Google+

11 de outubro de 2012

"SINTA SAUDADE DO ÔNIBUS"

Foto: Gazeta do Povo



Foi um leitor que nos chamou a atenção. O título é a mensagem publicitária presente nos táxis de Curitiba (foto acima). Mas o que ela gerou bem mostra como as coisas estão mesmo ficando cinzas quase pretas (há que tomar cuidado com o politicamente correto...), no mundo hoje, mas aqui no Brasil parece que o pessoal surtou de vez. 

O importante jornal Gazeta do Povo, na seção Blogs de sábado passado, publicou matéria intitulada "URBS sabota sistema de ônibus curitibano", criticando a Volkswagen e a Urbanização de Curitiba S.A. (URBS) por autotizar anúncio nos vidros traseiros dos táxis da capital paranaense.

Veja parte do texto:

"A situação é simbólica e beira a piada pronta. Na prática, ela é tão bizarra quanto seria ver um outdoor da Unimed no postinho de saúde do Boa Vista ou a propaganda do grupo Bom Jesus nas creches do Bairro Novo. A questão não é a propaganda em si. É legítimo que montadoras (N.d.E.: montadoras, o grande vício nacional...) queiram vender carros e que usem a publicidade como ferramenta para estimular o consumo. Mas que o façam nos meios privados. O que é incompreensível é essa lógica obtusa em que o próprio poder público, ao invés de estimular o uso do transporte coletivo, acaba incentivando o uso do veículo individual motorizado. Mais carros nas ruas significa menos passageiros para o sistema público. Perdem os taxistas, perde a própria Urbs e perde toda Curitiba, que fica cada vez mais congestionada. A decisão também não faz o menor sentido do ponto de vista econômico. Dificilmente a receita financeira com a venda do espaço publicitário cobrirá o prejuízo no longo prazo da perda dos usuários que trocarem o ônibus ou mesmo os táxis por um Gol zero quilômetro."

É mole? Leia a íntegra da matéria. Tem mais besteira lá. Mas uma delas tem caráter discriminatório:: publicidade da Unimed não pode exisitr em determinadas regiões?

A foto de abertura foi salva da própria página da matéria, mas no canto superior direito você pode ver o autor dela: Alexandre Nascimento/Ir e Vir de Bike – [bái-qui], para quem não sabe inglês, acrescentando que se trata de diminutivo de bicycle, bicicleta no idioma de Shakespeare. Ou seja, coisa de cicloativistas, que insistem em se impor de qualquer maneira.

A matéria toda é tendenciosa e desprovida do mínimo bom senso. Por exemplo, fala em incentivar o uso do veículo individual motorizado (em vez de estimular o transporte coletivo). Ou seja, para essa turma, veículo individual não pode ter motor. Nem bicicleta a motor de combustão interna ou elétrico, tampouco motocicleta. Ou seja, deduzo que eles acham que a vida se resume em pedalar – todo paramentando, é evidente – não interessa para onde, em que topografia ou condição climática. E logo Curitiba, conhecida pelas baixíssimas temperaturas no inverno.

E como se todo mundo soubesse, pudesse ou quisesse andar de bicicleta.

Não vou me estender comentando a infeliz matéria, ou postagem, o leitor poderá lê-la toda. Mas o que é assustador é a hipocrisia que está assolando o Brasil. 

O autor da matéria, o próprio Alexandre Nascimento, chega ao cúmulo de dizer que não deveria ser permitida tal propaganda nos táxis e condena o poder público por permiti-la. Então só porque é automóvel não pode anunciar nos táxis, ficando subentendido que outros produtos pode, até camisinha. Como se automóvel fosse vilão, produto ilegal, que não movimentasse toda a economia, constituindo 5% do PIB nacional e 23% do PIB industrial.

Vale qualquer publicidade nos táxis de Curitiba, menos de automóvel... (taxidoor.blogspot.com)

E como se automóvel não fosse o que sempre será, a maior expressão de liberdade individual

Pelo menos o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB-PR) mostrou uma lucidez admirável na questão dos automóveis na cidade que administra, vale a pena ler no final da matéria. E ele é afiliado a um partido socialista!

Bem, um certo governante máximo num certo país europeu, cujo partido também era socialista, só que nacional e não internacional, criou um carro para o povo, não criou?

O fato é que está ficando difícil agüentar tanto patrulhamento, com gente querendo fazer crer que o automóvel é vilào, quando é exatamento o contrário.

Fica o protesto do AUTOentusiastas contra essa atitude torta.

BS

185 comentários:

  1. Daqui a pouco a imagens dos ciclistas normais (me incluo e sou ardoroso entusiasta de ciclismo...na terra!), vai ficar tão manchada quando a dos "vilões" que dirigem carros; tudo por conta desses xiitas que assinam manifestos sem pé e nem cabeça...

    Lamentável!

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer xiita é um perigo potencial enorme.

      HS

      Excluir
    2. Essa discussão vai longe, pois os carroativistas e os cicloativistas jamais conseguirão chegar uma conclusão, sobre qual a melhor solução para a mobilidade urbana. Na minha opinião há vantagens e desvantagens em ambos, bicicleta e carro. O bom senso consiste em aproveitar o melhor de cada um. Eu prefiro usar a bicicleta, mas a maioria prefere o carro, então vamos acatar a decisão da maioria.

      Excluir
  2. "E logo Curitiba, conhecida pelas baixíssimas temperaturas no inverno..."
    Completando: ... e pela extrema imprevisibilidade do clima. Você nunca sabe quando vai ser agraciado por uma brusca mudança no tempo e tomar um belo toró na cabeça.

    Mas eu devo concordar que a campanha é ridícula. Oras, a Volks está afirmando que seu carro é tão ruim que, ao comprá-lo, você sentirá saudades de andar de busão? LOL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TIO CHICO, VOCÊ NÃO ENTENDEU...

      Excluir
    2. É isso aí Chicao!
      Esses governantes parecem que tem cabeça só para colocar cabelo!
      Jorjao

      Excluir
    3. Anônimo das 12:50,a propaganda é dúbia, sim. Parece um tapa na cara, uma afirmação de que os carros daqui são umas carroças e que mesmo assim povo é besta e compra.
      Consumidor brasileiro é muito previsível.

      João Paulo

      Excluir
    4. João Paulo:
      Se a carapuça serviu... Bela auto-análise.

      Excluir
    5. Anônimo das 12:50, você que não entendeu. A porra da frase tem duplo sentido, não sei como alguém da Volks aprovou essa campanha.

      E andar de Gol é pedir pra sentir saudades de andar de ônibus, mesmo. O anônimo das 13:30 tá certíssimo sobre nossas carroças superfaturadas.

      Excluir
    6. O texto não é tão absurdo como o carroentusiata Bob disse. E como também eu já disse lá embaixo, qualquer entusiasta-de-qualquer-coisa é um perigo à democracia.

      João Paulo

      Excluir
    7. Corrigindo: qualquer ativista.

      João Paulo

      Excluir
    8. A porra da frase é muito boa!
      É irônica, e por isso a dupla interpretação pelos politicamente corretos (que são uns chatos).

      Excluir
    9. Anônimo II11/10/12 16:06

      Boa???

      Só mesmo sendo muito irônico...

      Excluir
    10. Tenho um lixo sobre rodas que chamam de "GOL", hoje, sinto muita saudades do ônibus...

      Excluir
    11. então faz assim. Eu te dou meu Bilhete Único e você me dá o seu Gol, fechado?

      IGG

      Excluir
  3. "A capital paranaense foi à única da Região Sul com resultados negativos no período. Em São Paulo, o aumento foi de 105 milhões de usuários (5% em quatro anos)".

    Será que ele confundiu? Primeiro ele comenta sobre a Região Sul e depois sobre São Paulo no mesmo parágrafo. São Paulo agora não pertence mais a Região Sudeste? :-)

    Aqui onde moro quase não se vê mais pedestres, porque praticamente todas as famílias possuem carro.

    E daí?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que São Paulo é desenvolvida demais para estar no Sudeste, assim como "a Namíbia é tão limpa e organizada que nem parece um país africano".

      Excluir
    2. CCN, tenho um atlas aqui, antes da divisão de 1970, que mostra São Paulo na região Sul. Vai ver o cara consultou um mapa desses, e ainda acha que o Brasil tem 18 estados, com o Distrito Federal dentro do Estado da Guanabara...
      Acho que uma coisa não impossibilita a outra. Tenho meu carro e, quando há tempo bom e não estamos no horário de verão (durante o horário de verão ainda está escuro quando saio de casa...) vou trabalhar à pé. Economizo meu dinheiro e queimo gordura. Não parece que alguem deva desistir de ser pedestre só por ter comprado carro.

      Excluir
    3. brauliostafora,

      Então tá explicado a questão de São Paulo, hehehe...

      Agora, quanto aos pedestres, a grande maioria daqui só anda de carro mesmo. Eles se sentem mal quando precisam caminhar, Pode? É considerado pobreza, hehehe...

      Ah! Eu faço caminhada quase todos os dias e também ando de bicicleta. Mas não me meto no trânsito pesado. Aquilo é maluquice geral, mas tem ciclo ativistas que não entendem...

      Excluir
  4. Na boa. Quando leio "cicloativista", nem levo em consideração o que o camarada fala.

    Muitos desses cicloativistas vivem em função de ONGS, ou seja, adoram mamar nas tetas públicas.


    Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milton Rubinho11/10/12 13:22

      Marco, esse povo cicloativista é um bando de gente sem-noção(para não falar outra coisa) e que só começou a pedalar porque é bonitinho e coisa de bicho grilo. Competi ciclismo por 10 anos e sei BEM do que estou falando. E mais: são tão ruins de pedal que, normalmente, quem mkorre no transito pedalando é dessa raça, e não CICLISTAS de verdade.

      Ser cicloativista AGORA é facil, queria ver do que esse bando de nó-cego andava ha 15 anos atrás, quando eu já calejava pedal por ai...

      Excluir
    2. Eu nao gosto de generalizar, mas ja cruzei com alguns ciclo ativistas. Eles são os caras que querem passear meia hora na ciclovia no fim de semana porque acham saudavel.
      Não são os caras que pedalam 50km, nem os que passam o dia no meio do mato fazendo trilha, nem os que correm, e muito menos os que usam a bicicleta para ir ao trabalho. Ainda mais se o trajeto incluir subidas.
      É a moda atual seguindo o rastro dos ecochatos

      Excluir
    3. A proposito, o anuncio da VW ficou otimo

      Excluir
    4. Os ciclochatoativistas são aqueles que vão de carro até a ciclovia mais próxima para pedalar... Igual muitos fizeram no famigerado dia mundial sem carro!

      Excluir
  5. Concordo que as avenidas apropriadas poderiam ter ciclovias pra quem quer usar este meio de transporte, mas daí a fazer o que este cara fez.. é típico do brasileiro que só enxerga as coisas do seu ponto de vista.

    Esse povo vai pra Europa e fica pasmo com o funcionamento das coisas lá, volta e quer fazer aqui só um pouquinho do que eles tem por lá. Que piada.

    Concordo em se estimular o uso de bicicletas em Berlim, cidade bem menos que São Paulo, com largas avenidas, com relevo altamente regular e com opções de transporte público praticamente em todas as ruas da cidade, mas duvido que eles vão querer usar a bicicleta durante o inverno. Isso é bom senso, produto em falta na terra brasilis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tudo uma questão cultural. Na Holanda, por exemplo, acredito que pedalar já foi parar no DNA deles, tamanho o gosto que têm pela magrela. O pessoal de lá anda de bicicleta até quando neva! Mas são realidades completamente diferentes (a nossa e a deles), a começar pelo relevo praticamente 100% plano da Holanda e ciclovias para tudo quanto é lado. Aqui, ciclismo virou moda...

      Excluir
  6. Achei a propaganda meio dúbia. O gol é tão pelado e ruim que a pessoa vai sentir saudades do busão?

    Quanto aos cicloativistas, uma solução é inventar um movimento dos pedestres. Vamos alertar para o perigo que é ser atropelado por essas máquinas pontiagudas de metal que andam pelas ruas e calçadas e não respeitam lei nenhuma. Contribuem com o aquecimento global e a poluição.A cidade vai parar com elas. Vamos trabalhar andando, ir para o hospital andando, sair a noite andando. Todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ontem aqui em Curitiba tomei um susto tão grande que me deixou sem reação. Na frente de casa caminhava pela calçada tentando pular os buracos da mesma (sim, é Batel, imagine a periferia) quando levei um esbarrão (que foi leve, por sorte) de um ciclista que vinha a toda, pelas minhas costas, sobre a calçada. Fiquei sei reação pois foi totalmente de surpresa, por sorte não me machuquei. O idiota nem olhou para trás. Semana passada minha esposa sofreu um esbarrão mais grave, caiu, e quem pilotava a bicicleta era uma moça. E a idiota xingou minha esposa, por ter se deixado atropelar, já que na rua não tem ciclovia!! O próximo ciclista que passar por mim andando na calçada vai levar, a vai.

      Excluir
    2. Aléssio Marinho11/10/12 13:18

      Aqui na Selva, esse esbarrão de ciclista é pra te assaltar mesmo. Puxa relógio, corrente, pulseira, bolsa, etc,etc.
      Como a maioria das ruas é de mão única, o sujeito vem pela contra mão, por cima da calçada, leva o que quer de vc e sai "voado" pq ninguém vai conseguir pegá-lo.
      Aqui ciclista de verdade anda na rua.

      Excluir
  7. Aléssio Marinho11/10/12 12:29

    "...com a avaliação do ex-prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa, que em entrevista à Folha de S. Paulo, disse: "A cidade avançada não é aquela em que os pobres andam de carro, mas aquela em que os ricos usam transporte público".

    "A avaliação do arquiteto Ítalo Stephan também vai no mesmo sentido: "Quando as condições econômicas são favoráveis, as pessoas logo trocam os seus automóveis por outros mais novos, mais potentes, maiores, imponentes. Se puderem, as famílias compram mais uma moto ou outro automóvel. Todo mundo quer ter um automóvel, já que as condições do transporte coletivos nas nossas cidades são lamentáveis. Caminhar é inseguro. Usar a bicicleta é perigoso. Parece não haver solução embora a velocidade do trânsito já seja parecida com a velocidade de caminhar. Nossas cidades já possuem mais rodas do que pernas. Só que as pernas, bem ou mal, vão continuar a andar e as rodas vão parar de rodar."

    Esses dois trechos do texto que originou este post me chamaram a atenção.
    Ando de carro pois aqui na minha cidade tem temperatura média de 32ºC, e quase na linha do equador, o que torna 15 minutos sob o sol quase uma fritura. Tanto que são raros os carros vendidos aqui sem ar condicionado.
    Por outro lado, muita gente usa bicicleta. Por 2 motivos: por não ter linhas que atendam a necessidade de locomoção das pessoas e muitas não podem pagar pelo transporte coletivo, situação muito comum ainda nos nossos dias e nesta cidade.
    Uso meu carro diariamente (mesmo sendo orientado a não fazê-lo) por não existir um trajeto que atenda as minhas necessidades diárias, pois teria que pegar 2 ônibus, gastar R$ 4,20 de passagem, demorar uns 35 minutos pra chegar ao meu destino, para percorer 4,8 km, enquanto de carro levo 12 minutos e gasto R$ 1,95 com combustível e manutenção inclusa.
    Poderia comprar uma moto, né? Gastaria menos mas poluiria mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moro em Curitiba. O clima oscila um monte todo dia. A cidade tem dois milhões de habitantes, fora o povo da região metropolitana. Muita gente mora num lado da cidade, estuda em outro, trabalha num terceiro e a namorada mora no último canto. Como é possível viver de transporte coletivo? Transporte coletivo é para lugares onde a vida é mais estática: vc. sai de casa e vai para o trabalho, depois volta para casa. Aqui no 3.o mundo onde todo mundo (independente de classe social) tem de se chaqualhar, é muito difícil.

      Excluir
    2. Anonimo 12:48
      Eu acho que voce ta errado. Mas na verdade eu nao sei, eu só acho!

      Excluir
    3. Anônimo das 12:4
      Um transporte coletivo decente e que funcione é justamente para facilitar/minimizar/mitigar esses problemas.

      João Paulo

      Excluir
    4. Se aqui, num site como este, ainda tem gente que acredita que uma moto 0 polui mais que um carro a coisa ta feia mesmo!

      Excluir
    5. Moto polui mais que carro sim, em co2 e outros poluentes. As de grande cilindrada são exceções

      Excluir
    6. O pobre compra o carro porque quer algum conforto, o rico vai usar o transporte público quando esse também oferecer conforto.

      Na minha opinião, trocaria a viagem de carro de 20 min escutando a musica que gosto por uma viagem de ônibus que leve 40, sentado e com ar refrigerado. Mas não troco por uma viagem de ônibus que leve 1h20, parando a cada 500m e em pé.

      Porque as vans proliferam no Rio, mesmo sendo completamente marginais ? Porque na maioria das vezes o passageiro vai sentado (alguns vão em pé, acreditem) e para pouco, chega rápido ao destino.

      Enquanto a isca só for boa para o pescador, não tem jeito.

      Excluir
    7. O pior é ler um comentário como desse Oli que fala a idiotice que moto polui menos, qualquer carro popular sem tecnologia quase nenhuma polui metade que uma moto. ou o expert achou um jeito de enfiar um monte de catalizador na moto?? injeção eletronica só começou a ser utilizada agora em algumas motos mais populares...

      Alessandro

      Excluir
    8. Velho da Bengala de Osso11/10/12 16:13

      Oli,

      Perdeste uma ótima oportunidade de ficar quieto...

      Excluir
    9. http://www.mma.gov.br/estruturas/163/_arquivos/promot_163.pdf

      La nas ultimas linhas do texto:

      "...sendo que em 2009, os limites de emissão de gases poluentes para motociclos e
      automóveis serão bastante similares."

      Sendo que uma motocicleta não fica parada no congestionamento, poluindo ainda menos!

      Qualquer pessoa que quiser contestar esta informação usando fontes em vez de simplesmente achismo ou algo que ouviu por ai fique a vontade para se pronunciar!

      Excluir
    10. Oli, limites de emissão são uma coisa a frota é outra bem mais antiga e bastante similares é diferente de igual ou menor como vc quer dizer (eu não consideraria nem similar pois até pouco tempo o limite era umas 10 vezes maior). Além disso uma moto 1000 moderna com injeção e tudo de mais sofisticado emite a mesma quantidade de co2 que um carro 1.8 que é muito mais pesado e que consome mais. As carburadas que são maioria absoluta e ainda mesmo depois de 2009 continuam sendo maioria emitem em poluentes ruins tipo NOx ainda umas 5 vezes mais que QUALQUER carro com injeção eletronica

      É ponto pacífico que moto polui mais do que carro, apenas quem não conhece nada do assunto sabe disso e mesmo ficando menos tempo parada não fecha a conta. Agora além dos cicloativistas que acham que bicicleta é milagre temos os motoativistas, pqp

      Excluir
    11. Pra quem acha que moto polui menos por causa da baixa cilindrada, vejam esse dois links e tirem suas próprias conclusões:
      http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/node/186
      http://playrp.blogspot.com/2009/11/motos-poluem-mais-que-carro-mil.html

      Excluir
  8. Eu sou de Curitiba e de vez em quando leio na Gazeta o Blog desse cara, é um verdadeiro mala sem alça, pra ele a solução do universo é a bicicleta, por ele não teria nem onibus na rua para não atrapalhar as "Bikes", é um verdadeiro chato de galochas, pois e anda de bicicleta em Curitiba tem que andar todo paramentado, com capa de chuva, galochas de borracha, calça de borracha, jormal por dentro do casaco (para manter aquecido), por exemplo nesse momento em que escrevo etá chovendo, sendo que as 7 da manhã tava o maior solão! Ah e a topografia de Curitiba não ajuda muito, ainda mais nos bairros do Norte da cidade esses possuem aclives bem acentuados, o que dificulta o deslocamento por este modal nesta região da cidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o bebê ficou doente na madrugada, chuvosa, de inverno? Prende ele num "bebê conforto" adaptado na bicicleta, posiciona a patroa no banco traseiro e bora lá pro hospital...

      Excluir
    2. Nossa que sensibilidade... Deveria ir no médico para ver se sua imunidadde está ok. Sou motociclista a 20 anos e já peguei temperaturas de 0 a 40 graus e nunca tive problema.
      Cristian Pinheiro, concordo com você, nem tanto o céu nem tanto a terra, vamos ser racionais.

      Excluir
    3. Também sou de Curitiba, já li a coluna desse cara algumas vezes e sinceramente não entendo como ele conseguiu tal espaço tendo um conteúdo tão parcial e unilateral.

      Esse é o mesmo cara que defende os ciclistas que utilizem a canaleta do Biarticulado, diz que não recomenta porem os ciclistas são forçados a andar ali porque a cidade não tem ciclovias... Toda canaleta de ônibus possui ruas paralelas de sentido único de cada lado, perfeitas para o pessoal de bicicleta trafegar , mesmo assim o pessoal insiste em colocar a vida em risco ao trafegar de bicicleta nas canaletas do biarticulado...

      Excluir
  9. Esta não é a única bizarrice curitibana. Bom, não uso mais transporte urbano desde 2001, pois foi quando cheguei ao meu limite de sofrimento. Atualmente já não dá para andar de táxi, pois mesmo em dia quente, com sol, fora do horário do rush, para conseguir o táxi só com horas de antecedência. Aliás, Curitiba, é a única cidade que conheço em que não se pode pegar táxi na rua. Eles não param para você, só no ponto ou ligando para a central.
    Quanto aos ônibus, a situação é grave mesmo e dá para entender o mote da propaganda que está na foto. Todo mundo entende. Precisamos de metrô e de mais ônibus só para equilibrar a situação.
    Aqui as pessoas estão abandonando o ônibus... bom, para ir trabalhar (10km de casa) levo 2 horas (no mínimo, fora do rush) para ir e duas para voltar de ônibus expresso + conector. De carro: 12minutos sem trânsito, 20 minutos no rush...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curitiba, Campinas, Fortaleza... tudo tem que ir no ponto ou ligar.

      Excluir
    2. Mídia de mau gosto sem dúvida! Aqui só constatamos o que não queremos enxergar.Os "montadores" estão se lixando para a mobilidade, poluição e qualquer outro problema do excesso de veículos nos grandes centros.
      Tá podendo comprar? compre o NOSSO carro e largue o eficiente transporte coletivo.

      Excluir
    3. Aqui em Brasília também é assim, os táxis não ficam circulando à espera de passageiros. Quer um táxi? Vá ao ponto, ou ligue para um rádio-táxi pedindo um. Desde sempre foi assim por aqui.

      Excluir
    4. Ai que mal gosto, ai que absurdo essa gente fazendo propaganda dos seus produtos. Provavelmente querem que todo mundo morra, que joguem bombas atômicas nas florestas e que matem os animais. O mundo hoje está tão ridiculo que querem descriminalizar o que é crime e o que atrapalha e criminalizar aquilo que de tão normal é até banal e o pensamento pseudo ideologico come solto. O fabricante faz a propaganda de seu produto, não significa que não liga pra nada nem que as pessoas vão comprar nem que são obrigadas a isso

      Pior que essa asneira toda foi falar que o transporte público do Brasil é eficiente

      Excluir
  10. Bob, conhece o filósofo Luis Felipe Pondé? Ele também odeia esses cicloativistas que se acham moralmente superiores.

    "Interessante como gente pobre sempre andou de bicicleta, mas agora, quando a bicicleta virou "bike", virou assunto da prefeitura. O trânsito, sofrido, tem que abrir espaço para as "bikes". Em Copenhague, capital da Dinamarca, uma das capitais mundiais das "bikes", podemos ver o "ethos" dessa moçada que se acha salvadora do mundo: lá eles atropelam gente e caminhões, movidos pela sua consciência de (falsa) superioridade moral urbana. Aqui já começa o mesmo processo."

    http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/podcasts/932764-ponde-usar-bicicleta-nao-faz-ninguem-ser-moralmente-superior.shtml
    * Funciona com o Internet Explorer

    ResponderExcluir
  11. Cicoativismo é coisa de classe média emergente, que acha que está tendo uma mentalidade vanguardista semelhante à europeia. Esses caras tinham que ser pobres por 1 mês, morar na PQP e trabalhar em Ohio (que o parta). Deviam também abrir mão do carro quando quiserem ir pra praia fumar maconha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo assim, acho preconceito.

      Excluir
    2. Falou e disse tudo!!!!! O transporte público é ruim e querem piorar mais ainda enfiando mais gente no busão fedido cheirando a suvaco e pum? sem falar que a perda de tempo e estresse em um transporte público é muito maior.

      Excluir
    3. Nem todo cicloativista é assim mas a descrição do anonimo é perfeita pra maioria deles. A parte de largar o carro na hora de ir fumar maconha é exatamente isso, só não concordo que na europa seja melhor, lá é a mesma m*rda com ciclista cabeludo correndo no meio dos pedestres achando que é um milagre que aconteceu na terra

      Excluir
  12. Aqui em brasilia também tem essa propaganda nos ônibus e nos relógios de rua. Também existem outras duas frases:
    Você seco em dia de chuva
    Vá todo dia na janelinha

    Danniel

    ResponderExcluir
  13. Cicloativistas dando "PITI" em 5,4,3,2,1....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk, pensei a mesma coisa!! Demorou pra aparecerem os ciclochatos por aqui...

      Excluir
  14. O que dizer de um jornal que hoje precisa se prostituir nas ruas (sim, em um monte de semáfaro tem vendedor oferecendo Gazeta como se fosse bala ou fruta) lançando já no sábado sua edição de domingo?
    Não me recordo da última vez que comprei uma, mas toda a vez que precisar embalar em papel algum objeto ou superfície me lembro das suas edições dominicais bem carnudas, perfeitas para a tarefa.
    Ao menos no que vejo, jornais impressos de forma geral estão apelando muito para sobreviver, sensacionalismo é água e quando o diferencial não é mais a notícia, só restam floreios e escândalos.
    E cuidado com o (agora certamente ex) prefeito Ducci, que nos bairros, antes das eleições, vinha "asfaltando" rua com meio milímetro de manta e obrigando os moradores a colocar faixas "agradecendo ao prefeito Luciano Ducci pelas obras realizadas em sua rua". Este é tralha.
    Menos mal que em um ponto nossa Ctba dá sinais de melhora: 50% de renovação do quadro de vereadores (contra os 20% em média anteriores) e prefeito mandado à escanteio já antes do 2º turno.
    Só não dêem ibope à Gazeta, jornaleco que não merece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em grau e número. Não conheço jornal mais tendencioso e superficial que a Gazeta do Povo.
      Um verdadeiro desserviço à população.

      À exceção das edições de domingo, muito úteis na feira...

      Excluir
  15. Outro dia vi um cicloativista com um cabelo comprido (bem engordurado por sinal - acho que para nao desperdicar agua, então nao lava) e com uma camiseta escrita "Não contribuo para o efeito estufa nem destruo a camada de ozônio"

    Pensei comigo (e perdoem-me os termos) mas um cara desses para preservar o meio ambiente devia mesmo era se suicidar, afinal o proprio fato de ele estar vivo ele já inspira O2 e expele CO2 igual um carro. E isso sem falar que o estômago desse infeliz produz gás metano análogamente as tão combatidas criações de bovinos na Austrália.

    Enquanto viermos no mundo do faz de conta e do politicamente correto, os grandes as verdadeiras questões mundiais serão relegadas ao segundo plano. É tudo uma enorme hipocrisia! Quem assiste Avenida Brasil? A mesma empregada doméstica (Janaína) mal tratada pela patroa é a mesma empregada que mal trata a faxineira de sua casa

    E viva a hipcrisia da classe média pseudo-intelectualizada e seus "jantares filosóficos" (nas palavras de Luiz Felipe Pondé)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sujeito solta pum, gás metano é 20 vezes mais nocivo que o gás carbono na contribuição de efeito estufa. E camada de ozônio? Automóvel não solta Cloroflorcarbonetos no funcionamento do automóvel. Esse sujeito que você viu com esses dizeres representa muito bem a idiotisse desses cicloativistas. Não sabem de porra nenhuma.

      Excluir
  16. Cicloativismo nao e coisa de classe emergente. É coisa de pessoas evoluidas, que prezam pela continuidade e melhoria do planeta.
    Sim temos os nossos direitos . As ruas e avenidas sao publicas e nao excluisvas a carros.
    Nao tenho carro, nao como carne vermelha e nao bebo e nao fumo. Prezo minha saude.
    Esse mundo motorizado de voces esta por um fio. Nao adianta tapar o sol com uma peneira.
    Acordem

    Faremos valer nosso direito sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, menos a parte que diz "pessoas evoluídas". Ninguém é mais evoluído que ninguém. Quem se acha diferenciado deveria consultar o psicanalista. Briguem por vias seguras. Te juro se tivesse uma via segura para vir trabalhar viria de bicicleta todo dia. Mas não dá, apesar de ser motociclista a mais de 20 anos não sinto segurança de pegar a marginal de manhã de moto.

      Excluir
    2. É zueira, né?

      Excluir
    3. Anônimo11/10/12 13:37,

      Deixa o cara, cada um tem direito de ser do jeito que é, desde que sua liberdade não atrapalhe a do outro.

      Excluir
    4. Melhor vc rever seu conceito sobre "pessoas evoluídas". Tua explicação descreve o "politicamente correto" - que é um hipócrita enrustido - e não o ser humano evoluído.
      Pessoas evoluídas melhoram o planeta propondo soluções inteligentes (permita-me usar de pleonasmo) para os problemas existentes - não apenas criticam um meio ou um padrão adotado.
      Sugiro que antes de dizer que o "nosso mundo motorizado esta por um fio", pesquise sobre as soluções alternativas e o movimento dos fabricantes de automóveis na busca por menor consumo e redução da emissão de poluentes. E se é para radicalizar, uma bicicleta pode sim ser nociva ao meio ambiente (em menor proporção do que um carro aqui dou o braço a torcer). Ou os elementos químicos utilizados em sua produção (sistema de soldagem, tintas, graxas, manipulação de metal etc) são absolutamente isentos de agressão ao meio ambiente??
      Fora as pesquisas realizadas nas grandes cidades no mundo inteiro com o intuito de racionalizar o trânsito e melhorar (ainda mais em alguns casos) a qualidade do transporte público.
      SDS.

      Excluir
    5. Cara, pensei em te zoar, mas depois de ler "Nao tenho carro, nao como carne vermelha e nao bebo e nao fumo." eu fiquei com pena!

      Excluir
    6. Só falta dar o brioco pra ser mais evoluído.

      Excluir
    7. Não falei???

      hahahah

      Excluir
    8. Sr evoluido... acho melhor desligar seu computador pois a energia eletrica dele vem de usinas hidroeletricas que gastaram milhares de toneladas de co2 para serem construidas, alem do que toda a materia morta como arvores e animais que ficaram no fundo da inundação ao se decompor geram metano... há aproveita e joga fora seu celular pois essa bateria é extremamente nociva ao meio ambiente alem do que, tem um gasto de energia para ser contruida muito maior do que ela consegue armazenar durante toda a vida útil, o mesmo vale para qualquer tipo de bateria... pq voce nao implica com os navios que utiliza diesel de 500 ou mil ppm e polui muito mais do que qulquer carro... pq nao reclama das motos que poluem o dobro do que qualquer carro... na minha opnião isso tem um único nome Hipocrizia.

      Alessandro

      Excluir
    9. Alessandro, na verdade, isso não é apenas hipocrisia desses ecochatos. Na verdade é burrice mesmo.

      Excluir
    10. Anônimo11/10/12 13:23, Pois é, alguns dos piores ditadores da humanidade também não comiam carne vermelha, faziam exercícios regulares e só eram cruéis do modo que foram por considerar que eram mais evoluídos e que estavam escrevendo um futuro melhor...

      Excluir
    11. Ahhhh, conta tudo para a sua mãe, Anônimo 11/10/12 13:23!!!!

      Excluir
    12. Lorenzo Frigerio11/10/12 18:25

      E para terminar...
      - Desculpe, mas você tem CASPA?
      (essa foi pros mais velhos)

      Excluir
    13. Ok, ser evoluído. Não esqueça que carros, motos e ônibus desenvolvem muito mais velocidade na hora que for transitar entre eles.

      Excluir
    14. O sujeito é tão evoluído que não caga e não peida pra não agredir a natureza. Deve ter uma rolha naquele lugar.

      Excluir
    15. E faz o quê aqui no AutoENTUSIASTAS??

      Excluir
    16. Ai mamãe como eu sou evoluído, faço tudo que manda a cartilha da modinha. Voces cicloativistas que atrapalham o transito dos onibus, passam correndo pelos pedestres e que andam na contra mão e passando sinal vermelho (mesmo onde tem ciclovia, que acaba não sendo usada pois não dá pra barbarizar) são mesmo um milagre para o mundo, vão salvar ele mesmo. Inclusive pagam IPVA e impostos que contribuem para a melhoria da cidade e do transporte público

      Acho que além de não comer carne deveria também fazer só sexo homossexual, pois é coisa de gente evoluída e agora já se prepare pra última moda que é só comer coisas cruas. Ai Creide, tão bunitchu essas coisa moderna, dar o beleleu e cumer só pranta é coisa chique minina, de gentchi evoluída, vi na novela minina, deve ser verdadi

      Cicloativista é o motoboy ruim da classe média alta

      Excluir
    17. "Nao tenho carro, nao como carne vermelha e nao bebo e nao fumo"

      E ainda se diz evoluído. Não faz mais do que um boi!

      O ser humano só chegou a dominar esse mundo por causa de ser um caçador andarilho. Inventamos a roda (os carros são um aperfeiçoamento desta invenção), para facilitar o deslocamento de nossas tralhas. Inventamos a pecuária, e depois a agricultura, para garantir a forragem do gado em períodos de entressafra. Inventamos o fogo para cozinhar a carne e torná-la mais digesta.

      Olhe para de onde veio o ser humano antes de falar isso.

      Excluir
    18. Se tu não em carro faz o que aqui???

      Excluir
  17. Filipe Favoreto11/10/12 13:28

    Não sou cicloativista, nem autoativista nem mesmo pedestreativista. Porém a realidade é que nossas cidades não suportam mais tantos carros. Existem ciclistas abusados que atropelam pessoas (e até carros!) porém existem muito mais motoristas de carros nessa condição. As chances de você ser atingido por um péssimo motorista de carro são maiores do que por qualquer outra coisa, até mesmo do que bala perdida.

    Bob, acho que em alguns momentos você defende automóvel como se fosse uma parte do seu corpo. Desculpe a crítica, é apenas minha opinião que expresso neste espaço do blog. Não é preciso dizer que o trânsito caótico das cidades é culpa do excesso de carros. Já vi várias vezes você dizer que carros são parcela insignificante na poluição das grandes cidades, isso pra mim beira o absurdo. Mas tudo bem, respeito tua opinião.

    As pessoas hoje compram carros porque está muito fácil parcelar carro zero quilômetro, porque eles representam status e porque a maioria das cidades não oferecem transporte público de qualidade. Se teu argumento se pautasse na falta de qualidade do transporte público, Bob, aí sim daria para considerar teu argumento.

    Enfim, provavelmente vai chover respostas contrárias mas não mudo minha opinião. Em cidades despreparadas para um volume enorme de carros tem que prevalescer um meio de transporte mais eficiente, barato e menos poluente. Pelo menos para mim a qualdiade de vida é mais importante do que carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O comentário mais lúcido, realista e sensato até agora. Parabéns! Qualquer ativista-de-qualquer-coisa é um perigo em potencial da democracia.

      João Paulo

      Excluir
    2. Melhor comentário até agora. Só pensei ter lido "pederastivista"... rsrsrs..

      Excluir
    3. A Alemanha tem o dobro de carros e é vinte vezes menor em território que o Brasil. Quem ocupa espaço não são os carros, são as pessoas.

      Cientistas calcularam que o ego do cicloativista brasileiro médio ocupa mais espaço na rua que um Hummer e um F250 juntos.

      Excluir
    4. Filipe Favoreto11/10/12 14:24

      Perneta, como comparar as cidades planejadas e organizadas da Alemanha com as Brasileiras? Lá eles tem as melhores vias públicas e privadas do mundo e nós temos cidades que inflam sem planejamento, vias estreitas, sem infra-estrutura para a frota veicular que temos. E o que aconteceria se ainda mais carros fossem parar nas ruas?

      Alguns podem argumentar que deveríamos melhorar nossas vias, construir vários viadutos, etc. Entre nossa realidade e esse mundo perfeito existe um longo e complicadíssimo caminho e com certeza a solução por agora para isso não seria estimular mais carros nas ruas. Talvez nunca teremos a realidade alemã por aqui.

      Concordo com você à respeito dos ativistas, e pra mim o comentário do Luiz AG abaixo fala tudo sobre isso.

      Excluir
    5. Caro colega,

      Em vez de querer acabar com os carros acabem com os corruptos e melhorem a infraestrutura. Tudo se resolve e quem quer andar de carro anda, quem quer andar de bicicleta anda e quem quer andar a pé...também anda....

      Excluir
    6. Filipe Favoreto, na Alemanha existem cidades com ruas muito estreitas e centros onde não há ruas em que os pedestres e os carros dividem o mesmo espaço. O que mostro acima é que o problema não é de infraestrutura nem de excesso de carros, mas de educação.

      Excluir
    7. Perneta, o problema no Brasil É EXATAMENTE, falta de infraestrutura, excesso de veículos e falta de educação.

      João Paulo

      Excluir
    8. O japão vende-se muito mais carros que o Brasil, mesmo assim, as vias não são congestionadas de forma absurda que se encontra por aqui. E isso falando de um país minúsculo. Isso vale também pra alemanha. Excesso de carro não é o problema.

      Excluir
    9. O Japão tem um sistema de transporte público MARAVILHOSO. Lá compensa andar de metrô. Coisa inimaginável para os próximos 50 anos no Brasil.

      Excluir
  18. O problema do ativisto é que a partir de um momento para-se de defender causas justas e começam a defender seus próprios interesses, geralmente com ataque de ego. Acho que muitos aqui não diferem nada do ciclista em questão, só que ele defende as bicicletas e alguns os carros.

    Acho debilidade querer ir para o centro de São Paulo as 18h de carro num dia como o de hoje (vespera de feriado).

    Sou a favor do pedágio urbano no centro expandido, com claras isenções para pessoas com deficiência física que dirigem ou seus acompanhantes, cargas de pequeno porte ou realmente necessitadas.

    Deveriam melhorar o transporte público, criar bolsões de estacionamento para estações de trem e metrô mais periféricas, oferecer estímulos para o cidadão ir ao centro de transporte público nos horários de pico. Ônibus executivos para quem pode pagar a mais, bolsões de estacionamentos para motos e scooters de pequeno porte, permitido estacionar em "ilhas vazias" na calçada, com demarcações, como em cidades da Itália e Espanha.

    Sou usuário de carro, metrô, trem e moto. Na ordem, sempre que possível e válido transporte público, depois a moto e por último o carro, quando não vantagem para os outros.

    Infelizmente tenho usado o carro com certa frequência, se é que entendem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe Favoreto11/10/12 14:14

      "O problema do ativisto é que a partir de um momento para-se de defender causas justas e começam a defender seus próprios interesses, geralmente com ataque de ego. Acho que muitos aqui não diferem nada do ciclista em questão, só que ele defende as bicicletas e alguns os carros. "

      Aqui você falou tudo Luiz.

      Excluir
  19. É como disse Nelson Jobim, citando Nelson Rodrigues:
    "Ele dizia que, no seu tempo, os idiotas chegavam devagar e ficavam quietos. O que se percebe hoje é que os idiotas perderam a modéstia. E nós temos de ter tolerância"

    ResponderExcluir
  20. "O colombiano defendeu ainda que o poder público dificulte o uso do carro, para devolver a cidade às pessoas."
    Ou seja se deixar, irão implantar o autoritarismo total para que a população não utilize seus carros. Acho que o caminho não é dificultar, mas sim melhorar o meio de transporte público para estimular o seu uso. Como irão fazer isso? Oras, especialistas e consultores existem pra quê?? O que não quero é alguém determinando quando eu posso utilizar o meu carro. Isso quem decide sou eu.

    P.S.: que conta maluca é aquela na matéria que demonstra uma cidade com 2 milhões de habitantes - e uma região metropolitana de 3,2 milhões de habitantes - perdendo 14 milhões de usuários de transporte em 4 anos?? Não se vende tanto carro e tanta moto a ponto de tirar essa quantidade de passageiros do sistema público de transporte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe Favoreto11/10/12 13:46

      Este é o número total de passagens de ônibus urbanos que deixaram de ser compradas durante 4 anos.

      http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1261341&tit=Sistema-de-onibus-curitibano-perdeu-14-milhoes-de-usuarios-em-4-anos

      Excluir
    2. Ah sim, tens razão. Mas o que me intriga é que a matéria está intitulada erroneamente. Não se trata simplesmente da "perda de usuários", mas sim de passagens que deixaram de ser compradas, como vc bem explicou! Do jeito que está publicada, fica a sensação de título sensacionalista.

      Abraço.

      Excluir
    3. Perdeu porque o transporte público é precário, culpa disso da máfia que exis te no transporte público, pois quanto mais passageiro transportado por km rodado mais lucro.

      Excluir
    4. Em Montreal, ir ao centro da cidade de Carro é terrivel, os estacionamentos são caros, e os onibus são excelentes, assim como o sistema de metro.

      O cidadão deixa o carro na garagem por conforto e comodidade.

      Se eu tivesse um minimo de conforto e comodidade compraria um carro e ele ficaria na garagem. Mas como isso nao existe no sistema de trasporte publico brasileiro...

      Ou alguém aqui em sã consciencia gosta de andar num onibus com 80 (oitenta) passageiros espremidos dentro.

      Excluir
    5. Luiz AG,

      É exatamente isso. Sempre pensei: por que não posso eu mesmo sair com um ônibus ou uma van por aí pegando passageiros? Por que as linhas são exclusividade de UMA empresa?

      Excluir
    6. "Ou alguém aqui em sã consciencia gosta de andar num onibus com 80 (oitenta) passageiros espremidos dentro."

      80 é pouco, normalmente enfiam 150 em lugar que cabe 45.
      E mais, ônibus fedido feito suvaco e pum, com gente mal educada te chingando, acotovelando, pisando no seu pé e te encochando, FUNK no último volume, gente gritando no busão, motorista que pensa que tá dirigindo um carro de Rally freando e acelerando e trocando as marchas de forma bruta, ônibus que não pára no ponto certo, ônibus que demora pra chegar, ônibus que demora pra sair do terminal,(não dá pra FAZER COMPROMISSOS COM ÔNIBUS), furto é constante, vendedor ambulante te enchendo o saco pra você segurar as balinhas...esqueci algo mais?

      Quem defende transporte público é porque não usa ele todo dia. Pura hipocrisia.

      Excluir
    7. Anônimo das 16:24
      Tá certo que transporte coletivo no Brasil, de um modo geral é ruim, mas em qual cidade você vive? Sodoma? Gomorra? Aqui na minha a coisa não é tão caótica, não.

      João Paulo

      Excluir
    8. Anonimo das 22:37

      Eu é que lhe pergunto: Em que cidade você vive? Essa "bricandeirinha" de Sodoma e Gomorra seria uma brincadeira se não fosse verdade em algumas capitais como São Paulo, especialmente na periferia.

      A coisa era tão medonha que chegaram a fazer (em trens da CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), alguns anos atrás, os vagões das mulheres e o vagão dos homens. Acho dispensável explicar o porque...

      Não sei se ainda existe mas que fizeram, fizeram.

      Excluir
    9. Anônimo11/10/12 22:37, realmente, você não conhece a realidade da periferia de São Paulo. Na hora do rush, o Anônimo11/10/12 16:24 descreveu a realidade muito bem.

      Excluir

  21. Acho engraçado que os comentários só reforçam a origem do problema de trânsito no Brasil: falta de educação, de respeito aos outros e nenhum senso comunitário.

    O usuário de carro odeia o ciclista que odeia o dono de carro, e ambos odeiam os pedestres que odeiam todo mundo, cada um achando que a sua maneira de locomover-se deve ser a prevalente.

    Com esse tipo de mentalidade não há possibilidade alguma de convivência.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe Favoreto11/10/12 14:30

      A 50 anos atrás isso foi muito bem mostrado no desenho do Pateta.

      http://www.youtube.com/watch?v=456jSW3jZjo

      O ser humano é assim não só no trânsito mas em todos os aspectos da vida.

      Excluir
  22. Sério que eu não entendi essa propaganda?

    "Sinta saudades do ônibus"

    Quando li isso imaginei, será que o carro é tão ruim assim para quem comprar sentir saudades de andar de ônibus?
    Propaganda ao contrario essa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado, também pensei nisso. Não será (mais)um tiro no pé da VW?

      Excluir
    2. Carlos Grossi e Braulio
      No primeiro momento pensa-se realmente nisso, mas depois adquire outro sentido, o de nunca mais se precisar andar de ônibus, a ponto de até dar saudade daquele tempo. Achei a mensagem bem-bolada e sutil.

      Excluir
    3. Tão sutiu que 90% das pessoas não vão entender.

      Excluir
    4. Sutil, corrigindo.

      Excluir
    5. Bob, veja como essa propaganda suscitou uma avalanche de críticas, provavelmente vindas de quem não percebeu a ironia da frase. Nossa sociedade politicamente correta não aceita tais sutilezas. Se detiveram na interpretação mais simplória e alguns ficaram até ofendidos.
      A sua explicação me lembrou quando temos que explicar uma piada...

      Excluir
    6. Propaganda boa de carro é aquela que mostra...o carro! É aquela que mostra paixão, não esses lixos que só mostram historinhas nada a ver ou frases dúbias.

      Excluir
    7. Achei irônico uma propaganda no táxi para adquirir um produto que "rouba" os clientes do taxista. Meio que um tiro no pé...

      Excluir
    8. Achei irônico uma propaganda no táxi para adquirir um produto que "rouba" os clientes do taxista. Meio que um tiro no pé...

      Excluir
  23. Querem que a população utilize o transporte coletivo? Que tal o poder público parar de puxar os saco dos empresários do setor de ônibus (que financiam campanhas políticas...) e exigir transporte público de qualidade?

    Se tiver metrô ou ônibus rápido e confortável como o carro, o povo migra sozinho sem necessidade dessas campanhas hipócritas. Mas não, tem que ter o mínimo de ônibus possível pra andar lotado como sardinha em lata e o ônibus tem que ser do mais barato possível pra garantir o gordo lucro do empresário financiador da campanha, o povo que vota que se lixe...

    Agora acham que com uma campanhazinha dessa o cara vai trocar o conforto do carro que o deixa no trabalho em 20 minutos por um ônibus velho, barulhento, lotado e quente que leva 1h30 pra chegar? Tão de sacanagem com a nossa cara, não é?

    E depois ainda culpam pelo trânsito o povo que se afunda em dívidas a perder de vista pra conseguir comprar seu carrinho. Será que esses governantes tacanhos não se tocam que o cara que compra o carro quer se livrar dos ônibus de m**** que são oferecidos à população?

    País rico não é o país em que até o pobre tem carro, mas sim aquele em que até o rico usa o transporte coletivo. Enquanto isso não acontece, iremos trabalhar de carro, obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo caro colega!

      Excluir
    2. É isso aí Carlos, quando posso usar um ônibus onde viajo sentado e sem calor, o carro fica em casa.

      Se não dá para ser assim, vou de carro e moto. E quanto mais gente tiver acesso, melhor.

      Uma solução paliativa seria compartilhar mais o carro, se na média, cada 2 carros levassem mais um passageiro (carona para um vizinho, por exemplo), já haveria uma redução considerável de carros nas ruas.

      Excluir
    3. Concordo!! Transporte público decente é a única solução para os problemas de mobilidade das grandes cidades.

      Nada contra as bikes, mas não são elas que irão salvar o mundo.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Nunca vi a prefeitura se importar com o transporte público da minha cidade. Aonde moro um grupo famíliar é dono de todas as empresas de viação da região há mais de 30 anos. Não existe concorrência, não há novas rotas e as que existem só andam no eixo norte/sul, não há como saber por onde as linhas passam pela cidade pois não existe suporte ao usuário.

      Os ônibus são os modelos mais baratos que alguém pode comprar, fraco e barulhento, é insuportável para quem está dentro e fora dele.

      Excluir
    6. Marilia e Garça são cidades com industria e entre elas existe uma chamada Vera Cruz, praticamente uma cidade dormitorio.

      O sistema de onibus que integra as duas cidades é precario, onibus quebrando no meio da estrada e geralmente trafegando numa RODOVIA ESTADUAL DUPLICADA com 80 passageiros dentro, entre sentados e em pé, que se expremem por todos os lados, alguns, viajando encostados na porta de saida.

      Isso o DER, Policia Rodoviária Estadual não vê. Aliás os Rodoviários acham mais comodo ficar com os radazinhos "secadores de cabelo" multando os incautos que trafegam a 100km/h num trecho arbitrariamente reduzido para 80km/h

      Excluir
    7. Concordo plenamente, meu caso ando 12km para ir trabalhar aqui em bh. de carro gasto 15 minutos para ir e 25 para voltar (a prefeitura nao consegue fazer um maldito viaduto que reduziria a viagem em uns 5 km. pego a via expressa e acabou, no final do dia a conta com manutenção do carro e todos os custos uns 7 reais.

      para ir de onibus, demoro cerca de 45min para ir e 1 hora para voltar. a conta? 7 reais, por que como contagem que é praticamente um bairro de bh é outra cidade o onibus custa o dobro, me desculpem os ecoativistas mas nao troco meu silencio, ar condicionado e nao ter que aguentar os funkeiros que nao descobriram para que serve o fone de ouvido pelo meio ambiente, se fizerem um onibus confortavel rapido e com um preço menor... ai penso no assunto...

      Alessandro

      Excluir
    8. Carlos Maurício
      Para mim o pior nos ônibus urbanos e metrô/trem é poder haver passageiros de pé. Uma das boas coisas dos lotações no Rio era justamente só levar passageiros sentados.

      Excluir
    9. Continuando
      Uma coisa inadmissível nos ônibus e microônibus atuais é a largura dos bancos. Já notaram como são estreitos? Duas pessoas de peso normal não têm como se acomodar. Uma pessoa mais cheinha ocupa praticamente o banco todo. Não era assim antes, lembro-me que era bancos de largura suficiente para duas pessoas. E abomino também a condução. Ou o cara não sabe usar câmbio e vai dando tranco a viagem inteira, ou se é robotizado, estou para ver um com escalonamento certo. É uma coisa de doido, tudo errado. Há casos de close-ratio mais close do que num Fórmula 1 em algums marchas e 4+E em outras, de tão espaçado. Acho que poucos aqui chegaram a andar no ônibus GM dos anos 1950, era outra dimensão. Que confotto e que silêncio, como o câmbio automático de duas marchas era conveniente.

      Excluir
    10. Bob;

      E os onibus com porte e mecanica de onibus grande e comprimento de microonibus que agora andam frequentando os bairros de São Paulo? Só servem para encher rua...

      Excluir
    11. Bob, os GM dos anos 50, como os da linha 109 - Malvino Reis-Ipanema, por exemplo? Saudades daquele tempo!
      Fabio.

      Excluir
    12. Fabio
      Isso mesmo, nem me lembrava, 109 - Malvino Reis-Ipanema! Que legal você invocar a linha! Eram cinzas. E põe saudade nisso!

      Excluir
    13. Lembrem-se também do monte de ônibus que tem aqui em Sp feito em chassi de caminhão, com aquele motorzão na frente deixando o motorista e os passageiros surdos, além de atrapalhar a entrada, já que ele fica no meio do caminho...

      Excluir
  24. Lorenzo Frigerio11/10/12 15:17

    Publicidade, em qualquer lugar ao ar livre, é um saco. E essa publicidade em vigia de carro é igual a insulfilm "saco preto". Você não enxerga o trânsito à frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem observado! E o Bob, tão contra o "saco preto", o que diz sobre isso?

      Excluir
    2. Anônimo 11/10/12 15:38
      Essas películas de anúncio permitem certa visibilidade para dentro do carro, ver através, como se pode ver na foto do post, mas no que eu bato mesmo são as películas que prejudicam a visibilidade de condução aplicadas no pára-brisa e vidros laterais dianteiros.

      Excluir
    3. Eu não gosto dessas películas de propaganda no vidro traseiro por gerarem uma poluição visual medonha! Neste ano então, com muitos colocando propaganda de candidatos a eleição...

      Excluir
  25. Lorenzo Frigerio11/10/12 15:20

    Alguém aí, de São Paulo, lembra do ônibus "Executivo"? Eu o tomava muito para ir ao colégio no Morumbi, nos anos 70, aos sábados, quando a condução da escola não funcionava. O RJ também tinha o seu "Frescão".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo;

      No final da decada de 80, inicio de 90 existiam "Onibus Executivos" rodando em São Paulo. Muita gente usava os Executivos para ir até o Aeroporto de Congonhas a partir da região da Paulista.

      Excluir
  26. Aqui no Brasil, qualquer cidade com 1 milhão de hab. ou mais é uma droga.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  27. O pedreiro amigo que sempre faz serviço pra gente sempre foi cicloativista... mas ninguém nunca abriu ciclofaixa pra ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem ativista e nem ciclista! Ele era bicicleteiro, ou melhor, andava de bicicleta. Nem se importava com a causa, nem se fantasiava pra andar. Feliz o tempo em que a gente vivia sem tantos rótulos.

      João Paulo

      Excluir
    2. "Feliz o tempo em que a gente vivia sem tantos rótulos"

      João Paulo, concordo 100%!!

      Excluir
  28. A verdade é que quem defende o transporte coletivo em cidades brasileiras anda de carro com ar condicionado...

    ResponderExcluir
  29. Lembrei da propaganda da antiga Viação Samavisa: "Quer ir pra Santos? Vá de ônibus".

    ResponderExcluir
  30. Ônibus fedido feito suvaco e pum, com gente mal educada te chingando, acotovelando, pisando no seu pé e te encochando, FUNK de celular no último volume, gente gritando no busão, motorista que pensa que tá dirigindo um carro de Rally freando e acelerando e trocando as marchas de forma bruta, ônibus que não pára no ponto certo, ônibus que demora pra chegar, ônibus que demora pra sair do terminal,(não dá pra FAZER COMPROMISSOS COM ÔNIBUS), furto é constante, vendedor ambulante te enchendo o saco pra você segurar as balinhas, motoristas que arrancam sem piedade com os mais velhos em pé...esqueci algo mais?

    Quem defende transporte público é porque não usa ele todo dia. Pura hipocrisia.

    ResponderExcluir
  31. Cadê o Pisca pra vir aqui escrever que lá na roça é melhor??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Pisca e sempre do contra.
      Na hora que precisa falar fica calado.
      Quando e para ficar quieto fala mais besteira e groselha que papagaio de circo

      Excluir
  32. Faz falta metrô no Brasil...

    Ônibus ocupa mesmo espaço dos carros e bicicleta só serve para uma pequena parcela da população em uma pequena parcela do tempo.

    Mas como construir metrô dá trabalho, melhor demonizar os carros dizendo que eles são os culpados (e não as vítimas) dos problemas de trânsito das capitais brasileiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ter um carro nos dias de hoje é uma benção e uma maldição.

      Excluir
  33. Tanto que nas eleições em São Paulo - terra do Bob - optou-se pelo continuísmo.

    Ou seja, material para mais posts como esse por pelo menos mais 4 anos e probabilidade de gastrite no Bob por passar "nervoso".

    ResponderExcluir
  34. Extremamente lamentável que uma empresa renomada (não interessa por quais motivos) tenha a coragem de pagar um valor certamente expressivo a uma agência de publicidade, certamente também renomada (hoje não sei, antigamente quem fazia a publicidade da VW era a W/Brasil) por um anúncio desse calibre.
    Lembrando ainda que esse tipo de publicidade vai contra os Artigos 111 e 230 do Código de Trânsito Brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CSS
      Leia o Inciso II e o Parágrafo Único, não constitui infração a dita publicidade. Faltou você explicar por que a indignação com anúncio.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Bob.
      O Parágrafo Único do Art. 111 menciona que "...É proibido o uso de inscrição de caráter publicitário ou qualquer outra que possa desviar a atenção dos condutores em toda a extensão do pára-brisa e da traseira dos veículos, salvo se não colocar em risco a segurança do trânsito..."
      Aí é que entra a minha colocação, quem é que define ou que critérios são usados para definir o que coloca ou o que não coloca a segurança do trânsito em risco? Pois se para você não coloca em risco, para mim pode ser que sim e assim por diante. Ou seja, é um julgamento subjetivo. Pense comigo, colocar um anúncio com letra miúda, um valor e um telefone afixado num objeto que se movimenta? Estranho. Muito mais estranho do que a mensagem enigmática e subjetiva que o anúncio traz. Não precisa concordar comigo, mas que na minha opinião a peça publicitária é de péssima qualidade, isso é. Não sou expert em publicidade, longe de mim, mas a maioria do público-alvo também não é. Por isso mesmo me dá a impressão que uma propaganda do tipo "Beba Coca-Cola", na simplicidade de seu imperativo, tem muito mais efeito. Mas é só uma opinião.

      Excluir
    4. CSS
      Veja, se o órgão municipal que administra ônibus e táxis, a URBS, autoriza, e a autoridade trânsito local, pelos seus agentes, não coíbe, é porque não constitui perigo. Mas propaganda é assim mesmo, muitos anúncios geram polêmica.

      Excluir
  35. Essa campanha publicitária é burra: "Sinta saudades do ônibus" siginifiva que andar no carro da propaganda é tão ruim que o motorista vai sentir falta do ônibus. Ou estou enganado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JT
      Tenho certeza de que andar num Gol ou outro carro qualquer a pessoa nunca mais vai querer andar de ônibus. Vai é dar saudade dos velhos tempos... propaganda boa é a que gera discussão, o que está ocorrendo agora com relação a essa.

      Excluir
    2. Me perdoe, não culpe a falta de inteligência da propaganda. O problema está em você...

      Excluir
    3. É legal ser questionado por um anônimo, não é mesmo? A gente usa sigla, tudo bem (e é assim que meus colegas de trabalho me chamam) mas deixamos os nosso site linkado para quem quiser ver. É muito fácil apontar problemas nos outros sem se expor.
      Mas em todo caso, a propaganda surtiu efeito e nisso concordo com o Bob Sharp. Já andei muito de ônibus coletivo antes de ganhar um Fusca 1972 de meu pai, que era uma carrão para mim, aos 19 anos. Ia para a faculdade com ele. Mas de vez em quando deixava o carro na garagem e matava a saudade do ônibus, não exatamente do ônibus, mas das colegiais que andavam nele. Era perito em oferecer meu lugar para alguma menina sentar. Isso é legal quando você faz de vez em quando, mas pegar ônibus diariamente é como passar pelo purgatório antes da hora.

      Excluir
  36. Estou perplexo com a discussão que gerou a propaganda.
    Será que as agências de publicidade só podem criar frases mastigadas ("Beba Coca-Cola"), pois exigir um pouquinho mais, excede?

    ResponderExcluir
  37. Ânus Arregalado11/10/12 19:40

    Parabéns Bob pelo ótimo post! Falta discernimento nas autoridades hoje em dia, não há análise ou interpretação das coisas em contexto "imparcial", sem interesses.

    ResponderExcluir
  38. Ânus Arregalado
    Obrigado. Mas não podia ter arranjado outro pseudônimo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha.... é verdade!!!!!! O apelido comprometedor...

      Excluir
  39. Interessante artigo, Bob.
    Polêmica à parte, analisando bem o painel publicitário, deduzo que seja uma propaganda do Consórcio Nacional Volkswagen - claro que o bem, ou seja, o carro, vem atrelado ao consórcio. Parece-me que a frase em destaque tem muito mais uma função de "mote" para atrair a atenção do público do que o objetivo de ofender ou, ainda, de incentivar o aumento da já inchada frota de automóveis particulares nas grandes metrópoles (e cada vez mais nas pequenas cidades).
    Permito-me fazer uma analogia às propagandas de cigarros, que igualmente se utilizam do imperativo - "Fume Marlboro" - mas não necessariamente incitam o vício a quem não o tem. Acho que se quer dizer, "fume Marlboro ao invés de fumar Derby", sem necessariamente ter o objetivo de induzir ao fumo. Tal qual a Coca-Cola, beba Coca-Cola e não Pepsi.
    O anúncio do consórcio me parece seguir a mesma linha, ou seja, faça um consórcio VW e não um da GM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 11/10/12 23:17
      Visão interessante essa sua, tem toda razão no tocante à mensagem.

      Excluir
    2. Onde eu assino?!?!?!

      Muito bem colocado mesmo!!!!

      Excluir
  40. Bob,

    Engraçado se revoltarem com o anúncio do carro, mas não com o do cartão de crédito que vc usou de exemplo na outra foto.

    O Cartão de Crédito sim é que é uma verdadeira desgraça na mão da maioria da população brasileira que não possui uma educação financeira adequada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pela observância.
      Está corretíssimo.

      Excluir
    2. De fato, pagar mais de 12% de juros ao mês, para inflação oficial de menos de 8% AO ANO, é simplesmente absurdo! Isso sem contar a anuidade, taxa para inserir pagamento de contas no cartão de crédito, entre outras taxinhas camaradas...

      Excluir
  41. Anônimo 12/10/12 00:55
    Bem observado, isso mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Percebi somente agora.
      Você esqueceu o "S" de saudades.
      Note que a grafia correta é "Sinta saudades".
      Ok?

      Excluir
    2. CCN
      Eu estava esperando pelo primeiro que fizesse esse comentário. Não foi esquecimento. No caso é no singular mesmo por, se referir a uma determinada coisa, a um determinado fato, o ônibus. A primeira frase de "Saudade da Bahia", do imortal Dorival Caymmi, é um bom exemplo, que se repete várias vezes na maravilhosa canção. Mas obrigado por se preocupar e alertar.

      Excluir
    3. Fui pesquisar no Google e descobri que já se escrevia "parabém e pêsame" usados no singular, mas que caíram em desuso.
      Mas nada mudou quanto à “saudade, ciúme e felicidade”.

      Valeu!

      Excluir
  42. Legal o jornalista defender o uso de ônibus urbano em detrimento dos carros. Como muitos já comentaram à exaustão, a qualidade do transporte público brasileiro seria risível não fosse trágica. E o que reduz trânsito nas ruas é transporte por trens ou metrô, jamais ônibus urbano.

    Eu usaria transporte coletivo numa boa, deixando o carro para lazer somente, caso pudesse andar com um mínimo de conforto, não tivesse que esperar "anos-luz" pela condução, não "socassem" gente dentro do veículo até quase sair pelas janelas...

    ResponderExcluir
  43. Duvido que o jornalista em questão use o "busão" diariamente, aposto que deve usar um carrão prata/preto.
    Passei a minha infância, adolescência e mais alguns anos trabalhando e recebendo esporro para comprar um carrinho 1.0 litro e depois quando compro aparecem pessoas, que desconheço o nome, que falam sem argumentar que carro é o câncer da sociedade e que todos devemos usar o péssimo transporte público? Faça-me o favor de rever os seus conceitos.

    Enquanto isso, no DF o Museu do Automóvel de Brasília está de portas fechadas...

    ResponderExcluir
  44. Quem vê pensa que os ônibus de Curitba andam vazios e as empresas com um prejuízo danado com a perda constante de usuários do transporte coletivo para os carros... parece piada mesmo...

    Quem escreve uma coisa dessas provavelmente andou de transporte coletivo urbano pela última vez há no mínimo uns 30 anos atrás...

    ResponderExcluir
  45. oskrmarinho12/10/12 11:18

    Oli!

    Moto polui menos porque não para em congestionamento! Você já parou prá analisar porque não pára? Te respondo, se é que não sabes; não pára, porque trafega irregularmente entre as faixas dos carros, batendo ou até arrancando retrovisores dos mesmos, riscando os cantos dos paralamas dos automoveis com as caixas descomunais que carregam,deixando todos em sobressalto com as manobras suicidas, com o avanço em cima das calçadas, com as ultrapassagens pela direita com a faixa já ocupada por um carro, ou pela esquerda, estando esta faixa também ocupada; não pára, porque não respeita faixa de pedestres; só não passam por cima dos carros porque ainda não conseguem saltar sobre eles, mas falta pouco para que o façam; não pára, porque não obedece à legislação, pois dobram as placas para cima, evitando a identificação; não param, porque são m a r g i n a is, com as poucas exceções existentes!

    ResponderExcluir
  46. Carlos Cwb12/10/12 15:14

    Quanto mais carros, mais motoristas despreparados, mais multas.
    Essa é a perspectiva da URBS, uma arrecadadora que já faz parte da comissão de orçamento da prefeitura de Curitiba.

    ResponderExcluir
  47. oskrmarinho13/10/12 12:21

    Entre outras piadas bastante próprias do Brasil, o transporte público é uma das mais recorrentes; piada de mau gosto, por sinal, porque não consegue fazer ninguem rir; seja em Curitiba, São Paulo, Rio ou em qualquer outra cidade, é incrível o desrespeito ao usuário que dêle faz uso. As pessoas são transportadas em caminhões travestidos de coletivos, a maior parte em pé, espremidos e se roçando, sujeitas aos trancos e balanços de uma condução irresponsável e para cujo acesso enfrentam-se filas, brigas e muitas vezes quedas, tanto para subir como para descer do malfadado coletivo; transportam-se pessoas em condições piores do que gado, pois para esses animais há limite de lotação nos caminhões, enquanto que para pessoas não há esse limite, apenas vão se socando umas por cima das outras até que o menor espaço fique ocupado; cintos de segurança nem previstos são em legislação, já que não há como prende-los ao corpo, senão pelo pescoço, e aí teríamos câmaras de execução coletiva a cada freada mais brusca. Quase me esquecia dos assaltos a que ficam sujeitos os passageiros, pois vez ou outra são convidados a contribuirem, com seu pouco dinheiro, para a caixinha dos bandidos, que costumam agir com a absoluta impunidade que o poder público permite, através da sua omissão. E depois de toda essa constatação, que é conhecida, mas ignorada pelos governantes, surgem as campanhas imbecis incentivando o uso de bicicletas e do amaldiçoado transporte coletivo, tentando fazer crer aos desavisados, que usuários de carros são pessoas politicamente incorretas que se preocupam somente com seu próprio bem-estar. Gostaria de ver um desses politicos usando transporte coletivo pelo menos durante um só dia, sem as regalias de tratamento que julgam merecer, para que entendessem a dura realidade à qual é forçada a população.Continuo sem a menor esperança de mudanças e tolo é quem crê nessa canalha que nada faz para mudar essa calamidade!

    ResponderExcluir
  48. oskrmarinho
    Comentário perfeito, o seu. Fora o que você disse, há ainda a ameaça de bandidos atearem fogo nos ônibus, nào raro com mortes, uma verdadeira guerra civil que poucos se dão conta que está ocorrendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poucos se dão conta porque a imprensa tucana não esclarece a população que o (des)governo do estado de São Paulo está perdido.

      Excluir
  49. E ainda sobre os cicloativistas... nenhum deles apareceu para defender o matemático Oswald de Souza, vítima de atropelamento por uma bicicleta que quase o deixou paralítico:

    "Conhecido por cálculos que deixam milhões de torcedores ansiosos em todo o País — os que ditam as chances de título ou rebaixamento de times de futebol — o matemático Oswald de Souza viu nos últimos meses uma alteração em números que dificilmente mudam: os de sua altura.

    Ele ‘cresceu’ cinco centímetros e meio depois de delicada cirurgia para retificar uma fratura na coluna, que ameaçava até deixá-lo paralítico, conforme contou ontem com exclusividade a coluna ‘Informe do Dia’.

    O matemático de 67 anos foi atropelado em junho por bicicleta no Flamengo. Por sete dias, não conseguia nem se deitar devido às dores. Uma tomografia revelou fratura numa vértebra entre a coluna torácica e a lombar.

    Os médicos constataram a necessidade de estabilizar a coluna com uma prótese de aproximadamente 25 centímetros com hastes e parafusos de titânio. “A operação tinha que ser feita o quanto antes, para reduzir riscos de sequelas permanentes”, contou o ortopedista responsável pela cirurgia, Luiz Schettino.

    Oswald já tinha desvio na coluna por espondilite anquilosante, doença que “cola” as vértebras. Por causa disso, tinha o corpo cada vez mais curvado para a frente e teve a altura diminuída de 1,74 metro para 1,64 metro e meio centímetro. Schettino e sua equipe aproveitaram para reparar o desvio, o que provocou o ganho na altura de Oswald. Assim, o matemático mede agora 1,70 metro.

    Apesar de mais alto e com melhor postura, ele lembra com pesar das horas antes da operação e faz um apelo. “Nunca imaginei que sentiria tanta dor. Bicicletas são meio de transporte limpo e importante para as cidades, mas apelo para que os ciclistas observem o trânsito com cuidado e suas obrigações”, pede."

    http://odia.ig.com.br/cm/2.167/cienciaesaude/matem%C3%A1tico-mais-alto-ap%C3%B3s-cirurgia-1.498289

    ResponderExcluir
  50. oskrmarinho15/10/12 19:45

    Revoltante é saber que bicicletas, que também podem causar acidentes fatais, não são identificadas por placas, como os demais veiculos; assim, ou o ciclista causador do acidente é apanhado no flagrante, ou simplesmente escapole quando também não sofre danos, até porque pouquissimas são as pessoas que assumem responsabilidade ao causar acidentes; aqui na Fortaleza de N. Sra. da Assunção, vemos ainda o absurdo de ciclomotores sem placas, conduzidos por marginais irresponsáveis (olha a redundância), avançando sinais fechados e atropelando pedestres menos avisados, em cima da faixa, como já presenciei, no caso, uma senhora de idade avançada, que por sorte sofreu apenas escoriações leves; confesso que minha revolta foi tão grande que persegui os dois vagabundos que estavam na "mobilette" e ao alcançá-los dei-lhes uma trancada com o bugue que conduzia, e não houve outro remédio para os tais, senão baterem no fio de pedra da calçada, danificando a porcaria que usavam e sofrendo também pequenas escoriações, além de receberem um sermão bem passado por mim, que prá azar dos irresponsáveis, nesse dia não estava muito preocupado com as possíveis consequências da minha atitude; à parte o risco que corrí, inclusive de causar danos mais graves ao elementos (depois de esfriar a cabeça é que caí na real), acho que, afinal, valeu a pena e talvez a lição tenha servido a êles.

    ResponderExcluir
  51. Não li todo o texto, muito longo e chato. Mas já estou de saco cheio de cicloproselitistas.
    "Você consegue ir para o trabalho de bike? Parabéns. Good for you. Agora sai da frente do meu carro, pois eu trabalho a 40 Km de casa, tenho um mangue e uma baía para cruzar, e a alternativa são QUATRO ônubus!"
    Se esses pentelhos querem defender transporte público, defendam o transporte ferroviário. São os primeiros a falar sobre tolerância, mas nunca vi motorista protestar contra bicicleta. E olha que estamos ficando cada vez mais apertados nas ruas por conta de ciclovias "para inglês ver"!

    ResponderExcluir
  52. O AUTOentusiastas é um excelente blog quando se trata de assuntos técnicos. Quando resolve filosofar sobre o que acha que é "a maior expressão de liberdade individual" erra feio. Lamentável!

    ResponderExcluir
  53. Anônimo 18/10/12 10:13
    "Filosofar" faz parte da nossa pauta. O blog é nosso e falamos do que bem entendermos, goste você ou não. E o automóvel é, sim, a maior expressão de liberdade individual. Por acaso você conhece outro meio de transporte que rivalize com o automóvel nesse tipo de liberdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço. Tenta chegar com um automóvel onde se chega com um cavalo.

      Excluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...