22 de setembro de 2011

UM MUSEU DE AUTOMÓVEL EM PERIGO


O jornalista Roberto Nasser, 65 anos, é antes de tudo um grande autoentusiasta e um dos nomes mais respeitados. Pertence ao time da velha guarda É desses que vivem automóvel desde a adolescência. Formou-se em Direito e exerce a profissão dividindo-a com o jornalismo especializado. Tem uma cultura automobilística invejável. Esse perfil levou-o a idealizar e criar o Museu Nacional do Automóvel na cidade onde vive desde 1961, Brasília, depois de passar os primeiros anos da sua vida na sua cidade natal, o Rio de Janeiro.

O museu está localizado no Setor de Garagens Oficiais Norte, Quadra 1, n° 205, próximo ao Eixo Monumental, na altura do Memorial JK. Ocupa desde 2004 dois galpões numa área total de 1.800 metros quadrados e o espaço abriga carros antigos, relíquias automobilísticas e biblioteca. Mas o museu corre o risco de fechar as portas.

Isso porque por ordem judicial a área deverá ser devolvida ao Ministério dos Transportes, que quer os dois galpões para estocar o arquivo morto da extinta Rede Ferroviária Federal, um reinvidicação do ministério desde 2009. Em setembro de 2010, portanto há um ano, o órgão entrou com pedido de reintegração de posse na Advocacia-Geral da União. A Justiça concedeu 30 dias de prazo para devolução do espaço.

Nasser, que é curador e diretor do museu, recorreu e obteve mais 180 dias, mas o prazo venceu em 30 de maio último.

A ocupação da área pelo museu se deu por convênio entre a Fundação Memória dos Transportes, representada por Nasser, e o governo federal. Só que no entendimento do Ministério o uso da área pelo Museu não tem validade legal, uma vez que o convênio foi rescindido há mais de 10 anos. Mas, segundo Nasser, o convénio foi firmado em 1996, quando a área não pertencia ao Ministério dos Transportes, mas à Secretaria de Patrimônio da União.

Independentemente das pendengas judiciais, há o absurdo, a insensibilidade de um órgão federal em relação a um assunto de tamanha importância para a cultura em geral e automobilística em particular do nosso País, pretender desalojar um museu para usar o espaço como depósito. Só mesmo no Brasil....

O museu funciona com a verba proveniente da venda de ingressos e com apoio financeiro do próprio Nasser. Parte do acervo lhe pertence, parte é consignação. Nos últimos dez anos ele tem investido em benfeitorias no imóvel e, claro, deseja continuar permanecer na área.

Nasser ressalta a localização, na rota turística da Capital, e diz, com razão, que seria arriscado transferrir todo o acervo para outro endereço. Diz, ainda, que o arquivo morto da RFFSA é todo digitalizado e de modo algum precisa ocupar dois galpões.

Sua preocupação maior, claro, é que a desocupação signifique o fim do museu, o que seria uma perda irreparável. "É a trajetória automobilística brasileira sendo contada a crianças e adultos de todas as regiões e classes sociais", como ele diz. Para Nasser, acaba ele fazendo um investimento que caberia ao governo ou entidades que representam os fabricantes de veículos.

O Secretário de Turismo do Distrito Federal também considera o museu fundamental para Brasília, pois além de instruir e contar a história automobilística do País, constitui um grande atrativo turístico.

Quem já o visitou, como eu, fica maravilhado com o que está ali exposto. Ha carros realmente raros, com o Willys Capeta, um protótipo de grâ-turismo desenhado e construído no Brasil (a foto de abertura  mostra bem a variedade). Na biblioteca especializada, mais de 7.000 exemplares compõem o maior acervo do segmento do País.

Temos de lutar contra esse absurdo inominável. Divulgue o problema, escreva para o seu deputado, seu senador, seu jornal, proteste enquanto é tempo. Este museu não pode acabar por mera intransigência do Ministério dos Transportes. Que arranje outro local para guardar arquivo morto qualquer que seja.

Visite www.museudoautomovel.org.br
Escreva para curador@musedoautomovel.org.br
Telefone para (61) 3225-3000

BS

40 comentários:

  1. Isto sim á algo lastimável, Bob!
    Este ministério dos transportes é uma grande bosta, mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Me lembrei do que foi o Museu do Automóvel da ULBRA, em Canoas-RS que, em função de uma grave crise financeira desta universidade, teve de ser leiloado. Um triste fim. Tomara que consigam reverter a decisão à favor do amigo Nasser.

    ResponderExcluir
  3. Eduardo Vieira22/09/11 16:31

    Bob,
    Tem como iniciar um abaixo assinado aqui pelo blog ou outra página?

    ResponderExcluir
  4. País de baixo nível intelectual significa poucos museus.
    Governo de baixíssimo nivel intelectual significa não ver lucro em museus.
    Mas o lucro é intelectual, coisa que os governos não querem, lógico.

    ResponderExcluir
  5. "País rico é país com arquivo morto" (!)

    ResponderExcluir
  6. Jurava que seria um post sobre a GMB.

    Lamentável atitude do ministério dos transportes e espero que a razão fale mais alto...

    ResponderExcluir
  7. Mister Fórmula Finesse22/09/11 17:06

    Vamos conseguir o email ou algum outro canal direto com o ministro dos Transportes Paulo Passos e começar a exigir que uma atitude tão sem sentido, escrota e burra seja revista.

    ResponderExcluir
  8. Vitor Alves22/09/11 17:19

    Passo perto deste museu todos os dias, é muita cara de pau do ministério dizer que precisa de todo aquele espaço para guarda um arquivo morto que já esta digitalizado ¬¬
    Como as coisas nesse país são bagunçadas.

    ResponderExcluir
  9. Bem típico. A RFFSA tem prédios abandonados pelo Brasil todo, mas o ministério encasquetou que tem que ser ESSE prédio. A licitação da empresa que vai cuidar do arquivamento já deve estar a caminho.

    ResponderExcluir
  10. Há algumas maneiras do Sr. Roberto Nasser resolver isso:
    - Entrar para algum sindicato;
    - Criar um blog progressista;
    - Procurar um lobbista forte, pode ser um que despacha de dentro de um quarto de hotel.

    ResponderExcluir
  11. Tenho a honra de conhecer o Nasser e sei de seu empenho e seriedade quanto aos assuntos que se referem ao "antigomobilismo" e à "arqueologia" da história do automóvel, em especial a nacional.

    A "placa preta", por exemplo, foi criada em função de seus esforços com os congressistas.

    Talvez a melhor forma de sensibilizar o governo federal seja justamente apelar aos deputados e senadores, como você sugeriu. E na linha do Mister Fórmula Finesse, lembro que o ministro Paulo Passos, salvo engano, é filiado ao PR.

    Como sou de SP, excluí o deputado Tiririca (desse partido), mas apelei algumas vezes ao Dep. Milton Monti, lamentavelmente sem ter tido nenhuma resposta.

    Se alguém tiver conhecimento na esfera federal e puder ajudar a preservar o Museu Nacional do Automóvel, pode ficar tranquilo quanto à justeza e justiça do pedido.

    ResponderExcluir
  12. Absurdo!
    Tosco!
    Essa é cara do nosso poder público. Um descaso e desrespeito para com a memória do país.

    ResponderExcluir
  13. A coleção é particular? Se for, não sei porque da choradeira.

    ResponderExcluir
  14. Eduardo Vieira
    Boa idéia. Tem jeito, vou ver isso.

    ResponderExcluir
  15. Anônimo 22/09/11 18:07: melhor ler o que você escreveu do que ser cego!

    A localização do museu realmente é perfeita para o circuito turístico de BSB. Apesar de não ser possível e até certo ponto perigoso, a distância do Memorial JK para o museu são as 6 faixas do eixo monumental. Um ônibus de excursão que pare na praça do buriti anda, se muito, uns 800 metros até chegar na porta do museu e mais uns 300 até o estacionamento do memorial.

    Se por conta da imbecilidade de um Ministério que deveria mais era incentivar atitudes como a do Nasser o museu for fechado, em um país sério os dois últimos papéis que ele assinaria seriam a portaria de desocupação do prédio e a sua própria comunicação de demissão.

    Já mandei e-mail para alguns deputados da bancada do DF mas até agora não tive resposta. Devem estar muito ocupados fornicando com alguma prostituta paga por lobista ou então no banheiro, defecando e se organizando para votarem leis que prejudicam o povo.

    ResponderExcluir
  16. Luiz Dranger22/09/11 18:38

    Bob,
    Conheço o museu. É muito bom e o estado de conservação dos carros é ótimo. Isso é o Brasil. Vou ver o que posso fazer para ajudar o Nasser. Mandar essa mensagem para o Walter Feldman, o único político sério que conheci e como ele está impulsionando o Brasil para a Copa, talvez ajude, caso queira "peitar" algum babaca.
    Abr, Luiz Dranger

    ResponderExcluir
  17. Bob
    Será que o RN já tentou contato com o Alexandre Garcia da TV Globo Brasília? Tenho certeza de que, sendo como ele é, não deixaria passar em branco.

    ResponderExcluir
  18. Lamentável, mas a ideia do Eduardo é ótima. Como o Bob diz que tem jeito, vamos nessa.

    ResponderExcluir
  19. Já sabia deste absurdo a tempos, mas tinham me dito que já estava resolvido, porem vejo a ainda continua com o mesmo problema. Já foi algumas vezes lá com minha família e e as vezes sozinho com mais tempo para dar uma "estudada" no acervo literário. Conheço o Nasser, grande homem e uma ótima visão da vida e da nossa paixão que são os automóveis.

    Algum aqui de Brasília ou de outros estados, não conhece algum politico que queira enfrentar essa pendenga ridícula ? Algum conhece o Piquet por exemplo, seria uma pessoa joia para isso ! Ou alguém forte que goste e abrace a causa, para manter este bela "garagem e sala de aula" !

    Vamos lá pessoal, se esforcem para manter o pouco que nos restou !

    ResponderExcluir
  20. Aproveito o ensejo e proponho:

    TROCO PAU A PAU MEU OPALA 84 NAQUELES ALFAS 2300 (O AZUL E O CINZA) E NO FUSQUINHA.

    COM CERTEZA, O MUSEU OCUPARÁ MENOS ESPAÇO DO GALPÃO.

    É PEGAR OU LARGAR!

    Talles

    ResponderExcluir
  21. Anônimo 22/09/11 18:07: melhor ler o que você escreveu, do que ser cego (2).
    Ah, Bob... Quantas tardes de sábados e domingos eu visitei este Museu, quando morei em Brasília! Ficava lá, curtindo aqueles carros e batendo longos e deliciosos papos sobre antigos com o Sr. Vicente, que era quem ficava na entrada do Museu, à época. Cheguei a conhecer pessoalmente o Roberto Nasser, também. Quando mudei para lá, a primeira coisa que eu quis saber de meu primo, era se havia exposições de carros antigos, encontros, essas coisas. Descobri também os Encontros semanais no estacionamento do Terraço Shopping, e os dominicais no Museu da Memória Candanga, onde fica o ateliê do Veteran Car Clube. Há algum tempo soube que estavam querendo desalojar o Museu do Automóvel de Brasília, mas pensei que já tinham resolvido o problema, deixando-o lá mesmo. Vou escrever aos políticos sim, solicitando que façam algo para impedir esta barbaridade. Me lembro de cada carro desta foto que ilustra seu post. Que saudades! Não só do Museu, mas de Brasília, cidade pela qual sou absolutamente, loucamente, desesperadamente apaixonado. Muitas vezes na vida ouvi gente dizendo amar esta ou aquela cidade, e isto sempre me pareceu exagero, força de expressão. Amar uma cidade? Bobagem, pensava eu. Mas um dia, conheci Brasília, e foi uma paixão avassaladora, fulminante, instantânea, assim que coloquei meus pés lá. Talvez nunca mais retorne para morar, mas quando terminarem meus dias, todos já sabem: quero ser cremado, e ter minhas cinzas jogadas no Lago Paranoá, do alto da passarela de pedestres da Ponte J.K. Quero ver se volto para passar um mês mais um pouco para o fim do ano, depois de 5 anos longe deste lugar.

    ResponderExcluir
  22. PQP!!! Acabar com o espaço de um museu para usar o lugar para guardar papelada?!!! Realmente, deu a louca no mundo, e ainda mais neste Brasil.

    Já que o pessoal lá naquela mesma ilha da fantasia tá que tá liberando milhões de reais para construir e reformar umas merd...s de estádios para a copa, por que não constroem um lugar para guardar esses papéis?

    Não é possível, tem que haver algum jeito de reverter essa decisão. Quando penso que nada mais vindo daquele bando me surpreenderia, eles conseguem se superar. Se rolar um abaixo assinado, tô dentríssimo!!!

    ResponderExcluir
  23. caros,

    já existe um abaixo-assinado em curso, feito quando do primeiro "aviso" do Ministério dos Transportes. leiam, assinem, divulguem:

    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=apoiomab

    ResponderExcluir
  24. Johnconnor (old rocker)22/09/11 21:36

    Gostei da idéia do Mister Fórmula Finesse.Quem souber o e-mail do ministro dos transportes,seus ascessores ou de qualquer deputado,senador,juiz etc etc poderia divulgar aqui no blog.Com isso a gente poderia inundar a caixa postal eletronica dessa gente com mensagens de indignação.
    Agora fala sério hein, o Brasil querendo fechar museu??Por q será q isso não me surpreende nada hein??
    Há uns três anos atrás aconteceu um fato interessante aqui na cidade aonde moro.Aqui a camara municipal, a biblioteca municipal e os computadores do programa de inclusão eletronica do governo federal que dão acesso gratis a internet ocupam o mesmo prédio.Cabe todo mundo, acontece que dois ou tres vereadores acharam que eles e seus ascessores deveriam ter salas privativas.Alguem adivinha aonde queriam por estas salas??Isso mesmo, queriam transferir a biblioteca e os computadores que são usados gratuitamente por crianças carentes para um prédio totalmente inadequado,com metado do espaço,instalação elétrica precária e ainda por cima alugado pra poderem colocar suas salas.E isso estava correndo no maior segredo.Depois que a noticia foi divulgada por jornais e em um blog regional de um jornalista amigo meu a coisa mudou de figura.Aí nimguém mais achava os "páis da criança". Á idéia caiu no esquecimento e até hoje ninguém mais tocou no assunto das salinhas dos vereadores.
    É por isso q eu afirmo q esse tipo de pressão nos meios de comunicação funciona muito bem com esse tipo de gente.Principalmente se tiver jornalistas do calibre do Bob e do Roberto Nasser envolvidos.Acho que se organizarmos uma divulgação maciça dos fatos tanto para o publico quanto para os outros Blogs,revistas,sites etc de automobilismo junto com e-mails de indignação para as autoridades politicas poderemos ter resultados bem positivos.

    ResponderExcluir
  25. Já assinei o abaixo-assinado do link postado pelo Eduardo Palandi.

    ResponderExcluir
  26. Já assinei o abaixo-assinado do link postado pelo Eduardo Palandi.(2)

    ResponderExcluir
  27. "Jurava que seria um post sobre a GMB."

    (2)

    ResponderExcluir
  28. Esse falecido museu automobilístico da ULBRA era incrível, tive o prazer de visitá-lo, me senti no paraíso no meio daqueles carros lindos...
    Ah os carros fúnebres...
    ...pareciam esculturas em aço!!
    Foi uma pena ter ido a leilão, e uma pena eu não estar com memória suficiente na câmera para ter tirado foto de todos...

    ResponderExcluir
  29. Os burocratas brasileiros encasquetados nas suas salas com ar condicionado em Brasilia usufruindo do dinheiro publico....gentalha que "arruma" a vida da familia inteira....NÃO SÃO TODOS....esta gentalha que tem seu salário pago pelos impostos escorchantes não é sensível ao apelo publico, esta história do Museu do Nasser já está rodando pela internet a uns 3 ou 4 anos, já ouve uma grita geral e não adianta nada....TEMOS É QUE DESCOBRIR O NOME DO BUROCRATA QUE ESTÁ ATRAVANCANDO A COISA.....NÃO ADIANTA ESCREVER PARA SEU POLITICO....VC RECEBE UMA RESPOSTA-PADRÃO VIA EMAIL E MAIS NADA...........SÓ COM ALGUM NOME FORTE NA TELEVISÃO É QUE OS CARAS TIRAM A BUNDA DA CADEIRA....PROVAVELMENTE ESTE ESPAÇO SERÁ MAIS UM DAQUELES QUE ALGUM "CUMPANHERU" DE ALGUM MINISTÉRIO IRÁ VENDER A PREÇO DE BANANA PARA ALGUMA EMPRESA DE ALGUM "CUMPANHERU"....CAPISCE ?

    ResponderExcluir
  30. Francisco J.Pellegrino,

    ALL...

    ----------------------

    Sou bauruense e, um dia, a cidade foi o maior entroncamento ferroviário do país. Alí convergiam as linhas da Estrada de Ferro Sorocabana, Companhia Paulista de Trens (Atual FEPASA) e Noroeste do Brasil (Atual RFFSA).

    Depois da "privaDização", essa questão da "papelada" das ferrovias ficou bastante espalhada, uma vez que a nova concessionária não está nem aí para as antigas empresas. Minha tia, uma viúva de ferroviário, precisou de um livro de sei-lá-o-que e demorou mais de 2 anos para encontrá-lo, tamanha desorganização.

    Falta de espaço para arquivos é o que não falta. Há inúmeros prédios públicos parados para isso. Eu também não vejo motivo aparente para fecharem o museu, para montar um "arquivo morto" por lá...

    Santa hipocrisia.

    Nessa terra só três coisas tem importância para o povo. Futebol, samba e bolsa vagabundagem...

    Incrível. :(

    ResponderExcluir
  31. Luiz Evandro Aguia23/09/11 08:49

    Este absurdo jamais aconteceria no nosso pais vizinho,, a Argentina,,Eles preservam muito q historia do automobilismo,, Ano passado estive na ACA - Automobil Club Argentino,, e perguntei se eles poderiam me informar os resultados do Campeonato Mundial de Rallye de 1985, - porque no Brasil a CBA-Confederaçao Brasileira de Automobilismo nao tinha mada arquivado..- Me levaram a biblioteca , aonde encontarei a pasta completa do Rallye com todos os resultados , etapa por etapa.. Digitalizei as partes que me interessavam para meu arquivo pessaol pois, participei deste Mundial com um carro fabricado no Brasil - O VW Passat 1,6, e que havia sido preparado na ala Zero da VW do Brasil graças a ajuda do amigo Bob Sharp que na ocasiao era o responsavel pela area tecnica de competiçoes da VW. Ate hj agradeço esse grande apoio que o Bob nos prestou...Irei escrever aos Deputados e Senadores que conheço pessoalmente para tentar-mos reveter esta injusta decisão judicial ,, abs ,Águia from Floripa.

    ResponderExcluir
  32. E AINDA TER QUE OUVIR QUE BRASILEIRO GOSTA DE CARRO....

    ResponderExcluir
  33. Lobby para ajudar a preservar esse museu a Anfavea não faz...

    ResponderExcluir
  34. Tb assinei no link citado, falei o que vou falar aqui:como não gera um dinheiro para os bolsos daqueles que ficam sentadinhos atrás das mesas e não fazem nada de útil eles ficam frustrados ,querendo destruir uma coisa bem feita que dá certo....

    ResponderExcluir
  35. Faltou apenas dizer que o Nasser foi o grande responsável pela lei que criou a "placa preta" para os veículos de coleção. Excelente jornalista e grande "alfista", espero que a história do museu tenha um final feliz, e que ocorra a cessão da área ocupada em caráter definitivo. Força, Nasser!

    ResponderExcluir
  36. Incineração é a solução...

    E que queimem junto com os papéis da Erre-efe-efe-esse-ah-erre-efe-esse-ah (Kleyton&Kledyr) os políticos TODOS!!

    ResponderExcluir
  37. Infelizmente no Brasil é muito difícil que um museu em vias de fechamento escape de um fim indigno.
    Seria,com este, o terceiro museu automobilístico (que eu tenho conhecimento) a ter um triste fim, juntamente com o de Caçapava (SP) e o do ULBRA.
    Fiquemos na espectativa, entretanto, que o jornalista Nasser consiga outro lugar.

    ResponderExcluir
  38. Cledorvino o inocente da Anfavea,poderia ligar para o cabeça de ovo, sim aquele ex GM que é colecionador, mora em S.Caetano do Sul ou imediações.....ele tentou criar um museu na cidade mas acho que a multinacional não tem dinheiro suficiente para manter a coisa...são uns americanos pobretões que logo a JAC vai vender muito mais que eles...

    ResponderExcluir
  39. Johnconnor(old rocker)23/09/11 15:27

    Acabei de assinar a petição.
    Agora me digam uma coisa, tanto se fala q o Brasil é o quarto mercado automobilistico mundial e tal,então cadê a iniciativa privada (montadoras)pra apoiar o museu nessa hora???
    Se fosse o museu do futebol,da cerveja ou da "mulépelada" garanto que não ia faltar patrocinador.

    ResponderExcluir
  40. Eu sugeri acima intercessão/patrocínio da Anfavea, mas também tem o outro lado da questão...o museu daí teria que "comer no cocho" das montadoras. Já pensaram, ter que dar lugar de honra para o Fragile... :)

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...