20 de dezembro de 2011

MISONEÍSMO NÃO CEDE E ATACA DE NOVO



(mi.so.ne.ís.mo)
sm.
1. Aversão a tudo o que é novo ou representa mudança; NEOFOBIA [ antôn.: Antôn.: filoneísmo, neofilia. ]
[F.: Do fr. misonéisme.]
(Dicionário Aulete)

A resistência ao telefone celular utilizado por motorista continua firme forte por quem é misoneísta.

Há alguns dias a Direção Nacional de Segurança dos Transportes (NTSB, a sigla em inglês), uma agência governamental dos Estados Unidos, recomendou o banimentto total de equipamentos eletrônicos de bordo de automóveis, caminhões e ônibus, clamando os 50 estados e capital federal a adotarem a medida. Claro que entre esses equipamentos está o telefone celular, com isso burocratas tentando, mais uma vez, privar os motoristas da indispensável comunicação quando dirigindo.

O que deflagrou a nova "caça" ao celular foi um acidente, em agosto, numa rodovia federal no estado de Missouri (foto de abertura) em que um jovem de 19 anos entrou na traseira de um cavalo-mecânico com sua picape, em seguida dois ônibus escolares também bateram em sucessão. A investigação da NTSB concluiu que o jovem estaria digitando texto e se distraiu. Morreram no acidente ele e um passageiro do primeiro ônibus que estava sentado nas últimas fileiras. Trinta e cinco passageiros dos dois ônibus e seus dois motoristas, e o do cavalo-mecânico, se feriram em graus de leve a grave. Dezoito pessoas não se machucaram.

O fato gerador do acidente foi um trecho em obras na rodovia, que deixou o trânsito lento. O cavalo-mecânico freou, praticamente parou atrás da fila de carros, a picape vinha pela faixa da esquerda e ao vê-la fechada adiante desviou para a da direita, logo atingiindo o veículo pesado. Os dois ônibus escolares vinham em comboio, o primeiro atingiu a picape e o segundo, o primeiro ônibus.

A investigação revelou, através do provedor de telefonia celular, que o motorista da picape vinha escrevendo e recebendo mensagens durante o trajeto e que logo antes do acidente havia recebido uma, além de a picape não ter freado. Deduziu-se, portanto, que o acidente foi causado por distração, enviar/receber torpedos. E em seguida à conclusão, que levou meses, a recomendação do banimento citado.

Quanto a escrever texto enquanto se dirige, é uma burrice inominável, é o mesmo que tentar escrever num pedaço de papel.  Fica-se segundos preciosos com os olhos fora da estrada e a 100 km/h, por exemplo, três segundos representam 83 metros. É completamente diferente de falar dirigindo, em que se permanece olhando a via à frente.


Burrice total, escrever dirigindo

A proposta da NTSB não é relacionada ao dirigir com uma mão enquanto a outra segura o aparelho, não, mas contra o falar pelo celular mesmo havendo dispositivo viva-voz ou Bluetooth. É  o que a presidente do órgão Deborah Hersman acha. Pela idéia dela, conclui-se que todo carro deveria aquele velho aviso que se via nos ônibus, "É proibido conversar com motorista", hoje atenuado para "Converse com o motorista só o indispensável".

Acidentes como o descrito existem desde bem antes do advento do telefone celular, em que a distração é a causa principal, se não única. Portanto, os burocratas de Washington estão propondo algo que é irreversível, a facilidade de comunicação proporcionada pelo telefone celular. Misoneísmo total.

Como se o celular fosse a única fonte de distração do motorista. Conversa, gritaria a bordo, discussão com o passaageiro ao lado, mesxer no equipamento de áudio, acender cigarro – lembro-me que os Alfa Romeos do anos 1950 tinham um acendedor sui generis, colocava-se o cigarro nele e o tirava já aceso –, catar algo que caiu no assoalho, olhar e ajeitar o bebê no seu banco, enfim, a distração pode se dar de várias formas.

O controle automático de velocidade adaptativo evita colisões traseiras

Já existe tecnologia para prevenir esse tipo de acidente, o controlador automático de velocidade adaptativo (adaptive cruise control, ACC), como no Audi A6 e outros, e até mesmo para transporte pesado. O carro diminui a velocidade se o da frente fizer o mesmo e até pára, se necessário. Isso, sim, seria uma proposta de segurança real por parte da NTSB, e não simplesmente banir a comunicação de bordo. Quantos de nós já recebemos chamadas telefônicas importantes, emergências até, enquanto dirigimos? Esses e quaisquer outros assuntos de interesse pessoal?

Misoneímo, atraso de vida.

BS

63 comentários:

  1. Vamos proibir as facas porque as pessoas se matam com elas.

    É a velha mania de punir a ferramenta em vez de ensinar o imbecil a usá-la.

    PS: sou só eu ou alguém mais quando dá meio-dia fica dando F5 ansioso pelo novo texto?

    ResponderExcluir
  2. AutoClandestino
    Imagino que muitos façam o mesmo, daí eu ficar chateado quando atrasa, como alguns minutos hoje. O AE agradece sua "ansiedade"...

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que o fim do mundo vai acontecer com o declínio da sociedade. Tanta hipocrisia que as pessoas estão deturpando valores. E, ao invés de pensar em soluções, preferem nivelar por baixo que é mais fácil. Daqui a pouco vão querer esterelizar os pobres para acabar com a pobreza.

    ResponderExcluir
  4. Entendo a preocupação desse tal de NTSB, mas a proposta de banir aparelhos eletrônicos dos veículos, como os celulares, é idiotice.
    É claro que não é correto redigir textos, assim como também "alugar" o aparelho e falar o tempo todo.
    Nada como ser parcimonioso em seu uso.

    ResponderExcluir
  5. tem que proibir tudo mesmo

    ResponderExcluir
  6. Hoje não existe mais o conceito de RESPONSABILIDADE. Ou seja, a culpa é das coisas e das circunstâncias, e não das pessoas. Se o rapaz bate o carro, a culpa é do celular. Se um homem rouba, a culpa é da sociedade. Se a Grécia e a Itália não conseguem honrar seus títulos, a culpa é da crise mundial.

    Precisamos voltar a ser RESPONSÁVEIS, ou nossa sociedade vai cedo ou tarde desmoronar.

    ResponderExcluir
  7. No Omega, carro que utilizo com maior frequência e em velocidades maiores, tenho um som com bluetooth.

    Assim, quando preciso falar ao celular, continuo com as duas mãos no volante e com a visão concentrada no trânsito.

    Isso, qualquer pessoa preocupada com a segurança ao volante pode fazer.

    As mensagens de texto só deixarão de ser um problema quando o reconhecimento de voz estiver consolidado, de forma a ser possível ditar o texto para o aparelho celular.

    ResponderExcluir
  8. De fato é uma medida draconiana, mas o uso do celular para ler e enviar mensagens de texto chegou a proporções epidêmicas entre os motoristas nos EUA. E não são apenas mensagens via SMS, mas também e-mails com anexos.

    ResponderExcluir
  9. Bob
    Curiosamente escrevemos sobre isso no Jalopnik Brasil. Algumas pessoas "super-reagiram" à possibilidade de usar o celular com segurança no carro. Muitos não entenderam, outros são visíveis adeptos da arte brasileira de ler o que não está escrito.

    Poucos sabem que a prática é inibida pelo CTB, mas não proibida.

    Veja o post e a reação dos incautos: http://www.jalopnik.com.br/conteudo/como-usar-o-celular-no-carro-com-seguranca

    ResponderExcluir
  10. Não é fácil dirigir no mesmo ritmo que se vinha fazendo após atender o telefone. Para ouvir 100% e falar 100% normalmente se diminui a velocidade.
    E qualquer diminuição de velocidade atrapalha o fluxo.
    Daí eu ser contra direção e telefone ao mesmo tempo.
    Texto então, é sem comentários.

    ResponderExcluir
  11. leonardo,
    Não havia visto esse post, muito bom. Mas deve ser lembrado que já chegamos a um aparelho celular por habitante e que todos já se acostumaram a usá-o, a falar bastante, de modo que o fator distração por falar não existe mais, é passado. Quanto ao ter que dirigir com as duas mãos, mero atavismo, não precisa em grande parte das situações. Ou pessoas sem um braço não poderiam nunca dirigir. Aquele botão adaptado ao volante destina-se a manobras apenas, ninguém que só tem um braço dirige pelo botão, mas pelo aro do volante. Como escrevi, o misoneísmo é muito forte entre muitas pessoas.

    ResponderExcluir
  12. Com o trânsito cada vez mais "lento" e com as pessoas demorando cada vez mais para se deslocarem do ponto A até o B, é uma insanidade proibir o uso do celular.

    O que falta é educação, orientação e fiscalização.

    Que parem de criar normas e leis só para mostrar serviço. Como sempre estão mirando o foco na direção errada.
    E eu achava que esse éra um problema tipicamente tupiniquim, mas parece que até a terra do Tio Sam está pensando cada vez menos.

    ResponderExcluir
  13. Bob, mandei um email para vocês do Autoentusiastas dias atrás falando que estão querendo fazer exatamente a mesma coisa aqui.
    A matéria é esta:
    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2011/12/07/interna_cidadesdf,281752/proposta-no-congresso-defende-punicao-maior-para-celular-ao-volante.shtml

    Olhe a proposta do deputado Carlos Bezerra PMDB-MT:
    “a conduta de dirigir usando aparelho, seja móvel ou portátil, de comunicação, computação ou entretenimento, em qualquer uma de suas múltiplas funções seja considerada gravíssima" .
    Ou seja ele quer proibir tanto o bluetooh como o rádio/cd/pen drive pois são equipamentos de entretenimento e eletrônicos.
    Vamos ser proibidos até de ouvir música?

    Rodolfo Milet
    Brasília-DF

    ResponderExcluir
  14. Anderson
    E eu achava que esse éra um problema tipicamente tupiniquim, mas parece que até a terra do Tio Sam está pensando cada vez menos.

    Exatamente isso que eu iria falar...

    Em breve, os brasileiros saberão escrever à mão, e os americanos não. (outro problema ocorrendo nos EUA)

    ResponderExcluir
  15. Rodolfo Millet
    Recebemos seu e-mail, li o conteúdo, agradeço sua atenção. Penso em aproveitá-lo em outra oportunidade, pois nesse post de hoje o tema era banimento puro e simples.

    ResponderExcluir
  16. É surpreendente uma atitude destas partindo de um país que respeita a liberdade individual mais do que tudo e que não obriga o cinto de segurança nos carros nem o uso de capacete nas motos.

    ResponderExcluir
  17. O PROBLEMA NÃO É TER, E SIM SABER USAR . .

    ESTAMOS CRIANDO UMA GERAÇÃO DE IDIOTAS!!!!

    HOJE VOCÊ SENTA EM UMA MESA ( PRINCIPALMENTE COM OS MAIS JOVENS ) E NÃO SE CONSEGUE TER UMA CONVERSA DECENTE , POIS MUITOS DELES FICAM COM ESSAS MERDAS DE TELEFONES TROCANDO AS MENSAGENS MAIS IMBECIS POSSÍVES .. TIPO : ACORDEI ... ESCOVEI OS DENTES ... FIZ COCÔ.. ETC...ETC...

    TECNOLOGIA É MUITO BOM , QUANDO BEM USADA... FORA ISSO , É IGUAL A DAR REVÓLVER NA MÃO DE MACACO...

    ResponderExcluir
  18. Creio que faça parte desta geração de idiotas quem escreve comentário usando exclusivamente letras maiúsculas.

    ResponderExcluir
  19. Alessio Marinho20/12/11 14:00

    O Anônimo de 12:47 tocou no ponto correto: responsablidade.
    Provoquei um acidente com mais dois carros a alguns anos depois de uma conversa muito nervosa ao telefone. Instantes depois da ligação, bati o carro.
    Aprendi a lição, e hoje atendo celular enquando dirijo, mas não prolongo a conversa. Se for absolutamente necessário, encosto o carro e continuo a conversa.

    ResponderExcluir
  20. Eu não atendo o celular com o carro em movimento.

    ResponderExcluir
  21. "misoneismo" uma pinóia.O q. estamos presenciando é o colapso do bom e velho senso de responsabilidade.As pessoas se sentem desobrigadas de conhecer o seu entôrno,das coisas e das pessoas com quem (forçosamente) interagem;apenas reagem da pior maneira,quando o ego é cobrado ou restringido
    Quando esse tipo de alienação contamina aqueles q. tem algum tipo de poder,a coisa então degringola de vez, já q.a agressão aos egos é amplificada e multiplicada.Da mesma forma, as reações negativas.
    Uma pergunta menos filosófica-alguem já notou a parafernália eletrônica dos carros da polícia americana? Será q. os troopers são à prova de distração?

    ResponderExcluir
  22. Tem cidadão andando na rua com essas porcarias de aparelhos, e volta e meia um cai. Imaginem dirigindo.
    Proibição já e tenho dito.

    Janio Quadros

    ResponderExcluir
  23. Oh céus ! o Bob tá achando que a mente das pessoas já evoluiu a ponto de conseguir falar no telefone e dirigir !
    Isso demora gerações Bob, a evolução do ser humano toma mais tempo.

    ResponderExcluir
  24. Luiz Dranger20/12/11 15:03

    O comentário do AutoClandestino está certíssimo. É a mesma coisa que aquele político imbecil Jooji Hato, que pela 2ª vez tenta emplacar uma lei proibindo garupa nas motos, para evitar assaltos. Proibir o uso de motos ou mesmo as pessoas de saírem de casa, também resolve o caso.
    É o Brassssiiiillllll ! Socorro

    ResponderExcluir
  25. Não sei o que aconteceu, mas a população (principalmente os políticos) se esqueceu que é melhor educar do que proibir. Uso o exemplo de criar um filho, quando você ensina que tal atitude é prejudicial e vai causar certos danos, a criança aprende que tal atitude é ruim e vai evitar fazer aquilo. Se você apenas proíbe a criança de fazer certa coisa, ela não aprende nada e talvez a proibição sirva de estimulo para que ela faça aquilo...

    ResponderExcluir
  26. anônimo das 13:59

    Devagar...Tem óleo na pista...

    ResponderExcluir
  27. Em países europeus o uso de celular é permitido desde que tal não implique o manuseio continuado do mesmo. Ou seja, é permitido usando dispositivos alta voz. Nos restantes casos é proibido e sancionado. Parece ser uma medida de bom senso, que torna o uso do celular tão distrativo como o uso do rádio ou o conversar com o passageiro. A proibição de aparelhos que impliquem o manuseio continuado parece a medida mais acertada, caso contrário, na lógica do proposto nos Estados Unidos, mais depressa tinham que proibir o fumar, o comer ou o beber dentro do automóvel, coisa que eles apreciam bastante.

    ResponderExcluir
  28. Não pode ter película no carro, mas pode usar o celular?

    Parcial a opinião.

    Sou totalmente contra o uso do telefone celular, mesmo com bluetooth, pois distrai demais, é notável o quanto o motorista fica distraído e/ou nervoso.

    Se o autor do post sabe dirigir excepcionalmente, e acredito que o faça, basta lembrar-se que a formação de condutores no Brasil é deficiente e ineficaz, ou seja, precisa-se igualar por baixo.

    ResponderExcluir
  29. Bob, concordo contigo que é burrice, mas você sabe dos N casos nos EUA onde pessoas dirigem lendo livros (!!), maquiando-se e afins.

    Uma vez vi o ator que interpreta o professor Xavier dos X-men dizendo que viu uma mulher maquiando-se e falando ao celular enquanto dirigia na autoestrada a mais de 100 por hora, depois disso ele não mais dirigiu nos EUA.

    É a falsa sensação de segurança que tem-se em um carro, especialmente em um bom carro e em uma ótima estrada como são as interestaduais de lá, as pessoas acabam por não pensar no que fazem.

    Pelo menos lá e cá parece que muitos não pensam quando votam..

    ResponderExcluir
  30. Alexandre - BH -20/12/11 16:35

    Uso de dispositivo viva-voz ou Bluetooth, vá lá. Mas usar o próprio celular enquanto se dirige o carro, definitivamente, não funciona. Dá pra saber perfeitamente quem está fazendo as duas coisas ao mesmo tempo, mesmo que não se consiga ver o motorista devido aos “sacos de lixo” nos vidros. O sujeito anda num ritmo lerdo, no meio da pista, não usa a seta, não dá o menor sinal do que pretende fazer. Sem contar que faz conversões e manobras usando e abusando da sorte – e da segurança dos outros – pois enquanto tomba a cabeça para apoiar o telefone entre a orelha e o ombro, não usa os retrovisores. A maioria dos carros depende totalmente dos comandos do motorista; “anjos da guarda” eletrônicos ainda são raros e caros, especialmente em países como o Brasil.

    ResponderExcluir
  31. Falar ao telefone enquanto se dirige é preciso; guiar com responsabilidade não é mais preciso.

    ResponderExcluir
  32. Americano é "bicho estranho" mesmo. O Guilherme J. citou bem o caso da dispensa de ensino de letra cursiva por lá... Daqui a pouco, as crianças somente aprenderão a digitar. A perda não é apenas de habilidade, mas de coordenação motora!
    Será que taxistas ou policiais batem mais porque sempre tiveram que pegar o rádio e interagir?
    Agora, essa de digitar e dirigir, só tentei em congestionamento brabo. E mesmo assim, não dá segurança. Parece mentira: na hora que a gente decide trocar o CD ou digitar uma mensagem, a fila começa a andar. hahaha
    Mas já vi mulher retocando o batom e dirigindo numa avenida perto de casa. Sinistro...

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Acreditem, eu já testemunhei uma mulher guiando com os cotovelos e se maquiando enquanto dirigia, parece piada mas não é, cortei luz e buzinei, pois foi a reação que eu tive, quando vi que a mesma deu um sorriso que expressava um belo "tô nem ai!!!" diminuí a velocidade e a deixei ir embora pois tive medo até de chegar perto. Não é machismo exacerbado, mas as mulheres batem todos os recordes no quesito celular, sms, gadgets e afins.

    ResponderExcluir
  35. Antônio Martins20/12/11 17:55

    Concordo com o Juvenal,

    100% das vezes quem está ao celular está abaixo do fluxo, vira obstáculo móvel, dirige mais devagar do que deveria.

    Vivo ultrapassando estas lesmas e ás vezes dou uma buzinada na sua janela pra ver se se toca, mas é em vão.

    Existe multa pra quem dirige atrapalhando o tráfego, ou abaixo da metade do máximo. Se alguém conhece quem já levou uma ou outra, eu pago R$ 50 mil.

    ResponderExcluir
  36. Caminho natural das coisas:

    1. Proibir o manuseio de celulares e afins, mas liberar viva-voz ou dispositivos semelhantes.

    2. Obrigar as fábricas a equiparem seus carros com dispositivos anti-colisão, num prazo pré-determinado, como ocorreu com os airbags.

    ResponderExcluir
  37. Justo os americanos, que difundiram o rádio faixa do cidadão...

    Hoje em dia tenho dúvida se posso usar um PTT ao volante e a autoridade policial multar e colocar que é celular,,,

    ResponderExcluir
  38. Punir quem dirige com o celular na orelha é obvio e já passou da hora de ser feito com rigor. Se ver alguém dirigindo lentamente no trânsito, sem manter direito a linha, pode apostar, ou está bêbado ou está com o celular na orelha.

    Punir quem usa celular no viva voz ou bluetooth é ridículo. Até porque eles não conseguirão fiscalizar, logo é uma lei a ser desrespeitada.

    Não seria melhor educar os motoristas a comprarem fones e orientar a configuração do celular para as teclas de discagem rápida????

    Tenho 10 números configurados no meu celular, basta eu segurar qualquer uma das teclas de 1 a 0 para que ele disque para a pessoa. Apertando outro botão, entra o viva voz. Tudo isso num celular de R$70,00

    ResponderExcluir
  39. Essa info sobre os EUA só mostra que político de m*rda tem em qualquer lugar.

    ResponderExcluir
  40. Várias coisas causam distração se feitas ao volante, com o carro em movimento..comer, falar ao celular, ajeitar o radio ou o cinto.

    A culpa nao é dos aparelhos ou da comida, a culpa é da falta de responsabilidade. Hj mesmo quase bati pq um "artista" saiu da outra faixa, me fechou p/ entrar numa rua transversal, ele estava falando ao celular...a culpa é do celular? não, a culpa é do cretino q não parou p/ atender.

    Pura falta de eduçação, irresponsabilidade, falta de respeito com as pessoas em volta..mta gente acha q nao existe, mas existem sim pessoas em volta.

    Sou a favor de punir quem faz isso, nao banir aparelhos.

    ResponderExcluir
  41. Me lembro dos comentários do meu pai quando criança(coisa de 15 anos atrás),que geralmente quando alguém atrapalhava o tráfego,sem manter trajetória nas faixas ou andando devagar estava bêbado,isso ocorria geralmente à noite,e sempre era confirmado ao ultrapassarmos o veículo.Hoje em 100% dos casos com os quais me deparo a culpa é de celular,rádio,etc.Muitas vezes ao usar esses aparelhos as pessoas evitam trocar de marcha,ou atrasam ao máximo esse processo,gerando lentidão.Se a maioria dos carros fossem automáticos,talvez também mandaríamos mensagens.Em um país onde as auto escolas ensinam a passar na prova de direção e não a dirigir em condições variadas de tráfego,climáticas,etc...A proibição seria uma ótima alternativa a curto prazo,mas a longo prazo o ideal seria verdadeiramente ensinar as pessoas a dirigir o veículo e conhece-lo em situações diversas,mas infelizmente nesse país onde o foco é arrecadação,isso fica só nos sonhos.

    ResponderExcluir
  42. Concordo plenamente com o JJ, por várias vezes passei raiva de motoristas à frente andando devagar e sem muita definição de direção, e ao ultrapassá-lo, vê-se que ele está ao celular.

    ResponderExcluir
  43. Não sei se já postaram este link, mas vale a pena mostrar a quem ainda não viu. É uma reportagem do jovem que usa o twitter para escapar da blitz policial e ainda fala que não tem medo de dirigir bêbado porque o carro dele tem ABS e airbag!

    http://www.band.com.br/primeirojornal/conteudo.asp?ID=100000462596

    E tem continuação:

    http://www.band.com.br/primeirojornal/conteudo.asp?ID=100000462795

    ResponderExcluir
  44. O que o Bob quis dizer não é que pode-se dirigir e falar ao celular.

    O que o Bob quis dizer é que os legisladores querem tomar o lugar dos cidadãos, dizendo o que deve ou não ser feito.

    ResponderExcluir
  45. Anonimo de 12:47, se expressou de uma maneira que estou procurando me expressar a tempos e não conseguia! Peço licença para usar! Responsabilidade, é isso que deve ser cobrado das pessoas, não que não bebam, que não falem ao celular, que não fumem, etc...

    ResponderExcluir
  46. Concordo com quem falou que falta hoje responsabilidade por parte das pessoas. É muito mais fácil proibir do que usar os neurônios para avaliar a situação. E não só ao volante, em todo lugar. Por isso o mundo está se tornando um lugar cada vez mais chato.

    Para mim a questão é simples: se a pessoa não tem capacidade de falar ao celular e dirigir ao mesmo tempo, então que não o faça, ora bolinhas! Se o sujeito é tão nó cego a ponto de não saber identificar isso, me desculpem, mas esse cidadão não poderia sequer ter habilitação. Se o raciocínio falha em análises simples desse tipo, o sujeito irá se deparar com inúmeros problemas ao volante, justamente por não ter consciência de suas limitações.

    Penso exatamente como o governo canadense a respeito da habilitação: dirigir é um privilégio, não um direito.

    ResponderExcluir
  47. Como pode defender celular na direçao ???

    É muito perigoso mesmo e um habito imbecil que deve ser combatido. É vicio, nao necessidade.

    Atrasou, encosta o carro e faça uma ligaçao de 15 segundos, nao 1/2 hora trafegando a 40 na faixa da direita....

    Estou assustado com esse tipo de posicionamento....

    ResponderExcluir
  48. Rolim (do Vectra com bluetooth)21/12/11 09:56

    Os que criticam falar no celular em viva-voz através de bluetooth (diferente do viva-voz do próprio aparelho que exige que se manuseie o celular) o fazem sem saber do que se trata, ou porque nunca usaram.
    Um simples toque no botão do rádio e você já atendeu a ligação. Nem precisa olhar para o rádio (apesar de que já vi pessoas olharem para a alavanca do câmbio para trocar as marchas!).

    ResponderExcluir
  49. Daqui a pouco vão proibir de conversar com o passageiro do banco do lado.
    Ora, não é a mesma coisa que um celular no bluetooth??

    ResponderExcluir
  50. Educação adequada e multa infalível ainda é a melhor maneira de nos adaptarmos aos novos tempos, proibição cheira a tentação...

    ResponderExcluir
  51. Devido à imensa quantidade de jumentos distribuindo fechadas, andando em zigue zague, causando acidentes eu sou contra o uso do celular enquanto dirige. Óbvio que nao dá pra fiscalizar se o cara tem bluetooth. Isso é o que vejo no dia a dia e não numa pesquisa feita por especialistas.

    ResponderExcluir
  52. É incrível que ainda existam "motoristas" que defendam o uso do celular enquanto dirigem. Tira a atenção, ocupa uma das mãos (mas já vinha esquecendo...o cara é fumante). Se quer falar no celular então que coloque um som com bluetooth...pelo menos as duas mãos vão estar no volante pra corrigir alguma cagada.

    É muito hipócrita: defende o celular e é contra qualquer tipo de película.

    ResponderExcluir
  53. Anônimo disse...
    "É muito hipócrita: defende o celular e é contra qualquer tipo de película."


    Não, Anônimo das 21:13, não é hipócrita.

    É misoneísta...


    Kokokil

    ResponderExcluir
  54. Desculpe Bob, sou contra o celular.
    Recentemente estou usando o brinquedo novamente, mas fiquei desde 2003 sem ter celular, e minha vida melhorou muito com isso.
    Nao existe nada tao indispensavel que nao possa ser comunicado quando seu carro estiver parado, viviamos assim antes e nao vejo motivo para nao continuar assim.
    Mas a tecnologia nos alcança, e temos que aprender a lidar com ela, entao o que faz sentido para mim, é equipar os celulares de forma a permitir somente operação em viva voz no transito. Isso é possivel, e limitaria os usuarios que fazem mau uso dele dirigindo.
    Estou cansado de ver pessoas que dirigem o carro com um unico braço enquanto seguram o celular na orelha com o ombro. Em curvas, isso é ridiculo, a pessoa move o volante com um braço, solta, e volta a mover, como se estivesse dando corda no volante. Aposto que todos veem pessoas que fazem isso todo dia.
    Um tempo atras estava sentado do lado de uma pessoa em um aviao que ignorou completamente o aviso de desligar o celular para aproveitar o tempo na decolagem para enviar SMSs e acessar sites de investimentos. É o tipo de idiota que nao se importa com a vida dos outros, e nao da a minima para as normas de segurança. E poderia muito bem ter feito isso antes ou depois do voo.(juro que se houvesse um problema com o aviao e fosse necessario um pouso de emergencia, a ultima coisa que iria fazer antes de morrer seria esmurrar este individuo)
    Celular no transito é tao prejudicial quanto pelicula. Ou limitamos eletronicamente para permitir somente o uso via viva voz com bluetooth, ou proibimos por lei. Nem todo mundo é consciente a ponto de estacionar para atender ou ligar

    ResponderExcluir
  55. Bob Sharp,

    Celular atrapalha a maioria das pessoas SIM. Se o brasileiro não sabe dirigir normalmente por falta de treinamento, respeito, habilidade, imagine com a liberação do uso destes eletrônicos?

    Bob Sharp, me desculpe, mas parece que vc vive em outro planeta.

    Quantas vezes notamos carros andando lentamente e ocupando uma faixa e meia? Parece que a pessoas segue a linha pontilhada para não se perder...

    E andando lentamente na esquerda e mudando de faixa várias vezes sem usar a seta por não ter a mão livre para acionar a alavanca?

    Freando bruscamente pois lembrou que estava no caminho errado?

    Acho engraçado que aqui todos reclamam da obrigatoriedade do ABS e Airbag em 2014, mas vem sugerir um controle eletrônico de distância/velocidade.
    Os primeiros são componentes passivos e só entrarão em ação após cagadas, este outro já interfere na maneira de dirigir!!!!

    Se o governo obrigar a ter este dispositivo no carro ele deixará de ser válido então?

    Velho mas limpinho

    ResponderExcluir
  56. Bob
    Dado que a esmagadoria maioria dos motoristas no Brasil são muito ruins até que dá pra aceitar a tal lei que os proíbe de falar ao telefone enquanto "tentam" conduzir seus automóveis, hehehe! Para alguns viventis a palavra "bluetoth" seria a solução, mas, dada a preocupação dos mesmos em saber das coisas creio que o sujeito iria apenas pensar se tratar de um dente de cor azul.
    VmL
    Sumiu, hein! Mas quem é vivo sempre aparece...

    ResponderExcluir
  57. "Bluetooth" com dois "ós". Fica aqui o reparo.

    ResponderExcluir
  58. Hoje tinha uma meia-roda de uma motorista se arrastando na pista da esquerda.... Quando passei por ela, o que estava fazendo? fazendo a indispensável comunicação enquanto dirige! Falando no celular. Sem contar outros tantos que já vi digitando mensagens.

    ResponderExcluir
  59. Minha nossa, quantos analfabetos aqui.

    O que o Bob quis dizer NÃO É:
    Dirigir falando ao celular é totalmente aceitável, desde que se tenha um controle de velocidade/distância no veículo e nenhuma película no vidro do carro.

    O que o Bob quis dizer É:
    Deve-se ensinar o conceito de responsabilidade às pessoas, ao invés de dizer o que elas devem fazer o deixar de fazer. Cada um sabe de suas capacidades e deveria decidir por si, de forma responsável, quais instrumentos deveria usar e quais não.

    ResponderExcluir
  60. FVG, eu até leio o blog, mas perdi a vontade de ficar postando aqui.

    Só para constar que esqueci de comentar antes:

    " A pior coisa é depender do bom senso dos outros, é igual boa intenção, o inferno está cheio..."

    Abraço a todos e ótimo natal!

    ResponderExcluir
  61. O problema do Bob é que ele pega o padrão dele, que é alto, ex piloto de corridas que é, e o considera como padrão.
    O motorista mediano, em qualquer pais que seja, é pior que piorzinho dos pilotos de corrida que você pegue como comparação.

    ResponderExcluir
  62. Mais uma hipocrisia do Bob. Celular e cigarro ao volante são coisas normais, película é um absurdo.
    Tsc.

    ResponderExcluir
  63. Ue Bob, vc acha que cada um tem a responsabilidade de decidir se deve ou não usar o celular, mas também acha que ninguém pode optar por usar película, que película deve ser generalizada, mas celular não?
    Se tem muita gente fazendo cagadas por causa de película no vidro, tem mais cagadas ainda devido ao uso de celular.
    Coerência.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...