Google+

11 de fevereiro de 2009

CHEVETTE + OPALA = CHEPALA


O post recente do Bob sobre o Chevette-Lotus me trouxe memórias variadas sobre o carrinho. Na verdade, mais do que memórias, me peguei pesquisando Chevettinhos a venda na web, um esporte que há tempos não praticava.

Foi aí que me deparei com isso:

http://www.webmotors.com.br/webmotors/carro/usado/chevrolet-chevette-1.6-sl-8v-gasolina-2p-manual/4061640/detalhe.wm

No início dos anos 90, fiz uma visita à oficina "Suspentécnica", aqui em SP, com vistas a melhorar o já excelente comportamento em curvas do meu Chevette 89 preto. Lá conheci o carro acima, do dono do estabelecimento.

Durante os anos 80 e início dos 90, essa conversão era relativamente popular. Hoje em dia sabemos que existe uma série de opções melhores (VW AP, V-6 de Blazer, até V-8 Chevrolet small-block), mas naquela época as coisas eram mais difíceis... E este carro é provavelmente o melhor do seu tipo.


Mas não podemos esquecer que Chevettes 250-S sempre foram uma coisa tola: sumia a ventilação interna (seu espaço era tomado pelo motor), o motor acabava praticamente embaixo do painel de instrumentos, o câmbio ia parar lá atrás, a alavanca ficava que nem de Gol AP, os pedais todos amontoados para o lado esquerdo, motor pesado, alto pra caramba, comprido, fazendo horrores com a distribuição de peso do carro....uma lambança total. O pobre Chevettinho era literalmente empalado pela "linguiça" de 4,1 litros.

Na época eu queria mesmo um Chepala de 4 cil, muito mais fácil e lógico. Legal mesmo seria um com a conversão para 3 litros que havia disponível. Eu cheguei a fazer um 2,5 litros "on a budget" com amigos, incentivado pela leitura da saudosa revista Motor3, que publicou a "receita" , mas isto é história para outro dia.

Mas voltando ao carro em questão, o sujeito que me mostrou esse aí naquele longínquo dia, me explicou tudo que tinha sido feito para fazer o bicho curvar, e não foi pouco. Não lembro de detalhes, mas lembro de imaginar que fora gasto uma insanidade de grana naquilo. E a oficina ganhava a vida acertando suspensões, então... Se você, como eu, tem tara por Chevettes e uma queda por "old hot rods", a atração é óbvia.

Mas, 35 mil? Chevettes não podem custar isso. Ainda mais algo desse tipo, que hoje toda lógica manda ignorar. Não passa de uma curiosidade.

Mesmo eu, que me atraio por isso por maluquice e falta de medicação, nunca pagaria nem metade do preço pedido.


MAO

34 comentários:

  1. Marco Antônio,
    Num dirigi nada com motor 2,5-L aumentado para 3-L, mas o José Luiz Vieira (Motor3) me disse na época que para acomodar o virabrequim de curso maior era necessário usar bielas mais curtas. Ele disse que ficava bom, mas tenho dúvidas.

    ResponderExcluir
  2. Possuo a referida revista. Ótima publicação se comparada a muito dos "textos" publicados atualmente. Ótima época donde outrora eu nem sequer sabia escrever, mas graças a meu tio, hoje deleito-me apreciando lançamentos de carros que hoje são clássicos.

    []'s

    ResponderExcluir
  3. Três amigos meus tinham chepala 2, 5 l e o que me impressionava era facilidade e rapidez com que a adaptação era feita. Lembro-me de dirigir um e a surpreendente facilidade de andar de lado, mesmo sendo um carro pouco conhecido por mim. Mas, se eu tiver errado, por favor me corrijam: O carro tinha muito torque, mas de potencia não era grandes coisas. Eu tinha um voyage ap 1.6 alcool e andava na frente deles. Sorte?

    ResponderExcluir
  4. Bob,

    vc já dirigiu sim um opala Comodoro 1990 2,5 L aumentado para 3L na Revista Oficina Mecânica, obra da Martins Perfomance, se não me engano a matéria era assinada pelo Cláudio Carsughi e um box com sua avaliação...

    ResponderExcluir
  5. Thiago,
    Puxa, nem me lembrava disso! Vou procurar a matéria.

    ResponderExcluir
  6. Bob,
    a revista é do ano de 1992, tenho a edição em casa, vc avaliou que o carro era bom, apesar de manter a aspereza do 4 cilindros, mas tinha a frente mais leve do que o seis, com melhor comportamento em curva. Esse opala que vc testou tinha a caixa de marchas dos chevette de competição, em que a 1ª marcha atingia 60Km/h. A acelereção de 0-100Km/h foi feita em 9.7s em 1ª/2ª marchas com o regime de 5.700rpms.
    Eu sou o Thiago Amaral Barbanti, comunicávamos há tempos por e-mail, vc se lembra?Abraços. Muito bom o blog!!

    ResponderExcluir
  7. não acho muito elegante essa solução, realmente esse motor é um monstro pesado, e nao combina com o europeu levinho da decada de 70 que é o chevette, se o dono quer mesmo outra coisa embaixo do capo, creio que hoje em dia um "ecotec" encaixaria bem.

    ResponderExcluir
  8. Anonimo,
    O motor do opala 4 pesa apenas 30 quilos a mais que o do chevette. Eu duvidei e pesei para tirar a duvida, é isso mesmo. Na troca de motor nem em mola se mexe. Eu fiz pencas de chepalas, não muda nada. O V6 de blazer sim é mais pesado.Pouca coisa a mais que o opala 4, mas bem menos que um 4100 que é muito, mas muito mais pesado que o do chevette. O chevette com motor de blazer fica perfeito de altura com molas de opala 4 com 2 elos cortados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! E um motor Opala 4 aliviado? Tipo, todo o conjunto rotante aliviado, quanto será que se conseguiria diminuir em kg o peso total desse motor?

      Excluir
  9. Já viram Fusca V8 ? Depois dessa adaptação não duvido nada no mundo automobilistico . . .

    Joguem no Google e verao.

    ResponderExcluir
  10. Bob, Mao:
    O motor 3.0 existe original de fabrica feito pela propria GM e foi usado no Pontiac Fiero em um certo ano modelo. O motor 151 é brasil only. Nos eua a GM fez um 143 identoco aos nossos e o 151 eles, pontiac é outro motor. O nosso 151 tem curso de 3.000" com bielas 6.000" e diametro de pistões de 4.000". O 3 litros tem 181 polegadas, usa o mesmo pistão do 151, identico mesmo, com um eixo de 3.580" de curso e bielas de 5.700", que deixa o rod stroke ratio bem pior. O do 151 é igual a 2, e o do 181 é 1,592 que é já bem fraco, quase podendo ser chamado de ruim. esse motor é muito comum em uso nautico, e as marinizadoras o usam em aplicações de serviço ou barcos pequenos com centro/rabeta em utilizações modestas. Este motor vibra de verdade, se existe objeção ao 151 por conta de vibração, nem considerar o 181, que é muito pior. Esse motor me é bem familiar e eu já retifiquei alguns deles. Não são exatamente comuns, mas existem por aqui. O cabeçote é uma obra de arte se comparardo ao do 151, valvulas maiores, não me lembro agora com certeza se 1.94 e 1.50 ou 2.02 e 1.60 ou 1.94 e 1.60, mas os dutos são muito diferentes dos nacionais, o assoalho é muito mais alto gerando um melhor fluxo de gases. A furação de fixação dos coletores é identica a do 151, bem como os porticos de escapamento, os de admissão são mais altos, é possivel instalar um coletor qualquer de 151 nele e vai funcionar, mas os dutos vão ficar desalinhados na parte inferior e isso pode não ser muito legal para performance. Tem cerca de 140 cv liquidos. Como um ultimo detalhe curioso, ao contrario do 151, o diametro dos mancais moveis do virabrequim não são 2.000" std mas 2.100", e os de mancais fixos tem a mesma medida e é posivel montar um 181 usando bronzinas de mancal de 151. As de biela são as memas dos L6 292 e dos small blocks de 68 em diante.

    ResponderExcluir
  11. Leonardo,

    Fusca V8 não é adaptação, é colocar uma carroceria de fusca sobre um chassis fabricado com um motor V8 dentro. Adaptação é mais ou menos apenas tirar um motor e por outro no lugar. A não ser que fosse um fusca com um V8 audi pendurado na traseira, hahahaha

    ResponderExcluir
  12. Para quem gosta de números e não os tem, o Chepala feito pelo Editor da saudosa Motor 3, com um 151 álcool carburador duplo,atigiu 183 km/h e arrancou até 100 em quase dez segundos.Isso com um diferencial relação 3,08/1 que o Jornalista conseguiu no estoque de peças especiais da GMB. Posteriormente, ele instalou o 3,54/1 e a velocidade caiu para 177 e o arranque piorou alguns décimos,em vez de melhorar.

    Só que nessa época chegaram os VW 1.6 " Vareta vermelha",acertadíssimo, os Monzas 1.8 álcool, e a molecada comprou pronto em vez de se enveredar nos Chapalas...

    ResponderExcluir
  13. Só para esclarecer, sou o primeiro anônimo, que por engano saiu assim. Não conheço o segundo....

    ResponderExcluir
  14. Thiago,
    Que prazer "revê-lo" aqui! Parece tempos de Best Cars!

    ResponderExcluir
  15. Alexandre,
    Que tempestade de informação para mim e para os leitores do blog sobre os 4-cilindros GM, ótimo!

    ResponderExcluir
  16. Alexandre, não sabia, para falar a verdade nem parei para pensar como foi feito.

    V8 de audi eu não sei, mas um outro boxer Subaru caracolizado da Impreza STI fica bem legal ! Tem uns videos no youtube de uns japas que fizeram um desses. AP em fusca acho desnecessario, visto que se nao me engano dá para alcançar até 2300cc.

    ResponderExcluir
  17. Bob,

    Que bom ue vc gostou e achou util, assim não me sinto um inutil completo que só sabe falar de v8, hahahaha.

    ResponderExcluir
  18. bobagem discutir sobre um motor pesado, vibrador(deveria ser usado em compactadores)que tem o pior de 2 mundos ,pesado,gastador e um torque desprezivel em relaçao a peso e consumo.o chevette nunca foi essa maravilha.desde novo trincava toda a ancoragem da suspensao dianteira.tem o merito de ser pequeno com traçao dianteira. só! se é pra inventar,gm4.3 ou,ideal,sbc350.

    ResponderExcluir
  19. corrigindo traçao traseira

    ResponderExcluir
  20. Ary,

    Tudo certo, tudo bom, é isso aí mesmo, mas na nossa realidade, o opala 4 foi e ainda é algo sedutor especialmente pela facilidade e baixo custo. O 4.3 é perfeito, mas ainda caro e algo complexo. Prometo que breve faço uma reportagem completa sobre o 4.3 no chevette e ponho aqui, igual a que fiz com o pessoal do Bestcars sobre caravan V8, respondendo a uma pergunta que fizeram lá. O unico item complicado é fazer o volante motor menor para usar cambio de opala se quiser baixar custo. O volante motor da blazer pela apenas 23 quilos e tem como tirar com segurança 10 quiilos dele, deixando ele com 13, o mesmo peso do volante do 4100 comum. Mas tem que mexer com balanceamento. Um saco. O sbc é lindo, mas tem que cortar o carro bastante e isso é meio chato porque nem todos tem habilidade para fazer isso, aumenta o custo e o eixo traseiro vai ter que ser um dana 44. Não sei se o melhor acerto do mundo vai fazer ele funcionar bem, me lembro de ter mexido muito e visto muita tentativa de fazer chevette 4100 acelerar bem em drag e no geral, o mesmo motor se montado num opala trazia tempo melhor nos 400 metros. Eu tenho alguma vontade de fazer um hatch com sbc por conta daquele que já pus fotos aqui que o pessoal do Ignácio e do Loy fizeram nos anos 80 e eu vi ao vivo e a cores. Mas na boa, é viagem. Sentido pratico inexiste, é mais uma brincadeira que eu poderia fazer apenas por ter tudo aqui, todos os cacos para fazer, só falta mesmo o hatch e isso vale nada ou quase.

    ResponderExcluir
  21. Olá a todos, muito bom o nível dos comentários postados no blog.Cheguei aqui através de um site de busca e resolvi contar um pouco do carro que estou montando.Chevette 93 com motor 151 e algumas modificações como pistões forjados, parafusos das bielas ARP, balanceiro Cranne série Gold, comando eixo bruto nacional com 302º, vávulas do cabeçote 2,02x1,60, molas cônicas no cabeçote, bomba de óleo importada(maior fluxo), tuchos roletados, um holley de 750 CFM, uma turbina .70x.63 e um kit da NOS com 01 fogger na mufla.
    O segredo do 151 é balancear todo o conjunto, já que para elevar o regime de rotação em um motor você não pode ter vibrações.
    Ainda não cheguei no conjunto do câmbio/diferencial, mas como tenho um Chepala 250 não terei grandes problemas para solucionar este ponto.
    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  22. Aquela Motor3 era ótima. Também me lembro muito bem daquela reportagem do Chepala.
    Alguém sabe me dizer o nome de uma oficina de SP que tem Chepalas a pronta-entrega? Anos atrás eu sabia, mas esqueci. É uma oficina especializada na transformação, que, se não me engano, também participou daquela reportagem da Motor3.

    ResponderExcluir
  23. amigão tenho um chevette 83 será q vc poderia me dar as dicas de como fazer essa modificação? aguardo contato. rodrigo.rapel@hotmail.com

    parabens pelo Chepala

    ResponderExcluir
  24. Alex Sander da Silva10/04/09 22:47

    Olá amigo! Estava procurando saber se os tuchos de v-6 blazer 4.3 eram roletados e acabei esbarrando por aki e como possuo um Chevette com motor opala 4 cil. com 3.1 Litros achei interessante fazer um comentário. Sou piloto de arrancadas ha 20 anos e atualmente estou participando do campeonato paranaense. Este ano estreiei com um 2o. Lugar. Faço os 402 m em aproximadamente 10,0 s e passo a mais de 230,0 meu e-mail: alex_le17@hotmail.com. Meus vídeos: youtube.com/alex181fltt. Um abraço!!

    ResponderExcluir
  25. Boa Noite amigos, sou de recife e tenho um chepala jr 93 verde com um motor 151 série cinza adaptado para álcool, com um h-34 com segundo estágio deslidago, o carro é rápido de arrancada mas não de final, e altamente econômico, trabalho com vendas externas e não gasto nem um tanque por semana, mas como fazer para a quilometragem bater corretamente, obrigado antecipado. wilsonlsouza@htmail.com
    (81)8799-5303

    ResponderExcluir
  26. O Eugenio Martins teve um Chevette com opala 3 litros, nem preciso dizer que andava muito ! Estive com ele no inicio dos anos 90, me mostrou um motor destes no dinamometro, com dois Webber 44 chegou em 270 Hp a 6000, quem mechia na maquina era o Breeze, neste dia o Eugenio estatava radiante...
    Um Chepala 2.5 realmente fica fraco se não souber apimentar a maquina,(dai anda mesmo junto com ap 1.6), na época do desenvolvimento deste motor a taxa usada era de apenas 7,5:1, os coletores, tanto de admissão quanto de escape, eram horriveis, hoje a taxa pode ser tranquilamente de 10:1 a gasolina, (tem 25% de alcool), ou 13:1 no alcool, some-se a isto um escape 4 em 2 , um bom cabeçote sem exageros, e um coletor Engine para duas 446,isto da 160 Hp num 2.5 gasolina com comando original a 4600 rpm, se colocar comando mais ainda, ou seja, mais que um 6 caneco, falta um diferencial longo, (chevette gira 5600, este 2.5 só 4.600), com uma boa suspensão, buchas de poliuretano, barra paralela no lugar da panhard, molas mais baixas,e um chepala 2.5 acaba ficando muito bom, da pau em qualquer importado, imagina então aquele 3.0 litros do Eugenio...

    Lauro Neto

    Lauro Neto

    ResponderExcluir
  27. Realmente, o Chepalinha é uma delícia. Tive a oportunidade de guiar o do meu pai... andei devagar, claro, é um street que ele fez em 86... ficou muito bom, câmbio 5 marchas e diferencial 3,54... acho dificílimo um Voyage 1.6 andar na frente (se o VW for original, claro), pois nas mãos do velho ele anda forte mesmo... deve girar coisa de 6.500 à 200km/h reais no plano... sei que é um 151-s original (tuchos mecânicos, 446 e só) e pneu 195/60 R14 (para alongar um pouquinho). Nunca aferimos a velocidade, mas que anda na frente dos 2.0 atuais (Golf, Vectra etc, desconsiderando os GTI... mas, só se o cara souber tocar...), ainda anda... agora, imaginem essa ferinha em 86 disputando com GT's, XR3's e todos os outros... não ficava ninguém na frente!

    Ps.: Ah, ainda tem um coletor 4x1 para poder fazer girar... rs

    Abraços!

    ResponderExcluir
  28. ola, meu nome é paulo, tenho um chevette 89 1.6 alcool, e gostaria de deichar o motor mais agressivo e se possivel mais economico , porem não tenho muita grana para investir , a melhor opção é mesmo do opala 4 cilindro? quanto + ou -tenho que investir ,se puderam me ajudar tambem com algumas questões tecnicas.

    ResponderExcluir
  29. chevas com 250-s nao fica muito bom de curva, a traseira fica solta demais.um gm 2.0 pra cima fica o ideal.
    alguem ja pos o 2.3 ohc do maverick ? ? ?

    ResponderExcluir
  30. Olá amigos. Muito bom o post. Venho aqui deixar meu comentário. Sou um apaixonado por chevette (tive 3 no total e tenho 25 anos) e tive um com motor original, um com motor 151 e atualmente tenho um com motor gm família 2 1.8 com injeção multiponto. Bom, vamos às comparações. O chepala andava bem. O motor era original e já havia sido turbinado, andava com uma 2e de gts, câmbio 5 marchas e diferencial 3,90. O carro andava na frente dos aps 1.8 mas deixava a desejar qnt aos gtis. Atualmente com o gm família 2 todo original tirando o filtro esportivo e a injeção multiponto do tempra e o mesmo câmbio 5 marchas e o mesmo diferencial 3,90,ando na frente dos 2.0 fora os sobrealimentados e isso também inclui rodovias. . A minha opinião quanto as 2 adaptações é que a do chepala tem um custo bem menor que a do gm família 2 mas com o gm família 2 o chevettao fica muito mais agressivo e com um consumo menor(cerca de 7.5 na cidade e 10.5 na estrada no álcool). Espero ter dado mais idéias aos amigos e fica aqui meu abraço e parabéns ao blog pois não devemos deixar morrer as histórias e dicas para nossos antigos. Não tenho vasta experiência quanto a preparação mas como tive os dois posso dizer csem dúvidas sobre as diferenças. Fica aí meu email para quem quiser trocar informações: erickberber@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa resposta Erick, ajudou bastante a esclarecer nossas dúvidas. Ainda troco o motor do meu DL 91,só ainda não sei por qual! HEHEH

      Excluir
  31. MAO, boa noite.

    Sei que o post é antigo, mas eu lembro de ver o vídeo desse Chevette desfilando (e se apresentando, fritando, etc) na praça charles miller, no Pacaembu. Havia o vídeo no youtube, com o nome do referido proprietário, mas por algum motivo, tiraram o video... de tanto buscar, achei referencia desse mesmo vídeo num site RUSSO! Mas como não entendo lhufas de russo, no fim das contas não consegui deixar uma cópia do video no meu "acervo pessoal" e isso acabou se perdendo. O Chevette 4.1 mais bonito que já vi.

    Sabe se ainda há uma cópia desse vídeo perdido em algum lugar?

    Obrigado.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...