racional que ante a falta de argumentos, vem falar em MST, Via Campesina, Cuba, Hugo Chavez, comunismo... Caras pálidas, quem aqui falou que aprova o regime de Cuba? O que Cu-ba tem a ver com as calças? Quem disse que eu gosto de Fidel e de Chavez (não, não gosto nem de um nem de outro)?
    Escutaram o galo nem sabem onde e querem falar de política; como não tem argumento, "acusam" os outros de comunistas. Sou capitalista convicto, mas acima de tudo sou nacionalista. Acho uma burrice atroz trocar empregos brasileiros por carros coreanos e chineses. E pelo amor de deus, alguém da "direita inteligente" venha para o debate. Até agora, o que eu ouvi foi engraçado de tão infame...
    Que dizer, Uniblab, da pobreza intelectual de um cara que "tenta" desmontar o argumento do outro falando em Petrobras e Carta Capital? Qual o problema da Carta Capital se alinhar com a Dilma? A Veja, o Estadão, a Folha e a Globo não se alinharam com o Serra? O governo de São Pauloo não direciona milhões de reais a esses veículos comprando assinaturas? Ou tudo o que vocês defendem com tanto rigor só se aplica ao PT e ao governo federal?

    ResponderExcluir
  137. PETRALHAS PETRALHAS BRRRUUUUUUUP!!

    ResponderExcluir
  138. Qualquer um com mais de 35 anos de idade vai se lembrar do chilique que as montadoras tiveram quando o Collor declarou o que todos sabiam: no Brasil so se fabricavam carrocas.

    Pois bem, apos duas presidencias pretralhas, e hora de puxar o saco daqueles que pagam as contas em brasilia: o lobby das montadoras e dos respectivos sindicatos.

    Se informe, Brasil! Politica industrial, planejamento economico e outros fetiches estatistas deveriam ter sido encinerados apos 70 anos de sangue eslavo ter sido derramado para provar que sao inuteis. Leia mais em http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1109

    "Quem esquece a historia esta condenado a repeti-la."

    ResponderExcluir
  139. O tal anônimo também revelou-se um grande psicólogo de mesa de botequim, e já fez sua análise sobre o que ele supõe serem minhas preferências sexuais, he, he, he! E pede para alguém da direita inteligente aparecer por aqui, he, he, he, he! Aqui já está cheio disto. Ainda bem que ele não perdiu ninguém da esquerda inteligente,pois isto seria impossível, he, he, he, he, he! Só rindo!

    ResponderExcluir
  140. Governinho medíocre, alimentado por povão ignorante: ao invés de reduzir a carga de impostos dos nacionais, aumentam a dos importados.
    Simples assim, e ruim para todos, menos para os tubarões malditos que enchem a pança de impostos.
    Ao inferno.

    ResponderExcluir
  141. Collor-ido19/09/11 08:25

    "Não alimentem os trolls!"

    Por favor, confrades, parem com esse bate-boca inútil! Vamos nos concentrar no tema...

    Em minha primeira postagem, defendi a "ressusrreição" do GEIA como forma de tentar preservar empregos e negócios no Brasil, DESDE QUE, pelas regras internacionais, isso seja possível.

    Será que acordos com o México ou Mercosul podem ser rompidos ou mesmo preservados, ainda que com medidas protecionistas? Vejo que a Argentina nos faz de "gato e sapato" e nada acontece... há legalidade ou leniência do governo brasileiro?

    Outro ponto: embora eu defenda algo nos moldes do GEIA, reconheço que as fábricas "antigas" no Brasil foram/são acomodadas. Com o crescimento da economia e câmbio valorizado, era visível que as "carroças" perderiam mercado. Infelizmente, pagaremos pela inércia das fábricas e do governo...

    Há de se ressaltar que também defendo o fim dos acordos com Mercosul e México, pra evitar a maquiagem de chineses, coreanos, alemães entrando em nosso mercado com benefícios fiscais.

    ResponderExcluir
  142. Acho interessante que tem uns e outros que acham 'bacana' essa medida do governo, pois os importados são 'inimigos'.

    Vamos parar para pensar, isso foi uma manobra rídicula desse governo rídiculo eleito por pessoas rídiculas. Se a industria nacional quer ser mais competitiva, por que não abaixa os valores dos seus carros? Tenho um amigo que comprou um Celta, e pagou 28 chinelos!!!!! Um Corsa Classic básico, custa 26 chinelos!!! Um carro de concepção dos anos 90!!!! Porra!!! E vem amigo falar que isso está certo??? Se querem tanto continuar protegendo as grandes, abaixem o preço dessas merdas!!!

    Mas... fazer o que se a maioria ama de paixão o partido do Vale-Pinga! PT deve ser a sigla para População Trouxa isso sim!

    ResponderExcluir
  143. O período das caroças quem estava no poder ? A direita! Uau tem muita gente que aprendeu com a história aqui... provavelmente todos economistas com PHD! Cite algum país que só importa carros que está bem? EUA? grande parte de sua frota é fabricada lá mesmo ou no México... Alemanha? industria local forte... enfim tantos ignorantes se achando entendidos que chega a dar dó...

    ResponderExcluir
  144. "Se o mercado passa por um período de desaceleração, evidenciado por pátios cheios e férias coletivas concedidas aos trabalhadores da indústria automobilística..."

    É só aumentar em 30% o IPI dos importados que o problema da fuga de clientes se resolve... Acabei de ver um vídeo onde o candidato a comprador de um importado disse, com todas as letras, que com esse aumento, os nacionais voltam à dianteira na sua intenção de compra.

    Isso também me leva a crer que os nacionais que tiveram seu preço reduzido, graças aos R$ 37.900,00 pedidos pelo J3, logo, logo voltarão ao antigo patamar de preços e equipamentos, já que o chinês terá seu preço aumentado...

    Será que algum dia essas coisas mudam, no Brasil???

    PS: Também me pergunto se esses pátios cheios já não seriam um reflexo do comprometimento da renda que assola a "nova classe média", que já comprometeu tudo o que podia e agora tem que esperar o pagamento da última parcela do carnê, para poder comprar outro carro 0Km em um novo financiamento...

    ResponderExcluir
  145. Vamos continuar vendendo bananas e importando Camaros e Mustangs! Isso assim nossas divisas e empregos vão para países estrangeiros, genial!!!! nunca vi tantos intelectuais juntos!!!! estou emocionado!!!!

    ResponderExcluir
  146. O que a grande maioria está dizendo aqui, é que um importado oferece muito mais 'serviços' por um preço, até então, atrativo.

    Ou vc, Anônimo das 11:04hs, com seu patriotismo idiota, prefere pagar quase 30 chinelos em um carro que não tem bosta nenhuma? Por isso que esse país está sendo governado por esse loucos!

    O que estava começando a acontecer, era que a indústria nacional, ia ter que por a mão no bolso, para diminuir os valores dos seus carros.

    Fico indignado, pois pela maioria da população, ia ser legal ainda ser fábricado um carro, com motor carburado, vidros brancos, sem espelho do lado direito com ventilação forçada de duas velocidades (se não fosse opcional). Se as importações não tivessem sido liberadas, esse seria nosso cenário.

    ResponderExcluir
  147. anônimo, 11:29
    Não se espante se, logo logo, um desses asquerosos propor tal idéia. Alguma coisa como fabricar um Trabant por essas bandas. Cretinos.

    ResponderExcluir
  148. Anônimo 11:47

    Não mexe não, que é capaz do petralha cretino repetir que "é melhor ter 50 mil para comprar um Trabant do que não ter 20 mil para comprar um i30" ou outra sandice do tipo.

    Essa escória é o verdadeiro cu da cobra...

    ResponderExcluir
  149. É o atestado supremo da ignorância atribuir total responsabilidade ao partido vigente, quando a oposição faria (como já fez) algo da mesma "grandeza"... tem muita gente aproveitando esse espaço - onde finalmente se pode ter opinião crítica e bem-fundada a respeito do assunto - pra fazer propaganda/rixa política. Como se qualquer partido (e digo qualquer mesmo) não fosse ceder à força das 4 grandes...
    O buraco, infelizemente, é mais embaixo.
    E que se danem pt e psdb! A "boa-vontade política" tem que partir é da gente primeiro!

    ResponderExcluir
  150. Ícaro

    De minha parte, você tem toda a razão. Especialmente considerando a promíscua relação de amor e ódio que esses dois partidos têm entre si...que os petralhas fanáticos fingem não entender.

    ResponderExcluir
  151. Duro mesmo é a foto que abre o post... Ninguém merece ouvir as borrachas que esses dois, o Merdandante e o cara de manteiga, falam. Agora, náusea mesmo a gente sente quando aquele infeliz do Cledorvino Bellini justifica a medida. Lixo!

    ResponderExcluir
  152. ...E ainda esquecem que, se não exportamos para Coréia ou China, nem para Europa ou EUA, é simplesmente porque o cartel da ANFAVEA se especializou em fabricar aqui LIXO ultrapassado que mal vende no MErcosul.
    Agora, os fabricantes aqui instalados fizeram uma escolha errada, de empobrecer e defasar seus produtos. E agora nós somos obrigados a arcar com os custos do erro de estratégia deles?
    E, vale lembrar, nenhum "brasileiro" sai ganhando, afinal estamos defendendo empresas ESTRANGEIRAS, tão estrangeiras quanto JAC e Hyundai, que adoram remeter lucros secretos lá para fora.

    ResponderExcluir
  153. Rafael Bruno19/09/11 17:02

    Resumindo: você antes pagava 30-35 mil reais num picanto completasso. Abs, aibarg, etc.

    Com esse dinheiro agora, o jeito é pegar um Gol/Corsa pelado.

    ResponderExcluir
  154. Rafael Bruno, não por muito tempo. Sem concorrência, logo logo o Gol/Corsa pelado estará custando o preço do Picanto completasso mais o aumento de IPI. Aí, mais tarde, o governo vai aumentar de novo o preço dos importados para "proteger a indústria nacional" e pode apostar que vai ter gente aplaudindo de novo. Até o ponto em que o Gol/Corsa pelado custe o mesmo que um BMW... e ainda assim vai ter gente aplaudindo...

    ResponderExcluir
  155. Náuseas!!!

    Ler o que estes PETRALHAS escrevem me dá náuseas!!!

    Agora sei a razão do mal estar no domingo após conversa com o pai de um amigo, que por consideração a ele, não falei poucas e boas. Isto somente porque estava em sua casa e educação não me falta, já não posso dizer o mesmo de seu respectivo pai.

    PETRALHAS não argumentam, vomitam um monte de "idéias" (será ideia mesmo a palavra?) desconexas, ou então procuram, de forma nojenta, desmerecer ou desqualificar, sem razão para tal, o argumento do contrário.

    Aos que criticam os carros chineses, cabe a máxima, "COMPRA QUEM QUER"...
    Detalhe o nosso recém-lançado Classic não tem mais espaço no mercado Chinês. Eu não compraria, mas será que estes chineses são tão ruins assim? Serááá?

    FAÇO ECO AOS INDIGNADOS QUE AQUI ESCREVEM!!!

    Não acredito que seja miopia de alguns que aparecem por aqui, este local é teoricamente bem frequentado, tem figurinha de rabo preso escrevendo anonimamente por aqui, heim! EU NÃO DUVIDO!!!

    BRASIL ESTE NÃO É SÉRIO MESMO!!!
    Imagine algo assim na França, não precisaria de tanto para que fosse inciado um "quebra-quebra"... Cada povo tem o que merece!!!
    TAQUIPARIU!!!

    ResponderExcluir
  156. ADIE SUA TROCA DE CARRO PARA DEPOIS DE DEZ/2012, QUE É QUANDO O IPI PROTECIONISTA ACABA
    2

    ResponderExcluir
  157. http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/9/19/quatro-grandes-fizeram-lobby-do-ipi

    ResponderExcluir
  158. Fico chocado em perceber, a cada ação desse tipo, o quanto o Brasil é um país que NUNCA faz nada pensando no interesse de seu povo, e sim de uma minoria que tem dinheiro e manda e desmanda. Temos a gasolina mais cara do mundo, os carros mais caros do mundo, saúde dilapidada... enfim... dá nojo mesmo.

    ResponderExcluir
  159. Trecho final do clipping postado.

    "A necessidade de dedicar parte substancial da receita em pesquisa e desenvolvimento, outro requisito fixado pelo decreto, também não dará nenhum trabalho às empresas com mais tempo de Brasil. O setor nunca encontrou dificuldades para dedicar-se à arte da criação de automóveis num país com farta matéria-prima, extensão territorial suficiente para produzir em escala e mão de obra preparada."

    CONTA AQUELA DO ELEFANTINHO POOOORRA!!!

    ResponderExcluir
  160. Que bobagem gente....o PT fez essa bobagem agora, da msm maneira q o PSDB fez em 1995 tbm.

    Vcs combatem os corruptos mas se eskecem que o CORRUPTOR permanece o mesmo.

    O grande vilão se chama ANFAVEA...só que vocês não se dão conta disso.

    A grande verdade é que todos os partidos querem o poder p/ se beneficiar do poderio econômico da ANFAVEA.

    Não se iludam pois a verdade é essa...

    ResponderExcluir
  161. Penso que se deixarmos de comprar (utopia) combateríamos o corruptor.

    O PSDB fez antes, o PT fez agora, isso não faz deste fato algo aceitável para alguém que tenha um mínimo de discernimento, concorda?

    Se antes não estava bom, agora que eu não compro carro 0km meeeesssmo!

    E vou fazer a cabeça da minha irmã para não comprar também, aliás ela queria um i30 CW... Agora refaço a pergunta feita acima, é negócio comprar este carro enquanto há estoque ou corre-se um grande risco de ficar "orfão"?

    ResponderExcluir
  162. Ai, foi que eu teclei a tempos que os chineses não são confiáveis ! Apesar do absurdo que o governo vez, quebrando as pernas literalmente de todos os carros impostados, decapitando o "livre comercio" e concorrência, já me surgiu uma informação vinda de um grande colega especialista em mercado exterior que as chinesas, apesar do grande lucro com seus carros aqui, estão querendo abrir "fabricas" na Argentina e México, só para retalhar a atitude absurdamente ridícula e gananciosa deste mercado podre que é nosso automotivo brasileiro. Não adianta, os caras daqui querem forçar a barra em cima do povo brasileiro, mas ainda bem que a concorrência serve para isso. Que se exploda as 4 grandes daqui e aprendam a ser inteligentes e honestos com seus consumidores que SUSTENTAM ELES !

    Recado: Cuidado dona Fiat, a maior vilã nacional ! Você só tem o Brasil para que sustentar ! Peixe morre pela boca...

    ResponderExcluir
  163. Vamos ver a quantos dinheiros os JACs serão vendidos agora, daí teremos uma boa noção da espessura da gordura desse pedaço de picanha.

    ResponderExcluir
  164. Nilton Lopes20/09/11 13:15

    Unilab, se os petralhas são tão ruins e nocivos, quem é bom?
    É o que é troll pra você? É quem pensa diferente da sua visão? Tem gente aqui que postou que simplesmente postou a opinião sem ofensas (nem todos) mas você os classificou de troll. Já procurou a definição de troll? Você pode se surpreender.
    Acredito que por ser escrita, a internet perde quando em uma discussão de ideias, não há entonação nas palavras, o olhar, os dentes, coisas que nos ajudam a avaliar melhor se ha agressividade ou coisa do gênero, portanto pegue leve. Li quase todos os comentários, e os seus marcam pela agressividade típica de torcedor de futebol, de torcedor A que não tolera o time B e ponto. Política não é assunto para se fazer com o fígado, concordo que os petralhas fizeram muitas coisas que não deviam mas fizeram boas também, enxergue isso dá mesma forma que tem muito tungano e tucanalha que acertam em umas e erram e outras mas que não diferem um centavo na roubalheira, só não comenta quem compactua com privatizações a preço de banana, caso Alston, Paulo Preto, Controlar, CCR, no cunhado do Alckimin, na filha do Serra sócia do Daniel Dantas, Mafia da Ambulâncias, fraude no painel do senado, é tudo semelhante nesse plano. Agora, se você não é nem petralha nem tungano, por favor me diga, quem é bom ou perto disso que vai ganhar meu voto. Porque se não, infelizmente, vou votando no que acho menos pior ou no que a imprensa não encobre, pois assim é mais fácil ficar de olho e cobrar.
    Um abraço cordial.

    ResponderExcluir
  165. Cap Nascimento20/09/11 13:23

    Nilton Lopes!!!
    O Sr. é um fanfarrão, Sr. Nilton Lopes! O Sr. é um fanfarrão!!!
    Mas que doces palavras!
    SEU SEM VERGONHA! O PT DEMOROU MAS CONSEGUIU, ESTAMOS TODOS FUDIDOS NAS MÃOS DESTA CORJA!!! QUADRILHA!!!

    ResponderExcluir
  166. Cristiano Mendonça20/09/11 13:35

    Não percam o próximo PAINEL da GLOBONEWS; vai ser muito interessante. Teremos o Guido Mantega
    dando dicas de pilotagem e o Bob Sharp fazendo análises econômicas com o Willian Waac mediando tudo para delírio dos Mr. Cars da vida. Vai ser uma beleza! Muito elucidativo!

    ResponderExcluir
  167. Juvenal Antena20/09/11 13:47

    Mendonça? Parente do DUDA???

    JUSTAMEEEEEENTE!

    ResponderExcluir
  168. http://carplace.virgula.uol.com.br/politica-instavel-do-governo-pode-cancelar-projetos-de-novas-fabricas-no-brasil/

    ResponderExcluir
  169. República das bananas é mesmo vergonhosa. Se a bronca é com os "importados", deveriam mandar o Guido Mantega de volta para a Itália junto com o assassino Cesare Battisti. Se realmente houvesse uma intenção de favorecer a produção e geração local de empregos, reduziriam a OBSCENA carga tributária imposta aos modelos nacionais, como por exemplo zerando o IPI a exemplo do que ocorre com modelos argentinos e mexicanos (e motos montadas na Zona Franca de Manaus com uma grande quantidade de peças chinesas, tailandesas e vietnamitas).

    ResponderExcluir
  170. Excelente matéria, Bob Sharp! Trata-se, infelizmente, de injustificável protecionismo à indústria automobilística multinacional, a expensas do consumidor brasileiro. Meus comentários completos sobre o assunto encontram-se no Blog do Braga da Rocha: http://bragadarocha.blogspot.com/2011/09/protecionismo-industria-automobilistica.html

    ResponderExcluir
  171. Apoio a medida adotada pelo governo, além de detestar os automóveis da Coréia do Sul e da China.
    Valeu governo brasileiro.
    Mandou muito bem!

    ResponderExcluir
  172. esquerdalha tosco! larga a mão de falar bobagem... POUPE OS AUTOENTUSIASTAS!

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...