Google+

22 de agosto de 2012

FOCUS MK1 vs CRUZE


Fotos: Netcarshow.com, Chevrolet e autor





Este post faz parte da série de artigos onde o MAO e o JJ discordam sobre algum tópico. Outros posts desta série: Miura x Daytona, Countach x Berlinetta Boxer, Passat x Corcel II.

Hoje, uma estranha comparação: o Ford Focus de primeira geração contra o Chevrolet Cruze. O por quê, vamos ver.


Focus e Cruze: dias de um futuro presente
por Marco Antônio Oliveira


Meu velho e fiel Focus 2005


Uma questão absurda, esta. Um Focus Mk1 é algo do passado, que parou de ser produzido em 2009 aqui no Brasil, e muito antes na Europa. Já o Cruze, um carro atual e corrente. Mesmo o preço é diferente: quando novo o Mk1 aqui no Brasil custava a partir de 38 mil reais zero, e o Cruze começa em 60 mil. Hoje, tempo em que o Focus é um carro usado, a diferença é muito maior, claro. Vale comparar um carro usado com um zero? Por que esta comparação absurda?

Bom, eu acabei de trocar meu fiel Focus Mk1 por um Cruze LT Hatch zero-km, todo lindão e vermelhíssimo. Comparar um com o outro acaba por ser natural, e esta comparação acabou, como sempre, numa discussão entre os amigos do AE..


Meu novo e vermelhísimo Cruze LT

Mas a real pergunta não é se um é melhor que o outro; o Cruze é um carro muito mais equipado e mais caro que meus Focus foram. A pergunta é, estivesse o Mk1 ainda em produção e a venda pelos mesmos 38~40 mil em sua versão básica, o compraria no lugar do Cruze de 60 mil? Antes de responder isso, tenho que contar duas historinhas para vocês.

Certa vez, ao redor do ano de 2004, resolvi comprar outro Chevette. Para quem não sabe, sou um grande fã do carrinho, coisa que contei aqui no blog repetidas vezes. Naquele ano, estava precisando de um carro extra para ir ao trabalho nos dias em que invariavelmente meu Opala cupê 74 estava na oficina. Usar um carro de 30 anos no dia a dia, por melhor estado que ele estivesse, estava se provando impossível. Tive então uma idéia totalmente idiota, mas que me pareceu perfeitamente lógica então: comprar o Chevette L 1993 do meu cunhado.

A lógica me parecia impecável: o carro dele estava razoavelmente bom, era extremamente barato, e minha experiência com meus quatro Chevettes anteriores me dizia que o carrinho só precisava de combustível: era completamente inquebrável e confiável. Tudo bem, estava quase exatamente 10 anos sem Chevettes então, mas o que poderia ter mudado? Nas imortais palavras de Jeremy Clarkson, “What could possibly go wrong”?

Bom, obviamente, um montão de coisas podiam dar errado. E deram. O principal detalhe que tinha convenientemente esquecido era que os outros Chevettes que tinha tido eram carros novos ou quase, que agüentaram, sim, muitos maus tratos sem pedir nada de volta. Mas não necessariamente agüentariam isso para todo o sempre...

O Chevettinho do meu cunhado estava com os bancos ruins, afundados. O motor estava sem vigor algum (descobri depois que o cabeçote estava trincado), e engasgando muito. Os amortecedores já tinham visto dias melhores. Fora um sem-fim de problemas menores. Era um carro de dez anos de idade, afinal de contas.

Sim, eu podia arrumar isso, e de fato por um tempo tentei. Mas eu na verdade fui confrontado com um Chevette diferente dos que tinha nos anos 80/90: um Chevette velho. E para falar a verdade, não gostei daquilo. Um dos grandes charmes do carrinho era também a absoluta confiabilidade, e sem ela. bem... vamos dizer que não tenho problema nenhum em reformar um Opala até 74, mas não estou disposto a fazer o mesmo com um Chevette. Por que? Porque Opalas de primeira geração eram velhos quando os conheci, então sempre pediram manutenção. 

Já Chevettes são para mim diversão barata, carrinhos que são uma delícia para dirigir, e nunca pedem nada em troca. Na verdade, seu tempo havia simplesmente passado na minha vida. Nunca mais poderia ter um Chevette zero-km, fato. Aprendi ali uma lição importantíssima, lição que vale não só para carros, mas para tudo na vida:

Não se pode reviver o passado.




Triste, mas real. Nunca mais serei aquele moleque que não pensava duas vezes antes de entrar no Chevette e rodar 500, 700, 1.000 km atrás de alguma menina ou algum estágio em uma empresa distante. Um Chevette hoje não chegaria lá sem quebrar 15 vezes, para começo de conversa... 

A gente tem que deixar o passado lá, na lembrança, formando o que somos como pessoas, mas sem nos prender como âncoras, sem nos cegar para outras experiências diferentes. Temos que aprender a deixar para trás o que passou, e nos movermos adiante.
Mas incrivelmente, repeti o erro recentemente, o que deve dizer algo para vocês sobre este colunista. Mas, em minha defesa, de novo a lógica era perfeita.

Quem acompanha o blog lembra de quando achei e comprei meu Santo Graal: o meu segundo Focus Mk1. Em 2010, cansado de novo de usar um carro de 15 anos no dia-a-dia, resolvi vender o meu Nissan Maxima e comprar o último Focus Mk1 à venda. O carro parara de ser fabricado no fim de 2009, mas em março de 2010 ainda pude comprar um zero-km.

Mas o fato é que, este carro também não era o mesmo que aquele que compramos em 2005, e ainda estava conosco. O motor, ainda o 1,6 litro Rocam, mas agora flex, não era tão suave em operação quanto o 2005. O volante não tinha aquela pega gostosa do 2005, apesar do desenho ser idêntico; provavelmente um material mais barato fora usado. A caixa de direção quebrou e teve que ser trocada duas vezes na garantia. 

O carro na verdade, apesar de aparentemente idêntico, não era tão bom quanto o anterior. Acabei por vendê-lo e ficar só com o 2005 quando me mudei para perto do meu emprego e passei a não precisar mais de dois carros na garagem.

De novo, não é possível reviver o passado. Chorei muito o fato que a Ford deixara de fazer o clássico Mk1, mas o fato é que seu tempo, também, passara. E que assim seja.



Mas ainda assim, e apesar de feliz feito pinto no lixo com meu novo, vermelho e maravilhoso Cruze, e sabendo que o Focus Mk1 deve permanecer no passado, ainda assim há algo que devemos aprender com ele. Mas antes de chegar lá, vamos antes falar um pouco do Cruze

O novo Chevrolet é um carro moderno. Moderno primeiro na proteção aos ocupantes em caso de acidente. E não só por causa das bolsas infláveis e os cintos com pré-tensionadores, equipamentos apenas auxiliares que hoje são reputados como milagrosos. Não, ele é um carro estruturalmente preparado para ser 5-estrelas em qualquer avaliação NCAP no mundo. Isto significa que o carro tem colunas parrudíssimas, uma soleira de portas enorme, e que as portas também são muito espessas. A frente do carro é bem comprida, algo que também, sem dúvida, ajuda em impactos frontais. 

Este carro definitivamente não vai me permitir morrer em uma bola de fogo que pode ser vista da mesosfera. Está mais para destruir tudo em que bater e me deixar intacto. Rígido e pesado feito um tanque de guerra, o Cruze é um carro criado para se ter um acidente.

Foi criado também para ter rodas grandes. Quem teve a oportunidade de dirigir um dos últimos Vectra com roda de 17’ sabe o quanto uma roda enorme pode piorar um carro. Mas o Cruze foi criado para vestir sempre rodas deste tamanho desde o início de seu projeto, e portanto elas não estragam o carro como fizeram com o Vectra. Não que não pudesse ficar ainda melhor com algo mais condizente com seu tamanho, mas ainda assim, longe de ficar ruim.




O desenho do carro já pede rodas deste tamanho. Não adiantaria nada colocar rodas menores, a aparência ficaria ridícula. Não, como um carro moderno, o Cruze nunca terá uma roda menos que as atuais de 17 polegadas. E se o mundo permanecer evoluindo da mesma forma, podem crer que aparecerão coisas muito maiores no futuro.

E é nisso que está o problema dele. Por dentro, o espaço interno é ligeiramente menor que o do Focus. Mas por fora, é um carro sensivelmente maior. Minha garagem, antes folgada, ficou decididamente apertada.




Coisas da modernidade: tenho hoje um carro mais pesado e maior que o anterior, mas que essencialmente faz o mesmo trabalho. Tenho um carro maior, que bebe mais combustível, apenas para carregar rodas maiores para ficar bonito, e mais carroceria para o caso de destruir o carro num acidente que quero evitar a todo custo. E isto não é coisa só do Chevrolet; é o que pede o mundo moderno.

Tudo bem que não dá para reviver o passado, mas não somos agora uma sociedade preocupada com o meio ambiente, com o correto uso dos parcos recursos naturais, com a eficiência? Cadê a eficiência nisso? Voltar ao passado é achar que o antigo e ineficiente carro elétrico, com suas baterias químicas, vai fazer algo bom. O mundo hoje ou é muito burro, ou muito hipócrita mesmo...


Mas, e aqui voltando à comparação que me propus a fazer, isso não quer dizer que prefiro o Focus Mk1 ao Cruze. Não há comparação possível aqui, simplesmente porque o mundo anda para frente apesar da hipocrisia e da burrice generalizada. O Focus mk1 está a duas gerações atrás do Cruze e isto é óbvio no primeiro minuto que se anda nele.




O Cruze tem bancos sensacionais, que nos abraçam e seguram como namorada nova. E tem tanta regulagem de altura que, em conjunto com o volante com ajuste de altura e profundidade também generosos, fica impossível alguém não achar uma posição de dirigir ideal. Do anão ao gigante. Junte a isso um motor que sabe ser silencioso quando passeando, e vocal quando se coloca a faca entre os dentes, um câmbio manual de trocas gostosas e um interior sofisticado, e se tem um carro delicioso para se dirigir. 

O motor é mais potente, fazendo que mesmo sendo mais pesado, o Cruze ande mais. Os limites de aderência são mais altos. Do maravilhoso banco do motorista do Cruze, é possível andar bem mais rápido, e com muito mais conforto que o velho Focus Mk1. É realmente um prazer andar com ele.


Sim, a direção com assistência elétrica de peso variável é um pouco leve demais. Mas com o costume isso não é mais um problema para mim, e um bônus em velocidade baixa, onde não existe nada no mundo tão deliciosamente leve.

Na verdade, com as rodas enormes, ABS, assistência elétrica de direção e controle de tração, nunca seria um carro tão bom quanto o Focus em comunicação com o solo. Ele necessariamente isola mais do exterior, de novo por causa de seu peso, tamanho e rodas/pneus. Uma comunicação tão intensa como a do Focus seria inviável num carro como o Cruze, pelo desconforto com rodas tão grandes. Há necessidade de se isolar um pouco mais.

Mas isto não significa que o Cruze não me diga nada do que se passa lá fora; apenas o Focus Mk1 é o melhor nisso, ainda que de uma forma não mais possível hoje. Trocar o novo Cruze pelo velho Focus? Nunca! O Cruze podia ficar melhor com rodas menores e menos peso, mas ainda assim é muito melhor por trás do volante que meu velho Focus. Não em tudo, mas no todo.

Afinal de contas, goste-se ou não, o passado já passou, o futuro não conhecemos, e tudo que resta para aproveitar é o aqui e o agora.

MAO




Focus velho ou Cruze novo?

Por Juvenal Jorge

Um Focus antigo anos 1999 a 2009, que podemos chamar como os ingleses de Mark I (Mk I) é melhor que um Cruze novinho?
 
O Focus hatch é de 1998 na Europa, logo depois no Brasil. Há muitos usados para vender , e hoje é fácil e barato encontrar um em bom estado.

Como sempre dissemos no AUTOentusiastas, notadamente eu e o Marco Antônio Oliveira, é um ótimo carro, um dos mais gostosos de dirigir no seu preço, seja quando novo, seja agora, passados três anos de sua substituição pelo modelo mais moderno e atualizado, porém maior e mais pesado, de acordo com as infelizes tendências de mercado, tendências essas que apontam na contramão da engenharia de automóveis mais refinada e inteligente, que clama por produtos mais eficientes, que façam o trabalho proposto com um mínimo de dispêndio de energia. 

Mas, como o MAO disse acima, é o que o mercado pede, e que, no meu raciocínio é, em regra, 80% de bobagens e 20% de utilidades.

Não que o atual Focus vendido no Brasil seja ruim, Focus nunca é, mas perdeu um pouco daquele comportamento de carrão de brinquedo, notável principalmente nos momentos em que se abusava em alguma curva e o carro se mostrava muito superior ao que sua faixa de preço exigia. Basta dizer que alguns carros bem mais caros não dão metade do prazer de dirigir de um Focus velhinho.

O Focus em seu habitat natural

Vamos torcer para que o próximo, já lançado na Europa e América do Norte, retome um pouco do que foi o primeiro. Não se compara nem se conclui lendo a respeito dele na mídia estrangeira. Precisamos esperar chegar o nosso em solo pátrio, para ver o que a Ford fez para nós.

E o que pensar agora que temos há um certo tempo em mercado um carro também muito atrativo pelo estilo e extremamente competente da marca Chevrolet, o Cruze? Será que um Cruze novo de uns 60 mil reais pode ser melhor que um Focus Mk I, agora só usado e encontrado por valores tão baixos quanto 15 mil? Ou na outra extremidade, um Duratec 2-litros de 2007 por uns 30 mil?

Do que conheço de Cruze até agora, digamos uns 200 km rodados, fico com o carro da marca de Henry Ford tranquilamente, mesmo sendo usado. O Cruze é absolutamente ótimo, mas tem alguns pontos chatos que considero que não deveriam estar em um projeto tão mais novo que do Focus Mk I.





O primeiro e mais importante para quem gosta de dirigir é o sistema de direção. O Ford tem uma assistida hidráulica tradicional, com a definição de peso para girar o volante e velocidade de atuação nas rodas muito próximo da perfeição. Direções leves provocam balanços desconfortáveis em um carro, principalmente se o motorista for do tipo "corretor" em vez de previsivo, O previsivo vai lendo as condições de tráfego e de solo e se adianta a possíveis agressões deste sobre o carro.

Por exemplo, desviar de pequenas irregularidades, andar na faixa de asfalto mais liso, frear antes de lombadas e valetas. O motorista correto espera o carro atingir o obstáculo e ver o que o carro vai fazer para compensar com um desvio. Isso faz o Cruze ficar mais nervoso ou balançante, já que o volante se move muito facilmente, com sua assistência elétrica, que além de peso longe do ideal, anestesia as sensações. Ela fica mais pesada em velocidades altas, mas em trânsito de cidade, é leve demais. Muitos apreciam, eu não. Na verdade, detesto. Essa é uma característica de carros americanos dos anos 50. Que fiquem lá no passado, não num carro moderno.

Outro detalhe chato é o espaço interno um pouco menor do que um carro desse preço faz supor. Não que seja ruim, mas precisaria ser melhor.

No mais, é um carro bastante atualizado diante de concorrentes, e com um estilo muito superior ao dos japoneses e coreanos, em que pese o fato desse Chevrolet também ter sido desenhado na Coréia do Sul. O quanto, acredito que nem o fabricante consiga medir. Mas é um carro, não um efeito visual de Hollywood como alguns concorrentes dele, que forçam a barra em características visuais que levam os ocupantes a dar cabeçadas para entrar no carro, ou a ter que lutar com aberturas de porta-malas com minúscula área útil.

 
O Cruze que falta no Brasil, a perua
 
Na verdade, o que falta ao Cruze, para mim, é a versão perua, já existente, mas que por aqui, óbvio, não deve chegar. O grande lance de brasileiro é sedã, minivan e utilitários esporte. Na opinião geral, hatches são carros de pobre e peruas são para manés que tem família. E quem é bacana, anda de SUV ou utilitário esporte , ou suve, como o Bob Sharp, muito interessantemente adotou. Um tipo de veículo que nem nome certo tem, pois se confunde com crossovers, peruas crescidas, hatches agigantados e outros modelos e subdivisões de categorias, uma grande bagunça de posicionamento mercadológico.

Falta de bom gosto dá nisso mesmo.
 
JJ

287 comentários:

  1. JJ 1x0 MAO

    Nem em sonho o Cruze é melhor que o Focus Duratec. O Cruze é mais lento tem handling pior e painel horrível. Na verdade muito me assusta o MAO trocar um Focus por um Cruze, principalmente na horrorosa versão hatch.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho a nova versão do Focus muuuiiito mais bonita e mecanicamente mais eficiente que o Cruze com esta cara de carro anfíbio, com a unificação do desenho das frentes da linha GM realmente alcançaram seu objetivo que é a rápida idenficação da marca, quando avistados, é feio? É GM! Só naõ entendi o por que da comparação, quando o mesmo afirma que passado é passado.......seria mais interessante para nós leitores que tivesse sido escrita a experiência do contato e/ou teste com modelos da mesma geração, isso tá com cara de arrependimento rs........

      Excluir
    2. Não dirigi o Cruze para poder afirmar, mas conconrdo com os acima, o Focus mk2 tem um painel mais bonito, um estilo menos controverso, um motor maior e mais potente, é mais leve, tem rodas menores e mais estreitas, ao mesmo tempo que freia melhor, fora outros mimos q a GM suprimiu no Cruze.
      Tb prefiro o Focus, sem sombra de dúvidas!

      Excluir
    3. Concordo com o "placar" JJ 1 x 0 MAO.
      Mas não acho que o Cruze tenha "um estilo muito superior ao dos japoneses e coreanos". Pra mim, está na média, se não estiver abaixo.

      Excluir
    4. O curioso é a GM fazer um carro com 6 marchas e todo mundo chamar de 5+E. O detalhe é que ele não consegue nem encher a 5ª marcha. Das duas, uma: Ou o motor é fraco ou o escalonamento está por fora.
      Já estou com saudades do Astra.

      Excluir
    5. MAO, você bebeu?

      Excluir
    6. Eu tenho os dois.

      A dirigibilidade do Focus é superior! O que me agrada no Focus é a suspensão traseira do tipo multilink e a possibilidade do ajuste digital da direção elétrica em 03 níveis (Esporte, normal e Conforto).

      Mas as coisas mudam quando se fala em bancos, tecnologia embarcada e interior.

      Consumo urbano e rodoviário pouquissimo melhores no Cruze (câmbio AT de 6 marchas contra AT4 do Focus). Mas tem uma ressalva: Mesmo com 4 marchas, o Focus trabalha abaixo de 3 mil rpm a 120km/h!

      Fiz os testes de retomada em ambos, e é onde o Cruze surpreende: O câmbio responde melhor, achar a melhor faixa de torque/potência e responde com eficiência, enquanto o Focus joga para terceira e demora um pouco a responder.

      Agora, falar que painel do Focus é mais bonito que do Cruze é piada de mau gosto!!! O painel do Cruze dá de DEZ no Focus atual, só perdendo para o novo Focus americano. Ah este sim: Quando chegar no Brasil, será o melhor em tudo (como já é no resto do mundo).

      Clquem no meu nome e vejam meus videos.

      Excluir
    7. Se é algo que odeio é anônimo.

      Mostrem as caras, meus caros!

      Digam seus nomes!

      E parem de falar DAQUILO QUE VOCÊS NÃO TÊM!!!!

      É só gente que "torce" contra marcas! Eu saí de um new Civic e fui para um Cruze e estou muito contente! Não ligo em comprar um bom produto! Hoje, tenho um Focus sedã 2009 automático e o Cruze 2012 automático com couro. Exceção à suspensão traseira do Focus (que é a MELHOR vendida no Brasil - até mais acertada que a do Lancer, também multilink), o Cruze é superior em tudo.

      O Focus já era superior ao meu Civic, mas o Cruze é um produto mais moderno, com mais tecnologia embarcada e que tem uma suspensão certíssima!

      Talvez eu compre um Ecosport ou uma outra camionete (Ranger!) para o lugar do Focus neste ano, mas só trocarei o Cruze por um Focus novo quando sair ou um sedã alemão acima do Jetta TSI (se tivesse dinheiro para isto, claro). Na categoria, não tem para ele hoje em termos de custo benefício.

      Excluir
    8. Amigo do Joãozinho22/08/12 21:49

      Na escolinha, o Joãozinho já falava:

      -Eu tenho! Você não tem!

      -Eu tenho! Você não tem!

      Excluir
    9. João tentando dar uma de quico pra cima dos anônimos chaves...

      Excluir
    10. "Se é algo que odeio é anônimo.

      Mostrem as caras, meus caros!"

      Seu avatar é igual ao meu, portanto a sua reclamação não procede...

      Se o problema é nome: Prazer o meu nome é Hermenegildo da Silva.

      Excluir
    11. Tá pensando em botar um EcoSport no lugar do Focus? Pode parar, vc já me disse tudo.

      Excluir
  2. "Uma comunicação tão intensa como a do Focus..."

    Em casa temos dois Focus, um 2007 do meu irmão e um 2012 da minha mãe. Eu tenho um Ford Ka e meu pai uma Courier (família Ford? rs). Quando ando no ka e depois passo pra algum dos focus, parece que estou flutuando... Porém, não gosto, prefiro sentir o chão, os defeitos do asfalto, as zebras da pista (track day), isso me faz feliz no ka (que ainda tem molas esportivas e buchas rígidas na suspensão dianteira)... quando estou em bons asfaltos!! Em asfaltos ruins, faz falta ter um focus, rs.

    Voltando a comparação do focus com o cruze, já acho o focus, mesmo o antigo, bastante isolado, tento imaginar como deve ser o cruze...

    Parabéns pela bela aquisição!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Ka for 1.6 então, vira um capetinha!

      Excluir
    2. Esse mesmo!! Segue uma amostra: http://www.youtube.com/watch?v=A2H8f1qyV38

      Excluir
  3. Deliciosa leitura, MAO. Já estava precisando mesmo de um post seu novamente aqui. Como proprietário de um MK1,5 há uns 80 mil km, fiquei bem empolgado com a leitura.

    Dessa vez com certeza deu empate com o JJ, pois ambos estão certíssimos em suas colocações: atualmente as engenharias - pressionadas pelo marketing - se deixam levar pelos anseios do mercado (nem sempre por coisas úteis), porém não temos como evitar essa evolução das coisas. Por mais que não concordemos com algumas delas (fazer a mesma coisa por menos), seria rabugento de nossa parte querer manter nossos carros eternamente e achando que ainda serão os supra-sumo da categoria após tantos anos. Mesmo esse sendo um Ford Focus...

    ResponderExcluir
  4. Não consigo ler o texto no meu iPhone. Não é a primeira vez que isso acontece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então jogue fora seu iPhone!

      Excluir
    2. Não é o único ..

      Excluir
  5. Aléssio Marinho22/08/12 12:33

    "...não um efeito visual de Hollywood como alguns concorrentes dele, que forçam a barra em características visuais que levam os ocupantes a dar cabeçadas para entrar no carro, ou a ter que lutar com aberturas de porta-malas com minúscula área útil."
    Em alguns carros atuais faz-se uma verdadeira ginástica para chegar ao banco traseiro sem bater a cabeça no arco do teto. O Cruze sedã é um bom exemplo. Sem contar que tenho a impressão de que a população está diminuindo, pois o espaço interno dos carros novos anda cada vez menor. O Meriva acomoda melhor que a Spin, e os Vectras são superiores ao Cruze neste aspecto.
    Espero chegar o dia em que a lanterna traseira vai encontrar com a dianteira, tamanho o exagero estilístico dos últimos anos.
    Seria pedir pedir demais que fizessem carros com desenho discreto, funcional e que acomodem os passageiros com conforto e sem 248 itens dispensáveis, só pra aumentar o peso e a lista de itens de série?
    A cada dia que passa fico mais fã do Logan pela sua proposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Logan, Cobalt, novo Santana... opções não faltam seu xarope!

      Excluir
  6. Como amo meu Focus MK1 Ghia 2008... Simplesmente perfeito por 30 mil.
    ISM

    ResponderExcluir
  7. MAO/JJ

    Cruzes, eu de Cruze? Jamais! Com tantas opções, acho que foi uma péssima escolha.

    Mas, o que dizer do Focus? Se ao menos fosse o 2,0, vá lá...O carrinho é bom, mas 1,6 litros para levar aquele peso todo...Tenho minhas dúvidas. Em região de serras, não dá para encarar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN, pegue um 1.6flex bem amaciado, abasteça com etanol e ande na estrada, ultrapasse esticando as marchas, depois me conte.
      Anda muito bem, não é um foguete mas não decepciona, muito pelo contrario.
      e o motor gosta de girar, 0-100 fica na casa dos 11s e maxima de ponteiro na casa dos 200km/h para um 1.6 está bão demais sô.

      Excluir
    2. Não procede. Já encarei subidas de serra (BR 277 – Curitiba – Paranaguá) com um 1.6 2007 e não lhe faltou fôlego em momento algum, pelo contrário, tocando no regime e marcha adequados ele aponta firme nas curvas sem perder o ânimo, mesmo em trechos de subida forte. Em perímetro urbano ele vai muito bem, também, com seu bom torque já disponível desde baixas rotações, não sendo letárgico em baixa como os motores Honda, por exemplo.

      Excluir
    3. CCN,
      Posso falar com propriedade: na cidade a combinação de peso elevado - lembre-se, não é um Fiesta ou EcoSport - e câmbio de relações espaçadas pedem rotações mais elevadas se quiser ter emoção ou ficar na frente do resto do tráfego. Contudo, ainda é superior ao motor 1,7L dos Civic, conforme disse o Charles. Entretanto, na estrada ele se sente em seu habitat natural, principalmente se for combinado com uma topografia bem irregular.
      Também ratifico o que o Anônimo das 13:00h disse: a diferença na utilização com gasolina e álcool é bem perceptível...

      Excluir
    4. Filipe_GTS22/08/12 17:01

      Diferença prática em carro abastecido com álcool? Nunca vi disso.
      Mas 'carro amaciado', principalmente os mais velhos, aí eu concordo.

      Excluir
    5. Pois eu te digo que existe, pode ser por pouco mas existe, principalmente na estrada se a gente andar de bucha cheia.

      Excluir
    6. Nooossa, se for destas linhas novas de motores com alta taxa de compressão a diferença é um abismo! Teste linha VHT (VW).

      Excluir
  8. Aléssio Marinho22/08/12 12:41

    Neste comparativo, fico com o JJ.
    O Focus apesar de mais antigo, ainda é superior ao Cruze.
    Simplesmente pela eficiência de fazer mais, com menos. Como o caso das rodas.
    Um bom projeto não envelhece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Um bom projeto nunca envelhece, e temos otimos exemplos: Omega A, Vectra B, Focus MK1.
      Ja' dirigi o Cruze e ele me fez ter saudades de um carro do qual eu nunca gostei: o Astrao G3, mais conhecido como "Vectra C".
      Disseram mais acima que o Cruze e' melhor que o Civic. Nao duvido, ja que ambos os paineis sao intragaveis.

      Excluir
  9. Fico com o JJ, prefiro um modelo da geração anterior consagrado do que uma novidade imperfeita.

    Até porque estou muito pê da vida com o que a GMB fez nos últimos 10 anos, aqui é boicote total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imperfeita?

      É porque vc não comprou um!

      Imperfeito foi ter um Civic com seu lindo painel digital, sua ótima estabilidade em curvas e seu lindo desenho. Tudo por 60 mil reais, com direito a apenas Ar, airbag duplo, direção e vidros (que não eram um toque até colocar um modulo).

      Agora, quando se tem um automovel que, se não tem uma suspensão traseira boa como a do Civic, consegue ser excelente de curva e confortável, seguro, com muita tecnoliga embarcada, econômico, câmbio AT6, 4 airbags, bluetooth para celular, aro 17", posição de dirigir estilo sedã alemão, bancos em couro, ESP, motor com 20kgfm de torque, etc etc etc por míseros 68 mil reais, você se faz pensar que incompleto era o Civic!

      Como ex-dono de new Civic e de Focus 2009 automático, sempre achei o Focus melhor. Hoje, andando no dia-dia de Cruze e Focus, eu acho o Cruze melhor em tudo - exceção à dirigibilidade e suspensão traseira.

      Agora, qual tua propriedade para dizer algo?

      Excluir
    2. "exceção à dirigibilidade?" OMG!

      Excluir
    3. Dirigibilidade é tudo.

      Excluir
    4. Se estamos num site autoentusiasta, eu acho que aqui no mínimo não se fala em "exceção à dirigibilidade?" .........

      Excluir
    5. O Cruze é um carro definitivamente feito por "bean counters" e desenvolvido para compradores que são contadores de feijão.

      Excluir
  10. Ótimo Texto,parabéns eu acho ambos ótimos automoveis e cada carro é melhor que o outro naquilo que se propoe, eu como não tenho, nem quero gastar mais de 60 mil em um carro, fico com o focus mk1 muito gostoso de dirigir e ainda belo quando bem equipado.focus virou classico pouquissimos carros são melhores entre 20 e 30 mil reais.

    ResponderExcluir
  11. 3 Focus depois (quatro se contar a Escort SW Zetec) (2004 RoCam, 2002 Zetec 1,8, 2009 Mk2,5 Dura AT) não consigo imaginar o Cruze como substituto do Focus.

    Como muito bem disse um amigo meu (e coincidente com o reportado no texto) não há nada abaixo de 60k reais que dê o mesmo prazer de dirigir que um Focus (tanto faz se Mk1 ou Mk2,5).

    A única coisa que o Cruze do MAO tem que o Focus peca em não ter é este vermelho sangue no catálogo de cores (ACORDA FORD!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aquele verde (bem escuro... deep) que tinha nos 2009... seria a minha primeira opção.

      Excluir
    2. Boa Fábio! O Verde escuro Mk2 é lindo e raríssimo aqui no sul!
      Já estou no meu segundo Focus, tive um 1.6 2007 e agora um Ghia 2009!
      O Rocam Gasolina, anda bem sim, estrada e cidade, e o Duratec Mk2 é meio lento em baixa, mas depois de 4.000Rpm mostra a que veio...

      Excluir
  12. Estou quase fechando num Focus 0km, será que vale uma passadinha na CC da GM?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre vale, pelo menos pra ter certeza que a sua escolha atual é a correta.

      Excluir
    2. Testa sim. Ano passado, andei no Cruze e comprei o Focus. hehe

      Excluir
    3. Fábio: Eu seria ainda mais paciente e esperaria o Golf...um dia ele vem!

      Mas ser tiver a grana engatilhada, seja feliz porque o Focus é um belo carro (mas não tudo o que dizem dele!).

      MFF

      Excluir
    4. Finesse, vem com os mesmos motores "atuais" (1.6 EA111 e 2.0 EA113) e uma versão caríssima, aliás provavelmente mais cara que o Jetta, devido aos fatores novidade + Golf... acho q nao vale esperar por isso.

      Excluir
    5. Fábio e MFF

      A VW anda testando o motor EA-211 numa versão 1.6 16V em um Voyage branco. Esse carro vive rodando pelo litoral norte de São Paulo e Vale do Paraíba. Acho que vem novidade por aí.

      Excluir
    6. FVG, não tem mais idade pra acreditar em papai noel né... na boa! Estamos no Lisarb!

      Excluir
    7. Fábio, eu tenho os dois.


      Espere o Focus novo. O atual é melhor do que todos, mas peca no seguinte: Painel (carro andamos dentro, não fora!), posição de dirigir e itens de série. Também julgo o câmbio do Cruze melhor para cidade e estrada.

      Como eu digo: Automovel se faz de vários quesitos. Acredito que tua escolha será certa para ambos!

      Porém, eu esperaria o novo Focus ou compraria o Cruze, hoje.

      Excluir
  13. Muito bom. Em primeiro lugar, ótimo ver alguem comprando um carro mais refinado e com cambio manual. Priorizou a eficiencia e o prazer em dirigir. Nada do conversor de torque bagunçando tudo, passando aquela sensação de barco, em que o giro sobe para então a velocidade ir subindo aos poucos. Acredito que muitos compram automáticos simplesmente por status e moda.

    Mas eu ficaria com o Cruze. Conheço o Focus e sei o tanto que o carro é excelente, mas ele não desperta, e nem despertou, uma grande vontade em tê-lo. Ao contrário do Cruze. Vi um estacionado igual ao do MAO. Tive que ir vê-lo de perto, conferindo a opção do cambio. Era manual. Golpe baixo. Me perturbou. De uma hora para hora, me vi precisando de uns 60 mil.

    Depois do sonhado Jetta TSI azul com interior creme, o Cruze manual é o próximo da minha fila dos desejos (dos que tem alguma chance de serem realizados, claro).

    Abraço

    Lucas CRF

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, pensei no Jetta também, mas seria um passo muito largo em relação ao meu padrão/estilo de vida... Tem anuncio a 76,5... mas mesmo assim, não quero que minha garagem desperte o interesse de vagabundo, sacomé?

      Excluir
    2. Boa, Fábio. Mas vou escrever um negócio que vai ter cabra por aqui arrepiando: na compra dum bom hatch 0 KM, hoje, cogitaria seriamente um I30. Em termos objetivos, creio que pouco fica devendo ao Cruze. É um excelente carro e dá pra encontrá-lo zero por menos de 50.

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
    3. Lucas o I30 só se fosse para esperar o novo, dizem que virá com motor 1.6, então não... Valeu de qualquer forma. Abraço

      Excluir
    4. Pode ser que seja o 1.6 GDi. Aí a conversa é outra.

      Excluir
    5. Se depender da CAOA vai vir com o mesmo motor 1,6 do Devagaloster...

      Excluir
  14. Não sei viu Thales, acabei de ver no site da GM... 1410 kg? Nuuuooó! Minha maior dúvida é em relação ao peso do Focus... Será que vale deixar pra decidir no ano que vem? O anônimo falou que o 1.6 vai bem, creio que não para os meus anseios, isso com base num 307 1.6 (peso/torque bem similar).
    Vou bater o martelo de uma vez! Nunca dirigi pra valer o MK2, mas tomara que eu curta tanto quanto eu curti o carro da minha sogra MKI Zetec 2.0 AT 2004.
    No caso vou pegar um MKII 2.0 MT, será que incomoda mesmo aquele console central?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fuja do Focus "novo" com motor 1.6; é uma bigorna no dia a dia; bom na estrada depois de embaladinho...mas não é um carro ágil!

      MFF

      Excluir
    2. Fábio, vais pegar o mesmo carro que tenho. Te digo, vai sem dúvida. Bota na estrada e curtirá até não poder mais...O console cetral tu recua e fica na boa. Faz o test drive, tenho certeza que vais gostar. Stuntman.

      Excluir
    3. MFF, sem dúvida é o 2.0 e pra andar com combustível vegetal! hehehe

      Stuntman (Mike? hehehe) Dá pra recuar então? que notícia ótima!!!

      Excluir
    4. Fabio, não vou te mentir, se tu for meio grandão, mesmo recuado ele pode te atrapalhar um pouco.... no meu caso, não tenho problema com o console central, mas entendo aqueles que dizem que não gostam da posição dele. O melhor é tu experimentar o carro pessoalmente, pra que forme tua própria opinião. Boa compra. Mike, Stuntman Mike. hehehe.

      Excluir
    5. MFF,

      Seu comentário sobre o Focus Mk 2 1,6-litro confirma o que eu suspeitava: desempenho comedido, pois o motor Sigma 1,6-litro tem praticamente os mesmos valores de potência e torque do Zetec 1,8-litro dos primeiros Focus Mk 1, motor que já considero no limite para um desempenho satisfatório do carro.

      Excluir
    6. HAAAA EU TO MALUCO!!! Mandei pau! FODA-SE! Tô namorando esse maldito carro desde que foi lançado em 2009! E que eu seja muito feliz com ele! HAAAAA

      Excluir
    7. parabéns cara. não vai te arrepender. stuntman

      Excluir
    8. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    10. Valeu Stuntman Mike!!! hehehe
      Peugeot na minha garagem novamente? nananananana!!!
      E tenho amigo que troca seu "PSA" todo ano, fielzão!
      Eu me pergunto, o que leva uma pessoa a fazer isso?
      E dá pitaco pra ver! Toma uma resposta bem atravessada!
      Ainda mais agora o 308 com aquelas falsas saídas de escapamento a la Stilo...

      Excluir
  15. Tudo bem que cada carro ao seu tempo, mas analizemos friamente. O Cruze nasceu como um Opel Astra simplificado para vender mais barato no mundo todo. A suspensão não é multi-link e o porta-malas no sedan sequer tem dobradiças pantográficas.

    O Focus Mk1 foi criado como estado da arte entre os carros médios europeus. Possuo um mk1 2008 2.0 Duratec e já dirigi vários outros carros. Posso dizer que é difícil achar algum outro (mesmo "moderno") que consiga superá-lo em estabilidade, conforto, ergonomia, dirigibilidade, desempenho (em sua categoria e em alguns casos até acima) e relação pesoXpotênciaXconsumo.

    O Cruze é moderno? É. Mas isso não quer dizer que seja melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado, o segmento para o qual foi projetado cada carro faz grande diferença. O Opel Astra, esse sim, é o verdadeiro concorrente do Focus.

      Excluir
    2. Concordo plenamente! A única coisa em que o Cruze realmente merece destaque, em minha opinião, é em segurança em impactos. O péssimo motor GM família 1, com uma das piores relações r/L do mercado brasileiro (0,34 aproximadamente) faz dele áspero e barulhento. O GM famíla 2 1.8 tem uma r/L ótima de 0,27.
      Desculpem a sinceridade, mas comprar um carro coreano projetado para ser vendido "baratinho" na Europa (nem com a marca Opel, mas sim Chevrolet), pagar 30 mil dólares e achar que fez um ótimo negócio, isso sim é coisa do passado, quando carro no Brasil era coisa de rico e os Diplomatas (com mais de 20 anos de projeto) eram vendidos a preços absurdos graças a um mercado fechado e sem concorrência dos importados.
      Respeito a opinião de todos, mas acho que devíamos criticar um carro caro como o Cruze (no Brasil) e que na Europa é carro de "entrada". Pesquisem o que é possível comprar com 30 mil dólares na Europa ou Estados Unidos e temos uma base do quanto o brasileiro que compra um Cruze é roubado.
      Outro detalhe: dirijam um Cruze com atenção ao motor, reparem como é áspero (descontem que é bem coxinizado), sintam o motor. Depois dirijam um Vectra GSi com o C20XE ou um Omega 2.0. Para falar de carros mais novos, dirijam um Fluence, um Jetta. Comparem os motores, vejam o quanto a GM engana o consumidor ao dar um novo nome (Ecotec 6) para o mesmo família 1 1.8, igualzinho aos Corsas, apenas com um cabeçote 16V. Desta vez não posso concordar com o post.
      Abs a todos,
      André

      Excluir
    3. Ecotec 1.6 e 1.8 sempre foram feitos na base do família I. Também existiu o 1.4 16V mas não sei dizer se ele também era chamado de Ecotec. A única diferença é a variação de fase no comando, coisa que o antigo não tinha. Aliás, esse mesmo 1.8 16V existiu aqui na Meriva CD e no Fiat Stilo. Possuía 122 cavalos, igualzinho ao Corsa C GSi vendido na Europa.
      Você falou em comparar com O Jetta. Mas ele tem um 2.0 quase tão áspero quanto esse família I.

      Excluir
    4. Beócio André: O Cruze custa mais do que o Elantra nos EUA. E quem compra o Elantra, com aquela bela McPherson e freios a tambor, para ti, é o que? Eu mesmo quase comprei um. Compra quem PODE. Afinal, só pq nos eua custam barato, vc deixaria de comprar? Então vá morar na RUA: Casas americanas de 800m² de terreno e 200m² de área construída custam a metade de um apartamento de 100m² na Z/S de SP!!!

      Péssimo motor? Críticas ao Diplomata? Já sei: É mais um daqueles que "torcem" pela marca que têm na garagem...ts ts ts ts... lamento!

      O Ecotec é um motor MODERNO que equipa o Astra europeu (do qual o Cruze tem a plataforma e chassis completos). É um motor que ainda é vendido na Europa. Se for o que vocês dizem, a Lamborghini Countach da década de 1970 ainda existe atrás dos bancos das Lambs atuais... afinal... o bloco tem uma engenharia (e um ronco...) praticamente igual....... ai você vai me dizer que prefere Ferrari, né? Ah: motor do Porsche 911 só recebeu melhorias desde a primeira geração. Ele é ruim? Claro que não!

      Carro coreano para ser vendido baratinho na Europa? OK! Quem pesquisar, saberá que foi o governo dos EUA, então o controlador da GM, que exigiu um sedã compacto para combater o Corolla nos EUA.

      André, você é risível. Quero muito saber o que você tem na garagem...

      Saí de new Civic para Cruze, de Corolla para Focus 2009 automático e ainda guardo uma Audi A4 2001 há 8 anos... enfim... já tive Marea 2.4 20V nova, Niva, já comprei Peugeot, já tive VW.....

      Quando fui comprar o Cruze, pensei em todas marcas com sedãs médios no mercado. Fluence, quando vi a montagem, fiquei decepcionado; Peugeot 408 só não comprei pelo câmbio; Lancer só não gostei do painel e da rede Mitsubishi; Corolla já temos na família e irá mudar; Então me restaram o Jetta, Civic e o Cruze. Pensei em financiar e levar o TSI, mas vi o seguro dele e me assustei. Quase fui para outro Civic, mas o custo benefício do Chevrolet foram mais interessantes.

      Quem compra, é assim. E você, o que tem na garagem?

      Excluir
    5. Podem falar o que quiser do Cruze e eu mesmo acho a GMB ruim mas o motor dele é bom sim

      Excluir
    6. André,vc matou a pau em seu comentário,agora o João me lembra o lula,quer porquê quer que o diz seja a verdade absoluta,o cruze não é essa coisa toda e o ecotec é velho,mas atualizado,não sei que paranóia de perguntar o que as pessoas tem na garagem,se não gosta da opinião dos outros,então saia,mas não polua o site com suas opiniões totalmente desinteressantes dado sua arrogância....Charles...

      Excluir
    7. E aí, João (joao22/08/12 21:52), não vou dizer o que tenho na garagem, mas só te digo que já andei de Jaguar, Lotus e TVR (talvez você nem conheça essa), e concordo com o Rodrigo. O cruze é refugo. É engenharia barateada pra europeu pensar duas vezes antes adquirir uma marca tradicional do Velho Mundo. Mas não cola. Pelo menos não na Inglaterra, país que visito freqüentemente. O que se vê lá é uma enxurrada de Golfs e Focus, mas quase nenhum Cruze ou i30. Carro coreano só pinta de referência pra consumidor estúpido, como o brasileiro.

      E pare de menosprezar os outros leitores do blog. Lembre-se que sempre há um peixe maior.

      Demais usuários, desculpem-me por ter de recorrer a esta arrogância tola.

      V. Medardo

      Excluir
    8. Ops, concordo é com o André.

      V. Medardo

      Excluir
    9. Uma Noite Não É Nada
      Falcão

      O orgulho é a pior coisa do mundo
      Quando a pessoa já não tem nada pra dar
      Pois o risco que corre o pau, corre o machado
      Conforme dizia José Tatá

      Ele, um dia, certa noite entrou num bar
      Querendo ouvir uma música de carnaval
      Mas o rapaz que tocava o órgão recusou-se
      Dizendo: "Só quem pensa pode combater o mal"

      Ei, psiu!
      Venha cá, deixe de orgulho!
      É por isso que você não tem nada!
      Ei, psiu!...
      Venha cá, deixe de orgulho!
      É por isso que você vive lascada...
      Cai, cai, cai, carai, cai, cai
      sereno cai!
      Cai, cai, cai, carai, cai, cai
      Sereno cai!

      Excluir
    10. Entre Cruze e Focus, fico com minha Brasília 81...

      Muito mais carro!

      Excluir
    11. Beócio João: Primeiro aprenda a respeitar os demais colegas do blog, visto que nem o Andre nem ninguem aqui lhe ofendeu. Se ofende em ouvir opnioes contrarias as suas? Vá procurar terapia e nao amola a paciencia dos outros.
      RPL

      Excluir
  16. Na minha opinião Chevrolet no Brasil foram Monza, Omega e Montana 1,8L. Depois disso não fez mais nada de bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que isso?
      E o Vectra B???

      Excluir
  17. Bem, parabêns MAO pelo carro: é realmente muito bonito, ainda não andei no Cruze mas ouço boas coisas a respeito. Também acho a versão hatch muito bacana, belo carro!

    JJ..bela defesa do Focus, mas eu sempre preferi o Golf em termos de tato e conectividade; para mim..o Volks sempre vestiu melhor, de posição de dirigir, manuseio franco do câmbio a pegada do volante.

    MFF

    ResponderExcluir
  18. Fábio, não se desvie do caminho certo...Stuntman

    ResponderExcluir
  19. MAO, Daewoo Lacetti x Ford Focus???? Tá de brincadeira com a galera....Compare esses dois, de mesma geração e faixa de preço, venda o cruzes e desfaça a m.... Abraço. Stuntman.

    ResponderExcluir
  20. Bom ver um post seu aqui novamente MAO.
    Parabéns pela aquisição. Sem dúvida o Cruze é um carro muito bom. Eu não entanto não o compraria. Acho que tem carros tão bons quanto ele (Bravo, Focus, por exemplo) por um preço menor.

    ResponderExcluir
  21. Sou suspeito para falar de focus..
    Já tive um Mk1 2006 1.6. Ele era maravilhoso de curva espaçoso por dentro.. vendi para um amigo com 39mil km, hj ele tem 89mil e só trocou itens de desgaste.
    Hoje tenho um GLX2.0 2009 só Gasolina. A nova geração tem acabamento muito pior com plásticos mais pobres, porém é um carro mais sólido e mais "grandão", já andou em Interlagos em trackday e hj tem filtro K & N. Como odeio carro frex fico com ele até...
    A suspensão multilink é outra conversa..
    Cruze? Me desculpe mas é apenas um coreano sem personalidade com a frente trágica da GM e a gravatinha dourada.
    Focus é o carro!
    MArk

    ResponderExcluir
  22. Terrível essa palavra: “melhor”. Ela é cruel com as variáveis da proposta, do gosto, da proporcionalidade, do preço e de tantas mais. No final, o melhor é só um conceito individual.
    Como já citado nesta mídia diversas vezes e sempre relembrado, o Focus tem aspectos memoráveis, como sua empunhadura de volante, posição de dirigir, acerto de chassis, peso da direção, entre outros, que tanto o são que acabam se tornando características que afamaram o carro. Ora, é, pois, um bom projeto e ainda assim barato. Mesmo quando ainda em produção, o preço do MkI era baixo (aqui em Ctba cheguei a ver por 36k na versão de entrada), o que francamente era excelente em comparação pelo que se tinha na mesma faixa de preço: Ele parecia ser o que mais entregava pelo seu valor e de fato o era, a ponto de causar estranheza o seu “baixo preço”.
    Se o Cruze hoje em dia supera muitas características o Focus? Sim, mas é o ônus da modernidade, da evolução, porém sem jamais ter o condão de apagar o brilhantismo de um projeto bem executado e que entregava muito próximo por bem menos. Essa “potência específica” do projeto é que seria um bom combustível para determinar o que é bom, ótimo ou excelente.
    No frigir dos ovos a grande bandeira do Cruze é justamente sua modernidade em face do Focus, o qual “já viu seu tempo passar”, mas que nem por isso deixa de ser parâmetro ainda hoje.
    E ainda prefiro estabelecer, no meu íntimo, uma “escala Bristol” de desejabilidade para um automóvel: Quanto mais voltado para o motorista e melhor executado e construído, melhor, assim como tudo o que é supérfluo ou frívolo deve ser sacrificado em prol daquelas tão famosas qualidades as quais não se expressam muito bem na linguagem do marketing (especialmente o moderno), mas que vestem como uma luva nos interesses de quem realmente quer usufruir o que um carro tem de carro, e não de utilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, muito sensato seu comentário. Penso da mesma forma.

      Excluir
  23. Podem falar mal do Cruze hatch, que é muito grande por fora ou que o desenho da grade dianteira é "polêmico", agora acho ótimo ver na rua que ele está tendo muita saída, assim como o Focus e i30 da Hyundai, mostrando que a VW errou feio ao desistir do Golf, achando que o nosso mercado não se interessa por hatches médios.

    ResponderExcluir
  24. O brabo foi ter que ler o MAO defendendo tudo aquilo que ele abominou com tanta veemência em seus posts (muito peso, rodas enormes, sopa de letrinhas, colunas A estilo pilastra, direção maria mole, falta de comunicatividade na direção).

    Ou ele escreveu esse post "obrigado", só pra defender o cobalto; ou ele nunca acreditou naquilo que argumentou anteriormente.

    Acho que se for fazer um placar desses posts, o JJ tá ganhando. Esse post não foi diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Eduardo, pensei exatamente a mesma coisa, o MAO dizendo tudo ao contrário do que sempre defendeu. Veja parte do post do MAO de 17/10/2010: "Quando ando em meu Focus e olho aquele oval no volante, sinto a história me seguir, sinto que aquilo que dirijo é o resultado de mais de um século de trabalho duro e experiência daquela empresa. Com tudo de bom e ruim que isto significa. Quando ando num Ford moderno, levo Henry comigo de passageiro." E eu que pensava exatamente como ele, fiquei surpreso com este post. E agora, o que ele sente ao ver a gravata da Chevrolet no volante de um Daewoo Lacetti??? Stuntman

      Excluir
    2. No fim todo mundo é ótimo de teoria, mas na prática se comporta como o zé povinho que tanto critica, que na hora da prática compra qualquer porcaria zero km e se deslumbra por ser "moderno".

      Excluir
    3. O MAO tá tentando se convencer da troca que fez. Mesmo tendo trocado um Focus véio e rodado por um zereta novinho, vai levar uns 10 anos. Se bem que eu acho que ele passa esse abacaxi pra frente daqui 1 ou 2 quando o carro deixar de ser zero e virar um autêntico GM. O zero tb fica rodado e perde o encanto rapidinho.

      Excluir
    4. Bosley de La Noy22/08/12 20:02

      O MAO agora tem um novo Santo Graal...

      Fala a verdade. Tu gostas mesmo é de Chevrolet!!!

      Excluir
  25. Direção elétrica é uma das coisas mais broxantes que já vi.

    Alguém conhece algum carro bom de dirigir com direção elétrica?

    Aliás, qual é o carro 0km bom de dirigir hoje em dia, já que praticamente todos vem com a maldita direção elétrica???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Hondas com direção elétrica são bons

      Excluir
    2. Nissan March.

      Excluir
    3. Direção elétrica é muito melhor, o problema é a calibragem dela.

      Excluir
    4. Deixa de ser idiota Maurício. São poucos os carros fabricados aqui com direção elétrica. Aliás o mais comum é que carros que são vendidos lá fora com direção elétrica ou eletrohidráulica sejam vendidos aqui com diração hidráulica somente.

      Excluir
    5. Existem direções de todos os tipos boas e ruins. Não é questão do tipo e sim da calibragem, fabricação e acerto do conjunto chassis-suspensão-direção.

      Vai andar num Audi ou BMW com direção elétrica pra vc ver se não tem "dirigibilidade", sensibilidade, precisão e bom feedback. Até mesmo os Honda e Nissan tem a direção muito mais agradável do que a maioria das hidráulicas comuns!

      Excluir
    6. Na hora do teste cego, muita gente como merda pensando que é doce de leite...

      Excluir
    7. Depois dos filósofos de pneus agora temos os filósofos da direção assistida.

      Excluir
    8. Chegou o filósofo da merda, aquele que nunca provou doce de leite e sempre come a mesma bosta e por isso num teste cego podem até chamar as vacas que ele não ve diferença. Antes era com pneus agora é com as direções

      Fio se você não sente essas diferenças não é nem de perto autoentusiasta

      Excluir
  26. MAO,

    Primeiro, parabéns pela escrita poética!! Cada vez se superando, isso por que voce e um profissional de exatas, cartesiano. Voce tem a veia da escrita! Muito bonito seu carro novo! Pode nao ser o estado da arte, ou, nao ser o melhor custo beneficio da categoria, mas seria uma opção muito considerável para mim também! Quanto ao motor, voce diz ele ser vocal. Isso significa que também e suave nos altos giros?
    JJ,
    Brilhante contraponto ao MAO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engenheiro passa longe de ser um profissional de exatas. Os desafios são transcendentais. A base que é forte em ciências exatas, no entanto, o que cria uma estrutura firme de pensamento.

      E muito bom ver o carro com vidros verdes apenas.

      Excluir
  27. a melhor coisa continua sendo um VW Santana 2.0 "completo" acima de 99 a gasolina... huauhauhauhauhauha, 16-17 km/L na estrada, te juro, andando entre 95 e 105 km/h, até 120 cai pra 14,5 km/L (com o sistema em ordem e muito bem revisado). Coisa velha por coisa velha, acho o Santanão mais bonito. Sem falar que futuramente você pode colocar um "caracol", como dizem os manos, e andar com 1,5 "kg" huauauhauhauha, mas sem "rebaixar", só um ajuste na suspensão fixa se preciso. E não racha nada, isso é coisa dos anos 80,90 com os manos cortando mola na garagem de casa. Chinês adora Santana, é tudo balatinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas no Brasil otários pagam 30 mil dólares em um hatch e acham está ótimo.

      Excluir
    2. Santana já foi bom...2 DÉCADAS atrás. Hoje tem otário que só andou de Santana e Monza na vida

      Excluir
    3. Otário, não, meu filho. Pobre.

      Excluir
    4. Joseph Safra22/08/12 20:07

      Anônimo das 18:49

      Qual a diferença entre o cara ser pobre ou ficar pagando carnês a vida toda como você???

      Excluir
    5. Santana??? kkkkkkkkkkkkkk SAI FORA B2!

      Excluir
    6. O Santana faz curva igual ao Focus e o Cruze, freia igual, tem o acabamento igual e os bancos são melhores ainda né. Sem contar que o Santana é um hatch assim como Focus e Cruze e que com o caracol de 1,5 kg ele consome muito menos que qualquer carro original e terá a mesma confiabilidade. Além disso, quando você rebaixa e turbina um Santana na boqueta da esquina, todo o resto do carro fica muito melhor como freios e monobloco, nada racha, nada quebra e o carro acompanha o motor turbinado

      É por isso que nunca se ve os manos capotando em curvas nem batendo em postes e também não se ve eles tomando coro de carro original em serras mesmo com 80 kg de turbo. Maconha mata gente!

      Excluir
  28. Excelente texto, apesar da comparação sem nexo entendi o que os autores quiseram nos passar.

    Porém devo discordar em uma coisa: tamanho externo nada tem a ver com segurança, se fosse assim os supercompactos atuais não teriam lugar e todo caminhão moderno seria o supra-sumo da segurança.

    Do resto, o Cruze é um dos poucos Chevrolets atuais com desenho bem realizado, sem exageros.

    ResponderExcluir
  29. Será que essa preferência se sustenta quando chegar o Focus MK3?

    Prevejo arrependimento...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não prevejo, eu aposto em arrependimento. Stuntman Mike.

      Excluir
    2. seja Mk1, mk2 mk4, a solda das estruturas sãos as mesmas daqui? o peso dos materiais são iguais nas fábricas do brasil e da europa? só vem lixo pra cá com estamparia igual a de lá pra dizer que é o mesmo.

      Excluir
    3. e aí a fábrica divulga: 1278 kg. só um exemplo, não sei o peso do carro é esse.
      e todos os meios e especialistas daqui confirmam: "Sim, o carro pesa 1278 kg."
      e o computador de bordo acusa: 12,7 km/L.
      e todos os meios e especialistas daqui confirmam: "Sim, o carro faz 12,7 km/L."
      até meu sobrinho fazendo ensino médio com técnico em eletrônica numa etec da vida consegue reescrever eletronicamente um sistiminha desses.
      impressionante o que esses caras daqui confiam na marca. precisou uma ameba comprar um veloster pra perceber que o carro nao rendia aquilo, só um exemplo.
      É tão fácil pesar um carro.

      Excluir
    4. Medir o consumo também, basta um mecânico, uma bureta, poucas alterações

      Excluir
  30. Os dois (Focus e Cruzecredo) são meia-boca. Pesados, "over" e esquisitos. Bando de puxasacos rodando de Focus velho bajulando e se sentindo felizes com seus cacarecos. Só concordo que Ford ainda é melhor do que GM, não quero nem o modelo top de graça!!! Vermelho e manual?? Pffff... Pulou da frigideira pro fogo rss....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode crer, carros na medida para brasileiros que cultuam carroças, dirigem mal em asfalto horrível e acham que entendem de automóvel.

      Excluir
    2. Mais um que anda de bicheira 1.0 pagando de piloto de carro alemão. Mais dois, aliás.

      Excluir
    3. kkkkk... falou tudo! Chora manezada!

      Excluir
  31. Como o MAO falou, o tempo passa.

    O Focus ainda é uma boa opção, e em breve será um clássico. Da mesma forma que o meu 206 1.6.

    Mas vai ficar velho, vai dar problema, vai encher o saco. É triste, mas nada é para sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bosley de La Noy22/08/12 20:10

      Amor de mãe é...

      Excluir
  32. também tenho ouvido sobre muitos casos de problemas em cruzes...se o carro já tem um histórico de problemas apenas um ano após o lançamento, o que dirá com alguns anos de uso. Problemas recorrentes: consumo alto, peças de acabamento interno batendo, barulhos na suspensão, etc...aliás, andei recentemente num Malibu com 2 anos de uso e fiquei apavorado com a quantidade de barulhos que o carro faz, vidros, acabamento das portas, painel, suspensão, tudo bate naquele carro. E sim, o dono é cuidadoso. Resultado, carro vendido com menos de 30 mil km.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me apresente um GM que tem consumo "bom" (não estou nem pedindo "ótimo"), que eu te mostro um projeto dos concorrentes. GM é enganação aqui e no mundo inteiro. E tem gente que critica os coreanos. Vai andar num i30 com 40 mil KM e num Cruze desses com a mesma quilometragem pra ver a diferença na qualidade. No GM é só sinfonia horrível dentro e fora do carro, lâmpadas queimadas (defeito crônico de 90% dos GM, antigos ou novos, zero ou rodados), consumo absurdo.

      Excluir
    2. Ricardo Vitória ES22/08/12 21:35

      Concordo ein, celta flex 2008 1.0 na cana 6,5 km/l e 7,3 km/l na gas na cidade...(vitória ES) precisa dizer mais oq? enquanto gol G5 1.6 na gas na cidade 12km/l. Tive ambos os carros e a média é andando com pé no talo esticando as marchas pra valer e é isso ae.

      Excluir
    3. seu celta ta bem bixado

      Excluir
  33. Marcelo Augusto22/08/12 17:54

    Sugiro o próximo ser entre Focus mk1 vs i30

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gol G5, dããããr.

      Excluir
    2. Marcelo Augusto22/08/12 22:45

      Não existe Gol de qunta geração, são apenas 3...

      Excluir
    3. avisa o webmotors, a quatro rodas e todos os outros,

      Excluir
    4. Marcelo Augusto22/08/12 23:26

      Essas publicações são feitas pra quem quer comprar um carro, não pra quem gosta de carros. Então podem chamar do que desejarem.

      Excluir
  34. "Não podemos reviver o passado" É por isso que temos que viver intensamente o presente.Parabens pela compra, e que você e seu Cruze sejam felizes.

    ResponderExcluir
  35. O Cruze tem pequenos detalhes que denunciam sua inferioridade em relação ao Vectra e que a GM pensa nos estar convencendo de que o mais novo substitui o mais velho. De cara, duas coisas: o farol mono-parábola e as palhetas convencionais com estrutura em aço. Até o Astrão G3, ops!, Vectra, já estava à frente nisso. E nem falo da suspensão traseira com sub-chassi que aí é covardia. Pior que nem em espaço esse Cruze consegue bater o Vectra.
    Nunca imaginei que um dia eu iria ficar com saudade desse Astrão G3.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tambem cara, eu tambem.
      Sempre falei mal do Astrao G3 porque eu naturalmente o comparava ao Vectra B. Mas ao lado de Civic, Vovorolla e Cruze, passa a ser um excelente carro.
      O MAO disse que os carros envelhecem e dao problemas. Ora, conserte-o! O chevettinho nao tinha confiabilidade? You get what you pay for. Compra usado barato, tem que gastar os tubos em manutencao. Perfeitamente normal.
      So fico chateado porque o MAO e' adepto do "usar e descartar". Compra o carro e ele faz um monte de trabalho por voce. Depois, na hora em que o carro mais precisa de voce ele ganha um belo PNB??? O MAO e quem maz faz isso que me desculpe, mas esta nao e' uma forma honesta de se tratar o carro.
      Nos meus carros, trabalho sempre com orcamento ilimitado. E' assim que um carro passa dos 200000km com saude perfeita. Ja' tive (e tenho) carro usado onde gastei em reparos mais de 50 por cento do que paguei nele. E o compraria da mesma forma se tivesse que gastar mais de 100 por cento em manutencao corretiva. Isso se chama respeito pelo carro.
      Quem respeita o carro deve mante-lo como novo indefinidamente. O resto e' balela. Alias, mante-lo sempre em ordem indefinidamente sai mais barato do que trocar de carro periodicamente.

      Excluir
    2. Bussoranga, é que o MAO é menos troxa que uns fãns de marca por aí que depois de 10 anos com o carro (tendo sido cuidado durante esses 10 anos como faz todo verdadeiro entusiasta) não quer mais ficar com ele por vários motivos mas fica casado com o carro porque a marca preferida não tem nada de melhor. No lugar de partir para outra marca, prefere não dar o braço a torcer e continua com um carro que já gostaria de ter se livrado

      Se você acha o Astra melhor que todos esses aí, porque não comprou um antes de sair de linha por preço baixo e motor melhor? É porque sabe dos problemas que tinha, aí no lugar de procurar um "pior" Civic, Corolla, Cruze, i30 ou qualquer coisa mais nova que anda mais, faz mais curva e é melhor por dentro fica mantendo um Vectra 2.2 bebe muito e anda pouco

      Excluir
    3. "O MAO disse que os carros envelhecem e dao problemas. Ora, conserte-o! O chevettinho nao tinha confiabilidade? You get what you pay for. Compra usado barato, tem que gastar os tubos em manutencao. Perfeitamente normal.
      So fico chateado porque o MAO e' adepto do "usar e descartar". Compra o carro e ele faz um monte de trabalho por voce. Depois, na hora em que o carro mais precisa de voce ele ganha um belo PNB???"

      Penso exatamente da mesma forma.

      Excluir
  36. Eu assim como muitos consumidores GM, ficamos mal acostumados, pois nos era oferecido produtos Opel com marca Chevrolet. Agora que a GMB resolveu dar um pé no traseiro da linha Opel é ficamos sabendo como são, de fato, os produtos Chevrolet. Por isso está difícil de engolir essas tranqueiras. É uma defecação atrás da outra.

    ResponderExcluir
  37. sério, na boa, esses dias um amigo num ford ka 2011 tentou ajustar o retrovisor interno do parabrisas, cara raquítico com menos de 1,70, simplesmente o parabrisas rachou em cima, pqp, é pior que lego essas porra, nao tenho relato disso de amigos, conhecidos ou na internet, os caras fazem um vidro de espessura pra porta retrato.
    Nem precisa falar que o dia do cara acabou ali.

    ResponderExcluir
  38. Concordando ou não, gostei muito do post! Tive recentemente um Focus 2.0 2011 e gostava muito dele. Mas acho que existem exageros também sobre as qualidades desse Ford (afinal a maioria aqui devem ser motoristas comuns como eu)... Teria um Cruze na boa se não precisasse de um carro mais espaçoso.

    ResponderExcluir
  39. Concordo,

    Não dá pra ficar com o mesmo carro para sempre, temos que evoluir!

    Por isso que eu vou trocar em breve o meu Corsa Wind por um Celta VHC E, zerinho e sem problemas....

    E desta vez vai ter AC e DH!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cê tá de zoeira mas, no fundo, não deixa de ser evolução. Tá trocando uma velharia velha por uma velharia nova, fora a bucha que o Corsa Wind leva desse VHC E.

      Excluir
  40. Focus-> :-D

    Cruze-> :-(

    ResponderExcluir
  41. Nossa! Aqui tá cheio de dono da verdade... Impressionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, os donos da verdade são só os donos do blog. Os demais (a maioria dos demais) são apenas puxa-sacos bajuladores sem personalidade metidos a entendidos e entusiastas, mas que vão e voltam do 9to5 todo dia de carros com 10 anos ou 1.0 pagos em 890 prestações.

      Ah, e tem os babacas como eu e mais uns que só querem encher o saco e zuar com os outros babacas que só falam groselha.

      Excluir
    2. Anônimo 22/08/12 18:57
      Não é para comentar?? Cada um fala o que quer. As vezes ouve o q não quer...
      Vide o inútil das 19:36 acima.

      Anônimo 22/08/12 19:36
      O mundo não precisa de tipos defecados como vc. E se por acaso vc tiver algo de útil para expor, que o faça de uma vez ou caia fora!

      Excluir
    3. Cara Anônima 22/08/12 20:38:

      A CARAPUÇA SERVIU, NÉ LAFOND???

      kkkkkkkkkk

      Excluir
    4. Anônimo 22/08/12 22:11

      Eu sabia que seria essa a sua resposta.... o que mais poderia-se esperar....
      Mas o meu recado a vc está dado, seu cabeça de fezes!

      Excluir
  42. Tenho um Focus 2.0 ghia auto 2006 hatch , o carro anda bem , só gasta um pouco na cidade , mas na estrada é relativamente economico, confortavel , estavel , e uma delicia para dirigir , se fosse trocar esperaria o 308 1.6 thp que deve ser lançado no salão ,ou umFocus zero, num cruze NÃO.

    ResponderExcluir
  43. A maioria que opina aqui parece nunca ter andando em Focus ou em Cruze. Ambos são excelentes e comparando o atual Focus com o Cruze a coisa seria bem mais equilibrada, mas o Focus MK1 realmente não é palio para o Cruze. Andei em um, percebi que nos bancos da frente a coisa chega a ser até bem esportiva, pois apesar de nos sentirmos muito justos no quesito espaço, está tudo na mão, a ergonomia é realmente perfeita, os bancos excelentes e envolventes e a posição "enterrada" com a linha de cintura passando perto do ombro. Compraria um certamente e mesmo sendo muito fã dos Focus, pensaria bem no caso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um fusca numa estrada de terra tb está na mão...

      Excluir
    2. kkkkkk!!!!!!

      Excluir
  44. Mais um post da série "Troquei-de-carroça-e-quero-fazer-uma-homenagem-ao-velho-e-me-autonconvencer-do-novo" rssss....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkk rachei de rir agora. Pior que é isso mesmo...

      Excluir
    2. Com todo respeito ao MAO mas é isso mesmo. E algumas velharias que são exaltadas também são pura tentativa de se convencer que aquilo era bom

      Excluir
  45. Fico com o Focus, mesmo usado.
    ...tambem fico com o Chevette
    ...e com o Opala 74.
    Alias, bem que a GM poderia voltar a fazer carros do naipe deles, porque hoje ta triste...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GM bom foram Monza, Omega, o resto é bem discutível...

      Excluir
  46. sejamos honestos, cada um defende a bomba que compra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsss... verdade!

      Mas existe uma galáxia de diferença entre defender por exemplo uma "bomba" alemã de 300cv, e uma "bomba" com faróis de parábola simples, suspensão frágil e interior barulhento. Ou defender uma bomba importada bem-feita, ainda que cara, e um 1.0 "frex" nacional de 35 mil sem air bag ou abs.

      Excluir
    2. gostei da bomba alemã, eu tenho uma bomba m3 94, e que bomba...

      Excluir
  47. Chevette? Opala 74??? Pobre conformado é uma m.... mesmo. Por causa exatamente desse tipo de mentalidade esse país dá um passo pra frente e dois pra trás.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Long John Silver22/08/12 20:15

      Por que a indignação menino??? Você não lembra, mas sua mãe foi fecundada justamente no banco traseiro de um Chevette.

      Excluir
    2. LITROS DE RISO!22/08/12 20:54

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk LITROOOOS!

      Excluir
  48. Interessante como meu gosto para carros é bem parecido com o do MAO. Atualmente tenho um Focus hatch 2002, com o motor 1,8-litro. É um dos carros mais empolgantes que já tive. Não é o máximo em desempenho, pois sinto falta de um pouco mais de potência e torque, coisas que o 2-litros Duratec com certeza resolve. Porém, o comportamento dinâmico é irrepreensível, aceita muito "desaforo" em curvas.

    Eu gostei muito do desenho da carroceria do Cruze hatch, fico balançado entre o novo Focus hatch e o Cruze. Porém, me senti decepcionado em saber que o Cruze filtra demais a interação com o solo, juntamente com direção mais leve do que aprecio.

    Apenas uma observação sobre Chevettes: MAO, tive um Chevette SL 1989, comprado usado, ainda hoje com minha mãe (está na "família" a 14 anos). De todos os carros que já passaram pela família, o Chevette é, de longe, o que menos manutenção deu por km rodado. Nem mesmo o tão comum cabeçote trincado ocorreu. Acredito que tivestes um azar lascado com o Chevette de seu cunhado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é praga de família, ainda mais vindo de cunhado rs........., sobrou para o coitado do chevettinho!

      Excluir
  49. MAO e JJ, parabéns por seus textos.

    Faço votos para que você seja feliz com seu Cruze (e continue postando suas impressões com o passar do tempo).

    ResponderExcluir
  50. Recentemente fiz uma viagem de Porto Alegre à Cordilheira dos Andes com um Focus, 1.6 e 2005, e achei um excelente carro. Não fica devendo nada para os mais novos e mais modernos. Silencioso, econômico, não cansa o motorista. Bom ar-condicionado.
    MAO, você está sofrendo da síndrome de apego ao “carro velho”. Hoje tenho um Peugeot 308, não que não seja um bom carro, mas gosto muito do Corsa Sedan 2000 que mantenho há 11 anos. Antes do 308 passei por dois carros sem conseguir me desapegar do Corsa. Mesmo porque eu mesmo faço a manutenção dele com R$ 200 por ano, nunca me deixou na mão e é surpreendentemente agradável de se dirigir. Ainda que seja uma carroça produzida nos barracões velhos da GM.
    Preciso de dois carros. Um bom substituto para o meu velho 1.0 seria um Focus, MK I. Já estou procurando um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. digita 308 no mercadolivre, os caras com com xbox kinect, com uno, qualquer coisa

      Excluir
  51. Falem do A3, tenhonum 1.8 manual 2006 a pouco tempos considero ele um carrão, bancos melhores que o dele não tem não hehehehe, abraços.
    Rodolfo M

    ResponderExcluir
  52. KKKKK...vamos comprar todos OLD FOCUS disponíveis no mundo, a melhor coisa já fabricada!!! fala sério né? CRUZE pela bagatela de U$ 30.000,00??? só no BRAZIL, concordo com a galera aí em cima, cada um defende sua BOMBA, vamos ver daqui à 5 anos por quanto vai vender (doar) a gravatinha dourada.....rsrsrrsrr
    chuto R$ 35.000,00....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. R$ 35.000,00 tá ótimo...qualquer hatch médio 2008 ou 2009 ta valendo por aí...

      Excluir
  53. Observei no site da GM americana que lá o Cruze usa roda aro 16 e pneu mais alto.
    Prefiro assim, mais macio, que me faz lembrar minha caloi barra forte pneu balão.

    Meu carro atual um corolla usa aro 16 e pneu 55, tenho certeza que ficaria bem melhor um aro 15 e pneu balão.

    Prefiro conforto ao estilo rodão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Desnecessário aro maior que 14 ou 15 em carros com até uns 150 cv...
      Só para diminuir conforto, estragar roda, pneus e suspensão.

      Excluir
  54. com 50 conto da pra comprar uma moto decente e ter uma tocada de f1, ou algo próximo, pra quem quer correr, largue mão das carroça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E na hora da curva como ficam as bicicletas?

      Carro e moto não se comparam é como escolher entre mulher e casa

      Excluir
  55. Charles Atleticano-MG22/08/12 22:14

    Meus atuais nacionais zero dos sonhos são o Cruze hacth ( e vermelho e manual, como esse do MAO, parabéns pela linda aquisição ), o Bravo T-Jet e o Punto T-Jet.

    Sim, sou viúvo dos pequenos esportivos, como Gol GT, GTS,GTI; Kadett GSI, Escort XR3, etc

    Se tivesse grana, iria sem pensar 2x em um Citroen DS3, aquela pulguinha atômica, de pequeno tamanho e muito motor, e muito bom de curva.

    Não compro carro por tamanho, compro por diversão.

    ResponderExcluir
  56. Tenho um Focus Mk1.5 com 80 mil km e um Marea sedan com 135 mil km. O Focus ganha em suspensão e espaço pros joelhos no banco de trás. Em todo o resto, o Marea é melhor.

    Eu considero o Marea um dos carros mais injustiçados do mercado, do mesmo modo que acho que falam bem demais do Focus sem motivo pra tanto. Não que o Focus seja ruim, mas está longe de ser essa maravilha que todos falam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... tá na hora de vc comprar um carro.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Não nego, tá mesmo! O Marea fica, o Focus está indo embora para dar lugar a um Fusion 2.5.

      Excluir
  57. Marcelo Augusto22/08/12 22:49

    Porque o AUTOENTUSIASTAS não avalia carros da GM lançados como Cruze, Spin, Cobalt e Sonic.

    Alguma retaliação como ao Fabrício Samahá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta. E olhe que o Chevrolet Celta por aqui é exaltado como o que se tem de melhor no Brasil em termos de quatro rodas (importados incluídos). rsrsrs

      Excluir
    2. bom, o sonic saiu de linha com o mega drive
      cruze e spin as rosas já possuem
      cobalt deve ser outro tipo de maconha, 4x1, 5x1, etc

      Excluir
  58. Se a VWB retomasse a produção de Fusca, teria comprador !

    ResponderExcluir
  59. Por quanto vendeu o Frócus? Podia ter anunciado aqui né?

    ResponderExcluir
  60. Também acho que o MAO está tentando é se convencer. A GMB perdeu mesmo a mão. Agora só lança embalagem nova de produto das décadas de 80 e 90 (Agile, Cobalt e Spin) ou projetos novos, mas de origem coreana (Daewoo), e ainda sem suspensão independente nas 4 rodas. Lá na frente, o motor ainda usa correia no lugar de corrente. Sem comentários... Devíamos ter é o Astra atual, temos mercado pra isso, talvez não tenhamos é o devido respeito. E nossa imprensa (turminha do oba, coisa nova, deixa eu falar bem) não serve nem pra dar o sinal de alerta.

    Vejam o veredito de verdadeiros autoentusiastas, pois aqui nesse país nem os entusiastas são hábeis:

    http://www.topgear.com/uk/chevrolet/cruze

    http://www.topgear.com/uk/vauxhall/astra

    http://www.topgear.com/uk/ford/focus

    Sem mais,

    V. Medardo


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Palavras do Bob Sharp em um comentário a um post: "E eu já disse aqui em várias oportunidades, não existe mais carro ruim." Vide:
      http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2011/10/acao-comercial.html

      Talvez os Cruzes vendidos na Inglaterra sejam muito piores que os feitos no Brasil... Ou os topgeares estão a falar bobagens, ó pá!

      Excluir
  61. O que resta a um autoentusiasta?
    Comprar carros esportivos de mais de 200 mil talvez, pra ter algum prazer ao dirigir?
    Não sei pois até esses já foram "pasteurizados" será cada vez mais dificil encontrar um carro abaixo dos 1000 kg, que transmita informações, sons, e sensações ao motorista... Que de algum prazer de dirigir e que sua engenharia seja voltada pra ser o que um carro é... um carro. E não uma casa ambulante, com wifi, tv, janelas escurecidas, sem barulho e sem chacoalhoes...
    O problema que criou isso, talvez foram os aviões de passageiros... As pessoas andam de aviões e querem que um carro seja igual, sem barulho, rapido, que não passa nada do que esta acontecendo do lado de fora... Se esquecem que aviões (de passageiros) pouco alteram a trajetoria durante seu voo e se o fazem é com grande antecipação e orientações...
    Talvez o será quando as tecnologias de "direção automatica" (carro auto dirigivel) estiverem maduras... mas hoje, enquanto tem a peça humana atras do volante, enquanto estradas forem sinuosas e mal projetadas, ruas esburacadas, essa peça ainda se mostrará necessaria... e minha opnião é que quanto mais isolada, mais sujeita a falhas esta essa peça.

    Talvez a resposta aos limites mais baixos estejam ai... Cada vez mais será necessario andar mais devagar, para se ter a atenção necessaria que se tinha antes e hoje é impossivel... Você não ouve o carro, não ouve a rua, não vê a rua (peliculas e colunas A-B-C larguissimas, pontos cegos enormes, linha de cintura alta), não sente o carro, não sente a rua... O que temos é apenas mostradores que mostram o que o carro acha que deve te mostrar...
    logo vai ter o led no painel de "atropelou um pedestre", "capotou o carro", e o "você bateu" porque o usuario ficará tão alheio ao dirigir/pilotar/conduzir e ao que acontece que não duvido que necessitará desses opcionais.
    .
    Ozirlei

    ResponderExcluir
  62. Em vista da estar chegado o Focus MK3 aqui no Brasil, não acho que deve valer a pena adiquirir qualquer outro hatch médio por aqui enquanto não chegar o novo Focus. Eu mesmo espero isso. GM da safra ano 2000 para cá eu tô fora de qualquer um, tirando claro os Corvette e Camaro que são exceção.

    ResponderExcluir
  63. Caraca MAO, que post maluco. Nunca vi alguém dar voltas, voltas e voltas pra não dizer coisa alguma! É a emoção da troca? rsss...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cheiro de carro novo dá essas coisas KKKKKKKKKK

      Excluir
  64. O problema futuro não será o isolamento que aliena a condução, mas a falta de espaço para meramente dirigir.

    MFF

    ResponderExcluir
  65. JJ, arruma lá: em "O motorista correto espera o carro atingir o obstáculo e ver o que o carro vai fazer para compensar com um desvio", é "corretor" e não "correto". Muito bom seu post, aliás. Longa vida para os Focus Mk1.

    ResponderExcluir
  66. O problema é que os carros são feitos por engenheiros e não por quem gosta e sabe dirigir.

    1400kg senhoras e senhores, num carro Sport de motor 1800cm³!

    Grande poser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mandou mal nessa. Desde quando engenheiros não sabem ou gostam de dirigir? Se for mesmo assim, então o cara está no ramo errado e precisa urgentemente arrumar outro emprego.

      Excluir
  67. O MAO costuma aparecer pra responder nos posts dele. Até agora, nada. Acho que ele deve estar bem amuado.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...