Google+

23 de novembro de 2010

RUAS DE NAGOYA


Poucos sabem, mas não sou fotógrafo de formação, e sim de coração. Sempre gostei de fotografia mas foi apenas em 2003, quando comprei minha primeira câmera digital, que descobri o prazer que essa atividade pode proporcionar. Naquela época eu viajava muito, e sempre que podia saía a pé para fotografar os lugares onde eu estava e assim dividir minha experiência com a família e amigos, principalmente com os autoentusiastas. Dessa maneira aprendi a observar mais o mundo ao meu redor, dar valor a pequenas coisas, acalmar a minha alma, além de dar um propósito à minha existência nos momentos em que não tenho nada de prático para fazer ou resolver. Com o tempo acabei juntando essas duas paixões, carros e fotografia.

Recentemente fiz uma viagem a Nagoya, a terceira maior cidade do Japão. Fica a uma hora e 30 minutos de Tóquio, de shinkansen, trem-bala. Entre uma atividade de trabalho e outra consegui algum tempo para sair a pé, e sozinho – ninguém aguenta acompanhar um fotógrafo – para retratar alguns carros interessantes. Esse tipo de exercício, em que não tenho a menor ideia do que posso obter como resultado, eu chamo de foto casual. É muito diferente de fotografar para uma revista, por exemplo. Na foto casual o que importa é o que acontece, do jeito que acontece, sem nenhum planejamento ou preparação, sem nenhuma grande expectativa.  

Então as fotos abaixo são frutos do acaso, mas retratam um dia ou dois do que aconteceu nas imediações do centro de Nagoya.



VAGAS APERTADAS

Mesmo Nagoya sendo uma cidade grande, bem próximo do centro há bairros residenciais bem simples. No Japão quase todo mundo pertence à classe média e não há problemas com segurança, e por isso não há muros e portões. Os terrenos são pequenos e as vagas muito apertadas. Para comprar um carro o cidadão tem que provar que possui uma vaga para guardá-lo.

Qualquer espaço vago é usado para estacionamento. Note que não há funcionário algum.
Acima um pequeno terreno com cinco vagas. Em São Paulo fariam caber 15 carros nesse espaço
.
Estacionamento vertical que cabe um carro por andar. 

Garagem é um luxo. Esse pequeno Suzuki parece um cãozinho em sua casinha.
A placa amarela indica que é um kei car.

Além do transporte coletivo eficiente, todos tem sua bicicleta.
Excelentes alternativas ao carro que ajudam a combater o sedentarismo.

Toyota Celica e Nissan GT-R - estrela do Gran Turismo. 


KEI CARS

Os kei cars ou keijidōsha (automóvel leve em japonês) são uma categoria de carros que paga menos impostos e seguro. Para isso suas dimensões não podem ultrapassar 3,4 metros de comprimento e 1,48 metro de largura. Seu motor pode ter no máximo 0,66 litro e 64 cv. Sua placa de licença é amarela. 

Para aproveitar ao máximo o espaço interno, seja para passageiros ou para carga, muitos desses carrinhos são verdadeiras caixinhas, ou fornos de microondas sobre rodas, como me disse um amigo.  Mas alguns deles são bem interessantes, divertidos e muito apropriados para os grandes centros urbanos, como os Daihatsu Copen, Naked, Midget e Mira. A Daihatsu é o maior fabricante de kei cars. Eu acho esses carrinhos tão bacanas que esse assunto merece um post específico em outra oportunidade.

Alguns "microondas" ambulantes. 

Daihatsu Copen

Daihatsu Naked, painéis de porta iguais na dianteira e na traseira.

Daihatsu Midget, simpático.

Daihatsu Mira

Para vagas apertadas, tem ser kei car.


CORES

Outro dia um amigo me disse que no Brasil não precisamos de carros coloridos pois nossa natureza já é bastante colorida. Eu acho que a causa é a "Lei de Gérson". O pessoal deixa de comprar carros nas cores que gosta para poder vendê-los mais facilmente, embora no mundo todo o preto e o prata também sejam populares. Ou seja, já compra um carro pensando na venda. No Japão, além do preto e prata, o branco é igualmente popular, e isso muito antes dele entrar na moda como nos últimos anos. Mas nem por isso não se vê carros mais coloridos nas ruas.

Vale a tentativa dos fabricantes locais nos recentes lançamentos como Agile, CrossFox, Uno e outros, com novos amarelos, laranjas e verdes. Difícil é acreditar que por aqui alguém compraria um Fit na cor abaixo.


Honda Fit, de mocinha.

Mazda Demio reluzente.

Um raro CrossPolo.

Um raro WiLL Cypha, da Toyota.

A linda e elegante Fielder, que hoje só existe no Japão, onde ainda gostam de peruas

Nissan Cube segunda geração, tons pastéis são comuns



BRANCO

Pelo que notei o branco é a cor preferida para os carros mais caros. Um Ferrari 599 branco é pouco usual, mas fica muito legal. Ví pelo menos mais três Ferraris brancos mas não consegui fotografar. O Porsche 911 branco com interior bege é o sonho do Bob Sharp. O branco é popular também nos híbridos da Toyota - se vê muitos Prius na rua. Que bom que essa preferência está chegando aqui
  

Honda Accord e Toyota Fielder (e um Prius ao fundo), peruas ainda vendem bem no Japão

Toyota Prius e Toyota Sail, híbridos são muito populares nas ruas

Fiat 500, também popular, tamanho reduzido com estilo

O Porsche do Bob

Exóticos, muito elegantes em branco


LAMBOS

São Paulo tem uma boa circulação de carros exóticos. Sábado e domingo, nos Jardins - bairro nobre de São Paulo - é possível ver um desfile de máquinas exóticas. Mas é sempre bom escutar o som de um Lamborghini. Essas fotos, assim como as dos exóticos acima, foram feitas num bairro muito parecido com os Jardins, ou Beverly Hills, na Califórnia. Os donos desfilam em seus carros passando por várias ruas nas imediações. Quem tem um carro assim gosta de se exibir; natureza humana. Uma pena que o LP-670 SV tenha ficado encoberto belo ônibus.



PERUAS

Uma pena que por aqui os Tucsons da vida tenham praticamente acabado com o segmento de peruas. Acredito que a grande maioria dos autoentusiastas prefere as peruas aos utilitários esportivos. Alfas já são quase uma raridade, ainda mais peruas. E a Cadillac CTS também é muito bacana.

 


LEXUS

Enquanto a Toyota ataca a base do mercado com os kei cars da Daihatsu (que é da Toyota), a Lexus ataca o topo com os modelos de luxo e com o máximo de tecnologia. Curioso é que apenas recentemente a marca Lexus foi lançada no Japão. Até então os Lexus eram vendidos como Toyota. Pouco popular no Brasil, a Lexus tem muito prestígio nos Estados Unidos. O LFA, que já falamos muito aqui, e o IS-F, são carros que eu gostaria muito de guiar.

IS-F, o primeiro Lexus de performance em seu azul radiante

IS, venderia bem por aqu.

SC, popular e ainda interessante apesar da idade

LS, para encarar bem o Mercedes-Benz classe S e o BMW série 7


DUAS RODAS

As motos de alta performance que vemos por aqui parecem não ser a preferência em Nagoya. Lá o pessoal gosta de algo mais retrô. A Kawasaki Zephyr 1100 ou a Honda 750 Four logo abaixo deixariam muitos autoentusiastas loucos. Já a scooter do Jaspion mais abaixo... 



OUTROS

Agora uma miscelânea de carros bacanas ou diferentes que não consegui juntar em categorias.


Kei cars? Tô fora!

Rolls Royce Silver Cloud, nos "Jardins".

Toyota Prius. Ainda bem que a direção é do lado direito


Toyota IQ, um Smart mais "smart", pois leva 4 pessoas.
Largo, baixo e com rodas grandes parece bem estável
E a Toyota tem fama de ser conservadora!

Falando em Smart, um ForFour, raro

Godzilla e seu antepassado

Toyota Chaser, quem joga "Gran Turismo" conhece

Esse tipo de minivan é muito popular.
Estranho, pois as famílias são pequenas e eleas são muito grandes
Muitas são bem equipadas com acessórios que as deixam mais esportivas (!). Eu passo

Daihatsu Terios, imagine esse carrinho aqui com a marca Toyota!

Mazda RX7, para quem acha que carros japoneses não tem alma

Nissan Cube, a minha caixinha preferida

Mazda Miata, mais um com alma. Verdinho como o Lotus que o inspirou.
Esse eu gostaria de ter um dia

Nissan Figaro, um retrô com produção limitada no início dos anos 90

Mitsuoka Viewt, um cruzamento de Nissan Micra com Jaguar.
Deveria encabeçar todas as listas de carros mais feios do mundo

Todo mundo quer ser americano!

Saab 900. Para deixar o meu amigo JJ feliz

E esse foi resultado de duas caminhadas de duas horas cada. Foi difícil selecionar o conteúdo desse post e ele acabou ficando muito longo. Acho que bati o recorde de post mais longo!

Para finalizar deixo um sorriso, que reflete o prazer dessa viagem.

PK


Veja também a parte dois desse post: Ruas de Nagoya parte 2.

58 comentários:

  1. Série de fotos bacanas mesmo.

    Gostei bastante do conceito dos KEI cars (Daihatsu´s em especial), apesar que no brasil ,não sei se emplacariam.

    Sobre as motos, pelo que sei é bastante complicado ter motos com mais de 400cc, devido a impostos e limitações impostas.

    ResponderExcluir
  2. Achei muito legal o Fit rosa... eheheh
    Realmente esse negócio de só comprar carro preta ou prata pensando na hora da venda me deixa nervoso... O novo Focus tinha uma cor maravilhosa, era um verde escuro. Acho que devido as vendas fracas, retiraram a cor do catálogo... uma pena... na rua só vejo prata e preto, mas na minha faculdade tem um branco, lindo.

    ResponderExcluir
  3. Eurico Jr.23/11/10 10:27

    Fotos sensacionais! Notei algo interessante: a predileção dos japoneses por calhas de chuva, esse acessório tão obsoleto. Vai entender...

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Paulo. Você conseguiu, traçar um perfil da sociedade japonesa através dos carros, fabuloso.

    ResponderExcluir
  5. Belo registro. O RX7 sempre me deixa apaixonado!

    ResponderExcluir
  6. Rodrigo Laranjo23/11/10 11:33

    Também não pude deixar de reparar o excesso de calhas de chuva. Porque será?

    ResponderExcluir
  7. carros japoneses moram no meu coração, kei principalmente , acho que seriam ideiasm pra são paulo e outras grandes cidades.

    ResponderExcluir
  8. Cool! :-)

    E como é o trânsito por lá? Não vi nenhuma fila dupla!! :-)

    ResponderExcluir
  9. Animal Paulo, parabens ! Muito legal mesmo !

    Se quiser postar outras fotos, mesmo as que não ficaram tão boas assim estou topando.

    Dirigiu algum carro ? Mão inglesa é bacana ?

    ResponderExcluir
  10. Animal Paulo, parabens ! Muito legal mesmo !

    Se quiser postar outras fotos, mesmo as que não ficaram tão boas assim estou topando.

    Dirigiu algum carro ? Mão inglesa é bacana ?

    ResponderExcluir
  11. Francisco V.G.23/11/10 12:15

    Muito bom, legal respirar novos ares ainda que através de fotografias. E aquela Maserati Quattroporte branca me deixou sem palavras.

    ResponderExcluir
  12. PK,

    É interessante conhecer culturas tão diferentes da nossa.
    A arquitetura, a limpeza das ruas, a falta de calçada, tudo devidamente bem sinalizado, com informações claras, limpas e novas.
    Não vi um carro sujo, você deu preferência a carros limpos ou a maioria circula com certo grau de sujeira minima?..rs
    Eu acho que implacaria sim no Brasil esses keicars. Só não sei até quando o governo seguraria esses impostos, esse subsídio, pra manter esses carros e seus custos mais em conta. A última vez que tentaram, com os 1.0, quando viram o filão, arregalaram os olhos e hoje, um 1.0 (não vou chamar de popular) não sai por menos de 20 poucos mil reais.
    Mas eu teria facilmente um segundo carro como esses para vir trabalhar (em SP), e deixar meu carro, com motor e metragem maior pro fim de semana.
    Aqui muita gente anda com carro com subsídio: velho, ipva baixo, batido, estrupiado, queimando e/ou vazando óleo e afins.

    PK, é real a história que lá quanto mais velho o carro, mais alto o "IPVA" a ser pago?

    Ótimas fotos, sempre muito bem feitas.

    Marcio

    ResponderExcluir
  13. Aléssio Marinho23/11/10 12:27

    Keller,

    Parabens pelo post! As fotos são muito bacanas e mostram bem que na fotografia o que importa é a sensibilidade do fotógrafo.
    Agora o fechamento com o Fusca foi chave de ouro!
    Uma das melhores fotos do besouro que já vi na vida!
    Parabens!!!

    ResponderExcluir
  14. Aléssio Marinho23/11/10 12:34

    Eurico Jr.

    Quando fui na Argentina também me fiz a mesma pergunta.
    Mas descobri o motivo: Quando está frio, ou nevando, ao entrar no carro com roupas de frio e se ligar o aquecedor, fica um forno dentro do carro, então pra desembaçar os vidros sem sufocar quem ta dentro, eles preferem usar o vidro aberto com a calha.

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pelo trabalho.

    Mas fiquei com umas curiosidades: eles ou não gostam de SUV's ou é apenas o fotógrafo que não gosta?

    Existem caros mal conservados em uso?

    ResponderExcluir
  16. caramba, gostei demais. bom ver que os nagoianos dão valor a tantas opções de carros...

    ResponderExcluir
  17. O futuro do tráfego nos grandes centros se baseia (ou deveria se basear)nos keis. Esse esquema de aluguel de carro como fazem com bicicletas, retirando de um lugar e devolvendo em outro para deslocamento nos grandes centros deveria ser algo mais incentivado.

    ResponderExcluir
  18. Jackie Chan23/11/10 14:07

    Os carros são limpos porque as vias são limpas. Bem drenadas, feitas como devem ser. Não tem poças dágua, valetas, etc.., onde se acumule sujeira.

    ResponderExcluir
  19. Gosto do Japão e um dia quero visitar esse país. Surpreende-me fauna automotiva tão variada em um país tão fechado a importações como aquele.
    Algumas observações:

    1) A foto com vaga para 5 carros, que em São Paulo seria usada para 15. Que país mesmo que tem problemas de espaço? Aliás, por que as construções daqui são mais nipônicas (no sentido de aperto) do que as nipônicas de verdade? Quando nos surpreendíamos com a história de imóveis de 50 m² abrigando famílias inteiras no Japão, não notamos que nossos apartamentos estão ficando tão ou mais apertados que os japoneses (até por ser esperável que os projetos japoneses tenham a racionalidade de uso embutida desde o início);

    2) A segunda foto do conjunto legendado por "Além do transporte coletivo eficiente..." tem uma perua que acho muito legal e que lamento não ter sido algo além de JDM: a Camry Gracia (a prateada). Foi das primeiras peruas da Toyota com desenho bonito e realmente é de se lamentar que em outros cantos do mundo você tenha de escolher, em matéria de oferta minimamente abundante, entre peruas ou minivans. Há espaço para peruas E minivans, basta os fabricantes terem noção;

    3) Sobre kei-jidoshas, realmente passou da hora de o Autoentusiastas falar deles. Porém, que falem do meu preferido, o Mitsubishi i. Aquele carrinho é um compêndio de coisas legais e das quais todos aqui gostamos: espaçoso para quatro adultos (inclusive grandes), tração traseira (com opção de integral), motor central-traseiro e comportamento dinâmico bastante seguro. Prefiro o i normal ao MiEV, inclusive. Só acho que deveria ter transmissões melhores que a automática de quatro marchas, mas que carro não tem seus pecados? Uma surpresa para a galera será ver um Jimny no meio dos keis, mas no Japão ele tem versão de 660 cm³;

    4) Pelo que sei, no Japão o branco é a cor da morte. Seria interessante saber o porquê de essa cor ser tão popular por lá;

    5) Em tempos: que a Toyota pegue a boa onda do iQ e não apenas use suas soluções economizadoras de espaço nos carros maiores como também pegue o embalo dos bons projetos e espalhe isso inclusive para a linha feijão com arroz;

    6) E esse Fusca com para-choque colorido? Seria personalização de um alemão dos anos 1970, um mexicano ou alguém que levou para lá a título de coleção um dos brasileiríssimos Fusca Prata ou Itamar?

    ResponderExcluir
  20. Realmente Paulo, você é um excelente fotografo, isso é claro! Tive a chance de conhecer um pouco, um pouquinho na verdade, do Japão. Tudo espremido, porém tudo limpo, organizado e na medida do possível, bem planejado. Tão bom que você é, começei a gostar mais do Japão apenas por este post.

    Renan Veronezzi
    renanvidalokka@hotmail.com

    ResponderExcluir
  21. Ao Douglas Studzinski, realmente é difícil saber se os kei-jidoshas emplacariam no Brasil, uma vez que por aqui um veículo precisa ter muitos usos, sempre alternados entre estrada e cidade (ainda que já tenha conhecido nikkey que me contou que esses keis puxam muito bem).
    Porém, o que podemos dizer é que eles são surpreendentemente resistentes, ainda mais pensando em seu uso em um país para o qual jamais foram pensados. Aqui em São Paulo (buraqueiras para massacrar suspensão, congestionamentos para levar um motor ao nível máximo de maus-tratos, donos relapsos e cheios de vícios ao volante, "gasurina" no tanque, frenagens bruscas muitas vezes geradas pela falta de imposição intrínseca desses carrinhos no trânsito, peças difíceis de achar e outras desgraças), ainda vê-se um número de Cuores e Vivios próximo daquele que foi importado para cá e vendido aqui, a maioria absoluta deles em perfeitíssimo estado e não aparentando nada além de manutenção de rotina. Que se veja o estado em que está um Gol contemporâneo desses japonesinhos igualmente submetido às situações acima descritas.

    ResponderExcluir
  22. Gostei muito do artigo e das fotos, principalmente dos kei cars, veículos que considero uma ótima idéia para as grandes cidades - são pequenos, ágeis, fáceis de estacionar e muito econômicos. Desses fotografados, o único atualmente vendido no Brasil é o Suzuki Jimny, mas não exatamente o modelo kei e sim o com motor 1,3 litro (JB43), enquanto o Jimny kei tem motor 660 cm³ turbo (JB23).

    ResponderExcluir
  23. PK, estamos aguardando a segunda parte!!!!!!


    sempre pensei q vc era fotógrafo profissional....
    trabalha em q?!?

    ResponderExcluir
  24. Ao Anônimo de 23/11/10, às 15:06:

    Vi há coisa de 2 ou 3 dias um Vivio na Via Anchieta. Tinha 3 pessoas e o bichinho puxava bem, eu andava a 100/110 e o brinquedinho se pirulitou a uns 130 pelo menos. Não sei te dizer se ele era modificado, mas a aparência dele era original, inclusive com aquelas rodinhas pequenas. E sim, ele tava bem conservado, alinhadinho.

    ResponderExcluir
  25. Que dispositivo é aquele no piso, abaixo do Daihatsu Naked?

    ResponderExcluir
  26. Paulo, excelente trabalho....parabéns..RX7 na veia !

    ResponderExcluir
  27. PK,

    Belo post!
    Sempre que visito algum lugar diferente tento fazer fotos - amadoras - sobre algumas curiosidades e sempre ando "lendo" as pessoas e os lugares... é muito bacana.

    O Japão é um lugar que ainda quero descobrir. Com direito a um Cube e talvez um Godzilla. Mas muito além disso dar uma olhada em soluções de design, arquitetura e engenharia com base em uso racional de espaço físico. De fato deve ser uma experiência muito rica.

    A primeira foto me traz à lembrança a bizarrice das estreitas faixas de rolagem da 23 de maio em São Paulo...

    ResponderExcluir
  28. parabéns pelas fotos, post genial!!!



    Mark

    ResponderExcluir
  29. Pessoal, quantos comentários bacanas! Não conseguirei respoder hoje. Mas volto amanhã.

    Abraço a todos e obrigado.

    PK

    ResponderExcluir
  30. Pessoal, quantos comentários bacanas! Não conseguirei respoder hoje. Mas volto amanhã.

    Abraço a todos e obrigado.

    PK

    ResponderExcluir
  31. Falando em kei cars, eis uma lista dos 20 modelos mais vendidos no Japão em outubro de 2010:

    http://www.noticiasautomotivas.com.br/vendas-dos-carrinhos-kei-no-japao-em-outubro/

    ResponderExcluir
  32. Muitos carros são vendidos somente no Japão mesmo, acredito que seja de propósito, uma forma de manter algo específico para o mercado local. Japonês é "bairrista" pra caramba...

    As fotos ficaram muito boas. Quanto ao "Porsche do Bob", que autoentusiasta não gostaria de ter um desses?! Ainda mais sendo um representante do tempo em que era essencial conhecer a "barata" para andar forte e não encontrar um muro perdido pelo caminho...

    ResponderExcluir
  33. Obs: notaram que na foto do Fusca, a placa dele está corroída nas quinas e inclusive há uma mancha de água com ferro oxidado perto do batente da tampa do motor?
    Será que as placas japonesas seriam das poucas coisas por lá que não são feitas para durar? Tudo bem que já vi placa brasileira das amarelinhas carcomida, mas das de três letras, não me lembro de vê-las em estado parecido com a do besouro que foi desafiar o Corolla na casa do adversário.

    ResponderExcluir
  34. PK,
    ótimas fotos, parabéns!
    Sinto falta de peruas\stations\caravans\variants\avants\tourings...

    ResponderExcluir
  35. fiquei maravilhado com a qualidade das fotos, parabéns!
    como as coisas são diferentes lá no Japão, muito show!
    um dia quero conhecer de perto as ruas de lá também.

    ResponderExcluir
  36. PK, belas fotos. Gostei de Nagoya, parece mais "normal" em relação a Tokyo pelo pouco que chega aqui nos filmes e reportagens.

    É uma cidade admirável; tudo muito bonito e caprichado. O estado de conservação da cidade, praticamente perfeito. Espero que um dia cheguemos lá.

    Se souber, o que são os equipamentos de cor laranja embaixo dos carros estacionados que têm uma lâmina enorme quando tem carro na vaga? Parquímetro?

    Douglas Studzinski, as motos japonesas são de baixa cilindrada em sua maioria pq além dos motivos universais como custo baixo, a lei para se adquirir e licenciar uma moto por lá tem duas regras interessantes:
    1 - Vc tem q colocar os dois pés no chão montado na moto
    2 - Vc tem q ser capaz de levantar a moto do chão sozinho

    ResponderExcluir
  37. PK, ótimo registro fotográfico! Gostei muito! Parabéns! abraço, Rajão

    ResponderExcluir
  38. Claude de Javel24/11/10 07:46

    KEI CARS , meu Deus, quanta coisinha feia !

    ResponderExcluir
  39. Leonardo,

    Ainda não dirigi um carro com volante a direita por falta de oportunidade.
    O transporte coletivo, metrô e trens, é tão bom no Japão que não há a menor necessidade de alugar um carro.
    Tenho vontade de fazer isso, mas confesso que tenho receio de cometer erros devido ao automatismo enquanto dirigimos.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  40. Marcio Musciacchio,

    Realmente não reparei em carros sujos. As fotos não foram escolhidas. Acho que lá sujam menos devido as condições.

    Os subsídios daqui são incríveis! Mas a diferença de impostos lá não é muito grande. Mas lá os carros nasce como kei cars e não são carros concebidos para outro fim e adaptados com motor 1.0 com aqui.

    Aqui, quando eu precisar, terei um Ka 1.0 - do antigo - para rodar durante a semana.

    Não tenho certeza se o IPVA deles aumenta, vou investigar. Mas o fato é que eles tem inspeções veiculares muito severas a cada três anos. Se o carro vai ficando velho acaba sendo conveniente comprar outro antes da inspeção.

    Obrigado e um abraço.

    ResponderExcluir
  41. Aléssio, obrigado pelo elogio. Abraço.

    ResponderExcluir
  42. Essa história das calhas eu vou checar. Realmente são muito populares. Outra coisa que els gostam é para-barro.

    ResponderExcluir
  43. Renato,

    Até onde eu consegui perceber o consumidor japonês compra carros de acordo com a necessidade. Ou seja, é uma compra muito mais racional do que por aqui, por exemplo. Não há SUVs nas ruas mesmo. Lá o pessoal não precisa de um carro alto para se sentir seguro. Não há medo.

    Também não há carros mal conservados pois há inspeções muito severas.

    PK

    ResponderExcluir
  44. Lauro, o futuro vai além dos keis. já faz um tempão que estou para postar um filme sobre como pode ser o futuro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  45. Anônimo das 14:56

    1- Tem apartamentos lá, em Tóquio, bem menores que os daqui. Quanto as vagas, só há cinco para que todos os carros possam manobrar sem a necessidade de movimentar os outros. Não há funcionário no estacionamento da foto e em muitos outros.

    2- Pelo que tenho visto as peruas estão acabando no mundo inteiro e não são as minivan que as estão matando, e sim os SUVs compactos. Nos, entusiastas, adoramos peruas.

    3- Realmente o Mitsubishi i é bacana. Uma foto dele ficou para o próximo post. Digamos que o nano se inspirou nele... Também me causou algum espanto o Jimny. Só notei que era kei car pela placa amarela.

    4- Vou investigar.

    5- Realmente, há espaço para a Toyota mostrar mais as coisas legais que faz.

    6- Não é brasileiro não. Lá o Fusca é como um cult car. Tem poucos, mas os que existem são adorados. Esse aí estava no estacionamento de uma galeria de arte moderna.

    Abraço,
    PK

    ResponderExcluir
  46. Renan,
    Obrigado pelas palavras.
    acho que a palavra chave é planejamento. Mas nem tudo é limpo e organizado. Tem lugares exatamente iguais ou piores que a liberdade. Mas não há pobreza.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  47. Renato, aquele dispositivo embaixo do naked é a trava do estacionamento. Ela só abaixa, e permite a saída, depois que o dono pagar o estacionamento. Imagine se aqui daria certo...
    PK

    ResponderExcluir
  48. Francisco,
    Obrigado! RX7 na veia!
    PK

    ResponderExcluir
  49. Rodrigo Ciossani,

    realmente o Japão, ou pelo menos as grandes cidades, é um país onde planejamento e eficiência são palavras levadas a sério. Acho que isso vem da falta de recursos naturais e pelo fato de estarem numa (várias) ilhas. É um país onde há tecnologia de ponta em tudo. Mas ao mesmo tempo é provinciano na vida cotidiana. Isso é bacana de ver.

    Quanto as faixas da 23, penso o mesmo nas da Berrini. Lá, no Japão, não há jeitinho.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  50. Mark, obrigado pelo genial! PK

    ResponderExcluir
  51. Fabio, obrigado.
    Tá saindo mais um post com um rescaldo das fotos.
    PK

    ResponderExcluir
  52. Lawrence,
    Nagoya é muito mais normal que Tóquio. É uma cidade bem tranquila.
    Tóquio é uma correria total e parece enxame de pessoas. Mas por outro lado é bem excitante. Tenho fotos mais antigas de Tóquio. Qualquer dia faço um post.

    Nós, por aqui, até fazemos coisas legais. Mas pecamos muito na conservação. Não temos muito respeito ao próximo e com aquilo que não é nosso. Não trabalhamos para manter o que é nosso. Acho que falta educação e princípios básicos de cidadania. E isso não se relaciona sõ com classe social. Tem muito rico que é porco fora de casa.

    Quanto a barra, é um parquímetro mesmo. Ao pagar ela se recolhe e libera a saída.

    Não sabia sobre as regras para as motos.

    Abraço,

    PK

    ResponderExcluir
  53. Rajão, obrigado, abraço. PK

    ResponderExcluir
  54. Paulo, já que o Fusca prateado de para-choques coloridos em questão não era brasileiro (e portanto não podia ser Série Prata ou um Itamar de tal cor), seria ele um alemão dos anos 1970 ou um mexicano já com lanterna Fafá?

    ResponderExcluir
  55. Olá PK, posso de chamar assim tambem ?

    Ótimas fotos e post.

    Muito legal o Japao, e fora o Granturismo, mas sonho mesmo é ver os grandes japoneses de verdade como : Skyline GTRs ,Supras, Silvias, Rx7 e 8, Chases, AE86s, NSXs, Types Rs, S2000, Cosmos, IS300...Tudo com "S" mesmo, pois eu ficaria doido por ai como todo apaixonado de verdade por carros.

    Divirta-se e não nos deixem só com isso de imagens por favor !

    Até mais.

    ResponderExcluir
  56. Antonio Jaques25/11/10 21:01

    PK, por essa infatização que quando precisar terá um ka 1.0 do antigo ?

    não gostou do novo ka ?

    ResponderExcluir
  57. bacana, mas foltou mto carro legal rssss. assim como os "hachi-roku" , famoso savana tb.... e eh bem legal, tive o prazer de conhecer o JP morei ao longo de 9 anos em Aichi. parabens pelo brog acompanho sempre.....

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...