22 de julho de 2012

PUNTO 2013: MELHORIAS IMPORTANTES

Fotos: Fiat/Studio Cerri


A Fiat apresentou neste fim de semana, em São Paulo, o Punto 2013. Houve feliz alteração estilística, deixando-o bem mais dentro do contexto atual, e o interior foi refeito, ficando mais bonito e harmonioso. Típico dos tempos atuais, não poderia faltar adição de conectividade, como o Fiat Social Drive. Ao se criar uma conta no servidor do sistema pelo computador ou pelo celular, os ocupantes são mantidos informados sobre o que acontece na internet por meio das redes sociais, inclusive por meio de voz.

Os bancos contam com novas padronagens de tecidos, mas boa mudança ocorreu nos dianteiros do T-Jet,  que ficaram mais envolventes e com apoio lateral bem melhor, corrigindo algo que eu havia comentado em teste anterior do modelo.





Mas da maior importância foi adotar o motor 1,4 EVO na versão de entrada Attractive com modificações que odeixaram bem atraente, entre elas o aumento da taxa de compressão de 10,35:1 para 12,35:1, combinado com novas caracteristicas do comando de válvulas e coletor de admissão otimizado, mudando completamente a curva de torque e a geração de potência em baixas rotações.

Coisas do gerenciamento eletrônico: potência e torque máximos não mudaram e nem as respectivas rotações onde ocorrem, mas o comportamento do motor mudou bastante. Incrível como ficou mais cheio em baixos giros, ajuda também do variador de fase do comando de válvulas que não tinha antes (o motor foi herdado do novo Uno). Por isso a quinta marcha pôde ser alongada de 0,838:1 para 0,795:1 (5,1% mais longa) sem deixar o carro lento de retomadas nessa marcha, mas ficando o motor 500 rpm abaixo da rotação de maior potência à velocidade máxima informada de 170 km/h com álcool.

Motor 1,4 EVO está com taxa de compressão maior, 12,35:1


A Fiat informou  ter reduzido consumo de combustivel em 5% na cidade e importantes 13% na estrada em razão de todas essas mudanças, mas, lamentavelmente, omitiu os números oficiais de consumo. Até quando departamentos jurídicos vão ditar regras sobre o que a área técnica ou de marketing de um fabricante deve ou não informar? Triste. É para se ficar decepcionado, ao se ver outros fabricantes aqui instalados darem essa informação básica, que ela mesma Fiat dava e parou

Além do motor EVO para o Attractive, outro aporte é digno de elogios, o câmbio robotizado Dualogic Plus que já fora aplicado ao Bravo de motor 1,8-litro um mês e meio atrás, amplamente descrito no post "Câmbio Dualogic Fiat evolui", agora estendido ao Punto Essence 1,6 e Sporting 1,8. A diferença de preço as versões de câmbio manual normal é de R$ 2.390,00.

Esse gasto extra mais do que vale a pena, tanto pela comodidade da operação automática quanto quanto pelo prazer e facilidade das trocas manuais, inclusive pelas borboletas de volante. Não é à toa que em todas as versões de modelos que oferecem o Dualogic/Dualogic Plus, 40% saem com esse câmbio.

Os preços públicos sugeridos do novo Punto, básico e com todos os opcionais, são: Attractive 1,4, R$ 38.570 e R$ 42.417; Essence 1,6, 41.750 e R$ 48.799; com Dualogic, R$ 44.140 e R$ 53.330; Sporting 1,8, R$ 46.400 e R$ 60.755; com Dualogic,R$ 48.770,00 e R$ 63.248; e T-Jet 1,4 turbo, R$ 55.740 e R$ 66.620. O teto solar Skydome é um item caro, R$ 3.860, só não é disponível para o Attractive.

O T-Jet turbo incorpora agora um seletor chamado DNA, de Dinâmico, Normal e Autonomia,  O primeiro privilegia desempenho com mais abertura da borboleta de aceleração com menos curso do pedal. No mostrador no quadro de instrumentos aparece indicação de troca de marchas em faixa de rotação mais  elevada e o gráfico de barras mostrando o quanto o turbocompressor está pressurizando. O mapeamento do motor é levado a extremos.

No modo Normal o mapeamento é o padrão, com relação linear entre pedal e borboleta.  Já no Autonomia — seria Economia, mas foi usado o "A" para formar DNA — a indicação de troca de marchas, para subir e reduzir, é para condução econômica, ao mesmo tempo em que aparece um medidor de consumo instantâneo. Ambos, uma vez seguidos, fazem consumir menos combustível possível. O seletor fica no console à esquerda da alavanca. A função não abrange comportamento da direção por sua assistência ser hidráulica e não elétrica.

Ficou mais atraente. Esse é o Sporting

Outra novidade no Punto é o acendimento automático das luzes direcionais traseiras na freadas fortes em velocidade igual ou superior a 50 km/h que produzam desaceleração maior que 7 metros por segundo por segundo (0,7 G) e que  se desligam automaticamente ao a desalaceração diminuir para 2,5 m/s².

É uma satisfação técnica ver que os quatro modelos têm cada um sua própria medida de pneus: Attractive 1,4, 185/60R15H, Essence 1,6, 195/60R15H, Sporting 1,8, 195/55R16V e T-Jet, 205/50R17V, o que evidencia o conhecimento do diretor de engenharia, o italiano Claudio Demaria, na parte de chassi. As especficações das quatro versões chegam às barras  estabilizadoras de 19 mm de diâmetro em todas menos a T-Jet, em que é de 20 mm e que tem outra na suspensão traseira, de 18,5 mm de diâmetro. O Punto "mais quente" tem, ainda, altura de rodagem 15 mm mais baixa que o outros.

As largas "patas'" do T-Jet. — belas, sem a menor dúvida — cobram seu preço no menor ângulo de esterçamento, aumentando para 11,8 metros o diâmetro mínimo de curva que nas outras versões é de 10,9 metros.
O T-Jet

Até as constantes das molas foram defiinidas individualmente. No T-Jet as dianteiras são de 20,4 N/mm e as traseiras, de 25 N/mm. Já no Sporting e no Essence são, iguais, 19,6 N/mm e 23,2 N/mm, dianteiras e traseiras, mas no Essence os amortecedores têm menos carga, para mais conforto. Finalmente o Attractive, 18,2 N/mm e 20,4 N/mm. Dirigindo-os nota-se tudo bem casado, molas com amortecedores e estes com os pneus. A qualidade de rodagem está sempre no ponto certo e comportamento em curva, irrepreensível.

É notável o conforto de rodagem com pneus de perfil 50, impensável 15 ou 20 anos atrás, que as indústrias automobilística e de pneumáticos conseguiram, especialmente na resistância dos flancos ao topar com buracos. Ainda me lembro do Gol GTI 16V (2 litros/145 cv, bons tempos da Volkswagen!) de  teste que estava nas mãos da Autoesporte quando eu era editor técnico e de testes lá, em que tivemos três cortes de flanco e inutilização dos pneus 195/50R15V. A buraqueira de São Paulo é a mesma.

O interior foi todo revisto e melhorou bastante

Em 2011 foram vendidos 36.000 Puntos e a Fiat prevê que este ano serão 20% mais, distribu'ídos em 45% de Attractive, 30% de Essence,  20% de Sporting e 5% de T-Jet. Esses 5% poderiam ser mais, para um enorme prazer de dirigir de quem puder pegar um T-Jet que, entre outras vantagens, só precisa escolher combustível quanto a octanagem, nunca entre derivado do petróleo ou aquele produzido a partir da cana de açúcar...

BS



FICHA TÉCNICA DO NOVO PUNTO
Attractive
Essence Manual e Dualogic.
Sporting Manual e Dualogic
T-Jet
MOTOR
Posição
Transversal, dianteiro

Número de cilindros/configuração
4 em linha

Diâmetro x curso (mm)
72 x 84
77 x 85,8
80,5 x 85,8
72 x 84
Cilindrada (cm³)
1.368
1.598
1.747
1.368
Taxa de compressão
12,35:1
10,5:1
11,2:1
9,8,:1
Potência máxima cv/rpm (ISO 1585)
85/5.750 (G) 88/5.750 (A)
115/5.500 (G) 117/5.500 (A)
130//5.250 (G) 132/5.250 (A) 
152/5.500
Torque máximo m·kgf/rpm (ISO 1585)
12,4/3.500 (G) 12,5/3.500 (A)
16,2/4.500 (G) 16,8/4.500 (A)
18,4/3.500 (G) 18,9/4.500 (A)
21,1/2.250 a 4.500
Número de válvulas por cilindro
2
4
4
4
Árvore de comando de válvulas
Uma, no cabeçote
Duas, no cabeçote
Acionamento do comando de válvulas
Correia dentada
Corrente
Correia dentada
IGNIÇÃO
Tipo
Magneti Marelli, eletrônica digital incorporada ao sistema de injeção
ALIMENTAÇÃO
Combustível
Gasolina e/ou álcool
Gasolina
Formação de mistura
Injeção no duto Magneti Marelli, seqüencial
CÂMBIO
Número de marchas
5 à frente e 1 à ré

Relações das marchas (:1)
 4,273 - 2,316 - 1,444 - !,029 - 0,795
3,909 - 2,238 - 1,444 - 1,029 - 0,838
3,909 - 2,238- 1,520 - 1,156 - 0,872
4,277 - 2,238 - 1,520 - 1,156 - 0,919
Relação do diferencial
4,400
4,067
3,733
3,733
Rodas motrizes
Dianteiras
EMBREAGEM
Tipo
Monodisco a seco com mola diafragmática, comando hidráulico
FREIOS
De serviço
Hidráulico, duplo circuito em diagonal, assistência a vácuo, ABS com distribuição eletrônica das forças de frenagem
Dianteiro
Disco ventilado de 257 mm Ø
Disco ventilado de 294 mm Ø
Traseiro
Tambor de 228 mm Ø
Disco de 251 mm Ø
SUSPENSÀO DIANTEIRA
Tipo
Independente, McPherson, subchassi, braço transversal em L, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Diâmetro da barra estabilizadora (mm)
19
20
SUSPENSÃO TRASEIRA
Tipo
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
Eixo de torção, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora de 18,5 mm Ø
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira com assistência hidráulica
Diametro mínimo de curva (m)
10,9
11,8
RODAS E PNEUS
Rodas
6J x 15
6J x 15
6J x 16
6,5J x 17
Pneus
185/60R15H
195/60R15H
195/55R16H
205/50R17V
PESOS (kg)
Em ordem de marcha
1.141
1.210   Dualogic: 1.217
1.222   Dualogic: 1.229
1.263
Carga útil
400
Carga máxima rebocável (sem freio)
400
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento
4.065
Largura
1.687
1.727
Altura (vazio)
1.499
1.493
1.497
1.501
Distância entre eixos
2.510
Bitola dianteira/traseira
1471 / 1.467
Distância mínima do solo
149
149
153
135
Capacidade do porta-malas (L)
280
Tanque de combustível (L)
60
DESEMPENHO
Velocidade máxima (km/h)
G 168; A 170
G 181; A 184
G 190; A 193
203
Aceleração 0-100 km/h (s)
G 13,1; A 12,6
G 10,5; A 10,6
G 9,9: A 9,6
8,3

EQUIPAMENTOS DE SÉRIE E OPCIONAIS DO NOVO PUNTO
Attractive
Essence
Sporting
T-Jet





Acelerador de comando eletrônico
S
S
S
S
Acionamento elétrico dos retrovisores externos
N
S
S
S
Acionamento elétrico dos vidros traseiros um-toque
O
O
O
S
Acionamento interno mecânico dos espelhos externos
S
N
N
N
Acionamento elétrico dos vidros dianteiros um-toque
S
S
S
S
Ajuste da altura de ancoragem dos cintos dianteiros
S
S
S
S
Ajuste de altura do banco do motorista
S
S
S
S
Ajuste de altura e distância do volante
S
S
S
S
Alarme antifurto
O
S
O
O
Alças de teto (3)*
S
S
S
S
Alerta de limite de velocidade e manutenção programada
S
S
S
S
Apoio de pé esquerdo
S
S
S
S
Apoios de cabeça traseiros (3)
S
S
S
S
Ar-condicionado + pára-brisa degradê
N
S
S
S
Ar-condicionado automático digital
N
N
O
O
Aviso de luzes ligadas e portas mal-fechadas
S
S
S
S
Banco traseiro bipartido com apoia-braço central
N
O
O
S
Bancos esportivos revestidos parcialmente em couro preto e tecido preto/cinza
N
N
N
S
Bancos revestidos em tear esportivo
N
N
S
N
Bancos revvestidos parcialmente em couro
N
N
O
S
Blue&Me
N
N
O
S
Bolsas inflaveis frontais
S
S
S
S
Bolsas inf'láveis laterais e de cortina
N
N
O
O
Bolsas porta-objetos nas quatro portas
S
S
S
S
Bolsas porta-revistas nos encostos dos bancos dianteiros
S
S
S
S
Calota integrais
S
S
S
N
Chave-canivete
S
S
S
N
Chave-canivete com telecomando para abertura de portas, vidros e porta-malas
N
S
S
S
Cintos laterais traseiros de três pontos
S
S
S
S
Comando interno da portinhola do tanque
S
S
S

Computador de bordo (distância, consumos instantâneo e médio, autonomia, velocidade média e tempo de percurso)
S
S
S
S
Computador de bordo B (distância B, consumo médio B,  velocidade média B e tempo de percurso B)
N
S
S
S
Console central com porta-objetos e porta-copos (dois dianteiros e um traseiro)
S
S
S
S
Conta-giros
S
S
S
S
Controlador de velocidade de cruzeiro
N
N
O
S
Defletor na tampa traseira na cor do veículo
N
N
S
N
Defletor bicolor na tampa traseira
N
N
N
S
Desembaçador do vidro traseiro temporaizado
S
S
S
S
Desembaçador com ar quente
O
S
S
S
Detalhes internos em branco pérola
N
N
S
N
Detalhes internos em prata
N
S
N
S
Embreagem de acionamento hidráulico
S
S
S
S
Faixas laterais T-Jet
N
N
N
S
Faróis de neblina
O
S
S
S
Fechadura elétrica da tampa do porta-malas
S
S
S
S
Fiat Code de 2ª geração
S
S
S
S
Freio a disco nas quatro rodas
N
N
N
S
Freios com ABS e distribuição eletrônica das forças de frenagem
S
S
S
S
Friso das portas pintados na cor do carro com inserto cromado
N
N
S
N
Friso do teto preto
N
N
N
S
Frisos do teto na cor do veículo
N
N
S
N
Hodômetro total e parcial
S
S
S
S
Iluminação no porta-luvas
N
S
S
S
Iluminação no porta-malas
S
S
S
S
Indicador de temperatura externa
N
S
S
S
Kit Comfort 1 (inclui ar-condicionado no Attractive)
O
S
N
N
Kit Comfort 2
O
N
N
N
Kit Comfort 3
O
N
N
N
Kit Creative 3
N
O
N
N
Kit Creative 4
N
O
N
N
Kit Emotion 1
N
O
N
N
Kit Emotion 2
N
O
N
N
Kit Evolution 1
O
N
N
N
Kit High Tech
N
O
O
O
Kit parafusos antifurto das rodas (um por roda)
N
N
S
S
Kit Stile
O
O
N
N
Lanternas traseiras com iluminação a LED
N
N
S
S
Lavador de pára-brisa e de vidro traseiro
S
S
S
S
Limpador traseiro de acionamento automático ao dar ré
S
S
S
S
Luz de acompanhamento ao sair do veículo
S
S
S
S
Minissaias laterais na cor do veículo
N
N
S
S
My Car Fiat (personalização de várias funções)
S
S
S
S
Pára-choques, maçanetas externas e carcaças dos espelhos na cor do veículo
S
S
S
S
Pára-sóis com espelhos
S
S
S
S
Ponteira de escapamento esportiva com saída dupla cromada
N
N
S
S
Porta-objetos de rede no console central
S
S
S
S
Porta-objetos móvel (copinho)
N
S
S
S
Porta-óculos no teto lado esquerdo*
S
S
S
S
Predisposição para rádio
O
O
N
N
Rádio CD/MP3 integrado ao painel com entrada USB e conexão iPod
N
N
S
S
Relógio digital
S
S
S
S
Revestimento externo das colunas das portas
S
S
S
S
Sapatas de pedais e do apoio de pé esportivas
N
N
N
S
Sapatas de pedais esportivas
N
N
S
N
Seletor DNA
N
N
N
S
Sensor de estacionamento traseiro c/ visualizador gráfico
N
O
O
S
Sinalização de frenagens fortes
S
S
S
S
Som hi-fi com subwoofer
N
N
N
S
Tapetes em carpete com escrita Punto e bordado Sporting
N
N
S
N
Tapetes em carpete com escrita Punto e bordado T-Jet
N
N
N
S
Terceira luz de freio
S
S
S
S
Teto solar e'letrico Skydome
N
O
O
O
Tomada 12 volts
S
S
S
S
Travamento automático de portas ao chegar a 20 km/h
S
S
S
S
Válvula de segurança antirefluxo de combustível
S
S
S
S
Vidros esverdeados
S
S
S
S
Volante em couro com base reta
N
N
N
S
Volante em couro com comandos do rádio
N
O
S
S
*Incompatível com Skydome




N - Não disponível; S - Série; O - Opcional






121 comentários:

  1. Ficou legal, mas se esse bigodinho fosse na cor do carro seria mais bonito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoalmente fica bem bonito, nas fotos realmente não ficou bom.

      Quando eu vi pessoalmente me impressionei, os para-choques ficaram muito bonitos.

      Você já viu pessoalmente?

      Excluir
  2. Sem dúvida, ficou mais feio. Não surpreende que seja assim por que o antigo era realmente um dos mais belos carros feitos no Brasil.
    É bom ver que a Fiat não está economizando engenheiro e que ela calibrou cada suspensão buscando um ponto ideal de conforto e comportamento, não de economia de escala. Fica evidente, também, o exagero da VW ao colocar pneus 195 num carro mais leve e bem menos potente que o Punto 1,8.
    Já que estou comparando ambos, é interessante notar que o Punto mais básico está a pouco mais de um tanque de gasolina do Gol mais equipado. Talvez a Fiat tenha feito intencionalmente, mas não dá pra negar que contou com a ajudinha da ganância VW. (na verdade essa diferença é até menor, pois é um costume mais visto em concessionárias VW que nas Fiat a cobrança de ágio e frete a parte).
    Falando em ganância, quanto custaria um automático de verdade, se o manumático de embreagem simples está batendo nos 2,5 mil? Pelo menos, com essa diferença toda no preço, o custo de manutenção do sistema robotizado ficou menos "diferenciado" que o do modelo com 50% mais pedais?

    ResponderExcluir
  3. Ruim no pneu 50 do GTi era a marca. Nem vou citar qual pois era a única.

    Nunca perdi um Michelin 50 em muito abuso-no mesmo carro q vc usou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ruim no pneu 50 do GTi era a marca. Nem vou citar qual pois era a única"
      Pirelli P-700Z.

      Excluir
    2. Sempre tive preconceito com a FIAT, coisa boba mesmo, mas hoje em dia tenho que dar o braço a torcer, qual outra marca ofereçe tantos modelos, com tantos opcionais? Voce quer um básico? tem, quer um 1.6 16v normal? tem também, quer um esportivo mas sem os custos de manutenções de um turbo? tem também, e o melhor de tudo quer um esportivo único? Tem também! Nas outras marcas tem somente pacotes fechados, com uma fração de opção que a FIAT oferece atualmente. Parabéns para FIAT, desse jeito, vai ser difícil meu próximo carro ser de outra marca.

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio22/07/12 18:18

      A pessoa que comprar esse carro terá que se ligar no fato de que terá de manter o mesmo nível de qualidade dos pneus na troca. Na época do Gol GTi não havia pneus Michelin ou Continental.
      O fato é que NÃO USO em meu Calibra ou Santana essas marcas de 2a. linha tipicamente tabajaras que são Pirelli, Goodyear e Firestone. São marcas pródigas para dar bolhas nos flancos.
      Ainda bem que hoje temos opções.
      Comigo, é Timberland no pé e Michelin na roda.

      Excluir
    4. Isso mesmo Lorenzo.
      Um pneu como a VW usa no Jetta TSI aqui, o Bridgestone Potenza, dura apenas cerca de 12 mil km na frente. Mas acaba na banda pelo menos , já com o Goodyear um amigo meu colocou no Jetta dele em vez dos Michelin para repor e perdeu pneu com menos de 1.500 km rodados, em terreno conhecido, estrada de dia a dia.
      Honda Civic Si só saía de Michelin , a Honda fez o certo no meu ponto de vista.

      Excluir
    5. "Timberland no pé" ... Não precisava confessar que você é um jacu.

      Excluir
    6. Mas o Jetta TSI não vem com os pneus Continental? Bridgestone Potenza ainda não tinha visto.

      Excluir
    7. "Timberland no pé"????
      foi até bem no pneu, mas no calçado, você c.a.g.o.u feio...
      rsrs...

      Excluir
    8. Frigerio
      Timberlnd e Michelin , vc na preciava humilhar gente aqui.
      Oce tá bem de grana, de carro (Opel Calibra)e de calcado .. Hein

      Excluir
    9. Michelin... ok!
      Agora, Timberland... não!! Já ouviu falar em Asics??

      Excluir
    10. Lorenzo Frigerio23/07/12 01:35

      Comprei vários pares na outlet da Timberland, no Sawgrass Mills de Fort Lauderdale. Conheço e uso há mais de 20 anos. Não é para esnobar. Lá fora é coisa comum.
      Além do mais, com o preço de um pneu série 50 no Brasil você compra até dois pares de modelos razoáveis.
      Vários são à prova d'água, então a durabilidade é espetacular.
      Não é esnobismo mesmo, a qualidade do que vai no pé é muito importante, embora a turma aqui no Brasil não dê muita importância a esse detalhe.
      Acredito, inclusive, que um tênis de primeira linha custe bem mais caro.

      Excluir
    11. Lorenzo
      Agora você foi mais longe ainda, meu!
      Além de usar Timberland , comprou todos em Fort Lauderdale!!
      Aposto que andava por lá em um carrão conversível e acompanhado de uma bela loira!
      Tá podendo.

      Excluir
    12. Eu continuo firme no meu 752 da Vulcabras , 45 bico largo!
      Jorjao

      Excluir
  4. Bob, quando seleciona-se o D (T-Jet), altera-se a curva de potência/torque como nos Bravo? E pena a Fiat não liberar os cavalos perdidos da Itália para o Brasil. Talvez seja fruto da qualidade de nossa gasolina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um Tjet "plus" com 6 marchas e 180cv seria perfeito.

      Excluir
    2. João Schmitt
      Não se altera, embora o limite de avanço seja alcançado, como escrevi. Pelo que conheço dos italianos, não será surpresa a versão de 180 cv aqui. Gasolina temos de sobra (em octanagem).

      Excluir
    3. Eu peço truco nessa de que a fiat pode trazer a versão de 180 cv pra cá.

      Esse motor existe lá desde que o t-jet foi lançado aqui e a fiat nunca se coçou pra importar essa versão de motor. O t-jet comum lá na itália desde sempre saiu com botão de overboost, e só recentemente aplicaram ele no bravo.

      Tá difícil de acreditar nisso.

      Excluir
    4. Essa versão 180cv de ser bem saborosa que uma macarronada da nona!
      Estamos ansiosos ...
      Jorjao

      Excluir
    5. Eu gostei do Facelift. Principalmente a traseira do T-Jet, aquele extrator com um escapamento de 4 saidas em inox, estilo Abarth iria ficar muito legal. Porém, podia mesmo vir com a direção elétrica, o overboost e uns cavalinhos a mais, não digo os 180 do italiano, mas uns 165 cv já tava de bom tamanho.

      Excluir
    6. Ah, já ia esquecendo do principal...O câmbio de 6 marchas. Fecha a conta, quero o meu em "Rosso", per favore.

      Excluir
  5. Ave Maria... Mê dá até arrepios só de olhar.. Mais um Frankenstein no mercado...

    ResponderExcluir
  6. Olho para essa grade dianteira e só uma imagem me vem a cabeça: a cicatriz do Coringa!
    Agora ele já tem seu carro! kkkk

    ResponderExcluir
  7. Estragou um dos carros mais bonitos do mercado.

    McQueen

    ResponderExcluir
  8. Um pneu 195/50, tem menos flanco que o 205/50, muito mais fácil de perdê-los em um buraco.

    E a Fiat "esqueceu" mais uma vez os limpadores de pára-brisa visíveis por dentro. O Punto europeu nunca foi assim. Perderam a chance de corrigir.

    E esse valor da caixa automatizada (na verdade apenas o mecanismo de automação de cerca de 5 Kg a mais) está beirando um automático convencional. Na época pré-lançamento no Stilo o papo era de metade do preço dum automático... Procura maior, da-lhe preço, esses caras são muito issssperrrrrtos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma das explicações do perfil baixo mas com alta resistência é o aumento do código de velocidade. No 195/50R16 do Gol é V, foi dito no texto H.

      Excluir
  9. Tambem não gosto dos limpadores de para-brisa aparentes por dentro. Fiat: é tão dificil corrigir isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aliás, parece haver uma espécie de moda não declarada do limpador de para-brisa do lado do passageiro ter uma haste torta. Começou com o Fiesta Mk5, continuou no Fox e o Punto a prosseguiu. Que explicação haveria para essa coisa tão feia? Atingir um ângulo que não seria possível com a haste se ela fosse reta? Se sim, esse ângulo que a haste torta atinge é mesmo essencial à visão do motorista ou acaba ficando naquela parte do para-brisa que, por ser dispensável à visão, permite usar uma faixa degradê bem escura?
      Também me preocupa ver que a Fiat, que ainda exibe por aí a ótima solução da palheta única (Mille e Fiorino) não consegue fazer algo tão bom quanto em seus modelos mais novos.

      Excluir
    2. Concordo com o anônimo acima: essa palheta direita torta nesses carros é uma coisa horrível, e só seria aceitável se, apesar de torto, acompanhasse o contorno inferior do para-brisa. Mais um fator que torna necessario ocultar as palhetas.

      Minha teoria é que isso acontece para baratear o mecanismo do limpador (já que os eixos das duas hastes ficam mais próximos entre si)

      Excluir
    3. Alex, sobre os eixos das duas palhetas ficarem próximos entre si, isso poderia sossegadamente ser feito com o braço do limpador do lado do passageiro sendo reto. O Corsa B, por exemplo, tem o motor do limpador do para-brisa do lado do motorista, um braço comprido para atigir o lado do passageiro e esse braço é reto, fazendo com que a palheta fique razoavelmente escondida quando fora de uso.

      Excluir
  10. Acho engraçado esse lance de marca de Pneu e a imagem que se fica deles. Nos EUA, Pirelli é uma marca Premium e por isso caríssima, geralmente utilizadas em marcas caras ou para tunning. São pneus importados, muitas vezes feitas aqui em S. André mesmo.

    Aqui só porque equipa carro popular, muitos metem o pau nele.

    Nunca tive problemas de bolhas nem desgaste irregular dos Pirelli nem com qualquer outra marca. Gosto do Goodyear porque geralmente duram mais que a correia dentada.

    ResponderExcluir
  11. Alguém sabe informar porque raios o T-jet não vem com apóia-braço para o motorista? Será por causa dos bancos de couro que talvez "comem" a abertura do meio?

    ResponderExcluir
  12. Ficou bom, mas ainda gosto mais do antigo, inclusive no interior. Também gostaria que os limpadores fossem pelo menos parcialmente ocultos, como o anônimo acima.

    Apesar da melhoria no motor 1.4, fico imaginando se não seria melhor um ETorq 1.4, pois talvez com 16V e menos curso que o ETorq 1.6 ele ficasse um motor mais gostoso, mais macio e mais "girador", se comparado a esse EVO. Lembrando que existia o Tritec 1.4...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, e o Tritec tinha o mesmo diâmetro do 1,6, sendo apenas o curso menor.
      Mas certamente para a Fiat não compensa trocar o fire pelo e-torq 1.4.

      Excluir
  13. Bob,
    Na ficha técnica aparece o T-jet com freios traseiros a tambor. Não seriam a disco, conforme consta na tabela de equipamentos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando
      Certamente que é disco. Transcrevi errado da ficha técnica de Fiat. Já está corrigido, obrigado.

      Excluir
  14. Ta enchendo o saco essa historia aqui no AE destas propagandas com esses carros fracassados no mercado. ta muito na pinta a tentativa de melhorar as vendas dessa bomba.

    Ta caindo aqui o nível drasticamente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. An%onimo 22/07 21:27
      Está se enchendo de ler sobre carros, lançamentos? Se você não sabe a diferença entre matéria jornalística (sobre automóvel) e propaganda, é lamentável. Aliás, por que não pára de ler o AE? Não fáço a menor questão de ter gente como você aqui.

      Excluir
    2. Se é falando bem de carro com menos venda é jaba, se é falando bem de carro com mais vendas é jaba. O que não é jaba então?

      Excluir
    3. Anônimo 23/07/23 00:11
      Vê-se que você é está por fora mesmo. Quer dizer então que o negócio que descarecterizaria jabá seria falar mal, inventar defeito? É, vê-se que você não entende o que lê. Nesse texto mesmo fiz uma crítica à Fiat. Não vou dizer onde, procure.

      Excluir
    4. Quer então que você só gosta de carro que faz sucesso? isso mostra que você não é um autoentusiasta.

      Lhe recomendo parar de ler o AE e ir ler o Notícias Automotivas, aquele sitezinho sim é do seu nível.

      Excluir
    5. Bob, 2 topicos do mesmo carro em pouquissimo tempo tendo tantos outros temas infinitamente melhores que esse carro, realmente levanta suspeitas, pois não deixa de ser mentira que este carro é um fracasso e não é muito bom.

      Mas deixe de reclamar que até hoje voce não mudou o login e eliminou os Anônimos.

      Excluir
    6. Bob, sou o anônimo 23/07/2012 0:11, quis dizer justamente que tem gente aqui que acha que tudo é jaba e reclama se for elogiado carro de maior venda ou de menor venda ou qualquer coisa só pra reclamar

      Anonimo das 3:09, se esse carro é um fracasso o que é o Polo ou qualquer outro carro que não esteja nos 10 mais vendidos? Tipico de brasiloide esse pensamento, acha fracasso qualquer coisa que não seja campeã de vendas ou conhecida por todo mundo e reclama de quem procura dar atenção aos produtos menos conhecidos (coisa que melhora o mercado). Tá mais importando com o confete para os carros mais vendidos porque provavelmente tem um do que com avaliações boas

      Excluir
    7. Autoentusiasta cansado da Luta12/08/12 21:01

      a turma vive reclamando que o mercado não tem diversidade, mas qualquer carro que não venda dez milhões de unidades ao mês é "mico"... No fim, só mais uma faceta da síndrome de Gérson.

      Excluir
  15. Ainda que a relação de diferencial do T-Jet seja de 3,733, surpreende-me ver o quão mal escalonada é essa transmissão. Poderiam ter adotado os 0,795 do Attractive sem problemas, até por causa do torque plano entre 2.250 e 4.500 rpm. A 120 km/h, ele fica a cerca de 3.420 rpm, sendo que o torque máximo suficientemente alto permitiria uma marcha longa sem perda de fôlego e sem necessidade de ficar reduzindo marcha na maioria das situações.
    Caso se optasse pelos 0,795 do Punto 1.4 aspirado, o T-Jet estaria na casa de 3.000 rpm aos 120 km/h, o que significaria ainda haver fôlego mais do que suficiente para encarar uma série de situações sem precisar reduzir marcha e jogar o consumo lá para cima. Fica parecendo que a Fiat não está aproveitando direito todo o potencial que um motor turbinado tem.

    Para efeito de comparação, o Bravo com mesma motorização, ainda que tenha o benefício de se poder dar overboost pelo botão no painel, tem última relação de 0,767 (ainda que diferencial mais curto de 4,118) somado a pneus 215/45-17 (62,53 cm de diâmetro total, contra 63,68 cm do Punto) e consegue fazer 120 km/h na casa de 3.240 rpm. Tudo bem que a favor do Bravo há a vantagem da marcha a mais e o consequente fato de todas, até mesmo a última, estarem bem próximas entre si e evitando buracos entre elas. Porém, ainda assim fica parecendo que a Fiat não notou que mesmo com a marcha a menos do Punto daria para desmultiplicar mais a última relação e deixar a bronca da desmultiplicação para a curva de torque plana segurar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o T-Jet é esportivo, não é pra ser um esmo de conforto nem de silêncio a bordo. Nem de economia... Pra isso, só é comprar o Essence.

      Achei ótima essa distinção que a FIAT fez nas versões.

      Excluir
    2. Mas o que impede um carro esportivo de ter suas marchas curtas, porém com uma 5a. marcha mais longa, de maneira a aproveitar seu torque abundante?

      As próprias opções "DNA" ja´servem para mostrar que o carro atende ao uso esportivo mas tambem ao uso mais econômico, dependendo da ocasião.

      Excluir
    3. Anônimo22/07/12 21:36

      Concordo c/ vc.

      Excluir
    4. Thales, no caso do T-Jet, a última marcha mais longa poderia até permitir que ele acelerasse melhor, fora ter mais velocidade final de qualquer maneira. Pense aí em mais ou menos o que a GMB fez com o Kadett GS, que no início de sua vida teve transmissão curta e pneus 60, mas com o passar dos anos adotou transmissão mais longa (salvo engano o mesmo escalonamento do Monza 2.0) e pneus 65 com mesma largura de banda. Continuou sendo esportivo, mas melhorou bastante com esses detalhes simples (antes mesmo de a GM mexer nesses detalhes, donos do carro já faziam isso em oficinas).
      No caso do T-Jet, favorece uma marcha mais longa o fato de a curva de torque ser plana e no torque máximo entre 2.250 e 4.500 rpm. Quando se tem tal situação, o que menos se faz é reduzir marcha, justamente porque dá para compensar no pedal do acelerador. Curva de torque plana inclusive permite agradar aos gregos da economia de combustível e aos troianos da esportividade. Note-se também o fato de a potência máxima do T-JET se dar só 1.000 rpm acima do fim do torque máximo, o que significa que uma marcha mais longa inclusive permitiria aproveitar mais as boas características do motor.

      Daria inclusive para ser mais radical no alongamento usando-se a relação de diferencial de 3,714 do Uno Economy, mas os efeitos seriam desprezíveis, com os 120 km/h ocorrendo praticamente na mesma rotação que com 3,733. E mesmo assim a pessoa continuaria sentindo que é um motor forte por causa do tal lance do torque plano entre 2.250 e 4.500 rpm.

      Excluir
    5. O T-Jet é esportivo, é para ter câmbio curto mesmo. Se quer conforta vá de Essence.

      Excluir
    6. Douglas, uma quinta mais longa no T-Jet não tiraria a esportividade dele até porque estando o torque máximo entre 2.250 e 4.500 rpm e a potência máxima estando em 5.500 rpm, isso significaria que ele ficaria mais tempo dentro da faixa em que rende mais. Motor turbinado moderno casa bem com marcha longa justamente por conseguir uma ampla faixa de torque máximo.
      Imagine que a maior parte das vezes você irá guiar o carro justamente entre 2.250 e 4.500 rpm, que é uma faixa bem ampla para um torque máximo. Pense que independente da rotação entre esses valores que você estiver imprimindo em um T-Jet, ele vai estar imprimindo 21,1 kgmf. Portanto, uma marcha mais longa como a última do 1.4 aspirado (0,795) jogaria a rotação para baixo, mas ainda assim você estaria na ampla faixa em que ele desenvolve 21,1 kgmf. Aliás, devido à rotação mais baixa em última marcha, você acabaria tendo uma faixa de rotação mais ampla para explorar a curva de torque plana. Se a 120 km/h com 0,919 você está a 3.420 rpm, significa que você tem mais 1.080 rpm até ficar em uma situação de falta de fôlego. Com 0,795 e os consequentes 120 km/h a 3.000 rpm, você está a 1.500 rpm dessa situação, o que significa que você está abaixo da metade da faixa em que o torque máximo ocorre, enquanto na outra situação você está acima da metade da faixa.

      Não sei se já guiou veículos cuja curva de torque seja plana. Espero eu que já, pois são uma experiência completamente diferente daqueles com curva em pico e que as kgmf despencam depois do valor máximo. Nesses, reduz-se pouco as marchas justamente porque dá para compensar com uma pisada leve a mais no acelerador. Neles, maus escalonamentos acabam se sobressaindo especialmente se forem nas marchas mais altas, por se ficar mais tempo com elas engatadas. Nos veículos com curva em pico, acaba-se por saber a qualidade do escalonamento das marchas intermediárias pelo fato de a muitas vezes se recorrer a elas.
      No caso do T-Jet, uma marcha mais longa não significaria perda de prazer ao dirigir justamente porque o motor ficaria mais tempo no início da faixa em que o turbo começa a soprar, com a tal reserva maior de rotações em que o torque máximo ocorre.

      Excluir
    7. Também achei que faltou um 5ª bem mais longa (bem que poderia ter 6 marchas!), pois carro com motor turbo tem muita potência em todas as rotações.

      O Civic SI é um esportivo que tem um câmbio com a 6ª marcha super longa que dá muito prazer em usar na estrada. E olha que esse carro nem tem turbo.

      Excluir
  16. Bob, essas constantes das molas não estão invertidas não? As molas traseiras são mais duras que as dianteiras mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thales Sobral
      São os valores passados, informação direta de um engenheiro da Fiat, nem constava do release.

      Excluir
    2. Eu também achei esquisito, mas muitas vezes passam informações erradas para o Bob.

      Excluir
    3. No Bravo: "A altura de rodagem, tanto do Sporting quando do T-Jet, é 25 mm menor que a do Essence e do Absolute, e corresponde à dos carros na Itália. As molas dos esportivos são mais duras, com constante de 0,47 mm por decanewton (daN) ante 0,66 mm/daN) na dianteira e 0,39 mm/daN contra 0,50 mm/daN na traseira, respectivamente 29% e 22% de endurecimento"

      No Bravo também são traseiras mais duras ou entendi errado?

      Excluir
    4. Anônimo 23/07/12 04:27
      Entendeu certo, são mais duras no Bravo também. Essa maneira de expressar a constante da mola confunde mesmo. Aqui temos o quanto a mola cede sob força de 10 newtons (1 decanewton, daN). Quanto mais ceder, constante mais baixa, mais fraca. Assim, 0,66 daN é mais fraco que 0,39 daN. A outra maneira, à qual eu e muitos estamos acostumados, é o inverso, quantos newtons são necessários para a mola se comprimir 1 mm. É só dividir 10 (newtons) pela deflexão para exprimir de modo diferente. Por exemplo, 0,66 mm/daN é igual a 10 dividido por 0,66, que dá 15,1 newtons por milímetro (N/mm). É o mesmo caso de km/L ou l/100 km, em que 5 L/100 km corresponde a 100 dividido por 5 igual a 20 km/l. A propósito, é errado dizer consumo de tantos litros por quilômetro, isso é quilometragem de combustível, o "fuel mileage" da língua inglesa. Os franceses dizem consommation d'essence e a expressam em litros por 100 quilômetros, que traduz perfeitamente a idéia de consumo. Por isso tenho escrito ultimamente aqui no AE consumo de 1 litro por tantos quilômetros, apenas por questão de precisão e sem usar o L/100 km.

      Excluir
    5. Obrigado pela explicação, não havia entendido.

      Excluir
  17. Sobre a resistência dos Fiat atuais, um bom parâmetro é auto-escolas. Nelas os Punto estão entre os carros que menos dão problemas (pelo menos nas duas que conehço). Entre os mais problemáticos estão os Ka novos e os Gol G5.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volkswagen atualmente ta muito ruim, pois tem acabamento ruim, quebra muito e as peças são muito caras.

      Da VW é bom os carros antigos, dou valor aos com motores a ar, eu sou doido pra ter um SP II e uma Variant II.

      Excluir
    2. Punto em auto escola ? auto escola usa gol e celta e uno,cada uma que a gente ouvi.

      Excluir
    3. Fabio farofa tem autoescola até com A3 e BMW fio

      Excluir
  18. Prezado Bob, em matéria de 2011 sobre o Punto T-Jet, você fez uma observação sobre os pneus dessa versão, que considerou muito largos para o modelo.

    Já nessa matéria, sobre as versões 2013, você elogiou as diferentes medidas adotadas pela FIAT e não repetiu a observação sobre os pneus do T-Jet.

    Apenas gostaria de saber se houve alguma alteração entre o modelo de 2011 e o atual, que agora justifique o uso dos pneus nas medidas 205/50 17.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 22/07 23:29
      Exagero, 205 mm de seção, mas que atende a um gosto do mercado. Tanto que falei na limitação do esterçamento das rodas e o maior diâmetro mínino de curva.

      Excluir
    2. Bob, me tire uma dúvida que sempre tive.
      Pneus mais largos aumentam mesmo a aderência? pois aumentam a área de contato porém diminuem a pressão.

      Excluir
    3. Douglas
      Esse assunto é complexo. Apesar de a maior área de contato reduzir a pressão (pressão é igual à força dividida pela área), a borracha tem características de aderência molecular que derrubam a Física. Outro dia vi um vídeo de alguém que montou quatro desses pneus finos, estepes temporários. num carro. A cenas eram cômicas, o carro andava nas curvas devagar e mesmo assim com imensa dificuldade, não parava quieto, só vendo. Está na nossa pauta um amplo post a esse respeito.

      Excluir
    4. Bob
      Eu já ví um vídeo desses, ele comparava na pista o meso carro com os 4 pneus normais e depois com um temporário e o resultado foi cômico, quase desastroso.
      Eu sou contra estepe temporário, ele tem o benefício de liberar alguns litros no porta-malas, mas por outro lado é um tanto quanto perigoso e obriga a pessoa a reparar logo o pneu defeituoso. Imagine só numa viagem longa você ter rodar vários quilômetros com um pneuzinho fino daqueles até finalmente chegar a uma cidade e conseguir achar uma borracharia, e se não der para reparar o pneu e a borracharia não tiver o pneu nas medidas necessárias para vender lascou de vez.

      P.S. O correto não seria pneumático em vez de pneu? deveriam logo era chamar de "sapato automotivo", seria bem mais específico, pois temos outras peças pneumáticas no carro além dos "pneus".

      Excluir
    5. Douglas
      Também sou pelo estepe totalmente operacional, pneu de mesma medida dos demais, apenas a roda pode ser de aço. Pneu é mera abreviação de pneumático e isso herdamos dos franceses. Outras línguas tratam o assunto de modo diferente, referindo-se ao "revestimento" das rodas, como no inglês, "pneumatic tires", que virou tires (tyres no Reino Unido); no espaanhol, "cubiertas neumáticas", passando a neumáticos; no italiano é "borracha", gomma, gomma pneumatica. Pneu vem do grego pneuma, ar, vento.

      Excluir
    6. Com a evolução é muito raro furar um pneu e, dada a quantidade de locais de reparação hoje em dia, eu acho que os sobressalentes finos cumprem a função. Inclusive acho que está perto o dia de os carros não contarem mais com o pneu sobressalente.

      Excluir
    7. Pois troquei recentemente os pneus dianteiros do meu carro (Astra) com 77.000 kms, sem nunca ter furado, e passei um deles pro estepe, com 1,6mm de banda ainda. Os traseiros originais ainda estão lá, aos 78.000 kms. Firestone Firehawk 700 195/60-15. Sou a favor dos sobressalentes finos: menor espaço ocupado, menos matéria-prima empregada e uso raro/esporádico pela qualidade dos pneus de marcas conhecidas.

      Mauro

      Excluir
  19. Marcelo Junji22/07/12 23:52

    Estão fazendo no punto o mesmo que fizeram no palio, que é deixar o carro cada vez mais feio.

    ResponderExcluir
  20. Bob, no casa do T-Jet você sabe a qual rotação do motor é alcançada a velocidade máxima? já que é uma versão esportiva o ideal é que a última marcha seja curta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas
      A 203 km/h o motor está a 5.800 rpm, 300 rpm mais que a rotação de potência máxima. Perfeito para desempenho.

      Excluir
    2. Bob, quero lhe parabenizar, pois o AE é o único local onde eu acho avaliações que exploram mais a parte técnica, trazendo informações como rigidez da mola, espessura da barra estabilizadora e relação de marchas.
      Os outros sites e também revistas ignoram esses detalhes técnicos e ficam avaliando só perfumarias.
      Parece que aqui é o único local da internet feito para verdadeiros autoentusiastas.

      Excluir
  21. Douglas
    Agradeço suas palavras. Realmente, há quatro anos criamos (nós, um grupo de autoentusiastas) um blog para ser atender ao que os autoentusiastas gostam. Mas precisamos melhorar, adquirir equipamentos, fazer mais vídeos. Estamos cuidando disso. Temos o software (nossas cabeças), falta-nos o hardware.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além de trazerem todo esse conhecimento para nós, gratuitamente, ainda precisam aguentar comentários absurdos de pessoas que de nada entendem. Parabéns e obrigado pelo blog.

      Excluir
  22. Tão belo que era...

    ResponderExcluir
  23. Face-lifts.

    Na boa - exceto o interno - porque estragar os carros com reestilizações mancas, mal feitas ou mambembes? Eu preferiria um desconto no preço, sinceramente.

    ResponderExcluir
  24. Para a grande maioria dos carros nacionais rodas com aro superior a 15 polegadas é um desperdício em todos os sentidos. Pneus demais para ruas e estradas de menos. Mas o brasileiro médio se vende a esta bobagem de rodas gigantescas sem a menor necessidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Autoentusiasta cansado da Luta12/08/12 20:56

      Graças a Deus! Achei que era apenas eu que ficava chocado com a nova praga automobilística da "masturbação das rodas". Até entendo ter uma 17" como opcional, mas como item de série? Deus me livre!

      Excluir
  25. Gostei das mudanças no Punto; principalmente no interior, ficou algo mais sofisticado aparentemente!

    Sobre os pneus; que coisa hein? O Tempra Turbo uma vez, equilibrava-se (bem) sobre rodinhas de 14 polegadas (apenas com mais tala)....esses dias eu andei com o DS3 equipado com as 17's, e o carona sempre me alertando para não cortar os pneus em curvas mais fortes, quando quase roçavam os demarcadores internos da pista.

    MFF

    ResponderExcluir
  26. Bob, achei que as últimas avaliações estão carecendo de uma crítica maior. Você está menos exigente?

    Eu particularmente achei que faltaram os repetidores laterais do indicador de direção e principalmente o controle de estabilidade. Também achei bobagem o tamanho dos pneus 205/50R17 do T-Jet.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perneta
      Tudo isso foi dito no post sobre o Punto T-Jet que está com link. Este post de agora é basicamente complementar, trata do novo modelo. Repetir tudo seria redundância. Controle de estabilidade, quando tem cito; quando não tem não condeno.

      Excluir
    2. Não vejo necessidade de controle de estabilidade ou tração, principalmente aqui onde não neva e o frio não chega a formar gelo no piso. Até ABS dá pra descartar por aqui, foram feitos pensando em lá.

      Excluir
  27. E a garantia, foi para 3 anos?

    ResponderExcluir
  28. Filipe_GTS23/07/12 12:56

    Como é agradável um veículo à venda com tantas opões de escolha.
    Vamos comparar o Punto com New Fiesta ou Polo (pff).
    Polo e Fiesta - motor: Só 1,6L. Punto: 1,4/1,6/1,8L e 1,4 16V T.
    Teto solar: ponto para o Fiat e para o VW
    Bancos esportivos, rodas de 17" em determinada versão e demais adereços estéticos: Somente no italiano.
    Sem contar que podem ser adquiridos como opcionais amplo kit de airbags, ar digital, etc.
    Nunca fui fã de Fiat, sempre fui mais VW, só que a VW hoje em dia não dá mais.
    Como bem disse o Bob, quando citou o Gol GTI: bons tempos da VW! (tempos de Gol 2.0, tempos áureos de Golf, tempos de Polo 2003...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe
      Tbm sou ou (fui) fa da VW. mas a VW Brasil parou no tempo desde o inicio dos anos 2000.
      Tive Gol GT/GTS e GTI e Golf 1.6 nos aureos tempos. Hoje ando num Polo , mas acho que é o ultimo VW que terei.
      Com certeza a Fiat está muito a frente e a sua lideranca de mercado nao é mero acaso...
      Imagine se a VW nao tivesse o Gol.. O que seria dela?
      To farto da lerdeza desses alemaes!

      Excluir
    2. Só um detalhe: Polo pode receber tanto o 1,6 quanto o 2,0.

      Excluir
  29. Bob,
    Porque o i30 com seus pneus 225 possui diâmetro mínimo de curva bem menor (10,2) que o T-jet, com 11,8?
    Outra coisa: sabe me informar se os retrovisores são rebatíveis eletricamente? O termo "acionamento elétrico dos retrovisores" não é claro quanto a isso, pois pode se referir apenas ao ajuste do espelho em si.

    ResponderExcluir
  30. Semana passada, numa CSS Fiat, o vendedor me disse: "Não estamos faturando Punto por enquanto. Só podemos vender o que tem em estoque. O novo Punto virá na próxima semana, custando no mínimo R$5.000 a mais."
    Ou seja, o ágio já estava contabilizado.

    ResponderExcluir
  31. feio, muito feito pelas fotos, mas sei q isto é subjetivo...

    eu não tenho coragem de comprar fiat, pode ser preconceito, mas não tenho mesmo.

    ResponderExcluir
  32. Não tenho coragem de pagar 38k num carro pelado e que enfeiou.

    Preço deste carro deveria ser 32k e tava muito bem pago!

    ResponderExcluir
  33. Acho caros esses carros, como todos os nacionais. Vi na Internet, em um revendedor Subaru americano, que o Impreza 2.0i 2012 é vendido lá por
    US$ 21.674, com US$ 2.168 de entrada e 72 X US$ 287. Em 6 anos, sai mais
    barato do que várias versões do Punto, que, vamos e venhamos, não dá nem pra
    comparar com o Impreza. Brasileiro Autoentusiasta sofre...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conhece um site chamado Notícias Automotivas?
      Vai dar uma passadinha lá que vão gostar desse teu comentário chato.

      Excluir
  34. Bob, é verdade que o Bravo Sporting tem a mesma suspensão (e bancos) do T-Jet?

    Turbo_Car

    ResponderExcluir
  35. Gostei da Fiat ter dado atenção aos detalhes em cada um dos modelos disponíveis no novo Punto. Finalmente uma versão esportiva de carros acessíveis aos "meros mortais" oferece algo a mais em desempenho e comportamento dinâmico, não apenas um visual que evoca para algo de que o carro não é capaz.

    Não considero inadequada as relações de marcha do Punto T-Jet. Não apenas aqui no Brasil, mas em geral modelos esportivos têm relações de marcha mais curtas, para deixar o motor sempre "cheio". E o câmbio do T-Jet está bem casado com a rotação de velocidade máxima, não acredito que relação mais longa permitiria velocidade máxima ainda maior. Vale lembrar ainda que, mesmo após os 4500 rpm, o torque não irá despencar abruptamente, mantendo ainda um bom fôlego até o limite de giros.

    O que poderia ser feito, coisa que considero razoavelmente simples de implementar, seria a Fiat disponibilizar uma outra caixa com relações de marcha mais longas, para agradar aqueles que assim preferirem (eu incluído).

    ResponderExcluir
  36. "Fiat Social Drive".
    Pelo que entendi é um meio de manter o motorista a par do que acontece no Facebook (ou algo do gênero) enquanto dirige. Corrijam-me se estiver errado.
    Dispenso. Assim como dispenso o Facebook, o Twitter, esses bichos todos (só não dispenso o nosso Blogspot). Aliás, dispenso toda e qualquer tecnologia de conectividade que tenha por escopo distrair o motorista de sua função.
    Por outro lado, entretanto, pontos para a Fiat, prova que eu estava enganado, pois nunca acreditei em interação carro x computador.

    ResponderExcluir
  37. Cada vez menos me dá vontade de comprar um Fiat.
    Tá chegando perto do sentimento de rejeição que tenho pelos GM atuais...

    ResponderExcluir
  38. Interessante como a taxa é publicada (ao menos no Uno)12,35(+ 0,15; - 0,20). O nosso acho que foi premiado com 12,5 nos 4 cilindros...bixinho econômico...e agradeçe etanol com 10 a 15% brutos de Podium.

    ResponderExcluir
  39. Bob,

    O cx do carro mudou com estas alterações estéticas?

    O do Punto é um pouco pior que seus concorrentes, o que acredito limita a sua velocidade final.

    Pelo que entendi neste modelo o motor 1,8 apenas no spt. No modelo anterior sempre achei muito bom poder escolher pelo 1,8 sem ser obrigatório levar junto mais peso e penduricalhos coloridos e mais caros da versão spt. É difícil de ver na rua mas quando vejo sei que ali tem algo a mais sem chamar atenção e por um preço mais justo.

    A versão t-jet nova ficou perfeita sem as partes plásticas pretas nos contornos das caixas de roda e saias laterais, na versão anterior deixava feio realmente o modelo.

    ResponderExcluir
  40. Faltou o lindo modelo duas portas;

    No Bravo a palheta também repousa mais alta, e algumas vezes já notei ruído em velocidade.

    ResponderExcluir
  41. 118 Kg separam Bravo de Punto com o mesmo motor, sendo relações de marchas iguais, pneus diferentes e diferencial 4,067 para Bravo e 3,733 para Punto.

    Enfim, não pederiam ser mais longas as quintas marchas?

    Bravo a 130Km/h no painel viaja a 4.000 rpm, mesmo o belo ronco do motor depois de horas fica cansativo e consumo comprometido.

    A quantas rpm vai o Punto com as diferenças de peso, diferencial e medidas de pneus?

    ResponderExcluir
  42. Bob, estou interessado em adquirir o novo Punto com o câmbio dualogic. Gostaria de saber se no anda em para do trânsito de São Paulo essa nova versão do câmbio não vai ficar dando os maledetos trancos. Houve de fato uma evolução nessa câmbio a ponto de valer o investimento ? Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, minha mãe tem um Siena 2011/2012 Dualogic(não é plus) e o carro não da trancos.
      Acho melhor do que automático convencional.

      Excluir
    2. Moises_SP
      Pode comprar, sem receio. O Dualogic Plus está realmente num estágio de evolução muito bom. Repito o que já disse: se eu fosse comprar um carro hoje que tivesse opçào de câmbio robotizado, seria esta a minha escolha.

      Excluir
    3. É só cuidar com os solavancos mas ele vai de tranco em tranco com uma embreagem só (Brasil), quando na Europa não o há nada disso com duas embreagens e não me fale em custos, ABS e air bag sempre foram inacessíveis e agora qualquer veículo o tem. Dualogig e mesmo o I-motion da VW, são perfeitos para quem não tem problema com trancos a cada troca, faça um test drive antes e você nãos os comprará.

      Excluir
  43. No caso do Punto Essence 1.6 2012/13 que comprei, apresenta o sinal sonoro que assinala o travamento e destravamento das portas em intensisade assustadora e a causar-me incômodos com vizinhos e com a Polícia por perturbação ao sossego alheio que é contravenção penal e mesmo infração aos artigos 208/209 do Código de Trãnsito Brasileiro, assim respondo pelo excesso de rúido a cada travada e destravada do veículo e sinceramente o incômodo é tão grande que o carro está perdendo a graça, simplesmente pelo projeto anômolo da FIAT que o tenho que responder a terceiros, a ficar com vergonha de utilizar a trava. Demandei a FIAT a solucionar o problema a diminuir o volume ou mesmo a retirá-lo ficando apenas o sinal luminoso a assinalar o travamento, mas a FIAT depois que vendeu o veículo o problema é seu e assim agurado solução que o sei não virá por incompetência ou ma-fé ou as duas coisas juntas, obviamente não o é a FIAT que o tem de responder a terceiros pelo ruído excessivo parecendo o irritante e volumoso sinal sonoro que assinala a ré em caminhões e máquinas.
    Sinceramente não tem graça nehuma pagar pelo veículo, ver a fábrica virar as costas a você e você ficar respondendo a terceiros e ao poder público por projeto anômolo da FIat.

    ResponderExcluir
  44. Estou pesquisando para comprar um Punto 1.6, exatamente pela sua ergonomia, motor e dirigibilidade. Mas estou ficando desanimado com tamanha quantidade de relatos de pessoas que tiveram seu Punto arrombado, principalmente para roubo do estepe... Esse problema procede mesmo? Será que ainda afeta o modelo 2013?

    ResponderExcluir
  45. Pessoal, quero adquirir meu primeiro carro e estou em duvida entre este Punto T-jet,e o New Fiesta, ambos 2013, o Punto tem muito mais Itens e Opcionais em relação ao Fiesta, que em seu favor, na minha humilde opnião trás somente uma estética mais apurada(por fora é claro), apesar de não ligar muito pra isso. Dizem que em relação a mecânica a Ford tem vantagem, mas como nunca tive carro não sei qual a melhor aquisição, tenho pesquisado muito, ja vi o HB20, Novo 308, New Fiesta. Confeço que nunca fui muito fã da Fiat, mais acredito que o que interesa é qualidade e não rotulos e no momento o que mais agradou em relação a qualidade foi o Punto que para os padrão Brasileiros trás uma boa qualidade de acabamento em seu interior. Alguem pode me ajudar? New Fiesta Ou Punto T-jet 2013?

    ResponderExcluir
  46. Bom, tenho um New Fiesta 2012 e posso dizer...o carro é muito bom; seguro, confortável...creio que o T-Jet está um patamar acima do New Fiesta, pois comparando os dois completos você tem no T-Jet:

    -Teto solar panorâmico
    -Ar-condicionado digital
    -Motor turbo, tecnologicamente muito atual(40cv e 5 kgfm a mais de torque)
    -Bancos melhores
    -Acerto de suspensão e mecânica mais voltada à esportividade

    É um Punto e diria até um hatch ''premium'', à parte dos outros nessa faixa de preço;

    Se tiver um troco a mais, vá de T-Jet! Se não, não vai se arrepender de pegar o NF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigado Amigo!
      Ajudou bastante, vou ver pessoalmente as condições que a Fiat oferece, ja fui na Ford e eles estão meio ruins de jogo, rsrsrs
      Valew!

      Excluir
  47. É uma pena esse exagero de tamanho de rodas! Estou prestes a comprar um Essence 1.6, e a roda só vem aro 15" se for a de ferro com calota. A roda de liga opcional já é 16"!

    Mesmo o pneu tendo um perfil um pouco mais alto que o do TJet, me preocupo tembém se posso ter problemas de bolhas na lateral, com o 195/55-16. Em minha cidade usam muito daqueles obstáculos trapezoidais tipo "tartaruga" na pista. Será que vale a pena pedir para trocar os conjuntos roda-pneu pelos aro 15" do Attractive?

    ResponderExcluir
  48. Bob, estou pensando em comprar um T-jet, mas minha preocupação é quanto a altura do solo. Moro no interior, mas pego estrada todo dia, onde as estradas não são das melhores, como todos sabem. Já tive um punto essence 1.8 e raspava um pouco ao sair da garagem. Será que o T-jet vai raspar mais ainda? Será que ele é bom só pra andar em rodovias tipo Dom Pedro por ser estrada de melhor qualidade? Resumindo: Sei que esportivo tem que ser mais baixo e suspensão mais dura, mas será que vou ter que andar com ele parecendo uma mocinha o tempo todo por qualquer bobagem na estrada pra não raspar embaixo o tempo todo? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complementando minha pergunta: O T-jet é daqueles carros ao passar em lombadas tem que ficar esterçando para um lado e para o outro para não raspar?

      Excluir
    2. Anônimo 07/12/12 07:37
      É um carro para pisos de boa qualidade, certamente, mas pelo o muito que ja dirigi o Punto T-Jet nunca houve dificuldade com má pavimentação e nem com lombadas.

      Excluir
    3. Bob, obrigado por responder, uma última coisinha, só pra você saber realmente do tipo de estrada que estou me referindo, são as estradas da região de amparo, morungaba, itatiba, serra negra, pedreira, águas de lindóia. Conhece as estradas por aqui? Será que o T-jet aguenta? Ou melhor, será que eu aguento a suspensão firme do T-jet pra esses lados de cá? rsss. Obrigado.

      Excluir
  49. Anônimo 07/12/12 12:44
    Sem nenhum problema para o carro trafegar por essas estradas, que conheço.

    ResponderExcluir
  50. ANÔNIMO 01/01/13

    OLÁ BOB,ESTOU NA DÚVIDA ENTRE A COMPRA DO PÁLIO SPORTING E O PUNTO 1.4 QUE ESTÃO NA MESMA FAIXA DE PREÇO;

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...