31 de outubro de 2012

ALGUNS CÂMBIOS MANUAIS QUE MERECEM SER LEMBRADOS



Lada Laika (foto: www.mercadolivre.com.br)

O Lada Laika tem uma delícia de câmbio. Isso mesmo, o feioso e meio desengoçado Laika é muito gostoso de cambiar. A troca marchas nele parece com a dos pequenos esportivos ingleses da década de 1960, Triumph e MG; têm o mesmo jeito, apesar de ser um projeto italiano, Fiat. Tem cinco marchas. Seus engates são curtos e precisos, e a alavanca tem base pivotante até que alta em relação ao banco do motorista.

E já que a arquitetura do carro é dos mais tradicionais – motor dianteiro, em posição longitudinal, e tração traseira – a alavanca incide direto sobre a caixa de câmbio, que está no túnel central, bem onde encostamos a perna direita, então essa proximidade e essa ausência de cabos e/ou varetas a se interpor entre a alavanca e a caixa faz com que recebamos na mão muitas informações diretas e sem interferências de como as coisas estão se passando.

Corvette Sting Ray (foto: www.corvettefever.com)

Mas o câmbio mais gostoso de cambiar, ao menos para mim, é o dos Corvette Sting Ray e Stingray (de 1963 a 1967 escrevia-se Sting Ray, e a partir de 1968, com a mudança de linha, juntaram o nome em um só, Stingray). Caixa BorgWarner T-10, 4 marchas, alavanca com um pescoço que deve ser levantado para liberar o canal de ré. Para levantá-lo facilmente há nesse pescoço duas lingüetas tipo "T", niqueladas, nas quais os dedos indicador e médio se encaixam. Fechando o espaço entre a alavanca e o console há uma lâmina grossa de borracha. Esses Corvette têm a mesma configuração do Laika: motor dianteiro longitudinal e tração traseira, com caixa de câmbio acoplada diretamente no motor (só posteriormente é que os Corvette passaram a ter transeixo traseiro, para jogar mais peso para trás e otimizar a distribuição de peso).

Não que os Sting Ray e Stingray a tivessem ruim, tinham já 50-50%, mas o conjunto do novo projeto exigiu mudanças. Além do mais, quando passaram a caixa lá para trás, ganhou-se espaço para as pernas com a diminuição do túnel central. Sua base pivotante é alta em relação ao motorista, já que o assento vai rente ao assoalho e a caixa de câmbio é grande, uma abraçada para podermos envolvê-la, e bruta, bem bruta para agüentar o brutal torque dos V-8 da GM. Seus engates são macios, sedosos, e emitem o click só deles, uma mistura de sons e sensação táctil de ferro batendo em ferro protegido por uma camada fina de borracha, click, e na nossa mão sentimos que engatou e está engatado sem erro. A alavanca é curta, bem curta, o que torna pequena a distância da posição de uma marcha à outra, mesmo ela tendo angulado bastante, inclinado bastante. Explicando com melhor visualização: caso a alavanca fosse longa, ou melhor, normal, com mais de um palmo, as distâncias entre as posições das marchas seriam grandes, estilo caminhão. A alavanca é curta, não mais que dez ou quinze centímetros, e mesmo assim, com pouca alavanca, conseguiram deixá-la até que leve; não estilo Gol novo, cujo manejo é leve e preciso, e reputo talvez o melhor no mercado nacional, perfeito, mas leve se a pegarmos com toda a mão e a movimentarmos não só com o punho, mas também com o braço..

Mas o câmbio desses Corvettes casam melhor com mãos de quem, além de uma alavanca de Gol novo, também manejam naturalmente um martelo ou um 38 da Taurus. A manopla não é estilizada, não tem frescura; é só uma bola. Uma bola metálica, uma bola de ferro e niquelada, para ser pegada com a mão toda, usando-se todos os dedos, e não manejada só com as pontas de alguns deles. Sendo lisa e niquelada, se a mão suar essa bola lhe escorrega um pouco, daí que é feita para ser pegada por inteiro, com toda a mão. Se o sujeito não for correr e se não estiver muito quente, sua mão não sua e a manopla não lhe escorrega. Mas mesmo que para esse sujeito o ato de mandar a lenha num Corvette bruto seja uma coisa absolutamente tranqüila, se ele for correr pra valer com o bicho,  ele vai suar no geral, vai suar o suor quente, o suor bom, o do prazer. Nesse caso ele certamente deverá desligar o ar-condicionado. O motorista deve desligar o ar-condicionado porque naqueles tempos em que esses carros foram feitos esse opcional, além de raro nos esportivos, era ainda relativamente tosco e seu funcionamento pesava muito, demandava muita potência. Mesmo em um veiotão daqueles se nota uma pequena diferença entre "ar" ligado e desligado. Então, se o racha for mesmo planejado, o sujeito vai saber que vai suar gostoso e que deve meter umas luvas, de preferência de couro fino, napa, toda furadinha, para que suas mãos grudem bem no volante e manopla, e, sendo napa fina, elas pouco esquentam as mãos. Caso não tenha luva alguma, volta e meia ele secará suas mãos nas calças e boa, sem problemas. De suas mãos, nesse momento, nada escapará, mesmo porque em cada movimento ele não estará empregando força maior que a estritamente necessária, mesmo porque todos os movimentos e sensações tácteis lhe são perfeitamente conhecidos e a força a ser empregada também, nem força a mais, nem força a menos, click, click, click,... nada lhe é surpresa.

Rodando tranquilo fará trocas lentas e em giro baixo, suaves, quase imperceptíveis, volta e meia pulará marcha, motor elástico. No racha, trocas rápidas; mas nada tão rápidas quando comparadas às contadas em milissegundos dos robotizados modernos. Há também um espaço maior entre os giros de uma marcha à outra; afinal, são só quatro longas e suficientes marchas, a primeira que atravessa o quarteirão, a segunda que atravessa a cidade, a terceira que risca a paisagem próxima e a quarta que afunila a estrada tornando-a uma tênue linha reta lá no horizonte.

Corvette Stingray (www.vehicle-pedia.com)

Outros carros, além desses Corvette e do Laika, têm câmbios bem gostosos de cambiar. Já outros têm o trambulador difícil, tinhoso, como alguns Porsche 911 antigos, principalmente os de primeira "perna de cachorro" (fora do "H"), usados até 1972. Caso haja interesse, sigo contando, para registro, sobre essa fonte de prazer que parece tender a sumir: o câmbio manual, uma alavanca à nossa mão que se insere diretamente nas entranhas da máquina, direto às suas engrenagens e, como tal, deve ser manejado com o devido cuidado e conhecimento. Uma pena, pois ele torna a guiada uma relação mais envolvente, íntima e – por que não? – carinhosa com a máquina que nos move.

AK

259 comentários:

  1. O Flavio Gomes vai delirar com essa afirmação sobre o Lada, para mim o melhor engate ainda é o do cambio longitudinal da vw ,a partir do Passat 77,uma alavanca curta com curso idem e a identificação sonora a cada engate.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gol g4 também? afff

      Excluir
    2. Marco Aurelio Bucetti31/10/12 12:53

      Muito bom o engate do Gol G4 sim senhor.

      Excluir
    3. De maneira geral os VW transversais são = ou piores que os VW longitudinais?

      Excluir
    4. Já dirigi G3 e G4 bem ruinzinhos... pior que câmbio de palio...

      Excluir
    5. G2 foi de longe a pior safra...

      Excluir
    6. Filipe_GTS31/10/12 14:08

      Nossa, pior que câmbio de Palio não existe. Eu acho.

      Excluir
    7. Filipe, tem coisa muito pior por aí! Fiat 147, Kombi, Polara, O Opala com câmbio em cima, e, de um modo bizarro, embora eu tenha gostado do câmbio do Gol "bola", o mesmo modelo duas reestilizações depois (o gol "copinho") foi uma experiência traumática. Muita gente elogia, mas eu não gosto dos Ford antigos, ou mesmo do Gordini, em que você joga a alavanca para frente, ou para trás, e tem que soltar a embreagem para saber se a marcha entrou e qual atendeu ao seu "chamado". O problema volta no Fiesta baiano, que a diferença entre engatar a segunda e jogar ponto-morto não é percebida pelo tato. O Palio até é gostozinho, muito leve para rotações baixas e, de algum modo, ganhando peso quando o motor enche. Embora não seja um expoente máximo do prazer de dirigir, o câmbio do Palio até que joga a favor.

      Excluir
    8. Tivemos dois Gol GII (bolinha) em casa, um 96 e outro 97, ambos AP. Não tivemos problema com nenhum dos dois.

      Excluir
    9. Filipe_GTS31/10/12 17:47

      Braulio, refiria-me aos engates do Palio, pois há de concordar comigo que são sofríveis.
      Esclareça-nos qual é o Gol "copinho", nunca ouvi falar, hehehe

      Excluir
    10. Deve estar se referindo ao formato da lanterna traseira do Gol GIV.

      Excluir
    11. Fiat 147 é sorte. Tive um que era uma delicia de dirigir. Dava pra mudar de marcha com as pontas dos dedos.
      Em compensação, um amigo meu teve uma City que era horrivelmente dura

      Excluir
    12. Claro que tem câmbio pior que o do palio, o do clio. Esse sim, é uma desgraça.

      Excluir
  2. Os da linha Gol de 1ª geração são bem bons de se cambiar.

    Temos um Fit em casa, e o câmbio dele tem engates muito precisos, fiquei impressionado. Engates, curtos, secos, precisos, a té o clec que faz na hora de encaixar marcha é gostoso, kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Hondas sao otimos de se cambiar !

      Excluir
    2. Os Toyotas também são ótimos de se cambiar.

      Excluir
    3. Civics também costumam ter boa transmissão. Porém, em transmissões da Honda costuma haver uma vaguidão em relação à ré, que você só sabe que engatou mesmo quando ouve um forte estalo.
      Em transmissões de seis marchas da marca, o problema está na posição da ré, que fica ao lado da última marcha e não há uma trava por anel, só uma interna. Nesses casos fica uma vaguidão no engate da sexta. O ideal seria nesse caso que a ré estivesse ao lado da primeira com trava acionada por anel.

      Excluir
  3. Chevette...eita câmbio gostosinho também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendi a dirigir com Marajó e embora o conjuto fosse meio ruim, aprendi a "cambiar" na Marajó!

      Quem dirige esses carros suavemente está apto a dirigir caminhonete e caminhão sem quebrar cruzeta!

      Excluir
    2. Pois é, meu pai falou que dirigiu um do meu tio na época e falou que ficou maravilhado com o câmbio, disse que 'era uma delicia' que as marchas 'encaixavam'.
      Afinal, muito provável, meu próximo carro será um Chevette.

      Excluir
    3. Meu primeiro carro foi um Chevette, e de fato o câmbio era muito bom sim, depois eu tive um vectra gls, 2.2, que simplesmente é broxante.... muito ruim... depois eu tive um peugeot 206 1.6 que tb era muito bom, e hj eu tenho um astra, e o câmbio tb é bem fraquinho, menos pior do que o vectra....
      e o mais incrivel disso tudo, é o meu antigo chevette de 1984 ter um câmbio melhor do que esses todos que eu já tive, e que são considerados projetos mais modernos.....

      Excluir
    4. Tive um Chevette '78, com o excelente câmbio "alemão". Com frequência, porém, era preciso trocar o rolamento "agulha" da ponta do eixo, sem o que os engates ficavam impraticáveis.

      O Corsa, ah o Corsa... câmbio de engates horrorosos!

      Excluir
  4. Eduardo Vieira31/10/12 12:19

    "A primeira que atravessa o quarteirão, a segunda que atravessa a cidade, a terceira que risca a paisagem próxima e a quarta que afunila a estrada tornando-a uma tênue linha reta lá no horizonte."

    Que lindo trecho de texto! Poesia!

    Aparentemente só vou ter carros velhos num futuro próximo, somente câmbio manual...

    ResponderExcluir
  5. Marea 2.4 não deixa a desejar. Engate curto e preciso, com motor torcudo que permite 1ª, 3ª e 5ª em condições normais, com direito ao "click" e manopla de couro com boa pega.

    Como disse o MÃO no post da Moby Dick, dá vontade de colocar a alavanca no sofá da sala.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrei também do texto do MAO!
      Até conferi se era ele o autor do texto.

      Excluir
  6. Cambiar é muito gostoso, mas não no trânsito durante 2h esperando a fila andar...

    Esquema mesmo é ter o feijão-com-arroz pro dia a dia e no final de semana a feijoada né, que se comesse todo dia, te matava, mas uma vez por semana não faz mal não. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sorte que nem todos moram em cidades enormes e entupidas.

      Excluir
  7. Victor Gomes31/10/12 12:24

    Fiquei impressionado uma vez ao dirigir um Polo 2002. O cÂmbio era extremamente leve, de engates curtíssimos e precisos. Não se sentia nenhuma vibração ao tocar na manopla. Até hoje não sei se isso é bom ou ruim.

    Mas bom mesmo é quando a gente aprende a cambiar qualquer caixa com maestria e leveza, mesmo que às custas de umas arranhadas a princípio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael Ribeiro31/10/12 12:40

      Exatamente o que eu ia postar, tive um Polo 2003 que era ótimo nesse quesito.

      Excluir
    2. Eu tive o prazer de guiar um Polo 2006, 1.6, sedan, e duas coisas me surpreenderam positivamente:
      1º: o câmbio, beira a perfeição,
      2º: o motor 1.6 foi uma grata surpresa, parecia ser mais potente, excelente.

      Excluir
    3. Tenho um Polo 2011
      Como um todo esse carro é muito bom e chega a surpreender os mais desavisados.
      Cambio : perfeito
      Motor : parece bem mais potente que a cavalaria indicada
      Suspenssao : excelente
      Um belo pacote de tecnologia alemã

      Excluir
    4. "Mas bom mesmo é quando a gente aprende a cambiar qualquer caixa com maestria e leveza, mesmo que às custas de umas arranhadas a princípio!"

      Tipo o câmbio do Fiat 147, é exatamente esse processo hehehe

      Excluir
  8. Câmbio manual é coisa de pobre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob Keller31/10/12 12:38

      Concordo...pobre de frescura, pobre de babaquisse, pobre de mau humor e acima de tudo pobre de experiência de vida.

      Excluir
    2. Bob Keller31/10/12 12:42

      ratificando o comentário anterior, em vez de pobre, rico de experiência de vida.

      Excluir
    3. Eu dou pau nesses trouxa de automático mesmo.

      Excluir
    4. Tem uns que vêm aqui só pra incomodar. Por que não vão beber leite na teta da mamãe ao invés de ficar na internet...

      Excluir
    5. Te garanto que são os mesmos petralhas que aparecem nos posts do Bob que falam de política.

      Excluir
  9. Gostava do cambio clark do chevette 5 marchas era bem suave
    os câmbios volks são sempre muito bons

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VW sempre foi referencia em cambios e na parte mecanica como um todo!

      Excluir
    2. Leister,

      Note que o Chevette tem motor dianteiro e longitudinal e que a alavanca incide direto sobre a caixa, então não tem cabos, etc, assim como o Laika e Corvette.

      Excluir
    3. valeu pela explicação Arnaldo

      Excluir
  10. O engate que não deveria se lembrado é o dos primeiros passat, o meu 1975 até que engata bem mandei fazer umas buchas e um outro material, mas é um sistema imprevisivel se bobear entra ré no lugar da primeira.Conhecido como "vassourão" este cambio de tão instavel causa até uma certa emoção ao dirigir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, os engates do Passat 4 marchas eram bem ruins.

      Mas pra mim o pior é o câmbio de Monza. Nunca tenho certeza de engatei 1ª ou 3º, 1ª ou ré ou se sabe onde é ponto morto.

      Excluir
    2. Anônimo31/10/12 13:59,

      Tive esse sentimento de dúvida entre 1a-3a-Neutro com o câmbio do Corcel II 1.4. Não sei se a chegada dos motores 1.6 posteriormente levou a uma troca (e melhora) do câmbio, mas dos primeiros modelos era bem impreciso. É normal no início se engatar a 2a no lugar da 4a, ocorreu várias vezes comigo.

      Excluir
    3. Anônimo das 13:59

      O câmbio ruim dos passats, que o Fera se referiu eram os 4 marchas mais antigos...
      Os dos modelos (acho que) 78 e seguintes já são similares aos que fizeram a fama de ótimos engates dos VW com motor longitudinal. Me lembro bem de dois que tivemos em casa, um 82 "closed ratio", e outro 83 "3+E", delicioso de se colocar na estrada. Ambos tinham engates excepcionais. Algum tempo depois, tivemos um passat 87, já cinco marchas (4+E), que por incrível que pareça, apesar de realmente ótimo, não era tão excepcional quanto os 4 marchas. Esses iniciais pareciam realmente de outro mundo....

      Excluir

  11. Câmbio do Fusca merece sempre lembrança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Iria comentar a mesma coisa, o fusca da família é de 1975, câmbio original e apesar da primeira marcha ser manhosa o câmbio é muito preciso, sempre se sabe o caminho a percorrer em cada marcha e tem-se a certeza do engate, diferente por exemplo de alguns antigos da linha do corcel II e del rey que nunca tive certeza se engatava primeira ou terceira hehehe

      Excluir
    2. VWs de motor traseiro são a prova de que se pode ter engates precisos e macios mesmo com um trambulador de mais de metro.

      Excluir
    3. Exato !!! Minha Puma não me deixa mentir.

      Excluir
  12. Queremos mais ! Gostaria de mais referencias nacionais, tenho um Vectra e acho o cambio broxante. Adoro o Escort Zetec, cambio proximo, bom de guiar. E o que acham dos VW G2 e G3 é bom ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VW Gol GII e GIII? Um lixo!

      A pior série de cambio 013 que a VW poderia ter feito (especialmente do GII)

      Excluir
    2. Alguns G2 special sairam com um cambio de engates muito bons, alguém sabe porque? Realmente todo mundo reclama do resto da linha G2 e G3, mas esses eram bons e o G4 que dizem ser melhor eu acho que continuou sendo ruim. Estranho que a caixa é a mesma de outros VW com bons engates (os quadrados, Santana, etc). Parece um depenamento de acabamento, mas com a mecanica. O painel é o mesmo mas não é porque o material é bem pior, assim como o cambio deveria ser o mesmo mas devido a alguma coisa barateada fica completamente diferente

      Excluir
    3. Da linha VW AB9, de fato a transmissão era bem ruinzinha. Certa vez dirigi uma Parati cuja terceira marcha simplesmente recusava-se a entrar se não fosse na porrada.

      Excluir
    4. Tive um Passat 88, o cambio era um doce de leite. Hoje tenho um Gol G3, que saudades do Passat.

      Excluir
  13. Os cambios da VW a agua eram tão interessantes que ficou bom até nos ford/renault da autolatina.

    ResponderExcluir
  14. Aléssio Marinho31/10/12 12:48

    Prefiro uma alavanca com altura e distância corretos em relação ao volante.
    E nisso os Ford Fiesta são o melhor exemplo. Mesmo com aquela longa alavanca, o curso do trilho é pequeno e o engate é muito suave e preciso, sem contar a altura, se tira a mão direita do volante e ela está quase na mesma altura.
    Pra mim a pior é a posição da alavanca do 147/Uno de primeira safra, com a alavanca escondida entre os bancos, quase no assoalho. Mas acho divertido brigar com ela a cada passada de marcha...rsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu aluguei um Fiesta hatch 1,6 rocan e fiquei uma semana com ele na região serrana de Porto Alegre. A alavanca de câmbio alta é uma maravilha...

      Excluir
    2. Transmissões IB5 da Ford são boas. O lance da dupla sincronização nas três primeiras marchas gera uma maciez que até pode ser replicada por sincronização simples, mas que por via das dúvidas preferimos que haja uma redundância segura.

      Excluir
    3. O legal nem é tanto a maciez das IB5 e sim que esse duplo sincronizador permite que engates e reduções nessas marchas (as mais complicadas) quase nunca arranhem ou sejam difíceis. Acredito que colabora pra não dar aquele efeito de 2ª marcha que fica ruim com o uso justamente devido a maior solicitação do sincronizador

      Excluir
    4. Coincidentemente também aluguei um Fiesta 1.6 na região de Porto Alegre e assino embaixo todos os elogios ao seu câmbio.

      No meu Focus Duratec a caixa é a IB5 Plus, também precisa, mas não tão macia quanto a do Fiesta. Os engates são certeiros e firmes. A única queixa vai para o engate na terceira marcha em rotações mais altas: tem que fazer uma forcinha a mais. Nada de mais, mas há um diferença tremenda para engate da quarta, que entra macia praticamente com um leve "empurrãozinho" Achei que fosse defeito, mas pesquisei e vi que se trata de uma característica.

      Aprendi a dirigir em um Ka e em um Monza. Para mim, dois extremos da precisão dos câmbios. Apesar de GM (leia-se Corsa, Astra nacional e Vectra) ser em geral ruim, tivemos em casa um Astra Belga que era excelente, apesar dos engates um pouco longos.

      Excluir
    5. Pois é, parece que a depenação acontece nas partes mecanicas também. O Astra belga usa o mesmíssimo motor e câmbio que os GM nacionais usavam, no entanto sempre foi elogiado pelo desempenho e consumo, enquanto que os nacionais nunca foram elogiados por consumo. Além disso os engates aparentemente eram melhores que os outros GM, mesmo sendo o mesmo câmbio

      Excluir
  15. Filipe_GTS31/10/12 12:50

    Câmbio? VW... Ninguém supera. Entre o Civic (olha que é muito bom) e o Gol (MQ200), o do Gol é mais gostoso de usar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, pelo menos alguma coisa tem que ser boa no Gol né. :P

      Excluir
    2. Anonimo das 13:00
      Nao só o cambio o conjunto mecanico é muito bom.
      Experimente um Gol 1.6 2010 em diante. Depois vem contar para a gente aqui.
      Voce vai se surpreender!

      Excluir
    3. Fits também são muito bons

      Excluir
    4. Anônimo 31/10/12 13:00, além da transmissão MQ200, que é arraigada nos VW atuais, há também a favor do Gol NF o fato de sua especificação de plataforma PQ24 usar os mesmos braços de suspensão e caixa de direção da PQ25 (Audi A1, Polo V, SEAT Ibiza Mk4, Skoda Rapid/Seat Toledo Mk4), combinados a um eixo traseiro derivado do usado na plataforma AB9. Tudo isso junto permitiu um comportamento dinâmico melhor que o do Polo e do Fox.

      Excluir
    5. Sério mesmo que a parte traseira é derivada da AB9? O Fox já usa a do Polo, não sei porque iam inventar uma outra conhecendo a VW e o Gol, apesar que como mudaram quase tudo pode até ser. O comportamento melhor deve ser a nova dianteira, já que a traseira do Polo sempre foi melhor que da AB9 e ainda hoje é usada nos Polos novos

      Excluir
    6. Anônimo31/10/12 18:22: o Gol NF realmente é muito bom, pena que o Polo beire à perfeição em dirigibilidade... aqui na terra Brazilis e dentro do portfólio VW, algo que se compara ao comportamento dinâmico irretocável do Polo é o do Golf.......

      Excluir
  16. Faltou lembrar do Dodge Polara, cujo câmbio é um espetáculo de maciez e precisão, que nunca vi em nenhum outro carro até hoje. Muitos reclamam do curso longo da alavanca, mas para mim é ideal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mr. Car?....

      Excluir
    2. Acho que o Magnum Master é o Mr.Car sao a mesma pessoa.

      Excluir
    3. Hahahaha porque, esse também é fã de Polaras? Somos poucos, mais fortes! Um carrinho genial!

      Excluir
  17. Acabo de retirar um Lancer. Escolhi este por achar que - em sua categoria, é o carro mais preocupado em ser carro. Seu motor - torcudo e com 160cv, e câmbio parecem perfeitos. O Painel não parece o de uma nave (ou o rosto de um transformer, como é comum hoje).

    Até pensei em fazer um esforço maior e pegar o GT, mas fiquei no básico mesmo, única versão com MT. E vou pagar o preço na hora de vender, agora todos querem a borboleta atrás do volante. Mesmo sendo ela mentirosa, já que é programada para simular marchas no cambio CVT.

    Vida longa ao câmbio manual.

    Eduardo Trevisan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo, o que vc está achando do carro? Poderia fazer uns comentários gerais?
      Obrigado,
      VPJ

      Excluir
    2. Eduardo
      Parabens pela compra. Adoro esse carro.
      A configuracao que voce comprou (mecanico) é a minha preferida. Nao acho que voce terá nenhuma dificuldade numa eventual revenda
      Se puder nos falar sobre o motor suspenssao e prazer de dirigir desse carro agradeceria.
      Abracos

      Excluir
    3. O carro é bom, o meu é a versão básica, só coloquei bancos em couro, não tem multimídia e a entrada auxiliar do radio é rca (Deus do céu), nem USB tem, só CD MP3.

      Mas sobre andar, isso ele sabe fazer. As relações de marcha são razoalvelmente longas, tem que trocar para andar legal, embora ele tenha bom torque. Sabe quando você está naquela terceira média - tipo a uns 3.500rpm e quer dar uma acelerada nervosa? É só dar uma pancada para segunda enquanto acelera que parece que você bateu espora em cavalo nervoso, ele avança muito rápido e parece querer continuar avançando. Impressiona o passageiro.

      Embora esteja me controlando para não subir muito o giro antes dos 1.000km, acima de 5.000rm percebi um grato coice na aceleração (um coice compatível com os 160cv, não tô dizendo que ele te gruda no banco), que se for até 6.000 entrega o carro com força ainda para a próxima marcha. Ele gosta pouco de baixas rotações, mas o motor ainda deve estar um pouco amarrado.

      E sobre a alavanca, é curta, as trocas são justas, bem definidas e batem seco no fim de cada marcha. Gostei mesmo. Gostava do meu 307 que tinha um certo compromisso com o conforto. O Lancer tenta ter, mas ele se compromete mais com a esportividade. E que estabilidade! Suspensão muito firme.

      Não sei se rodas 18 com pneus de perfil 45 foram uma boa escolha, o carro sente as irregularidades, mas por ser "pesadão", não faz a gente pular no banco.

      Resumindo, estou muito contente e cada vez que dirijo sinto mais prazer e percebo mais uma qualidade nele (que me fazem esquecer do porta-luvas ridículo de pequeno e feio, do cinto central traseiro abdominal, do banco traseiro sem encosto de cabeça no meio, da trava de vidros que trava o do passageiro dianteiro, da porta com revestimento em plástico mequetrefe...)

      Eduardo Trevisan.

      Excluir
    4. Eduardo,

      Essa característica da trava dos vidros traseiros e do passageiro é típico de Mitsubishis, meu Galant VR também tem essa característica! E parabéns pela compra, belo carro e bela mecânica!

      Excluir
    5. Eduardo,

      Essa característica da trava dos vidros traseiros e do passageiro é típico de Mitsubishis, meu Galant VR também tem essa característica! E parabéns pela compra, belo carro e bela mecânica!

      Excluir
  18. Entusiasta Transilvânico31/10/12 12:56

    Falar bem de Lada Laika em 31 de Outubro só pode ser comemoração de Halloween!

    Esse AK é ótimo!!!

    ResponderExcluir
  19. Francófilo31/10/12 12:58

    Vi reclamações do trambulador do pocket rocket DS3.

    Vocês testaram.

    Procede ou é frescura de quem sempre tem que ter algo pra criticar em carros franceses?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francófilo,

      Fiquei 10 dias com ele. O danado é bom de tudo. Sem problema algum com o trambulador; já peguei melhores, mais prazerosos, mas de modo algum ele merece críticas. Pura frescura pichar.
      Agora... esse DS3 na estrada é o bicho, ele cresce, surpreende. Tem um chão espetacular.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Interessante meu comentário falando de jabá ter sido deletado, mas tudo bem pq escrevo de novo. Acho que não fui desrespeitoso com ninguém

      O DS3 realmente não tem cambio ruim, quem diz isso diz de frescura ou por querer criticar por criticar. Mas realmente não é um cambio dos bons, que entusiasma, cai na mão e é preciso. É um cambio de carro normal, meio vago, sem sensações e sem muita precisão, bem sem graça para um carro esportivo apesar de não ser ruim. É aquilo, o cambio é leve, engata direito, não tem esquisitices nem é difícil de achar as marchas, mas não é daqueles com o peso certinho, manopla que encaixa direitinho, sensação boa e barulho agradável

      No entanto alguns carros testados por aqui viram perfeitos milagrosamente

      Excluir
    4. Anônimo das 18:51

      Seu comentário anterior foi deletado porque você me ofendeu ao me acusar de jabazeiro.
      Suas opiniões sobre o carro são livres, mas suas ofensas à minha honra, ou a de qualquer outra pessoa, não, não somos obrigados a tolerar. Siga as regras da boa convivência para que não tenha seu comentário excluído.
      O DS3 não é um esportivo nem pretende ser. É um hatch apimentado e só. Volto a dizer, nada a pichar quanto ao seu trambulador. Não é memorável, nada de mais, mas cumpre bem o seu papel. Na estrada, volto a dizer, o carro é ótimo, show! e não estou jabazando um centavo por isso. O DS3 na estrada é dos melhores, realmente muito bom, gostei mesmo dele na estrada, estabilidade excelente, e não estou ganhando um tostão furado por isso. Gostou? Se tiver outras dúvidas sobre o que acho do DS3, procure o post que escrevi a respeito.

      Excluir
    5. AK, você disse que de modo algum o trambulador do DS3 merece críticas, o que não é verdade. Você tem de concordar (ou pelo menos entender) que certas coisas que são faladas aqui no blog depois que certas marcas ou modelos "se entendem" com vocês ficam estranhas demais. Você mesmo sabe que o câmbio do DS3 não é memorável, mas antes da cutucada disse outra coisa

      Sobre a esportividade, o DS3 com certeza não é só um hatch apimentado. Um hatch apimentado é um Polo 2.0 ou algo do tipo. Um carro pequeno e leve como o DS3 com um motor de mais de 160cv e tanto torque por causa do turbo com certeza é um esportivo. Da terceira pra cima ele é muito bom devido a certas coisas na programação eletrônica, mas isso e da estabilidade dele ninguém duvida

      Excluir
  20. Esse cambio/transmissão da VW têm mesma origem do que o EA827, na Audi? são da mesma época?
    Porque muita gente pede um post sobre motores tipo AP/MD, os GM familia 1 ou 2, mas também podia sair um tópico sobre a historia desse cambio que pra mim é um dos maiores responsáveis pelo sucesso dos VW a água nos anos 80/90.
    Já li em algum que o próprio Audi quattro do grupo B além de um motor baseado nos EA827 usava praticamente o mesmo cambio dos audi de rua claro que preparado para competição e o sistema quattro incorporado.

    ResponderExcluir
  21. Sentir a máquina é algo muito prazeroso, mesmo andando devagar... nada substitui um engate preciso, aquela aceleração interina seguida por um "click".

    No post "FLASHES DO 27° SALÃO INTERNACIONAL DO AUTOMÓVEL DE SÃO PAULO" aquela foto do Fusca antigo me deixou com uma vontade danada de guiar um.

    Alguém que tenha um Renault Symbol pode me dizer se os engates pelo menos funcionam? Quero saber se isto foi um fato isolado. Entrei no modelo exposto numa concessionária e me espantei com a dureza e imprecisão daquilo, fui no Clio ao lado e... era normal... voltei para a o Symbol e fiquei perplexo! "Que mer** é essa?". Sério, era horrível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS31/10/12 13:21

      Já dirigi Clio e Megane. Funcionava direito, mas as trocas são ruins. Alavanca de curso longo, manopla nada anatômica... um terror.

      Excluir
    2. O câmbio do Clio é esquisito mesmo. Porva disso é que dirigia direto um e ai peguei um Mille Economy e a diferença foi gritante. Mas o que ninguém fala é o problema do sincronizador de terceira do Economy. Historicamente a Fiat já tem um 'causo' com o engate pra terceira marcha, mas o Economy foi um tremendo desastre, conheço dois que raspam feio quando muda pra terceira.

      Excluir
    3. Murilo, sabe se o câmbio do Economy é o mesmo do Palio Celebration Mk3? Já percebi esse tipo de problema em um 2007.

      Excluir
    4. Brunno,

      Symbol e Clio usam varão e por isso não são tão bons, mas nada que seja de arrancar os cabelos, só não são prazerosos.
      Já o Mègane é por cabo e é muito bom. O do Fluence é melhor ainda, excelente.

      Excluir
    5. Arnaldo,

      Se Symbol e Clio usam sistemas semelhantes, tudo leva a crer que era mesmo um problema pontual. Este era comum, aquele estava péssimo.

      O Fluence não dirigi, mas só de ter mexido no carro exposto (no mesmo dia) dava para notar que era bem melhor. Por sinal, só não gostei da falta de espaço para a cabeça de quem vai atrás, mania de sedan 4 portas tentar virar cupê.

      Excluir
    6. O engate da quinta marcha em um Clio é meio haterofilístico. Você precisa jogar a alavanca para longe do alcance de sua mão e dar uma porradinha para que a marcha entre direito.

      Excluir
  22. Baconzitos31/10/12 13:18

    Nesse exato momento estou no meio de um trânsito lascado aqui em São Paulo, Avenida Santo Amaro...

    Dentro do carro, mesmo com os vidros abertos, a temperatura deve estar bem próxima de 44, 45 ºC. O painel parece uma chapa de restaurante. daria prá fritar um ovo em cima. A embreagem até endureceu depois de centenas de mudanças nesse pára e anda. Só primeira e segunda.

    O que eu mais queria agora era estar ao volante de um carro com ar condicionado e câmbio automático...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai... Baconzitos salgadinho, quentinho no solzinho...

      GOSTOSINHO!

      Excluir
    2. O Comedor,

      Você é passivo não é??

      Excluir
    3. Baconzitos,

      te dou toda razão. Para cidade nada melhor que ar-cond e câmbio auto. O melhor ainda é ter outro pra guiar pra gente.

      Excluir
  23. Muitos falam mal do cambio da família antiga dos Escort, aquele com varão e tudo. O do meu pai é a prova disso: horrível. Engraçado que o meu Verona, com o mesmo tipo de câmbio, é bem macio até.

    João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob Sharope31/10/12 13:36

      Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Seu Verona é 1.8? Se sim, o cambio dele é o mesmo do Golf.

      Excluir
  24. fiat 147 eita cambio.....horrivel

    gosto do cambio dos opalas titlec/titlec.

    a posição de alavanca alta do fiesta é bem Rally. é bom de cambiar tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passateiro31/10/12 13:38

      Que opala que nada!

      Bom é APzão!

      Passateiro

      Excluir
    2. A do 147 é uma delicia aquela empunhadura, pra encaixar a mão em volta da alavanca, não em cima. Acho que essa é a melhor lembrança do meu 147. Se bem que raspava na terceira direto e tinha uma grande imprecisão, culpa do trambulador velho.

      Excluir
  25. Bob Keller31/10/12 13:41

    Rapaz, mas o som metálico do engate do cambio do opala é demais. Incrível, qualquer som/ruído que tu ouve repetido normalmente se enjoa, mas esse claq do opala (o 2º carro que tive 6cc, ano 77 se não me engano) era só prazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob Keller31/10/12 13:46

      opa, o (Anônimo31/10/12 13:36) està corretíssimo, nada de claq é TITLEC/TITLEC mesmo hahaha...

      Excluir
  26. O do Celta é bem bacana...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fala mal de Celta senão vc é calcinado, além de provocar a ira dos Bob Keller Alonga Testículos.

      Excluir
    2. Filipe_GTS31/10/12 14:16

      Eu acho uma porcaria. Tive um Celta. Engates estilo Fiat. Ré que arranhava toda vez...

      Excluir
    3. Analfa
      Desse jeito voce esta complicando.
      Nao comeca com essa história de novo!

      Excluir
  27. AK, junto com os Corvettes, a maioria com trambulador Hurst é rapadura. Lembrei das 4 marchas Pistol Grip, sensacional, completamente diferente de tudo. O E-Type 4.200 lembra um pouco também do Corvette, apesar do resto do carro me meter medo. A 3 marchas no assoalho dos Dart SE achei muito legal também. Dos novos eu não conheço muito, mas me surpreenderam as transversais mais novas da VW (Fox, Gol, Voyage). Um Fusca (e derivados) com a troca rápida da Bug Pack é outro que merece seu lugar. Troca na coluna de direção é o máximo só pelo estilo, nem precisa ser precisa ou rápida. Cá pra nós, quem nunca dirigiu um Laika não vai saber como é divertido cambiar na base da patada aquela caixa (não que suavemente seja ruim...).

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adlei
      Os VW transversais sao muito bons mesmos!

      Excluir
  28. Cambio insuperavel é o do Gol G-V MQ200

    Os cambios VW 013 do Gol G-I também são excepcionais! E isso sem falar que os Fuscas, quando novos, também tinham cambios excelentes de se cambiar.

    O Chevette também era um convite a cambiar bem! Embora intolerante com trocas fora de um minimo de sincronismo, foi a escola que eu tive para poder dirigir caminhonete sem dar tranco (seja nas trocas de marcha, seja no cardã), aprendendo que o tempo de engrenamento dos Clark são bem diferentes dos cambios comuns!

    Agora cambio bom de jogar fora era o de todos os Fiats até 1995. Já vinha com folga no trambulador como item de série...E isso sem falar que é mais facil cambiar um trator Massey Ferguson de engrenagem deslizante não sincronizada sem arranhar nas trocas do que um desses Fiats dessa "pequena" serie de quase 20 anos de produção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Daniel, não só a MQ200, mas a MQ 250 também..... um câmbio que me lembrou os VW transversais foi o do Civic manual, gostei muito....

      Excluir
  29. Daniel BBB31/10/12 13:46

    "Cambiosinho gostosinho".

    (!)

    cada coisa que escrevem por aqui...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoal aqui escreve artificial demais, dá até ânsia.

      Excluir
    2. Toma um Plasil que passa a sua ânsia...

      Excluir
  30. Daniel BBB31/10/12 13:47

    Esse post vai ser o delírio dos apzeiros...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. faze o que, conjunto era insuperável no seu tempo.

      Excluir
  31. Fiesta Ka antigo também deveriam estar na lista.

    ResponderExcluir
  32. Marco Brito31/10/12 13:55

    Sessão saudade agora.
    Como era gostoso o câmbio das Alpha Timb (cujas alavancas sairam da coluna de direção e vieram para o assoalho). Engates precisos e bem escalonado. Nada mal o cambio do Chevette. E para quem gosta de desafios, os secos que equipavam aquelas "Pata Choca", veículos militares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco
      Nem todo JK com cambio no chao era o Timb.
      Ha uma certa confusao, pois, a partir de 1970, a frente do 2.150 ficou baixa como dos esportivos Timb de 68.
      Os Timb sao raríssimo, e ha muita divergencia em relacao reduzida producao do modelo.
      O Sr. J. Roberto Nasser tem um deles.

      Excluir
  33. De todos que usei, o melhor do CRX com alavanca próximo ao volante, engates curtos e quase que como um "clic".

    ResponderExcluir
  34. Volvo S40 SW..apesar de velhinha, um dos câmbios mais surpreendentes que já conheci na vida.

    MFF

    ResponderExcluir
  35. O pior cambio que já usei é de Kombi velha! Dá pra sentir a alavanca fletir, o varão gigante balançar e o trambulador velho folgar.
    Inclusive já fiz merda com ele há muito tempo atrás quando bem moleque. Ao reduzir de terceira para segunda, entrou a ré!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS31/10/12 14:19

      O pior que já usei foi de um Vectra GLS 2.0 8v 1997. Depois disso fui testar um Astra 2.0 16v 2000 e vi que era a mesma porcaria. Dirigi também um Astra GSI 2.0 16v 2004 e, surpreendentemente, tinha uns engates um pouco mais curtos. Mas mesmo assim aquela moleza de sempre, mal se sabe onde é 1ª e onde é 3ª.

      Excluir
    2. Felipe GTS
      Quem está acostumado com um VW dificilmente encontra cambio melhor!

      Excluir
    3. Cambio de Vectra dessa época era triste mesmo, a palavra certa realmente é moleza

      Excluir
    4. O problema da Kombi é que como o varão é longo e o uso das peruas é cruel, ocorre um desgaste do conjunto (especialmente da cabeça da alavanca e da placa, que tem que ser trocada e custa pouco mais de 10 Reais) e ai entra qualquer marcha.

      Uma Kombi com o conjunto em dia é excelente. Se for zero km entao...

      Excluir
  36. Chevette(tão suave que deve ser por isto que o chamam de "carro de mulher"), e Opala: aquele clec-clec é deliciosamente inesquecível.
    PS: a foto deste interior maravilhoso do Sting Ray bem que poderia servir de inspiração para um post de título "Alguns interiores que merecem ser lembrados". Fica a sugestão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outra sugestão aos responsáveis pelo "Autoentusiastas": que nos seja disponibilizado o recurso de editar nossas mensagens.
      Abraço.

      Excluir
    2. Mr.Car
      É possivel apagar e enviar uma nova menssagem.
      Os Polaras tinham interiores monocromáticos muito bonitos também. Tonalidade de painel e tapeçaria dos bancos se combinavam com muito bom gosto. O acabamento era tao bom qto os Dodges luxuosos e mais caros como o Le Baron e Magnum
      Bons tempos !

      Excluir
    3. Mr. Car e Anônimo31/10/12 15:17,

      Dodges monocromáticos são puro delírio. Principalmente os Azul Cadete, da linha 80, com interior azul, belíssimo. Saíram poquíssimos Polaras nessa configuração, mega raridade.

      Excluir
    4. Anônimo 31/10/12 15:17hs: sim, é possível apagar, mas aí se tem que escrever a mensagem inteira outra vez, às vezes por causa de uma correçãozinha mínima. E é para mim que você vem falar daqueles interiores do Polara, com o mesmo capricho e material dos Le Baron/Magnum??? Aquilo era uma beleza!

      Magnum Master: com toda certeza, aqueles interiores monocromáticos da Chrysler em azul claro eram absolutamente espetaculares. Para mim, nunca houve nada tão belo quanto aquilo, em carros nacionais.

      Excluir
    5. Magnum,

      Não se esqueça que também havia o interior monocromático vermelho, felizmente bem mais raro que o azul que, ao contrário deste, era horrível!

      Excluir
    6. Discordo totalmente. Os interiores "vinho" (que existiam nas linhas Chrysler e Chevrolet dos anos 80) também eram bastante bonitos. Vermelho de fato, tivemos nos Opala mais antigos, por exemplo. Este sim, com o tempo talvez se tornasse enjoativo, pois é uma cor muito vibrante. Sem graça, apagado, soturno, claustrofóbico, quente, enfim, em tudo horrível mesmo, são esses interiores pretos que nos empurram goela abaixo, inclusive em carros que no exterior oferecem ao consumidor ao menos a opção do monocromático claro. O habitáculo muda completamente, e para muito melhor.

      Excluir
  37. Já dirigi um Monza que a quando ia passar para 3ª a 1ª entrava sem querer toda hora. Mas acho que de pior foi de um Astra 16V que tive. Molengão ao extremo e com trava de ré mesmo a mesa sendo sincronizada.

    ResponderExcluir
  38. O Reynaldo já mencionou o Chevette acima e eu adicionaria o Fusca, o Polara, o Opala 5M e o Z4.

    Apesar do câmbio do Fusca ficar longe da alavanca, seu acionamento era preciso e, apesar do comprimento da alavanca, com curso relativamente curto.

    Tanto o Polara como o Opala talvez se beneficiassem do fato que suas alavancas de marcha acionavam os garfos do câmbio diretamente, sem intermediários. A do Opala talvez peque por alguma imprecisão, mas, assim como a do Polara, tinha engates suaves e transmitia uma sensação agradável.

    O Z4 segue de perto o que se descreveu do Stingray acima: bem em cima da caixa, curtíssima e transmitindo as sensações de se estar operando um mecanismo de precisão. A bem, dizer, este foi o câmbio mais gostoso com o qual tive experiência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augustine, tenho uma dúvida: Dirigi um Polara, e a alavanca parecia meio "bobona", como se fosse um parafuso numa porca pouco maior, com uma enorme folga entre mover a alavanca e realmente perceber uma mudança no mecanismo. Uma pena, por que o carro tinha tudo para ser perfeito, mas esse câmbio com cara de "vou quebrar um dia" acabou se revelando um dos piores que já dirigi. Agora leio seu elogio ao mesmo. A diferença é de gosto, ou o carro que dirigi estava ruim?

      Excluir
    2. Augustine
      Caramba , voce nao precisava humilhar a gente com essa historia do Z4!

      Excluir
    3. brauliostafora,

      Muito provavelmente o que você pilotou estava com alguma folga anormal. É bem justinho.

      Excluir
    4. Braulio, é como disse o Magnum. Meu pai tinha um Polara 78 no início dos anos 80, então era um carro com poucos anos de uso, ao contrário dos Polara em circulação hoje.

      Excluir
    5. Anônimo, na boa, jamais foi minha intenção humilhar ninguém, apenas compartilhar com outros auto-entusiastas o prazer que tive. No final, todo o mundo se beneficia quando boas experiências são compartilhadas: assim como o fogo aumenta quando se propaga, ao contrário da alegria diminuir, ela aumenta fazendo outros alegres.

      Excluir
    6. Augustine,
      Mande bala. Compartilhe conosco suas boas e interessantes experiências. Tem mais é que contar.

      Excluir
  39. oskrmarinho31/10/12 14:23

    Sempre gostei de câmbios da Chevrolet, ou melhor, gosto ainda de carros da marca, haja vista que possuí inúmeros chevettes, incontáveis Opalas, C-10 e S-10 (ainda tenho uma 97, 2.2, em perfeito estado e no uso diário), mas o câmbio do chevetinho era indiscutivelmente gostoso de usar;o próprio carro, naquela configuração, se tivesse mais motor, ainda hoje seria um foguetinho, bom de tocar, com tração traseira e outras virtudes; fico imaginando se hoje ainda fosse produzido com motor mais forte, o câmbio bom que sempre teve, tração traseira e um desenho esportivo, trazendo preço adequado para essa simplicidade. Com certeza, teria adeptos em pencas, sendo eu um dêles, com certeza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oskrmarinho31/10/12 14:25

      Ops! Desculpem a redundância, com certeza!

      Excluir
    2. Ou seja, vc sempre gostou do cambio do Chevette, o do resto da GM é quase tudo de chorar

      Excluir
  40. Lorenzo Frigerio31/10/12 14:30

    O melhor que já peguei foi o de 4 marchas do Passat 1977 em diante. Os piores, o do Passat até 1976 e o do Fiat 147.
    Os câmbios atuais da VW - 5 marchas transversal - também são bem parecidos com os do velho Passat.

    ResponderExcluir
  41. Honda CR-Z Híbrido.
    Fantástico!

    Perguntem ao Bob e ao Bitu!

    ResponderExcluir
  42. GOLF GTI TURBO MANUAL ,MUITO BOM

    ResponderExcluir
  43. OPALA 6 CANECO 3MARCHAS GERA MUITA DIVERSÃO

    GOLF/AUDI FORAM REFERENCIA .

    ResponderExcluir
  44. O melhor câmbio para mim é o do Chevette! Ao engatar primeira, terceira e quinta, o volume do rádio aumenta sozinho! Fantástico.
    AK, pedido especial para atender aos leitores: acha um Laika em bom estado e faz um review estilo "no uso" aí pra nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...Ah, e aquele câmbio "caixa louca" dos primeiros Passat também era bom.

      Excluir
    2. CSS

      Tenho um Laika na fazenda. Está no estaleiro esperando reformas. mas usei-o muito, coisa de uns 5 anos no dia a dia da roça e algumas viagens sozinho. Boa! Uma hora escrevo sobre aquele bruto.

      Excluir
    3. Arnaldo,

      Ah, agora virou obrigação falar mais do Laika aqui no blog! Hahahaha

      Os Lada nacionais tem uma história bem curiosa e com alguns detalhes obscuros, e uma interpretação do que ele foi mais a qualidade do seu relato em primeira pessoa (a gente praticamente se sente pilotando o carro quando você descreve as sensações ao volante de alguma máquina) vai dar um conteúdo massa!

      Excluir
  45. Gostava dos "estalinhos" do câmbio do Opala...

    ResponderExcluir
  46. Mesmo com as buchas meio gastas, o câmbio do meu Golf MK3 é uma delícia de trocar as marchas. Outro câmbio excelente da VW é o do Polo, como disseram acima.

    Alguém sabe se o Punto atual é bom nesse quesito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Punto é muito bom, preciso, leve e macio, porém não se ouve o "click" do câmbio do Gol G5.

      Excluir
  47. O problema do Monza, Vectra, Corsa e Celta não está no câmbio, está no trambulador. É necessário lubrificar, e eventualmente substituir todo o conjunto até a alavanca. São peças plásticas que se desgastam e acabam por arruinar o uso do câmbio.

    Sou suspeito, mas o câmbio do Chevette eu acho dos melhores que dirigi. Tanto o meu DL 1991 5 velocidades quanto o meu ex-Tubarão 4 velocidades, excelentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raphael Hagi31/10/12 15:06 Isso que você disse deve ser algo feito depois de muito tempo de uso severo ,como muita utilização do carro nos engarrafamentos ,tive um Ipanema que ficou uns 15 anos conosco na família ,só mexemos no trambulador dela uma vez ,abraço .

      Excluir
    2. Realmente quando novo o engate desses cambios até que é bom, mas deve ser algum problema de projeto ou de qualidade que com alguns anos de uso já ficam horríveis, completamente moles e sem precisão

      Excluir
    3. Meu monza 88 é ótimo de engatar, alavanca pequena com curso bem curto. Parece câmbio de cabine de fliperama.

      Excluir
    4. Existe uma regulagem também, que esqueci de citar, que é feita na alavanca.

      Sobre a periodicidade, acho que depende mais da maneira como o carro é utilizado. Alguns podem rodar décadas sem problema, como o Monza do 88, ou gente que reclama precocemente.

      Tem gente que QUEBRA o suporte da alavanca, tamanha ignorância na hora de trocar as marchas.

      Excluir
    5. Pra quebrar deve ser grosseria mesmo, mas outros cambios não fazem isso

      Excluir
  48. De todos os carros que tive começando com um Gordini III 1966 até o Novo Uno Atual, o melhor câmbio de todos foi do Polara 1976, que apesar de ter 4 marchas, a gente sempre procurava engatar uma quinta, pois o motor 1.8 pedia uma marcha a mais, bons tempos.

    ResponderExcluir
  49. Sou mais um cambio cruzado de FNM
    Jorjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! Quanto mais interação com a máquina melhor...
      Asterix

      Excluir
    2. Opa! aí é pros que manjam!
      Para quem nunca viu...

      http://www.youtube.com/watch?v=KtE3lyKatWc

      Excluir
    3. Câmbio Cruzado? Tive um, mas virou Cruzeiro.

      Excluir
  50. Anônimo das 15,43. Outro carro que tive de ótimo câmbio foi o Chevette 84 e a Variant 72, mas o Polara ainda é imbatível, pra mim.

    ResponderExcluir
  51. Carlos Eduardo31/10/12 16:31

    Para quem tem Polo/Gol G5/Fox

    Tenho um Fox 1.6 a 2 anos e ultimamente quando eu engato de 1a a 2a no corte vem um barulho terrivel de alguma coisa raspando, mas andando de boa ainda entra fácil. Alguma explicação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos Eduardo31/10/12 16:31 Isso deve ser problema na embreagem ,não no cambio ,abraço.

      Excluir
  52. Outro hors concours seria sem dúvida o Alfa Romeo 2300B/Ti/Ti4 feito no Brasil. A bem pensar, talvez este tenha sido o melhor câmbio manual que já tive o prazer de experimentar: suave como margarina, mas preciso, com engates secos, ainda que o curso fosse apenas pouca coisa menor que o típico da época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio31/10/12 21:49

      Os engates eram parecidos com os do Chevette 4 marchas.

      Excluir
  53. Pra mim, um dos melhores de todos é o do civic si. Engates bem curtos e bem definidos, você sente cada "estágio" da cambiada: por exemplo, pra ir de neutro pra 1ª você sente a seleção de canal e entrada da marcha com "pesos" diferentes; pra ir da 1ª pra 2ª vc sente a marcha sendo desengatada e a outra marcha selecionada.

    Fora que ela faz aquele clok-clok (onomatopéia horrível) gostoso de ouvir, do câmbio e do trambulador trabalhando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os piores câmbios são dos carros 16 válvulas e você acelera e eles não saem do lugar. Parece que tem uma válvula de alívio entre o motor e a roda... tipo um elástico que não deixa o giro do motor ir para a roda.

      Pura bucha! Por isso carro bom é de 8 válvulas.

      Excluir
    2. Anonimo das 17:50, ou vc é muito burro ou é troll. Em qualquer um dos casos é bom se tratar

      O Si é excelente em engate mesmo, carro foda, de macho ou de mulher que excita. Um 16v como tem que ser, girador e com um barulho incrível, que pra andar não é qualquer macaco que confunde cambio com motor que faz andar. Todo o resto do carro é do mesmo jeito, bancos, cambio e suspensão são excelentes e pra quem sabe tocar. Mesmo assim é um carro economico e com bom desempenho em baixa se a pessoa tiver o mínimo conhecimento da coisa, pra quem coloca 5ª a 10 por hora e tem medo de curva é bom não sair do Celtinha 8v

      Excluir
    3. Troll com certeza.

      Excluir
    4. O que tem haver câmbio com as válvulas do motor?

      Excluir
  54. sabe o que é interessante, tenho dois Polos um 2008 e outro 2013.... o 2008 é muito mais macio e facil de cambiar.... será que o 2013 amacia com o tempo?

    ISM

    ResponderExcluir
  55. Luiz Dranger31/10/12 18:40

    AK, ótimo post para variar. Vamos falar um pouco de velharias que eu tive:
    Aprendi a guiar em 2 carros que o mu pai tinha: um Jaguar MkV cujo cambio era excelente, alavanca curta e os cliks todos. Porém o Citroen 11 Legere com o cambio no painel era um horror rs.......
    Depois:
    MG TC: ótimo, alavanca curta, e neste caso na mão esquerda
    DKW: um horror
    Fusca: OK, principalmente com aquele redutor de curso que existia na época como acessório(Scat)
    Dodge Dart: 3 marchas em cima. Um horror além de encavalar sempre
    Opala 250S - o cambio no chão era ruim também, muito pesado
    Dodge Polara: curso longo, alavanca boba, terrível
    Chevette: OK
    Fiat 147: opior
    Passat 78: ótimo
    Monza: bem ruim, curso longo engates imprecisos
    Santana: ótimo
    Palio: ruinzinho
    Vai a contribuição e hoje uso um Puma 77 como meio de transporte e, troquei a alavanca de Brasilia (reta e curta) por uma alta (perto do volante)com o redutor de curso. Ficou razoável.
    Abraço
    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz,

      MGTC, que esportivo gostoso de guiar! Bem lembrado! Fiquei impressionado com sua robustez, coisa que de olhar eu não esperava. O bichinho é macho pacas. Bom mesmo, todo bom. Não veio à toa seu sucesso.

      Excluir
    2. "Fiat 147: o pior"?

      Se o Bob não responder aqui, procure mas postagens dele e verá que o "problema" do 147 não era o câmbio, mas sim o uso de tapetes que impediam o correto funcionamento da embreagem.

      Excluir
  56. Transmissões manuais boas:

    1) Fusca;
    2) Ka;
    3) VW de motor longitudinal dianteiro que não AB9;
    4) Civic;
    5) Doblò (sim, é uma surpresa ver o que conseguem fazer em transmissão de utilitário, fora a ergonomia ser perfeita);
    6) Sentra (é raro ver um de seis marchas manuais, mas são marchas que engatam bem e com a mesma vantagem ergonõmica do Doblò);
    7) Fox e outros VW que tenham a transmissão MQ200;
    8) C3 de primeira geração. Aliás, aquele carrinho de todo é bom de dirigir.

    Transmissões manuais lamentáveis:

    1) As dos VW AB9 (que economia porca fizeram em uma transmissão que basicamente é a mesma de cinco marchas de um Gol de base BX?);
    2) Corsa B (há um defeito de projeto no sincronizador da segunda marcha que, além de fazer algo que dura a vida toda ter de ser trocado, impede o engate rápido dessa velocidade);
    3) Transmissões do Corolla (as marchas até entram, mas não com a maciez e precisão esperadas. É praticamente um convite que a Toyota faz para que se adquira um automático da marca);
    4) Clio (que dificuldade há em se fazer uma transmissão cujas marchas entrem direitinho e sem precisar de manha?);
    5) Vectra B (é aquele tipo de transmissão que, apesar de macia, tem uma vaguidão tão grande no engate das marchas que você só sabe que a engatou porque confia no carro. Impressionante como não há qualquer sensação de encaixe ou barulho que te permita saber que a marcha de fato entrou);
    6) Classe A (é comum engatar-se a terceira em vez da primeira).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inclusive no Clio, mesmo com o anel, para quem o dirige pela primeira vez, é muito fácil confundir ré com primeira. São muito próximas e a atuação do anel de ré é extremamente tênue. Sem contar que, até o 2006, ao tirar o pé do acelerador, a alavanca dá um pulo para a frente em qualquer marcha.

      Excluir
  57. O cambio do Opala com o trambulador de laminas é Otimo (o famoso "clec-clec") O outro sistema nao é tão bom.
    E vou ppuxar a sardinha pro meu lado: O Cambio do Aero é fantastico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, o câmbio de 4 marchas com o botãozinho de ré é muito bom e não encavalava nunca, tive um 67, saudades do Aero

      Excluir
  58. Muito bom o cambio da Kombi!

    ResponderExcluir
  59. Parabéns pelo texto, AK

    Estou com saudade do câmbio do Santana 99, 1,8 que possuí. Simplesmente macio e preciso, muito bom. Do contrário o Corolla 07, 1,8 estou tendo dificuldade de engatar 2ª para 3ª, não é sempre, mas quando acontece é uma m...

    ResponderExcluir
  60. Tenho um Polo 2008,o câmbio realmente é excelente.Antes do Polo tinha um Gol 1997 AP ,ao contrário dos comentários,não tenho o que reclamar não.Mas quando o carro estava frio,os engates eram mais precisos,depois de aquecer ficava um pouco mais molenga,mas nada que comprometesse...

    ResponderExcluir
  61. Não vejo problema no câmbio VW do Gol AB9...

    Alguém poderia explicar o que ele tem de tão ruim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se for comparado com os Gols BX, piorou muito mesmo sendo a mesma caixa, esse é o problema

      Excluir
  62. Interessante notar os comentários sobre o câmbio dos Gol, uns odeiam, outros adoram... Eu fiz questão de testar lado a lado um Gol "G4" e um Fox(na falta de um Gol "G5") e achei ambos satisfatórios...

    ResponderExcluir
  63. Bobby Shapp31/10/12 20:07

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CAI FORA, OTÁRIO!

      Excluir
  64. Concordo que o câmbio do Gol é excelente, mas quem é que consegue suportar a dureza de seus bancos?

    Recentemente dirigi um Fox com câmbio "tlec tlec". - Põe câmbio bom nisso...

    ResponderExcluir
  65. Eu sou um dos que acham o famoso câmbio da VW ruim. Troca sem arranhar, e daí? É a coisa mais sem graça do mundo, não existe nenhum feedback da caixa. Se é para ser tão sem graça, então vamos direto aos automatizados.

    ResponderExcluir
  66. Vou citar os carros que passaram em minha casa:

    - Voyage LS MD 1500 1982 4 marchas / Gol LS AP 1600 1985 4 marchas: excelente (porém passar a 1ª com o carro e movimento, quase parado, exigia uma paciência, normal em todos logitudinais AP/MD que tive)
    - Gol S 1600 1983: um pouco mais pesado que os acima e com o mesmo problema da 1ª marcha
    - Voyage GLS 1.8 1988 / Voyage CL 1.8 1992 / Saveiro CL 1.6 1988: ótimos (porém passar a 1ª com o carro e movimento, quase parado, exigia uma paciência, normal em todos logitudinais AP/MD que tive)
    - Gol CL CHT 1990: manteiga geral, perfeito
    - Gol GLi 1.8 1996: no começo era chatinho, o problema da 1ª marcha era mais sentido e a ré arranhava com frequência..... fui acertando o trambulador aos poucos até ficar ao meu gosto, e muito bom..
    - Gol 16v Turbo 2001: leve, gostoso, bem manteiga, mas era um pouquinho teimoso de aceitar trocas rápidas em altos RPM, principalmente de 3ª para 4ª
    - Polo hatch 1.6 TF 2008: a perfeição
    - Corsa Wind 1.0 2001 / Corsa 1.4 Econoflex 2009: em uso civilizado, macio, leve.... em uso esportivo, borrachudo, lerdo, impreciso
    - Fiesta Street 1.0 2005: é muito bom, mas no uso esportivo, não é tão rápido, não aceita as trocas rápidas que os VW aceitam.

    - Corsa Classic 1.6 Automático 2002 e Fit 1.4 2008 CVT fora da lista

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...