20 de maio de 2012

LAND ROVER DISCOVERY 4, NOVOS MOTOR E CÂMBIO

Fotos: Jaguar Land Rover Latin America


Nada mudou. Mesmo pertecendo desde 2008 à indiana Tata Engineering and Locomotive Co. Ltd., a Land Rover continua mais britânica do que nunca, nem parecendo vir de uma desindustrializada Inglaterra. O Discovery 4, surgido em setembro 1989, marcou a forma mais "civil" do famoso utilitário que começou como jipe em 1948 e evoluiu para o Defender no começo de 1983. Já em mãos indianas, o Discovery foi atualizado em 2009 e recebeu motor biturbo Diesel V-6 de 3 litros e V-8 5-litros a gasolina, fabricados pela Jaguar, também pertencente à Tata. Agora, no final de 2011, ganhou o câmbio automático ZF 8HP70 de oito marchas com bloqueio de conversor de torque em todas as marchas.

O motor SDV6 é de duplo comando de válvulas por correia dentada com quatro válvulas por cilindro. Os dois turbocompressores atuam em série, de forma seqüencial.  Já vem com filtro de particulados e atende à mais recente fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), o L6.

É a versão a diesel com este câmbio de botão giratório seletor de marchas no console que a Land Rover do Brasil passa a comercializar. Para a troca de marchas manual, borboletas atrás do grande volante de 385 mm de diâmetro, de esforço atenuado por assistência hidráulica.

Botão giratório para selecionar marchas. Acima, o painel de controle da suspensão


No dia da apresentação semana passada o preço ainda estava sendo calculado, segundo Flávio Padovan, diretor geral da Land Rover do Brasil, mas ele adiantou que com os 30 pontos porcentuais a mais de IPI, chegando o imposto a 55%, o veículo terá preço 190% maior que o básico na Europa, o que significa algo próximo a  R$ 340.000,00, embora incluída a suspensão pneumática opcional na especificação Brasil. A recente alta do dólar também complica a vida dos importadores, acrescentou o executivo.

Nota: no dia 21 de maio a Jaguar Land Rover Latin America anunciou os preços do Discovery 4:

Discovery 4 S 3.0 SDV6 Diesel 8 marchas 2012: R$ 241.000,00
Idem, SE 3.0 SDV6 Diesel 8 marchas 2012: R$ 264.000,00
Idem, HSE 3.0 V6 Diesel 8 marchas 2012: R$ 315.000,00

Quanto ao Discovery 4 em si, sua alta capacidade para trafegar nas mais difícies condições de terreno possíveis é notória. A suspensão independente nas quatro rodas por triângulos superpostos com barra estabilizadora, associada à seleção do tipo de terreno a percorrer (terrain response), à força de tração do motor de injeção direta de 256 cv a 4.000 rpm e 61,2 m·kgf a 2.000 rpm e à caixa de transferência com reduzida 2,93:1 sobre a primeira 4,71:1, com diferencial 3,21:1, resumem bem essa capacidade, complementada pelos úteis controle de descida e auxílio de saída em subidas.

O brilhante motor Diesel Jaguar 3-litros biturbo, 256 cv

Dentro da aparente brutalidade, o Discovery 4 de 2.505 kg, roda serena e confortavelmente no asfalto, em nada se parecendo com um todo-terreno capaz de atravessar cursos d'água de 700 mm de profundidade e com ângulos de entrada/saída/central de 36, 29 e 27 graus com suspensão elevada e 31, 26 e 21 graus com altura de rodagem normal. A suspensão tem três alturas: acesso (em que o carro abaixa para facilitar o entrar e sair), normal e fora-de-estrada. A não ser pela faixa de rotação relativamente baixa na comparação com motores ciclo Otto, não se tem a menor sensação de estar dirigindo um veículo a diesel. Só do lado de fora é que se escuta o um bem leve matraquear típico desse tipo de motor.

Em razão da sétima e oitava marchas bem longas (0,84:1 e 0,67:1), em velocidade de autoestrada brasileira (120 km.h), o motor está, respectivamente, a 2.300 e 1.800 rpm. O silêncio a bordo surpreende, ajudado pelos pneus "de asfalto" 275/40R20, razão também para comportamento em curva próximo ao de um automóvel, mesmo com a expressiva altura de 1.887 mm. E acelera: 0-100 km/h em 9,3 segundos, segundo a fábrica, e atinge 180 km/h – em 6ª, 7ª e 8ª!

O câmbio é capaz de pular até seis marchas numa redução comandada pelo acelerador e conta com lógica tanto para evitar "caça" de marchas nas subidas de serra quanto em trechos sinuosos, além para comandar redução a partir de determinada intensidade de frenagem, de maneira a poupar os freios. O Discovery 4 atinge 37 km/h em primeira, 58 em 2ª, 87 em 3ª, 111 em 4ª, 144 em 5ª e 180 km/h em 6ª.

Para comparação, com o câmbio de seis marchas anterior as velocidades eram 30, 63, 101, 136, 180 e 180 km/h.

Para desacelerar, quatro freios a disco ventilado, discos de 360 mm de diâmetro na dianteira e 350 mm, na traseira, com ABS..

Para variar, o importador não informa consumo de combusível, mas como o nosso diesel não é "alcoolizado" – e já o novo S50 com que estava abastecido (obrigatório para o modelo), produzindo um agradável odor pelo escapamento igual ao que se sente na Europa – o consumo pelo padrão de medição europeu é igual ao nosso. É de 1 litro para 10,2 km na cidade, para 12,3 km na estrada e para 11,4 km, médio. Com o tanque de 83 litros vai longe, passa de 1.000 km numa viagem por autoestrada..

Surpreendente também a rigidez da carroceria percebida num veículo de construção separada (carroceria sobre chassi), denotando esmero de projeto e construção. O Discovery 4 mede 4.838 mm com  entreeixos de 2.885 mm, por isso acomodando bem os ocupantes da terceira fileira de bancos. Com estes escamoteados, a capacidade do compartimento de carga é de nada menos que 1.260 litros, mas na configuração 7-lugares cai para 280 litros. E este Land Rover é largo, 2.022 mm sem contar os espelhos.

Para entretenimento dos ocupantes do banco traseiro há telas táteis de 8 polegadas em cada apoio de cabeça dianteiro cujo áudio é por fones de ouvido sem fio. O sistema de áudio é Harman Kardon com tela a cores (que serve também ao GPS) com HD, capacidade para 10 CD e 17 alto-falantes, além de Bluetooth, USB/iPod e DAB.. Traz capacidade de bloqueio de dados para o caso de carro deixado num estacionamento.

Telas de 8 pol. nos apoios de cabeça dianteiros

E para quem quiser apreciar uma bebida gelada a bordo, há uma geladeira – de verdade – no console central.

O Discovery 4 é mesmo um  real aventureiro, mas com todo conforto.


BS


FICHA TÉCNICA LAND ROVER DISCOVERY 4

MOTOR
Tipo
V-6 a 60°, longitudinal, biturbodiesel com interresfriador, duplo comando e 24 válvulas
Diâmetro x curso
84 x 90 mm
Cilindrada
2.993 cm³
Material do bloco e dos cabeçotes
Ferro fundido/alumínio
Taxa de compressão
16:01
Potência máxima
256 cv a 4.000 rpm
Torque máximo
61,2 m·kgf a 2.000 rpm
Formação de mistura
Injeção direta Bosch Gen 3
TRANSMISSÃO
Tipo
Caixa automática ZF 8HP70 de oito marchas, caixa de transferência, tração integral permanente
Relações das marchas
1ª 4,71:1; 2ª 3,14:1; 3ª 2,11:1; 4ª 1,67:1; 5ª 1,29; 6ª 1:1 (direta); 7ª 0,84; 8ª 0,67; ré 3,32:1
Relações da caixa de treansferência
1:1 e 2,93:1
Relação de diferencial
3,21:1
SUSPENSÃO
Dianteira e traseira
Independente, braços triangulares superpostos,molas a ar, amortecedores de controle eletrônico e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Caixa de direção
Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica variável com a rotação do motor
Diâmetro mínimo de curva
11,4 m
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado de 360 mm Ø
Traseiros
A disco ventilado de 350 mm Ø
Controle
ABS c/ distribuição eletrônica das forças de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 9J x 20
Pneus
275/40R20
CONSTRUÇÃO
Arquitetura
Construção separada,  utilitário de quatro portas, sete lugares
DIMENSÕES
Comprimento
4.838 mm
Largura sem espelhos/com espelhos
2.022/2.176 mm
Altura
1.887 mm
Entreeixos
2.885 mm
Bitola dianteira/traseira
1.605/1.610 mm
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas
280 litros
Tanque de combustível
83 litros
Peso em ordem marcha
2.505 kg
DESEMPENHO E CONSUMO
Velocidade máxima
180 km/h
Aceleração 0-100 km/h
9,3 s
Consumo urbano (NEDC))
10,2 km/l
Consumo rodoviário (NEDC)
12,3 km/l

(Atualizado em 25/5/12 às 14h30 com preços oficiais do importadorr)

36 comentários:

  1. Bob;

    Já andei numa dessas e achei um espetáculo! Agora você percebeu uma herança Ford no formato do volante (Fusion?)

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel,
      Não fiz a associação, mas pode ser.

      Excluir
    2. É mesmo. Parece do Edge.

      Excluir
    3. E também a Ford tenta se associar a Land Rover, via aquelas letras no capô do Ecosport.

      Excluir
  2. É tudo que um Ecosport queria ser e jamais conseguirá...

    ResponderExcluir
  3. Daniel

    Os veiculos da Land Rover têm mais em comum com os Ford do q. apenas o volante.Os motores tambem têm a mesma origem,na fabrica fabulosa q. a Ford construiu para eles

    ResponderExcluir
  4. Marcelo Junji20/05/12 14:05

    Ah..., como eu queria ter um deste na cor branca.

    ResponderExcluir
  5. Quase 200% mais que seu preço na Europa!!! Brasil: um país de m*rda, e de tolos. Não necessariamente nesta ordem. Mas voltando ao carro: quem vai ter a coragem de jogar isto em um lamaçal? Se a idéia for esta, compra-se um Defender, e poupa-se uns bons trocados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em tempo: câmbio com mudança por alavanca, seja manual ou automático, tudo bem. troca de marchas no volante, também. Girar um botão, como em um antigo seletor de canais de televisor? Dispenso esta (no caso de um carro, pois para os televisores, já é passado) modernidade.

      Excluir
    2. Preferia uns botões pra selecionar o modo de operação do câmbio?

      Excluir
    3. Leia minha mensagem com atenção. Nela fica clara minha preferência.

      Excluir
    4. trabalho na CC da marca em recife, e vou dizer: sim, existe loucos sim que põe o carro na lama. já vi carro com Epb ( modulo que comanda o freio de mão ) queimado tamanha brutalidade do dono, que quis passar com sua Discovery 3 por um pântano, pra dar tração ele acionou o freio de mão pra ter mas tração nas rodas dianteiras e pra encurtar a historia fritou o modulo, e detonou as sapatas do freio de estacionamento, mas o carro passou. ele saiu assim de floresta ate o recife rodando, o prejuízo foi mas ou menos de R$ 4.000.

      Excluir
    5. Bom, Bruno, louco sempre tem. De qualquer forma, creio que quase a totalidade destes carros jamais vai ver mais lama que aquela que se forma quando chove no curto trecho de terra que leva ao sítio depois que se saiu do asfalto, e que até um carro "socado" poderia enfrentar sem problemas. Mas para mim, continua sendo heresia colocar uma destas em uma situação off-road de verdade. Tão herético quanto entregar as chaves do carro (qualquer carro, até um simples Uno Mille pelado) nas patas de um flanelinha. E tem retardado que entrega.

      Excluir
    6. Comando de voz pra indicar o modo do câmbio então?
      Não fique tão revoltado, isso envelhece.

      Excluir
  6. Achei esse motor fosse herdado do 'antigo' V-6 Lions, um desenvolvimento conjunto entre PSA, Ford e um pouco International, apenas modificado de 2.7L para 3.0. Alguém confirma?

    MAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo. Esse motor vem dessa parceria e é uma evolução do 2.7 V6 feito em conjunto com a PSA e a Ford - que já era usado nas marcas irmãs como a Jaguar. Foi num desses que o Jeremy Clarkson fez médias de consumo melhores que em carros 4 cilindros dirigindo de qualquer jeito por boa parte do tempo. Só não sabia que a International estava envolvida no meio dessa parceria, o que não seria de estranhar pois toda a linha Diesel que surgiu dela é muito boa.

      É possível encontrar essas informações pesquisando um pouco mais a fundo. Existe um site da PSA onde é possível confirmar isso e baixar uma ficha técnica desse motor (e dos outos motores do grupo também).

      Excluir
    2. igual o domingos disse. alem de informações., alguns componentes são compartilhados, os mas simples de todos são o filtros de óleo, os V6 e V8, não tenho ideia de quais carros tambem o utilizam, mas vem marcados com as siglas da Citroen e Peugeot.

      agora na freelander com motor diesel o filtro de óleo dela é o mesmo do Peugeot 206 e 207, e o filtro do motor T6 ( que a proposito também equipa carros da volvo ) é o mesmo do 307.

      Excluir
    3. Interessante saber dessa parte dos filtros de óleo e do motor T6 Gasolina, que não imaginava que fosse usado fora da Volvo - que é um motor fantástico, aliás.

      A Freelander Diesel 4 cilindros usa um outro motor dessa mesma parceria, o 2.2 Turbo que é o mesmo dos Peugeot 508 2.2. Como esse motor existe em versão 2.0 também e ela já existiu nos 206 e 207 Diesel, faz sentido o filtro de óleo ser o mesmo. Só ainda não consegui entender bem como o 307 compartilha alguma peça com a motorização T6 da Volvo.

      Excluir
    4. o t6 não, só o filtro de óleo ate onde eu sei. que já foi provado e comprovado por um colega de trabalho, que na falta do que fazer num dia de sábado fez uma revisão do seu 307 la com a gente e arrumamos o óleo e por um acaso tínhamos guardados um filtro da freelander gasolina, deu certo.
      e uns dois sábados atras foi a vez de um 206 de outro colega, onde a gente pós o filtro da freelander diesel.

      Excluir
  7. Será que o manual desse aí também é comestível?

    http://www.jalopnik.com.br/conteudo/em-dubai-os-land-rovers-vem-com-manuais-comestiveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem cada uma neste mundo...

      Excluir
    2. hahahahahahahaha
      excelente!

      Excluir
    3. tem 3 unidades 2013 la no patio da CC vou olhar amanha ahahahahahha

      Excluir
  8. Uma coisa que acho interessante nessa transmissão do Discovery é o uso racional das muitas marchas, com a sétima sendo sobremarcha e a oitava uma marcha de ainda mais economia.
    Visto que o motor é a diesel e possui torque altíssimo em baixa rotação, imagino eu que ele seja capaz de sustentar bem, e por longos períodos, a oitava marcha em uma estrada, mesmo essa oitava marcha de longos 0,67:1 sendo despejada no chão por uma relação de diferencial igualmente longa de 3,21:1. Aqui também imagino que esse Discovery consiga subir sossegadamente uma serra como a da Imigrantes em oitava marcha.

    A outra surpresa é a de ver que esse SUV consegue atingir velocidade máxima em marcha de economia, apresentando aí a rara capacidade que alguns carros possuem de chegar a sua velocidade máxima em uma marcha que não é pensada para tal. Tudo bem que neste caso é óbvio que esses 180 km/h são limitados eletronicamente, o que obviamente faria isso acontecer, mas dá para imaginar que um "trem" desses, se deslimitado, poderia gerar uma surpresa em última marcha, justamente por causa do lance de ser potente, com duas turbinas e ter torque abundante dem qualquer rotação.
    Outra coisa: não me surpreenderia se o consumo na estrada, em condições de uso reais, seja melhor que esses 12,3 km/l divulgados pela Land Rover, justamente por causa dos 0,67:1 da última marcha e do torque tratorístico à disposição. É provável terem divulgado o número mais pessimista possível para evitar reclamações de consumidores em relação a beberronice.

    ResponderExcluir
  9. Bob, certamente vc irá comentar sobre o lançamento do BMW na Itália. Mas faça uma postagem sobre a estrada também. Um abraço.

    André Andrews

    ResponderExcluir
  10. Certamente, as duas coisas!

    ResponderExcluir
  11. Quanto à máquina: fantástica! Quanto ao preço: estratosférico! Mesmo para a Europa, acho muuuuuuuuuuuuito caro. Alta tecnologia, capacidade de fora de estrada e lugar para sete pessoas não valem isso tudo... Me desculpem. hehe

    ResponderExcluir
  12. Lorenzo Frigerio20/05/12 20:22

    Não tem motor a gasolina? Ou para o Brasil é só diesel? Pois imagino que, dado o preço desses carros aqui, andará principalmente no asfalto. Além do mais, dado o efeito cascata dos impostos, uma versão a gasolina sairia bem mais em conta.

    ResponderExcluir
  13. Sr. Batista20/05/12 23:44

    Vou comprar um desses para o Thor brincar lá no sítio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao faca isso meu senhor..
      Ele vai se meter em confusao de novo!
      E ai aguenta a imprenssa noticiando que seu filho atropelou e matou uma familia inteira de galinha garnizé e bla bla bla....

      Excluir
  14. Com relação a colocar o carro na lama e as ajudas eletrônicas, foi-se o tempo que o Discovery foi um off-road. Cada geração e vai ficando mais baixo, mais on-road. De off só o nome e a lembrança do Camel Trophy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camel Trophy. Lá os LR de verdade se encontravam pra se divertir, onde os outros tinham medo de pisar. Bornéu, por exemplo.

      Excluir
  15. Que bom que a TATA vem mantendo o DNA do Jaguar e Land Rover.
    Espero que assim continue!

    ResponderExcluir
  16. Bob, mais uma vez, fantástico texto. O autoentusiastas( através, principalmente, dos seus textos e os do Arnaldo) está matando meu hábito de comprar revistas nacionais sobre carros. Apesar de gostar da leitura fora do computador, o conteúdo editorial, em sua maioria, é tão inferior ao encontrado aqui que fica injustificável a compra das publicações impressas.
    Obrigado por compartilhar seu talento conosco.


    Demais companheiros de blog,

    Tem gente que quer ter um carro da marca com talvez a maior tradição off-road do mundo, 4x4 cheio de recursos, mas acha absurdo colocar na lama. Aí se Land Rover ou Jeep lançam um modelo só com tração dianteira acham absurdo também... Não vejo sentido em ter uma máquina fantástica destas para andar no asfalto somente, fora a falta de praticidade de conduzir um mastodonte destes na vida diária nas cidades.
    Não que eu não seja autoentusiasta, que não ache lindo este carro mas temos de ser minimamente objetivos.
    Quer acelerar? Compre um esportivo LEVE(me refiro ao peso mesmo, não à performance). Quer um bom carro para a cidade? Compre um carro pequeno e confortável. Quer viajar de carro por grandes distâncias pelo Brasil? Compre um Land Rover como esse, ele te dará a liberdade de escolher seu próprio caminho e vai devorar os trechos rodoviários com bem mais desenvoltura que seu irmão mais "briguento", o Defender. Ainda que existam opções mais em conta e que ofereçam desempenho satisfatório e chamem menos atenção.

    Abraço a todos

    PS: Desculpem o post longo, estou sem voz... acho que é constipação verborrágica.

    ResponderExcluir
  17. Concordo com o Kiko, e quero ter uma Disco 4 um dia.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...