25 de agosto de 2012

HONDA SHADOW 750



Ela tem as marchas longas, bem longas, com 1a de atravessar quarteirão. Esta vai a 60 km/h e a 2ª passa dos 100 km/h; e a Honda Shadow 750 tem cinco delas. Em ritmo de passeio, conforme vamos reduzindo marchas para dobrar uma esquina, e sentindo o giro do motor, muitas vezes acabamos colocando a 1ª para contorná-la, já que ao baixar marchas havíamos sentido que a 2ª ainda era longa para aquela baixa velocidade. É questão de costume, pois a 2ª, apesar de longa, teria força para retomar, mesmo quando dobramos esquinas bem devagar

A moto é leve, maneira. São 229 kg a seco, padrão da indústria de motocicletas, o que significa tanque de gasolina vazio e sem nenhm líquido (ao contrário do peso em ordem de marcha dos carros, tanque e todo o resto cheio). Parada, inclinando-a para os lados, não é daquelas que pesam a ponto de com pouca inclinação já nos preocuparmos em não segurá-las mais. Seu centro de gravidade baixo ajuda muito nisso. Essa característica, aliada à boa ciclística, se reflete em facilidade e prazer ao fazermos curvas uma seguida à outra, inclinando ora pra cá e ora pra lá; moto maneira, bem maneira. Boa moto de entrada para o mundo das grandes custom, e também boa para ficar nesse mundo. E por que não? Anda pra burro, gasta pouco, soa bem, é robusta, estável, bonita...

Já o conforto se restringe ao piloto, porque a situação do garupa é de desconforto. Para o piloto está tudo ótimo, boa ergonomia, assento macio, pedais bem posicionados, guidão sem exageros etc. Tudo bem, mas para o carona: banco pequeno, curto e estreito, muito alto em relação ao do piloto, pedais de apoio próximos ao assento etc – parece ideal para o Tarzan levar a Chita.

Mas não há como escapar dessa inconveniência nesse tipo de moto, pois, como se vê na foto, esse desnível na sela é conseqüência de o assento do piloto ficar baixinho, característica das custom, abaixo da altura do pneu traseiro, e olha que o pneu traseiro desta é pequeno, a roda é de 15 polegadas, enquanto que a dianteira, 21.

Além do mais, nessa posição o garupa desequilibra o piloto mais do que quando a sela é plana. Se o leitor gosta de levar garupa, procure outro modelo, pois estas, fora raras exceções, não foram feitas para isso.

Mas o piloto vai bem, e como vai, desde que o asfalto seja bom. Não é à toa que os americanos adoram as custom; com a maioria das estradas de lá não há modelo mais relaxante e apreciador da paisagem. Já para as nossas rodovias, não sei não. É preciso antes escolher a estrada, porque ela sofre no piso ruim. O curso da suspensão traseira é pequeno, daí que os buracos e irregularidades causam desequilíbrios chatos em velocidade de estrada, pois a suspensão traseira tem pouca capacidade de absorvê-los.

A traseira, portanto, em irregularidades quica de um jeito meio nervoso. Além do mais, devido à nossa posição, com as pernas esticadas adiante, não temos muitos recursos para aliviar da sela o nosso traseiro e evitar impactos na nossa coluna. Não recomendo que se viaje com garupa, devido à somatória dessas características.

Na cidade, sem um desagradável trânsito maluco que nos empurre a contragosto e que nos obrigue a cair nos buracos, ela vai muito bem, dá para rodar suave.

Pelo que descrevi acima, ao leitor pode parecer que não gostei da moto, mas não é isso, não, tanto que, se eu ainda morasse na fazenda, de onde saio fácil para pegar boas e vazias estradas, ela estaria na minha “lista dos desejos”, porque ela é uma delícia da boa quando em seu elemento. Nessas condições ela nos faz um bem danado.


Sua boa potência, 45,5 cv a 5.500 rpm dos 745 cm³, é suficiente para fortes aceleradas, algo como 0 a 100 km/h na casa dos 7 segundos. A Honda, infelizmente, não fornece dados do seu desempenho e consumo, mas na estrada, pelo que avaliei, ela certamente faz mais de 20 km/l, portanto, tendo tanque de 14,6 litros, sua autonomia em estrada beira os 300 km, o suficiente; dar uma parada de tempo em tempo é bom, para um cafezinho e abastecer. Para esticar as pernas, não precisa parar, pois elas já vinham esticadas.

O torque de 6,5 m·kgf a 3.500 rpm é bom, nada monstro, mas amplamente satisfatório para a proposta. Motor elástico.

O V-2, quando em alta, vibra. Em baixa é suave. E qual delas não vibra? Isso faz parte da diversão das custom. E o da Shadow vibra pouco, nada inconveniente, nada a reclamar, nada que venha a nos formigar o traseiro. Quem quiser motor liso, que compre uma quadricilíndrica.

A transmissão é a cardã, o que faz com que esqueçamos da preocupação com a tensão e o estado da corrente. Não há o barulho dela roncando se resolvermos usar a banguela numa descida..

A refrigeração é a ar e a água. Os cilindros têm aletas para dissipação de calor e há um radiador de água. Na cidade, no frio, tudo bem, é até gostoso, mas no calor, quando o ventilador elétrico entra em funcionamento, e isso costuma acontecer quando estamos parados num sinal, vem um bafinho de dragão nas nossas pernas. Na estrada o seu calor não nos atinge.

Na estrada, não é feita para altas velocidades. É para rodar a 110 ou 120 km/h. Não que ela não possa viajar a mais; ela pode, mas na posição em que ficamos, braços abertos, tipo pára-quedas, não é a mais própria para isso. Uma puxadinha, tudo bem, mas depois é voltar ao passeio calmo.

O acabamento é bom, os comandos fáceis, bonitos, bom design, sem exageros, bom farol. Em suma, boa moto. Não entendi o motivo dela não ter um mostrador do nível de combustível. Tem só uma luz que avisa que entrou na reserva, havendo 3,5 litros para rodar até se achar um posto.

A Honda Shadow 750 custa R$ 28.880; com freios antitravamento, mais R$ 2.500. Isso posto São Paulo sem frete – de Manaus para cá! – e seguro.

Bom, escrevi, escrevi, e ela parada aqui na garagem. Vou tratar de dar mais uma voltinha porque deu vontade. Ela convida.

AK
Um filminho:

51 comentários:

  1. A Shadow 750 é uma moto bacana, dentro dessa proposta e a Honda dá boa segurança quanto a assistência técnica e pós-venda.

    Mas por esse preço, as custom da concorrência dão uma "lavada". Deveria custar bem menos.

    ResponderExcluir
  2. AK: um dia vc precisa experimentar uma Guzzi California das mais modernas ( digo de 97, 98 para cá). A Guzzi já teve representação no Brasil mais todas foram muito mal.Uma pena. Leve, potente, com um V2 pulsante, ótima de pilotar, e pode levar garupa. Como tem ainda uma configuração de dois amortecedores na trazeira, é menos confortável que uma BMW e outras com amortecedor único tipo monoshock. Mas te garanto que, comparando com carros, ela seria um V8. Abs.MAC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita embreagem barulhenta que tem as Guzzi...

      Excluir
    2. Já vi essa Guzzi mais nova, motor V-2 longitudinal. É linda. Mas como não tem mais representação dela aqui, fica difícil. Vontade não falta.

      Excluir
    3. Luiz AG: tem embreagem barulhenta sim, tem razão! Além disto, os engates, para serem precisos, precisam ser feitos com o " CAQUEADO" certo. Além disto as marchas ao engatarem fazem aquele "CLONCK" , igual da BMWs antigas. A cada 5 mil km precisam de um ajuste de válvulas que, temperamentais, costumam chacoalhar feito cascavéis. O motor vibra! E como vibra! Hora suave, hora nervoso, mas sempre mostrando a vc que está ali. É como uma mulher fogosa, daquelas que gostamos de ter na cama e na vida! E por falar em mulher, que cilindros voluptuosos aqueles! São como duas enormes TETAS empinadas, absolutamente indecentes, totalmente expostas a deixar BOQUIABERTOS todos que olham. E amigo: TETAS ITALIANAS, COM CORAÇÃO ITALIANO NUM QUADRO ITALIANO QUE, PASME: FAZ CURVAS!!! Sim, isto mesmo! Uma custom que faz CURVAS!!!! Já rodei na minha a 190 km hora com minha mulher na garupa, travada na minha cintura e boa. Parecia que estava sobre trilhos!!! Subo e desço as serras aqui do Rio fazendo curvas em passeios inesquecíveis sem raspar pedaleira a toa no chão nem fundo de motor. E AK: O que é difícil? Andar numa Guzzi? Tem uma aqui no Rio te esperando! Pode vir fazer um test drive! Não espere representante. Eles não existem!! Motos italianas, AK, esqueceu? São como carros BONS italianos. Raros!!!! Abs. MAC. Diferente de tudo que existe no mundo!!! E perfeito, claro!!!

      Excluir
  3. Com todo o respeito Ak... mas que vídeo mais amador esse meus Deus! As primeiras observações foram bravas: bicilíndrica... eixo cardã... duas saídas de escape...

    ResponderExcluir
  4. E não é isso, 2-cilindros, cardã e 2 escapes?
    Estamos falando da mesma moto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que quando venho aqui (blog que gosto demais), espero mais que o óbvio. Mas tudo bem. Sobre o V2 ser transversal, aí depende a que vc está se referindo (o virabrequim?)

      Excluir
    2. Anônimo,

      Eu estava só apresentando a moto. Nem todo leitor conhece o assunto apresentado. Procure entender.
      Sobre ser transversal: é óbvio que é transversal, é óbvio que a posição do virabrequim é que define isso.
      O tradicional motor boxer da BMW é longitudinal, por exemplo.
      Viu só? Às vezes somos obrigados a falar o óbvio.

      Excluir
    3. AK, é aí onde vc se engana sobre o óbvio. Como existe o vídeo, fica óbvio que o transversal se refere à posição do virabrequim. Mas estamos falando de motos e nem sempre a imprensa especializada de motociclismo define por esse critério. É uma questão de COMUNICAÇÃO e não de técnica. Se vc pode explicar para as pessoas que a moto tem 2 escapamentos (o que é visível para qualquer leigo), aí o mesmo cara vê uma revista de motos e lê que a Moto Guzzi tem V2 transversal! E aí o leigo fica confuso.

      Excluir
    4. Anônimo 25/08/12 18:32
      Desculpe a intromissão, mas como editor permito-me fazê-lo. O Arnaldo está certo. Posição de motor em relação ao veículo independe de ser automóvel, caminhão. motocicleta, locomotiva, tanque de guerra ou navio. O que determina o sentido de instalação é a posição do virabrequim em relação ao veículo. A questão, portanto, é exclusivamente técnica, e cabe à comunicação explicá-la corretamente. Pelo fato de as revistas de motos errarem em algo tão básico isso não quer dizer que o AE tenha de acompanhá-las no erro.

      Excluir
    5. Então decidam se querem um vídeo para leigos ou para entendidos, oras! E o sentido do virabrequim pode nem ser importante assim, afinal nem todo veículo com motor a combustão interna é TRACIONADO por este, podendo apenas ser o gerador de energia elétrica. E nem estou falando apenas do GM Volt, mas também de locomotiva diesel-elétrica, não é mesmo? Isto sem querer estender, já que é melhor nos restringirmos a motos e automóveis.

      Excluir
    6. Anônimo 25/08/12 21:36
      O que sai no AE, ou é informativo, ou é opinativo. Dizer que o motor da Shadow é transversal é informar. Ou será que você acha que nada deveria ser dito a respeito, que o sentido de instalação do motor num veículo é irrelavante, que se pode "deixar prá lá"?

      Excluir
    7. Anônimo, você tá tomando a exceção por regra, aí fica cômodo pra você.

      Excluir
  5. AK,

    Pó pará de fazer esses vídeos dando umas esticadas das boas com motos custom. Não é de hoje que ando meio balançado por esse tipo de moto, ficando complicado resistir à tentação!

    Brincadeiras à parte, o que me agrada muito nessas motos são os motores torcudos e marchas longas, uma delícia para andar de boa, dando umas esticadas de vez em quando. Babei ao ver que essa Shadow 750 vai fácil até os 60 km/h em 1a. marcha. Ponto positivo ao deixar claro também que é preciso aproximar-se com cuidado de cruzamentos, qualquer bobeada e lá vai uma pancada das boas pela lateral...

    ResponderExcluir
  6. 1 - A moto é leve, maneira.
    Me chamou a atenção, como será que isto vai terminar...
    2 - facilidade e prazer ao fazermos curvas uma seguida à outra
    Já tinha quase certeza de como iria terminar....lol
    3 - Anda pra burro
    Pronto, era o que eu temia...
    4 - Sua boa potência
    Confirmou...
    5 - Não que ela não possa viajar a mais; ela pode
    Realmente o caso é grave...
    6 - Vou tratar de dar mais uma voltinha porque deu vontade
    A cereja do bolo, realmente não tem mais jeito...
    Elogiar custom e ter vontade de andar nelas é realmente algo que jamais farei.
    Meus caros, a ultima coisa que se pode fazer com uma custom é tecer comentários favoráveis sobre sua dinâmica, customs são um lixo, eu não tiro uma da imobilidade.
    Ande em algo que realmente valha a pena, que tenha um R no nome.
    Acosta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acosta, tente entender, motos, assim como carros, têm que ser analisadas dentro da categoria. Chamo-a leve, não comparando a uma 125, mas a outra custom, e assim por diante.
      A Shadow, a meu ver, é uma boa moto para o sujeito entrar nesse mundo, pois é das mais maneiras e anda muito bem, sim, para uma custom.
      Ao contrário de você, aprecio todos os modelos de motocicletas. Cada modelo tem seus prazeres a nos dar.
      Imagine se eu só gostasse de esportivas e achasse todas as outras uma droga, que nem você acha. Que péssimo jornalista eu seria.
      Pense bem.

      Excluir
    2. A burrice no Brasil é de proporções alarmantes.

      McQueen

      Excluir
    3. Motoqueiro Selvagem26/08/12 01:37

      Comparado com as motos, os carros representam um universo muito insosso. São todos mais ou menos iguais. Ok, tem hatch, tem SUV, tem sedan... Mas na verdade só existem 3 tipos que seriam os esportivos verdadeiros/supercars, os carros de rua e os utilitários. Eu amo todos os driver's cars mas não tenho como negar que mesmo eles se parecem demais com os "tiozinho's car".

      Já nas motos existe uma miríade de tipos e estilos tão díspares que se tornam realmente incomparáveis.

      Eu também não gosto de Custom. Para mim são apenas objetos de decoração e algumas são mais legais apenas porque soam "loud and proud". Certa vez andei na de um amigo e quando ia fazer um retorno vim reduzindo as marchas com o acelerador (um punta-tacco de moto) e achei muito gostoso o borbulhar do motor. Foi uma boa experiencia acústica, quem dera todos fizessem isso. Pena que nunca vi um customzeiro pilotando assim, infelizmente.

      Isso posto, concordo com os dois acima. Realmente é impossível comparar uma custom com uma superesportiva. Na verdade, nada se compara a elas naquilo a que elas se propõem. Mas as BigTrails, as nakeds, as street fighters, as cafe-racers e até as Motards ou MotoCross também são muito melhores dinamicamente do que as customs. Muito mesmo. Na verdade praticamente qualquer estilo de moto é melhor dinamicamente que uma Custom.

      Como o Arnaldo disse, custom é coisa de americano que quer andar a 70mph na Freeway. Pra isso ela *serve*, não que seja a melhor nisso. Mas serve. Fora isso, são meio inúteis. O apelo dessas motos não é a qualidade nem a ciclística, é a promessa de uma vida "Born to be Wild". Mas de Wild não tem nada, é All Show, No Go!

      O que não significa que elas não possam ser comparadas entre si. Podem sim e devem. Afinal de contas é uma fatia importante do mercado, investe-se bastante engenharia nessas motos (apesar de não parecer) e os produtos podem sim ser avaliados e elogiados.

      Porém, cabe ao leitor compreender essa avaliação dentro de um contexto. Extrapolar é impossível. E não existe tipo melhor de moto, existe o tipo que você mais gosta ou o tipo que você mais gosta para determinada situação. E dentro de cada estilo comparam-se as opções disponíveis.

      Excluir
    4. Arnaldo, aqui Acosta postando de "anonimo".
      Para ser Bom journalista nao precisa deixar de ter opiniao particular alias, como leitor, prefiro ler algo que contenha a opiniao de alguem do que notas impessoais.
      Os jornalistas de maior sucesso no mundo tem sua opiniao fortemente expressa nos textos que escrevem ou no que dizem.
      Tenho a impressao que diferentemente dos paises mais desenvolvidos, aqui o journalista tem que de certa forma elogiar e ser excessivamente imparcial para nao desagradar.
      Nao sei se eh para nao desagradar os fabricates ou a uma fatia dos leitores, mas que ter opiniao clara e preferencias por aqui parece ser algo que se deva evitar, isto parece mesmo.
      Anonimo das 21:14, vc deve ser um customzeiro, ou melhor, esta eu ouvi de um Paulista a poucos dias, "cadeirante" ( achei pessima a comparacao, mas entendi perfeitamente o sentindo), ta perdoado.
      Motoqueiro selvagem, concordo com vc, moto custom assim como algumas aberracoes automobilisticas como os carros aventureiros tipo Airtreck (enfeitado igual a burro de cigano), e porque nao, os crossovers, nao deveriam existir, mas como existem, devem ser combatidos por autoentusiastas.
      Bob, sobrou para vc.
      Ja que falei acima, da falta de uma critica pesada que alguns carros merecem, devo dizer que dentre os jornalistas Brasileiros vc eh o que teria "cacife", na minha opiniao, para meter o malho em muita porcaria que existe a venda por aqui, mas nao, vc tem sempre procurado valorizar, de alguma forma, produtos claramente inferiores.
      Fall dos elogios aos Jac que considero uma ofensa os oferecerem aqui como coisa boa e comparavel a similares de marca tradicional, ate o preco eh comparavel, inaceitavel.
      Nao digo para Vc ser igual ao exagerado Jeremy Clarkson, mas que eu esperava mais pauleira de suas palavras, isto eu esperava sim.
      Acosta
      Escrevi isto num smartphone, nao me venham com criticas ortograficas e ate gramaticais, nao revisei.

      Excluir
    5. Motoqueiro Selvagem,

      Concordo com tudo o que vc disse, tudinho. Boa!
      E acrescento: dentro de cada categoria de moto há grandes diferenças.
      Se você andar nessa Shadow, verá que ela é o que eu disse mesmo: maneirinha, dócil. As custom pesadas me dão a sensação de que não terei como desviar rapidamente de uma encrenca, e essa não, dá para desviar rápido.

      Excluir
    6. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    7. Os carros parecem mais iguais porque existem muito mais modelos, mas na verdade existem tipos tão diferentes quanto nas motos e em maior número. As motos populares mudam mais em motor e alguma coisa no desenho, já com carros existem populares compactos, médios, com motores completamente diferentes e de várias cilindradas, hatch, sedan, perua, 2 ou 4 portas, acabamento simples ou premium com desing conservador ou agressivo, etc. Isso só nos populares e todos parecem alguma coisa de tiozao porque tirando os super esportivos todos são algum carro de rua normal mais apimentado

      Nas motos é a mesma coisa mas o menor número de modelos faz com que as mais especiais geralmente sejam diferentes do resto assim como uma Ferrari é diferente de um A3

      Acho que o pessoal aqui do Autoentusiastas poderia meter mais o pau mesmo, mas acho que uma das melhores coisas daqui é que os jornalistas separam mais opinião do resto da matéria e sabem ver que certos carros são bons para o seu segmento sem ficar com essas babaquices como o Top Gear onde criticam um carro só porque não é tão bom em alguma coisa quanto um muito mais caro ou de categoria muito diferente. Já vi meterem o pau em KIA mas elogiarem um VW ou Ford que tinha exatamente os mesmos defeitos

      O Acosta está falando aí para meter o pau nos JAC só por serem chineses e isso é babaquice. Achei ótimo o Autoentusiastas falar a verdade e desmascarar os fabricantes nacionais oferecendo porcarias maiores ainda pelo mesmo preço

      Excluir
    8. Acosta

      Você já andou numa Rocket III?

      Excluir
    9. O Sr.Acosta já critica os carros pois não têm o mesmo nível de entusiasmo de uma BMW 1000R;

      Ou seja, não têm como dar certo discutir relatividade com o camarada.

      MFF

      Excluir
  7. Sou das antigas, moto Custom tem que ser carburada com marcha lenta contando os cilindros. Eu ainda instalaria um banco melhor para a garupa e uma sissy bar.De resto essa Shadow é show!!!
    Ah, sim...2 faróis auxiliares porque o que vem nela sozinho é sofrível.

    ResponderExcluir
  8. Bacana, Arnaldo. Muito bom o AE cobrir também as motos.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  9. Sábado com moto é sacanagem...

    ResponderExcluir
  10. Bem disse o Arnaldo, tendo vias em boas condições, planejando a viagem ou passeio é uma delícia essa Shadow, assim como as antigas também eram.
    Acabaram com o ronco dessa moto, talvez por essas exigências de emissão de ruídos etc, enquanto isso os motoboys alterando escapamento e instalando buzinas pra infernizar mais.
    O Arnaldo, uma vez dei a sugestão de testar a Transalp, continuo com essa sugestão mas também dou uma nova, a NX 700, dizem que é um primor de moto pra quem adora tecnologia e gosta de tudo automático e a Honda diz que é super econômica. Será?

    ResponderExcluir
  11. )(c3

    Não esqueci da Transalp, não. Estou aguardando. Aguenta aí.

    ResponderExcluir
  12. Já que o assunto é motos... não sou eu no vídeo, já tive uma. vídeo recente.
    Esse chama por Jesus, com bônus!
    http://www.youtube.com/watch?v=k1XpLWW-kgs
    vídeo longo, coloquem depois dos 3 min
    não que já nao tenha feito igual, mas pouquíssimas vezes e em urgências, andar assim todo dia é pedir muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que é em São Paulo, nos corredores.

      Excluir
  13. Por a caso a Harley do Brasil empresta para testes ? Estou de olho na XR1200X mas não sou assiduo em materia de motos, por isso gostaria muito de teste da HD.

    Obrigado !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio,

      nas certa a Harley tem motos para a imprensa. Vou falar com eles, pode deixar. Boa pedida, obrigado.

      Excluir
  14. AK, a baixa potência específica é decorrente da busca por maior torque, estou certo?

    Tive uma CB 400 com 40 cv e apenas 3,2 kgfm. Fazia 20 km/l e acelerava muito bem em altas e baixas rotações. O problema dela era o centro de gravidade muito alto. Tinha que ter braço nas curvas. hehe Já nessas customs o centro é baixo e o torque abundante.

    Mas concordo com algumas críticas: são motos para desfilar, não servem nem pra viajar com alguém na garupa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mineirim,

      Se você for ver, até o torque específico dela é baixo. Não há nada de super moderno na mecânica, nada de mais, mas está tudo certo para a proposta.
      Tive também uma CB400, motor preparado pela Projeto H, andava forte pra época. A ciclística da Shadow é bem melhor, desde que em asfalto bom.
      Não são pra desfilar, não. São para o sujeito esfriar a cabeça, passear.

      Excluir
  15. Arnaldo! Recentemente tu falaste aqui sobre a Vulcan 900. Sintetizando, qual seria o teu parecer se tivesse que escolher entre as duas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hüttner,

      para o meu gosto, a Shadow, por ser mais maneirinha. Há quem prefira as mais pesadonas, como a Vulcan. Para uma viagem longa talvez a Vulcan seja melhor, mesmo assim prefiro moto mais pra leve.
      Andar, andam mais ou menos igual.

      Excluir
    2. Eu gosto de Custom, não me dei bem com Naked, Esportiva ou Trail (esta de baixa cilindrada).

      Gosto de moto grande e pesada pois tem de aguentar o monstrão aqui de 2m com 126kg, e a HD Dyna (comando avançado e guidão alto e largo) apesar de todos os seus "defeitos", foi a única que me vestiu bem.

      Torque ignorante, aceleração brutal e velocidade de cruzeiro em torno de 140km/h sem forçar na 6ª marcha, além de mais barata que esta Shadow se pegar uma semi nova!

      Pra cidade estou pensando numa Ténéréé, pois só assim para suportar o solo lunar desta cidade mal administrada há tanto tempo.

      Abrs

      Excluir
    3. Alexandre,

      Concordo. Para SP o melhor é trail mesmo, são mais seguras, caem no buraco e seguem sem se destrambelhar. Para mim uma 250 é ideal, mas sou mais leve que vc, quase meio você (73 kg).

      Excluir
  16. Ainda bem que a Honda decidiu salvar o modelo, porque a shadow com aquele pneuzão largo e tapado pelos paralamas dianteiros era horrenda de feia.

    Meu pai teve uma 600 na época que eu ainda era criança-pré adolescente... o programa de domingo à tarde era dar uma voltinha com a motoca, Ê delícia! moto MUITO gostosa!

    ResponderExcluir
  17. Ainda bem que a Honda decidiu salvar o modelo, porque a shadow com aquele pneuzão largo e tapado pelos paralamas dianteiros era horrenda de feia.

    Meu pai teve uma 600 na época que eu ainda era criança-pré adolescente... o programa de domingo à tarde era dar uma voltinha com a motoca, Ê delícia! moto MUITO gostosa!

    ResponderExcluir
  18. Mandou muito bem AK. Quem entende pode ter um pouco de paciência para ver e ouvir oque acha óbvio e quem não entende de motos tem a chance de aprender e curtir... continue em frente!

    ResponderExcluir
  19. otima reportagem

    ResponderExcluir
  20. so um detalhe desagradavel tarzan levando chita

    ResponderExcluir
  21. essa moto e linda e deve ser muito boa...............honda e honda.

    ResponderExcluir
  22. Alarme para Motos Honda.
    Não Usa Controle Remoto;
    Não é Ligado na Bateria da Moto;
    Função Tranca Eletrônica;
    Função Anti-Assalto por sensores Ativos;
    Monitor de Bateria Integrado ao Sistema;
    Senha Secreta Programável;
    Garantia de 1 Ano;
    e + 25 funções exclusivas!
    Somente em: Alarme para Motos Honda
    http://www.alarmesmotos.com.br

    ResponderExcluir
  23. Concordo com o Arnaldo: motos dessa categoria são pra "curtir a vida", não pra "encurtar a vida".
    Geralmente quem tem uma custom já teve outras motos de outras categorias. É questão de opção, não de desinformação. E têm carro, casa, situação financeira resolvida - não está preocupado com o que os outros acham.
    Duvido que a maioria dos comentaristas desse blog, que meteram o pau na Shadow, já estejam nesse patamar ou, pelo menos já andaram em uma.
    Portanto, amiguinhos invejosos, amadureçam e aprendam o que é realmente "curtir" a vida.

    ResponderExcluir
  24. vc falou tudo (anônimo).quem meteu o pau na shadow,não tem nem uma 125.

    ResponderExcluir
  25. Nunca tive uma moto, sempre gostei da liberdade proporcionada por esse veículo. Atualmente tenho dois carros, e logo, logo um deles dará lugar a uma "motoca" - muito ansioso - e a Shadow foi paixão a primeira vista...já fiz três testes drives e uma viagem pequena - 63km - em estrada parte irregular e parte lisa...não senti nada!! Só prazer...pra quem acha que estou animado pelo fato já pilotei CG, CB, CBR, GSX e uma XRF - aliás horrível - e nada se compara ao conforto da Shadow...posso até estar errado, mas como vou começar no mundo duas rodas agora, ela foi que mais me agradou...estou a procura do modelo AERO, com um estilo mais chopper e antigo!! E...a ansiedade só aumenta!! Parabéns ao post!! Disse tudo que eu senti.
    Quando li uma reportagem na QuatroRodas senti uma escárnio exacerbado pela matéria e lendo outras reportagens percebo que o que eles querem é envaidecer as "R"...mas é como eu penso nas "R's" você beija o tanque de combustível, na Custom você beija o mundo!! Tenho dito!!

    ResponderExcluir
  26. Ola, tenho uma shadow 600 e acabei de aumentar a familia com uma shadow 750. Como sou novo no ramo das 750 gostaria de saber se os parafusos e o paralama traseiro da spirit encaixa no meu modelo 2009, Grato

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...